Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Robert Wegner

Ciências Humanas

História
  • história da genética e de seus impactos: raça, racismo e população no brasil
  • O século XX já foi considerado o século da genética. É difícil exagerar os impactos da genética na economia, especialmente na agricultura, desde o aperfeiçoamento, no início do século XX, dos antigos métodos de melhoramento das sementes e dos rebanhos por meio do cruzamento controlado até os alimentos transgênicos produzidos contemporaneamente pela agroindústria, passando pela produção de sementes híbridas e sua associação com a revolução verde a partir dos anos 1960. Da mesma forma, as práticas e ideias políticas dirigidas às populações são uma demonstração da centralidade da genética, a começar pelos movimentos eugênicos das primeiras décadas do século XX, dos quais os desenvolvimentos iniciais da genética eram indissociáveis, passando pelos debates sobre a existência ou não existência de raças humanas e a substituição da categoria raça pela de população desde o período após a Segunda Guerra Mundial, até as revoluções nos diagnósticos, tratamentos e gestão da medicina provocadas pela genômica. O objetivo da pesquisa é o de desenvolver uma história da genética no Brasil, levando em consideração seus impactos sociais, econômicos e políticos. Procuraremos investigar as divergências políticas e as controvérsias científicas na história da genética, desde o movimento eugênico até o desenvolvimento da genômica, passando pela genética das populações humanas, especialmente no que diz respeito aos juízos antagônicos em relação à mistura racial. O mendelismo não resolveu as controvérsias em torno desse tema que vinha desde o século XIX, assim como as campanhas antirracistas levadas a cabo pela UNESCO no Segundo Pós-Guerra não resultaram no abandono absoluto de categorias racializadas nas teorias científicas nem, tampouco, das práticas racistas. Nosso projeto pretende enfrentar o desafio de desenvolver a pesquisa por meio de uma equipe que opere de forma efetivamente transdisciplinar, daí a reunião de historiadores das ciências, antropólogos, sociólogos, biólogos, geneticistas e educadores. Ao lado disso, somos desafiados a pensar no caminho sugerido por Peter Wade, que, baseado no debate contemporâneo da antropologia que põe em questão a dicotomia do pensamento ocidental entre nature (natureza) e nurture (cultura), argumenta que “raça” sempre tem sido como uma “natural-cultural assemblage” na qual “natureza” e “cultura” estão sempre moldando uma à outra, e as diferenças entre elas nem sempre são claras. Para pensar o racismo e confrontar o racismo a partir desse ponto de vista, consideramos que o método de Foucault pode ser uma ferramenta útil. Sua noção de “racismo de estado”, conectada ao seu conceito de “biopolítica”, é crucial para compreender como o racismo atravessa o século XX e o século XXI mesmo depois das teorias do racismo científico do século XIX serem completamente desacreditadas. O racismo persiste mesmo com todas as mudanças científicas, políticas, sociais e econômicas que marcaram o Ocidente desde o Segundo Pós-Guerra. Seguindo Foucault, a questão fundamental diz respeito a perceber em que momentos entra em operação, seja em bases predominantemente biológicas seja com suporte culturalista, uma maneira de cindir uma população em grupos distintos e, a partir daí, hierarquizar esses grupos. Os objetivos da equipe podem ser desdobrados nos seguintes tópicos: Estudar as primeiras pesquisas mendelianas desenvolvidas nas escolas agrícolas das primeiras décadas do século XX e as relações de pesquisadores dessas escolas com o movimento eugênico; Desenvolver pesquisa sobre o movimento eugênico, as políticas reprodutivas no Brasil dos anos 1920 e 1930 e o desenvolvimento da biotipologia no Brasil entre 1930 e 1945; Desenvolver pesquisa sobre a institucionalização da genética no Brasil, especialmente a partir da atuação de Theodosius Dobzhansky; Desenvolver pesquisa relativa ao debate racial no âmbito da UNESCO, especialmente a partir de Otto Klineberg e Julian Huxley; Investigar a atuação de Renato Kehl após a Segunda Guerra Mundial, levando em consideração sua dedicação a teoria psicológicas, a caracteriologia e à defesa do controle populacional; Desenvolver pesquisa sobre as continuidades de ideias e práticas eugênicas no Brasil do Segundo Pós-Guerra, como as relativas à esterilização; Desenvolver pesquisa relativa às teorias e práticas de controle populacional entre as décadas de 1960 e 1980; Investigar a história da bioética e dos debates bioéticos em torno das práticas de esterilização no Brasil e, mais recentemente, em torno do aborto por Anomalia Fetal, especialmente relacionado à Síndrome Congênita do Zika; Realizar uma investigação acerca da genética médica e da genômica, desenvolvendo um projeto de história oral com pesquisadores e técnicos de dois laboratórios da Fiocruz: o Laboratório de Genética Humana e o Laboratório de Genômica Funcional e Bioinformática; Desenvolver atividades pedagógicas com estudantes do ensino médio e projetos educativos relacionados a noções de genética e ao combate ao racismo; Desenvolver um jogo educativo relativo a noções de genética e combate ao racismo.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 29/10/2021-31/10/2024
Foto de perfil

Roberta Camineiro Baggio

Ciências Sociais Aplicadas

Direito
  • a recepção de normas pré-constitucionais pelas cortes latino-americanas: continuidades e rupturas normativas na formação do constitucionalismo a partir da segunda metade do século xx
  • Muitas das Constituições latino-americanas são o resultado de processos de redemocratização em que a nova ordem constitucional é defrontada com inúmeras legislações pré-constitucionais, algumas produzidas em períodos autoritários e incompatíveis materialmente com a nova ordem. Na medida em que a determinação da força normativa dos textos constitucionais se vincula ao modo como essas incompatibilidades são tratadas pelas Cortes, o estudo desses casos pode revelar as condições institucionais da nova ordem constitucional de deixar para trás os padrões de produção normativos predominantes até então, assim como a disposição ou não das Cortes em manejar o novo texto constitucional com vistas à consolidação do regime de democracia formal instaurado. O problema a ser investigado busca identificar o modo como Cortes Latino-Americanas (em especial, Brasil, Argentina, Chile e Colômbia) têm tratado o tema da recepção de normas, de maneira que se possa mapear as soluções jurídicas encontradas e analisar se contribuem ou não para melhorar as condições de exercício da força normativa dessas Constituições. A hipótese é a de que as Cortes não aplicam de modo uniforme a teoria da recepção das normas e que as posições variam e se contradizem a depender da matéria analisada em cada caso e da conjuntura à qual estão vinculadas, fragilizando as condições institucionais de exercício da força normativa dessas Constituições. As evidências dessa hipótese estão no caso brasileiro, quando o STF secundariza a aplicação da teoria da recepção das normas e se contradiz na materialidade de duas decisões: a do julgamento da ADPF 130, que não recepcionou a Lei de Imprensa e da ADPF 153, que recepcionou a Lei de Anistia. A partir do desenvolvimento de uma pesquisa jurisprudencial nessas quatro Cortes, combinada com as estratégias do método da sociologia histórica, como a comparação integrada, pretende-se analisar as condições de ruptura e continuidade normativa das atuais ordens democráticas na região
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 07/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Roberta de Sousa Ramalho

Outra

Divulgação Científica
  • caravana da ciência
  • Esta proposta é uma atividade extensionista que se destaca como uma das mais importantes missões dos Institutos Federais, conforme a Lei n. 11.892 de 2008, Seção II, Das Finalidades e Características dos Institutos Federais, Art.6° inciso VII: “desenvolver programas de extensão e de divulgação científica e tecnológica;” (BRASIL, 2008). A Caravana da Ciência é uma ação extensionista do IFFluminense Campus Cabo Frio que implica na popularização da ciência e divulgação científica de projetos de pesquisa voltados para o desenvolvimento técnico, tecnológico e científico da Região do Lagos. Entendemos que a extensão é um processo educativo, cultural, político, social, científico e tecnológico que promove a interação dialógica e transformadora entre as instituições e a sociedade, levando em consideração a territorialidade. O objetivo maior desta atividade é promover a cultura, a popularização e a divulgação científica a estudantes dos níveis médio e fundamental. A Caravana da Ciência envolve uma atmosfera sensorial, de experimentação, dialógica e intelectual, onde os alunos são estimulados ao reconhecimento da relevância do saber científico e da ciência na própria vida cotidiana e na transformação social. Nesse ano de 2022 a proposta é levar a Caravana para escolas municipais de Armação dos Búzios. A metodologia é simples, apoia-se na exposição de banners e vivência de experimentos das áreas de biologia, química, física, robótica e automação. O público é conduzido por estudantes dos cursos de nível médio-técnico integrado, graduação e pós-graduação, a percorrer o circuito de tendas onde os projetos são expostos e os experimentados. O envolvimento dos nossos estudantes na apresentação dos projetos estimula o público do evento a dar continuidade aos seus estudos. Por isso, acreditamos no impacto no processo formativo dos alunos envolvidos e da sociedade civil da Região dos Lagos, bem como no despertamento do interesse pela ciência de um modo geral.
  • Instituto Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 12/09/2022-31/03/2023
Foto de perfil

Roberta Lima Gomes

Outra

Divulgação Científica
  • centro tecnológico (ufes) de portas abertas
  • O presente projeto propõe a realização do evento “Centro Tecnológico (Ufes) de Portas Abertas”, ou “CT/Ufes de Portas Abertas”, o qual visa prover ao público externo -escolas públicas e particulares do Ensino Médio e Técnico da região da Grande Vitória - informações sobre o funcionamento dos cursos de Graduação e Pós-graduação do Centro Tecnológico da Universidade Federal do Espírito Santo (CT/Ufes). Nessa primeira edição do evento é planejada a realização de diferentes atividades como: visitas guiadas de diferentes grupos aos laboratórios dos cursos; realização de oficinas envolvendo tecnologias aplicadas; palestras e exposição de projetos. Com a promoção dessas atividades, permite-se que estudantes do Ensino Médio conheçam um pouco mais sobre o funcionamento da Universidade e dos cursos das áreas tecnológicas. Ao conhecer o ambiente acadêmico e parte da Universidade, pode-se incentivar a opção dos adolescentes pela graduação nessas áreas. Uma escolha bem mais fundamentada, melhora o acesso e a permanência desses estudantes nos cursos de graduação. Cabe ressaltar que esta proposta se insere em um momento em que temos a disseminação de diferentes tecnologias em praticamente todos os setores da sociedade. Uma consequência disso é que o mercado brasileiro vem apresentando uma carência crescente de profissionais de Tecnologia e Engenharia. Por exemplo, de acordo com a Brasscom, o déficit de profissionais de TI pode chegar a meio milhão até 2025. Mas apesar da necessidade de se atrair novos profissionais para a área, observa-se na última década um crescente desinteresse por cursos relacionados a TI. Com isso, uma potencial contribuição desta proposta é justamente fomentar esse interesse pela área de Tecnologia e Engenharia. Tendo como tema “BICENTENÁRIO DA INDEPENDÊNCIA: 200 anos de Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil”, o evento conectará a evolução tecnológica no Brasil com a história dos cursos do Centro Tecnológico da Ufes, o qual acaba de completar 50 anos.
  • Universidade Federal do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 19/09/2022-31/03/2023
Foto de perfil

Roberta Maria Batista de Figueiredo Lima

Ciências Humanas

Geografia
  • territorialização e gestão ambiental do agronegócio e das comunidades no parque estadual do mirador e entorno, maranhão: uma contribuição para a construção de um governo do território responsável pela proteção da natureza
  • O Parque Estadual do Mirador, localizado na região do Alto Itapecuru ao sul do município de Mirador – MA, foi criado nos anos 1980, período marcado pela criação de diversas unidades de conservação em todo o Brasil, com uma extensão de 700 mil ha sobre o território da Travessia do Mirador. O objetivo de sua criação foi “proteger as nascentes dos rios Itapecuru e Alpercatas” (MARANHÃO, 1980) da pressão crescente das atividades monocultoras na região. Na ocasião, estima-se que havia em torno de mil famílias ocupando a área. Dentre as atividades desenvolvidas pelos grupos aí residentes, destaca-se a pecuária, primeiro por ser o motor que os levou a se estabelecerem e territorializarem a Travessia do Mirador e, segundo, por ser o principal meio de manutenção social e material dessas famílias (FERREIRA, 2019, p. 15). A pesquisa tem como objetivo analisar como se estabelece a territorialização e a gestão ambiental do agronegócio, bem como a territorialização e a “gestão ambiental” das comunidades locais nas áreas do Parque Estadual do Mirador e entorno, no estado do Maranhão, buscando identificar como esses agentes sociais contribuem para a conservação da natureza, com especial atenção para o manejo da água. Além do conhecimento sobre os processos socioterritoriais e ambientais analisados, a pesquisa buscará desenvolver junto com as comunidades pesquisadas metodologias e protocolos para o monitoramento ambiental do território e empreender esforços junto às instituições públicas e aos agentes corporativos no sentido da pactuação de uma governança do território. Trata-se de uma pesquisa de caráter interdisciplinar que visa contribuir para o desenvolvimento de uma abordagem sobre a relação sociedade e natureza capaz de alcançar uma compreensão da problemática ambiental atual em sua multidimensionalidade e proporcionar os fundamentos científicos para ações sobre essa realidade.
  • Universidade Federal do Maranhão - MA - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Roberta Olmo Pinheiro

Ciências Biológicas

Imunologia
  • identificação de biomarcadores de infecção subclinica em contatos de pacientes com hanseniase.
  • Os contatos de pacientes com hanseníase são indivíduos que têm uma associação íntima e duradoura com os pacientes e que apresentam um alto risco de desenvolver a doença. Há uma recomendação para a quimioprofilaxia usando dose única de rifampicina (SDR). No entanto, o uso de SDR para todos os contatos pode ser desnecessário uma vez que somente 1-5% efetivamente irão desenvolver a doença e isso pode ter um alto custo para os sistemas de saúde, então a busca por biomarcadores de infecção subclínica pode contribuir para tornar a quimioprofilaxia uma estratégia custo-efetiva. Estudos anteriores demonstraram que alguns fatores associados com o alto risco de desenvolver hanseníase em contatos incluem a forma clínica do caso índice, a positividade na sorologia anti-Glicolipídeo fenólico (PGL-1) e PCR para Mycobacterium leprae, e não ter tomado a vacina BCG. No entanto, nenhum destes têm sido bons parâmetros para a identificação de novos casos. Para compreender os mecanismos que são fundamentais para o adoecimento em indivíduos infectados por M. leprae, o seguimento dos contatos é vital. Esse seguimento longitudinal nos permite identificar os contatos que desenvolverão doença dos que são expostos mas não adoecem. Nosso estudo preliminar demonstrou que a atividade de arginase e os níveis de heme-oxigenase 1 (HO-1) séricos podem ser utilizados para discriminar contatos que efetivamente irão apresentar os sinais clínicos da doença. O objetivo do presente estudo é identificar marcadores de adoecimento em contatos e validar nossos achados preliminares em uma coorte multicêntrica de quatro estados brasileiros (MG, MT, PE e RJ). Para este objetivo, nós iremos coletar amostras de soro de contatos de pacientes multibacilares após a avaliação clínica e eles serão seguidos de modo a identificar o aparecimento de sintomas da doença. Os achados obtidos neste projeto irão contribuir para desenvolver um teste sorológico que possa identificar os alvos para a quimioprofilaxia.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Roberta Paulert

Outra

Divulgação Científica
  • 12. feira de ciência e tecnologia de palotina (12. fecitec)
  • Muitas feiras de ciências ocorrem nos espaços internos das Universidades e vão ao encontro das estratégias nacionais de educação, pois abrem oportunidades ímpares as crianças e jovens em visualizar as possibilidades de melhorar a formação e condição de vida. A Feira de Ciência e Tecnologia de Palotina (FECITEC) é um projeto de extensão do Setor Palotina da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e acontece com tradição desde 2011. Nas edições anteriores já foram apresentados mais de 723 trabalhos. A Feira busca disseminar a participação ativa dos alunos de escolas/colégios no seu processo de formação dando ênfase ao pequeno e jovem cientista. A 12ª FECITEC é uma feira municipal, presencial, gratuita e será realizada no Setor Palotina da UFPR em outubro de 2022; fazendo parte da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Oferecerá oportunidades a estudantes de diferentes classes sociais, em um processo educativo diferenciado, inclusivo e com protagonismo social. Na 12ª FECITEC será dada prioridade e atenção aos projetos desenvolvidos em escolas públicas e elaborados por meninas, estimulando crianças apáticas, desinteressadas ou tímidas, tornando-as futuros agentes de transformação social. A feira contará com plano de divulgação e terá o apoio de alunos de graduação na condição de monitores para apoio científico aos projetos. Os participantes desenvolverão projetos a partir de ciências, tecnologia, inovação, empreendedorismo ou ciências humanas seguindo as áreas ou associação multidisciplinar entre matemática, biologia, física e química. Os projetos serão pontuados por criteriosos avaliadores docentes da Universidade e serão premiados com certificados, medalhas, troféus, bolsas de IC Jr. e prêmios oferecidos por entidades. Atividades paralelas serão realizadas: show das ciências, bibliônibus e investigação forense. Palotina deseja crescer e precisa de ciência e tecnologia criando soluções para o presente e sustentabilidade para o futuro promissor das novas gerações.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 09/12/2021-31/12/2023
Foto de perfil

Roberta Salazar Uchôa

Ciências Sociais Aplicadas

Serviço Social
  • produção de tecnologias educativas voltadas à promoção de cuidados em saúde mental e à prevenção do consumo problemático de drogas e de violências aplicadas ao trabalho de mulheres urbanas e rurais para atuarem como agentes populares de saúde
  • Cotidianamente, se observa inúmeras expressões de violação de direitos sociais ratificados pela Constituição Federal brasileira, a exemplo das desigualdades de acesso à saúde, saúde mental e segurança pública. As vulnerabilidades sociais têm sido diminuídas pelo incessante trabalho realizado por movimentos de base local, a exemplo dos Agentes Populares de Saúde (APS), que, desde 2020, em Recife, atuam na prevenção da Covid-19, em comunidades urbanas e rurais de baixa renda. Os APS são pessoas dispostas a ajudar e orientar sobre prevenção e cuidados no adoecimento, disseminar medidas de autocuidado e articular redes de solidariedade nas comunidades através da organização popular e da defesa do SUS como um direito de todos. Muitos estudos sobre drogas e violências negligenciam questões de classe, raça e gênero, não só devido ao predomínio de homens pobres e pretos, mas também porque o sofrimento mental e o consumo de drogas entre as mulheres ocorrem mais na esfera privada; e crimes cometidos por elas são menos frequentes, além de serem percebidos como de menor gravidade. Neste sentido, este projeto visa produzir conhecimento sobre de necessidades sociais para geração e aplicação de tecnologias educativas de prevenção e de cuidados em saúde mental, consumo problemático de drogas e violências aplicadas a mulheres, urbanas e rurais, capacitando-as para atuar como APS. Trata-se de estudo quase-experimental com desenvolvimento e avaliação de tecnologias educativas, com abordagem quantitativa e qualitativa, a ser realizado em três etapas (aplicação de questionário, realização de grupos focais e construção, implementação e avaliação de tecnologias educativas), que visa ampliar a atuação das APS em suas comunidades como agentes de mudança e transformação social no campo da saúde mental, drogas e violências.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 04/04/2022-30/04/2025
Foto de perfil

Roberta Vieira Gonçalves de Souza

Ciências Sociais Aplicadas

Arquitetura e Urbanismo
  • avaliação de impactos climáticos e plano de ação climática: desenvolvimento de ferramentas para atender a municípios de pequeno porte
  • Atualmente, o país conta com aproximadamente 5282 municípios de até 100 mil habitantes que, segundo a Lei Federal nº 10.257, de 10 de junho de 2001, o Estatuto da Cidade, são obrigados a implementar um Plano Diretor (PD), segundo o critério de população, um dentre outros critérios que o Estatuto da Cidade estabelece. Como a elaboração de um documento deste tipo exige a consolidação de uma base de dados contendo informações demográficas, sociais, econômicas, ambientais e institucionais,, é possível supor que os municípios dispõem de dados que, em algum nível, são capazes de gerar indicadores que reflitam as condições locais. Contudo, a maioria desses municípios caracterizam-se pela baixa arrecadação municipal, baixa capacidade técnica, administrativa e de gestão pública. Desta forma, a maior parte deles não dispõe de recursos técnicos e/ou financeiros que permitam o desenvolvimento e/ou a contratação de serviços especializados, como estudos de vulnerabilidade e risco climático, não dispondo de conhecimento sistematizado e contextualizado das questões relativas às mudanças climáticas globais. Consequentemente, esses municípios não possuem planos de ação climática e não abordam as questões climáticas em seus PD, o que faz com que não estejam adequadamente preparados para lidar com os impactos potenciais, de maneira a constituir respostas mais eficientes às vulnerabilidades e tornar territórios mais resilientes a desastres e outras perturbações decorrentes da alteração do clima. É importante observar que os impactos potenciais referem-se aos diversos efeitos das mudanças climáticas sobre os ecossistemas e as populações, tendo uma melhor capacidade adaptativa aquele município que dispõe das competências e recursos necessários ao efetivo ajuste a essas mudanças, mitigando possíveis danos, tirando vantagens de eventuais oportunidades ou lidando adequadamente com as consequências. A adaptação pode se dar em diferentes escalas, orientadas pela escala municipal, com diretrizes de ação definidas a partir da leitura, tão acurada quanto possível, da situação local, com destaque para os impactos relacionados ao ciclo hidrológico e à forma urbana. Considerando este breve contexto, apresenta-se uma proposta para lidar simultaneamente com a avaliação de impactos climáticos (AIC) e com o desenvolvimento de planos de ação climática (PAC). Para tanto o primeiro objetivo será desenvolver estrutura de avaliação de impactos climáticos para municípios de pequeno e médio porte (até 100 mil habitantes), buscando aproveitar e integrar os dados pré existentes a outras informações, e como segundo objetivo, elaborar um plano de ação climática participativo para o mesmo território, construindo um procedimento a partir da compilação de diversas metodologias existentes para elaboração de PACs. O propósito é adaptar para a realidade de governança e de acesso a dados destes municípios procedimentos para AIC e PAC validados internacionalmente. O foco dessas duas ferramentas será lidar especificamente com as metas relativas aos seguintes Objetivos do Desenvolvimento Sustentável: ODS-2 (Fome Zero e Agricultura Sustentável), ODS-6 (Água Potável e Saneamento), ODS-7 (Energia Limpa e Acessível), ODS-9 (Indústria, inovação e Infraestrutura), ODS-11 (Cidades e Comunidades Sustentáveis), ODS-13 (Ação Contra a Mudança Global do Clima). O ponto de partida metodológico será a construção de indicadores de avaliação a partir dos dados disponíveis, considerando a base de dados usada para a elaboração dos planos diretores, além de outras bases de dados abertas nacionais e internacionais (IBGE, INPE, Banco Mundial, entre outros), com foco na elaboração de um plano de ação climática. Entende-se que trabalhando a partir de uma base de dados mínima usada para elaboração de planos diretores e de bases consolidadas no âmbito municipal, regional, estadual e federal por governos, agências e organizações diversas, será possível identificar e mensurar impactos climáticos e propor um plano de ação para a adaptação e resiliência do território, ancorado na realidade e factível de monitoramento e avaliação para correção de rumos. Dessa forma, esse processo possibilitará a atualização da base para a necessária revisão do PD, permitindo a atualização/ajustes dos indicadores existentes e o acompanhamento e revisão das metas propostas e a incorporação de outras metas com base no plano de ação climática. Pretende-se aplicar, aprofundar e detalhar métodos a partir de dois estudos de caso de municípios ou agrupamento de cidades inseridas em uma mesma bacia hidrográfica - a ser escolhido posteriormente - o qual permita, a partir dos resultados alcançados, a sua replicação para diversos outros municípios do mesmo porte.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 21/12/2020-31/12/2023
Foto de perfil

Roberto Antônio Finatto

Ciências Humanas

Geografia
  • desenvolvimento territorial, tecnologias sociais e a construção dos mercados para a agroecologia
  • A agroecologia se constitui como uma importante alternativa para transformar o atual sistema agroalimentar. Diante do seu potencial para a preservação ambiental, a geração de renda e a valorização dos aspectos culturais, as práticas agroecológicas têm sido desenvolvidas pela agricultura camponesa. O Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos (CNPO) aponta um crescimento de mais de 300% no número de produtores entre 2013 e 2019 no Brasil. Entretanto, para o êxito das ações em curso, é fundamental que os produtos orgânicos tenham garantida a sua comercialização, assim pode-se ampliar a produção para além do autoconsumo. O mercado para os produtos orgânicos, em especial daqueles oriundos da agricultura camponesa, é um tema que carece de maior entendimento e produção acadêmica o que, por sua vez, contribuirá para a solução dos problemas práticos enfrentados em muitos canais de comercialização. É neste contexto que este projeto de insere, considerando a construção e a organização dos mercados camponeses como uma tecnologia social diante da sua capacidade de criar estratégias com base em recursos territoriais específicos à lógica camponesa. Portanto, temos como objetivo analisar o mercado dos produtos orgânicos na região Sul do Brasil enquanto elemento estruturante dos Sistemas Territoriais Agroecológicos (SiTAs). Ou seja, parte-se da compreensão de que a produção agroecológica se estrutura – da produção até a comercialização – articulando um conjunto de recursos (i)materiais numa perspectiva territorial, exigindo uma análise que supere a dicotomia campo-cidade. Para isso, serão realizados: a) estudos do tema do mercado de orgânicos, principalmente nas médias e pequenas cidades; b) levantamento de dados sobre a produção agroecológica, em especial o acompanhamento do CNPO; c) estudos de caso e de situações vivenciadas por grupos de agricultores, associações e movimentos sociais que trabalham com a agroecologia, em especial àqueles ligados à Rede Ecovida de Agroecologia.
  • Universidade Federal da Fronteira Sul - SC - Brasil
  • 16/05/2022-31/05/2025
Foto de perfil

Roberto Carlos Klann

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • uso corporativo de mídias sociais e a qualidade da informação contábil
  • O uso de mídias sociais (MS) pelas empresas pode proporcionar benefícios às organizações, com disponibilização de informações corporativas em tempo real e com baixo custo. Pode auxiliar agentes do mercado, por meio do aumento da transparência e, consequentemente, refletir na qualidade da informação contábil, dentre as quais, a relevância da informação contábil (VR) e o gerenciamento de resultados (GR). A VR analisa se as informações financeiras produzidas pelas empresas são úteis para investidores e outros usuários. O GR corresponde à manipulação dos resultados contábeis, dentro dos limites legais, com o intuito de alcançar algum objetivo particular. O mercado pode reagir a informações corporativas divulgadas pelas empresas em MS, influenciando a VR. Empresas podem divulgar informações em MS para mascarar práticas de GR. A literatura tem observado a presença e uso de MS pelas empresas para publicar informações corporativas. Entretanto, de forma incipiente, tem se concentrado no mercado norte americano e observado o uso dessas ferramentas do ponto de vista corporativo. Este projeto busca analisar o uso de MS no contexto de um país em desenvolvimento e, além de avaliar seu uso corporativo, adicionalmente verificar a interação dos demais interessados na empresa em MS (feedbacks) e os reflexos na qualidade da informação contábil, por meio da seguinte questão: Qual a influência do uso corporativo de MS na qualidade da informação contábil? O caráter tecnológico dessas plataformas possibilita a troca e compartilhamento de informações on-line e com baixo custo, que refletem as opiniões, expectativas e estratégias dos participantes do mercado. Em conjunto, esses fatores podem influenciar a tomada de decisões e, consequentemente, alterar a VR e as práticas de GR. Para a realização deste projeto, serão coletados dados nas mídias sociais. Para VR e GR, os dados serão coletados da base Refinitiv e analisados com técnicas estatísticas, como correlações e regressões.
  • Fundação Universidade Regional de Blumenau - SC - Brasil
  • 10/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Roberto César Pereira Lima Júnior

Ciências Biológicas

Farmacologia
  • estudo da associação entre a obesidade e os mecanismos de resistência em pacientes com carcinoma mamário não-responsivo à terapia neoadjuvante
  • A obesidade representa um problema de saúde no mundo. Estima-se que 20% da população brasileira é obesa, carreando fatores de agravo a outras morbidades. Apesar de o binômio obesidade/câncer ser bastante estudado, os mecanismos pelos quais a obesidade incrementa a morbimortalidade por câncer ainda não são totalmente entendidos. O câncer de mama é o mais frequente em mulheres no mundo, no Brasil e no Ceará. Contudo, a heterogeneidade deste câncer resulta em diferentes cenários clínicos e terapêuticos. A quimioterapia neoadjuvante (QTneo) permite cirurgias mais conservadoras da mama. Contudo, a ausência de resposta está relacionada com menor tempo de recorrência e maior positividade de linfonodos axilares para metástase. Em um estudo piloto de nosso grupo, observou-se que tumores triplo-negativos e luminais B predominaram no grupo de tumores não-responsivos à QTneo. É nesse contexto em que a obesidade pode ser um fator decisivo, visto que adipocitocinas e outros mediadores associados à reprogramação metabólica desses pacientes podem explicar a falha ao tratamento oncológico. Muitos desses mediadores inflamatórios ativam mecanismos de sobrevivência celular tumoral. Uma dessas vias depende de fosfatidil-inositol-3-quinase (PI3K) de classe I, que podem contribuir para a resistência tumoral. Um dos mecanismos de ativação dessa via envolvem receptores toll-like tipo (TLR)-4 e -9. De fato, há relatos de que o dano celular causado pela doxorrubicina, libera DNA mitocondrial, um ligante do TLR9, além de o paclitaxel ser um agonista de TLR4. Ambos os quimioterápicos compõem o protocolo padrão de QTneo do câncer de mama. Assim, o presente estudo objetiva avaliar de forma translacional a importância via TLR/PI3K/Akt na resistência à QTneo do câncer de mama em contexto de obesidade. Com isso, buscamos identificar marcadores preditivos de falhas ao tratamento ou lançar luz ao potencial bloqueio da via do PI3K na quimioterapia inicial reduzindo a morbimortalidade por câncer.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Roberto Cid Fernandes Junior

Ciências Exatas e da Terra

Astronomia
  • ifsul: galáxias em 3d
  • Galáxias são peças fundamentais em nosso entendimento do Universo. Entender e mapear os processos físicos responsáveis por sua formação e evolução está entre os grandes desafios da astrofísica moderna. Para atacar esta problemática de forma observacional são necessários dados e ferramentas avançadas. A técnica ideal para este tipo de estudo é a espectroscopia de campo integral (IFS). Essa poderosa combinação das duas principais técnicas observacionais em astronomia, imageamento e espectroscopia, permite mapear a estrutura de emissão e cinemática do gás e das estrelas em galáxias. Para extrair informação física dos cubos de dados (lambda, x, y) observados são necessários métodos avançados de síntese espectral, análise cinemática, processamento de imagens, etc. A equipe do IFSul congrega especialistas com consolidada reputação e liderança internacional e também jovens pesquisadores com experiência tanto na aquisição de dados IFS como no desenvolvimento e aplicação de ferramentas de análise sofisticadas e inovadoras. Esta solicitação visa (1) angariar recursos para atualizar os recursos computacionais disponíveis nas 5 instituições participantes e, principalmente, (2) fomentar a interação entre esses grupos e explorar suas expertises complementares, as quais permitem abordar um variado leque de questões astrofísicas atuais. Em particular, investigaremos duas das principais questões ainda em aberto acerca da evolução de galáxias: Qual é o histórico de formação estelar em galáxias massivas e quais processos o moldam? Quais processos podem cessar a formação estelar de uma galáxia, transformando-a em quiescente? Serão utilizados tanto dados de IFS de grandes levantamentos de dados (para estudos de natureza estatística) como dados obtidos pela própria equipe com telescópios de grande porte como o Gemini (para estudos detalhados de objetos individuais). A experiência coletiva da equipe será instrumental para abordar esses e outros problemas de fronteira da astrofísica.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 07/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Roberto de Souza Santos

Ciências Humanas

Geografia
  • feiras de ciências e mostra científica em porto nacional-to: desenvolvimento regional e local
  • O projeto pretende trabalhar a temática desenvolvimento regional, a partir de dois tópicos: desenvolvimento regional e local e, território e cidadania no município de Porto Nacional-TO. Atualmente, o conhecimento constitui uma ferramenta importante para o aprimoramento das condições sociais da humanidade. A ciência e a tecnologia tornaram-se vetores fundamentais para o desenvolvimento social do mundo atual. É a partir desta ferramenta que o projeto Feiras De Ciências E Mostra Científica Em Porto Nacional-TO: Desenvolvimento Regional e Local, pretende contribuir para o desenvolvimento local e regional em Porto Nacional. A ideia é fomentar a iniciativa para a pesquisa científica interdisciplinar através da criação de uma feira de ciência e mostra científica onde os alunos de ensino fundamental, médio possam ter um espaço que os permitam expor suas ideias, curiosidades, seus talentos, sua vocação profissional. Um espaço onde a iniciação científica passa ser valorizada pela sociedade. Este projeto tem sua relevância pelo fato de desencadear uma iniciativa em sintonia com o desenvolvimento social e humano em Porto Nacional-TO, local em que a escolarização e o acesso à iniciação científica, são fatos não corriqueiros na sociedade local. Nossa hipótese é de que há uma necessidade de aguçar a vocação e motivação dos alunos das escolas públicas de Porto Nacional, pelo trabalho de iniciação científica. Acreditamos que nossa proposta de trabalho colocada em execução, contribuirá para mitigar essa situação. O trabalho de iniciação cientifica na rede pública de ensino público na região do Tocantins, ainda é um desafio. Precisamos superar estas expectativas. Para viabilizar a proposta, será colocado em prática um plano exequível das atividades prevista no projeto. Espera-se que ao final da realização da feira de ciências, seja possível contribuir para o trabalho de iniciação científica júnior, na rede pública de ensino em Porto Nacional-TO.
  • Universidade Federal do Tocantins - TO - Brasil
  • 08/12/2021-31/12/2023
Foto de perfil

Roberto dos Santos Bartholo Junior

Ciências Sociais Aplicadas

Turismo
  • digital twin em turismo e patrimônio: as fortalezas de são joão e santa cruz na entrada da baía da guanabara
  • O projeto desenvolve um digital twin (gêmeo digital) da entrada da Baía de Guanabara com foco em duas fortificações que integram o “Conjunto de fortificações do Brasil” da lista indicativa a patrimônio mundial apresentada à UNESCO: São João, sítio histórico de fundação da cidade do Rio de Janeiro, e Santa Cruz, em Niterói. O digital twin potencializa um turismo de experiência apoiado em visitações imersivas e contribui para novos modelos de gestão do hiper patrimônio e práticas turísticas. O projeto usa a ferramenta digital twin criando um framework de baixo custo para a reconstrução 3D do conjunto da entrada da Baía de Guanabara com foco nas duas fortificações. Esta ferramenta é de uso cada vez mais significativo na indústria 4.0, embora ainda incipiente em aplicações ao patrimônio e turismo. O mapeamento da literatura evidencia, no entanto, que este campo específico é fecundo (Gabellone, 2020; Dezen-Kempter et al., 2020; Jouan & Hallot, 2019). Desta forma, a presente proposta é uma contribuição em três aspectos: teórico (lacuna na literatura), metodológico (desenvolvimento de método próprio) e prático (desenvolvimento e testagem de um projeto piloto de digital twin). A metodologia desdobra-se em cinco fases. A primeira é o inventário dos sítios. A segunda é a sua digitalização. A terceira é a convergência entre inventário e digitalização. A quarta é o desenvolvimento e testagem de um projeto piloto. A quinta é a formulação de subsídios para a interpretação patrimonial apoiada nos guidelines da UNESCO. O hiper patrimônio se torna assim vetor de uma nova abordagem relacional do patrimônio, estimulando a valorização e conservação do bem e práticas turísticas sustentáveis. Por fim, acreditamos ainda que o projeto pode contribuir para a candidatura a patrimônio mundial pleiteada à UNESCO dos sítios históricos em questão.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Roberto Esser dos Reis

Outra

Defesa
  • inct ciências forenses
  • As Ciências Forenses são constituídas de um conjunto de áreas aplicadas à solução de questões de interesse do sistema legal e judicial, relacionadas com a ocorrência de crimes e com a sua resolução. Podem ser definidas como as ciências naturais e matemáticas aplicadas à análise de vestígios a fim de responder às demandas judiciais. Por meio das Ciências Forenses, Peritos Oficiais e Peritos Assistentes Técnicos executam uma atividade técnico-científica denominada Perícia Criminal, prevista no Código de Processo Penal, indispensável para elucidação de crimes quando houver vestígios materiais. No âmbito da Justiça e da Segurança Pública a prova material, isenta de subjetividade, exerce um papel de fundamental relevância. A ciência é uma questão de fato, não de opinião. Avanços na metodologia científica devem ser direcionados no sentido de evitar a interpretação tendenciosa, uma vez que o objetivo primeiro da análise pericial deve ser a elucidação da verdade real, ainda que, em tese, inatingível. O domínio dos aspectos técnicos relacionados à produção, análise e interpretação da prova material é de extrema importância para os profissionais envolvidos em todas as etapas da Justiça e da Segurança Pública. Desenvolver pesquisa em Ciências Forenses com base na realidade brasileira consiste em adquirir conhecimento sobre as particularidades da criminalidade nacional. Este procedimento pode ser mais eficiente do que continuar a adquirir tecnologias estrangeiras para combater crimes nacionais. A interdisciplinaridade desta proposta é comprovada pelo uso de conhecimentos científicos, criminalísticos, estatísticos e judiciais para a resolução de problemas periciais. As áreas temáticas das linhas de pesquisa apresentam-se de modo integrado e interligado e didaticamente podem ser classificadas em: Química e Toxicologia Forense, Perícia Ambiental, Genética Forense, Informática Forense e Ciências Criminais. O projeto em questão situa-se na área das Ciências Forenses, Segurança Pública, Justiça, Execução de Perícias Criminais, Repressão ao Tráfico de Drogas (crack, cocaína, maconha, drogas sintéticas), análises toxicológicas em cabelo e pelos humanos, combate à falsificação de medicamentos, acreditação de laboratórios, balística forense, documentoscopia, combate ao contrabando e utilização irregular de pesticidas, rastreabilidade da maconha apreendida em território brasileiro, desenvolvimento de metodologias para Engenharia Legal e Perícia Ambiental, Genética Forense (uso de técnicas de última geração; estabelecimento do biobanco DNA Brasil Pró-Forenses; proposta de criação e regulamentação de rotina para análise por barcode), Informática Forense (aplicacação de tecnologias semânticas na investigação de crimes cibernéticos), Ciências Criminais (uso de estatística para avaliar alcance e relevância de laudos na investigação criminal e sentença judicial, caracterização da prova pericial no contexto da persecução penal). A Instituição Sede (PUCRS/Núcleo de Pesquisa em Evidências Forenses), a Unidade de Perícia Oficial Associada (Setor Técnico Científico da Superintendência de Policia Federal no Rio Grande do Sul, SETEC/SR/DPF/RS) e as demais instituições colaboradoras, dispõem de recursos e infraestrutura que possibilitam a produção de pesquisa científica e formação de recursos humanos. Além disto, tais associados têm outros financiamentos que permitem o aporte de recursos adicionais como bolsas, aquisição de insumos necessários para estas pesquisas e mesmo a sua caracterização interdisciplinar. Têm-se o envolvimento de 19 Programas de Pós-graduação, de quatro regiões do país – Sul, Sudeste, Centro-oeste e Norte. Isto apoiará a formação de recursos humanos de alto nível em áreas tecnológicas com notória carência no país. Os únicos cursos de graduação reconhecidos pelo MEC na área forense integram essa proposta: Bacharelados em Química, Habilitação Química Forense, da USP/Ribeirão Preto/SP e da UFPel/Pelotas/RS. Pretende-se implementar o curso de Mestrado em Ciências Forenses (stricto sensu) vinculado ao PPG do Núcleo de Pesquisa em Evidências Forenses. Trata-se de incremento sequencial ao curso de Especialização em Ciências Forenses (lato sensu), já existente. Também se espera criar primeira instituição de pesquisa forense interdisciplinar no Brasil. Entre outras contribuições, podem ser listadas: busca pela rapidez na resposta de execução de Perícias Criminais; o fortalecimento da prova material; o desenvolvimento de métodos de combate aos novos crimes (fraudes complexas, pedofilia, venda de medicamentos falsificados pela web, novas drogas de abuso – “designer drugs”) com base na realidade brasileira. Além disso, o uso de ferramentas já existentes, como o Sistema Criminalística (SisCrim) para a disseminação dos resultados das pesquisas com alcance nacional, fará com que o país assuma sua posição de líder regional na América Latina nesta área das ciências. As linhas de pesquisa deste projeto foram idealizadas a partir da associação de instituições de pesquisa acadêmicas e o SETEC/SR/DPF/RS. Além de publicação científica e educação em ciência, serão produzidos programas educativos para divulgação de problemas e ações desenvolvidas acerca dos temas em estudo e a realização de palestras abertas para a comunidade sob o título de “Ciências Forenses: a ciência desvendando crimes”. Estão previstas atividades como a criação de disciplinas em cursos de pós-graduação; oferecimento de disciplinas com professores convidados nacionais; oferecimento de workshops com professores internacionais; realização do encontro anual do INCT Ciências Forenses, organização de uma Jornada Nacional de Ciências Forenses, entre outros. Do ponto de vista internacional, instituições de pesquisa forense são realidade em países nos quais os saberes científicos encontram-se consolidados. A criação INCT Ciências Forenses fará com que o Brasil assuma sua posição de líder regional na América Latina nesta área das ciências.
  • Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 28/11/2016-30/11/2024
Foto de perfil

Roberto Giugliani

Ciências Biológicas

Genética
  • edição gênica por via nasal na mucopolissacaridose i: estudo se segurança e eficácia em modelo canino e em primata não-humano com vistas a um ensaio clínico
  • A Mucopolissacaridose tipo I (MPS I) é uma doença autossômica recessiva causada por mutações no gene IDUA. Os tratamentos disponíveis, como a reposição enzimática, são muito caros (custo de até 1 milhão de reais por ano por paciente), têm que ser administrados por via intravenosa pela vida toda do paciente, e não melhoram aspectos importantes da doença, como a deficiência intelectual, pois a enzima não atinge o cérebro. Tendo isso em conta, nosso grupo desenvolveu um vetor não viral (lipossomo) contendo, adsorvido na sua estrutura, plasmídeos com as sequências de DNA necessárias para a codificação da proteína Cas9 (nuclease que quebra o DNA) e o gene da IDUA, que, então, é inserido num ponto seguro do genoma, fazendo com que as células antes deficientes em IDUA, agora possam produzi-la. Este lipossomo possui propriedades mucoadesivas, de forma que pode ser administrado por via nasal (por inalação, de forma similar a um descongenstinante nasal) e permite que estes vetores cheguem diretamente ao cérebro (via bulbo olfatório e nervo trigeminal) e a órgãos como pulmão e coração, levando à produção da enzima em múltiplos órgãos, inclusive no sistema nervoso central. Estudos preliminares do grupo demonstraram a eficácia do sistema na edição de genes em fibroblastos humanos com MPS I, bem como em modelos murinos de MPS I, que mimetizam a doença humana. Este potencial terapêutico, no entanto, deve ser explorado em animais maiores antes de que um ensaio clínico seja iniciado. Desta forma, o objetivo deste trabalho é verificar o benefício terapêutico desta formulação em cães com MPS I, bem como em primatas não-humanos. Estudos de biodistribuição, escalonamento de dose, segurança e eficácia serão realizados nestes modelos animais, para que, ao final, em se comprovando a eficácia e segurança do produto, estudos clínicos possam ser iniciados.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 07/12/2020-31/12/2023
Foto de perfil

Roberto Giugliani

Ciências Biológicas

Genética
  • ampliação de triagem neonatal no brasil: contribuição para a definição das doenças e métodos para a fase 3 (doenças lisossômicas) com base em evidências científicas
  • As doenças lisossômicas de depósito (DLDs) são condições raras multissistêmicas e progressivas causadas por deficiência ou mau funcionamento de proteínas lisossomais (enzimáticas ou não-enzimáticas) . Muitas dessas doenças são tratáveis, mas são na maioria dos casos diagnosticadas apenas quando os pacientes já apresentam manifestações irreversíveis. Uma variedade de testes laboratoriais têm sido utilizados para detectar essas doenças em programas de triagem neonatal, não havendo ainda consenso sobre quais as condições que mais se beneficiariam dessa identificação precoce e sobre quais as melhores alternativas para essa triagem, se através da dosagem de enzimas ou de biomarcadores, e também se questiona sobre qual abordagem inicial utilizar, se testes bioquímicos ou análises genômicas. O presente projeto tem por objetivo avaliar e comparar as diferentes estratégias para a triagem neonatal de doenças lisossômicas tratáveis no Brasil, estimar os custos relacionados a esse programa e produzir recomendações para a implementação dessa triagem com base em evidências científicas. Essas questões são cruciais face à sanção da lei 14.154, em maio de 2021, que incluiu as doenças lisossômicas na fase 3 da ampliação do Programa Nacional de Triagem Neonatal (PNTN), a ser implementada num futuro próximo no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Roberto Giugliani

Ciências Biológicas

Genética
  • instituto nacional de ciência e tecnologia de genética médica populacional - inagemp
  • Podemos afirmar que as doenças genéticas raras vêm assumindo relevância crescente, que transcende sua baixa prevalência individual, a partir de duas constatações: 1) como incluem um número muito grande de condições (entre 6 a 8 mil doenças), acabam afetando uma parcela significativa da população, o que tem exigido uma atenção cada vez maior do governo, traduzida em políticas públicas adotadas ou por adotar; 2) como 80 % delas decorrem de uma falha no mecanismo genético que controla nosso desenvolvimento e/ou funcionamento, representam um oportunidade única para o entendimento dos mecanismos biológicos normais e, consequentemente, para o desenvolvimento de novos métodos de diagnóstico e/ou tratamento (inclusive para doenças não raras), o que tem atraído a atenção de investigadores e de empresas. Onde as doenças genética raras podem ser melhor estudadas é nas populações isoladas, nas quais sua frequência relativa é maior do que na população em geral. O marco teórico e a metodologia de ação estabelecidos pelo INaGeMP, inovadores em termos globais, serviram de referência para o desenvolvimento de uma nova disciplina, a Genética Médica Populacional (GeMePo), situada na interface entre a Genética Médica, Populacional, Epidemiológica e Comunitária. Ao longo do período 2008-2014 o INaGeMP consolidou-se no cenário nacional e internacional através de ações de investigação de doenças genéticas raras em isolados populacionais em todas as regiões do Brasil. Além de trazer benefícios diretos às comunidades atingidas, essas ações contribuíram para a formação de recursos humanos em vários níveis, resultaram em inúmeras publicações, divulgaram a GeMePo para profissionais e estudantes da área da saúde, e atraíram o interesse de empresas, de organizações não-governamentais e do próprio governo, com repercussão importante na mídia, destacando-se uma recente reportagem no The Lancet (http://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(14)61425-2/fulltext). Para atingir seus objetivos, o INaGeMP estruturou uma rede com pesquisadores de referência na área, com 14 instituições participantes, cobrindo todas as regiões do país. Isso inclui a instituição-sede (HCPA), 5 instituições associadas (UFRJ, FIOCRUZ, UFRGS, UFPA e CEMIC-Argentina), 18 laboratórios associados e investigadores parceiros em diversos países. As decisões estratégicas continuarão a ser tomadas pelo Comitê Gestor, formado pelo Coordenador, Vice e por 3 representantes de instituições associadas, o qual manterá no período 2015-2020 suas reuniões mensais presenciais, de fundamental importância para a supervisão de um projeto desta dimensão. O INaGeMP conta com uma sólida estrutura operacional, coordenada desde sua Instituição-Sede, onde tem uma área física própria com plenas condições de trabalho para o coordenador e sua equipe de funcionários da UFRGS e do HCPA integralmente dedicados ao INCT. Parte fundamental da sua estrutura do INaGeMP são os “serviços de apoio multiusuário” (core facilities). Quatro deles foram implementados no período 2008-2014 e serão consolidados e ampliados nesta nova etapa: Apoio Metodológico/Bioinformática, Detecção de Mutações em Larga Escala, Georeferenciamento e Genética Bioquímica/Citogenômica. Dois novos serão criados, incluindo o de Sequenciamento de Nova Geração e o BioBanco Brasil de Doenças Raras. Este conjunto de 6 serviços de apoio, cada um operando em uma das 6 instituições proponentes (sede + associadas), estará à disposição dos investigadores do INaGeMP de modo a atender do modo racional e custo-eficiente as necessidades dos projetos desenvolvidos nas comunidades. Ao longo da segunda metade do período 2008-2014, a metodologia “Rumor” utilizada pelo “Censo Nacional de Isolados (CeNIso)”, uma das principais iniciativas do INaGeMP, identificou suspeitas de doenças genéticas com prevalência supostamente aumentada em mais de 200 populações no país, suspeitas que serão validadas e investigadas ao longo do período 2015-2020. Com a finalidade de otimizar o beneficio para a área da saúde das inúmeras redes relacionadas com genética médica em operação no Brasil e em outros países sul-americanos, o INaGeMP se propõe ser o centro coordenador de uma “Rede de Redes”, utilizando sua experiência e seu conhecimento na área, e incorporando o importante programa ECLAMC a esta iniciativa, o que será também um instrumento de internacionalização do INCT. Um programa de formação e divulgação será desenvolvido em paralelo, tendo com um dos principais eixos cursos a distância e suporte remoto a agentes comunitários e teleconsultores sobre genética na saúde. Também desenvolveremos aplicativos para celular e tablets para facilitar o registro e documentação das condições genéticas investigadas em qualquer lugar do Brasil, e expandiremos o alcance do “Atlas” de defeitos congênitos para dar apoio online e multilingual aos investigadores. O trabalho desenvolvido vem despertando a atenção de empresas inovadoras cujo foco é o desenvolvimento de novas metodologias de diagnóstico e/ou tratamento para doenças raras, e muitas delas já declararam interesse em estabelecer parceria com o INaGeMP. Mas é para o governo que deverão ser transferidos muitos dos resultados do projeto, para apoiar a consolidação das políticas públicas importantes para a área (doenças raras, triagem neonatal, registro de malformações, entre outras). A expansão das atividades do INaGeMP para a América Latina e para a África foi contemplada no novo projeto, não só através do estudo de focos de doenças genéticas nessas regiões, mas também pelo projeto toolkit para avaliação de necessidades em saúde na área de defeitos congênitos. Concluindo, a CONSOLIDAÇÃO e AMPLIAÇÃO das ações do INaGeMP, a DIFUSÃO dos conhecimento na área, a INTERNACIONALIZAÇÃO da sua base territorial, a formação da REDES DE REDES, deverá produzir resultados a serem TRANSFERIDOS para a sociedade, incluindo as comunidades atingidas, empresas inovadoras e as diversas esferas do governo.
  • Hospital de Clínicas de Porto Alegre - RS - Brasil
  • 29/11/2016-30/11/2024
Foto de perfil

Roberto Gonzalez Duarte

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • coevolução entre regulamentação ambiental e desenvolvimento científico-tecnológico nas ciências agrárias: transição para a sustentabilidade
  • A crescente relevância do setor agrícola na economia brasileira deveu-se em grande parte aos avanços científico-tecnológicos realizados, sobretudo nas instituições públicas de pesquisa e universidades. Se pesquisas passadas contribuíram para o incremento da produtividade, o desafio futuro para as ciências agrárias é assegurar a sustentabilidade dos sistemas agrícolas. O enfrentamento e o resultado desse desafio dependem das interações entre os agentes de diferentes esferas - setor agrícola, ambiente normativo-institucional, ciência e tecnologia e social - que compõem um sistema sociotécnico, definido como um conjunto de elementos técnicos e sociais visando à realização de de funções sociais. Geels (2020) propõe a perspectiva multinível, que leva em conta tanto as mudanças radicais (nichos tecnológicos) quanto os regimes sociotécnicos, que representam a estrutura institucional tangível, e as influências dos contextos mais amplos (landscape). A perspectiva coevolutiva, por sua vez, propõe que organizações, populações e ambientes sejam entendidos como resultado da interação entre intencionalidade gerencial, influências institucionais e fenômenos ambientais. Diante dos crescentes impactos ambientais do setor, das demandas por modelos mais sustentáveis e da emergência de agentes privados na pesquisa científico-tecnológica, este projeto propõe a pergunta - como as regulamentações ambientais e os avanços científico-tecnológicos (público e privado) nas ciências agrárias coevoluem ao longo da transição sociotécnica para a sustentabilidade?. São três os objetivos: analisar (i) como os diferentes atores do sistema sociotécnico se influenciam mutuamente e coevoluem ao longo do tempo; (ii) como essa influência determina o processo e o resultados de inovação científica e tecnológica para a sustentabilidade nas ciências agrárias; e (iii) o papel dos agentes públicos e privados nesse processo. A pesquisa, longitudinal, baseia-se em dados secundários, utilizando-se o NVivo.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025