Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Simone Cristina Baggio Gnoatto

Ciências da Saúde

Farmácia
  • síntese de peptidomiméticos com atividade antibiofilme
  • A capacidade das bactérias em formar biofilmes provoca uma grande dificuldade na terapia antimicrobiana, pois as células bacterianas em biofilmes são extremamente resistentes ao tratamento com antibióticos como também a resposta imunológica do hospedeiro se torna deficiente. Estes fatos têm incentivado a uma contínua busca por novos fármacos antibiofilmes de forma que possam vencer as limitações existentes nos fármacos atuais. Neste contexto, os peptídeos vêm sendo estudados nas últimas décadas e têm demonstrado considerável atividade antibiofilme. Nosso grupo de pesquisa vem trabalhando na hipótese de encontrar peptídeos bioativos naturais e sintéticos e excelentes resultados foram obtidos. No entanto, em função da baixa estabilidade proteolítica dos peptídeos, estes compostos têm um interesse terapêutico moderado. Desta forma, eles servirão como fonte de inspiração para a síntese de compostos miméticos, os AApeptídeos. Essa é uma abordagem recente e inovadora. O termo AApeptídeo se inspirou de N-Acila-N-Aminoetilaminoácidos. Comparados aos peptídeos, uma unidade repetida no AApeptídeo é estruturalmente similar à dois resíduos adjacentes de um peptídeo, no qual há duas cadeias laterais, uma é a cadeia regular de um α-aminoácido enquanto a segunda provem de um resíduo de um ácido carboxílico ligado a um átomo de nitrogênio terciário. Cada AApeptídeo possui o mesmo número de grupos funcionais que o peptídeo convencional com uma cadeia carbônica de mesmo tamanho. Ainda, cada átomo de nitrogênio, secundário ou terciário, faz parte de uma ligação amida. Esta família de peptidomiméticos apresenta assim, similaridades desejadas aos peptídeos sem os seus inconvenientes. Os AApeptídeos serão sintetizados com base na estrutura dos peptídeos que já demonstraram atividade antibiofilme e terão seu atividade avaliada. Buscamos, com este projeto, uma terapia contra a formação de biofilmes patogênicos e uma nova classe química de fármacos, visto que não existe no mercado um fármaco com estas características.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022