Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Rosana Goldbeck

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • bioprocesso integrado para obtenção de oligossacarídeos e nanocristais de celulose a partir de resíduos agroindustriais
  • No contexto de biorrefinaria, um dos atuais desafios é o desenvolvimento de bioprocessos integrados, eficientes e com alto rendimento que, de maneira otimizada e economicamente viável, resultem em bioprodutos diversificados de interesse industrial. A partir de materiais de baixo valor agregado, como os resíduos agroindustriais, biomoléculas de alto valor agregado, como nanocristais de celulose (NCCs) e oligossacarídeos prebióticos como xilo-oligossacarídeos (XOs) e celo-oligossacarídeos (COs) podem ser obtidos. Tanto os oligos como os nanocristais são bioprodutos de grande interesse para as indústrias químicas, alimentícias e farmacêuticas, tendo em vista seus múltiplos benefícios e a gama de possibilidades de aplicações nesses setores. Os desafios para obtenção de altos rendimentos de XOs e COs, associados com a produção economicamente viável de NCCs por rotas mais ecológicas, incentivam pesquisadores na busca por novas estratégias. Diante disso, o presente projeto tem como objetivo produzir de maneira integrada e otimizada, xilo-oligossacarídeos (XOs), celo-oligossacarídeos (COs) e nanocristais de celulose (NCCs) a partir de resíduos agroindustriais, como bagaço de cana, casca de milho e palha de arroz. Acredita-se que a integração de ondas ultrassônicas associadas à hidrólise enzimática possam promover elevados rendimentos de XOs, COs e NCCs simultaneamente. É importante salientar que este trabalho tem carácter inovador, visto que não há estudos na literatura que englobem a produção integrada e otimizada desses bioprodutos. Além disso, pretende-se estudar os principais mecanismos envolvidos nas atividades biológicas (atividades prebiótica, antioxidante, antidiabética e anti-hipertensiva) e tecnológicas (reologia, atividades emulsificantes e estabilizantes) desses biocompostos, uma vez que ainda não são totalmente elucidadas na literatura. A elucidação destas propriedades é fundamental para ampliar ainda mais a gama de aplicações destes bioprodutos.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Rosana Pereira Vianello

Tecnologias

Tecnologia e Inovação para Agropecuária
  • piramidação de alelos de resistência à antracnose, mancha angular, murcha de fusarium e escurecimento lento em feijão carioca via ferramentas biotecnológicas
  • Vide projeto anexo
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - DF - Brasil
  • 29/11/2019-30/11/2022
Foto de perfil

Rosana Souza Lima

Ciências Biológicas

Biologia Geral
  • as ciências no nosso dia-a-dia
  • Visando contribuir com o ensino de conceitos fundamentais de biologia, geologia e paleontologia para o ensino médio e fundamental, o principal objetivo deste projeto é produzir e divulgar, durante os sete dias da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) de 2021, produtos didáticos elaborados especialmente para esse período, mas que continuarão disponíveis após a SNCT para uso e download nas redes sociais da Fundação Paleontológica Phoenix e das escolas parceiras. Os temas trabalhados estão relacionados à transversalidade entre processos e eventos que relacionam a Geologia, Biologia e Paleontologia, resultando no incremento do conhecimento acerca do Planeta Terra. O projeto será monitorado em três escolas do Município de Aracaju e duas do Município de Laranjeiras. Contudo, como sua distribuição e divulgação será online, ele atingirá, de imediato, 80 escolas estaduais subordinadas à “Diretoria de Educação de Aracaju”, vinculada à Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura, bem como outras 242 escolas em 74 municípios do Estado de Sergipe, vinculadas às suas diretorias regionais (DREs).
  • Fundação Paleontológica Phoenix - SE - Brasil
  • 06/10/2021-31/10/2023
Foto de perfil

Rosane de Andrade Berlinck

Lingüística, Letras e Artes

Lingüística
  • língua emcena: para uma sociolinguística histórica em peças teatrais brasileiras
  • As línguas são um fato social, logo, mutáveis e heterogêneas assim como as sociedades que as falam. Assim, essa intrínseca relação língua e sociedade tem de ser considerada no estudo histórico das línguas. Tal estudo é feito, quase sempre, a partir de documentos escritos que não representam toda a diversidade e complexidade das sociedades pretéritas, mas em geral apenas as elites letradas. Além disso, essas fontes compõem conjuntos fragmentários e heterogêneos para cada período histórico analisado. Nossa proposta visa trazer possíveis respostas para os problemas da baixa representatividade social dos corpora históricos e do anacronismo ideacional na definição de categorias de análise para fatores sociais (aplicação de conceitos modernos para descrever realidades passadas). A hipótese é que peças teatrais podem fornecer dados linguísticos associados a uma maior diversidade de perfis sociais, tendo em conta que são textos estruturados a partir do diálogo entre personagens representativos de idades, sexos/gêneros, grupos sociais, níveis de instrução diversos e que apresentam uma gama de situações de interação e de temáticas. Essa hipótese se apoia no fato de que já foi demonstrado que corpora para os quais se tem informação social sobre os escreventes (por exemplo, de correspondências pessoais) permitem identificar relações entre fatores sociais e processos linguísticos, levando a explicações mais robustas de processos de variação e mudança linguística (Conde-Silvestre, 2007; Hernández-Campoy; Conde-Silvestre, 2012). A estratégia adotada será compor um corpus de peças brasileiras dos séculos XIX, XX e XXI e caracterizar o perfil social de seus personagens utilizando categorias definidas com base na reconstrução dos contextos sócio-históricos relevantes. Tal reconstrução de contextos e perfis segue uma nova metodologia proposta no âmbito deste projeto, apoiada em um diálogo interdisciplinar com fontes e pesquisadores da História, Sociologia, Antropologia, Teatro.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Rosane Duarte Rosa Seluchinesk

Ciências Humanas

Educação
  • educação, corporeidade e território: entrelaçando saberes e conhecimentos com mulheres indígenas no estado de mato grosso.
  • Nas últimas décadas observamos na América Latina, um discurso político enfatizando um crescimento econômico, entretanto esse desenvolvimento não é para todos os seus habitantes. Dentre estes, estão os povos indígenas que ainda lutam por seus territórios ancestrais e também por condições necessárias a sua existência e dos seus descendentes. No Brasil existem 305 etnias, das quais, 42 estão vivendo no estado de Mato Grosso. Alguns já possuem sua área demarcada e homologada, mas ainda existem muitos nesse processo, que mesmo depois de definido, ainda encontra resistência dos demais habitantes em reconhecê-los como parte dos habitantes dos municípios nos quais estão localizadas as Terras Indígenas. É neste cenário que observamos o protagonismo das mulheres indígenas que vem se organizando para produzir e comercializar artesanatos, frequentar cursos de formação para atuarem como professoras e agentes de saúde e mesmo ocupar lugares que antes só eram ocupados pelos homens como ser cacique ou mesmo pajé. É sobre estas mulheres que articulam saberes ancestrais com a necessidade de uma formação profissional, notadamente na área de educação e se colocam na luta pelo território que trata este estudo. Quem são? Como questões de gênero e etnia interferem nas suas vidas? Como os saberes ancestrais dialogam com os saberes atuais? Como é ser e formar mulheres indígenas no cenário atual? Quais são as suas lutas, sonhos, projetos e realizações? É sobre estes e outros temas que pretendemos abordar para entender e contribuir na articulação entre as mulheres de Mato Grosso, do Brasil e quiçá com as mulheres da américa sobre Educação, corporeidade e território. Com base na metodologia etnográfica e história oral serão realizadas rodas de conversa, escritas autobiográficas, registros etnográficos e fotográficos que deverão compor as estratégias para as coletas de dados e a produção final de um livro foto, etno e biográfico de mulheres indígenas, dentre outras produções científicas.
  • Universidade do Estado de Mato Grosso - MT - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Rosane Garcia Collevatti

Ciências Agrárias

Recursos Florestais e Engenharia Florestal
  • genética e genômica em paisagens no antropoceno: efeito dos agroecossistemas na diversidade genética e adaptação de plantas em florestas estacionais e de savanas
  • O balanço entre a produção de alimentos e a conservação da biodiversidade, e a proposta de alternativas eficientes para diminuir os impactos da agricultura são os principais desafios no Antropoceno. No Cerrado, um dos hotspots de biodiversidade devido ao alto endemismo de espécies, as paisagens agrícolas ocupam grande parte da área original, com cerca de 50% transformada para agropecuária e área urbana. A genômica populacional, associada a transcriptômica e metilômica podem facilitar a identificação de variação molecular adaptativa, genes diferencialmente expressos e controle de expressão gênica relacionados a resposta das plantas às mudanças ambientais, contribuindo para a conservação a longo prazo e compreensão dos mecanismos evolutivos e genes relacionados ao estresse ambiental. Em 22 paisagens agrícolas, iremos amostrar populações de Psychotria sp. Iremos usar genotipagem de SNPs para identificação de sinal de seleção, sequenciamento do transcriptoma para analise de genes diferencialmente expressos, e sequenciamento do metiloma para analise de alterações na expressão genica, e iremos analisar alterações fenotípicas. Genes de resposta estresse serão analisados em Real-Time PCR para validar a função e disponibilizar para a comunidade acadêmica como potencial alvo. Usando características de solo como co-variáveis em GLMMs, esperamos que populações em paisagens com maior quantidade de matriz agrícola, fragmentos de floresta menores com formato mais irregular e maior efeito de borda tenham sinal de seleção, maior numero de genes expressos e menor metilação em genes relacionados a estresse biótico e abióticos. Nestas paisagens iremos estudar também a resposta das comunidades a partir da variação na riqueza, diversidades alfa e beta de espécies, diversidade filogenética e funcional entre paisagens. Esperamos que espécies mais resistentes ao estresse sejam mais abundantes e frequentes, diminuindo a diversidade e riqueza de espécies, diversidade filogenetica e funcional
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Rosane Leal da Silva

Ciências Sociais Aplicadas

Direito
  • direito à saúde e à educação de crianças e adolescentes em tempos de pandemia: a atuação dos entes públicos brasileiros na efetivação de direitos fundamentais.
  • A pandemia causada pelo Coronavírus revelou desafios para a proteção da saúde e direito à educação de crianças e adolescentes, destinatários de proteção integral (art. 227, Constituição Federal), cujo acesso às escolas foi dificultado devido à necessidade de proteger a saúde individual e coletiva. Tal contexto forçou a revisão das estratégias educativas, com desafios aos direitos fundamentais dos infantes e adolescentes, ampliado no caso das crianças com deficiência. A preocupação com saúde e educação constou em atos normativos, decretos estaduais e municipais e decisões judiciais, o que leva ao problema de pesquisa: a atuação dos entes públicos brasileiros para conciliar a proteção à saúde e promoção da educação no período da pandemia evidencia ações articuladas e que consideraram a proteção integral de direitos fundamentais de crianças e adolescentes, com políticas públicas direcionadas e tecnologias assistivas ou, ao revés, não consideraram a prioridade absoluta? A hipótese inicial aponta para a insuficiência da proteção integral prevista na Constituição Federal e na Lei 8.069/1990 e sugere a desarticulação do sistema de garantias, em prejuízo ao pleno desenvolvimento de crianças e adolescentes no período da pandemia. Outra hipótese relaciona-se com o baixo impacto da produção doutrinária e ausência de políticas públicas voltadas à promoção da saúde e educação, acesso e uso seguro da internet, bem como ausência de tecnologias assistivas. O enfrentamento do tema ocorrerá a partir do aporte analítico, com pesquisa doutrinária e documental. Será empreendido procedimento monográfico ou de estudo de casos, com investigação da produção doutrinária sobre o tema nas principais revistas com estratos A e B, avaliadas pela Capes, agregando-se pesquisa e classificação de documentos públicos editados no Brasil, o que permitirá determinar se houve o comprometimento do Brasil em harmonizar proteção à saúde com o direito à educação de crianças e adolescentes durante a pandemia.
  • Universidade Franciscana - RS - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Rosangela Ferreira Prestes

Outra

Multidisciplinar
  • mais ciência - bicentenário da independência: 200 anos de ciência, tecnologia e inovação no brasil
  • O Evento Educacional MAIS CIÊNCIA é um projeto colaborativo e cooperativo construído entre diversos atores, a citar, escolas públicas, universidade comunitária, coordenadorias regionais da Educação e órgãos públicos, interessados em promover a formação e inclusão de jovens em uma sociedade em rede, em que o desenvolvimento do pensamento crítico e reflexivo se apresenta como fator determinante. Nesta edição, para celebrar o Bicentenário de Independência do Brasil, o evento Mais Ciência 2022 tem o propósito de resgatar as conquistas alcançadas, mas também revelar como o engajamento dos profissionais da educação, em diálogo constante com a sociedade, pode contribuir para propiciar o desenvolvimento, a qualidade e acesso universal ao conhecimento. Para tanto, o evento MAIS CIÊNCIA promove uma Trilha de Aprendizagem de forma dinâmica, abordando os novos componentes do Ensino Médio: Mundo do Trabalho, Projeto de vida e Cultura e Tecnologias e os temas transversais de Empreendedorismo e Educação Financeira. Isso ocorre em um ambiente próprio em que são disponibilizados materiais educacionais multimodais relacionados a questões de Ciência e Tecnologia que apoiam as práticas pedagógicas e apresentam inovações metodológicas no espaço escolar. O evento conta, até o presente momento, com a participação de 1300 alunos e 300 professores, além de uma equipe multidisciplinar. A universidade assume o compromisso com a construção de um mundo pluriversal, como uma das expressões para gerar e disseminar o conhecimento de forma a contribuir de maneira eficaz para ampliar o horizonte de compreensão do desenvolvimento e dispor de recursos humanos e científicos para construir um projeto que promova um conjunto de ações e ideários que sonham transformar mentes e sensibilizar pessoas. É nosso papel estimular o conhecimento dos problemas do mundo presente, prestar serviços especializados à comunidade e estabelecer com esta uma relação de reciprocidade. Neste caminho trilha este projeto.
  • Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - RS - Brasil
  • 12/09/2022-31/03/2023
Foto de perfil

Rosangela Ferreira Prestes

Outra

Multidisciplinar
  • mais ciência: a transversalidade da ciência, tecnologia e inovações para o planeta
  • O presente projeto tem como objetivo principal apoiar a realização da 18ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, em âmbito municipal e intermunicipal, estreitando o elo entre a Universidade e escolas com vistas à articulação de ações em prol da difusão do conhecimento científico e tecnológico e do fortalecimento da educação formal, não-formal e informal por meio do desenvolvimento do Evento Educacional Mais Ciência, organizado pela URI, Coordenadorias Regionais de Educação que abrangem o Polo 3 (Santo ngelo – 14ª, Santa Rosa – 17ª, Palmeira das Missões – 20ª, Três Passos – 21ª, São Luiz Gonzaga – 32ª e Ijuí – 36ª) e Entidades Parceiras que apoiam a Educação. Esse evento abrangerá até 50 escolas de Ensino Médio (com estudantes do nível médio) de Municípios que abrangem as regiões do Polo 3. O Evento Educacional MAIS CIÊNCIA compreende a realização de três atividades independentes no decorrer de julho a dezembro de 2021, sendo elas assim definidas: a) Relato de experiências dos professores; b) Olimpíada do conhecimento entre equipes; c) Concurso de Redação. Esse evento envolve e busca a produção e ampliação de conhecimentos nas diferentes áreas do conhecimento e, igualmente, de atitudes que possam colaborar com demandas dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, considerando ainda os temas estratégicos previstos na Estratégia Nacional de Ciência Tecnologia e Inovação (ENCTI), sendo também emergente nesse momento, a necessidade da recuperação de aprendizagens geradas no período pandêmico. Dentro das modalidade previstas na chamada CNPq/MCTI nº06/2021, a presente proposta se configura como uma Exposição de CT&I por contar com a construção, apresentação e disponibilização de um aplicativo, na forma de um game científico, para livre acesso à questões de ciência e tecnologia nas diferentes áreas que compõem os componentes curriculares do ensino médio. O aplicativo será empregado para o desenvolvimento do evento, que tem como intuito além da socialização do conhecimento, organização e trocas de experiências entre todos os envolvidos, a intenção é contribuir para a educação, que é uma das principais áreas para o desenvolvimento humano e social e igualmente necessária para o desenvolvimento local e regional. Nessa perspectiva, faz-se necessário além da mobilização de parcerias, a busca de recursos que possam viabilizar e financiar a construção aplicativo que fará a gestão das questões para a realização desse evento de cunho educacional.
  • Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - RS - Brasil
  • 05/10/2021-31/10/2023
Foto de perfil

Rosângela Gabriel

Lingüística, Letras e Artes

Lingüística
  • pesquisa com rastreamento ocular: entre percepção e cognição
  • As pesquisas na área conhecida como (neuro)ciência da leitura têm avançado nas últimas décadas graças a novas ferramentas, tais como os rastreadores oculares (eye tracking), métodos de neuroimagem (fMRI) e potenciais de eventos relacionados (ERPs). No presente projeto, buscamos estabelecer possíveis relações entre a percepção e a atenção na leitura, a partir do rastreamento ocular, a fim de contribuir para a compreensão dos processos cognitivos subjacentes à aprendizagem da leitura em crianças e adultos. Dentre as questões de pesquisa a serem respondidas, destacamos: Qual o comportamento dos olhos de crianças e adultos que não aprenderam a ler ou que aprenderam a ler na idade adulta, não tendo tido a experiência décadas de escolarização? Em que medida o comportamento observado nesses grupos pode nos ajudar a entender como a memória de longo prazo e os conhecimentos nela armazenados interagem com as informações visualmente explícitas no texto (estratégias top-down e bottom-up), e se e como a atenção é direcionada para os aspectos relevantes para a compreensão leitora? A metodologia de rastreamento ocular permite aplicar algoritmos de aprendizagem de máquina para descobrir padrões que relacionam percepção (intrínseca ao usuário) e atenção (capturada pelo eye tracking) na navegação de usuários em textos. O desenvolvimento de pesquisa que contribua com novas técnicas para estudos na área de experiência do usuário (user experience - UX) pode auxiliar na identificação de dificuldades durante a atividade de leitura e na proposta de intervenções que busquem minimizar essas dificuldades. A busca de uma ciência da leitura mais universal, que integre conhecimentos sobre línguas como o português, voltada a contextos sociais diversos como o brasileiro, pode contribuir na busca de soluções para os problemas enfrentados para ensinar a ler e a compreender, contribuindo para a elaboração de propostas pedagógicas amparadas nos conhecimentos científicos.
  • Universidade de Santa Cruz do Sul - RS - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Rosângela Marion da Silva

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • efeito do alecrim sobre sono, afetividade e risco cardiovascular na equipe de enfermagem de serviços de emergência
  • As mudanças socioeconômicas e tecnológicas têm alterado o contexto laboral, com impactos na saúde fisico-psicossocial do trabalhador. No âmbito da enfermagem, o trabalho em serviços de emergência associa-se à má qualidade do sono, afetividade negativa e ao aumento do risco para doenças cardiovasculares. Na busca pelo bem-estar e cuidado integral, esses profissionais têm recorrido às terapias complementares, como os fitoterápicos, e o Alecrim tem mostrado potencial terapêutico na melhora da qualidade do sono, de sintomas afetivos negativos e redução do risco cardiovascular, requerendo novos estudos para outras evidências científicas. Questiona-se: quais os efeitos da ingestão de cápsulas de extrato seco de Alecrim sobre a qualidade do sono, afetividade negativa e risco cardiovascular de profissionais de enfermagem de serviços de emergência? Os desdobramentos extrapolam o objetivo inicial e os resultados podem contribuir com a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares, favorecendo a saúde dos trabalhadores. Trata-se de projeto matricial composto por Revisão Sistemática, Estudos Transversais e Estudo quase-experimental (EQ-E). Participará uma amostra de profissionais de enfermagem (±150) de serviços de emergência do Rio Grande do Sul (2/noroeste, população=98 e 2/central, população=128). Excluídas pessoas com cabelo<2cm, doenças crônicas não transmissíveis, gestantes, lactantes, idade<30 anos e em afastamento. Utilizar-se-á: questionário com variáveis socioprofissionais e clínicas, Índice Qualidade do Sono Pittsburgh, Escala de Estresse, Ansiedade, Depressão, Escore Risco Global de Framingham. Haverá coletas de sangue e cabelo por laboratório contratado. Para o EQ-E: Antes e após a intervenção os participantes farão a ingesta de cápsulas com 500mg de extrato seco de Alecrim 2xdia por 30 dias todos os participantes preencherão os instrumentos e haverá coleta de sangue e cabelo. Análises descritiva, analítica e correlacional (p<0,05).
  • Universidade Federal de Santa Maria - RS - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Rosangela Paula Teixeira Lessa

Ciências Agrárias

Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca
  • identificação da população e ecologia trófica da albacora-laje (thunnusalbacares), da cavala-empinge (acanthocybiumsolandri) e do peixe-rei (elagatis bipinnulata) no arquipélago de são pedro e são paulo
  • O Arquipélago de São Pedro e São Paulo (ASPSP) é uma área de alto produtividade no Oceano Atlântico Sul, e por esta razão, a diversidade de fauna e flora do local é enorme, inclusive com algumas espécies exploradas por pescarias no local. Das espécies exploradas pela pesca no ASPSP, 85% das capturas são compostas por apenas 4 espécies de peixes, das quais, destacam-se a cavala-empinge (Acanthocybium solandri) a albacora-laje (Thunnus albacares)e o peixe-rei (Elagatis bipinnulata) que são capturadas usando como isca o peixe-voador (Cheilopogon cyanopeterus). T. Albacares, A. solandrie E. bipinnulata são espécies tipicamente oceânicas, com hábitos epipelágicos, e que podem ser encontrados em maior abundância no ASPSP entre os meses de Novembro e Maio, período no qual ocorre a desova de C. Cyanopterus. Devido a importância desta pesca, estudos que auxiliem na identificação dos estoques de T.Albacares, A. solandrie E. bipinnulata e na importância de C. cyanopterus para os predadores e toda a cadeia trófica no ASPSP são de fundamental importância para o manejo sustentável destas espécies. Para atingir estes objetivos, serão utilizadas análises microquímicas multielementares em otólitos e isotopicas em multuplos tecidos das espécies com o intuito de identificar quais populações no Oceano Atlântico utilizam o ASPSP em sua migração e o nível trófico dos predadores quando se alimentam do peixe-voador no local.
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco - PE - Brasil
  • 29/11/2019-31/10/2022
Foto de perfil

Rosangela Sarteschi

Lingüística, Letras e Artes

Letras
  • afropeans-port: escritas afropeas em portugal
  • No princípio do século XXI, começaram a ser elaboradas, em diversos contextos linguísticos, conceituações teóricas cujo intuito é o de pensar a inserção, na Europa, de corpos e culturas provenientes de diversos países. Desses esforços surgiram conceitos como o de Afropea, de Léonora Miano, e de Afropeus, discutido por Alice Gbelia e Johny Pitts. De uma perspectiva pós-colonial, Léonora Miano propõe uma leitura da experiência negra na Europa, a partir de construções identitárias (Afropeidade) que assentam em múltiplas formas de pertencimento. Por sua vez, a partir do termo Afropeus, Gbelia e Pitts propõem pensar a vivência e a produção cultural de afrodescendentes nos diferentes países da Europa, através de uma dupla matriz: a experiência europeia num cotidiano marcado pela exclusão, e a africana nas realidades de proveniência dos sujeitos em trânsito, das respetivas famílias ou grupos. À luz dessas reflexões, lidas em conjunto com a tradição dos estudos da diáspora, e com as visões inovadoras em torno do conceito de afropolitanismo, o projeto propõe investigar a produção literária de autoria afro-portuguesa. Trata-se de um amplo conjunto de textos pouco explorados pela crítica, produzidos durante o século XXI por autorxs como Djaimilia Pereira de Almeida, Gisela Casimiro, Kalaf Epalanga e Ricardo Adolfo, entre outros, capazes de abalar as construções monolíticas da identidade nacional, ao mesmo tempo em que propõem outras visões da memória e da história do país. Tais escritas conjugam inovações estético-formais a demandas e urgências políticas que passam pela esfera dos direitos, da cidadania e da inclusão social. Nesse sentido, perante uma produção literária tão ampla e contundente, através da colaboração de um grupo internacional de pesquisadores, o projeto pretende desenvolver leituras críticas e chaves conceituais adequadas para pensar o debate contemporâneo sobre a experiência afropea, à luz das caraterísticas próprias do contexto português.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 08/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Roselena Silvestri Schuh

Ciências da Saúde

Farmácia
  • edição gênica da mucopolissacaridose ii para tratamento das manifestações articulares
  • A mucopolissacaridose tipo II (MPS II) é uma doença lisossômica multissistêmica causada pela deficiência da enzima iduronato-2-sulfatase (I2S), responsável pelo catabolismo de glicosaminoglicanos (GAG). Os tratamentos disponíveis não promovem a melhora de todos os sintomas relacionados à MPS II, então novos tratamentos são requeridos. A terapia gênica poderia corrigir o defeito genético e promover a produção da enzima I2S nas células modificadas. Sendo assim, espera-se tratar os sintomas articulares através da administração intra-articular de vetores lipídicos combinando um anti-inflamatório e os plasmídeos CRISPR/Cas9 e outro contendo o cDNA da enzima I2S para fins de edição gênica de camundongos MPS II. A justificativa principal deste estudo se baseia na possibilidade do tratamento levar à produção de I2S nas articulações, um tecido de difícil acesso e muito afetado nos pacientes, promovendo a redução dos sintomas inflamatórios da doença. O objetivo é avaliar o efeito da administração intra-articular de nanoemulsões contendo um anti-inflamatório e os plasmídeos CRISPR/Cas9 e vetor doador do gene I2S em camundongos MPS II in vitro e in vivo. Resultados preliminares do tratamento em camundongos MPS I mostraram aumento significativo da atividade da enzima IDUA nas articulações. Como as células articulares não se renovam, essa atividade pode ser mantida, podendo melhorar o estado da doença. Assim, desenvolveremos, produziremos e caracterizaremos formulações nanotecnológicas lipídicas como carreadores dos plasmídeos do sistema CRISPR/Cas9 e do doador da sequência da enzima I2S. Essas formulações também conterão um antiinflamatorio. Após, testaremos in vitro em células e in vivo em camundongos MPS II através de injeção intra-articular. Realizaremos atividade enzimática nas células cultivadas e nos principais órgãos e fluidos dos animais, além de análise histológica dos tecidos para verificar o estado geral das cartilagens para comprovar a eficácia do tratamento.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Roseli de Deus Lopes

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • 19a. feira brasileira de ciências e engenharia - febrace 2021
  • A Feira Brasileira de Ciências e Engenharia – FEBRACE (http://www.febrace.org.br/inspiradores) é um programa criado com o objetivo de induzir e servir de referência para outros programas, projetos e ações, em todo o país, voltados ao estímulo à cultura nacional e ao empreendedorismo em C&T&I na educação básica (fundamental e média) e técnica. Neste sentido, a equipe FEBRACE desenvolve ações ao longo de todo o ano, com uma maior intensidade e visibilidade durante a mostra anual de finalistas (em março, dentro do campus da capital da USP) e durante a participação de finalistas da FEBRACE na Internacional Science and Engineering Fair – ISEF (em maio, nos EUA, junto a finalistas de mais de 70 países). Além disso, a FEBRACE tem parceria com a I-SWEEEP - International Sustainable World, a Genius Olympiad, e com o Instituto Weisman para seleção de estudantes brasileiros para seus programas. A FEBRACE propicia a aproximação entre escolas, universidades e centros de pesquisa e induz a interação espontânea entre estudantes, professores, profissionais e cientistas, criando espaços de trocas de experiências, de novas oportunidades e de ampliação das fronteiras do conhecimento. Estas aproximações e interações acontecem durante a mostra presencial e ao longo de todo o ano, por meio de seus diversos recursos eletrônicos incluindo redes sociais, mediados pela equipe FEBRACE. Inserido no contexto de diversas ações de formação e disseminação voltadas à identificação, valorização e desenvolvimento de novos talentos, a FEBRACE realiza anualmente na USP no mês de março, desde 2003, um grande evento que reúne jovens talentos pré-universitários em Ciências e Engenharia e seus orientadores. Em março de 2021, a ação FEBRACE - Feira Brasileira de Ciências e Engenharia completará dezenove anos de estímulo à cultura científica, à inovação e ao empreendedorismo na educação básica e técnica brasileira, consolidando sua mostra de finalistas como a maior feira de ciências e engenharia do Brasil em abrangência territorial. As principais estatísticas da evolução dos 18 anos da FEBRACE são apresentadas no documento FEBRACE – Feira Brasileira de Ciências e Engenharia: Inspirando e Despertando Futuros Líderes, disponível em www.febrace.org.br/inspiradores. Nesta proposta destacamos uma síntese da difusão e do impacto da FEBRACE no Brasil: a) somente a 18ª edição da FEBRACE envolveu diretamente mais de 66.000 estudantes de 27 unidades da federação, que desenvolveram projetos investigativos e os submeteram diretamente ou através de uma das 123 feiras afiliadas. Foram selecionados para a mostra 334 projetos, apresentados por 761 estudantes finalistas acompanhados por 510 professores orientadores/coorientadores; b) em seus 18 anos de realização já participaram da FEBRACE mais de 1.180 munícipios brasileiros representados com projetos finalistas, e mais de 4.210 professores orientadores do ensino fundamental, médio e técnico; c) em 18 anos, foram credenciados 260 projetos para feiras internacionais, com destaque para a ISEF, onde os estudantes brasileiros conquistaram 80 prêmios extremamente importantes para o país; d) A FEBRACE, desde sua criação obteve mais de 6.600 inserções espontâneas na mídia (impressa, digital e televisiva). O local de realização da mostra de finalistas é fator determinante de sucesso para atingir os objetivos deste programa. Todas as edições da mostra anual de finalistas da FEBRACE, de 2003 a 2019, sempre foram sediadas no campus de São Paulo da Universidade de São Paulo (USP), uma das maiores e mais importantes Universidades do Brasil e do mundo. Realizar a mostra dentro do campus da capital da USP assegura a participação ativa de um maior número de avaliadores e visitantes altamente qualificados, o que por sua vez garantiu a rápida consolidação e disseminação da marca FEBRACE como de qualidade e credibilidade científica, que serve de referência para outras feiras e ações no país. Este selo de qualidade e credibilidade, segundo pesquisas realizadas junto aos participantes de anos anteriores, também é absolutamente fundamental para que os estudantes e professores finalistas de todo o país consigam captar recursos para sua participação na feira (viagens, translado e hospedagem), bem como tenham maior repercussão na mídia local quando são selecionados como finalistas (o que faz com que outros estudantes, professores, profissionais e pesquisadores passem a conhecer e se interessar pelo tema – efeito de indução desejado). As atividades da edição de 2020 também estavam previstas para ocorrerem em instalações da Universidade de São Paulo (USP), atividades presenciais que precisaram ser canceladas em virtude do início da quarentena no município de São Paulo para atender aos protocolos de prevenção contra o novo coronavírus. Deste modo, as atividades de 2020 foram migradas para a modalidade virtual, criando desafios e oportunidades, como a interação dos estudantes e professores com especialistas que não estariam presentes para as atividades realizadas localmente em São Paulo. Para garantir a segurança de todos o público participante (estudantes, professores, avaliadores voluntários, público visitante, colaboradores e da própria organização) as atividades da FEBRACE 2021 serão novamente integralmente realizadas online por meio virtual. Estudos e estratégias estão sendo aprofundados, no sentido de melhor impulsionar e apoiar ações contínuas, com o mesmo referencial de qualidade, em diferentes regiões do país. Hoje, há uma rede de 123 feiras, de diversas Unidades da Federação, afiliadas e acompanhadas pela FEBRACE. Observa-se uma implantação gradativa de feiras regionais, estaduais e municipais de estímulo à criatividade, inovação e empreendedorismo que se utilizam dos referenciais definidos e divulgados pela FEBRACE. Outro ponto que merece destaque é que este projeto envolve também o acompanhamento pela equipe da FEBRACE, à distância, da implementação e execução de projetos de bolsistas CNPq.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 30/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

Roseli de Deus Lopes

Outra

Divulgação Científica
  • 20a. feira brasileira de ciências e engenharia - febrace 2022
  • A Feira Brasileira de Ciências e Engenharia – FEBRACE é um programa criado com o objetivo de induzir e servir de referência para outros programas, projetos e ações, em todo o país, voltados ao estímulo à cultura nacional e ao empreendedorismo em C&T&I na educação básica (fundamental e média) e técnica. Neste sentido, a equipe FEBRACE desenvolve ações ao longo de todo o ano, com uma maior intensidade e visibilidade durante a mostra anual de finalistas (em março, dentro do campus da capital da USP) e durante a participação de finalistas da FEBRACE na Internacional Science and Engineering Fair – ISEF (em maio, nos EUA, junto a finalistas de mais de 70 países). Além disso, a FEBRACE tem parceria com a I-SWEEEP - International Sustainable World, a Genius Olympiad, e com o Instituto Weisman. A FEBRACE realiza anualmente na USP no mês de março, desde 2003, um grande evento que reúne jovens talentos pré-universitários em Ciências e Engenharia e seus orientadores. Em março de 2022, a ação FEBRACE completará vinte anos de estímulo à cultura científica, à inovação e ao empreendedorismo na educação básica e técnica brasileira, consolidando sua mostra de finalistas como a maior feira de ciências e engenharia do Brasil em abrangência territorial. As principais estatísticas da evolução dos 18 anos da FEBRACE são apresentadas no documento FEBRACE – Inspirando e Despertando Futuros Líderes, disponível em www.febrace.org.br/inspiradores. Diante do avanço do ritmo da vacinação da população para a Covid-19 pelo país durante o ano de 2021, a FEBRACE pretende iniciar os esforços de retorno a nova normalidade ao propor um modelo que denominaremos de “híbrido”, somado às atividades realizadas online análogas ao modelo adotado nos anos de 2020 e 2021, também pretendemos realizar atividades presenciais com uma parcela do público. Evidentemente, a viabilização destas atividades estarão sujeitas aos protocolos sanitários vigentes.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 15/12/2021-31/12/2023
Foto de perfil

Roseline Beatriz Strieder

Ciências Humanas

Educação
  • novo ensino médio: implicações e encaminhamentos para a construção de uma outra relação ciência-sociedade
  • O contexto atual, marcado por uma crise de confiança na ciência, tem demandado o estabelecimento de outra relação entre ciência e sociedade, pautada em perspectivas dialógicas, problematizadoras e participativas. Isso requer diferentes frentes de ações, dentre elas, a que se dedica o presente projeto, voltado à investigação de aportes teórico-metodológicos e epistemológicos que orientem a inserção de discussões sobre as relações ciência-sociedade no contexto do Novo Ensino Médio. Assim, este projeto objetiva delinear implicações e encaminhamentos relacionados à articulação ciência-sociedade e sua inserção no Novo Ensino Médio. Também, investigará a implementação de propostas curriculares de proposições teórico-práticas coerentes com as demandas atuais. Os referenciais que orientam essas ações estão vinculados aos campos da Educação e dos Estudos Sociais da Ciências e Tecnologia, defendendo leituras críticas da realidade, superação da cultura do silêncio e democratização da participação nas decisões em temas relacionados à Ciência e à Tecnologia. Destaca-se que os mesmos têm fundamentado pesquisas em Educação Científica, as quais indicam seu potencial para as abordagens e perspectivas requeridas. Ao mesmo tempo, essas pesquisas indicam a necessidade de aprofundamentos, em especial, no que diz respeito à sua inserção na Educação Básica, com destaque para o Novo Ensino Médio. Diante disso, do ponto de vista metodológico, esta investigação seguirá os moldes das abordagens qualitativas de pesquisa em Educação. Em concreto, abarcará (i) pesquisas bibliográficas, para aprofundar aspectos teórico-metodológicos e epistemológicos das perspectivas defendidas e sua aproximação ao contexto do Novo Ensino Médio, e, (ii) estudos de caso, buscando acompanhar professores de diferentes regiões do Brasil no desenvolvimento de propostas educativas.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 06/04/2022-30/04/2025
Foto de perfil

Rosely Aparecida Peralta

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • desenvolvimento de sistemas catalíticos metálicos inspirados na natureza para aplicações biomédicas
  • O tema global desta proposta é a aplicação de estratégias químicas para abordar questões importantes na medicina molecular e ciências da vida, como a geração de novas terapias utilizando proteínas ou novos fármacos no tratamento de doenças e na compreensão/expansão da funcionalidade de biomoléculas nativas. A partir da aplicação catalítica de sistemas exógenos, pretende-se realizar a modificação/ativação de moléculas biológicas ou sintéticas, em ambientes complexos, desde tampões biológicos à aplicação em células e in vivo, objetivando o entendimento do modo de ação e desenvolvimento de produtos biomédicos. O problema central desta proposta é o desenvolvimento de materiais catalíticos para realizar reações em sistemas biológicos sem interromper suas funções nativas e ainda ser eficiente em condições reacionais restritas de solvente, pH, temperatura e pressão. A obtenção de tais sistemas catalíticos permitirá que reações químicas sejam desenvolvidas para atuarem em alvos biológicos específicos e com toxicidade reduzida, um anseio da comunidade científica para o tratamento de doenças, como o câncer. A hipótese é que a utilização de complexos e nanopartículas de metais de transição (MT), com estruturas definidas, permitirá que reações exógenas sejam realizadas num ambiente biológico de forma quimiosseletiva, com alta eficiência catalítica e rendimento superior. Os MT possuem propriedades reacionais únicas, como: (i) interação de alta especificidade com grupos funcionais específicos, e (ii) alta capacidade catalítica, tanto para reações covalentes, quanto para reações redox, como exemplificam as publicações deste grupo. Para tanto, os complexos e nanopartículas de MT serão preparados a partir do uso de ligantes e (bio)polímeros racionalmente selecionados para interagirem com entidades químicas específicas, seja na modificação de proteínas a partir da inserção de grupos não naturais ou na ativação de pró-fármacos, geração de CO e espécies reativas de oxigênio.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 06/05/2022-31/05/2025
Foto de perfil

Rosely Maria Zancopé Oliveira

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • inovações moleculares na esporotricose: aplicações clínico-epidemiológicas, diagnósticas e na predição de resistência a fármacos aprovados e/ou em testes pré-clínicos
  • A esporotricose ganhou importância na última década devido à distribuição mundial e alta prevalência, principalmente no Brasil, sendo Sporothrix brasiliensis a espécie mais associada a esta micose em nosso meio. A correta identificação de espécie e a elucidação dos padrões de diversidade genética entre isolados são de grande relevância médica, permitirão melhor avaliação epidemiológica e influenciarão na escolha terapêutica desta micose, já que estudos demonstram diferenças no perfil de suscetibilidade a fármacos antifúngicos entre os isolados de S. brasiliensis. Em adição, a melhor compreensão da diversidade genética do fungo auxiliará no prognóstico da doença, uma vez que poderão elucidar diferenças na virulência desta espécie, e contribuir para o desenvolvimento de novas estratégias para diagnóstico, prevenção e tratamento da esporotricose. Métodos moleculares, entre os quais sequenciamento parcial de genes constitutivos e genômico completo, têm sido aplicados na taxonomia e filogenia de Sporothrix spp. Entretanto, ferramentas moleculares com alto poder discriminatório, reprodutíveis, que permitam a identificação das espécies de Sporothrix, o diagnóstico laboratorial, bem como a distinção de genótipos dentro de uma mesma espécie ainda não foram desenvolvidas. Nesta proposta pretendemos estudar os aspectos fenotípicos e genéticos de S. brasiliensis, e aplicar os conhecimentos adquiridos no desenvolvimento de testes para diagnóstico laboratorial mais rápidos, bem como no tratamento da esporotricose. Também estudaremos os aspectos relacionados à epidemiologia molecular da esporotricose zoonótica em regiões hiperendêmicas da doença, e os conhecimentos adquiridos possibilitarão a determinação de alguns parâmetros com mais acurácia, como a incidência e prevalência desta micose, a relação entre genótipos e quadros clínicos, bem como a identificação com base molecular de cepas mais virulentas e aparecimento de cepas resistentes aos antifúngicos em nosso meio.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 08/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Rosiel Camilo Sena

Outra

Divulgação Científica
  • xiii snct: bicentenário da independência: 200 anos de ciência, tecnologia e inovação na amazônia
  • A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) do Instituto Federal do Amazonas - IFAM/Campus Lábrea é uma ação coordenada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) que tem por objetivo aproximar a Ciência e a Tecnologia da população, por meio da realização de eventos sobre essa temática em especial com abrangência nos povos da floresta. Tal evento possui foco principal estudantes das diversas modalidades de ensino também a comunidade em geral. O tema da SNCT 2022 é: “Bicentenário da Independência: 200 anos de ciência, tecnologia e inovação no Brasil”, iremos enfatizar a nossa evolução da ciência no Brasil que foi construída desde o início, em 1500, mas é importante ressaltar os últimos 200 anos, como a nossa ciência contribuiu para a nossa vida. A ciência salva as pessoas. Quando a gente tem uma pandemia, a gente vê a importância dela. A ciência sempre esteve do nosso lado e sempre vai estar. A SNCT proporcionará a Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas – IFAM, uma oportunidade de realização de inúmeras atividades que abordem os 200 anos de ciência, tecnologia e inovação como ferramentas para o desenvolvimento dos povos da Amazônia, sendo uma oportunidade de promover a difusão do conhecimento científico e de tecnologias inovadoras focadas tanto na conservação da maior floresta tropical do mundo, quanto no desenvolvimento das comunidades ribeirinhas, à na inovação de produtos, processos e serviços, e na geração de oportunidade econômica para redução das desigualdades, transformação econômica e inclusão das camadas sociais mais vulneráveis da Amazônia. Diante disso, serão realizadas atividades que apontem possibilidades de inovação nos ambientes escolares do IFAM e das instituições colaboradoras, e do ensino público das redes Municipal e Estadual, além de atividades que dialoguem com as comunidades ribeirinhas, com os indígenas, com as lideranças femininas, microempreendedores e com outras comunidades mais distante.
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas - AM - Brasil
  • 12/09/2022-31/03/2023