Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Vera Lúcia Gil da Silva Lopes

Ciências da Saúde

Medicina
  • investigação etiológica em casos selecionados de fendas orais sindrômicas
  • A implantação de Bases de Dados é tendência mundial para reconhecimento epidemiológico e seu impacto – individual e coletivo – na prevenção, diagnóstico e tratamento. A Base Brasileira de Anomalias Craniofaciais (BBAC) coleta informações sociodemográficas, genéticas e realiza o seguimento clínico de anomalias craniofaciais, sendo que as fendas orais têm contribuição principal. Este projeto objetiva investigar etiologia de quadros sindrômicos incomuns que apresentam fendas orais como sinal cardinal por meio de Sequenciamento de Nova Geração (Next Generation Sequencing - NGS). Os casos foram selecionados a partir de um conjunto de 2000 indivíduos registrados na BBAC. Cada caso apresenta fenótipo único e esporádico, com suas histórias naturais detalhadas e exames prévios de análise cromossômica em microarranjos (Chromosomal Microarray Analysis - CMA) sem alterações patogênicas; as respectivas revisões de literatura não apontam para diagnóstico específico, sugerindo tratarem-se de novas condições clínicas. A partir de DNA total, será realizado sequenciamento de exoma do propósito, seguido de algoritmo de análise desenvolvido para anomalias craniofaciais pela Universidade de Nijmegen (Holanda), instituição que atuará em cooperação científica neste estudo. A confirmação laboratorial, assim como a investigação de genitores também está prevista. Como resultados científicos, além da formação de recursos humanos para interpretação de NGS com foco em anomalias craniofaciais, prevê-se caracterização clínica e etiológica de novos quadros sindrômicos com fendas orais e respectivas histórias naturais, facilitando o manejo clínico, e o reconhecimento da participação destas entre os quadros existentes na população brasileira. Estes serão parte de dados divulgados pela BBAC e pela Brazilian Initiative on Precision Medicine (BIPMed). Prevê-se, após a investigação laboratorial, a transmissão dos resultados às famílias.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vera Lúcia Jacob Chaves

Ciências Humanas

Educação
  • financeirização do ensino superior privado no brasil: novas estratégias de inserção do capital estrangeiro
  • Este projeto, com o título “Financeirização do ensino superior privado-mercantil no Brasil: novas estratégias de inserção do capital estrangeiro” dá continuidade a pesquisa que está sendo concluída sobre as implicações para a educação superior brasileira da nova estrutura do setor privado-mercantil no contexto da concentração de capital, de sua oligopolização e de financeirização do setor, com ampliação e aprofundamento dos dados, em função dos resultados alcançados e da identificação de outras formas de inserção do capital estrangeiro na educação superior brasileira. O objetivo central é o de investigar as implicações da inserção de empresas estrangeiras com fundos de capital aberto, como a Laureate Education e a Wyden Educacional (ex-DeVry), na desnacionalização educação superior brasileira. Pretende-se analisar a forma de inserção dessas empresas na educação superior do país, as fontes de financiamento utilizadas, a atuação na oferta de cursos de graduação a distância, o modelo de gestão adotado e as implicações para o trabalho docente. Metodologicamente far-se-á uso de dados quantitativos e qualitativos conforme cada etapa de desenvolvimento da pesquisa.
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vera Lúcia Nogueira

Ciências Humanas

Educação
  • o império das minas gerais: relações entre política, poder, educação e cultura na administração dos negócios da província (1834-1889)
  • Este Projeto tem como tema as políticas para a educação e instrução públicas na Província de Minas Gerais compreendidas a partir da relação estabelecida com a política do Governo imperial. O objetivo geral é analisar as relações que se estabeleceram entre a província de Minas Gerais e o Governo Central de modo a compreender os possíveis impactos da composição e da atuação do segundo escalão da burocracia imperial – a presidência – na administração dos negócios da Província, em especial, no âmbito das ações voltadas para a educação no período de 1834 a 1889. O estudo da província fundamenta-se nos estudos historiográficos que elegeram “o regional” como importante eixo teórico-metodológico na produção da pesquisa e no ensino de história da educação. O Projeto busca contribuir para o preenchimento das lacunas relativas às estratégias governamentais voltadas para a promoção da instrução pública primária na província de Minas Gerais, compreendida como parte integrante do processo de organização do próprio Estado Nacional, na qual repercutiam as consequências das vicissitudes dos interesses políticos e sociais das elites que estavam à frente da condução desse processo. Entende-se que a realização de pesquisas com distintos objetos e pesquisadores com diferentes formações organizados em torno de um interesse comum, poderá ampliar o conhecimento histórico sobre os processos educativos desenvolvidos em Minas Gerais no século XIX. As fontes principais são os ordenamentos jurídico normativos do Executivo e Legislativo, disponibilizados na Coleção Leis e Decretos Mineiros; os Anais da Assembleia Legislativa e do Senado Imperial e os principais jornais que circularam no país, no período. A partir dos referenciais teóricos da História Cultural e da História Política serão adotados a prosopografia e a análise do discurso político na interpretação e análise dos dados. Espera-se contribuir com a produção de conhecimento histórico educacional sobre o processo de escolarização no Império e sobre os desafios enfrentados pelo Governo na organização da escola pública brasileira. E também sistematizar e interrogar conceitos, argumentos e intencionalidades presentes em discursos e ações relativos à formulação e à condução das políticas que atribuíram à educação o lugar de instância mediadora dos processos de construção da sociedade imperial, na perspectiva da racionalização de manifestações culturais diversificadas, da instrução, civilização e da educação dos corpos.
  • Universidade do Estado de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2021
Foto de perfil

Vera Lúcia Pasini

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • residências multiprofissionais em saúde: onde estão os profissionais egressos e que dispositivos de cuidado em saúde mental estão produzindo?
  • No Brasil, as formações multiprofissionais em serviço (no formato de Residências em Saúde) já se constituem como uma possibilidade para diferentes profissões, além da Medicina, desde o final dos anos 70, especialmente no Rio Grande do Sul. Entretanto, somente após a constituição da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES), a implantação de Programas de Residência Multiprofissional em Saúde (RMS) é estimulada em âmbito nacional, como parte da Política de Educação Permanente em Saúde/EPS, visando à ampliação da formação para todas as profissões da saúde. Os Programas de RMS propõem-se a formação de trabalhadores da saúde preparados para o compartilhamento de saberes e fazeres em diferentes espaços de cuidado em saúde, através do desenvolvimento de ações integradas com outros profissionais e capazes de articular atenção em saúde e gestão do cuidado e de serviços de saúde. Além disso, espera-se dos egressos, que estejam atentos ao cotidiano dos territórios nos quais estejam inseridos, podendo problematizá-lo e produzir conhecimentos e ações de promoção que modifiquem as condições de vida e de saúde em um determinado contexto, conforme preconizam os princípios que regem o atual sistema de saúde brasileiro. Passados cerca de 12 anos desde o início do processo de maior fomento a criação de novos Programas de Residência Multiprofissional por parte dos Ministérios da Saúde e Educação brasileiros, e tendo em vista o incremento financeiro previsto para os próximos anos, entendemos ser de fundamental relevância buscar conhecer se e como estes profissionais estão se inserindo no mundo do trabalho em saúde. Analisar os efeitos produzidos pelo processo de formação nas RMS para a qualificação dos trabalhadores do SUS (Sistema Único de Saúde), é fundamental para o avanço nos esforços promovidos pelos Ministérios da Saúde e da Educação, bem como das instituições formadoras, para a consolidação de Políticas de fomento às propostas de formação que fundamentem-se na educação em serviço. Orientadas pelo trabalho em equipe na perspectiva interprofissional, é de especial interesse desse projeto: conhecer onde estão se inserindo os profissionais egressos de programas que tem como cenários de formação a Atenção Básica e a Saúde Mental e a produção de dispositivos de cuidados em saúde mental que possam estar sendo agenciados por eles. Esta análise pode fornecer elementos para a gestão, formulação e implementação dos programas, permitindo a compreensão de como estão se constituindo as relações de/com o trabalho (com as equipes, usuários e gestores) a partir das relações e ações que os egressos estabelecem após concluírem um Programa de RMS. Assim, o problema de pesquisa deste projeto remete as seguintes questões: que possíveis efeitos, nos modos como os profissionais se inserem nos equipamentos de saúde, tem se produzido após uma formação em RMS? Tem se produzido mudanças no sentido de seu olhar e na abordagem dos processos de adoecimento, da implicação com o projeto da atenção integral dos indivíduos e coletivos, do exercício do trabalho em equipe, da articulação entre atenção, gestão, educação e controle social, como preconiza a atual Política Nacional de Formação em Saúde? Em suma: quais os efeitos sobre as ações de cuidado em saúde mental podem ser visibilizados a partir da inserção de egressos de RMS em estabelecimentos de saúde? Este projeto pretende discutir a questão da formação de trabalhadores de saúde na perspectiva da saúde coletiva, mais especialmente daqueles egressos de Programas de Residência Multiprofissional e em Área Profissional da saúde, buscando integrar as dimensões da pesquisa, do ensino e da extensão. Para tanto, a metodologia inclui as ações da pesquisa propriamente dita, com a produção teórica baseada no estudo empírico a ser realizado junto aos egressos dos Programas de Residência e gestores locais de serviços de saúde; ações de ensino, na medida em que se pretende articular a temática da pesquisa ao processo de formação dos acadêmicos do Curso de Psicologia, na disciplina Psicologia e Saúde Coletiva; ações de extensão, na proposição de que os alunos acompanhem os processos de gestão dos programas de Residência estudados (preferencialmente aqueles desenvolvidos em Porto Alegre e região Metropolitana). Esta é uma pesquisa exploratório/descritiva, na qual será utilizada metodologia mista, com levantamento e análise de elementos quantitativos e elementos qualitativos e será desenvolvida através de quatro procedimentos metodológicos. São eles: formulário com questões relacionadas aos objetivos da pesquisa, a ser respondido via e-mail ou carta pelos residentes egressos de programas de RMS que concluíram seus processos de formação no período compreendido entre 2005 e 2014; entrevista com gestores de serviços de saúde nos quais os residentes egressos estão inseridos; observação participante da rotina de trabalho de egressos das RMS, acompanhando um turno de seu trabalho, se possível acompanhando todas as atividades realizadas naquele período (atendimento individual de usuários, atendimento no leito, realização de exames ou procedimentos terapêuticos ou diagnósticos, realização de atividades de promoção de saúde, Visitas Domiciliares, Reuniões entre os componentes da equipe, reunião com gestores, entre outras); grupos de discussão com os profissionais egressos de programas de Residência Multiprofissional. A análise dos elementos emergentes contará com uma análise descritiva dos elementos quantitativos contidos no primeiro instrumento e análise de núcleos argumentais dos discursos emergentes das entrevistas e grupos de discussão realizados com residentes e gestores.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 01/06/2017-30/06/2021
Foto de perfil

Vera Lucia Silveira Botta Ferrante

Ciências Humanas

Sociologia
  • construindo elos entre agroecologia e comunidades rurais: desafios da relação entre ensino, pesquisa e extensão
  • A presente solicitação visa dar continuidade às ações do NUPEDOR voltadas à problemática da agricultura familiar e de assentamentos rurais, e às diferenciadas e integradas pesquisas realizadas na região central do Estado de São Paulo. A proposta é integrar ações entre ensino, pesquisa e extensão, levando-se em conta a trajetória acadêmica sobre assentamentos rurais. A metodologia toma como parâmetros princípios da pesquisa-ação com a realização de diagnósticos participativos, dias de campo, capacitações, desenvolvimento tecnológico e experimentações em áreas demonstrativas, a reforçar a continuidade proposta de diálogo e interação com as comunidades investigadas. Os principais resultados esperados são a manutenção e o fortalecimento de grupos produtivos comprometidos com os princípios da produção e da comercialização de base ecológica. Preconiza-se também formar uma rede de consumidores interessados nesses produtos, como a formalização de Comunidade que Sustenta a Agricultura (CSA), bem como avançar na sistematização e efetivação de cadeias alternativas de comercialização voltadas à segurança alimentar e nutricional. Como potencial de impacto dos resultados no âmbito técnico-científico, ambiental, socioeconômico, da inovação e difusão, tem-se: manutenção de áreas experimentais, validação de práticas produtivas, consolidação de parcerias com outros cursos da Universidade, aprofundamento de estudos das diferentes frentes de trabalho, articulação com projetos de outras instituições; resultados positivos no campo das políticas públicas existentes (de produção, comercialização e distribuição de alimentos; de inspeção municipal e educação do campo); intercâmbio de práticas produtivas; orientação alimentar e melhorias das condições de saúde no meio rural; fortalecimento e estímulo ao desenvolvimento associativo e cooperativo; e promover a implantação de práticas produtivas de caráter conservacionista dos solos e melhoria da qualidade da água.
  • Universidade de Araraquara - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vera Maria dos Santos

Ciências Humanas

Educação
  • a ordem civilizatória portuguesa: capitania de sergipe del rey – xviii ao xix
  • Sob a atmosfera da circulação do saber e da civilização, esse projeto se propõe é compreender os modelos de instrução elementar que vigoraram na Capitania de Sergipe Del Rey, do século XVIII ao XIX, A hipótese que norteia essa pesquisa é a de que essa Capitania não teve um número tão reduzido de pessoas que tiveram acesso ao saber ou à instrução ou às primeiras aprendizagens, como afirma a historiografia sergipana. O saber circulou na Capitania de Sergipe Del Rey, através dos projetos de colonização/instrução impostos pelo reino português. Para desenvolver esse objetivo inicialmente é preciso buscar as fontes que são as bibliográficas, ou seja, a própria historiografia sergipana e os diversos documentos como inventários, testamentos, livros de testamentos, livros de notas, entre outros que estão no Arquivo Público Estadual e Arquivo Judiciário de Sergipe, Arquivo Público do Estado da Bahia, Arquivo Nacional, Arquivo Ultramarino em Portugal. Depois de feito esse levantamento, se faz necessário catalogar as fontes existentes sobre o período, que evidenciem a colonização/instrução elementar dos habitantes da Capitania de Sergipe Del Rey. É preciso também, fazer a transcrição e análise dos documentos. Para recompor essa história utiliza-se o método indiciário de Carlo Ginzburg (1989a), que examinou um conjunto, denominado por ele de modelo conjuntural para a construção do conhecimento. Esse autor sustenta a ideia de utilização de pistas obscuras de um modo especulativo para construir um modelo epistemológico calcado em nossa herança cultural. O debate teórico desenvolve-se a partir do diálogo com os autores: Brugger (2007), Faria (2008), Silva (1998), Fonseca (2009), Andrade (1982), Moreira (2008), Oliveira (2007), Silva (2012). Dois conceitos embasam essa discussão: instrução elementar (Santos, 2011) e o de civilização de Norbert Elias (1990) e de Starobinski (2001). Sob o aporte teórico da Nova História Cultural esta pesquisa vai desembaraçando o emaranhado de fios que formam a malha textual dos diálogos de uma época dentro dos quais o vivido se articula, deixando desse modo, aflorar o palpitar das relações humanas.
  • Universidade Tiradentes - SE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vera Maria Ribeiro Nogueira

Ciências Sociais Aplicadas

Serviço Social
  • cooperação transfronteiriça e cidadania social: ampliação, impasses e limites
  • Esta proposta de investigação tem como foco apreender como se processa a ação dos sujeitos políticos públicos locais – gestores e profissionais - em relação a cooperação transfronteiriça, considerada um dos elementos decisivos para garantir a cidadania social em relação à proteção integral a saúde e a assistência social da população residente na área da fronteira. Esta cooperação, para além do plano discursivo e legal, se concretiza na inclusão dos cidadãos transfronteiriços que demandam ações e serviços em municípios que não o de sua residência. Esta inclusão, prevista nos acordos assinados pelos países integrantes do MERCOSUL e internalizados na ordem jurídica dos Estados parte, não vem sendo obtida nas fronteiras do bloco, com raras experiências exitosas. Desta afirmativa decorre a indagação inicial que motivou este estudo - se existe a garantia de acesso no plano legal/jurídico, porque tal não ocorre? Não se desconhece que a cooperação transfronteiriça sofre o impacto de vários fatores, tais como as distinções entre os países quanto à forma orgânica do aparato estatal subnacional, os níveis de complexidade diferenciados dos sistemas de proteção social e saúde, a relação do nível local com o nacional e o protagonismo dos gestores e profissionais. Entretanto, resultados de estudos anteriores apontam a relevância inconteste dos sujeitos políticos do nível local para o êxito ou fracasso ou fracasso das políticas públicas para inclusão dos não nacionais. Paradoxalmente há um completo desconhecimento sobre a ação destes agentes públicos nos aspectos éticos, políticos, profissionais e também sobre quais as mediações, as ações realizadas e os determinantes éticos e políticos que os orientam no sentido de realizar ou não ações encaminhando a cooperação entre os sistemas de saúde e assistência social. Como não foram identificados estudos nesta perspectiva definiu-se como objetivo geral apreender como se processa a mediação dos sujeitos políticos locais na produção de políticas públicas de saúde e assistência social propiciará reconhecer os avanços, impasses e limites para a cooperação transfronteiriça na linha de fronteira dos países do MERCOSUL. Os objetivos específicos principais preveem: identificar como ocorre a apropriação dos dispositivos nacionais e normativas do MERCOSUL relacionadas à demanda estrangeira; conhecer as competências e estratégias utilizadas pelos gestores e profissionais na ação transfronteiriça; apreender como mediações realizadas expressam uma determinada concepção de cidadania social; avaliar em que medida a complexidade dos sistemas de saúde e assistência social disponíveis interfere na cooperação transfronteiriça; resgatar as experiências exitosas de cooperação transfronteiriça assinalando os seus fatores determinantes. As metas, a serem alcançadas dos dois lados da fronteira, compreendem a descrição da organização institucional dos sistemas locais de saúde e assistência social e os serviços prestados, a atualização da legislação transfronteiriça (legislação nacional, acordos e pactos entre os países e as decisões do MERCOSUL) no campo da saúde e assistência social, o estabelecimento do perfil profissional e as vinculações éticas e políticas dos agentes estatais, a reconstrução da dinâmica processual da ação dos agentes locais na implementação das políticas de saúde e assistência social favorecendo ou não a construção da dimensão social da cidadania. Os dados necessários para a análise pretendida serão obtidos através de pesquisa documental e entrevistas em profundidade. As legislações, regulamentações jurídico-administrativas, os serviços e ações prestados nas duas dimensões e os acordos e pactos bilaterais e trilaterais, as decisões do MERCOSUL sobre fronteiras serão resgatadas através do estudo documental. A centralidade a orientar a pesquisa documental serão os conceitos, conteúdo e discursos nos documentos pesquisados. As entrevistas em profundidade favorecem o resgate dos aspectos políticos, éticos, ação concreta e técnicos relativos à gestão em espaços fronteiriços. Fornecem igualmente informações contextuais significativas para alcance dos objetivos propostos. Serão entrevistados os gestores e os profissionais do setor saúde e assistência social que ocupam funções classicamente relacionadas à gestão, como supervisão, controle, coordenação e planejamento e provisão e prestação de serviços (atenção básica, média e alta complexidade da assistência e saúde). Estão previstas preliminarmente seis entrevistas com gestores de saúde, seis entrevistas com profissionais da saúde, seis entrevistas com gestores da assistência social e seis entrevistas com os profissionais da assistência social. O campo empírico serão seis pares de cidades gêmeas localizadas na linha de fronteira entre os quatro países do MERCOSUL- abrangendo 1.631.331 habitantes. A análise das informações coletadas será fundamentada, inicialmente, nas referências teóricas sobre poder local, paradiplomacia, descentralização, implementação e cooperação transfronteiriça. A proposta tem como eixo ético-político a noção que o acesso aos bens e serviços através de políticas públicas é um direito de cidadania e não de necessidade, e deve incorporar valores justos e universais materializados através de práticas profissionais e institucionais que espelhem estes valores. Destaca-se, no âmbito do Serviço Social, a funcionalidade desempenhada pelos assistentes social na medida em que são, via de regra, os que recebem em primeira mão as demandas da população dos outros países. Os resultados obtidos poderão subsidiar as instituições de fomento do bloco regional e os ministérios nacionais para instituírem propostas mais efetivas para superação dos impasses e dos limites e, ainda, o conhecimento de experiências exitosas poderá alterar os processos de mediação e ações profissionais e incentivar a realização de ações similares. A inexistência de estudos similares marca o ineditismo desta proposta.
  • Universidade Católica de Pelotas - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vera Maria Vidal Peroni

Ciências Humanas

Educação
  • implicações da relação público-privada para a democratização da educação na américa latina: argentina, bolívia, brasil, chile, uruguai e venezuela
  • Este projeto de pesquisa visa a analisar implicações das relações entre o público e o privado para a democratização da educação em países latino-americanos: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Uruguai e Venezuela. A escolha dos países integrantes da pesquisa é relacionada aos pesquisadores que participam de grupos com os quais já estabelecemos diálogos anteriores, realizando estudos coletivamente ao longo dos últimos dez anos e que temos contato permanente. Com esta pesquisa pretendemos organizar, analisar e aprofundar esta interlocução de forma sistemática, produzindo e divulgando estudos sobre a realidade educacional. A pesquisa será realizada pelo “Grupo de pesquisa relações público-privado na educação” (GPRPPE) vinculado ao PPGEDU-UFRGS, coordenado pela professora Drª Vera Maria Vidal Peroni e composto por bolsistas de iniciação científica, mestrandos, doutorandos e pesquisadores que já concluíram o doutorado e permanecem no grupo, assim como duas pesquisadoras de pós-doutorado e colegas professoras da UFRGS. Este coletivo será dividido em dois subgrupos, sendo que um vai estudar os principais programas e parcerias que envolvem a educação básica em suas etapas e modalidades no Brasil: educação infantil, ensino fundamental, ensino médio e educação profissional, além de temas como a Base Nacional Comum Curricular/BNCC, influências na direção da política educacional por instituições como Fundação Lemann, Instituto Unibanco, Instituto Ayrton Senna e movimentos como Escola sem Partido e Todos pela Educação. E outro que estudará os países envolvidos neste projeto universal, além da Rede de Empresários Latino americanos (Reduca) e, também, sujeitos individuais e coletivos (THOMPSON, 1981) que influenciam na direção das políticas educativas na região como o PREAL, Mercosul educativo, Unesco, as Cúpulas das Américas, entre outros. Os sujeitos serão mapeados utilizando a metodologia de análise de redes, que permite a organização e visualização de dados, de modo a evidenciar as interligações entre os sujeitos, as suas conexões entre indivíduos e organizações, permitindo uma análise das informações destacadas. Interessa-nos estudar o complexo e diversificado contexto latino-americano, pois os países, a par de suas singularidades, desde os anos 1980 tiveram processos políticos semelhantes, marcados por abertura política, com participação popular e organização da sociedade na luta por direitos democráticos. Com o agravamento da crise econômica internacional e vivendo democracias ainda frágeis, houve na América Latina uma forte interferência dos organismos internacionais, como United Nations Children's Fund/UNICEF e United Nation Educational, Scientific and Cultural Organization/UNESCO, Banco Mundial/BM, Fundo Monetário Internacional/FMI e outros na condução das políticas educacionais. Algumas questões nos mobilizam em busca de respostas: Quem são os sujeitos que protagonizam as reformas? Qual o conteúdo das propostas? A pesquisa terá enfoque qualitativo e quantitativo. As técnicas com as quais vamos trabalhar na coleta de dados são: pesquisa documental e bibliográfica. Em relação à pesquisa documental, propomos a análise de documentos tais como leis, documentos oficiais, relatórios, sites oficiais dos governos dos países envolvidos, relatórios educacionais, todos os documentos que permitirão compreender objetivamente o objeto de análise. Compreender tais documentos, evidenciar as suas contradições, buscar as principais ideias e conceitos servirá como elemento para examinar a realidade, apropriar-se do movimento do real, pois eles expressam uma concepção de mundo, de sociedade, de educação. Devido às características da pesquisa nos propomos trabalhar na perspectiva comparada, ou seja, utilizar a comparação como complementação metodológica que proporcione sentido aos levantamentos de dados e as análises que serão realizadas. A perspectiva teórico-metodológica que embasa a pesquisa é a de que a relação entre o público e o privado na política educacional é parte constitutiva das mudanças sociais e econômicas em um processo de relação (THOMPSON, 1981, 2006), em que Estado e sociedade civil são partes constitutivas do movimento de correlação de forças (GRAMSCI,1989) de sujeitos (THOMPSON, 1981) situados em um contexto histórico e geográfico (HARVEY, 2008), perpassados por projetos societários distintos. Nesse sentido, entendemos que não se trata de uma contraposição entre Estado e sociedade civil, pois vivemos em uma sociedade de classes em que ambos são construídos por sujeitos individuais e coletivos, em um processo histórico de correlação de forças e influenciados por interesses de cunho mercantil. Portanto, o foco da análise é a privatização do público, na lógica mercantil, com implicações para a democratização da educação.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vera Maria Vieira Paniz

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • desenvolvimento e aplicação de critérios explicitos adaptados à realidade brasileira na avaliação do uso de medicamentos potencialmente inapropriados para idosos
  • INTRODUÇÃO: O uso de medicamentos inapropriados para a idade pode comprometer a efetividade e/ou a segurança da farmacoterapia e têm se destacado como importante desafio para saúde pública, visto que está associado a elevados índices de morbidade e mortalidade. Os idosos são a parcela da população mais exposta a estes efeitos, uma vez que apresentam alterações farmacocinéticas e farmacodinâmicas relacionadas ao envelhecimento, frequentemente são portadores de múltiplas doenças crônico - degenerativas, e utilizam maior número de medicamentos que os demais grupos etários. Estimativas internacionais demonstram que aproximadamente 30% das hospitalizações de idosos são decorrentes de problemas relacionados ao uso de medicamentos (PRMs), incluindo reações adversas causadas pelo uso de medicamentos inapropriados para a idade. Conceitualmente, medicamentos potencialmente inapropriados (MPIs) para idosos são aqueles que devem ser evitados neste grupo etário, seja por falta de evidências acerca da eficácia terapêutica, pelo risco aumentado de eventos adversos que supera os benefícios, quando existe uma alternativa terapêutica mais segura ou quando o uso do medicamento pode agravar doenças preexistentes do idoso. Nessa perspectiva, vários pesquisadores da América do Norte e Europa desenvolveram métodos e instrumentos com o objetivo de auxiliar na identificação de padrões inadequados de prescrição para idosos. No Brasil, alguns estudos têm investigado o uso de MPIs nesse grupo populacional utilizando listas elaboradas em outros países e as prevalências encontradas variam de 28,0% a 82,6%. No entanto, a ausência de uma adequação dessas listas à realidade brasileira é uma lacuna importante para o entendimentos da magnitude desse problema e já vem sendo apontada em estudos farmacoepidemiológicos nacionais. OBJETIVOS: Estabelecer critérios explícitos para a identificação de medicamentos potencialmente inapropriados (MPIs) prescritos aos idosos no Brasil, e avaliar a prevalência e os fatores associados com o uso de MPIs entre idosos atendidos na atenção primária do município de Novo Hamburgo, RS de acordo com a lista de critérios desenvolvidos. MÉTODOS: O projeto englobará três etapas complementares: 1- revisão sistemática da literatura sobre estudos que validam critérios explícitos para a avaliação do uso de medicamentos potencialmente inapropriados (MPI) em idosos; 2- validação por consenso de critérios explícitos para a avaliação do uso de MPIs, selecionados à luz da realidade brasileira; 3- estudo transversal para avaliar, por meio dos critérios explícitos validados, a prevalência de uso de MPI e fatores associados em amostra de idosos usuários de três Unidades Básicas de Saúde (UBS) de um município no sul do Brasil. A busca de artigos para o estudo de revisão sistemática será realizada nas bases de dados Pubmed, LILACS, Medline e EBSCOhost (1991-2015). Serão incluídos artigos originais que apresentarem o desenvolvimento de critérios explicítos para avaliação do uso de MPI em idosos de 65 anos ou mais. Serão excluídos os artigos que incluírem apenas critérios implícitos, avaliarem determinados medicamentos ou determinada doença. Com base nessa etapa, será elaborada a lista preliminar de critérios explícitos para avaliar o uso de MPI em idosos, adequados à realidade brasileira. A validação dessa lista será realizada por meio da opinião de especialistas brasileiros, utilizando o método Delphi. Após três rodadas, será obtido o consenso sobre a lista de MPIs. Por fim, esta lista será utilizada em um estudo transversal com idosos de 65 anos ou mais, usuários da atenção primária do múnicipio de Novo Hamburgo, RS, com o objetivo de avaliar a prevalência e os fatores associados ao uso de MPIs a luz da realidade brasileira. RELEVÂNCIA: Até o presente momento, não foram encontrados na literatura critérios explícitos de avaliação da farmacoterapia em idosos que considerem os medicamentos disponíveis no país com base na opinião de especialistas brasileiros. O estudo possibilitará determinar um melhor panorama do uso de MPIs no Brasil, e irá contribuir para o desenvolvimento de estratégias e intervenções mais eficazes para a redução de problemas relacionadas ao uso de medicamentos em idosos no país.
  • Universidade do Vale do Rio dos Sinos - RS - Brasil
  • 01/06/2017-31/07/2021
Foto de perfil

Vera Regina Röhnelt Ramires

Ciências Humanas

Psicologia
  • fatores comuns e fatores específicos no processo da psicoterapia psicodinâmica de crianças
  • Este estudo focalizará fatores específicos e fatores inespecíficos no processo da psicoterapia psicodinâmica de crianças. Fatores comuns ou inespecíficos se referem a aqueles ingredientes ativos que não são associados com apenas uma abordagem terapêutica, mas encontram-se presentes em todas elas. Já os fatores específicos relacionam-se aos aspectos peculiares de cada abordagem, tais como a técnica, as intervenções do terapeuta. A literatura científica reconhece a necessidade de estudos de processo e resultados que contemplem as complexidades do processo terapêutico psicanalítico. Isso implica superar a ênfase nas mudanças sintomáticas, a dependência de modelos de mudanças lineares acerca da relação processo-resultado, e a crença de que diferentes fatores que explicam o resultado terapêutico interagem de modo linear e cumulativo. Partindo da premissa de que o processo terapêutico não é um processo linear e cumulativo, e da importância de reconhecer o papel que diferentes elementos podem assumir no seu transcurso, este estudo buscará analisar e compreender como tais elementos atuaram em quatro psicoterapias psicodinâmicas de crianças em idade escolar, que foram realizadas em settings naturalísticos e no seu conjunto somaram 409 sessões registradas em videotape. Além de identificar e analisar a aliança terapêutica estabelecida em cada tratamento, a abordagem ou não da função reflexiva no processo, as técnicas e intervenções utilizadas pelas terapeutas e o papel do brinquedo em cada psicoterapia, buscar-se-á identificar a relação desses elementos entre si e com os resultados das psicoterapias. Será realizado um estudo de delineamento misto, longitudinal, com uso de medidas repetidas e baseado no procedimento de Estudo de Casos Sistemáticos. A análise dos dados será baseada em Correlações de Pearson, Análise Discriminante e Equações Estruturais para verificar as diferentes associações entre as variáveis analisadas. Análises qualitativas dos casos também serão realizadas.
  • Universidade do Vale do Rio dos Sinos - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022