Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Andreza Barbosa

Ciências Humanas

Educação
  • inovar, empreender, modernizar: (neo)tecnicismo nas universidades estaduais paulistas
  • O tecnicismo pedagógico, tendência de destaque na educação brasileira na década de 1970, teve seus pressupostos questionados pelo campo educacional na década seguinte e foi retomado de forma paulatina por ocasião da implantação das reformas educacionais de caráter gerencialista nos anos de 1990. Com forte apoio das tecnologias digitais, o neotecnicismo pedagógico tem sido associado às denominadas metodologias ativas de ensino e à inovação da educação. Esses pressupostos, já difundidos na educação básica e na educação superior privada, chegam recentemente às universidades públicas que, mesmo com reconhecida crítica, observada principalmente na produção dos últimos 20 anos sobre ensino na educação superior, passam a incorporar o neotecnicismo ao discurso da modernização dos cursos de graduação, fenômeno que constituirá o foco central deste projeto de pesquisa. As universidades públicas estaduais paulistas (Usp, Unesp e Unicamp) têm publicado editais internos de chamada de propostas voltadas à modernização do ensino de graduação por meio de mudanças nos currículos e incorporação de novas metodologias. Frente a isso, o objetivo do projeto é compreender a presença do neotecnicismo pedagógico nas três instituições paulistas por meio da análise de editais destinados à chamada modernização e/ou inovação dos cursos de graduação. A questão norteadora é: quais são os pressupostos pedagógicos que se expressam em tais editais e quais suas relações com o contexto político atual posto para a educação superior? Para tal, essa investigação será desenvolvida em três etapas complementares: i) elaboração de estado do conhecimento dos últimos 20 anos sobre a dimensão do ensino na educação superior brasileira; ii) identificação e análise de editais voltados à modernização e/ou inovação dos cursos de graduação; iii) realização e análise de entrevistas com os profissionais responsáveis pela elaboração e acompanhamento desses editais.
  • Pontifícia Universidade Católica de Campinas - SP - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Andreza Pain Marcelino

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • produção e avaliação de protótipo de ensaio imunoenzimático-elisa para o diagnóstico da leishmaniose tegumentar americana: comparação entre antígeno solúvel de l.(v.) braziliensis e proteína quimérica multiepitopo de linfócitos b
  • Trata-se de um estudo de validação de método para diagnóstico da leishmaniose tegumentar americana-LTA por Ensaio Imunoenzimático-ELISA. O ELISA constitui método diagnóstico sorológico de fácil execução, baixo custo e muito utilizado na rotina diagnóstica de diversos agravos. A coleta de soro é um procedimento universalmente utilizado e o transporte e armazenamento de amostras sorológicas é bem estabelecido e regulado no Brasil. No entanto, não existe na Rede Pública de Saúde, até o momento, um método sorológico eficaz, em relação aos aspectos de acessibilidade, custo e desempenho, para o diagnóstico da LTA. O Laboratório de Pesquisa Clínica e Vigilância em Leishmanioses (LaPClinVigiLeish) do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) possui experiência no atendimento de pacientes suspeitos de LTA, na assistência clínica como também laboratorial e utiliza esta técnica “in house”, com antígenos brutos de Leishmania (Viannia) braziliensis para diagnóstico da LTA. Entretanto, este método necessita de padronização e validação para que possa ser descentralizado para outras unidades de atendimento laboratorial do país, principalmente porque a LTA não é uma doença que induza a produção de altos níveis de anticorpos. A padronização de método sorológico altamente sensível e especifico agregaria valor ao diagnóstico da LTA considerando as dificuldades existentes para a realização de biópsias para o diagnóstico parasitológico de certeza e a logística para a coleta, transporte e análise do material obtido por biopsias e escarificação das lesões, principalmente a necessidade de profissional adequadamente treinado para a leitura das laminas de exame direto e estrutura laboratorial para a realização do cultivo “in vitro”. Por outro lado, sabemos que a produção de kits diagnósticos em escala industrial com antígenos brutos é difícil, principalmente para manutenção dos meios de cultura. Muitos pesquisadores investigam modelos antigênicos com proteínas sintéticas ou recombinantes, que possam apresentar vantagens não só em relação ao desempenho como também na facilidade de produção em larga escala. A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Departamento de Patologia Clínica, desenvolveu uma proteína quimérica de epítopos de linfócitos B, com resultados promissores, para uso em ELISA para diagnóstico da LTA. Sendo assim, este projeto propõe a padronização e avaliação de dois protótipos de kits ELISA utilizando os dois princípios antigênicos distintos supracitados, comparando o desempenho de cada um deles e elegendo o melhor modelo como proposta para produção de kits diagnósticos para LTA. Esta produção será realizada na plataforma de produção de kits diagnósticos de Bio-Manguinhos, Fiocruz e avaliados pelo LaPClinVigiLeish.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 14/12/2020-30/06/2023
Foto de perfil

Anelise Reis Gaya

Ciências da Saúde

Educação Física
  • determinantes da obesidade em pré-escolares sul-brasileiros: sunrise estudo
  • A presença de problemas de saúde na vida adulta, adquiridos na infância, destaca a situação nutricional atual e fortalece a importância de ações preventivas à ocorrência do sobrepeso e obesidade. É no ambiente familiar e escolar que as crianças desenvolvem seus hábitos e seu estilo de vida, nesses ambientes a criança estabelece suas preferências alimentares, tem os primeiros contatos com as telas, com brincadeiras e com os comportamentos do dia-a-dia, incluindo novas recomendações para crianças as quais propõem o entendimento do comportamento do movimento nas 24 horas (sono, atividade física e comportamento sedentário) afim de prevenir riscos precoces à saúde. Portanto, o presente projeto tem a pretensão de identificar quais os fatores associados à incidência de sobrepeso e obesidade em crianças com idades entre 2 a 5 anos. Para determinar esses fatores associados, nosso estudo realizar-se-á em um período de três anos, composto por quatro avaliações das mesmas crianças e seus familiares em uma amostra selecionada aleatoriamente em quatro regiões do sul do Brasil. Em cada um dos períodos recorreremos a avaliação do índice de massa corporal, perímetro da cintura , comportamento do movimento 24 horas composto pelas horas de sono, atividade física e tempo comportamento sedentário (acelerômetros), habilidades motoras, hábitos alimentares, cognição, estilo de vida dos pais e familiares mais próximos, nível socioeconômico e características do ambiente que residem. Nossa pretensão será produzir evidências sobre os principais determinantes da incidência da obesidade desde a infância por meio das análises de modelagem multinível que estabelecem uma relação hierárquica desses fatores. Isso significa afirmar que variáveis de nível diferenciado podem agir isoladamente ou em interação com outras variáveis de maneira a produzir efeitos específicos, individuais ou agregados no contexto analisado. Por fim, buscando evidencias para a prevenção precoce da obesidade.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Anete Abramowicz

Ciências Humanas

Educação
  • transnacionalismo e proposta curricular para a educação das relações étnico-raciais e da diferença no ensino.
  • A proposta apresentada pretende estabelecer uma rede transnacional de investigação entre pesquisadores e pesquisadoras brasileiras em parceria com instituições internacionais: Universidad Distrital Francisco José de Caldas (Colômbia), Georgia State University (EUA), Centro de Estudos sobre América Latina- CLAS/Stanford University, Université d´Orleans e Université Paris-Nanterre (França), que há algum tempo desenvolvem pesquisas em parceria com o Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros da Universidade Federal de São Carlos, com o Grupo de Pesquisa: estudos sobre a criança, a infância e a educação infantil: políticas e práticas da diferença, e com os/as pesquisadores/as que compõem a equipe desta proposta. O projeto que apresentamos objetiva, em uma primeira etapa, dar continuidade a pesquisa em curso que tem desenvolvido uma análise de contextos diferenciados de relações étnico-raciais estadunidense, colombiano, francês e brasileiro, no sentido de verificar como as universidades parceiras têm investigado a temática das relações étnico-raciais buscando identificar a maneira pela qual essas temáticas aparecem no ensino superior. Este projeto amplia a análise para verificar de que maneira estes temas aparecem na educação básica e no ensino médio. Pretende-se também, nesta primeira etapa, analisar se há confluências, entre o projeto que apresentamos com a Base curricular transnacional para os países do MERCOSUL, estudo realizado pelo Conselho Nacional de Educação/UNESCO e com outros currículos transnacionais. Desta forma, nesta primeira etapa, pretende-se identificar de que maneira a educação nos países envolvidos têm realizado mudanças e quais são elas, em sua estrutura formal, administrativa e normativa e quais pesquisas e ênfases têm sido produzidas na temática. Em uma segunda etapa, pretende-se elaborar uma proposta temática e curricular na perspectiva da diferença, particularmente, naquilo que se referem às relações étnico-raciais objetivando o combate ao racismo e às discriminações em diferentes contextos nacionais. Ao mesmo tempo, pretende-se como resultado disponibilizar materiais didáticos e paradidáticos, referências bibliográficas, documentário, repertório audiovisual e aulas no interior desta temática para que possam ser acessados em ambiente virtual, como um resultado piloto. O projeto tem como pressuposto epistemológico a construção da agência sob uma nova perspectiva e deste modo, exige outra base epistemológica e metodológica dos acontecimentos históricos, das linguagens, das artes, das ciências etc., de maneira a visibilizar os grupos que denominaremos minoritários e/ou subalternos (no decorrer da pesquisa pretendemos precisar tais conceitos), como, por exemplo, os negros, as crianças, os/as pobres, e aqueles/as que não fazem parte de grupos hegemônicos de gênero e sexualidade. Deste modo, o foco do projeto é construir referências teóricas de matrizes diversas de conhecimentos, de epistemologia e metodologia cuja centralidade seja a diferença para que se possa impactar e propor mudanças na educação das relações étnico-raciais e culturais. A metodologia da pesquisa é de natureza analítica e documental a partir dos pressupostos teóricos dos autores vinculados ao debate sobre a diferença. No interior da metodologia teremos uma pesquisa experimental ao disponibilizar como resultado uma proposta curricular transnacional, além de documentário e repertório audiovisual em um ambiente virtual de livre acesso. Procuraremos levar em conta na plataforma virtual à acessibilidade para a população surda, que terá tradução para Libras (Língua Brasileira de Sinais).
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-31/12/2022
Foto de perfil

Anete Alberton

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • futuros de energia sustentável: impacto das partes interessadas no setor de energia
  • A sociedade atualmente enfrenta desafios sociais e ambientais. Dentre os componentes da infraestrutura social, a energia apresenta grande amplitude de interações e impactos ambientais. As transições para novos regimes sociotécnicos são necessárias e são construídas a partir de processos negociados entre diferentes atores. A inovação transformadora sofre pressões das instituições estabelecidas, ao mesmo tempo em que novos atores fazem pressão em favor de configurações sociotécnicas alternativas. Ante a pluralidade de alternativas e a viabilidade de cada uma associada às políticas de enfrentamento, é preciso considerar que diferentes trajetórias trazem diferentes stakeholders e, além disto, estes podem pressionar em direção a um ou outro caminho de transição. Combinações de políticas complexas, por exemplo, precisariam receber atenção de múltiplos analistas. O objetivo é analisar como o papel relacional dos atores reflete nos caminhos da transição energética para a sustentabilidade no Brasil. Pretende-se caracterizar as transições sociotécnicas para sustentabilidade e a perspectiva multinível enquanto framework de análise; aproximar teorias organizacionais do debate sobre transições energéticas; evidenciar os atores envolvidos no processo de transição, características e interações; realizando estudos de caso empíricos em empresas do setor. A proposta é plausível, pois há espaço para contribuição teórica de outros campos das ciências sociais, como o agregado de teorias organizacionais e, especialmente, a teoria dos stakeholders. A compreensão dos conflitos entre atores permite avaliar melhor as condições para que as transições sociotécnicas se materializem. O estudo apresenta caráter qualitativo e contextual, de caráter exploratório. Realizar-se-á prévia revisão sistemática da literatura científica. A coleta de dados inclui entrevistas semiestruturadas, observação e documentos. Propõe-se análise de conteúdo(software), interpretação narrativa, micro-história e QCA.
  • Universidade do Vale do Itajaí - SC - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Anete Pereira de Souza

Ciências Biológicas

Genética
  • emprego da associação de diferentes ômicas integradas à análise de seleção genômica e aprendizado de máquina para o desenvolvimento de cultivares de uva para suco
  • A viticultura brasileira inclui a produção de uvas para processamento e consumo in natura. A obtenção de plantas superiores ocorre por seleção fenotípica a elevado custo, a qual sofre influência do ambiente, dificultando a identificação precisa de melhores genótipos. Busca-se hoje tornar o Programa de Melhoramento de Videira (PMV) do Instituto Agronômico (IAC) mais eficiente, rápido e menos custoso. O uso de informações genéticas, fenotípicas e de diferentes ômicas integradas à análise de dados altamente eficiente é fundamental para a implementação da Seleção Genômica (SG). A SG promove maior eficiência, menor custo e redução do tempo, resultando em maior ganho genético. Assim, propomos uma abordagem metodológica conjunta, envolvendo: a) fenotipagem convencional e por imagem; b) associação genômica ampla (GWAS) em 300 acessos do Banco de Germoplasma de videira do IAC; c) desenvolvimento de modelos de SG para os caracteres de interesse (cor das bagas, qualidade do suco e resistência a doenças); d) obtenção de transcriptomas de genótipos contrastantes para os caracteres de interesse e construção de redes de coexpressão gênica (RCG); e) identificação de genes nas RCG envolvidos nos fenótipos de interesse e de marcadores moleculares para a SG; f) construção de modelos preditivos por aprendizado de máquina para a seleção assistida por marcadores, os quais serão aplicados ao PMV por meio das associações genótipo-fenótipo identificadas (caracteres de interesse). g) identificação de genótipos e cruzamentos para obtenção de novas variedades. h) estudos citogenéticos em genótipos de interesse para cruzamentos, para averiguar a normalidade meiótica. Com dados genômicos decifraremos os fenótipos ao nível gênico por meio das RCG, os quais são associados às características de interesse e aos marcadores, incluindo os possivelmente associados aos fenótipos resultantes de epigenética. Propomos realizar a primeira etapa imprescindível à implementação da SG no PMV do IAC.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 09/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Anete Trajman

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • diagnóstico auxiliado por computador para exclusão de tuberculose ativa em contatos de pacientes com tuberculose pulmonar – quebrando a cadeia de transmissão
  • Apesar de evitável e curável, a tuberculose (TB) ainda é a principal causa de morte por um único agente infeccioso no mundo.(1) Diferentes estratégias para aumentar a detecção da TB e a conclusão do tratamento nas últimas duas décadas não permitiram atingir as metas dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas para incidência de TB e declínio da mortalidade. A OMS(2) e as Nações Unidas(3) têm agora metas específicas para eliminar a TB até 2050 (End TB Strategy), e o tratamento preventivo da TB (TPT) desempenha um papel estratégico para atingir essas metas.(4) A prevenção da TB ativa através do tratamento da infecção latente por Mycobaterium tuberculosis (ILTB) é uma pedra angular para alcançar a eliminação da TB.(5) A ILTB afeta cerca de 25% da população mundial(6) e aqueles com alto risco de progressão para TB ativa, como pacientes com condições imunossupressoras ou com infecção recente, devem ser tratados para prevenir adoecimento. Os contatos de pacientes com TB pulmonar ativa são a maior população existente direcionada ao tratamento com ILTB. A declaração das Nações Unidas de 2018 recomenda tratar, até 2022, 6 milhões de pessoas vivendo com HIV (PVH), 4 milhões de contatos de crianças e 20 milhões de contatos de adultos de pacientes com tuberculose ativa.(7) Isso não é uma tarefa fácil, porque a cascata do cuidado com os contatos inclui várias etapas, desde o teste da ILTB, a exclusão da TB ativa e a prescrição e adesão ao tratamento. Muitas perdas ocorrem em todas as etapas dessa cascata, e menos de 20% daqueles destinados ao tratamento completam o TPT.(8) No Brasil, menos de 2% completam o TPT, com as maiores perdas nos estágios iniciais da cascata.(9) O passo da exclusão da TB ativa é um gargalo em muitos países de baixa e média renda (LMIC, da sigla em inglês), incluindo o Brasil. Atualmente, a OMS(4) e o Ministério da Saúde do Brasil(10) recomendam a triagem de sintomas e a radiografia de tórax (RxT). O risco de adoecimento é tão alto nas PVH e em crianças com menos de 5 anos de idade que a OMS recomenda que em países de alta carga da doença (todos LMIC), essa etapa possa ser pulada nessas duas subpopulações. O Brasil, no entanto, recomenda RxT em todos os contatos antes que o TPT possa ser prescrito.(10) A indisponibilidade da RxT e a necessidade de especialistas para interpretar os resultados atrasam ou impedem a exclusão da TB e portanto o início do TPT. Alterações do parênquima pulmonar por doenças que não TB ativa incluem sequelas de TB (fibrose, bronquiectasias, cavidades, calcificações), doença pulmonar obstrutiva crônica, pneumonias agudas, tumores, adenomegalias entre outras. Diversas imagens pulmonares que aparecem nos pacientes com a COVID-19, que recentemente atingiu já milhares de pessoas no planeta e pode acometer mais de metade da população, mesmo sem provocar sintomas, podem permanecer como sequela pulmonar, dificultando ainda mais a interpretação da RxT. Aplicativos que utilizam inteligência artificial foram desenvolvidos para superar essa barreira.(11–13) Nossa equipe tem trabalhado em estratégias para simplificar a cascata de atendimento de contatos e PLH para expandir o TPT nos LMIC. Anteriormente, trabalhamos em um novo teste baseado em soro para excluir TB, que apresentou um elevado valor preditivo negativo.(14) No projeto atual, pretendemos validar e desenvolver aplicativos para ler RxT de contatos e distinguir (a) padrões normais; (b) lesões parenquimatosas não relacionadas à TB e (c) lesões ativas da TB. O aplicativo desenvolvido pelo grupo será disponibilizado para incorporação no SUS, sem custos. Isso permitiria a exclusão no mesmo dia da TB ativa e a possibilidade de prescrição de TPR. Para isso, trabalharemos com uma equipe multidisciplinar que incluirá especialistas em TB, saúde pública e engenheiros especializados em inteligência artificial. Para aprendizado de máquina, usaremos um banco de dados RxT normal, de participantes de dois ensaios clínicos de diferentes regimes para tratar LTBI(15,16) e bancos de dados disponíveis publicamente de múltiplos RxT com e sem TB.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 20/06/2020-30/06/2023
Foto de perfil

Anete Trajman

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • impacto epidemiológico e interseção das pandemias por covid-19 tuberculose no brasil, rússia, índia e áfrica do sul
  • Área temática: Estudos epidemiológicos e testes clínicos para avaliar a sobreposição SARS-CoV-2 e outras comorbidades, em especial Tuberculose A atual pandemia global de COVID-19, causada por coronavírus da síndrome respiratória aguda grave 2 (SARS-CoV-2), representa uma grave ameaça à saúde humana e ao bem-estar globalmente, particularmente nos países BRICS. Em 1º de agosto de 2020, Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul sozinhos eram responsáveis por mais de 5,89 milhões de casos confirmados de COVID-19, quase um terço da carga global relatada da doença (~ 17,9 milhões), e 157.781 mortes. As lições aprendidas com pandemias de influenza anteriores sugerem que um considerável excesso de carga de morbidade e mortalidade deve resultar das interações entre COVID-19 e outras doenças respiratórias. Uma delas é a tuberculose (TB), doença infecciosa causada por Mycobacterium tuberculosis (M.tb), que matou cerca de 1,5 milhão de pessoas no mundo em 2019. Mais dados são necessários para compreender as interações epidemiológicas entre COVID-19 e TB em nível individual e populacional. Embora haja controvérsia, é possível que a COVID-19 tenha efeitos diretos na patogênese da TB, por ex. modulando o risco de progressão ou a gravidade da doença tuberculosa, o que resultaria no aumento da mortalidade em pacientes com TB. Por exemplo, um estudo mostrou recentemente que o tratamento de TB atual e prévio aumenta o risco de COVID-19 grave e morte em dados de vigilância de rotina precoce de pacientes com COVID-19 na África do Sul, indicando que os pacientes com TB representam uma população especialmente vulnerável que merece atenção especial durante a pandemia COVID-19. Compreender o impacto da COVID-19 epidemiológico e medidas de resposta relacionadas na epidemiologia da TB e na prestação de serviços de saúde para TB bem como desenvolver soluções inovadoras e pragmáticas para superar as consequências adversas é de extrema importância nos países do BRICS, onde a TB foi responsável por cerca de 569.000 mortes em 2019, um número que pode aumentar substancialmente durante e após a pandemia de COVID-19. Por outro lado, um melhor efeito de compreensão da TB nos desfechos (morbidade e mortalidade) da COVID-19 no nível individual (do paciente) também é importante, a fim de informar e individualizar o atendimento ao paciente e programar a necessidade de leitos, material e equipamento hospitalar. Corroborando essas preocupações, modelos recentes sugerem que um bloqueio de 3 meses e uma fase de restauração de 10 meses podem levar a 1,4 milhão de mortes adicionais por TB globalmente entre 2020 e 2025; o aumento de casos e mortes por TB pode resultar em um retrocesso de 5 a 8 anos nos esforços globais para eliminar a TB. Propomos um projeto colaborativo em 4 países do BRICS com uma carga simultânea e extraordinária de COVID-19 e TB. À medida que a epidemia por COVID-19 se dissemina nesses quatro países, compreender a interação do SARS-CoV-2 e da TB é essencial para reduzir a morbidade e mortalidade de curto e longo prazo. Através desta plataforma multipaíses única, a nossa equipe multidisciplinar desenvolveu uma abordagem inovadora para compreender as interações entre COVID-19 e TB no nível epidemiológico, de serviços de saúde e no nível clínico individual. Além disso, proporemos estratégias de mitigação para lidar com esse impacto e analisaremos seus efeitos utilizando métodos de modelagem inovadores. Usando uma abordagem de pesquisa multidisciplinar, pretendemos investigar o impacto epidemiológico e a interseção das pandemias por COVID-19 e TB em nível individual (paciente) e populacional. Para atingir este objetivo, o projeto tem os seguintes 5 objetivos complementares principais, com as equipes de cada país liderando, em colaboração, em domínios específicos. Estimaremos sistematicamente o impacto da COVID-19 e das medidas de resposta na cascata do cuidado da TB (Objetivo 1), o impacto da pandemia por COVID-19 na estrutura da população M.tb e os padrões de resistência aos medicamentos (Objetivo 2), e os desfechos clínicos dos pacientes com ambas as doenças (Objetivo 3). Usando uma abordagem de métodos mistos, pretendemos identificar um conjunto de medidas-chave para mitigar os efeitos da resposta COVID-19 a fim de agilizar a recuperação dos serviços de TB, o que pode mitigar retrocessos na luta contra a TB (Objetivo 4). Finalmente, usaremos abordagens de modelagem matemática inovadoras para estimar os efeitos da COVID-19 na incidência e mortalidade por TB em nível populacional nos 4 países (Objetivo 5), alimentando o modelo com os resultados dos objetivos anteriores. Vamos colaborar com programas nacionais de TB, outros parceiros governamentais, sociedade civil, grupos de defesa de pacientes, indústria e grupos acadêmicos. Contaremos com a atuação do comitê comunitário de acompanhamento de pesquisa (CCAP) em TB ao longo do projeto, desde a sua concepção até a divulgação dos seus resultados. Esperamos produzir, para tradução do conhecimento, além de artigos científicos, significativa capacitação humana, intercâmbio científico e um relatório abrangente para orientar os tomadores de decisão no sentido de mitigar as consequências da intersecção das pandemias de TB e COVID-19. Resumos executivos para cada objetivo serão produzidos.
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 10/04/2021-30/04/2023
Foto de perfil

Angel Roberto Barchuk

Ciências Biológicas

Genética
  • assinaturas moleculares -genômica, epigenômica e transcriptômica- e morfológicas da mudança de hospedeiros no besouro do feijão zabrotes subfasciatus
  • O ciclo de vida de boa parte dos insetos está intimamente associado à existência de plantas. Em insetos fitófagos, como os coleópteros Bruchinae, a escolha da espécie a ser utilizada como hospedeira para oviposição, alimentação e desenvolvimento é fundamental e está associada a combinações fenotípicas complexas. Estudos sugerem que as alterações fenotípicas associadas à escolha de hospedeiro são possibilitadas por variações nos níveis de expressão de genes que codificam para os sistemas quimiossensorial e de detoxificação. Porém, a escassa literatura não permite identificar padrões evolutivos, como a eventual ocorrência de ortologia, convergência ou evolução paralela. Sabe-se menos ainda da eventual função adaptativa de genes na escolha de determinado hospedeiro, que poderia ser avaliada mediante ensaios funcionais, e da influência de eventos epigenéticos no processo. Os carunchos Bruchinae são os responsáveis pela perda de 20% do valor dos grãos de leguminosas, que, como o feijão, representam a fonte proteica de 75% da população de países em desenvolvimento. Porém, não são conhecidos os aspectos moleculares que governam a capacidade reprodutiva destes insetos, mesmo que seja esta característica a que determina o sucesso da espécie em infestar grãos. Propomos avaliar as variações moleculares e morfológicas associadas com a mudança de hospedeiro de oviposição utilizando como modelo o caruncho do feijão, Zabrotes subfasciatus. Para isso, populações do inseto mantidas em Phaseolus vulgaris serão selecionadas por 10 gerações para o uso de Cicer arietimum, hospedeiro não usual. Indivíduos da população original e após seleção serão analisados mediante abordagens genômicas, epigenômicas, transcriptômicas e morfológicas. A eventual expressão gênica diferencial será validada por qPCR. As análises genômicas permitirão obter um genoma de referência para a espécie e determinar as variações genéticas e epigenéticas associadas ao uso de hospedeiros em insetos fitófagos.
  • Universidade Federal de Alfenas - MG - Brasil
  • 04/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Angela Foerster

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • simuladores quânticos e dispositivos integráveis
  • 1. Sistemas atômicos a baixas temperaturas, confinados em geometrias de baixa dimensionalidade, consolidaram-se como uma ferramenta fundamental para o estudo de propriedades básicas de sistemas quânticos e para a realização de dispositivos tecnológicos, no que se convencionou chamar de “segunda revolução quântica”. 2. A caracterização teórica desses modelos se dá com frequência no âmbito dos estudos de sistemas quânticos integráveis, onde a disponibilidade de soluções matemáticas exatas permite um amplo e profundo entendimento de suas propriedades. 3. Essa proposta tem por objetivo o estudo da dinâmica e propriedades físicas em sistemas quânticos passíveis de realização experimental com átomos a baixas temperaturas, visando a simulação de fenômenos físicos relevantes pertinentes a diferentes áreas da física e a proposição de possíveis dispositivos quânticos de relevância tecnológica. 4. Especificamente, daremos atenção especial a duas plataformas já estabelecidas no campo experimental: modelos integráveis de átomos dipolares e sistemas unidimensionais de átomos multicomponentes com interações fortes. 5. Tais plataformas são especialmente promissoras pois permitem um alto grau de controle experimental, o que garante uma grande liberdade para o estudo teórico de diversos fenômenos. Uma aplicação importante desses modelos é, por exemplo, a realização de dispositivos do tipo transístor onde as particularidades de cada modelo permitem a otimização do fenômeno de transporte quânticos. 6. A metodologia a ser adotada consiste na eleição de um fenômeno específico de interesse para a física fundamental (e.g., separação de carga e spin, tunelamento quântico, emaranhamento, transporte de spin) ou dispositivo de interesse (e.g. transístor de spin, circuitos quânticos), na adoção de um modelo adequado para o estudo do efeito (priorizando os modelos mencionados acima) e na realização de extensas simulações computacionais, adotando ferramentas já estabelecida.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025