Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Walter Alexandre Carnielli

Ciências Humanas

Filosofia
  • inteligência artificial, lógica e humanidades
  • Na direção de uma sociedade rumo ao chamado paradigma 4.0, preparar e motivar estudantes para a era da Inteligência Artificial, sobretudo aqueles de classes menos favorecidas, deixou de ser apenas uma opção para tornar-se um dever da democracia digital. Tendo e vista que tecnologias como Big Data, Mineração de Dados, Manufatura Aditiva, Cyber-mundo, IoT e Ontologias estão sendo integradas ao cotidiano (de modo evidente ou por computação oblíqua), tal tarefa pedagógica envolve não somente educar os estudantes enquanto utilizadores destas ferramentas digitais mas também, e sobretudo, prepará-los como inovadores. A Inteligência Artificial é muito mais do que simples algoritmos - ela envolve um alto grau de criatividade, de raciocínios verbais e lógico-matemáticos, e de uma aproximação com a filosofia não somente por seus aspectos éticos mas também ligados à filosofia da ciência (incluindo as noções de evidência, verdade e causalidade). A programação na maioria dos dispositivos que compõem as tecnologias 4.0 se fundamenta em uma linguagem artificial e, portanto, formal. Computadores nasceram da Lógica: para se dialogar com uma máquina é necessário entender a base subjacente à sua programação, a saber, o raciocínio lógico (mesmo que de maneira informal, porém rigorosa). Por outro lado, para se compreender a constituição de um sistema lógico, desde a caracterização de seu alfabeto até a elaboração de sua sintaxe e semântica, é preciso entender previamente o mesmo processo na linguagem natural. Desta forma, a alfabetização digital requer o letramento em linguagem natural - aproximando conceitos lógico-matemáticos abstratos (inerentes às tecnologias que compõem a IA enquanto disciplina) com conceitos concretos definíveis em uma linguagem natural. Este projeto, através de diversas atividades, servirá como uma introdução à IA a partir de um ponto de vista da Lógica e das Ciências Humanas em geral, ressaltando a transversalidade do tema e importância das diversas áreas do conhecimento para o desenvolvimento tecnológico.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 22/10/2020-31/07/2021
Foto de perfil

Walter Alves Neves

Ciências Humanas

Arqueologia
  • morte e vida na lapa do santo: uma biografia arqueológica do povo de luzia
  • Ao término do Pleistoceno a fase exploratória do povoamento da América chegava a um fim e as inúmeras paisagens do continente já se encontravam habitadas por grupos humanos culturalmente diversos e a elas bem adaptados. De forma geral, esses grupos são caracterizados como caçadores-coletores, mas um conhecimento mais detalhado sobre seu modo de vida ainda está em construção. Contribuir para esse processo, através da escavação e do estudo do registro arqueológico do sítio Lapa do Santo, é o principal objetivo da presente projeto de pesquisa. A Lapa do Santo é um abrigo rochoso localizado na região de Lagoa Santa, em Minas Gerais, que começou a ser ocupado entre 12,7 e 11,7 mil anos atrás. O sítio apresenta um denso pacote arqueológico datado do Holoceno inicial que incluí dezenas de sepultamentos humanos. O estudo do material exumado será realizado com base nas mais modernas técnicas das ciências arqueológicas e estará estruturado em torno de cinco eixos temáticos: práticas mortuárias, ancestralidade, dieta, mobilidade/territorialidade e processos de formação. Dentre as questões que serão investigadas destaca-se: i) caracterizar as práticas mortuárias a partir dos sepultamentos mais antigos do sítio (10,7-9,6 mil anos atrás); ii) determinar, a partir do estudo do ADN antigo, se os grupos do Holoceno inicial eram ancestrais diretos dos atuais grupos indígenas; iii) re-avaliar as afinidades morfológicas dos crânios de Lagoa Santa utilizando-se morfometria geométrica de alta resolução; iv) gerar modelo cronológico com base em estatística bayesiana para a ocupação do sítio; iv) datação radiocarbônica de amostras de osso com parâmetros adequados de qualidade de colágeno; v) determinar os componentes vegetais da dieta através do estudo de microvestígios botânicos em cálculo dentário e do estudo de isótopos estáveis de carbono e nitrogênio em colágeno; vi) estudar os processos de formação do sítio através de micromorfologia, µFTIR e petrologia orgânica; vii) determinar a proveniência dos sedimentos através da caracterização geoquímica, granulométrica, mineralógica e de assembléia de minerais pesados; viii) usar isótopos de estrôncio para determinar padrão de mobilidade e ix) virtualizar o acervo através de tomografias computadorizadas. Para além de seu caráter estritamente científico, a presente proposta incluí um trabalho de divulgação e educação patrimonial junto às comunidades locais na região de Lagoa Santa.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2021
Foto de perfil

Walter dos Santos Soares Filho

Ciências Agrárias

Agronomia
  • desenvolvimento de variedades de citros, copas e porta-enxertos, adaptadas a condições de cultivo tropicais e subtropicais
  • A sustentabilidade da citricultura brasileira depende do desenvolvimento de variedades, copas e porta-enxertos, adaptadas a condições de cultivo que compreendem ambientes tropicais e subtropicais. Este projeto de pesquisa pretende introduzir, gerar e selecionar variedades copa híbridas, triploides, produtoras de frutos tipo tangerina para consumo in natura, caracterizados pela ausência de sementes, casca de fácil remoção, alto teor de sólidos solúveis, acidez equilibrada e coloração da polpa e da casca com tons alaranjados intensos. Pretende, também, criar porta-enxertos que atendam às demandas de uma citricultura moderna, orientada à melhor utilização da terra, à diminuição do emprego de mão de obra, à otimização do uso da água, ao aumento da eficiência produtiva e da qualidade dos frutos produzidos. Nesse sentido, espera-se que tais porta-enxertos determinem às variedades copa neles enxertadas: 1. Redução do porte, facilitando a colheita e os tratos culturais, também possibilitando o emprego de altas densidades de plantio, potencializando o uso da terra; 2. Início precoce de produção de frutos; 3. Elevada eficiência produtiva; 4. Produção de frutos de alta qualidade; 5. Adaptação ao convívio com estresses bióticos, com ênfase no huanglongbing (HLB ex-greening), na gomose-de-Phytophthora e na tristeza-dos-citros; 6. Adaptação ao convívio com estresses abióticos, com destaque para a tolerância à seca e à salinidade. Para tanto, serão empregadas técnicas clássicas de melhoramento genético, baseadas na hibridação, bem como procedimentos biotecnológicos. Além do melhoramento genético clássico, diversas áreas de conhecimento serão envolvidas, como cultura de tecidos, biologia molecular, fisiologia vegetal, entomologia, fitossanidade, fitotecnia, entre outras.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - DF - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2021
Foto de perfil

Walter Franklin Marques Correia

Ciências Sociais Aplicadas

Desenho Industrial
  • concepção e avaliação de artefatos com foco na segurança e usabilidade: da origem a norma
  • A crescente mudança de tecnologias, a demanda cada vez maior de produtos diferenciados para atender um consumidor cada dia mais exigente e uma aparente falta de interesse em resolver problemas que não sejam apenas de ordem trabalhistas. É neste cenário onde esta pesquisa finca seus alicerces. Isto se refere a acidentes causados a milhares de usuários de produtos de consumo devido, acima de tudo, a pouca atenção aos fatores de segurança e usabilidade durante o desenvolvimento destes. Desta forma o projeto tem como objetivo geral: a proposição de uma estrutura metodológica adequada voltada para sistemas de avaliação de artefatos de consumo, no âmbito da segurança e usabilidade desde sua concepção à sua utilização final.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Walter Jose Botta Filho

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • análise combinatória e termodinâmica computacional no desenvolvimento de ligas de alta entropia para armazenagem de hidrogênio
  • O aquecimento global e as mudanças climáticas devido à atividade humana têm resultado em recomendações de proteção ambiental e controle da poluição em praticamente todos os países desenvolvidos e em desenvolvimento. O hidrogênio é consensualmente reconhecido como um meio ideal de transporte, conversão e armazenagem de energia dentro do conceito de energia limpa. Um meio seguro de armazenagem de hidrogênio é no estado sólido, através de elementos metálicos formadores de hidretos, que devido a sua alta densidade volumétrica de armazenagem, estabilidade, segurança e facilidade de manuseio se tornam muito atrativos. Dentre os diversos sistemas metálicos que podem armazenar hidrogênio as ligas de alta entropia (LAE), definidas como ligas que possuem pelo menos cinco elementos majoritários e podendo formar soluções sólidas multicomponentes, podem, a princípio absorver uma quantidade de hidrogênio consideravelmente superior aos hidretos de metais convencionais (por ex., até 2,5 átomos de hidrogênio por átomo de metal). Este projeto tem como objetivo desenvolver composições de LAE com propriedades de armazenagem de hidrogênio ou propriedades eletroquímicas otimizadas. Para tanto serão utilizados métodos de análise combinatória e termodinâmica computacional para a escolha e produção de ligas de alta entropia com diferentes características (estrutura da solução sólida, sistemas monofásicos ou polifásicos, presença de fases intermetálicas, etc.) a serem testadas para armazenagem gasosa e eletroquímica de hidrogênio. A metodologia inclui métodos teóricos/computacionais (ThermoCalc, por exemplo) e métodos experimentais de produção de amostras que otimizem o mapeamento de composições em cada sistema de interesse. As técnicas difração de raios-X (DRX), microscopia eletrônica de varredura (MEV) e de transmissão (MET) serão utilizadas para caracterização estrutural e microestrutural e métodos volumétricos e eletroquímicos, combinados com diversas técnicas de análises térmicas serão realizados para avaliar as propriedades de armazenagem de hidrogênio das ligas estudadas.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Walter José Gomes

Ciências da Saúde

Medicina
  • avaliação dos resultados clínicos da substituição valvar aórtica comparando o implante de prótese sem sutura com a cirurgia com prótese convencional. estudo randomizado controlado
  • Objetivo: Avaliar e comparar os efeitos da cirurgia de substituição valvar aórtica entre o implante de prótese sem sutura versus o implante de prótese valvar convencional nos resultados clínicos e nos marcadores pró- e anti-inflamatórios. Desenho do Estudo: Estudo prospectivo, controlado, randomizado e multicêntrico. Método: Serão estudados prospectivamente pacientes portadores de estenose aórtica sintomática com doença coronária associada e randomizados em 2 grupos: Grupo convencional (n=24) – implante de prótese valvar convencional; Grupo sem sutura (n=24) – implante de prótese sem sutura. Os resultados clínicos serão avaliados pela incidência de eventos adversos graves: morte, deterioração estrutural, trombose, embolia, sangramento, endocardite, plaquetopenia, hemólise clinicamente significativa e disfunção não estrutural (incluindo vazamento periprotético e intraprotético), baixo débito cardíaco, sangramento, tempo de intubação orotraqueal, função renal, tempo de permanência na UTI e hospitalar no PO. Serão coletadas amostras sanguíneas periféricas no pré-operatório, ao final cirurgia (após fechamento da pele) e 12 horas de PO, procedendo-se à dosagem sérica de interleucinas (IL) 1, IL6, IL 8, IL10 e TNFα. A função pulmonar será realizada em todos os pacientes, com os valores da capacidade vital forçada e volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF1) avaliados beira-leito nos pré e pós-operatórios (1º 3° e 5° dias). A capacidade funcional será avaliada utilizando o teste de caminhada de 6 minutos no pré e pós-operatório. Todos os pacientes serão acompanhados até 6 meses com exame clínico, avaliação da classe funcional NYHA, ecocardiografia transtorácica e exames bioquímicos. Os eventos adversos serão divididos em complicações precoces (até 30 dias de pós-operatório) e tardias (após 30 dias). Todos os avaliadores serão cegos à randomização dos indivíduos.
  • Universidade Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Walter Luiz Carneiro de Mattos Pereira

Ciências Humanas

História
  • fazendeiros negreiros: traficantes e tráfico ilegal de africanos no rio de janeiro (18301 - 1850)
  • Nos limites atlânticos da província fluminense, a ilegalidade no tráfico de africanos aponta para a participação de figuras de declarada fortuna, proprietários de terras, trapiches, barracões e embarcações localizadas ao longo da costa, destinadas a desembarcar e receber africanos do comércio ilegal transatlântico. Destacam-se negociantes negreiros como os irmãos comendadores José e Joaquim de Souza Breves, no litoral sul fluminense; José Gonçalves da Silva, em Cabo Frio; os comendadores Joaquim Thomaz de Faria e André Gonçalves da Graça, no litoral norte fluminense, além de José Bernardino de Sá, atuante na Corte, na província e nos seus limites. Capturados pela ação repressiva decorrente da lei de 1850, combinada com a Lei de 1831, a historiografia pouco se dedicou sobre os negócios do tráfico dirigidos por esses homens, que se desvenda especialmente, a partir de registros policiais e processos judiciais que possibilitam revelar os caminhos da ilegalidade e de seus tratantes. Portanto, busca-se construir uma historia social do tráfico ilegal no Brasil Império, a partir da vinculação desses negociantes de escravos, agentes da reestruturação e da recomposição das redes do tráfico com a logística de desembarques clandestinos na costa atlântica fluminense.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Walter Santos de Araújo

Ciências Biológicas

Ecologia
  • efeitos antrópicos sobre a estrutura de redes inseto-planta em áreas de cerrado do norte de minas gerais
  • Diferentes fatores antrópicos podem influenciar na estrutura das redes de interações ecológicas formadas por plantas e insetos associados. Apesar dos crescentes avanços nos estudos de redes inseto-planta, nenhum estudo prévio avaliou se a degradação antrópica sobre os remanescentes de Cerrado influenciam na estrutura das redes inseto-planta. Nesse sentido, o objetivo dessa proposta de pesquisa é avaliar se o nível de antropização dos habitats (habitats naturais vs. antropizados) influencia na estrutura de redes inseto-planta em áreas de Cerrado do Norte de Minas Gerais. Para isso serão amostradas interações entre plantas e insetos em 12 áreas distintas de Cerrado, sendo seis áreas conservadas e seis áreas antropizadas. Desse total, metade das áreas já foi amostrada (sendo três áreas preservadas e três áreas antropizadas), o que aumenta a viabilidade do projeto. A partir dos dados coletados, será possível construir 36 redes inseto-planta (uma herbívoro-planta, uma polinizador-planta e uma formiga-planta para cada área), e estas serão caracterizadas usando os seguintes índices de estrutura de redes: conectância, modularidade e aninhamento. Desse modo, será testado se a estrutura das redes varia em função da estrutura e do nível de antropização da vegetação. O estudo contribuirá para a difusão do conhecimento acerca de redes de interações ecológicas do Cerrado e do Norte de Minas através da apresentação de trabalhos em eventos científicos e da publicação de artigos, bem como contribuirá para a formação de recursos humanos de qualidade através de monografias e dissertações de mestrado.
  • Universidade Estadual de Montes Claros - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Wandearley da Silva Dias

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • propriedades de transporte em sistemas nanométricos
  • O desenvolvimento tecnológico de dispositivos de estado sólido e opticoeletrônicos tem direcionado muitos esforços à redução de tamanhos, fazendo com que estes, muitas vezes, se encontrem em regimes de baixa dimensionalidade e que apresentem características peculiares, ausentes em escala macroscópica. Neste projeto proponho o estudo das propriedades de transporte em sistemas nanométricos de baixa dimensionalidade. Mais especificamente, estudarei a influência da desordem, interação entre partículas, campos elétricos e não-linearidade sobre estados estacionários e também sobre a dinâmica de partículas e/ou excitações coletivas. Além da ação individual, a presença simultânea de dois ou mais ingredientes é um dos focos da pesquisa, onde comportamentos competitivos são esperados. Através de técnicas analíticas e numéricas buscarei caracterizar os sistemas de interesse, bem como identificar a existência de novas fenomenologias. Tais técnicas tem sido utilizadas em estudos anteriores, que se mostraram eficazes na previsão de uma fenomenologia [PRB 76, 155124 (2007)] comprovada experimentalmente [Science 347, 1229 (2015); Nat Comms 4, 1555 (2013)]. Desta forma, além de contribuir com abrangência de conhecimento teórico, espero que tais estudos estimulem investigações experimentais. Tendo em mente a formação profissional de recursos humanos, destaco o grande envolvimento de alunos de iniciação científica e de pós-graduação nas temáticas supracitadas, tanto na investigação como na compilação adequada dos resultados, a fim de publicá-los em periódicos indexados internacionalmente.
  • Universidade Federal de Alagoas - AL - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Wandemberg Paiva Ferreira

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • estudo de sistemas coloidais anisotrópicos
  • Auto-organização é um princípio fundamental que gera organização estrutural em diferentes escalas, variando de moléculas à galáxias. Este fenômeno é definido como um processo no qual partes ou componentes desordenados de um sistema pré-existente formam padrões estruturais. Exemplos de auto-organização são: padrões climáticos, sistemas solares e histogênese. Diversos sistemas biológicos se utilizam da auto-organização na moldagem de várias moléculas e estruturas. A imitação dessas estratégias e a criação de novas moléculas com a habilidade de se auto-organizarem é uma técnica bastante relevante em nanotecnologia. Em fluidos complexos (colóides, polímeros, miscelas, emulsões, vírus, etc.) as interações são fracas em comparação com aquelas observadas em moléculas, de modo que as ligações são facilmente quebradas e reformadas, quando em um solvente, permitindo assim que o sistema se re-organize em diferentes formas, resultando na formação de muitos agregados. Avanços em técnicas experimentais permitem um alto controle no design (geometria e material constituinte) de partículas coloidais, resultando na possibilidade de diferentes funcionalidades para essas partículas. Diferentemente de partículas colóidais isotrópicas, partículas anisotrópicas (forma geométrica e/ou interação) geram um conjunto drasticamente maior de estados agregados e dinâmica própria, regidos basicamente pela anisotropia específica. Neste sentido, o aprofundamento no entendimento das propriedades estruturais e dinâmicas de sistemas coloidais anisotrópicos é relevante e promissor para se alcançar o controle necessário da forma e da interação entre blocos constituintes para a formação de materiais funcionais, que é um dos objetivos em nanotecnologia. Nossa proposta objetiva o entendimento de processos de auto-organização e dinâmica coletiva de: i) partículas coloidais dipolares ou multipolares (interação anisotrópica), cuja forma geométrica é isotrópica; ii) partículas coloidais dipolares ou multipolares com geometria anisotrópica.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022