Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Afonso de Albuquerque

Ciências Sociais Aplicadas

Comunicação
  • teorias de conspiração relacionadas à ciência on-line: mapeando suas características, prevalência e distribuição internacional e desenvolvimento de contra-estratégias contextualizadas.
  • Desinformação digital - também chamada de "notícias falsas", "fatos alternativos" ou "pós-verdade", entre outros - tem sido amplamente discutido em debates públicos e políticos recentemente. E também tem recebido atenção em estudos acadêmicos, com pesquisadores analisando como a desinformação opera on-line. Diante disso, este projeto tem como foco investigar a forma mais elaborada de desinformação, as teorias da conspiração, em torno de questões relacionadas com a ciência, ou seja, em fenômenos como teorias de terra plana, conspirações anti-vacinais e ceticismo das mudanças climáticas. Embora o problema das teorias de conspiração online seja uma questão de relevância global, a maioria dos estudos existentes tem focado materiais em inglês e de regiões de língua inglesa. Em contraste, este projeto adota uma perspectiva internacional mais ampla, investigando teorias conspiratórias on-line com uma visão comparativa transnacional e multilíngue, com foco em estudos voltados para o Brasil e países de língua alemã (Suíça, Alemanha e Áustria). Este projeto consiste em três etapas de trabalho. Nossa primeira etapa de trabalho (Work Package - WP1) desenvolve um mapeamento internacional de teorias de conspiração on-line, ilustrando sua prevalência e fluxo no Twitter, Facebook, YouTube e Google. Com base em literatura acadêmica e revisões de arquivos de notícias, geraremos sistematicamente uma lista de teorias de conspiração sobre disciplinas STEM e ciências sociais. Em seguida, conteúdo relevante de todas as quatro plataformas on-line será coletado e analisado, com um conjunto de métodos computacionais, incluindo mineração de texto e análise de rede. No WP2, restringiremos nosso foco à geração de conhecimento regional sobre a prevalência, características e teor das teorias conspiratórias na região de língua alemã (Suíça, Alemanha e Áustria) e no Brasil. Juntamente com a análise quantitativa de dados de plataformas on-line, conduziremos entrevistas aprofundadas com especialistas e análise de documentos para reconstruir as características regionais das teorias de conspiração, seus direcionadores e aceitação social. Com base nessas descobertas e em nosso conhecimento dos contextos sociopolíticos dessas duas regiões, desenvolveremos estratégias que possam ser usadas para neutralizar a disseminação e os impactos das teorias da conspiração nas respectivas regiões no WP3. Entrevistas com pesquisadores e profissionais que têm experiência no combate à desinformação, bem como análises de documentos, elucidam pontos de acesso e estratégias potenciais para contrapor teorias conspiratórias. Essas serão traduzidas em recomendações para ações futuras. Este é o primeiro estudo que mapeia teorias de conspiração relacionadas à ciência on-line em escala internacional. Os resultados deste projeto contribuirão para a investigação de desinformação on-line com seus avanços exclusivos entre plataformas e entre países. Para os formuladores de políticas públicas e comunidades científicas, o projeto gerará conhecimento para ajudar a desenvolver contra-estratégias para combater as teorias da conspiração.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 01/04/2019-31/03/2022
Foto de perfil

Afonso Figueiredo Filho

Ciências Agrárias

Recursos Florestais e Engenharia Florestal
  • desenvolvimento de tecnologias para o manejo e a conservação de remanescentes de floresta ombrófila mista
  • Hovenia dulcis Thunb. (uva-do-japão), espécie originária da Ásia, tem encontrado nos remanescentes de Floresta Ombrófila Mista (FOM), uma condição ótima para seu desenvolvimento. A espécie tem regeneração intensa devido à facilidade de dispersão das sementes, germinação, fácil estabelecimento e crescimento rápido, o que possibilita uma dominância rápida no ambiente, tornando-a certamente, a principal espécie invasora dessa importante tipologia florestal do sul do Brasil. Na presente proposta de pesquisa, busca-se dar continuidade aos estudos de longa duração na FOM, mas tem como foco principal, gerar tecnologias de manejo para a uva-do-japão (H. dulcis), objetivando seu controle – e consequente conservação da FOM -, mas com geração de rendas aos pequenos proprietários rurais detentores de remanescentes dessa floresta, na região Centro-Sul do Paraná. Assim, nesta proposta há a preocupação de gerar uma tecnologia de manejo sustentado para a uva-do-japão, com geração de rendas aos seus pequenos proprietários rurais; avaliar as consequências desse manejo na dinâmica da regeneração natural da FOM; e finalmente, gerar tecnologias de sensoriamento remoto que possam auxiliar no monitoramento do manejo da espécie-foco e na melhoria da predição do seu incremento, bem como na modelagem do crescimento de espécies da FOM, com o uso de índices de área foliar. A pesquisa utilizará parcelas permanentes instaladas em 26 pequenas propriedades rurais com incidência de uva-do-japão instaladas em 2011 no projeto denominado “Imbituvão” (remedidas em 2014 e 2017), além de inventário a 100% realizado no mesmo projeto em 2014 que será atualizado em 2019. O manejo da uva-do-japão será executado em propriedades com maior incidência da espécie no sentido de buscar desenvolver uma tecnologia capaz de ser operacionalizada pelos próprios proprietários rurais e que possa ser replicado em fragmentos de FOM no sul do Brasil que tenham a presença de H.dulcis. Estudos sobre o padrão espacial da regeneração natural serão também realizados a fim de avaliar os efeitos dos cortes promovidos pelo manejo da espécie sob foco. Além disto, tecnologias de sensores remoto serão avaliados para determinar índices de área foliar individual de algumas espécies da FOM e por parcela a fim de utilizar essa variável, complementada por variáveis dendrométricas, como entrada em modelos matemáticos para predizer o crescimento individual do diâmetro e volume, além da área basal e volume por hectare. Para atender a essas demandas, a proposta foi estruturada em 3 subprojetos: 1) Manejo da Uva-do-Japão como forma de controle para a conservação de Floresta Ombrófila Mista e com geração de rendas; 2) Padrão espacial de H. dulcis e efeitos do manejo da espécie na dinâmica da regeneração natural em Floresta Ombrófila Mista; 3) Avaliação de métodos de obtenção do Índice de Área Foliar e seu potencial para modelar o crescimento em Floresta Ombrófila Mista. Espera-se, dentre as várias respostas dessas pesquisas envolvidas nos três subprojetos, sobretudo, gerar um modelo de manejo para a uva-do-japão capaz de conservar os remanescentes de FOM, controlando a dispersão da espécie, mas com geração de rendas ao pequeno proprietário rural, considerando a ótima qualidade da madeira dessa espécie. Esse modelo poderá ser replicado para os vários remanescentes de FOM existentes em diversas regiões do sul do Brasil, em condições idênticas de invasão da espécie.
  • Universidade Estadual do Centro-Oeste - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022