Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Neide Santos

Ciências Biológicas

Genética
  • avaliação de polimorfismos e expressão de genes relacionados com doenças autoimunes/inflamatórias na síndrome de turner
  • A síndrome de Turner (ST) é caracterizada pela ausência, parcial ou total, de um segundo cromossomo sexual, com o cariótipo 45,X sendo observado em 50% dos casos. As pacientes ST podem apresentar outros cariótipos, incluindo alterações estruturais do cromossomo X, como também diversas condições clínicas. As complicações sistêmicas mais comuns são defeitos cardíacos e renais, osteoporose e, na idade adulta, síndromes metabólicas e doenças autoimunes. As pacientes ST apresentam um risco duas vezes mais elevado de desenvolver doenças autoimunes e desordens inflamatórias comparadas às mulheres em geral. Entre as doenças autoimunes e inflamatórias mais comuns estão a tireoidite de Hashimoto, que afeta cerca de 50% das pacientes, diabetes mellitus tipo 1 e 2, doença celíaca, colite ulcerosa, doença de Crohn, psoríase, vitiligo e alopecia. Dentre os diversos genes que estão envolvidos na regulação da resposta imune e em desordens inflamatórias, nosso grupo avaliou polimorfismos dos genes PTPN22, CTLA4, FOXP3 e VDR numa coorte de ST do Estado de Pernambuco, podendo relatar uma associação entre o SNP rs231775 do gene CTLA4 e a obesidade, contudo não foi associado com outras desordens inflamatórias ou imunes. Neste sentido, será fundamental avaliar se polimorfismos genéticos, bem como o perfil de expressão de genes da imunidade atuam modulando a imunidade nessas pacientes. Dessa forma, pretendemos avaliar SNPs dos genes PTPN22 (C1857T), ZFAT EX9b-SNP10, MYO9B (rs2305767, rs1545620, rs1457092, rs2305767, rs2305764), bem como a expressão desses genes, no grupo ST e controle. A metodologia a ser utilizada envolve métodos estabelecidos no grupo, onde os ensaios de genotipagem e de expressão gênica serão realizados pela técnica de PCR em tempo real.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Neilo Marcos Trindade

Engenharias

Engenharia Nuclear
  • investigação de novos materiais naturais e sintéticos para uso em dosimetria luminescente.
  • A radiação ionizante desempenha um papel central no desenvolvimento da área estratégica tecnológica nuclear em vários campos. Por exemplo, todos nós desfrutamos dos benefícios da radiação, tanto para diagnósticos como radiografias quanto para terapia como tratamento de câncer. Por outro lado, o mundo também testemunhou situações de risco associadas à exposição à radiação, como explosões de bombas e acidentes em usinas nucleares. Portanto, é necessário desenvolver métodos para a determinação quantitativa da energia depositada em um determinado meio por radiação ionizante direta ou indiretamente, campo de ação denominado dosimetria. Nesse caso, materiais dosimétricos, naturais e/ou sintéticos, são utilizados para monitorar doses pessoais e ambientais, bem como doses de radiação recebidas em atividades médicas, espaciais e de segurança. Nosso grupo pretende estudar dosímetros naturais, como minerais e fungos de origem nacional, que encontram aplicação em dosimetria retrospectiva de dose em casos de acidentes nucleares, e podem ser uma alternativa de menor custo aos sintéticos. Por outro lado, nós também pretendemos desenvolver materiais cerâmicas à base de óxidos, assim como compósitos de minerais e polímeros, que tem a vantagem da síntese controlada e dos altos níveis de reprodutibilidade, e aplicações em diversas áreas que envolvem proteção radiológica, como hospitais e viagens espaciais. Dentro desse contexto, o objetivo da pesquisa é investigar os efeitos da radiação ionizante (beta, gama e raios X) e luz UV em diversos materiais com foco em dosimetria. Nessa pesquisa serão usadas técnicas como Absorção Óptica (AO), Termoluminescência (TL) e Luminescência Opticamente Estimulada (LOE), Radioluminescência (RL) e Catodoluminescência (CL). Os resultados trarão um grande avanço no conhecimento dos efeitos de radiação em diversos meios com potencial de aplicação em dosimetria pessoal, espacial e de acidentes nucleares.
  • Instituto Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Neiva Furlin

Ciências Humanas

Educação
  • mecanismos institucionais para a defesa dos direitos das mulheres em universidades brasileiras: contribuições para a superação de desigualdades e violências
  • O presente projeto de pesquisa está vinculado ao Grupo de Pesquisa Educação, Políticas Públicas e Cidadania da UNOESC e pretende averiguar se as universidades brasileiras têm criado mecanismos institucionais de defesa aos direitos das mulheres, isto é, para o enfrentamento de processos de violência e práticas sexistas no meio acadêmico. Alcançar a igualdade de gênero e o empoderamento de todas as mulheres e meninas é o 5º dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) apresentados pela Agenda 2030 da ONU. Desse modo, verificar se as universidades criam políticas específicas para enfrentar processos de violência, sexismo e discriminação que ameaçam os direitos das mulheres torna-se significativo para evidenciar qual é a sua contribuição para a promoção de uma educação pautada na cultura da paz, da não violência e da igualdade, como acena os objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU. Assim, o objetivo central desse estudo é mapear os mecanismos institucionais criados em universidades brasileiras para a defesa dos direitos humanos das mulheres, analisando suas finalidades e ações para o enfrentamento de processos de violência e de discriminação e para a promoção de uma cultura de equidade e justiça social. Trata-se de estudo qualitativo, do tipo exploratório, documental e analítico, cujos dados serão levantados por meio da consulta aos sites das universidades e documentos. Utiliza-se do método hermenêutico-dialético (MINAYO, 2014) para a análise dos dados, tendo como base as proposições dos tratados internacionais sobre os direitos humanos das mulheres e os referenciais teóricos acerca do patriarcado (SAFFIOTI 2015; HOOKS, 2018); Gênero (SCOTT, 2019; LAURETIS 2019), equidade de gênero (LAGARDE, 1996), nas concepções que envolvem as relações de poder, segundo a contribuição epistemológica das teorias feministas.
  • Universidade do Oeste de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 17/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Neli Teresinha Galarce Machado

Ciências Humanas

Arqueologia
  • mudanças climáticas, paisagens e povoamento da bacia hidrográfica do guaíba durante o holoceno tardio
  • Este estudo realizará a reconstrução paleoclimática dos últimos ~3000 anos na bacia hidrográfica do Guaíba, relacionando os resultados ao processo de povoamento de populações horticultoras durante o Holoceno tardio (populações Guarani e Jê Meridionais). A pesquisa buscará compreender como era o clima antes da chegada dessas populações, e como evoluiu após o seu estabelecimento. Os dados permitirão avaliar se condições ambientais foram decisivas para a colonização da área. A área delimitada se localiza na porção central e nordeste do Rio Grande do Sul, abrangendo 9 bacias hidrográficas: Alto Jacuí; Pardo; Vacacaí; Baixo Jacuí; Taquari-Antas; Caí; Sinos; Gravataí e Lago Guaíba. Nessa região, os últimos ~2000 anos foram marcados pela intensificação dos fluxos migratórios: os Jê, que se expandiram desde o Brasil central, e logo os Guarani, procedentes da Amazônia. Cruzando dados palinológicos com dados arqueológicos, pretende-se apresentar indicadores chave para se compreender: as mudanças climáticas ocorridas nos últimos ~3000 anos; a relação entre as mudanças climáticas e as dinâmicas populacionais; a dinâmica espaço-temporal da ocupação humana na região estudada. Para discutir a evolução paleoclimática regional serão obtidos testemunhos sedimentares para análises palinológicas. Também será realizado levantamento botânico e de amostras superficiais para chuva polínica em áreas chave, que permitam associar o espectro palinológico com tipos específicos de vegetação, gerando um modelo atual das variações do passado gravadas no registro palinológico. Para compreender a cronologia do povoamento regional, será realizado levantamento dos sítios arqueológicos de ambas populações, incorporando datações radiocarbônicas disponíveis na bibliografia e novas datas a serem obtidas em sítios-chave. Estes podem já estar escavados e, portanto, apresentar coleções disponíveis para amostras datáveis, ou também poderão ser obtidas em novos sítios.
  • Universidade do Vale do Taquari - UNIVATES - RS - Brasil
  • 15/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Nelita Gonçalves Faria de Bessa

Engenharias

Engenharia Civil
  • elas na engenharia: por que não?
  • O projeto "Elas na Engenharia: Por que Não?" está em consonância com as políticas institucionais da UnirG, recentemente passando de Centro Universitário para Universidade de Gurupi, mediante alcance de indicadores para esta transformação, dentre tais aqueles relativos a execução de projetos de pesquisa ensino e extensão com integração da sociedade. Temos assim histórico de programas, projetos e ações com e sem fomento externo junto a escolares, como: PIBID/CAPES, PROEXT/MEC, Prodocência, Educação empreendedora, Extensão e estágios curricularizados. Conta com termo de cooperação com secretarias de educação e cadastro na plataforma Freire/Capes com escolas municipais e estaduais. Criada em 1985, sendo IES pública genuinamente tocantinense, tendo a engenharia civil um curso de graduação dentre os 14, disponibilizará neste projeto corpo docente de doutores, mestres e especialistas, predominantemente feminino e atuantes nas engenharias. As experiências anteriores subsidiarão a execução do projeto cujo objetivo será “Desenvolver conhecimentos aplicados do núcleo curricular comum da formação das engenharias junto as mulheres e meninas do 6° ano do ensino fundamental ao ensino médio de escolas públicas de Gurupi-TO, que tem o programa Mais Educação e são cadastradas na plataforma Freire/Capes, com envolvimento de professoras escolares, docentes do curso de engenharia civil da UnirG e acadêmicas, tendo como estratégias a adequação de intervenções pedagógicas para séries do ensino formal, relato de vivências de mulheres das áreas de engenharia e formações por meio de eixos integradores do conhecimento como Robótica, Concreto de Alta Resistência (COCAR), Lançamento de Foguete de Garrafas PET, associando o Letramento Científico na transversalidade das abordagens bem como fortalecendo a cultura das profissões das engenharias para o sexo feminino e as várias possibilidades de atuação. O Letramento Científico é definido a apropriação de conhecimentos científicos na ajuda da formação de cidadãos que serão capazes de usar as informações aprendidas para entender e resolver questões pessoais e sociais. A escolha das cinco (5) escolas de Gurupi-TO para participação no projeto obedeceu aos critérios daquelas que já estão cadastradas na plataforma Freire/Capes, bem como já estão realizando atividades em conjunto com a Universidade de Gurupi (Programa PIBID-reforço didático-pedagógico na área de licenciatura/bacharelado) e também tem o Programa Mais Educação: Física e Matemática implementado. Espera-se que tenham o conhecimento sobre a área da engenharia, competências e habilidades das profissões perfeitamente possíveis de concretização por mulheres e assim possam ser despertas para o ingresso em cursos superiores e/ou técnicos e tecnológicos nas áreas das engenharias, e para aquelas em risco de evasão no curso, possam ter suporte para enfrentar e romper as dificuldades. A nossa IES tem em sua missão a responsabilidade com o desenvolvimento Local regional e coaduna com os interesses do CNPq, por meio das políticas públicas que contribuem para esta questão. Dentre elas, coaduna com a necessidade de executar políticas afirmativas de Gênero em áreas do conhecimento de relevante interesse para sociedade e desenvolvimento, que são as engenharias e de suporte a infraestruturação do País, bastante incipientes na região Norte. Este projeto poderá contribuir com a resolução da problemática do desconhecimento das habilidades e competências inerentes a área de engenharia por escolares bem como da estigmatização relativa ao gênero feminino nestas áreas e ainda evasão de acadêmicas em curso, visto dificuldades de aprendizagem. No ensino formal no Brasil, especialmente ensino fundamental e médio, ainda é pouco articulado com o processo de despertar para vocações bem como para não associá-las a questão de gênero, naturalmente sendo este fator reflexo do comportamento da sociedade em que vivemos.
  • Fundação UNIRG - TO - Brasil
  • 15/04/2021-31/10/2022
Foto de perfil

Nelson Antonio Pirola

Ciências Humanas

Educação
  • um estudo sobre a autoeficácia em relação à resolução de problemas geométricos na educação básica
  • O tema central da proposta envolve dois aspectos importantes do ensino da Matemática escolar: autoeficácia e resolução de problemas. A autoeficácia, tema explorado pela Teoria Social Cognitiva, de modo geral, diz respeito às crenças que as pessoas têm em relação as suas capacidades para desenvolver alguma ação. A resolução de problemas tem se constituído em um eixo medular do ensino da Matemática escolar. A pesquisa tem como objetivo geral investigar a autoeficácia de alunos do Ensino Fundamental, Ensino Médio e da Educação de Jovens e Adultos (EJA) no processo de resolução de problemas geométricos. Além disso, pretende-se identificar as fontes de autoeficácia que servirão de base para a elaboração de um produto educacional com orientações aos professores sobre como desenvolver a confiança dos alunos em tarefas de resolução de problemas geométricos Os seguintes aspectos justificam a realização da pesquisa: 1- forte influência que a autoeficácia tem no desempenho e na motivação dos estudantes para a resolução de problemas; 2- baixa produção no campo da Educação Matemática relacionada às articulações entre esses dois aspectos; 3- ausência de material didático para o professor com atividades e reflexões sobre como avaliar e trabalhar a autoeficácia dos alunos. O problema de pesquisa é plausível, uma vez que muitas pesquisas em Psicologia da Educação Matemática têm mostrado baixo desempenho dos estudantes na resolução de problemas, sendo que isso pode estar relacionado à falta de confiança dos alunos nessa tarefa. Trata-se de pesquisa com delineamento misto (quanti e qualitativo). Será elaborado e validado um instrumento para avaliar a autoeficácia dos alunos, bem como as suas fontes de autoeficácia. A partir dos resultados da pesquisa será elaborado o produto educacional e, por meio do delineamento de pesquisa participante, esse produto será aplicado e validado em turmas de alunos do Ensino Fundamental, Ensino Médio e EJA.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Nelson Ferreira Fontoura

Ciências Biológicas

Ecologia
  • sítio peld pró-mata: floresta ombrófila e campos de altitude do sul do brasil
  • A RPPN Pró-Mata abriga, em seus 3100 hectares, ecossistemas remanescentes primários e em regeneração da Mata Atlântica, localizando-se na borda do planalto da Serra Geral do Rio Grande do Sul. Apresenta também fragmentos de campos de altitude sem impacto do gado ou fogo desde 1994. Além de extensas áreas de Floresta Ombrófila Mista (mata com Araucária) ao longo da borda do Planalto, nos limites de menor altitude, observa-se a Floresta Ombrófila Densa, ou Mata Atlântica stricto sensu. Estes ecossistemas e seus ecótonos representam na RPPN Pró-Mata, assim como nas seis unidades de conservação federais e estaduais do entorno, uma considerável fração das florestas nativas do Estado do Rio Grande do Sul, que são tombadas pela UNESCO e compõe a Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, reconhecida internacionalmente como um dos 25 hotspots de biodiversidade mundial. Criada com o objetivo de conservação e pesquisa, a RPPN Pró-Mata dispõe de 900 m² de área construída, com alojamentos individuais e coletivos, laboratórios, sala de aula e refeitório, mantida por um corpo permanente de seis funcionários entre gerente de operações, funcionários de hotelaria e de manutenção. Recomendamos a navegação pelo site da RPPN Pró-Mata, incluindo a visualização de vídeo institucional, através do link: https://www.pucrs.br/ima/pro-mata/. A RPPN Pró-Mata, com orçamento próprio anual de aproximadamente R$ 700.000,00, dentre despesas de pessoal, custeio e investimentos, é administrada pelo Instituto de Meio Ambiente da PUCRS (IMA). Considerando-se que a presente proposta é coordenada pelo próprio diretor do IMA, a mesma terá todo o apoio institucional necessário para que os objetivos propostos sejam alcançados. Por outro lado, o vice-coordenador da proposta é coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Evolução da Biodiversidade da PUCRS, de forma a garantir que as atividades de pesquisa desenvolvidas tenham um forte viés de formação de pessoal. A equipe principal do projeto, elencada nominalmente, compreende 17 professores e pesquisadores da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), além de bolsistas de pós-doutorado, estudantes de mestrado e doutorado, assim como colaboradores de instituições nacionais e internacionais. Destacamos que dentre o elenco de pesquisadores principais, sete são bolsistas de produtividade em pesquisa do CNPq, incluindo o coordenador e vice-coordenador da proposta. O projeto encontra-se dividido em oito subprojetos, listados a seguir, cada qual coordenado por pesquisadores qualificados em suas áreas de atuação. (1) Parcelas permanentes na Mata Atlântica do Sul do Brasil; (2) Biodiversidade e distúrbio por fogo em campos de altitude do Sul do Brasil; (3) Ecologia e diversidade de abelhas silvestres associadas à Floresta Ombrófila Mista; (4) Dinâmica da assembleia de aranhas da RPPN Pró-Mata; (5) Dinâmica da assembleia e estudo bioquímico-funcional de anfíbios frente a um cenário de mudanças ambientais; (6) Riqueza e composição de aves em gradiente de vegetação na RPPN Pró-Mata; (7) Dinâmica sazonal e interanual da assembleia de mamíferos da RPPN Pró-Mata; (8) Inventário e monitoramento molecular da biodiversidade da RPPN Pró-Mata. Por fim, o Sítio PELD RPPN Pró-Mata terá um forte viés de divulgação científica. Pretende-se a realização de vídeos em formato documentário sobre o projeto geral e cada de subprojeto. Os vídeos serão produzidos em formato de 15-20 minutos para depósito em conta específica do YouTube, assim como versões curtas de 1 minuto para divulgação em exposição permanente do Museu de Ciências e Tecnologia da PUCRS, com visitação anual de quase 220 mil pessoas (2019), assim como nas redes sociais. Sugerimos a visualização de documentário modelo sobre pesquisa em aves, com 14 minutos, produzido na RPPN Pró-Mata: https://drive.google.com/file/d/1ONsKo6UOIUZOLNN2iBmZvEXZ3xDqUfFv/view?usp=sharing.
  • Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 03/12/2020-31/12/2023
Foto de perfil

Nelson Pôrto Ribeiro

Ciências Sociais Aplicadas

Arquitetura e Urbanismo
  • materiais e técnicas construtivas históricas: a tradição luso-brasileira
  • O estudo das técnicas construtivas históricas da cultura portuguesa na América (sec. XVI ao XIX) através da documentação tratadística assim como dos contratos de obras e demais documentos coevos. O presente projeto inscreve-se no contexto da relativamente recente disciplina da História da Construção, que, apesar de ter direito próprio e de se configurar em importante aparato teórico e conceitual para melhor compreensão da ação do homem através do tempo, tem também um papel significativo na ciência da preservação e restauração dos monumentos arquitetônicos. A pesquisa no Projeto em tela será direcionada para um estudo das técnicas e dos materiais da tradição construtiva Luso-brasileira através da elaboração de verbetes para uma obra de grande alcance dirigida para especialistas, mas também para amantes da arquitetura. Cada verbete conterá não apenas uma definição, mas também uma historiografia destas definições através das distintas conceituações encontradas na documentação produzida no âmbito do Império português, utilizando-se para tanto de fontes diversas, mas particularmente centradas na produção técnica de engenheiros e arquitetos portugueses e brasileiros. Cada verbete será finalizado com um arrazoado critico elaborado pelo pesquisador, apontando nos equívocos e nos acertos conceituais assim como tentando acompanhar a evolução das técnicas e das práticas. A nossa principal hipótese é de que a tradição construtiva lusa - ao longo do século XIX em Portugal suplantada pela tradição francesa da Polytechnique - na América portuguesa, mesmo depois da proclamação da Independência, vai perdurar, em especial nos meios práticos e vernáculos já que a nossa Politécnica foi tardia (1874). Para tanto, além de nos debruçarmos sobre a tratadística acadêmica, vamos também abordar os manuais técnicos destinados aos ofícios específicos e os ‘livros de modelo’, composto por exemplos a serem copiados – esta literatura foi muito presente neste último século.
  • Universidade Federal do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Nelson Torro Alves

Ciências Humanas

Psicologia
  • cognição social em adultos: desenvolvimento de instrumentos e estudo clínico
  • A cognição social se refere ao modo como as pessoas percebem, interpretam e reagem as informações do ambiente social. Pode ser definida em função de diferentes componentes, incluindo a percepção emocional, a percepção social, a teoria da mente e o estilo de atribuição. Estudos têm demonstrado que alterações nesses processos podem comprometer a qualidade das interações sociais e a adaptação dos indivíduos. O presente projeto de pesquisa foi estruturado em dois estudos direcionados para o entendimento da cognição social (CS). O primeiro compreende o desenvolvimento de uma bateria de rastreio da CS em idosos e a adaptação transcultural de dois instrumentos para avaliação da teoria da mente (ToM) em adultos. Até o momento, não existem instrumentos específicos para o rastreio de prejuízos na CS de idosos, mesmo sendo este um dos critérios atuais para o diagnóstico de transtorno neurocognitivo maior. Também há carência de instrumentos de avaliação da teoria da mente em adultos, tendo sido a maioria deles desenvolvida para o universo infantil. O segundo estudo trata da investigação das bases cerebrais de um dos principais aspectos da cognição social, que compreende o reconhecimento das emoções faciais (REF) e de suas alterações no acidente vascular cerebral (AVC). Neste estudo, participantes com lesão no hemisfério esquerdo e direito e voluntários controle realização testes de reconhecimento de expressões faciais, associado ao registro de eletroencefalografia das respostas cerebrais evocadas durante a visualização das faces O entendimento dos prejuízos na cognição social pode contribuir para a formulação de estratégias de intervenção mais precoces, seja através do desenvolvimento de tarefas de reabilitação cognitiva, ou por meio da aplicação de técnicas de neuromodulação, no campo das estratégias não farmacológicas de intervenção. Destaca-se ainda que o estudo permitirá o desenvolvimento de instrumentos de avaliação da cognição social ainda não disponíveis no Brasil.
  • Universidade Federal da Paraíba - PB - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Neusa Hamada

Ciências Biológicas

Zoologia
  • insetos aquáticos dos biomas amazonas e mata atlântica: taxonomia e composição de espécies
  • Historicamente a Amazônia e a Mata Atlântica eram contínuas. Esses biomas possuem densa rede hidrográfica que, devido às atividades antrópicas, está perdendo sua biodiversidade, o que resulta na alteração da composição das espécies. Essa perda e alteração ocorrem, muitas vezes, antes mesmo de serem conhecidas pela ciência. Insetos têm papel-chave nos serviços ecossistêmicos em ambientes aquáticos, mas, o conhecimento sobre eles nesses biomas é pontual e fragmentado. Por terem diferentes graus de sensibilidade, os insetos têm sido utilizados na avaliação de impacto ambiental e na conservação de ambientes aquáticos. Informações sobre esses organismos em ambientes preservados, nos diferentes tipos de floresta que compõem esses dois biomas, são necessárias para subsidiar estudos aplicados, biogeográficos e de conservação. O objetivo dessa pesquisa é inventariar insetos aquáticos (Ephemeroptera, Odonata, Trichoptera, Megaloptera, Coleoptera e Diptera) em diferentes fitofisionomias da Amazônia e da Mata Atlântica, descrevendo espécies novas e estágios de vida não descritos. Adicionalmente, será construído um banco de dados e de imagens dos insetos desses biomas. Grupos de pesquisas trabalhando com ecologia, que geralmente identificam os organismos em nível de família, serão capacitados em taxonomia, o que aumentará o poder analítico dos estudos aplicados. Para isso, serão amostradas 12 áreas de floresta, 6 na Amazônia (AC, AM, PA) e 6 na Mata Atlântica (BA, MG/ES, SP). Os inventários padronizados permitirão realizar comparações da riqueza e composição da fauna coletada nesses biomas, dados inexistentes, até o momento, mas essenciais para compreender a distribuição das espécies no gradiente ambiental e subsidiar estudos biogeográficos, além de ações conservacionistas. Atividades de divulgação utilizando insetos aquáticos como ferramenta para mostrar a importância de conservar áreas de floresta serão desenvolvidas junto ao público infantil e geral nas áreas de estudo.
  • Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - AM - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Neusa Maria John Scheid

Ciências Sociais Aplicadas

Direito
  • a mediação como modo alternativo de solução dos danos e conflitos decorrentes da impactação do uso excessivvo de agrotóxicos sobre a effetivvação do direito à agua e à alimentação saudável.
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - RS - Brasil
  • 31/01/2020-30/01/2025
Foto de perfil

Neuza Maria Alcantara Neves

Ciências Biológicas

Parasitologia
  • investigação pré-clínica do potencial terapêutico de imunoterápicos hipoalergênicos e adjuvantes vacinais no tratamento da alergia causada por ácaros da poeira
  • Nosso grupo de pesquisa na Universidade Federal da Bahia, em colaboração com um grupo internacional e com a Fundação Oswaldo Cruz, vem desenvolvendo com sucesso versões mutagenizadas hipoalergênicas de proteínas de ácaros da poeira para utilização como alternativas à imunoterapia alérgeno-específica (AIT) atual, que é uma estratégia tradicionalmente utilizada para tratamento das doenças alérgicas. Resumidamente, já produzimos, caracterizamos e patenteamos as seguintes proteínas recombinantes hipoalergênicas: Blo t 2.8X e BTH2 (derivadas de Blomia tropicalis); QBD2, QBD4, rDer p 2231, K110G e E87S (derivados de Dermatophagoides pteronyssinus). Desenvolvemos também uma nova quimera multiepitópica hipoalergênica (QMH) destes ácaros. Além disso, estamos avaliando o potencial imunomodulatório para doenças alérgicas de proteínas recombinantes dos helmintos Trichuris trichiura (rTtMIF e rTtFBPA), Schistosoma mansoni (Sm200, SmKI, elastase) e Strongyloides venezuelensis (SS-NIE-1 e SsiR). Serão também avaliadas as associações dos hipoalérgenos com nanopartículas carreadoras desenvolvidas pelo nosso grupo, que têm PLGA e quitosana como base polimérica para administração controlada. Portanto, na proposta atual pretendemos dar continuidade aos estudos desenvolvidos pelo grupo avaliando: i) as moléculas hipoalégenicas já patenteadas em modelos murinos agudo e crônico de alergia respiratória induzida por ácaros; ii) QMH nesses modelos murinos; iii) as moléculas de helmintos e nanopartículas citadas como adjuvantes vacinais dos hipoalérergenos em modelos murinos. Alguns parâmetros de eficácia serão avaliados como: produção de anticorpos IgG bloqueadores, redução na produção de IgE, redução de citocinas no perfil de TH2 e redução da inflamação celular nas vias áreas dos animais através de análises histopatológicas. Esse estudo será essencial para comprovar a eficácia de formulações hipoalergênicas desenvolvidas para utilização em AIT de nova geração para doenças alérgicas.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 06/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Neuza Mariko Aymoto Hassimotto

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • biodisponibilidade e variabilidade interindividual de flavanonas de citrus
  • Estudos realizados por nosso grupo de pesquisa demonstrou que a laranja (Citrus sinensis L. Osbeck) e o suco de laranja são as principais fontes de flavonoides da dieta do brasileiro. O consumo de flavonoides, especialmente as flavanonas de citrus, por sua ação antioxidante e anti-inflamatória, e modulação do metabolismo lipídico e de carboidratos, podem contribuir para a redução do risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, resistência insulínica e diabetes tipo II. Contudo, os flavonoides da laranja são extensivamente metabolizados e observa-se uma grande variação interindividual na sua absorção, distribuição, metabolização e excreção (ADME), o que pode explicar a grande heterogeneidade na resposta biológica observada nos diversos estudos clínicos, ou seja, alguns indivíduos podem ser mais ou menos responsivos aos efeitos benéficos do consumo do suco de laranja e dos flavonoides de citrus. Fatores como idade, IMC, estado de saúde, background genético e principalmente a microbiota intestinal podem influenciar na ADME. Em ensaios clínicos, inclusive um realizado por nosso grupo, identificou três sub-grupos de indivíduos que foram estratificados em alto, médio e baixos excretores de metabólitos de flavanonas após a ingestão de suco de laranja. Assim, o objetivo deste trabalho é identificar os fatores determinantes que influenciam a biodisponibilidade de flavanonas de citrus, identificando subgrupos de acordo com a excreção dos metabólitos, e correlacioná-los com possível efeito sobre a expressão gênica em leucócitos e marcadores cardiometabólicos. Para isso, será planejado um ensaio clínico randomizado, não controlado, com voluntários de ambos os sexos, onde consumirão diariamente suco de laranja. Anterior ao estudo e após o término da intervenção, serão coletados sangue, fezes e urina-24 h. Serão analisados os parâmetros bioquímicos, cardiometabólicos, marcadores inflamatórios, perfil de microbiota intestinal e metabólitos de flavanonas.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 30/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Newton Cesario Frateschi

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • laboratório integrado de fotônica na unicamp (lif)
  • Propomos a criação deste laboratório no programa SISFOTON com a ambição de se estabelecer como um centro de excelência em pesquisa, capacitação e inovação na área de fotônica. Isto será feito juntando-se nossos laboratórios de óptica tanto do Instituto de Física Gleb Wataghin (IFGW–UNICAMP), como da Faculdade de Engenharia Elétrica e Computação (FEEC–UNICAMP), o laboratório multiusuário CCSNano e o INCT-INFABiC, todos com a já demonstrada capacidade na formação de talentos e inserção em áreas e tecnologias de ponta de micro- e nano-fabricação, assim como no estabelecimento de interações com outras áreas, em particular a medicina e a biologia. Neste Centro será possível combinar o sofisticado parque de equipamentos já existente, e que incluem equipamentos essenciais de micro- e nano-fabricação e análise, com novos equipamentos de prototipagem para baixo volume. Também se buscará grande interação com empresas na área de frontend, tal como o IMEC na Bélgica, que certamente, estará inserido em nosso ecossistema local para prototipagem e certificação e outras demandas de desenvolvimento de produto. Por fim, o problema da manutenção e operação deste ambiente é parcialmente sanado considerando a relação sustentável entre empresas externas, empresas incubadas ou startups utilizando o centro, ambas demandando serviços do espaço multiusuário e cursos/consultoria/mentoria de capacitação e empreendedorismo. Os recursos a serem injetados no laboratório e áreas de prototipagem advém de financiamentos tanto privados quanto públicos com base em seus modelos de negócios diretamente conectados às demandas do mercado. Em suma, este laboratório destacar-se-á na pesquisa fundamental e aplicada em fotônica e na convivência e interação com novas empresas principalmente, as chamadas startups hard techs, permitindo uma simbiose onde as empresas ganham pelo acesso a um parque de equipamentos e à interação com pesquisadores de grande experiência para alavancarem seus negócios e, também, por poderem recrutar e treinar talentos. Concomitantemente, a academia ganha por ter parte de seus custos financiados por abrigar estas empresas e por alinhar mais sua pesquisa a temas diretamente ligados às necessidades das empresas, ainda que tocando a fronteira do conhecimento. E, por fim, ganha também por ter uma perspectiva de encaminhamento de seus estudantes e bolsistas para atuarem nestas empresas fazendo do centro um atrator de talentos.. Ganha o país por ter a ciência e o desenvolvimento socioeconômico alinhados. Como nota final, devemos destacar que toda a parte de interação entre empresas e nosso laboratório se dará via a Agência de Inovação da Unicamp - Inova, já também reconhecida como referência de núcleo de inovação tecnológica no Brasil. Portanto, nossa proposta combina centros de excelência em fotônica, com laboratórios multi-usuário, com estabelecidos núcleos de inovação tecnológica para se tornar um habitat potencializador de talentos, de conhecimento e de novas empresas.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 20/07/2021-31/07/2024
Foto de perfil

Ney Pereira Carneiro dos Santos

Ciências Biológicas

Genética
  • estudo genômico aplicado à terapia da leucemia linfoide aguda em pacientes ameríndios e miscigenados da amazônia
  • A Leucemia Linfoide Aguda (LLA) apresenta em todo mundo um padrão divergente de sucesso terapêutico em populações etnicamente diferentes. No geral, o sucesso do tratamento clínico é maior em populações europeias e menor em populações hispânicas e com elevada contribuição ameríndia. Nestas populações, o prognóstico desfavorável está relacionado principalmente com a ocorrência de toxidades graves que limitam o tratamento adequado e podem, muitas vezes, levar à morte dos pacientes. Trabalhos realizados pelo nosso grupo de estudo mostram que populações miscigenadas e ameríndias da Amazônia brasileira apresentam toxicidade grave ao tratamento padrão para a LLA. As diferenças étnicas observadas no padrão divergente de resposta a fármacos podem ser explicadas, em boa parte, por flutuações nas frequências de importantes variantes funcionais de genes associados com absorção, distribuição, metabolismo e excreção (ADME)fármacos empregados na terapia. Em todo caso, o conhecimento prévio da variabilidade presente em uma determinada população é fundamental para a escolha dos melhores biomarcadores a serem empregados na prática clínica. O presente projeto apresenta um histórico de sucesso com 13 publicações internacionais e já realizado um screening mutacional na população amazônica em genes de ADME (dados obtidos a partir do exoma realizado em fase anterior deste projeto) Com intuito de validar as potenciais variantes genéticas já identificadas na fase de exoma como biomarcadores de medicina de precisão que possam explicar as elevadas toxicidades observadas, o presente projeto tem objetivo de aplicar e validar um painel de marcadores genômica presente em genes responsáveis pela (ADME) de fármacos usados no tratamento da LLA em pacientes ameríndios e miscigenados.
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 21/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Neyval Costa Reis Junior

Ciências da Saúde

Farmácia
  • formação de doutores em áreas estratégicas na ufes
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 06/01/2020-06/01/2025
Foto de perfil

Ng Haig They

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • efeito alelopático de macrófitas aquáticas sobre bactérias heterotróficas e potencial uso biotecnológico em anti-incrustrantes
  • A bioincrustração é a colonização de superfícies submersas por micro- e macro-organismos. A adesão a estruturas como píers, tubulações e cascos de navios causa grandes prejuízos econômicos, que têm sido historicamente combatidos com coberturas anti-incrustrantes à base de metais e outros compostos com alta toxicidade tanto para as espécies alvo quanto não-alvo. De forma de reduzir o alto impacto ambiental, é crescente o apelo por bioativos, extraídos principalmente de plantas, e que atuam reduzindo biofilmes bacterianos, a fase inicial da bioincrustração. Macrófitas aquáticas (MA) são excelentes candidatas, uma vez que muitas possuem efeito alelopático negativo sobre bactérias autotróficas (BA) (cianobactérias). Contrariando o consenso de que a matéria orgânica das MA é sempre benéfica às bactérias heterotróficas (BH), evidências experimentais e de campo indicam menor biomassa e metabolismo de BH associadas às MA, sugerindo alelopatia também sobre BH. Este projeto pretende comprovar o efeito alelopático de MA sobre BH, bem como avaliar o potencial de MA no combate à bioincrustração.Iremos selecionar espécies de MA com registro de atividade ou potencial alelopático sobre BA ou BH e realizar experimentos em comunidades e isolados bacterianos. Exporemos comunidades naturais de bactérias à coexistência e a extratos aquosos e alcoólicos de MA, verificando se há alterações de densidade, biovolume, biomassa, perfil de morfotipos, atividade enzimática e viabilidade celular das bactérias em relação aos controles (MA não alelopáticas ou solventes). Será testada a capacidade dos extratos das MA em inibir e erradicar biofilmes de isolados de bactérias obtidas de superfícies (acrílico, compensado naval, aço carbono e concreto) expostas a ambientes marinho, estuarino e límnico. Além dos avanços teóricos sobre o papel da alelopatia nos ecossistemas aquáticos, os resultados apresentam potencial de aplicação em tintas anti-incrustrantes mais sustentáveis.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Nicolas Floriani

Ciências Agrárias

Agronomia
  • núcleo de estudos e capacitação sociotécnica de populações tradicionais em agroecologia nos territórios faxinalenses
  • Este projeto de ensino, pesquisa e extensão tem como objetivo principal promover a capacitação sociotécnica de comunidades rurais tradicionais faxinalenses do Centro Sul paranaense com base em princípios e práticas da agroecologia. O criação do núcleo terá como finalidade a promoção do empoderamento cultural e técnico das famílias de agricultores envolvidas respeitando-se as territorialidades tradicionais (os modos de viver e habitar de uma dada coletividade no território). Parte-se do pressuposto que o projeto agroecológico apresenta-se como um modelo alternativo de relação socioambiental guiado pelos princípios da sustentabilidade ecológica, equidade social e viabilidade econômica, em conformidade com as particularidades históricas e geográficas de cada grupo social. A escolha por um ou outro modelo socioprodutivo em uma comunidade rural ultrapassa o plano teórico discursivo, abrindo-se para o jogo complexo entre variáveis de diversas ordens, seja ecossistêmica (as vocações produtivas e as capacidades de regeneração dos ecossistemas), sociocultural (valores substantivos e imaginários a partir dos quais reafirmam-se as práticas de solidariedade comunitária e regimes de propriedade da terra), econômica (formas de exploração dos recursos, organização do trabalho e repartição do seus produtos) e política (a territorialização de políticas institucionalizadas de ciência, assistência e extensão rural, bem como das dinâmicas globais do capital). Assim, incidem no território diversas racionalidades sociais e subjetividades, tornando complexa a interpretação das escolhas coletivas e individuais por um ou outro modelo socioprodutivo no cotidiano de uma comunidade. Desse cenário multivariado emergirão, em última análise, (re)arranjos socioterritoriais com repercussões em nível de representações, conhecimentos e práticas de agrobiodiversidade. Tal abordagem exige, para tanto, o reconhecimento da existência de outras narrativas de natureza e, portanto, a abertura ao diálogo de saberes que coloque em pé de igualdade os discursos (científico e dos saberes locais) acerca das múltiplas escalas e dimensões: dos fenômenos espacial (o território de uma coletividade social e ecológica) e temporal (o tempo social e o tempo biológico). Nesses termos, propõem-se a formação de um núcleo de ensino, pesquisa, extensão em agroecolgia que possibilite a formação e empoderamento de cinco comunidades rurais tradicionais faxinalenses do Paraná com base um uma proposta metodológica inter e transdisciplinar (entre as disciplinas e entre os saberes científico e local), baseadas na tríade etnometodológica hermenêutico-fenomenológica-accionalista - que coadunarão em três metas: i) elaboração de modelos explicativos da territorialidade tradicional e dos problemas socioambientais em nível regional; ii) elaboração de cursos e oficinas de capacitação sociotécnica em agroecologia, que inclui o empoderamento jurídico e cultural, em conformidade com as territorialidades doravante caracterizadas; possibilitando, iii) a identificação dos aspectos (dimensões) mais relevantes e decisivos para a efetivação ou não desse projeto agroecológico, isto é, dos capitais socioculturais catalizadores de práticas alternativas de produção (de base ecológica), de geração de renda (dinamização da economia territorial) e empoderamento jurídico (efetivação dos direitos socioterritoriais) dos agentes comunitários. A implantação de Unidades de Referência nas comunidades tradicionais visaria duas modalidades de produtos: a) Fichas Agroecológicas com Tecnologias Apropriadas à Produção Orgânica; b) Feiras técnico-científicas, dias-de-campo, oficinas participativas com acadêmicos e comunidade, vivências de agriocultores e acadêmicos, visitas técnicas entre os agricultores; Para a população beneficiada serão produzidos cursos de capacitação sociotécnica, empoderamento jurídico e inclusão em redes de atores sociais agroecológicos. Em termos acadêmicos, almeja-se a realização de seminários e eventos com a equipe interdisciplinar (com colaboradores nacionais e internacionais) e o púbico beneficiado, a publicação de resumos expandidos e artigos, a consolidação de linhas de pesquisa e a orientação de monografias, dissertações e teses.
  • Universidade Estadual de Ponta Grossa - PR - Brasil
  • 01/08/2017-31/10/2022
Foto de perfil

Nidia Noemi Fabré

Ciências Biológicas

Ecologia
  • peld-apa costa dos corais-al (peld-ccal) fase 2: resiliência socioecológica e capacidade adaptativa da apa costa dos corais
  • O PELD-CCAL teve seu início em dezembro de 2016 e é fruto de uma colaboração entre praticamente todos os laboratórios do Programa de Pós-Graduação em Diversidade Biológica e Conservação nos Trópicos da Universidade Federal de Alagoas (PPG-DIBICT/UFAL), e este sítio está concluindo o primeiro quadriênio de atividades em 2020. O PELD CCAL propõe um sistema integrado de monitoramento a longo prazo dos processos ecológicos e sociais essenciais que ocorrem dentro do sistema sócio-ecológico da Área de Proteção Ambiental Costa dos Corais (APACC). Situada na costa nordestina, entre Tamandaré- PE e Maceió- AL, a APACC é a maior unidade de conservação (UC) federal marinha do Brasil. Ela abrange mais de 400 mil ha de área e cerca de 120 km de praias, recifes, bancos de gramas marinhas e manguezais. É classificada como UC de uso sustentável, buscando coadunar os objetivos de conservação/ preservação ambiental e os usos direto (pesca) e indireto (turismo e pesquisa) dos recursos naturais de maneira sustentável. Nesta primeira fase buscamos responder quais foram os efeitos das atividades antropogênicas nos ecossistemas e zonas de manejo da APACC; quais os padrões temporais e espaciais das comunidades biológicas, processos ecológicos e das percepções dos usuários dessa UC; que indicadores de qualidade ambiental podem ser usados para medir a resiliência ecológica e cultural da APACC; qual a eficácia das zonas de manejo da UC; e quais as linhas de base para os indicadores biológicos e sociais para os ecossistemas e zonas de manejo dentro da APACC. Na segunda fase do projeto PELD CCAL, proposta para essa nova chamada CNPq/MCTI/ CONFAP-FAPs/PELD Nº 21/2020 do Programa de Pesquisa Ecológica de Longa Duração – PELD, buscamos focar no ponto de vista da avaliação e monitoramento da resiliência socioecológica da APACC. Devemos, portanto, nesta fase 2 do PELD CCAL avaliar cuidadosamente: a contribuição de diferentes componentes do ecossistema costeiro para as necessidades humanas (por exemplo, geração de renda, segurança alimentar, identidade cultural); a dependência relativa de diferentes grupos de usuários (por exemplo, marisqueiras, pescadores, operadores de turismo e ecoturismo) dos diferentes componentes do ecossistema costeiro; o efeito dos usuários sobre os componentes do ecossistema costeiro; e o impacto da mudança ambiental (por exemplo, poluição, mudança climática) e mudança cultural (por exemplo, mudanças demográficas, flutuações econômicas) sobre essas dinâmicas e a capacidade de adaptação das comunidades locais para responder a essas mudanças. Nossa proposta metodológica busca obter resultados que ressaltem a importância da conectividade entre três diferentes compartimentos da porção Alagoana da APACC: I- Litoral: estuários/manguezais-praias; II- Sublitoral-Nerítico “mar de dentro"; e III- Oceânico-epipelágico “mar de fora”. As expressões mar de dentro e mar de fora correspondem ao jargão utilizado pelas comunidades locais (CEL) para os ambientes marinhos. Além disso, os objetivos específicos estão focados em indicadores de monitoramento em escalas locais, (regionais, quando consideramos as atividades que serão desenvolvidas em parceria com outros PELDs e INCT AmbTropc II) e globais para aqueles indicadores que podem indicar respostas as mudanças climáticas globais. Para Atingir esses objetivos, a equipe interdisciplinar do projeto irá adotar abordagens inovadoras, como o uso de sensores remotos (drones) para monitorar peixe-boi e tartarugas marinhas, e métodos de dados grandes (big data) para recolher informações sobre os serviços culturais ecossistêmicos e ainda compartilhar dados científicos relacionados ao projeto. Se renovado o financiamento para este novo ciclo, o PELD CCAL, continuará a ser o primeiro e único sítio de pesquisa ecológica de longa duração em alagoas, continuando a trazer um efeito transformador sobre os membros da equipe interdisciplinar, elevar o perfil da pesquisa ecológica na universidade e construir a capacidade necessária em um dos estados mais pobres do Brasil.
  • Universidade Federal de Alagoas - AL - Brasil
  • 05/01/2021-31/01/2025
Foto de perfil

Niels Olsen Saraiva Câmara

Ciências da Saúde

Medicina
  • o papel do sensor de dna intracelular, aim2, e da molécula sinalizadora, sting, no metabolismo da célula epitelial tubular proximal e no desenvolvimento da fibrose renal
  • A fibrose renal é uma característica comum da doença renal crônica (DRC) e um determinante importante da perda progressiva da função renal, acarretando a necessidade de diálise ou transplante. Durante a fibrogênese ocorre uma reprogramação metabólica nas células epiteliais tubulares (CETs) que afeta seu fenótipo e função. Os ácidos nucleicos (DNA) liberados após estresse celular são reconhecidos por sensores citoplasmáticos, AIM2 e STING, que induzem inflamação. Ademais, níveis elevados de DNA mitocondrial se relaciona com a inflamação em pacientes em hemodiálise e com o prognóstico da DRC. Nossa hipótese é de que a ativação destas moléculas isoladamente ou em cooperação influencie no metabolismo de CETs, promovendo inflamação e o desenvolvimento da fibrose renal. Animais condicionais nocautes específicos dos sensores em CETs (iKap-Cre/Aim2fl/fl, iKap-Cre/Stingfl/fl, e seus controles) serão submetidos à UUO e sacrificados com 1, 4, 7 e 10 dias. CETs destes animais serão isoladas para cultivo e serão ativadas com Poly dA:dT, 2’3’-cGAMP, DNAmt, TGF-b e/ou à hipóxia (1,5% O2) numa cinética. Verificaremos a localização subcelular de AIM2 em CETs e sua interação com fatores transcricionais de genes pró-fibróticos. Amostras serão obtidas para estudo da expressão gênica por RNASeq e por qPCR e proteica. O metabolismo celular será avaliado por metaboloma, Seahorse, microscopia confocal e eletrônica (massa, morfologia mitocondrial) e citometria de fluxo (captação de glicose, potencial de membrana e dinâmica mitocondrial). Resultados preliminares demonstraram que ativação do AIM2 modula a expressão de genes do metabolismo, concomitante com o aumento da expressão de genes pró-fibróticos num modelo de fibrose renal e em CETs hipóxicas. Acreditamos que os resultados deste projeto revelarão novos mecanismos fisiopatológicos e alvos para o tratamento da DRC e subsidiarão outros estudos sobre a fisiopatologia da DRC.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025