Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Sheila Araujo Teles

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • precisamos conhecer a saúde dos migrantes e refugiados no brasil: situação vacinal, hepatites virais, infecções sexualmente transmissíveis, uso de álcool e violências em uma metrópole da região centro-oeste
  • As restrições impostas pela Europa em aceitar migrantes estrangeiros e refugiados redirecionou o fluxo migratório para outros países como Brasil. Segundo dados do Comitê Nacional para Refugiados, aproximadamente 10 mil refugiados, de mais de 80 nacionalidades diferentes foram acolhidos pelo Brasil nos últimos 10 anos. Estudos mostram que, na população de migrantes estrangeiros e refugiados, as doenças infecciosas são responsáveis por taxas mais altas de mortalidade comparadas as doenças crônicas. Alguns fatores podem contribuir para este cenário como padrão epidemiológico das infecções e a cobertura vacinal no país de origem; o longo período de viagem até o país destino, muitas vezes em condições insalubre e de segurança precária; a superlotação dos campos de refugiados, que favorece a ocorrência de surtos de doenças gastrointestinais e respiratórias; a marginalização e vulnerabilidade que leva à situações de violência e à doenças relacionadas a pobreza. No Brasil, e em especial Goiás, não existem dados, tampouco estudos epidemiológicos abordando a prevalência de doenças infecciosas que acometem esta população de diversas origens. A proposta deste estudo é avaliar a situação de saúde, em especial a situação vacinal, uso abusivo de álcool, vulnerabilidade à violência, como também investigar a epidemiologia das infecções causadas pelos vírus das hepatites virais, sexualmente transmissíveis incluindo as causadas pelo HIV, herpesvirus, HPV e sífilis. Também, vacinar e avaliar a resposta vacinal em crianças e adultos suscetíveis ao vírus da hepatite B, e de crianças/adolescentes contra HPV. Espera-se com este projeto conhecer as condições de vida e de saúde relacionadas às IST neste grupo socialmente desfavorecido e assim contribuir para a construção e consolidação da “Política Nacional de Atenção à Saúde aos Imigrantes e Refugiados” e a Agenda para Desenvolvimento Sustentável 2030.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022