Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Suely Ferreira Deslandes

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • internet: espaço de disseminação e de enfrentamento de violências contra crianças e adolescentes.
  • A sociabilidade contemporânea foi radicalmente transformada a partir da internet, isto é, pela mediação por tecnologias de informação e de comunicação. As fronteiras online e do “mundo real” já não são claras e a socialidade digital tem grande influência na organização do cotidiano, comportamentos e práticas sociais. O uso das redes sociais digitais e suas plataformas de interação são amplamente disseminadas entre a população brasileira, especialmente entre crianças e jovens. Nesse contexto a violência se apresenta de forma significativa na sociabilidade virtual, podendo ser veiculada de forma anônima, sem fronteiras ou barreiras geográficas e muitas vezes sem possibilidade de identificar e responsabilizar seus autores. Verificam-se inúmeras formas de violências simbólicas praticadas nos espaços online, assim como práticas violentas perpetradas presencialmente a partir do incentivo e apologia veiculados pela internet. As consequências e danos à cidadania e à saúde física e mental de crianças e adolescentes que sofrem violências na internet são reais, duradouras e ultrapassam as fronteiras da tela. Contudo, a internet é também espaço de defesa de direitos e ativismo contra a violência e violação de direitos de crianças e adolescentes. Tanto organizações transnacionais, organizações governamentais e da sociedade civil usam as redes sociais para sensibilização, mobilização, advocacy e defesa dos direitos de crianças e adolescentes, bem como se dedicam à denúncia e à prevenção de violências e violações. O objetivo de nosso estudo é analisar como se configuram os argumentos discursivos disseminadas na internet, visando obter a adesão a práticas de violências contra crianças e adolescentes a serem perpetradas por pais ou responsáveis (educação através de castigos físicos e suspensão de seus direitos), autoperpetradas (“desafios” e/ou games com “desafios”) ou entre pares (violência digital no namoro). Buscaremos também analisar as experiências de ciberativismo que visam ao enfrentamento dessas formas de violências. Propomos ainda a produção de três vídeos, voltados para prevenção e debate sobre tais formas de violências a serem disseminados na internet. Trata-se de um estudo qualitativo em ambiência digital. A perspectiva de triangulação de métodos e técnicas orienta a metodologia. Adotaremos como métodos centrais para o exame dos conteúdos, argumentos e estratégias discursivas de promoção da violência online e das formas de ativismo para seu enfrentamento a Análise de Discurso Crítico (ADC) preconizada por Norman Fairclough (2001), complementada pela Análise de Argumentos proposta por Toulmin (2006).
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Suely Meireles Rezende

Ciências da Saúde

Medicina
  • identificação de variantes genéticas associadas ao desenvolvimento de aloanticorpos em hemofilia a
  • A hemofilia A (HA) é uma doença hemorrágica ligada ao cromossomo X, decorrente de mutações no gene codificador do fator VIII (FVIII, F8). Pacientes com HA, principalmente em suas formas moderada e grave, são dependentes da infusão de FVIII para o seu tratamento. A principal complicação da HA é o desenvolvimento de anticorpos neutralizantes (inibidores) contra o FVIII exógeno (infundido), que ocorre em até 30% dos pacientes. O desenvolvimento de inibidores associa-se a ocorrencia de hemorragias de difícil controle e pior resposta ao tratamento com o concentrado de fator VIII. Isso exige o uso de concentrados de fator do tipo bypassing que são mais onerosos e menos efetivos que os concentrados de FVIII. Fatores ambientais e genéticos (mutações em F8, etnia e história familiar) são fatores de risco já conhecidos para o desenvolvimento de inibidores. Entretanto, poucos estudos exploraram o papel da arquitetura genômica, adicionalmente ao gene F8, na produção de inibidores na HA. Nós hipotetizamos que variações em genes do sistema imune, assim como em outras regiões genômicas, influenciam a suscetibilidade individual ao desenvolvimento de inibidores em pacientes com HA. Para responder a essa questão, nosso grupo desenvolveu um painel de sequenciamento de alto desempenho (NGS) enriquecido com variantes genéticas potencialmente envolvidas nos fenótipos diferenciais dos pacientes graves com HA e ao risco/proteção no desenvolvimento de inibidores. Atualmente, este painel está sendo testado em pacientes provenientes do Estudo HEMFIL, cuja geração de dados genéticos encontra-se em fase final de execução subsidiado com financiamentos do CNPq, CAPES e FAPEMIG. O Estudo HEMFIL é um estudo de coorte prospectivo multicêntrico, iniciado em 2013, cujo objetivo é investigar os fatores de risco genéticos, imunológicos e clínicos associados ao desenvolvimento de inibidores em pacientes com HA. Para este estudo, já foram incluídos 78 de 100 pacientes com HA grave recém-diagnosticada, com e sem desenvolvimento de inibidores. O produto imediato do desenvolvimento deste painel de genes, adequados à nossa população miscigenada e investigados no Estudo HEMFIL como uma coorte exploratória, permitirá o direcionamento nas futuras investigações genômicas de HA no Brasil. Nesse sentido, visando uma perspectiva metodológica mais robusta, nós propomos a replicação das análises genômicas em pacientes provenientes do Estudo HEMFIL no Estudo BrazIT, que se encontra paralelamente em execução pelo nosso grupo. O Estudo BrazIT, em andamento, tem como objetivo avaliar a eficiência e os fatores associados à resposta ao tratamento de imunotolerância (IT) em pacientes com HA que desenvolveram inibidores. Aproximadamente 360 pacientes brasileiros foram incluídos neste tratamento até o presente, seguindo protocolo padronizado preconizado pelo Ministério da Saúde. Destes, 67 pacientes já foram incluídos no Estudo BrazIT de um total estimado de 200 pacientes, que pretendemos incluir até o início de 2019. No estudo BrazIT estão sendo coletadas variáveis relacionadas aos dados demográficos, clínicos e laboratoriais (imunológicas e moleculares) dos pacientes com HA em tratamento em diversos momentos da imunotolerância: antes da inclusão, durante e ao final da IT (mediante sucesso ou falha da IT). Nossa proposta é relevante por vários motivos: 1) o Estudo BrazIT representará a maior coorte de pacientes com HA e inibidores do Brasil e uma das maiores mundialmente estudadas. É constituído por um grupo bem caracterizado de pacientes com informações fenotípicas detalhadas, dados clínicos e laboratoriais e desfecho da IT. Ainda, contamos com os dados genéticos, clínicos e laboratoriais do Projeto HEMFIL, que representa a nossa coorte exploratória com experimentos em fase final de execução, e cujos achados poderão ser validados no Estudo BrazIT; 2) A metodologia proposta utiliza um painel de enriquecimento que permite a concentração em alta profundidade de regiões de interesse, diminuindo drasticamente o tempo de execução, custos e desafios de análises bioinformáticas complexas. Adicionalmente aos dados das regiões exônicas, são acrescidas as regiões 5’ e 3’ UTRs e promotoras (2 kb àmontante e 2kb à justante) dos genes selecionados, além de abranger polimorfismos de genes previamente relacionados ao desenvolvimento de inibidores (como o rs3754689 do LCT, CTLA4, IL10 e TNF), o que representará uma preeminência à limitação encontrada na abordagem de Whole Exome Sequencing (WES) recentemente publicada; 3) como parte desta metodologia, foi desenvolvido um painel de genes customizados à nossa população, que incorpora SNPs informativos de ancestralidade cujo objetivo é avaliar a relação entre ancestralidade genômica e desenvolvimento de inibidores em HA; e 4) a maioria dos estudos visando a análise genômica em HA tem sido focada em indivíduos de ascendência europeia, com uma distinta sub-representação de populações miscigenadas, como as latino-americanas. No Brasil existem aproximadamente 10.000 indivíduos com HA, cujo tratamento é garantido pelo Sistema Único de Saúde (SUS) de acordo com protocolos estabelecidos. De acordo com dados da Federação Mundial de Hemofilia, esta é a quarta maior população de pacientes com HA no mundo, seguido pelos EUA, Índia e China. O tratamento da HA representa, para o Brasil, um custo aproximado de 1.3 bilhões de reais/ano com a aquisição dos concentrados de fator de coagulação, que são importados em sua totalidade. Deste total, cerca de 250 milhões de reais são gastos anualmente com aproximadamente 700 pacientes com HA e inibidores para o tratamento das hemorragias e para o programa de IT. Assim, é premente a necessidade de mais pesquisas nesta área que enfoque uma maior compreensão dos fatores de risco associados a resposta a IT, assim como ao desenvolvimento de inibidores e sua prevenção.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Sukarno Olavo Ferreira

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • produção e caracterização de filmes finos e nanoestruturas semicondutoras e magnéticas
  • Esta proposta tem como objetivo a continuação das investigações sobre produção e caracterização de filmes finos nanoestruturas semicondutoras e magnéticas no DPF/UFV, garantindo um mínimo de recursos para sua realização. Os projetos envolvem a utilização do sistema de crescimento epitaxial por feixe molecular (MBE), projetado e construído no DPF, com o qual prosseguiremos no estudo de pontos quânticos e multicamadas ultrafinas de CdMnTe, um sistema de sputtering, também montado no DPF, para a deposição de filmes finos magnéticos e a produção de pontos quânticos coloidais de CdS e CdTe. Para a caracterização das amostras produzidas são utilizadas principalmente as técnicas de difração de raios-x e microscopia de varredura por sonda, pelas quais sou o responsável no DPF e, também, outras técnicas disponíveis no DPF, entre as quais podemos citar a microscopia eletrônica de varredura, espalhamento Raman, efeito Hall e magnetoresistência. As atividades em andamento envolvem atualmente um aluno de doutorado, um de mestrado e um de iniciação científica, sob minha supervisão direta e de outros 2 alunos de doutorado, 2 de mestrado e 2 de iniciação científica em cooperação com colegas do DPF. Além disso, envolvem a co-orientação de diversos alunos e a colaboração com vários colegas de outros departamentos da UFV (áreas de química, engenharia química, engenharia florestal, engenharia de alimentos, microbiologia, solos) e de outras instituições (UFMG, UFES, LNLS, LNNano, CBPF) na utilização das técnicas de difração e AFM na caracterização de sistemas diversos.
  • Universidade Federal de Viçosa - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Suliani Rover

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • análise das características das provisões e dos passivos contingentes e sua influência no resultado das companhias brasileiras
  • A normatização das provisões e dos passivos contingentes é essencial para inibir a assimetria das informações e buscar sua fidedignidade. As provisões e passivos contingentes têm sido foco de notícias no mercado e têm a atenção de pesquisadores que buscam compreender como os gestores tomam decisões sobre esses processos que justificam suas classificações. O presente projeto de pesquisa tem como objetivo geral analisar as características das provisões e dos passivos contingentes nas demonstrações contábeis e sua influência no resultado das empresas brasileiras listadas na Brasil, Bolsa e Balcão (B3). Para a consecução do objetivo, pretende-se realizar uma análise abrangente que contemple as características, o disclosure e seus determinantes, as notícias, as mudanças da chance de perda dos processos, a reconfiguração das classificações e se as provisões e os passivos contingentes são relevantes para o mercado de capitais brasileiro. A população do estudo contempla as empresas não financeiras listadas na Brasil, Bolsa e Balcão (B3), analisadas a partir de seus processos relevantes divulgados no Formulário de Referência, assim como informações relacionadas às provisões e passivos contingentes divulgadas nas notas explicativas do período de 2010 a 2017.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Sura Wanessa Nogueira Santos Rocha

Ciências Biológicas

Imunologia
  • avaliação dos mecanismos imunorregulatórios da dietilcarbamazina (dec) na hepatite autoimune e associação com doenças neurodegenerativas em estudo experimental e clínico.
  • Hepatite autoimune (HAI) é uma doença inflamatória crônica do fígado, caracterizada pela presença de autoanticorpos circulantes, elevação nos níveis das transaminases séricas, hiperglobulinemia (principalmente IgG) e um quadro histológico de hepatite de interface. Mesmo com o tratamento convencional, monoterapia com predinisona ou em combinação com azatioprina, a cirrose costuma ocorrer em 40% dos pacientes tratados e é tida como um fator de risco para o desenvolvimento do carcinoma hepatocelular (CHC). A inabilidade de suprimir totalmente a atividade inflamatória em até 12 meses de tratamento está relacionada com sua evolução para cirrose em 54% dos casos e morte ou transplante hepático em 15% dos casos. Desse modo, devido os relatos de falha terapêutica, toxicidade aos fármacos utilizados e o desenvolvimento de complicações secundárias associadas à HAI, opções terapêuticas que suplementem o tratamento convencional e que utilizam mecanismos de tolerância hepática estão começando a surgir, tais como a geração de células T regulatórias e de citocinas imunossupressoras para tratamento de doenças autoimunes. Atualmente, têm-se realizado alguns estudos sobre o mecanismo de ação da Dietilcarbamazina (DEC), que apesar de mais de 60 anos de uso, teve o seu potencial farmacológico pouco explorado. A DEC é conhecida como um anti-inflamatório, devido ao seu sucesso em reduzir o efeito induzido experimentalmente de inflamação pulmonar e hepática. Estas respostas inflamatórias reduzidas estão atribuídas à inativação do NF-κB, suprimindo assim a indução de NF-κB genes dependente. A DEC também é conhecida como inibidor da ciclooxigenase e vias lipoxigenase. Essa droga foi evidenciada por reduzir a inflamação hepática e lesão por redução de mediadores inflamatórios e elevação da IL-10. Dentre poucos estudos realizados com a DEC, cabe uma avaliação definitiva e abrangente desta droga para avaliar seu potencial efeito imunomodulador frente à hepatite autoimune. Estudos em humanos e animais têm demonstrado que a N-acetil-L-cisteína (NAC) é um potente agente antioxidante e terapêutico, mostrando-se uma droga segura, bem tolerada e com amplo espectro clínico. Suas aplicações estão sendo avaliadas no tratamento do câncer, transtornos neuropsiquiátricos, síndromes de isquemia-reperfusão, doenças cardíacas, infecções pelo HIV, bronquite, SARA, toxicidade induzida por quimioterápicos e outras doenças caracterizadas pela produção de radicais livres. Seus efeitos também estão sendo avaliados em doenças fibrogênicas e granulomatosas. A expressão de moléculas pró-inflamatórias é regulada por vários fatores de transcrição e vias de sinalização, e dentre estas vias, proteínas quinase ativadas por mitógenos (MAPKs) são moléculas sinalizadoras que possuem importante papel na regulação do crescimento, diferenciação, sobrevivência e apoptose celular, na resposta celular a citocinas e estresse. A via das MAPKs inclui p38 MAPK, c-Jun N-terminal kinase (JNK) e quinase regulada por sinal extracelular (ERK) que estão envolvidos na expressão de COX2 e iNOS em macrófagos ativados por LPS. MAPKs têm importante papel na ativação do fator de transcrição nuclear NF-κB, o qual por sua vez regula a expressão de genes envolvidos nas respostas imune e inflamatória. Diante do exposto, o presente trabalho tem como objetivo investigar a ativação da via de sinalização p38 MAPK bem como o fator nuclear-kB no fígado em um modelo experimental murino de hepatite autoimune induzida pela Concanavalina A, identificar quais outros órgão essa patologia pode influenciar negativamente, e assim, verificar o efeito imunomodulador da DEC, e também da sua associação com a N-acetil-cisteína através de avaliações moleculares, bioquímicas e morfológicas (histopatológicas e ultraestruturais). Ademais, um outro objetivo relevante deste projeto é de relacionar a HAI com doenças neurodegenerativas, sendo abordadas nesse trabalho: encefalopatia diabética, mal de Parkinson e Alzheimer. Investigar uma correlação entre essas enfermidades deve ser posta em prioridade, uma vez que as doenças envolvem mecanismos desreguladores da imunidade do indivíduo, incluindo os autoimunes. Adicionalmente, existe uma escassa literatura capaz de levantar dados epidemiológicos acerca dessa conexão, bem como de explicar a ocorrência dessas patologias correlacionadas. Além disso, compreender essa relação tem o potencial de propor o melhor manejo do usuário do sistema de saúde, atendendo melhor suas demandas e estruturando apoio do ponto de vista da saúde, do âmbito social, econômico e político. Outrossim, em parceria com o IFP, o presente projeto pretende caracterizar a hepatite autoimune em amostras de biópsias de fígado de pacientes do estado de Pernambuco, a fim de elucidar os mecanismos e as vias de sinalização do desenvolvimento dessa patologia e assim integrar aos cuidados específicos à saúde dessa população. Este projeto será desenvolvido na Universidade de Pernambuco em colaboração com o Instituto Aggeu Magalhães – IAM/FIOCRUZ, Instituto do Fígado de Pernambuco – IFP, Universidade do Vale de São Francisco – UNIVASF e Universidade Federal de Pernambuco – UFPE.
  • Universidade de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Susan Chow Lindsey

Ciências da Saúde

Medicina
  • determinação de biomarcadores para carcinoma medular da tiroide em sangue periférico identificados através de transcriptoma
  • O carcinoma medular da tiroide (CMT) avançado apresenta prognóstico desfavorável e, ao diagnóstico inicial, muitos pacientes já apresentam metástases. O acompanhamento dos pacientes é baseado nos níveis séricos de marcadores tumorais e em sua taxa de progressão ao longo do tempo. Pacientes com suspeita de metástases são submetidos a exames de imagem localizatórios que, com frequência, são realizados sequencialmente para se investigar progressão da doença. Baseados em estudos prévios de detecção de RNA mensageiro tumoral circulante, analisamos o transcriptoma em sangue periférico de pacientes com CMT através da técnica de sequenciamento paralelo em larga escala do tipo RNA-Seq, visando a detecção de assinaturas transcricionais representativas de CMT avançado. A partir destas bibliotecas de transcriptoma, analisaremos os genes diferencialmente expressos e realizaremos a validação em uma coorte ampliada de pacientes com CMT através de PCR quantitativo. Serão incluídos pacientes com CMT persistente, com doença locorregional e metastática, tanto com doença estável quanto em progressão, e aqueles com CMT sem evidência de doença. A validação de biomarcadores tumorais em sangue periférico de pacientes com CMT possibilitará um método pouco invasivo, de baixo custo, e que identifique, em tempo real, o estado tumoral e seu caráter de progressão, trazendo vantagens sobre métodos de maior custo ou que requerem tempo maior de observação.
  • Universidade Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Susan Martins Pereira

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • efeito da vacinação e revacinação por bcg na ocorrência e gravidade da covid-19 no brasil.
  • Trata-se de um estudo multicêntrico com o objetivo de avaliar a efetividade da vacinação e revacinação por BCG na ocorrência e gravidade da COVID-19 no Brasil. 1) Estimar a associação entre a gravidade da COVID-19 de acordo com diferentes status vacinal (Estudo 1). 2) Estimar e comparar a ocorrência e gravidade por COVID-19 entre vacinados (BCG neonatal) e revacinados (BCG neonatal e BCG na idade escolar) utilizando-se da população do REVAC-BCG (Estudo 2). 3) Avaliar a resposta de imunidade treinada, humoral e protetora da vacina BCG em pacientes hospitalizados com COVID-19 com e sem cicatriz vacinal (Estudo 3). Este projeto será desenvolvido a partir de três estudos complementares: Estudo de caso-controle, não pareado realizado com casos e controles residentes nos municípios de Salvador, Manaus, Rio de Janeiro, São Paulo e Recife. Os casos serão indivíduos hospitalizados com diagnóstico confirmado de COVID-19 que apresentaram a forma grave ou óbito por COVID-19 e os controles, indivíduos com diagnóstico confirmado de COVID-19 e que não apresentaram os sinais e sintomas de gravidade da doença. A vacinação por BCG será a exposição. O segundo estudo será uma re-análise do ensaio comunitário REVAC-BCG, realizada a partir da base de dados referente ao ensaio comunitário que avaliou a eficácia da segunda dose da vacina BCG contra tuberculose e hanseníase, em Salvador e Manaus. Os casos e óbitos da COVID-19 ocorridos nentas duas cidades serão identificados no Sistema de Informação SIVEP GRIPE e no Sistema de Informação sobre Mortalidade, e serão vinculados a base de dados do REVAC-BCG para análise da associação entre os diferentes status de vacinação por BCG e os desfechos (casos e óbitos) pela COVID-19. No terceiro estudo pretende-se avaliar a resposta de imunidade treinada, humoral e protetora da vacina BCG em pacientes diagnosticados com COVID-19. Espera-se contribuir para o conhecimento da efetividade da vacinação e revacinação por BCG na ocorrência e na redução da gravidade da COVID-19 em nosso país.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 16/07/2020-15/09/2022
Foto de perfil

Susana Bubach

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • análise da sífilis congênita e fatores associados em regiões de alta morbimortalidade no espírito santo
  • As notificações de sífilis congênita têm aumentado no Brasil, sendo mais frequente nas mulheres com menor escolaridade, jovens e nas negras e pardas. As regiões Metropolitana e Norte do estado do Espírito Santo têm registrado aumento no número de casos da doença em gestantes e crianças, com 12,7 e 8,6 casos de sífilis congênita para cada 1.000 nascidos vivos no ano de 2015, sendo estas regiões caracterizadas pela alta morbimortalidade materna e infantil. Assim, este estudo visa analisar os fatores associados à sífilis congênita, entre mulheres que tiveram sífilis durante a gestação, nas regiões de saúde Metropolitana e Norte do estado do Espírito Santo. Trata-se de um estudo de caso e controle a partir de casos de sífilis congênita notificados no ano de 2016, nos 34 municípios das Regiões Metropolitana e Norte do estado. Os casos de sífilis congênita serão todos os recém-nascidos, natimortos ou abortos de mulher com sífilis não tratada ou tratada de forma não adequada. Os controles serão os recém-nascidos de gestantes que durante o pré-natal foram notificadas para sífilis (tratadas, não tratadas ou inadequadamente tratadas), cujos bebês não tiveram sífilis congênita. As informações sobre os casos e controles serão obtidas por meio das fichas de notificação/investigação de sífilis congênita e sífilis em gestantes, além de dados do cadastro no Sistema de Acompanhamento no Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento (SisPreNatal). Em caso de ausência de informações nessas fontes, será realizado contato telefônico para agendar entrevista. Para análise será utilizado o programa Stata. Na análise descritiva, será determinada média com desvio padrão (DP), para as variáveis contínuas, e proporção com intervalo de confiança (IC), para as categóricas. A regressão logística será utilizada para estimar odds ratio. Para identificar diferenças estatisticamente significativas nos testes, será utilizado p-valor inferior a 5%. O projeto foi aprovado pelo Comitê de ética em pesquisa do Centro Universitário Norte do Espírito Santo da Universidade Federal do Espírito Santo. Espera-se com este estudo identificar os fatores que impactam no aumento das notificações de sífilis congênita e mudança na assistência a essas mulheres, com consequente redução no número de casos da doença.
  • Universidade Federal do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Susana Juliano Kalil

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • biocompostos de interesse industrial: obtenção por processos biotecnológicos
  • O interesse industrial pelo cultivo de micro-organismos se destaca pela variedade de compostos intracelulares ou extracelulares que estes podem produzir, tais como: enzimas xilanolíticas e proteolíticas, e o corante C-ficocianina (C-FC). Dentre estes produtos, as enzimas têm um papel importante, pois podem ser utilizadas para catalisar a hidrólise de substratos incluindo subprodutos e coprodutos agroindustriais, a fim de se obter biomoléculas ativas, como os xilo-oligossacarídeos (XOS) e peptídeos. A presente proposta tem como motivação principal a obtenção de biocompostos ativos via hidrólise enzimática ou produzidos por micro-organismos. Para atingir este objetivo serão desenvolvidos três subprojetos conforme descritos a seguir. O subprojeto 1, intitulado “Purificação de C-ficocianina, extraída seletivamente, por diferentes técnicas”, propõe estudar diferentes técnicas – cromatografia de troca iônica, precipitação com sulfato de amônio e ultrafiltração – para purificação de C-FC extraída seletivamente com EDTA (ácido etilenodiamino tetra-acético) a partir da biomassa úmida de Spirulina platensis. O subprojeto 2, intitulado “Obtenção de peptídeos bioativos via hidrólise enzimática de substratos proteicos agroindustriais”, propõe a obtenção de peptídeos bioativos via hidrólise enzimática de substrato proteico agroindustrial, utilizando enzima proteolítica estabilizada ou não com aditivos químicos. No subprojeto 3, intitulado “Obtenção de enzimas xilanolíticas e xilo-oligossacarídeos a partir de substratos lignocelulósicos agroindustriais”, é proposta a produção de enzimas xilanolíticas e XOS por cepa da levedura Aureobasidium pullulans utilizando meio de cultivo contendo substratos lignocelulósicos agroindustriais. Assim, busca-se com a execução desta proposta o desenvolvimento processos biotecnológicos com impacto regional, nacional e internacional, além da utilização de subprodutos e/ou coprodutos provenientes da agroindústria para a obtenção de biomoléculas com alto valor agregado e de interesse ao setor industrial.
  • Universidade Federal do Rio Grande - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Susy Rodrigues Simonetti

Ciências Sociais Aplicadas

Turismo
  • economia criativa como alternativa de desenvolvimento local: a produção do artesanato e o turismo comunitário nas regiões do alto e baixo rio negro (am)
  • De acordo com o Ministério da Cultura, o turismo se configura como um componente da economia criativa, um setor criativo. Sua importância é inegável na medida em que o desenvolvimento regional está sob orientação estratégica do Governo Federal para a Amazônia, ao apontar a atividade como um dos Arranjos Produtivos Locais (APLs) e que precisa ser desenvolvida visando à sustentabilidade em todas as suas dimensões. Diretamente relacionado a esse setor criativo, sendo considerado um setor criativo nuclear, está o artesanato, foco deste trabalho. O estudo se revela de fundamental importância por entrelaçar a valorização da cultura baseada em saberes tradicionais, nas práticas e na dinâmica econômica local, protagonizada pelas comunidades, cuja lógica difere da perspectiva produtivista do capital, com destaque para o artesanato. Dessa forma, o objetivo deste estudo é conhecer iniciativas e oportunidades em Economia Criativa por meio da produção do artesanato e do turismo na Comunidade do Lago do Acajatuba, a qual se autoidentifica como ribeirinha, região do Baixo Rio Negro, e na Comunidade Indígena do Areal, Alto Rio Negro (AM). Em suas especificidades, pretende-se mapear as iniciativas de Economia da Cultura nas duas áreas; caracterizar a dinâmica das práticas dos atores sociais envolvidos na cadeia produtiva do artesanato; e discutir de que forma o empreendedorismo cultural e criativo se articulam nas comunidades para possibilitar o desenvolvimento do turismo local. Em consonância com tal entendimento, o método dialético e a abordagem quanti-qualitativa conduzirão a pesquisa, cujos procedimentos metodológicos serão baseados na triangulação metodológica e: 1) no aporte de categorias como economia criativa e turismo cultural, no cenário dos debates e estudos vigentes; 2) e na adoção de técnicas e instrumentais, em uma modalidade de pesquisa interação que se constitui em uma abordagem inovadora das premissas e práticas da pesquisa-ação. A abordagem analítica das informações coligidas serão processadas à luz do Método de Análise de Conteúdo de Bardin (1977) composto por um conjunto de técnicas de análise, sequenciadas em três momentos: (a) pré-análise, (b) exploração do material e (c) tratamento dos resultados e a interpretação. Após a obtenção dos dados, serão feitos recortes de enunciados, para efetuar a categorização e estabelecer subcategorias dos dados, os quais serão ordenados a partir de aspectos cognitivos, práticos, críticos e afetivos. No que se refere às fontes de informação, serão utilizados dados de origem primária, com coleta de dados junto aos informantes in loco, e dados de origem secundária, cujas informações produzidas e organizadas sobre o contexto estudado e sobre o público alvo, estão disponíveis em relatórios, atas, mapas, entre outros. Quanto aos instrumentais de coletas de dados, destacam-se: entrevistas semiestruturadas, conversas informais e formulário (com questões abertas e fechadas) do levantamento socioeconômico (com 15 artesãos associados em cada comunidade, informantes chave, lideranças e para o mapeamento das iniciativas de Economia Criativa); caderno de campo, registros fonográficos e fotográficos (da produção de artesanato da comunidade); observação sistemática e assistemática (acompanhamento de atividades produtivas, político-organizativas e culturais - festas, celebrações). Os resultados e produtos gerados no estudo servirão para subsidiar as práticas organizativas e produtivas das comunidades participantes do estudo. Além de fornecer informações qualificadas para a atuação de profissionais de diferentes áreas, seja junto às comunidades locais ou em outros contextos similares com as devidas adaptações.
  • Universidade do Estado do Amazonas - AM - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Suzana Guimaraes Leitao

Ciências da Saúde

Farmácia
  • plantas da biodiversidade amazônica com potencial para o desenvolvimento de fármacos a partir do conhecimento tradicional associado
  • Este projeto pretende dar continuidade às pesquisas iniciadas em 2007 quando nosso grupo de pesquisa na UFRJ obteve a primeira autorização do Brasil junto ao CGEN para acesso ao Conhecimento Tradicional Associado (CTA) com fins de bioprospecção. Desde então, vimos desenvolvendo estudos etnobotânicos/etnofarmacológicos de espécies medicinais utilizadas por comunidades quilombolas de Oriximiná-PA. Dentre as etnoespécies de interesse, destacam-se, a Saracura-mirá (Ampelozizyphus amazonicus Ducke); a Salva-de-Marajó (Lippia origanoides Kunth, Verbenaceae) e o Breu (diferentes espécies dos gêneros Protium, Trattinnikia e Tetragastris – família Burseraceae). Nosso grupo de pesquisa tem se interessado pelo estudo da Lippia origanoides desde 2003, quando a mesma foi apontada como uma das espécies de maior importância para as comunidades quilombolas de Oriximiná, onde é conhecida como “Salva-de-Marajó”, e a espécie mais utilizada por parteiras da região para cólica menstrual, “inflamação de útero”, para descer o sangue pós-parto, dentre outras. Desde então vimos estudadando seu potencial medicinal e aromático, tendo descrito na literatura suas propriedades anti-inflamatórias, aromáticas, antimicrobianas e, mais recentemente, dados sobre seus constituintes não voláteis (flavonoides e fenilpropanóides glicosilados). Tendo em vista o valor medicinal da L. origanoides, consideramos que a espécie possui grande potencial para desenvolvimento tecnológico de um fitoterápico anti-endometriose. A outra espécie que já vem sendo estudada pelo nosso grupo há cerca de 8 anos é a Saracura-mirá - Ampelozizyphus amazonicus Ducke, para a qual temos produzido estudos químicos e biológicos. A planta é utilizada nas comunidades e em toda Amazônia como fortificante, afrodisíaca e estimulante, e consumida na forma de uma bebida aquosa, para a qual nosso grupo pôde demonstrar propriedades imunomoduladoras e adaptógenas. A complexa química desta espécie, para a qual havia apenas dois trabalhos publicados nos últimos 20 anos, tem sido desvendada pelo nosso grupo desde 2013. Outro produto que tem despertado o interesse do grupo nos últimos anos é o breu, que apresentou 100% de concordância de uso entre os entrevistados em Oriximiná, que o citaram para o combate à dor de cabeça e enxaqueca, por inalação. Estudos realizados por nós com amostras de breu coletadas em Oriximiná, em modelo de analgesia in vivo, demonstraram que a inalação por nebulização de uma dispersão do óleo essencial do breu em propilenoglicol (10%) e água diminuiu, significativamente, o número de contorções abdominais em camundongos. Nesse projeto, nos propomos a continuar os estudos com as espécies propostas, e contribuir com conhecimentos acerca da etnobotânica, química, biotecnologia e farmacologia das mesmas.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Suzana Maria De Conto

Ciências Sociais Aplicadas

Turismo
  • indicadores de sustentabilidade em restaurantes como requisito para a gestão da sustentabilidade no turismo
  • A atividade turística se consolida por meio da mobilidade proporcionada pelos sistemas e redes de transporte, como também pelos serviços oferecidos pelos setores gastronômicos. Assim, cabe a esses setores oferecer serviços de qualidade aos turistas respeitando os princípios da sustentabilidade. Considerando a importância dos indicadores de sustentabilidade para avaliar o desempenho da gestão de restaurantes, a pesquisa tem por objetivo analisar os indicadores de sustentabilidade implantados em restaurantes e sua relação com os princípios da gestão e do turismo sustentável. A pesquisa caracteriza-se como exploratória/descritiva e bibliográfica. A investigação, primeiramente, consiste na análise das dissertações e teses sobre sustentabilidade em restaurantes que se encontram disponibilizadas no Banco de teses da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES. Este tipo de pesquisa tem por objetivo mapear e analisar a produção acadêmica em diferentes campos do conhecimento, em diferentes instituições do país, em especial na área do turismo. Na segunda etapa, de abordagem qualiquantitativa, a pesquisa centra-se nas informações de clientes de restaurantes, de gestores, observação de práticas sustentáveis implantadas em restaurantes e determinação de indicadores de sustentabilidade nesses empreendimentos. A Região Uva e Vinho e Região das Hortênsias serão as regiões turísticas da Serra Gaúcha selecionadas para pesquisa. Serão selecionados dois restaurantes para a determinação dos indicadores. Também, está previsto, via Sindicatos da gastronomia das duas regiões, o envio de questionários para seus restaurantes associados no sentido de identificar a implantação de indicadores de sustentabilidade. Para a definição dos clientes de restaurantes serão selecionados os participantes de dois eventos científicos (Seminário de Pesquisa em Turismo do Mercosul – SeminTUR e Seminário da Associação Nacional de Pesquisa e Pós?Graduação em Turismo - ANPTUR), hóspedes de dois meios de hospedagem e os professores do corpo permanente dos programas de Pós-Graduação Stricto Sensu no Brasil na área do Turismo. Utilizar-se-á um Questionário, estruturado com perguntas abertas e fechadas, que conterá perguntas relacionadas a dados gerais do participante e relacionadas a critérios sustentáveis de seleção de restaurantes e ações sustentáveis implantadas nesses empreendimentos (Questionário 1 com hóspedes e clientes de restaurantes). A coleta de dados será realizada em diferentes momentos e forma: para os meios de hospedagem os questionários serão aplicados em duas semanas de alta temporada; para os participantes da ANPTUR e SEMINTUR e professores dos programas de Pós-Graduação, será utilizado o Google Forms (ferramenta online). Serão realizados três pré-testes no instrumento de coleta de dados com pessoas que costumam viajar e frequentar restaurantes e que não participarão da pesquisa, no sentido de validar as perguntas do questionário antes de sua aplicação. O Questionário 2 (gestores de restaurantes), trata-se de um questionário estruturado com perguntas abertas e fechadas sobre indicadores de sustentabilidade adotados nos restaurantes. Os mesmos serão encaminhados on line por meio dos sindicatos da gastronomia das duas regiões selecionadas. A identificação das ações sustentáveis implantadas nos restaurantes será realizada via Website e in loco. Os seguintes indicadores são alvo da pesquisa: Indicadores da dimensão ambiental: a) Consumo de água/cliente/refeição; b) Consumo de água/usuário/mês; c) Consumo de energia/cliente/refeição; d) Consumo de energia/usuário/mês; e) Geração de resíduos/cliente/refeição; f) Geração de resíduos/usuário/mês; g) Percentual de receita bruta aplicado em iniciativas socioambientais; h) Número de ações de conservação de áreas naturais, flora e fauna; i) Quantidade de vegetação nativa removida e j) Quantidade de vegetação nativa plantada. Indicadores da dimensão socioambiental: a) Percentual de receita aplicada em iniciativas socioculturais; b) Quantidade de ações socioculturais; c) Percentual de satisfação dos clientes; d) Quantidade de ações de apoio à divulgação e promoção da cultura local e e) Quantidade de ações de apoio à capacitação. Indicadores de dimensão econômica: a) Número de clientes/dia; b) Percentual de satisfação do cliente; c) Quantidade de horas de capacitação/colaborador; d) Número de acidentes de trabalho (sem afastamento/com afastamento); e) Número de acidentes com clientes; f) Margem de contribuição; g) Lucratividade; h) Taxa de retorno sobre o investimento e i) Quantidade de fornecedores locais contratados.
  • Universidade de Caxias do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Suzana Maria Gico Lima Montenegro

Engenharias

Engenharia Sanitária
  • estudo de atributos hidrológicos como suporte à gestão de recursos hídricos no estado de pernambuco
  • Atualmente, cerca de metade da população mundial vive em áreas que apresentam uma potencial escassez de água pelo menos uma vez ao ano, e essa quantidade de pessoas atingidas pela indisponibilidade hídrica poderá aumentar consideravelmente até 2050, com um total de até 5,7 bilhões de indivíduos sendo afetados. Nesse sentido, o setor de Ciência e Tecnologia mundial vem sendo instigado a fornecer subsídios para a análise de cenários de planejamento de setores como abastecimento, produção de energia, alimentos, desenvolvimento urbano e rural etc., considerando os efeitos que as mudanças climáticas poderiam causar, a curto e longo prazo, nos recursos naturais e os impactos sociais e econômicos resultantes desse processo. De acordo com o Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC), em seu quinto e mais recente relatório, lançado em 2013, as regiões áridas e semiáridas são, particularmente, as mais expostas às mudanças climáticas e devem ser sensivelmente afetadas pela redução de disponibilidade dos recursos hídricos. Processos hidrológicos serão alterados e problemas como salinização da água subterrânea superficial, redução de vazão e consequentes prejuízos de geração de energia em bacias hidrográficas poderão ser comuns. Em consequência disso, a manutenção de projetos de irrigação e abastecimento da população poderão ser severamente afetados. Dentro desse contexto, deve-se considerar que, no Brasil, Pernambuco é o estado com maior limitação em quantidade de água por habitante. Além disso, cerca de 89% do estado encontra-se inserido no semiárido, onde as chuvas são escassas e irregulares. A precipitação no estado pode variar de 500 mm/ano no sertão a 2000 mm/ano no litoral. Contraditoriamente, é nas bacias litorâneas que 80% dos volumes aproveitáveis de água precipitada estão localizados, visto que no semiárido, características morfológicas não permitem a construção de grandes reservatórios. É importante destacar, ainda, que desde 2012 o Nordeste vem passando pela sua maior crise hídrica nos últimos 30 anos. Nesse período, a seca vem afetando severamente a região, com mais de 1.400 municípios impactados em diferentes graus. Diante disso, cresce a necessidade de compreender adequadamente os diversos fatores que regulam o balanço hídrico e interferem na disponibilidade hídrica e sua qualidade, como forma de adaptar ou implantar soluções permanentes de convivência com a seca. Nos últimos anos, em virtude da problemática relacionada ao uso e gerenciamento racional dos recursos hídricos, surgiu com maior força a necessidade de estudos focados na modelagem hidrológica, com a previsão de cenários futuros baseados nos impactos de modificações no uso e ocupação do solo e mudanças climáticas sobre a dinâmica de recursos hídricos ao longo do tempo na região. Aliado a isso, há poderosas ferramentas baseadas em geoprocessamento e sensoriamento remoto, que permitem a detecção e mapeamento de áreas mais vulneráveis, além de permitir, com maior precisão, estimar processos essenciais ao balanço de radiação, com impactos diretos nos recursos hídricos, como o albedo e evapotranspiração. Não se deve desconsiderar, no entanto, estudos em bacias experimentais e representativas, que fornecem a principal fonte de dados e ponto de partida para a modelagem e geoprocessamento. Nesse sentido, o monitoramento de variáveis hidrológicas, escoamento superficial e produção de sedimentos é essencial. Considerando a quantidade de processos que podem alterar, quantitativamente e qualitativamente, a disponibilidade dos recursos hídricos, especialmente em Pernambuco, situado em área de grande risco, fica claro que compreender a dinâmica desses processos e como eles alteram o ambiente é essencial na adoção de ações e políticas de mitigação e convivência com as secas como forma de evitar problemas de ordem social e econômica.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Suzana Mary de Andrade Nunes

Ciências Humanas

Educação
  • projeto brilho nos olhos: sensibilizar a criança para o conhecimento do mundo e para a vida democrática
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal de Sergipe - SE - Brasil
  • 12/08/2019-30/11/2021
Foto de perfil

Suzana Meira Ribeiro

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • reposiocionamento de fármacos como abordagem para combater biofilmes bacterianos formados por isolados clínicos multiresistentes á antibióticos
  • O tratatamento de infecções bacterianas têm se tornado um desafio mundial devido ao surgimento de multiresistentcia à antibióticos e a formação de biofilmes, bactérias vivendo em comunidades e protegidas por uma matriz extracelular. Biofilmes são responsáveis por mais da metade de todas as infecções descritas. Essa forma de vida bacteriana é associada à infecções crônicas. As infecções ocasionadas por biofilmes têm sido consideradas recorrentes e, despertam apreensão em profissionais da saúde em todo o mundo, visto que, os antimicrobianos disponíveis para tratamento clínico atuam primariamente contra bactérias no estado planctônico (células bacterianas independentes). A maioria desses antibióticos têm se mostrado ineficiente em combater biofilmes. Usualmente, altas doses de antibióticos (até 1000 vezes ou mais) são necessários para combater biofilmes quando comparado com as doses utlizadas para combater bactérias no estado planctônico. O combate a biofilme pode se tornar ainda mais difícil se bacterias que os formam, carregam genes de resistência a antibióticos (exemplo: genes de resistência a colistina, a carbapenem, a meticilina). Um outro agravante acerca dos biofilmes, é que esses estilo de vida bacteriano pode ser formado por múltiplas bactérias, podendo tornar ainda mais difícil a eliminação dos mesmos. Infelizmente a maioria dos antibióticos é infeficente em combater biofilmes. Portanto, é urgente a necessidade de novas alternativas para combater biofilmes bacterianos, principalmente aqueles formados por bactérias multiresistentes à antibióticos. Uma alternativa contra biofilmes, poderia ser reposionamento de fármacos. A vantagem dessa abordagem, reside no fato que os mesmos já foram aprovados por agências reguladoras — já foram testados quanto a sua segurança, farmacocinética e efeitos colaterais em humanos. Diante disso, o objetivo desse projeto é triar propriedades antibiofilmes entre classes terapêuticas de fámacos não antibióticos, aprovados pela ANVISA,. O projeto propõe usar os fámacos independentes ou combinados com antibióticos contra biofilmes (monomicrobianos ou polimicrobianos) de bactérias pertencentes ao grupo ESKAPE (Enterococcus faecium, Staphylococcus aureus, Klebsiella pneumoniae, Acinetobacter baumanni, Pseudomonas aeruginosa e Enterobacter spp.). Esses patógenos são associados às altas taxas de infecções e resistência a terapias antimicrobianas no mundo todo. A identificação de propriedades antibiofilmes entre fármacos já disponíveis no mercado, poderia também reduzir os custos e o tempo associados a investigação de um novo medicamento, além de indicar caminhos para aumentar a qualidade de vida de pacientes que sofrem com infecções bacterianas crônicas.
  • Universidade Federal da Grande Dourados - MS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Suzana Quinet de Andrade Bastos

Ciências Sociais Aplicadas

Economia
  • mudanças na composição dos índices de transgressividade no brasil (1991-2010)
  • As medidas de crimes violentos no Brasil têm crescido sistematicamente desde os anos de 1980, e a resposta é um maior esforço de combate e controle estatal; porém, as autoridades estatais não conseguem monitorar ubiquamente as atividades ilegítimas sob sua jurisdição. Embora sejam menos eficazes quanto aos crimes e mais difusos territorialmente, os controladores sociais (família, grupo religioso, escola e outros) podem atuar como efeito dissuasório primário mediante a socialização de crenças positivas de adesão a normas sociais e leis (instituições), de crenças negativas para sua violação, e a administração de sanções. Uma vez que a decisão criminal requer informação crível e que, na ausência de mercados ilícitos organizados, o criminoso recorre a outros canais de informação, tais como as experiências transgressivas e criminais pessoais e alheias, a densidade transgressivo-criminal de um local poderia carregar informação sobre o custo moral da entrada na “indústria” do crime. Essa perspectiva institucional de norma e dissuasão sociais, em geral, ainda representa uma lacuna a ser mais bem explorada na literatura aplicada de economia do crime. Ainda existe certa ambiguidade ou ausência de se estabelecer e validar estatisticamente os construtos de transgressividade (incapacitação, familiar-religiosa e educativa adulta), relacionando-os com o seu domínio teórico e dimensionalização. Portanto, este projeto de pesquisa inicialmente pretende elaborar os construtos de transgressividade das áreas mínimas comparáveis no Brasil e avaliar como a composição dos mesmos se alterou entre 1991, 2000 e 2010. Entretanto, esses construtos potencialmente formam múltiplas configurações distintas que se associam a uma alta (baixa) taxa de homicídio regional. Assim, esta pesquisa se estende ao identificar as combinações lógicas dos construtos de transgressividade e analisá-las comparativamente a fim de apontar os padrões regionais mais consistentes com a alta (baixa) taxa de homicídios de 1991, 2000 e 2010. Para atingir ambos os objetivos, esta pesquisa articulará a análise fatorial exploratória e confirmatória, modelo estrutural e uma análise configuracional. As duas primeiras técnicas estatísticas fornecerão os construtos de transgressividade, enquanto a segunda avaliará a robustez e relações dos mesmos. Ademais, as relações testadas no modelo estrutural corroborará com as combinações lógicas estabelecidas pela análise configuracional.
  • Universidade Federal de Juiz de Fora - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Suzane Lima Costa

Lingüística, Letras e Artes

Letras
  • as cartas dos povos indígenas ao brasil
  • Trata-se da criação e publicização do primeiro arquivo digital de cartas escritas por indígenas e encaminhadas ao Brasil em três importantes períodos da nossa história literária e política: 1630-1680 (antes do Brasil), 1888-1930 (na nação Brasil) e entre 2000-2018 (no presente Brasil). Com a criação desse arquivo pretende-se analisar as composições desse tipo de escrita, discutindo quem é o Brasil destinatário dessas cartas, tanto para apresentar os modos como diferentes líderes indígenas, ao biografarem suas próprias vidas, narram uma outra história do Brasil, quanto para demonstrar como nessas correspondências os povos indígenas nos apresentam a uma outra concepção de autoria: à noção de povo-autor. Para tanto, partiremos das 664 cartas já selecionadas e catalogadas durante a execução do projeto Autobiografias indígenas em trinta anos de cartas (projeto financiado pelo CNPq no Edital Universal 2013), analisando o destinatário Brasil e os contornos da autoria individual e coletiva dos indígenas durante o período de 2000-2018. Em seguida, nos dedicaremos à análise das cartas produzidas pelos indígenas Antonio Paraopeba e Felipe Camarão (cartas escritas no período colonial), presentes nos Arquivos da Real Biblioteca (Koninklijke Bibliotheek) da Holanda, em Haia (Nationale Bibliotheek van Nederland), bem como das cartas em defesa da terra, produzidas entre as décadas de 1888-1930. Após seleção, tradução e análise dessas correspondências, partiremos para a revisão bibliográfica das noções de autor e autoria no espaço biográfico até chegarmos às leituras sobre formas e funções do gênero epistolar na literatura brasileira. Como resultado final desta pesquisa, além da sua comunicação em congressos nacionais e internacionais e da publicação de artigos em revistas indexadas, pretendemos apresentar dois produtos principais: 1. Um arquivo dessas cartas em uma plataforma digital: espaço para outros estudos sobre a história literária do Brasil através das correspondências dos indígenas; 2. Uma exposição foto(áudio)biográfica dessas cartas, que possa promover uma discussão estética/política da autoria indígena em escolas públicas e museus nacionais e internacionais.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Suzann Flavia Cordeiro de Lima

Ciências Sociais Aplicadas

Arquitetura e Urbanismo
  • identificação de atributos espaciais em empresas com políticas de responsabilidade social, para a contratação de parceria público-privada ou cogestão na construção e administração de estabelecimentos penitenciários
  • A utilização de Parcerias Público-Privadas (PPPs) ou de regime de cogestão como forma de contratação dos serviços de construção e administração de estabeleci mentos penitenciários tem sido apresentada recorrentemente como alternativa frente à necessária reformulação do sistema prisional brasileiro. Justificando-se na insuficiência do investimento estatal dispensando ao sistema carcerário e no intuito de conferir maior dignidade ao atendimento dos apenados, em cumprimento ao disposto no art. 1º da Lei de Execução Penal, Lei nº 7.210/84, a gestão compartilhada da administração de presídios mediante a adoção do sistema de PPPs ou cogestão, ainda que sem alcançar números expressivos, é realidade no Brasil desde o final da década de 1990. Considerando que as pesquisas realizadas sobre o tema quase sempre não abrangem o universo de prisões privatizadas e quando o fazem não diferenciam adequadamente os modelos de cogestão e de PPPs, pode-se dizer que não há no país dados confiáveis e sistematizados que possibilitem atualmente a avaliação das unidades prisionais cuja administração prisional foi transferida para empresas com fins econômicos. Desenhado esse quadro, é objeto da pesquisa o levantamento das informações relativas à contratação por meio de PPPs e de cogestão no sistema prisional, visando conferir base empírica à análise comparativa das prisões privatizadas em relação aos vários aspectos que as diferenciam das unidades administradas exclusivamente pelo poder público, para que seja possível identificar a melhor alternativa frente à crescente população carcerária e às constantes crises que atingem as prisões do país. Observe-se que pelos contratos de PPPs, as prisões são projetadas, construídas, financiadas, operadas e mantidas por companhias privadas por um longo período de tempo; no caso do Brasil, 30 anos. As unidades em regime de cogestão, que representam a quase totalidade dos casos de privatização de presídios praticados no país, identificam-se, por sua vez, como espécie de contratação em que o Estado assume a direção da unidade, de sua guarda e escolta externa, enquanto a empresa privada assume toda a operacionalização da unidade, gerindo serviços de saúde, alimentação, limpeza, vigilância e escolta internas, além da manutenção das instalações. A pesquisa foi iniciada em edital publicado pelo IPEA e terá continuidade, realizada por pesquisadores da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e alunos do curso de graduação em arquitetura e urbanismo e de graduação em engenharia civil. A pesquisa deverá ser desenvolvida a partir de três eixos, que deverão refletir sobre os impactos dos modelos privatizados de contratação e gestão de unidades prisionais com relação: 1) Ao impacto econômico e orçamentário; 2) À qualidade dos serviços prestados, no que se refere à Humanização dos espaços; 3) Às experiências internacionais em perspectiva comparada.
  • Universidade Federal de Alagoas - AL - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Suzanne Érica Nóbrega Correia

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • desenvolvimento de negócios sociais no contexto brasileiro: possibilidades e riscos
  • Em resposta aos desafios sociais e ambientais atuais, incluindo a desigualdade social e o esgotamento dos recursos naturais, o fenômeno do empreendimento social, como uma categoria distinta de organização, tem atraído a atenção de formuladores de políticas, profissionais e acadêmicos (Doherty et al., 2014). Nos negócios sociais, a missão social é tão importante quanto a viabilidade financeira (Alter, 2007; Wood & Khan, 2016), necessitando de empreendedores com um compromisso pessoal com uma causa (Grassl, 2012). Assim, devem ser guiados por uma missão social; gerar externalidades positivas (transbordamentos) para a sociedade; reconhecer a centralidade da função empreendedora; e alcançar a competitividade nos mercados através de planejamento e gestão eficazes (Alter, 2007; Bocken, Fil & Prabhu, 2016). São considerados um exemplo de organizações híbridas que abordam uma necessidade social ao gerar lucros tipicamente reinvestidos nos negócios em si. Para Yunus (2007), existem dois tipos de negócios sociais: empresas cujos gestores focalizam mais em promover benefícios sociais do que em maximizar os lucros; e empresas que se centram em maximizar os lucros, mas são geridas por pessoas da camada mais pobre da sociedade. De acordo com Yunus, Moingeon e Lehmann-Ortega (2010), os negócios sociais buscam compensar os custos de suas operações e têm direito de recuperar seus investimentos iniciais, porém focalizando no resultado social, e não no resultado financeiro, com o potencial de agir como agente de mudança no mundo. Portocarrero e Delgado (2010) analisaram o impacto gerado por 33 casos de negócios sociais na região ibero-americana, com o objetivo de identificar os principais efeitos da situação de pobreza impostos às pessoas de baixa-renda e, a partir disso, destacaram quatro dimensões analíticas que podem ser verificados ao refletir sobre o valor social proposto pelos negócios sociais: o aumento de renda; o acesso a produtos e serviços que atendem necessidades outrora não atendidas; a construção de cidadania; e o desenvolvimento de capital social. O aumento da renda deve ser entendido além do simples aumento econômico de renda, mas como uma primeira etapa na ampliação das suas oportunidades de vida. Os negócios sociais proporcionam aumento de renda através da obtenção de emprego estável ou autoemprego; integração das pessoas nas cadeias produtivas como fornecedores de produtos e serviços; e desenvolvimento empreendedor Além do aumento da renda, a ampliação das possibilidades de escolha dos indivíduos de baixa-renda também pode ser alcançada através da redução de barreiras que permitem às pessoas a consumirem produtos e serviços que atendem suas necessidades. Estas barreiras geralmente estão associadas a preços altos, dificuldades de distribuição e a impossibilidade de assumir os custos não monetários associados à má qualidade dos serviços públicos. Iniciativas de mercado atuam neste sentido oferecendo produtos e serviços a preços mais baixos ou desenvolvendo soluções que preenchem as lacunas de infraestrutura pública. Nos mercados de baixa-renda é comum verificar uma grande assimetria de informação, poder e influência que impedem ou dificultam o exercício do conjunto de direitos e deveres no qual o indivíduo está sujeito em relação à sociedade em que vive. Essa assimetria também aumenta a vulnerabilidade das pessoas, deixando-as expostas ao subemprego e a intermediações inescrupulosas que mal pagam o produto de seu trabalho. Negócios que trabalham com a inclusão de pessoas para o desenvolvimento de uma iniciativa econômica fortalecem as relações sociais entre as pessoas que participam desses grupos, desenvolvendo o seu capital social. Quando uma relação de grupo é fortalecida em uma comunidade, cria-se laços de cooperação e da confiança mútua, geram força social para que conquistas de direitos básicos e outros recursos sejam alcançados. Corroborando, Alter (2007) coloca como desafio a combinação da geração de valor social com viabilidade financeira, capacidade organizacional, capacidade de liderança e uma cultura orientada para os negócios, definindo assim, como fatores facilitadores e de riscos para o desenvolvimento de negócios sociais. Propõe, ainda, que os negócios sociais podem ser classificados de acordo com sua orientação em relação à missão e seus motivos e em função da integração entre as atividades de negócio e os programas sociais. O desenvolvimento de negócios sociais parece ser possivelmente aplicado ao contexto brasileiro. Em primeiro lugar, há inúmeros desafios sociais, tais como: baixa renda per capita e sua alta concentração nas camadas mais ricas da população; alto déficit habitacional; os problemas de gestão e da baixa qualidade de ensino na educação pública; baixa qualidade da saúde pública (Jappe, 2013; Duarte & Teodósio, 2016). Dentro desse contexto, este projeto tem como objetivo analisar os fatores facilitadores e os riscos no desenvolvimento dos negócios sociais no contexto brasileiro. A fim de atender os objetivos propostos, em termos metodológicos, a pesquisa tem caráter exploratório, quantitativo e de análise descritivo-interpretativista. Para tanto, será realizado um estudo bibliográfico sobre negócios sociais com o propósito de definir, inicialmente, os fatores facilitadores e os riscos para o desenvolvimento de negócios sociais e, posteriormente, um survey, tendo como unidade de análise, os negócios sociais mapeados pelo PIPE Social, nos quais serão abordados empreendedores e membros de suas equipes. Ao final, receberá tratamento dos dados estatísticos. Entende-se que a pesquisa desenvolvida neste projeto assume significativa relevância ao discorrer por um tema atual, apontando-se também, a necessidade de se avançar em pesquisas sobre iniciativas no contexto brasileiro, principalmente por existirem vários exemplos que criam alternativas que melhorem as condições da sociedade.
  • Universidade Federal de Campina Grande - PB - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Svetlana Ruseishvili

Ciências Sociais Aplicadas

Demografia
  • imigração russa no estado de são paulo na primeira metade do século xx: uma reconstrução histórica através dos registros dos eventos vitais
  • Apesar de haver uma grande variedade de pesquisas históricas e sociológicas sobre diversos grupos de imigrantes em São Paulo, ainda existem comunidades que “permaneceram ignoradas pelas ciências sociais”, como aponta Giralda Seyferth (2004, p.32). Enquanto as principais características de imigrantes italianos, portugueses, espanhóis, sírio-libaneses, judeus e muitos outros, já são contempladas pela vasta produção académica, a própria existência de uma imigração russa no Brasil, que, no entanto, tem quase um século de história, é praticamente desconhecida. Efetivamente, a comunidade russa em São Paulo nunca foi um grupo visível pelos diversos motivos, tanto endógenos (o contexto histórico, político e social dessa imigração, sendo resultado dos desdobramentos da Revolução bolchevique de 1917), quanto exógenos (políticas restritivas do Estado Novo, discursos anti-comunistas, etc.). Além disso, a produção do conhecimento sobre esse grupo de migrantes é dificultada pelos fatores de ordem metodológica. De um lado, os registros de entrada e os livros de bordo, sendo fontes de dados prioritários, são marcados pela grande imprecisão quanto à origem e procedência desses migrantes. Por outro lado, as fontes de dados alternativos, contidos nos acervos particulares, são produzidos em idioma russo, o que praticamente impossibilita o acesso dos pesquisadores brasileiros. Dessa maneira, o presente projeto de pesquisa tem por objetivo preencher lacunas no conhecimento sobre grupos de imigrantes russos no Estado de São Paulo na primeira metade do século XX, dando continuidade para a pesquisa “Ser russo em São Paulo: os imigrantes russos e a (re)formulação de identidade após a Revolução bolchevique de 1917”, realizada com apoio do CNPq (Ruseishvili, 2016). Para isso, são priorizadas as fontes de dados alternativos, a maioria dos quais é redigida em idioma russo e contida nos acervos particulares – registros paroquiais de óbitos, batismos e matrimónios. Assim, a pesquisa buscará a: i) realizar inventário, sistematização e digitalização dos registros paroquiais das igrejas russas em São Paulo; ii) criar um Banco de dados produzidos a partir dessas fontes e iii) por meio de sua análise ancorada nos métodos da demografia histórica, complementada pelos dados trazidos de outras fontes, realizar uma reconstrução histórica das características sócio-demográficas e de mobilidade espacial dos imigrantes russos no Estado de São Paulo na primeira metade do século XX.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022