Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Wanderson Romão

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • maldi image ms aplicado a química forense
  • Embora seja um tema que desperte bastante interesse perante a sociedade, a aplicação da química no campo da criminalística ainda constitui uma nova linha de pesquisa no Brasil. Dessa forma, este projeto tem como objetivo desenvolver novas metodologias analíticas que facilitem a resolução de problemas encontrados dentro do contexto da Química Forense utilizando a técnica de MALDI IMAGE MS acoplado a um espectrômetro de alta resolução (FT-ICR MS). O projeto será desenvolvido em colaboração científica entre o PPGQUI da UFES e a Polícia Técnica Científica do ES (extrato de acordo de cooperação nº 1007/2012) tendo com colaboração professores da UFES e IFES e alunos vinculados ao programa de pós-graduação da UFES, graduação do IFES e colaboradores (IQ/UFG). As principais áreas exploradas nesse projeto serão a análise de drogas de abuso (matrizes de folhas e sementes de maconha; selos de designer drugs, e cabelos); documentoscopia (notas de papel moeda, notas promissórias, cruzamento de traços, etc); papiloscopia (impressões digitais). Espera-se com esse projeto estabelecer protocolos analíticos usando a técnica de MALDI IMS no contexto forense.
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Wânia dos Santos Neves

Ciências Agrárias

Agronomia
  • popularização de tecnologias para uma produção agrícola sustentável como forma de promover o desenvolvimento rural, a segurança alimentar e a melhoria da qualidade de vida da população.
  • As atividades propostas neste projeto serão desenvolvidas durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia de 2021, no mês de outubro, e no período de doze meses a partir do início de vigência do projeto. Este projeto tem como objetivo principal a divulgação da ciência e de tecnologias a alunos dos ensinos fundamental, médio, técnico e superior, a produtores rurais, a grupos atendidos por instituições de apoio social, a moradores de comunidades rurais, a membros de associações, a agricultores familiares e a população de uma maneira geral. Para isso a Epamig Sudeste e a Epamig Norte, junto com demais parceiros constituintes da equipe do projeto, realizarão diversas atividades na área do conhecimento científico para público de pelo oito municípios, localizados na região Norte de Minas e Vale das Vertentes no Estado de Minas Gerais. Dentre as atividades previstas estão: Epamig de portas abertas; Epamig nas escolas, seminário “Tecnologias pra uma Agricultura Sustentável”; atendimentos a crianças e ao público geral de feiras e exposições com a participação da Epamig em tais eventos; visitas técnicas a campo, cursos, palestras, práticas laboratoriais e a ciência interativa com apresentação de vídeos técnico-científicos em escolas públicas do ensino fundamental. Em tais atividades serão abordados o controle biológico de pragas e doenças; a importância do melhoramento genético para a agricultura, como forma de redução no uso de agrotóxicos; práticas agroecológicas, tendo como foco a biodiversidade e seus ecossistemas; a produção agrícola sustentável e a preservação do meio ambiente. Em algumas atividades serão distribuídos materiais informativos, como apostilas e circulares técnicas, sobre o tema abordado. Todas essas atividades têm como objetivo despertar no público o interesse pelos diversos ramos das ciências tendo como tema base a sustentabilidade. Além disso, o projeto visa divulgar para a população trabalhos científicos e tecnologias geradas nas duas regiões de abrangência. A realização das atividades propostas visa causar uma proximidade entre pesquisadores, alunos, professores, técnicos, produtores rurais e a população, estabelecendo contato, promovendo debates e fazendo questionamentos. Dessa forma é que conseguiremos fazer com fique claro a importância da ciência no cotidiano de cada um e levar ao conhecimento do público informações técnico-científicas importantes sobre a sustentabilidade como forma de garantir a segurança alimentar, a melhoria do meio ambiente e qualidade de vida de produtores rurais e da população em geral.
  • Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 06/10/2021-31/10/2023
Foto de perfil

Wanius José Garcia da Silva

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • química bioinorgânica de monooxigenases líticas de polissacarídeos de insetos
  • As monooxigenases líticas de polissacarídeos (LPMOs) formam uma classe de metaloenzimas (dependentes de Cu+2) recentemente descobertas que se ligam a regiões cristalinas de polissacarídeos e realizam a sua clivagem através de mecanismo de oxidação. Quatro famílias dessas enzimas foram identificadas as quais podem oxidar diferentes polissacarídeos como celulose, quitina e amido. Essas metaloenzimas oxidativas atuam facilitando a ação de outras enzimas hidrolíticas aumentando a eficiência de degradação de diferentes polissacarídeos. Neste contexto, as LPMOs são enzimas com grande potencial para aplicações tecnológicas, especialmente como complementos em coquetéis lignocelulósicos para a degradação da biomassa e produção de etanol de segunda geração. Neste projeto de pesquisa, nós propomos estudar as LPMOs dos insetos Coptotermes gestroi, Drosophila yakuba e Bombyx mori. As metaloenzimas de insetos serão clonadas, produzidas em bactéria e purificadas através de métodos cromatográficos. As atividades enzimáticas (especificidades) serão estudadas em diferentes polissacarídeos. A termodinâmica de interação das LPMOs com íons metálicos será estudada por espectroscopia de fluorescência e calorimetria de titulação isotérmica (ITC). As estruturas secundária e terciária das LPMOs serão estudadas por espectroscopia de dicroísmo circular (CD), espalhamento dinâmico de luz (DLS) e espalhamento de raios X a baixos ângulos (SAXS). As estruturas tridimensionais das LPMOs serão determinadas por difração de raios X (XRD, cristalografia de proteínas). Os resultados oriundos deste projeto de pesquisa permitirão uma melhor compreensão do modo de ação das LPMOs de insetos e do papel de íons metálicos (química bioinorgânica) no mecanismo catalítico dessas enzimas. Essas LPMOs de insetos possuem grande potencial como suplementos em coquetéis lignocelulósicos comerciais.
  • Universidade Federal do ABC - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Warley Marcos Nascimento

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • iii horta & escola: feira de ciência e tecnologia da embrapa hortaliças
  • Nos últimos anos, a escola vem sendo questionada acerca do seu papel na sociedade, a qual vem exigindo um novo tipo de profissional, mais flexível e polivalente, capaz de pensar e aprender constantemente. A escola deve também saber trabalhar, nos jovens, o desenvolvimento de uma consciência científica indagativa, uma vez que a Ciência e a Tecnologia têm tido intensa interferência na sociedade atual. Dessa forma, emerge a necessidade de uma maior difusão de conceitos científicos, para que todos possam ter uma postura crítica diante do que a ciência e tecnologia apresentam à sociedade, permitindo a promoção da cultura científica entre os cidadãos, tornando-os capazes de participar ativamente de uma sociedade democrática. O projeto tem como objetivo geral a popularização da ciência como agente de redução de desigualdades, buscando reduzir a distância entre o conhecimento produzido pela ciência e sua aplicação para melhoria da qualidade de vida, contribuindo para o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação do País. Busca despertar nos alunos, dos ensinos fundamental, médio e técnico, o interesse pela área científica e tecnológica, contribuindo para estimular o pensamento crítico e o desenvolvimento social e humano do País. A proposta se justifica por oportunizar a popularização e a divulgação de ações desenvolvidas pelas instituições de ensino e por instituições de pesquisa, como a Embrapa e parceiros, que possuem o propósito de reduzir as desigualdades, empoderar segmentos da população e despertar o interesse de jovens pela ciência, e assim, contribuir para o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação do País. Para atender aos objetivos do projeto, o mesmo acontecerá durante a data limite publicada no calendário oficial da Feira de ciência - III Horta & Escola, onde estudantes matriculados nos ensinos fundamental, médio e técnico no ano de 2021, em escolas do Distrito Federal e entorno, poderão submeter seus projetos para avaliação do Comitê de avaliação. A apresentação dos projetos selecionados ocorrerá no segundo semestre de 2021 durante a Semana da Ciência e Tecnologia. III Horta & Escola: Feira de Ciência e Tecnologia da Embrapa Hortaliças, que terá duração de três dias.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - DF - Brasil
  • 28/12/2020-31/12/2022