Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Andrea Kely Campos Ribeiro dos Santos

Ciências Biológicas

Genética
  • redes regulatórias da matéria escura do genoma (ncrnas): do câncer primário ao metastático
  • Os RNAs não codificantes (ncRNAs) também conhecidos como “matéria escura” são RNAs não traduzidos que interagem entre si e com outras moléculas, tais como mRNAs e RBPs (proteínas de ligação a RNA), formando uma complexa rede regulatória celular. Por meio dessa rede os ncRNAs atuam em diversos processos fisiológicos e patológicos, incluindo o câncer primário e metastático que está relacionado a 90% das mortes por essa doença. Considerando o papel que os ncRNAs podem ter como possíveis alvos terapêuticos e de diagnóstico, sua função na cascata metastática tem ganhado interesse. Dessa forma, o objetivo deste trabalho é investigar a expressão e a interação da rede regulatória de mRNAs, miRNAs, piRNAs, circRNAs e lncRNAs na progressão de tumores sólidos. Para isso, serão utilizados dados públicos e próprios de transcriptoma total de três tipos de câncer (mama, colorretal e tireoide), incluindo dados de controles, tumores primários e de sítios secundários. Posteriormente, será realizada a análise de expressão e coexpressão diferencial desses elementos regulatórios seguida de abordagens in silico para predizer seus genes alvos, bem como o complexo de redes envolvido na identificação de mecanismos e funções. Em seguida, serão construídas as redes regulatórias e análises de enriquecimento funcional a fim de encontrar ncRNAs e vias biológicas comuns com potenciais alvos terapêuticos. Por fim, validaremos os principais resultados em amostras de pacientes dos três tipos de tumores malignos aqui investigados. Com este projeto, espera-se que a integração de dados biológicos em âmbito sistêmico, por meio de redes regulatórias, forneça conhecimentos valorosos para o entendimento de mecanismos envolvidos em diversas doenças e nos permita identificar novos alvos terapêuticos e marcadores principalmente para a ocorrência de mestátase.
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 18/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Andréa Leda Ramos de Oliveira

Ciências Humanas

Sociologia
  • estratégias para mitigação do desperdício nas cadeias de suprimentos de frutas e vegetais: a busca por um sistema sustentável.
  • Aproximadamente 30% das frutas, legumes e verduras (FLV) produzidos globalmente não são consumidos devido às perdas e desperdícios (FAO, 2013). O desperdício de alimentos tem caráter intencional e é gerado pelos agentes públicos e privados responsáveis pela distribuição e comercialização de alimentos. O desperdício de alimentos foi reafirmado como tema de preocupação global, declarado como uma das metas pela Organização das Nações Unidas (ONU) que estabeleceu como um dos 17 objetivos do desenvolvimento sustentável (ODS 12.3) a redução pela metade do desperdício, nos níveis de varejo e consumo e ao longo das cadeias de suprimentos até o ano de 2030. No Brasil, a dinâmica de distribuição e comercialização de alimentos pode ser feita pelas centrais atacadistas, denominadas CEASAs, responsáveis pelos maiores volumes de FLV transacionados. Avançar em propostas que mitiguem o desperdício de alimentos é fundamental para promover uma maior oferta de alimentos localmente, apoiando as políticas de segurança alimentar. O desperdício de alimentos ao longo da cadeia logística das CEASAs interfere na sustentabilidade dos sistemas alimentares, reduzindo a disponibilidade de alimentos, menos recursos para os produtores rurais e aumento dos preços para os consumidores. Causa impacto social pois indivíduos em situação de vulnerabilidade são privados da utilização dos alimentos que, ainda estão em condição de serem consumidos, são descartados. Existe uma intersecção complexa e multifatorial entre o desperdício, os atores da cadeia, suas práticas operacionais e de gestão, os procedimentos estabelecidos na cadeia logística de distribuição e de comercialização e as especificidades dos FLV. Desta forma se faz necessário novas abordagens para o reconhecimento da complexidade do tema, de forma a propor estratégias e ações mitigadoras do desperdício promovendo cadeia de suprimentos de alimentos mais eficiente e sustentáveis.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Andrea Madeira Kliauga

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • determinação de diagramas de limite de conformação para chapas metálicas compostas por materiais heterogêneos e sujeitas ao processo de estampagem incremental com ferramenta de ponta única
  • Materiais metálicos otimizados por adição de elementos de liga e/ou tratamentos termomecânicos não atendem aos critérios de maximização simultânea de resistência e ductilidade. Grãos ultrafinos, obtidos por técnicas de Deformação Plástica Severa (DPS) aumentam a resistência mecânica em até 5 vezes, mas reduzem a ductilidade para valores inferiores a 5%. Grãos grosseiros têm o efeito oposto. Elaborar Materiais Híbridos (MH), com estruturas hierárquicas bimodais pode maximizar as duas propriedades. Pela geometria de processo, a junção por laminação acumulada (ARB) é uma técnica promissora para obter MHs. Em projetos anteriores, foi verificado que uma hierarquia lamelar contendo 50% das ligas de alumínio AA7050 e AA1050 proporciona o efeito desejado. Este projeto estuda uma rota de estampagem incremental (EI) para o novo MH. A EI utiliza a técnica de repuxo com ferramenta de ponta única, sem necessidade da fabricação de matrizes. Controlando o movimento da ferramenta, é possível elevar os limites de conformabilidade (LC). Pretende-se responder às seguintes perguntas: Pode-se estabelecer uma rota de estampabilidade para o material híbrido constituído das ligas de alumínio AA1050 e AA7050? Por que o LC de chapas metálicas obtido pelo processo EI está acima do LC na estampagem tradicional? Serão estudados: os efeitos de “forma e escala” dos constituintes nas propriedades mecânicas resultantes das chapas MH, a conformabilidade a partir da determinação da anisotropia plástica e da construção de diagramas de LC. Projetar o processo de fabricação por simulação numérica exige levantamento das equações constitutivas do novo material. Desafios são ter uma resposta de controle de processo simplificada, por modelamento em elementos tipo casca e uma modelagem mais refinada do comportamento do material em malha tipo BRICS que permita estudar a interferência das diferentes camadas no limite de ruptura.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 07/02/2022-28/02/2025