Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Angelica Maria Penteado Martins Dias

Ciências Biológicas

Zoologia
  • inct dos hymenoptera parasitóides
  • O INCT-HYMPAR continuará sendo um centro de investigação e gestão da biodiversidade brasileira, idealizado para apoiar os esforços para o seu conhecimento e promover a sua sustentabilidade. O Instituto trabalhará sob a premissa de que a melhor maneira para conservar a biodiversidade é estudá-la, valorizá-la e aproveitar as oportunidades que esta oferece para melhorar a qualidade de vida do homem. Será uma organização que envolverá universidades, empresas, institutos de pesquisa e outras entidades públicas e privadas nacionais e internacionais.Seu trabalho se relacionará principalmente a inventários e monitoramento ambiental utilizando espécies de Hymenoptera parasitoides dos ecossistemas de mata atlântica, cerrado, amazonia, caatinga, pantanal e agroecossistemas; conservação com finalidade de proteção e uso sustentável da biodiversidade pelo setor público e privado; comunicação e educação, disseminando informação e conhecimento da biodiversidade em diferentes segmentos da sociedade, mediante projetos de extensão que buscarão fortalecer o componente ambiental de ações e decisões da população; bioinformática , desenvolvendo e aplicando ferramentas para apoiar os processos de geração, administração, análise e disseminação de dados sobre a biodiversidade, disponiveis em bancos de dados; bioprospecção, buscandoo uso sustentável e aplicação comercial dos recursos da biodiversidade, por meio de convênios de investigação para a busca de espécies bioindicadoras, de importância para o controle biológico, substâncias químicas, genes, que possam ser utilizados principalmente pelo setor agrícola. Em sua primeira versão, esse INCT foi uma iniciativa de um grupo de pesquisadores atuando na região sudeste brasileira. Nesta nova proposta, vários novos grupos nacionais e internacionais foram incluídos, conferindo ao INCT uma característica mais integrativa para ampliar o conhecimento da biodiversidade, dos mecanismos de conservação e o desenvolvimento sustentável, além da formação de recursos humanos. Nessa integração buscaremos aplicar o conhecimento científico da biodiversidade a atividades educacionais e econômicas como a agricultura e ecoturismo e o desenvolvimento de mecanismos de prestação de serviços ambientais.Nesta nova proposta são incluídos estudos em outras áreas da America do Sul, Das instituições brasileiras participantes, cinco deverão incluir coleções de Hymenoptera parasitoides; três em fase adiantada de informatização. Muitas espécies desconhecidas continuarão sendo descobertas e descritas a partir de novas amostragens em áreas endêmicas e vulneráveis, nunca pesquisadas antes sobre esse assunto. Haverá continuidade, do estudo da dinâmica estacional de espécies de insetos fitófagos e parasitoides abrangendo, regiões de diferentes altitudes. A investigação em regiões de elevada altitude de Mata Atlântica tem revelado, como esperado, a constatação de que nelas existe fauna bem menos comum em relação a áreas de altitudes mais baixas.Devido a parcerias estabelecidas com outras instituições brasileiras, houve expansão das atividades do INCT para as regiões Centro-Oeste (Universidade Católica Dom Bosco - áreas de cerrado, Pantanal e agroecossistemas), Nordeste (Universidade Estadual de Feira de Santana e Embrapa Meio Norte – áreas de caatinga; Embrapa Semiárido, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Universidade Federal de Alagoas, Embrapa Agroindústria Tropical - agroecossistemas), Norte (Embrapa Acre – área de floresta amazônica) e Sul (Universidade Federal do Paraná, Universidade Estadual de Londrina, EMATER, Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade Comunitária da Região de Chapecó, Universidade Federal da Fronteira Sul, Universidade Federalde Pelotas, Embrapa Uva e Vinho – agroecossistemas). Essas novas parcerias incluem colaboração com alguns pesquisadores que tiveram a sua formação acadêmica no âmbito do INCT –HYMPAR /Sudeste.Daremos continuidade à compilação do conhecimento sobre relações entre aranhas e himenópteros parasitoides no Brasil. Trata-se de uma linha de pesquisa totalmente nova no Brasil, já que até a criação do instituto todos os estudos a respeito de interações entre aranhas e parasitoides, incluindo manipulação comportamental, haviam sido feitos no exterior. Sistemas integrados de produção agrícola tem aumentado significativamente sua inclusão no cenário produtivo brasileiro. Com esses sistemas é possível restabelecer serviços ambientais que haviam sido perdidos nos sistemas de produção convencionais, baseados em monoculturas. Os estudos do INCT têm mostrado de que maneira o controle de pragas pode ocorrer em sistemas integrados, identificando organismos-chaves nesses processosNesta nova proposta continuaremos integrando as atividades do INCT a grupos internacionais de pesquisa, disponibilizando, nos diferentes meios de divulgação, os resultados obtidos em pesquisa, ensino e extensão. Continuaremos também aproximando as atividades acadêmicas da comunidade em geral, integrando pesquisa e educação. Haverá uma maior colaboração com pesquisadores de instituições estrangeiras propiciando a conclusão de vários manuscritos submetidos e a troca de informações, visando a implementação de projetos futuros de colaboração. Os serviços ambientais em sistemas agroflorestais terão continuidade, com a participação na capacitação de pesquisadores entomologistas do Brasil e da África em controle biológico, com instalação de biofábricas com o objetivo de fornecer insetos para o controle de pragas de milho em substituição a agroquímicos. A capacitação para estrangeiros será ampliada, com a inclusão de pelo menos uma universidade do Peru, com estudantes e pesquisadores dispostos a se especializar no conhecimento dos Hymenoptera parasitoides.Serão desenvolvidos novos protocolos para trabalhos de campo e laboratório, incluindo estudos de sequenciamento genético.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 26/11/2016-30/11/2022
Foto de perfil

Angelica Martins de Souza Gonçalves

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • sintomas não psicóticos entre profissionais de enfermagem que surgiram no contexto de trabalho da covid-19.
  • A pandemia de COVID 19 tem desencadeado impactos na saúde mental dos profissionais de enfermagem, principalmente naqueles que estão na linha de frente do atendimento e cuidado, gerando sofrimento psíquico, tais como, insônia, angústia, depressão e ansiedade, considerados sintomas não psicóticos, e Burnout. Entretanto, para o profissional de enfermagem que já faz tratamento psiquiátrico ou que apresenta comorbidades cardiovasculares, respiratórias, endócrinas (principalmente diabetes), imunológicas, a situação pode se agravar. Nesse sentido, outro fator preocupante envolve o profissional de enfermagem que pertence à faixa etária de 60 anos de idade ou mais, por estar no grupo de maior risco de contaminação, conforme estudo comparativo entre pacientes chineses idosos e jovens. Todas essas questões fazem das pessoas idosas seres mais vulneráveis à COVID 19, o que pode intensificar o sofrimento psíquico. Diante do exposto, torna-se relevante e pertinente avaliar as condições psíquicas dos profissionais de enfermagem, considerando o perfil laborar e a idade dos envolvidos. Ressalta-se que no Brasil, até o momento, não foram produzidos estudos que possam gerar métricas para avaliação de sintomas relacionados a transtornos mentais que surgiram no contexto da pandemia (e que poderão ter desfecho em um diagnosticados num futuro próximo). Pesquisas dessa natureza são bastante relevantes, visto que, obviamente, outros danos relacionados à COVID-19 interferirão com perfil de adoecimento do país, especialmente de pessoas que hoje enfrentam a linha de frente. Neste contexto, o objetivo deste estudo é avaliar nos profissionais de enfermagem a presença de sintomas não psicóticos que surgiram no contexto de trabalho durante a pandemia.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 16/07/2020-15/08/2022
Foto de perfil

Angélica Salatino de Oliveira

Ciências Biológicas

Genética
  • identificação de possíveis biomarcadores associados ao tdah em crianças e adolescentes: mirnas e microbiota intestinal.
  • O transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) é um dos transtornos mentais mais comuns na infância e adolescência, caracterizado por sintomas de desatenção, impulsividade e hiperatividade. A prevalência do TDAH foi estimada em torno de 5% das crianças em idade escolar ao redor do mundo. Apesar do curso clínico desta patologia ser bastante complexo, frequentemente os sintomas persistem ao longo da vida, sugerindo que o TDAH seja uma doença crônica do desenvolvimento. O principal tratamento é farmacológico, com uso do metilfenidato. Apesar de inúmeros estudos, a etiologia desse transtorno ainda não foi totalmente esclarecida. Sugere-se que o TDAH seja determinado por muitos fatores genéticos e ambientais que interagem entre si de uma forma altamente complexa. A herdabilidade estimada do TDAH é de 74%, sendo uma das mais altas em relação a outros transtornos psiquiátricos. Tem se tornado cada vez mais consensual na comunidade científica a necessidade de encontrar biomarcadores que poderiam ser utilizados na psiquiatria para aumentar a confiabilidade do diagnóstico clínico, prever o desenvolvimento de transtornos e/ou auxiliar nas decisões do melhor tratamento. Para isso, biomarcadores e medidas objetivas de psicopatologia que diferenciem saúde e doença ou que diferenciem uma doença de outra precisam ser encontradas. Os microRNAs (miRNAs), os quais são reguladores importantes da expressão gênica, formam um grupo de possíveis candidatos a biomarcadores associados ao TDAH. Estudos apontam que o papel dos miRNAs parece ser crucial no TDAH não somente pela modulação da expressão de genes já associados ao transtorno, mas também pelo efeito de variantes genéticas nos genes de miRNAs que podem acarretar seu desequilíbrio. Outro possível biomarcador que ainda é pouco explorado na literatura é a microbiota intestinal (MI). Diversas evidências têm mostrado que a MI influencia o funcionamento cerebral e comportamento através do eixo microbiota-intestino-cérebro e, portanto, a desregulação na flora intestinal pode estar ligada a diferentes doenças psiquiátricas, incluindo o TDAH. O objetivo principal desse projeto é investigar possíveis biomarcadores específicos do TDAH através das análises de expressão de miRNAs em sangue periférico e da microbiota intestinal em uma amostra brasileira de crianças e adolescentes.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Angélica Sousa da Mata

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • dinâmicas sociais e sincronização em redes complexas com métrica
  • A aplicação de métodos e técnicas da física estatística em problemas interdisciplinares tem se tornado cada vez mais frequente. O avanço computacional nas últimas décadas tem possibilitado um estudo mais detalhado de sistemas complexos a fim de modelar, com características cada vez mais reais, sistemas sociais, tecnológicos e biológicos. Fenômenos elementares como a sincronização e modelos tradicionais, tais como o modelo votante, são exemplos de processos dinâmicos com regras simples de interação entre os elementos do sistema, mas que, quando relacionados a um substrato heterogêneo como as redes complexas, dão origem a fenômenos não-triviais. Neste contexto é que surge a principal motivação deste projeto de pesquisa: estudar processos dinâmicos em redes complexas utilizando ferramentas computacionais e analíticas. Especificamente serão estudados modelos de dinâmicas sociais como o modelo do votante e o modelo de Sznajd. Também será investigado o fenômeno de sincronização em redes utilizando o modelo de Kuramoto, que leva em consideração o acoplamento de osciladores não-idênticos. Tais processos dinâmicos serão estudados em substratos mais realistas nos quais levamos em consideração, além da heterogeneidade da rede, a correlação entre graus, a afinidade entre os nós da rede, a distância euclideana entre eles, etc. Finalmente, do ponto de vista interdisciplinar, serão aplicados os conhecimentos adquiridos em simulações, teorias e caracterização de redes no estudo de processos dinâmicos em redes reais, tais como redes de transmissão de energia elétrica e redes sociais, como a do Facebook.
  • Universidade Federal de Lavras - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Angelica Thomaz Vieira

Ciências Biológicas

Imunologia
  • papel dos metabolitos microbianos na infecção pulmonar causada por sars-cov2, através da modulação a microbiota e do sistema imune
  • A doença coronavírus (COVID-19), causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV2) tem se tornado o maior problema mundial de saúde pública enfrentado pela humanidade este ano. Essa doença é caracterizada nas suas formas mais graves com sintomas de febre, tosse, dispneia, cefaleia e podem progredir para a síndrome respiratória e óbito. Nesse prognóstico mais grave, a morte dos pacientes está fortemente associada a um quadro de lesão aguda do sistema respiratório causada por uma intensa resposta inflamatória associada com o recrutamento de células inflamatórias, tais quais: neutrófilos e macrófagos. Além disso, tem sido documentado em alguns casos a ocorrência de diarreia como um dos sintomas e o RNA deste vírus foi detectado por longos períodos nas fezes de pacientes infectados com SARS-CoV-2. É importante levar em consideração também que o vírus utiliza a enzima conversora de angiotensina 2 (ACE2) como porta de entrada, e que essa enzima se encontra altamente expressa no pulmão e intestino. Sabendo-se que a microbiota intestinal, particularmente, os seus metabolitos (ácidos graxos de cadeia curta: acetato, butirato e probionato) exercem um papel relevante na modulação da resposta imune pulmonar, o objetivo principal dessa proposta consiste em: elucidar o papel da microbiota intestinal na patogênese da COVD-19, bem como, avaliar a resposta imunomoduladora dos ácidos graxos de cadeia curta (do inglês short chain fatty acids – SCFAs) e do receptor sensor de metabolite microbiano (Gpr43/FFAr2) em resposta a infecção pelo SARS-Cov-2, em culturas celulares, experimentos in vivo com camundongos, e material clínico obtido de pacientes com COVID-19 para também análises de variantes de polimorfismos (SNPs) associados ao gene GPR43 e sintomas do COVID-19.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 27/08/2020-26/09/2022
Foto de perfil

Angelica Thomaz Vieira

Ciências Biológicas

Imunologia
  • papel da microbiota intestinal e do seu metabolismo na infecção pulmonar experimental causada pela bactéria resistênte a antibióticos: klebsiella pneumoniae-kpc
  • É alarmante a situação global atual, em pleno século 21, frente a alta disseminação e crescimento de bactérias resistentes a antimicrobianos (RAM). Apesar de grandes esforços terem sido feitos desde a era-pós descoberta do primeiro antibiótico (1928), pouco se avançou na descoberta de novos agentes antimicrobianos. No entanto, ao mesmo tempo, há um aumento assustador de microorganismo RAM, o que tem chamado a atenção mundial para a problemática que iremos enfrentar, no qual, infecções, até então comuns, poderão matar e dizimar populações pela falta de novas alternativas terapêuticas que sejam eficientes. É nesse contexto que esse projeto se insere: afim, de buscar novas estratégias terapêuticas para combater e/ou controlar infecções bacterianas de relevância e urgência clínica atual, e também, na tentativa de elucidar alguns mecanismos associados a alta disseminação de genes responsáveis pela a RAM em bactérias, esse projeto visa elucidar e intervir, na interação entre dieta, microbiota e hospedeiro. Sabe-se que existem cerca de trilhões de microorganismos, especialmente, bactérias, que colonizam o homem formando um complexo ecossistema (microbiota) do qual é bem reconhecido participar e orquestrar diversas funções importante para o seu hospedeiro, incluindo na função de proteger o hospedeiro de infecções contra patógenos. Sabe-se ainda, que a composição e função metabólica da microbiota, influenciam diretamente as condições de saúde e/ou doença do hospedeiro influenciando a susceptibilidade a infecções por patógenos. Vários trabalhos tem evidenciado que as mudanças nos hábitos alimentares, o uso de antibióticos e mesmo o estilo de vida de um individuo, estão associados ao aumento da incidência de doenças crônicas e a susceptibilidade do hospedeiro a infecções, e acredita-se que isso esteja relacionado ao quadro de desequilíbrio da microbiota denominado disbiose. Em suma, o projeto hora proposto, visa elucidar os mecanismos envolvidos no desbalanço da microbiota (disbiose) que contribuam para que este fenótipo seja responsável por tornar a microbiota um importante reservatório de genes de resistência a antimicrobianos, contribuindo assim, com a sua disseminação. Todavia, este projeto também visa, compreender se o reestabelecimento de uma microbiota simbiótica, diversa e rica em bactérias potencialmente benéficas e comensais poderia servir como principal fonte de antimicrobianos (sejam estes, peptídeos e/ou metabólitos) endógenos, produzidos pela própria microbiota ou pelo hospedeiro, que fortemente contribuiriam para o controle e modulação da resposta do hospedeiro frente a infecções de relevância clínica por patoógenos RAM. Como principal hipótese desse projeto, acredita-se que a disbiose induzido por dietas com baixo qualidade de fibras estejam também favorecendo a expansão de bactérias oportunistas da própria microbiota de um individuo servindo-se de reservatórias para genes de Resistência a antimicrobianos e assim contribuindo com a disseminação de genes de RAM. Baseado nessa hipótese, esse projeto também tem como propósito, a busca por alternativas terapêuticas baseado na modulação da microbiota utilizando dieta rica em fibra num modelo experimental murino de infecção e inflamção respiratória (problema de saúde clínico global e crescente) causada pela bactéria patogênica Klebsiella pneumoniae-KPC. Como principal resultado esperado, acredita-se que, a dieta rica em fibra possa prevenir a disbiose controlando o crescimento de bactérias oportunistas RAM reservatórias e prevenindo a disseminação de genes de resistência aos antimicrobianos.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Angélica Vier Munhoz

Ciências Humanas

Educação
  • experimentações curriculares na formação de professores: a proposta pedagógica da universidad de lleida
  • A presente proposta é decorrente de uma pesquisa vêm sendo desenvolvida, desde 2013, pelo Grupo de pesquisa Currículo, Espaço, Movimento (CEM/CNPq/Univates), coordenado por essa pesquisadora, cujo objetivo consiste em compreender e problematizar o modo como os espaços escolares e não escolares vêm produzindo práticas educativas e artísticas, em meio aos processos de ensinar e aprender. Para o projeto que se apresenta, busca-se aproximação com um novo espaço de investigação, a Universidade de Lleida, na Espanha, a qual, por meio de parceria interinstitucional, passa a integrar o campo empírico do Grupo CEM. Nesse sentido, o referido projeto tem como propósito investigar a experiência que vem sendo realizada por essa instituição no que tange à formação de professores para a educação primária. Tal experiência é proposta pela Facultad de Ciencias de la Educación de la Universidad de Lleida, a qual investe em uma formação docente que ocorre na intersecção do Centro de Artes de Lleida, a Faculdade de Ciências da Educação e a escola primária. Assim, com enfoque qualitativo genealógico (FOUCAULT 2000, 2005, 2008, 2012) e por meio de procedimentos exploratório-experimentais (CORAZZA, 2012, 2013), o presente projeto de pesquisa pretende investigar de que modo são produzidas as práticas metodológicas e curriculares que se efetuam entre a arte e educação no Projeto Zona Baixa, da Faculdade de Educação da Universidade de Lleida, bem como compreender as implicações de tal proposta na formação de professores. Além dos autores da Filosofia da diferença, referencial já utilizado pelo Grupo CEM, busca-se também a aproximação com os referenciais da deriva situacionista de Guy Debord e de outros teóricos situacionistas do século XXI, que dão sustentação à proposta de formação de professores da Universidade de Lleida. Por fim, é a potência dessa proposta curricular, seus processos de ensino e aprendizagem em meio aos encontros entre arte e educação que interessa investigar no referido projeto de pesquisa.
  • Universidade do Vale do Taquari - UNIVATES - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Angelita Alves de Carvalho

Ciências Sociais Aplicadas

Demografia
  • preferências reprodutivas, fecundidade não realizada e contradições na américa latina
  • As preferências reprodutivas são as dimensões subjetivas da fecundidade. Estas são utilizadas há muito tempo para determinar a demanda por crianças, em uma população, e se avaliar em que medida os resultados desse processo de decisão por filhos são satisfatórios para os indivíduos. Apesar do tema já ser bastante explorado em contextos de fecundidade reduzida e de países desenvolvidos, poucos estudos analisam a fecundidade não realizada no contexto latino-americano. Dessa forma, o objetivo deste projeto é estimar e analisar a fecundidade não realizada nos diferentes países da América Latina, discutindo-se a (in) capacidade dos indivíduos de implementar seus desejos por filhos, nesses países, bem como os problemas metodológicos existentes nos indicadores disponíveis. Para isso, serão utilizados os dados das mais recentes pesquisas do tipo Demographic and Health Surveys, Multiple Indicator Cluster Survey, Reprodutive Health Survey e pesquisas específicas a nível nacional conduzidas por institutos internos de estatística que disponham de informações acerca da temática preferências de fecundidade, nos 20 países analisados. A fecundidade não realizada será estimada tanto por meio de pergunta sobre o número ideal de crianças que a mulher gostaria de ter e das perguntas sobre as preferências futuras por filhos, dependendo da disponibilidade da fonte de dados. Os problemas relativos à tais indicadores serão mensurados a partir da identificação de contradições existentes justamente comparando-se essas duas questões, quando disponibilizadas em conjunto na base de dados. As análises se darão por meio de estatística descritiva, testes de correlação e modelagem estatística. Espera-se com esse projeto identificar as particularidades bem como as similaridades das preferências reprodutivas, especialmente da fecundidade não realizada, nos países latino-americanos entre si e em comparação com estudos já realizados em países desenvolvidos.
  • Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Angelita da Silveira Moreira

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • produção de biopolímeros e aplicação em protótipos de bioadesivos tópicos - bats - anestésicos, anti-inflamatórios e cicatrizantes para uso bucal
  • O projeto versa sobre filmes bioadesivos à base de material polimérico renovável biodegradável e biocompatível, a goma xantana, adicionados com ativos naturais, especialmente o óleo de copaíba, de ação anestésica, anti-inflamatória, cicatrizante aplicável no tratamento de anestesia local de mucosa oral ou lesões bucais diversas. A ciência farmacêutica vem, cada vez mais, preocupando-se não só com os ativos farmacológicos ou fármacos, mas com as formas farmacêuticas nas quais são veiculados. Sistemas de entrega de fármacos ou formas de liberação controlada são termos que se referem à entrega de um ou mais ativos, para seres humanos ou animais, buscando controlar/aumentar a biodisponibilidade do fármaco em locais específicos do corpo e ao longo de um período de tempo. Os chamados sistemas não invasivos, adequados às vias transdérmica, pneumônica (inalação), retal, nasal e oral estão cada vez mais sendo explorados (Brar and Kaur, 2018; Purohit et al., 2018; Chen et al., 2018). Os sistemas de entrega por via oral vêm demonstrando, nas últimas décadas, vantagens em relação aos outros sistemas convencionais (Deshpand et al., 1996; Varum et al., 2010). Essas vantagens incluem a ação seletiva farmacológica e redução de efeitos colaterais, dosagem e frequência de aplicação (Fassihi et al., 1998). Em geral, são requeridas as seguintes características do sistema de liberação do fármaco: tamanho de 1 a 3 cm2, uma dose diária de 25 mg ou menos, e duração máxima de administração bucal de cerca de 4-6 h (Alur et al., 2001). O potencial de absorção da mucosa bucal é em grande parte determinado pela solubilidade lipídica do fármaco, e, favoravelmente, muitos ativos anestésicos, anti-inflamatórios ou cicatrizantes são lipossolúveis. Na área odontológica, um dos grandes desafios é o desenvolvimento de materiais como cremes, colutórios (enxaguatórios), géis, pomadas e que sejam capazes de aderir e manterem-se no local de aplicação e terem efeito farmacológico tópico e sistêmico, além de funcionar como um sistema de entrega de fármacos, como ativos de espécies vegetais (no caso de fitoterápicos), de forma constante e eficaz para o tratamento de doenças de origem infecciosa e inflamatória. O presente trabalho refere-se ao aprimoramento de um bioadesivo tópico, produto inédito e inovador no que se refere a produtos farmacológicos de uso bucal. Protótipos anestésicos já foram desenvolvidos e encontram-se protegidos por pedido de patentes (Fase nacional – BR 2015050210 e Fase internacional US 2017/0326242). Agora, pretende-se o aprimoramento dos mesmos por meio da redução de sua solubilidade, o que aumentará o tempo de adesão ao local da aplicação, e a adição de ativo anti-inflamatório e cicatrizante. Isso permitirá aumentar a abrangência de utilização dos bioadesivos - BATs - podendo o uso ser extrapolado para outras áreas úmidas/mucosas. No presente projeto a produção, caracterização e aplicação de xantanas de baixa viscosidade em BATs será realizada. Além da importância do produto final – BATs anti-inflamatórios e cicatrizantes, novas xantanas, com novas possibilidades de aplicação em várias áreas (micro e nano encapsulação de ativos, aditivos e microrganismos probióticos e outros, utilização direta em produtos que requerem controle da água livre sem elevado aumento da viscosidade, como em sorvetes).
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Angelita Maria Stabile

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • papel do estado nutricional e da atividade física sobre a resposta inflamatória e o desfecho da sepse em ratos
  • A sepse é um problema de saúde mundial, sendo a principal causa de morte em unidade de terapia intensiva (UTI). A sepse clínica e modelos experimentais de sepse são caracterizadas pela resposta do organismo a presença de microorganismos invasores, arquitetada pelo sistema imunológico, entretanto, os mecanismos que normalmente protegem os indivíduos das infecções e eliminam substâncias estranhas são por si só, capazes de causar dano tecidual quando ativados de maneira descontrolada como ocorre na sepse. A resposta inicial a um agente estranho é mediada pela ação de citocinas como fator de necrose tumoral-α (TNF-α), interleucina-1 (IL-1), interleucina-6 (IL-6), interleucina-10 (IL-10) e óxido nítrico (NO). A evolução e o desfecho da sepse estão estritamente relacionados ao estado nutricional do indivíduo. Sabe-se que indivíduos desnutridos ou mal nutridos estão mais predispostos a adquirir infecções e, quando as adquirem, estão mais sujeitos ao óbito. Porém, o efeito do estado nutricional oposto, ou seja, a obesidade é pouco explorado pela literatura. A obesidade é um problema de saúde de grande interesse nos dias atuais, principalmente devido ao aumento do número de indivíduos obesos nas últimas três décadas. Hoje é sabido que o tecido adiposo possui intensa atividade secretória, sendo fonte de TNF-α., IL-6 e IL-1. Embora a mortalidade não tenha crescido entre os pacientes obesos nas UTIs, há consenso do maior risco de infecção entre esses pacientes e consequentemente, maior risco de desenvolverem sepse. Uma das consequências frequentes da obesidade é o desenvolvimento do Diabetes Mellitus tipo II (DM-II) e, atualmente, acredita-se que o DM-II predisponha ao surgimento de infecções e que seja uma importante comorbidade na sepse, tendo em vista a alta prevalência e o potencial de alteração que o DM-II pode causar no organismo. Contrapondo-se à obesidade, sabe-se que a prática de exercícios físicos possui efeitos benéficos sobre a resposta inflamatória causando uma diminuição do quadro pró-inflamatório local e sistêmico, por meio da produção de citocinas com função antiinflamatória e inibição da produção de TNF-α e IL-1. Com base no exposto, nossa hipótese é que a obesidade e a hiperglicemia favoreçam a secreção de citocinas pró-inflamatórias e NO durante a sepse experimental, resultando em menor sobrevida. Por outro lado, o exercício físico teria efeitos protetores, reduzindo a produção excessiva de mediadores pró-inflamatórios, portanto, o objetivo deste trabalho é investigar o papel do estado nutricional e exercício físico sobre a resposta inflamatória e no desfecho da sepse em ratos.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2021