Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ana Carolina Sousa de Almeida

Ciências Biológicas

Zoologia
  • caracterização morfológica e molecular das espécies de malacostegina (bryozoa, gymnolaemata) do brasil: uma abordagem integrativa
  • Briozoários são animais coloniais lofoforados predominantemente sésseis, encontrados em virtualmente todos os tipos de substratos e ambientes marinhos. Tratam-se de componentes comuns e importantes da comunidade incrustante e espécies exóticas são historicamente registradas em área portuárias e baías de todo o mundo. Destacam-se os representantes da subordem Malacostegina que, devido a ampla gama de substratos naturais e artificiais habitados e a larva planctotrófica dispersável em água de lastro, possuem reconhecido potencial bioinvasor. A identificação taxonômica, entretanto, é dificultada pela grande variação morfológica apresentada por espécimes de diferentes localidades. A integração das abordagens morfológica e molecular já foi sugerida, mas poucos esforços foram empregados. Considerando que a fauna de Malacostegina do Brasil inclui complexos de espécies, espécies exóticas e até invasoras, determinar a identidade genética, plasticidade morfológica, conectividade entre as diferentes populações e capacidade de dispersão desses táxons são essenciais para detecção de eventuais eventos de bioinvasão. Assim, este projeto tem como objetivo avaliar a diversidade de espécies de Malacostegina do Brasil, por meio de um estudo integrado. Para tal, será analisada a morfologia e morfometria, caracterização genética e da variação intra e interespecífica de 12 espécies. A conectividade das populações das espécies Biflustra arborescens (Canu & Bassler, 1928) e Biflustra tenuis (Desor, 1848) registradas em todo o Oceano Atlântico sobre suportes rígidos; Biflustra marcusi Vieira, Almeida & Winston, 2016 que ocorre em toda a costa do Brasil predominantemente sobre algas, mas ocasionalmente sobre suportes rígidos; e Jellyella tuberculata (Bosc, 1802), habitante de algas e considerada cosmopolita em águas tropicais e temperadas quentes, também será avaliada. Aparentemente, espécies encontradas sobre suportes flutuantes (como algas) possuem maior capacidade de dispersão e, assim, as populações de B. marcusi e J. tuberculata compreendem uma única espécie, enquanto os espécimes identificados como B. arborescens e B. tenuis representam várias espécies. Os estudos morfológicos e morfométricos serão realizados no Laboratório de Estudos de Bryozoa da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e na Plataforma de Microscopia, Subunidade de Microscopia Eletrônica da Fundação Oswaldo Cruz, Centro de Pesquisas Gonçalo Moniz (FIOCRUZ-BA). Os espécimes serão analisados inicialmente sob microscópio estereoscópio e posteriormente submetidos a microscopia eletrônica de varredura. O estudo molecular será realizado no Laboratório de Genômica Evolutiva e Ambiental da UFPE e na Plataforma de Genômica, Subunidade de Sequenciamento de DNA da FIOCRUZ-BA e da FIOCRUZ-PE (Fundação Oswaldo Cruz, Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães). Os marcadores escolhidos são segmentos dos genes mitocondriais COI (~1500pb) e RNAr 16S (~600pb), e nuclear DNAr 18S (~1700), amplamente utilizados em estudos com briozoários marinhos. Será feita comparação da variação genética dos fragmentos genômicos, inferência filogenética Bayesiana, estimativa da diversidade de haplótipos e nucleotídeos, análise da estrutura das populações com base na análise de variância molecular e delimitação de espécies com base da divergência do DNA barcode. Os principais resultados esperados são: (i) caracterização morfológica, morfométrica e molecular de briozoários Malacostegina do Brasil; (ii) reavaliação de caracteres morfológicos diagnósticos de Malacostegina; (iii) elucidação da identidade molecular das populações de B. arborescens, B. marcusi, B. tenuis e J. tuberculata ao longo do Atlântico Ocidental; (iv) avaliação da conectividade das populações estudadas. Num cenário mundial onde o conhecimento da biodiversidade e de sua perda está entre as metas estabelecidas pela Convenção sobre Diversidade Biológica, o projeto proposto está diretamente relacionado com políticas públicas globais de impacto ambiental. Dessa forma, elucidar a real identidade desses táxons representa o primeiro passo para entendimento da identidade e dos padrões de dispersão do grupo, fornecendo também subsídios para prevenção e eventual manejo de bioinvasores.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Carolina Thomaz Takakura

Ciências Biológicas

Fisiologia
  • remodelamento proteico na região do núcleo retrotrapezóide pode estar associado ao déficit respiratório observado em modelo experimental da doença de parkinson
  • A doença de Parkinson (DP) é uma desordem neurodegenerativa caracterizada clinicamente por tremor, rigidez, acinesia (ou bradicinesia) e instabilidade postural. O tremor tipicamente se inicia assimetricamente e está presente em repouso, geralmente envolvendo mãos, pernas, maxilar, lábios, afetando toda a face. Patofisiologicamente, a DP é classificada como uma sinucleinopatia associada predominantemente à perda de neurônios dopaminérgicos na substância negra, mas outros neurônios do tronco encefálico podem também estar degenerados na DP, contribuindo não só para as alterações motoras, mas também não motoras observadas nessa patologia. Em pacientes que apresentam a DP também é possível observar deficiências respiratórias cujos mecanismos ainda não estão muito bem esclarecidos. As diversas alterações respiratórias observadas na DP podem ser caracterizadas como 1. Obstrução das vias aéreas superiores, 2. Complicações resultantes da ingestão de medicamentos, 3. Complicações resultantes da retirada de medicamentos e 4. Pneumonia. Estudo prévio do nosso laboratório que utilizou um modelo de DP em ratos adultos demonstrou haver redução da frequência respiratória e ventilação a partir do 40° dia após a lesão e essa alteração permaneceu até o 60° dia. A partir do 60° dia, após a avaliação imuno-histoquímica, revelou-se redução no número de neurônios phox2b do núcleo retrotrapezóide (RTN), envolvidos no controle neural da respiração. O objetivo deste projeto é estudar se houve remodelamento protéico na região do RTN e se a ativação dos neurônios restantes nessa região é capaz de restaurar a respiração em um modelo experimental da DP. Para isso, serão realizadas as avaliações respiratórias funcionais por pletismografia de corpo inteiro, neuroanatômicas e bioquímicas por imuno-histoquímica e proteômica.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Clara da Fonseca Leitão Duran

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • avaliação do impacto de incentivos financeiros a gestantes beneficiárias do programa bolsa família na mortalidade infantil
  • Introdução: O programa de transferência condicionada de renda (PTCR) brasileiro Programa Bolsa Família mostrou ter impacto em diversos desfechos de saúde, incluindo doenças negligenciadas, acesso a serviços de saúde e mortalidade infantil. Intervenções focadas na demanda por serviços, entre elas os PTCR, tem sido utilizadas em diversos países para diminuir os custos para acesso aos serviços de saúde e estimular a adoção de comportamentos saudáveis, no entanto há escassez de estudos que avaliaram os efeitos de tais incentivos com amostra suficientemente grande e desenhos robustos e que procuraram entender os mecanismos pelos quais PTCR agem na mortalidade infantil. Objetivos: Avaliar o impacto do Benefício Variável à Gestante repassado às gestantes acompanhadas nas condicionalidades de saúde do Programa Bolsa Família na mortalidade infantil; e o efeito indireto do impacto do Benefício Variável a Gestante (BVG) nas gestantes acompanhadas nas condicionalidades de saúde do Programa Bolsa Família na mortalidade infantil mediado pelo número de consultas de pré-natal, nascimento pré-termo e baixo peso ao nascer. Métodos: Estudo retrospectivo com desenho quasi-experimental. Dados de cerca de 59 mil gestantes beneficiárias do Programa Bolsa Família identificadas pelo Sistema de Gestão do Programa Bolsa Família na Saúde entre Janeiro de 2010 e Dezembro de 2014 serão pareados empregando técnicas probabilísticas aos registros identificados de nascidos vivos do Sistema de Informações de Nascidos Vivos (SINASC) (N=1.118.492) e de óbitos de menores de 1 ano do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) (N=15.093) da Secretaria de Saúde do estado do Rio de Janeiro. Utilizaremos diferentes técnicas estatísticas para avaliar os efeitos diretos e indiretos (por meio do atendimento pré-natal, nascimento pré-termo e baixo peso ao nascer) do BVG recebido em compartida pelo cumprimento das condicionalidades de saúde do Programa Bolsa Família referentes às gestantes na mortalidade infantil. Rodaremos análises de sensibilidade para estimar se a cobertura da Estratégica de Saúde da Família no município modifica a associação entre a exposição e os desfechos intermediários e mortalidade infantil. Também, procuraremos avaliar se nossos achados são robustos criando grupos controles sintéticos. Primeiramente compararemos gestantes elegíveis a receber o BVG, mas, que por estarem em famílias que atingiram o limite de benefícios variáveis por família (5), não o recebem com gestantes que recebem o benefício. Depois, criaremos um grupo controle sintético com gestantes identificadas imediatamente antes e imediatamente após a data limite de identificação para recebimento do BVG no mês subsequente. Nossos achados podem informar o fortalecimento e refinamento do programa brasileiro de transferência condicionada de renda e programas e incentivos similares existentes em outros países tendo em vista o alcance de pelo menos quatro dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Claudia Campos

Ciências Agrárias

Agronomia
  • núcleo de agroecologia e produção orgânica do sertão sergipano - nea sertão
  • A proposta objetiva a criação do NEA SERTÃO como espaço de discussões, formação e propagação de tecnologias apropriadas à realidade semiárida sergipana, tendo como pressuposto as metodologias ativas. O NEA SERTÃO será uma importante oportunidade para formação de recursos humanos qualificados a partir de diversas iniciativas educativas como cursos, palestras, oficinas, visitas de intercâmbio entre outras, para atuação no semiárido nordestino, uma região que apresenta demandas específicas, devendo-se portanto, procurar soluções igualmente específicas. A participação ativa de entidades do setor público e das entidades de ATER fortalecem a proposta na perspectiva de sua inserção junto aos camponeses e demais setores da agricultura. As parcerias podem consolidar propostas para serem formuladas e apresentadas ao poder público de forma a garantir melhor adequação as características dos camponeses locais/regionais. Da mesma forma o acompanhamento e acesso aos programas sociais destinados ao agricultor familiar se efetuará de maneira mais eficiente, uma vez que as instituições estarão interagindo para sua execução. Não se pode omitir também a participação de setores organizados da sociedade civil, como os sindicatos, associações de criadores/produtores, empresas agroindustriais, escolas, entre outros, de forma que se estabeleça uma rede de relações institucionais compatíveis para o desenvolvimento sustentável do setor no semiárido.
  • Universidade Federal de Sergipe - SE - Brasil
  • 01/03/2018-31/10/2020
Foto de perfil

Ana Claudia dos Santos da Silva

Ciências Sociais Aplicadas

Museologia
  • museu goeldi na cidade e na floresta: expandindo as fronteiras do conhecimento científico na amazônia paraense.
  • O Museu Paraense Emílio Goeldi, unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações do Brasil, é a instituição, do seu gênero, mais antiga do norte do país, com 154 anos e a segunda mais antiga do Brasil. Este Museu é pioneiro em diversas áreas e tem ao longo dos anos se destacado no campo das Ciências Humanas e das Ciências Naturais. Sua missão é de realizar pesquisas, promover a inovação científica, formar recursos humanos, conservar acervos e comunicar conhecimentos nas áreas de ciências naturais e humanas relacionadas à Amazônia. Na atualidade desenvolve quase 200 projetos de pesquisa e é referência também na formação de capital humano especializado através de seus programas de pós-graduação com mais de três décadas de atuação na região. Suas pesquisas geram conhecimentos sobre padrões históricos, socioambientais, ecológicos e evolutivos que condicionaram a Amazônia de hoje, e que determinam sua dinâmica atual. Os estudos subsidiam o estabelecimento de políticas adequadas à proteção do patrimônio natural e sociocultural amazônico e à promoção do desenvolvimento sustentável. Objetivo desta proposta é apresentar atividades educativas de divulgação da Ciência produzida no Museu Paraense Emílio Goeldi, na Semana Nacional de Ciência & Tecnologia e Inovação de 2020, que em decorrência do atual cenário, frente a pandemia, serão exclusivamente em formato online.Terão como objeto a comunicação da ciência, por meio de ações educativas, oficinas especializadas, lives, passeios virtuais e disponibilização de materiais didáticos em formato digital, dialogando com o tema da SNCT 2020, “INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL: A NOVA FRONTEIRA DA CIÊNCIA BRASILEIRA”.
  • Museu Paraense Emílio Goeldi - PA - Brasil
  • 23/10/2020-30/04/2021