Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Alessandra Lifsitch Vicosa

Ciências da Saúde

Farmácia
  • desenvolvimento de hidrogéis e microagulhas contendo micropartículas de paromomicina por técnica de impressão 3d para o tratamento da leishmaniose cutânea
  • As Leishmanioses são um conjunto de doenças infecciosas parasitárias negligenciadas, transmitidas por um inseto vetor, sendo considerada um problema de saúde pública no mundo inteiro. Uma das formas mais comuns de leishmaniose é a leishmaniose cutânea (LC) que se manifesta como lesões na pele. O tratamento atual da LC apresenta inúmeros problemas, sendo necessária a busca de terapias alternativas ou diferentes formas de administração dos fármacos que já são utilizados na clínica. Em virtude desta problemática, a impressão 3D apresenta uma vertente inovadora e interessante no intuito de poder desenvolver diversas formas farmacêuticas e permitir um tratamento personalizado. Baseado nisso, o objetivo geral deste trabalho é desenvolver hidrogéis tradicionais e hidrogéis obtidos por impressão 3D contendo micropartículas de paromomicina para aplicação tópica, assim como microagulhas obtidas por impressão 3D contendo micropartículas de paromomicina para aplicação transdérmica visando o tratamento da LC. A paromomicina foi escolhida por ser um dos fármacos mais estudados para administração local, mas que apresenta problemas de estabilidade e permeabilidade. Os protótipos de cada formulação serão desenvolvidos e caracterizados físico-quimicamente assim como as micropartículas contendo paromomicina. Os protótipos que apresentarem melhores resultados de caracterização serão submetidos a ensaios de liberação in vitro, estudo de permeação cutânea ex vivo e atividade anti-Leishmania in vitro e in vivo. Com isso, espera-se obter, um ou mais protótipos com características físico-químicas e biológicas adequadas para estudos posteriores visando propor alternativas mais seguras e eficazes para o tratamento da LC.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 23/06/2022-30/06/2024
Foto de perfil

Alessandra Luzia Da Róz

Engenharias

Engenharia Química
  • ii mostra científica e feira de ciências do ifsp itapetininga
  • A II Mostra de Científica e Feira de Ciências do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP) Câmpus Itapetininga é um evento idealizado e realizado pelas Coordenadoria de Pesquisa, Inovação e Pós-graduação, Diretoria Adjunta Educacional e Coordenadoria de Extensão do Câmpus Itapetininga do IFSP no âmbito da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Ao promover a II Mostra Científica e Feira de Ciências do IFSP Itapetininga pretende-se possibilitar que estudantes do Ensino Fundamental, Médio e Técnico das redes municipais, estaduais e federal do município de Itapetininga e região possam entrar em contato com um ambiente facilitador e estimulante ligado às ciências, corroborando o trabalho realizado em sala de aula por professores previamente treinados pelo corpo docente do IFSP, via parceria entre Prefeitura Municipal e Diretoria Estadual de Ensino. A II Mostra Científica e Feira de Ciências é um espaço para discussão, apresentação e exposição de trabalhos técnicos e científicos desenvolvidos e os melhores trabalhos serão premiados em diversas categorias, incluindo premiação exclusiva para meninas. No evento, além da apresentação de trabalhos, ocorrerão diversas atividades concomitantes, tais como: mostra de robótica, mostra de protótipos, Congresso Paulista de Ensino de Ciências, experimentos de ciências do projeto Show da Física, também iniciativa do Câmpus Itapetininga, e tour pelo Espaço Giroscópio de Ciências. O Câmpus possui ampla experiência na realização de eventos científicos, técnicos e tecnológicos, pois desde 2010 realiza seu Congresso de Iniciação Científica e o Work Tech Itapê. Em 2019, a I Feira de Ciência teve a participação de cerca de 110 trabalhos de várias cidades da região e ocorreu em outubro na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia com participação de mais de 1000 alunos, incluindo expositores do Ensino Básico e Médio. Devido a pandemia de COBID-19, a Feira não ocorreu no ano de 2020; porém, as atividades base da Feira, como manutenção das parceiras iniciadas, continuaram acontecendo para a implantação adequada da II Mostra Científica e Feira de Ciências do IFSP.
  • Instituto Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 15/04/2021-30/04/2023
Foto de perfil

Alessandra Matte

Ciências Humanas

Sociologia
  • sistemas agroalimentares no brasil: sustentabilidade e práticas culturais em espaços rurais e urbanos
  • A sociedade contemporânea vivencia em todo o mundo o recrudescimento da fome e da pobreza. Por outro lado, há o aumento da produtividade e da produção de alimentos em diferentes contextos globais. Assim, em um contexto de crescentes inequidades, a preocupação não somente com a origem, forma de processamento e qualidade, mas também da acessibilidade dos alimentos fica evidente. Com o intuito de elucidar o decurso desses processos e o seu impacto na segurança alimentar, o objetivo deste projeto consiste em analisar mudanças nos sistemas agroalimentares a fim de compreender aspectos da produção, do processamento, da comercialização e do consumo de alimentos, com ênfase na sustentabilidade e em práticas culturais presentes em espaços rurais e urbanos nas diferentes regiões do Brasil. A análise comparativa entre as diferentes regiões permitirá identificar as singularidades, assim como as semelhanças e diferenças, de maneira a desenhar caminhos para uma transição dos sistemas alimentares mais equitativos e sustentáveis. A equipe interdisciplinar fará uso de método misto, por ser um procedimento de coleta, análise e combinação de técnicas quantitativas e qualitativas em um mesmo desenho de pesquisa. A partir das lições geradas em escala local em cada um dos sítios do estudo, é almejado avançar e consolidar a produção de conhecimentos científicos úteis também para a tomada de decisão em nível regional e global, bem como torná-los acessíveis ao público geral. Participar de uma iniciativa em rede colaborativa, atuando em parceria com diversas instituições, possibilita a identificação de soluções sustentáveis e a capacitação e formação de recursos humanos. A proposta incentiva a produção e o acesso a alimentos de qualidade, a autonomia de famílias de produtores rurais por meio da promoção da comercialização de alimentos e a compreensão de escolhas dos consumidores, promovendo ações direcionadas ao estímulo de sistemas agroalimentares mais equitativos e sustentáveis.
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 19/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alessandra Mussi Ribeiro

Ciências Biológicas

Farmacologia
  • investigação dos mecanismos relacionados a atividade neuroprotetora dos compostos isolados de plantas 1,8 cineol, limoneno e mirtenol em modelo animal da doença de parkinson
  • A incidência de doenças neurodegenerativas teve um aumento expressivo nas últimas décadas. Dentre essas, a Doença de Parkinson (DP) tem um papel de destaque principalmente pelo seu caráter progressivo e limitante. Dessa forma, torna-se cada vez mais importante o desenvolvimento de intervenções terapêuticas mais inovadoras e eficazes para o tratamento da sintomatologia dessa doença. Dentro deste contexto, o Brasil é responsável pela gestão do maior patrimônio de biodiversidade do mundo, essas ricas fauna e flora podem ser fontes de substâncias biologicamente ativas com potencial terapêutico. Estudos demonstram que substâncias de extratos de plantas são potenciais agentes antioxidantes e anti-inflamatórios. que são verdadeiras “armas químicas” com diversos efeitos farmacológicos. Essas moléculas podem ser instrumentos que auxiliam no tratamento de doenças neurodegenerativas. Apesar do extraordinário potencial ainda há pouca utilização clínica desse tipo de bioativo. Recentemente, nós realizamos a bioprospecção de potenciais extratos de plantas que pudessem apresentar uma ação neuroprotetora quando testados em um modelo progressivo da DP em roedores. Nossos principais resultados mostraram que os extratos da Eplingiella fruticosa e Lippia grata apresentam atividade neuroprotetora, em comum ambos extratos tem terpenos. E mais, a manipulação biotecnológica desses extratos através da complexação com beta-ciclodextrina para melhorar a hidrofobicidade promoveu uma potencialização do efeito neuroprotetor, sugerindo um esboço para o desenvolvimento de um método para obtenção de um novo fármaco antiparkinsoniano. Neste contexto, na presente proposta de pesquisa, nosso objetivo é verificar se os terpenos 1,8 cineol, limoneno e mirtenol complexados com beta-ciclodextrina são os responsáveis pelos efeitos neuroprotetores já observados nos extratos de E. fruticosa e L. grata, além de investigar por qual(is) o(s) mecanismo(s) de ação(es) isso ocorre.
  • Universidade Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alessandra Pio Silva

Ciências Humanas

Educação
  • domas: valores civilizatórios para uma educação decolonial e antirracista
  • A educação decolonial antirracista deve ser protagonizada em nossas escolas o mais urgente possível, pois, apesar de haver leis que orientem que escolas prevejam em seus currículos conhecimentos focados nas afro-brasilidades, isso ainda não é efetivado na maioria das escolas. E, quando o fazem, os conteúdos aparecem de forma desconexa, dissociados da vida dos alunos. Assim, este projeto se enquadra na educação decolonial e antirracista, inserido numa realidade em que o currículo escolarizado ainda se encontra naturalizado pelo viés da colonialidade eurocêntrica. Desse modo, adotaremos um processo formativo para a transformação social, aquisição da consciência política e formação de identidades afrocentradas, tendo-se nos Valores Civilizatórios Afro-brasileiros a sustentação do currículo. Mesmo as Leis 10.639/03 e 11.645/08 sendo sancionadas há mais de 18 anos , muitas escolas não incluíram em seus currículos ações para o estudo da História e Cultura Afro-Brasileira. A questão central desse projeto é refletir junto com professores e alunos, a partir de suas experiências, sobre como, e se, a educação decolonial antirracista é abordada em escolas públicas da Região do Seridó do RN. Elucidar a questão acima é fundamental, pois a temática está em consonância com três objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU: educação de qualidade; redução das desigualdades; paz, justiça e instituições eficazes. Ademais, esse estudo pode formar docentes capacitados para auxiliar os estudantes que respeitem e promovam os direitos humanos, conforme as competências 7 e 9 para a educação básica da BNCC. Esse trabalho será conduzido através de uma metodologia qualitativa, tendo como procedimento a Pesquisa-Ação. Isso é necessário, pois iremos desenvolver uma estreita parceria com os docentes colaboradores do estudo, em uma dinâmica ação-reflexão-ação e assim torná-los protagonistas na busca por alternativas pedagógicas para o ensino de valores civilizatórios na sala de aula.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alessandro Augusto de Barros Façanha

Ciências Humanas

Educação
  • rede de pesquisa em ensino desenvolvimental: uma experiência formativa com professores de ciências da natureza, matemática e suas tecnologias em escolas públicas do nordeste brasileiro
  • Pensar cientificamente é uma das fragilidades dos estudantes da educação básica brasileira, que de acordo com os parâmetros do Exame Nacional do Ensino Médio, demonstram, sobretudo no Nordeste, baixo desempenho em Ciências e Matemática, principalmente decorrentes da fragilidade nas habilidades cognitivas relacionadas à formação de conceitos e suas aplicações. Tal situação se correlaciona ao aspecto formativo no âmbito das licenciaturas que se materializa nas didáticas e no próprio processo de aprendizagem decorrente dos métodos e estratégias da escola (GATTI, 2014, 2020). Em atenção a esse contexto se coadunam as atividades colaborativas da Rede de Pesquisa em questão, a qual, tem sua atuação no campo da Didática Desenvolvimental e Teoria da Atividade com ênfase nos sistemas didáticos do teórico soviético P. Ya Galperin acerca do papel orientador na assimilação dos conceitos através da formação de habilidades cognitivas, a partir do que, se estruturam as seguinte questões de estudo: A formação de habilidades cognitivas em professores de Ciências e Matemática pode influenciar em sua prática e contribuir para a melhoria da aprendizagem em alunos do Ensino Médio? Qual a influência dos sistemas didáticos desenvolvimentais na formação do pensamento científico e sua consequência no ensino da Química e da Matemática? Considerando as pesquisas aplicadas no campo da Teoria da Formação Planejada das Ações Mentais e dos Conceitos, se permite correlacionar que a execução de estratégias e métodos desenvolvimentais no ensino das ciências e matemática (NUNEZ; RAMALHO; OLIVEIRA, 2020; FAÇANHA, 2020, NUNEZ; MELO; GONÇALVES, 2019), não só corroboram para uma reestruturação didática no âmbito da formação dos professores, como possibilitam o desenvolvimento das habilidades do pensamento científico para a tomada de decisão, resolução de problemas e regulação da aprendizagem, coadunando com a melhoria de índices e com as expectativas internacionais relativas ao papel da escola.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alessandro da Cruz Gonçalves

Engenharias

Engenharia Nuclear
  • análise neutrônica e termohidráulica de reatores modulares de pequeno porte
  • O presente projeto tem como objetivo precípuo a especificação técnica e o desenvolvimento pela equipe do projeto de sistemas computacionais específicos para as análises neutrônica e termohidráulica de reatores nucleares do tipo Small Modular Reactor (SMR). O desenvolvimento desses sistemas computacionais é necessário devido às características dos SMRs serem distintas daquelas existentes nos reatores nucleares convencionais. O projeto de pesquisa ora proposto terá como foco a tecnologia dos reatores nucleares modulares de pequeno porte do tipo SMR. O tamanho pequeno dos SMRs pode ser benéfico no fornecimento de energia elétrica para áreas remotas que são deficientes em infra-estruturas de transmissão e distribuição. No projeto será feita a análise técnica de duas das possíveis aplicações de SMRs: a dessalinização de água do mar e a geração de eletricidade para produção offshore de petróleo. No tocante a dessalinização o projeto de pesquisa visa estudar o acoplamento entre reatores modulares de pequeno porte e usinas para dessalinização, utilizando o calor gerado no reator nuclear como fonte de energia. Serão estudadas não apenas as tecnologias de dessalinização convencionais, mas também a tecnologia de dessalinização por membranas. No tocante a geração de eletricidade para produção offshore de petróleo será realizado neste projeto de pesquisa o estudo de viabilidade técnica-econômica e o projeto conceitual de um sistema de geração de energia nuclear usando a tecnologia de SMR, objetivando proporcionar elementos substanciados para uma tomada de decisão quanto à escolha do tipo de sistema nuclear offshore a ser adotado na costa brasileira.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 22/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alessandro Fabricio Garcia

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • restaura - refatoramento sequencial: teoria e apoio automatizado
  • Refatoramento é uma prática adotada por empresas de desenvolvimento para melhorar a qualidade estrutural de seus programas, além de garantir a longevidade de programas. Logo, empresas como Google, IBM e Microsoft têm explorado esta prática com objetivo de reduzir custos de manutenção. Entretanto, identificar quando é necessário refatorar o código e como aplicar o refatoramento são tarefas não triviais. Estudos evidenciam diversos efeitos indesejáveis ocasionados por refatoramentos equivocados, tais como a aceleração da degradação do programa. Portanto, desenvolvedores precisam de suporte não somente para identificar quando se refatorar, mas também para aplicar os refatoramentos. Para se identificar oportunidades de refatomentos, desenvolvedores podem utilizar os sintomas de degradação estrutural. Uma vez identificadas, eles precisam de suporte para refatorá-los a fim de minimizar ou remover esses sintomas. Pois, infelizmente, há evidência de que desenvolvedores refatoram código indisciplinadamente ou equivocadamente, o que pode aumentar a degradação estrutural. Consequentemente, eles se sentem desencorajados a refatorar. Para piorar a situação, eles precisam aplicar vários refatoramentos sequenciais, isto é, uma sequência de refatoramentos aplicados no mesmo elemento de código. Estudos relatam que o desenvolvedor pode refatorar o código de forma incompleta quando este requer um refatoramento sequencial para mitigar ou remover a degradação completamente. Entretanto, alguns refatoramentos são inviáveis de serem aplicados, prejudiciais à qualidade do programa ou insuficientes para garantir a melhoria da sua estrutura. Infelizmente, a literatura técnica não provê conhecimento e nem suporte à esta prática em escala industrial. De fato, pouco se sabe sobre como caracterizar um refatoramento sequencial, como ele ocorre na prática e quais os seus impactos para a qualidade estrutural. Em suma, essas e outras limitações da literatura vêm impedindo pesquisadores de prover suporte para os desenvolvedores aplicarem refatoramento sequencial. Esse cenário nos motivou a investigar como apoiar o desenvolvedor na prática de refatoramento sequencial. Para isso, o projeto ReSTaurA (Refatoramento Sequencial: Teoria e Suporte Automatizado) objetiva : (i) prover um arcabouço conceitual para refatoramentos sequenciais e conceitos relacionados; (ii) desenvolver uma teoria que explique como desenvolvedores realizam refatoramentos sequenciais na prática; (iii) propor heurísticas para identificação automatizada de refatoramentos sequencias existentes e um programa; (iv) avaliar o impacto em qualidade de refatoramentos sequenciais; (v) avaliar e classificar os refatoramentos sequenciais como positivos ou negativos com base no seu impacto em sintomas de degradação estrutural e (vi) propor um sistema de recomendação para a realização de refatoramentos sequenciais. Através dos resultados e, em particular, do uso do sistema recomendador proposto, os desenvolvedores poderão realizar refatoramentos sequenciais utilizando as novas abordagens propostas, melhorando a qualidade de seus programas. Ao manter a pesquisa alinhada com as necessidades da indústria, os resultados devem ser úteis e aplicáveis para empresas brasileiras adotarem tais técnicas no desenvolvimento e manutenção de novos sistemas de software, bem como na evolução de sistemas existentes. Espera-se ainda a publicações de artigos científicos em conferências e periódicos relevantes na área de Engenharia de Software. Adicionalmente, durante o projeto, os membros do projeto estarão envolvidos em parcerias industriais internacionais como Amazon, Microsoft e Google, além de nacionais como Instituto Tecgraf, Petrobras, Minds at Work, IBM, NTI/UFAL, Clip-Meyer, GM5, SEFAZ/AM e FPF, propiciando oportunidades de transferência de conhecimento e tecnologia. A equipe também conta com parceiros acadêmicos nacionais (UFCG, UFAL e UFAM) e internacionais (UCLA e UCI).
  • Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2023
Foto de perfil

Alessandro Jatobá

Engenharias

Engenharia de Produção
  • tecnologias digitais para o fortalecimento das ações educativas de promoção da saúde e sustentabilidade
  • A promoção da saúde aparece no cenário da Atenção Primária pelas ações sobre os condicionantes e determinantes sociais da saúde, por meio de ações de educação para a saúde em espaços que extrapolam ambientes típicos de saúde, chegando às residências e escolas públicas. É nesse contexto que se situa o Programa Saúde na Escola (PSE), resultado de uma parceria entre os Ministérios da Saúde e Educação, com o objetivo de promover a saúde por meio da articulação de ações de saúde e educação, aproveitando o espaço escolar e seus recursos. O PSE deve fortalecer o enfrentamento de vulnerabilidades contribuindo para a formação integral dos estudantes da rede básica. Dessa forma, este projeto propõe a elaboração de um arcabouço tecnológico baseado em ferramentas educacionais digitais elaboradas por meio de estudos exploratórios de natureza qualitativa que abordem as ações de promoção da saúde realizadas no âmbito do PSE em escolas localizadas em comunidades do Estado do Rio de Janeiro. Assim, a presente proposta apresenta contribuições para a melhoria das condições de saúde das comunidades mais carentes do Estado do Rio de Janeiro.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Alex Giuliano Vailati

Ciências Humanas

Antropologia
  • decolonisando infraestruturas. uma etnografia imagética do porto de suape.
  • O uso contemporâneo da categoria de infraestrutura é geralmente embasado numa literatura tópica e dominada por análises instrumentais da engenharia, administração e políticas públicas, enfocando processos de “input-output” a níveis microeconômico, regional e nacional. Todavia a literatura antropológica, nos últimos anos mostrou lentes epistemológicas diferentes. A infraestrutura é neste campo considerada como um artefato, que molda a imaginação, plasmando temporalidade e oferecendo promessas sobre um hipotético futuro. Uma das infraestruturas mais impactantes da história do Brasil é o Complexo Portuário de Suape, que a partir da década de setenta foi responsável por uma rápida transformação do litoral ao sul de Recife, capital do estado de Pernambuco. As comunidades que foram deslocadas e que vivem hoje em dia ao redor do porto foram objeto de uma extensa exploração imagética, e muitas imagens e gravações audiovisuais foram realizadas em coincidências de laudos ou outros acontecimentos, como o recém caso do vazamento de óleo. Na maioria dos casos, estas imagens não foram restituídas e se encontram em acervos de difícil acesso. Este projeto visa propor uma análise das transformações infraestruturais, a partir dos inúmeros artefatos, imagéticos, sonoros que foram produzidas ao longo dos últimos cinquenta anos para e em consequência da construção do Porto, explorando em paralelo como a infraestrutura portuária transformou o imaginário das comunidades envolvidas, suas percepções do futuro e suas temporalidades. A metodologia utilizada será embasada na etnografia voltada a produção destas imagens e uma sua restituição às comunidades, seja através de estratégias presenciais como virtuais. Os resultados do projeto serão de natureza académica, como artigos ou filmes documentários, mas também aplicados, visando criar iterações entre as comunidades envolvidas e os acervos.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alex Sandro Coitinho Sant'Ana

Ciências Humanas

Educação
  • exposição de educação não formal: tecnologias sociais educativas por uma (trans) formação (pós) humana e (pós) crítica
  • A educação não formal ou não escolar, também conhecida ainda como educação social, tendo a pedagogia social como uma possibilidade de especificidade na busca de sua compreensão, é tema abordado em componentes curriculares de cursos superiores de graduação em licenciatura, mas que ainda demanda divulgação das ações desenvolvidas pelas mais variadas organizações, de diferentes naturezas jurídicas, inclusive de não-instituições, com a devida fundamentação teórica que cada espaço educacional não escolar desvela. O evento objetiva oferecer espaços sociais e/ou ciberespaciais de uma universidade pública para divulgação das mais variadas experiências educativas e formativas não escolares teoricamente fundamentadas, no intuito de que o intercâmbio das interações em ambiente acadêmica permita a cada organização refletir e aperfeiçoar o seu fazer educativo e formativo, além de ecoar suas vozes visando sua afirmação social como mais uma possibilidade de atuação para egressos das licenciaturas e outros profissionais e protagonistas sociais que atuam ou desejam atuar como educadores sociais, beneficiando brasileiros especialmente em situação de vulnerabilidade social.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 12/09/2022-31/03/2023
Foto de perfil

Alex Sandro Gomes

Ciências Humanas

Educação
  • análise e visualização de dados para regulação da aprendizagem no ensino médio
  • O projeto aborda a regulação da aprendizagem de estudantes do Ensino Médio, que estabelece a capacidade metacognitiva de definir objetivos de aprendizagem, realizar ações e monitorar o atingimento de metas. O tema é objeto de pesquisa contemporâneo das áreas de Educação, Psicologia Cognitiva e Computação na subárea Computer Supported Collaborative Learning (CSCL). O fenômeno é estudado em modalidades de ensino presencial e em modalidades híbridas e remotas, nas quais as colaborações são mediadas por ambientes virtuais de aprendizagem (AVA). São estudadas versões individuais (autorregulação) e colaborativas (corregulação) da regulação da aprendizagem. O desenvolvimento dessa competência é infrequente nas práticas de ensino centradas na apropriação do conteúdo. Sua relevância social está no ganho da autonomia dos estudantes a aprenderem ao longo da vida e aperfeiçoarem suas aptidões para a prática efetiva da Educação a Distância. Fazemos a hipótese de que o monitoramento e apresentação de dados educacionais relativos ao comportamentos dos estudantes em (AVA) pode contribuir para o desenvolvimento de suas competências metacognitivas e regular processos de aprendizagem. A literatura internacional analisa diferentes alternativas computacionais para mediar o desenvolvimento da competência de regulação da aprendizagem. Enquanto isso, a literatura brasileira denuncia o tratamento omisso ao tema junto aos estudantes na Educação Básica. O projeto objetiva desenvolver módulo de regulação da aprendizagem para o AVA Redu.Digital, alinhado às Competências Gerais e Específicas e Habilidades da Base Nacional Comum Curricular - BNCC do Ensino Médio em parceria com a empresa Viitra.com. Adotaremos práticas de Design Etnográfico e Técnicas de Mineração de Dados Educacionais para conceber painel de visualização de dados da regulação da aprendizagem a servir de base a processo de mediação do desenvolvimento dessa competência no Ensino Médio.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alex Sandro Gomes Pessoa

Ciências Humanas

Psicologia
  • impactos da pandemia covid-19 no cotidiano de adolescentes brasileiros em situação de vulnerabilidade social
  • A pandemia do COVID-19 tem acentuado a preocupação sobre as condições de adolescentes em situação de vulnerabilidade social no Brasil e no mundo. No caso da população infanto-juvenil em situação de vulnerabilidade social, os cuidados deveriam ser redobrados, pois entende-se que a pandemia da COVID-19 acentuou as desigualdades já existentes. Sabe-se que a proteção de crianças e adolescentes durante surtos de doenças anteriores já deixaram indicativos da ocorrência de aumento significativo dos riscos já existentes para essa população. A pandemia do COVID-19 e suas consequências para a população juvenil devem ser analisadas de modo multifatorial, considerando as vulnerabilidades sociais já existentes e as suas acentuações no últimos anos. Assim, considera-se imprescindível avaliar de que forma a pandemia afetou a vida de adolescentes brasileiros que já vivenciavam situações de vulnerabilidades e expostos a fatores de risco. Dessa forma, o objetivo do estudo é compreender os impactos das experiências da pandemia para o desenvolvimento de adolescentes brasileiros que se encontram em situação de vulnerabilidade social. Sendo assim, a presente pesquisa se configura como um estudo misto simultâneo, exploratório-descritivo, com delineamento transversal e desenvolvido a partir de um estudo de casos múltiplos. Os participantes serão, aproximadamente, 125 adolescentes das cinco regiões brasileiras (Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul), com idade entre 12 e 18 anos, de ambos os sexos e em situação de vulnerabilidade social (em cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto e fechado, que vivem em instituições de acolhimento, em situação de rua e estudantes de escolas públicas localizadas em territórios com altos índices de exclusão social). Os dados serão coletados por meio de questionários e entrevistas, bem como serão analisados com softwares específicos para dados qualitativos e quantitativo.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 07/04/2022-30/04/2025
Foto de perfil

Alex Verdério

Ciências Humanas

Educação
  • sustentabilidade, educação do campo e agroecologia: organização sócio-produtiva e processos formativos em assentamentos rurais na bahia, no paraná e em santa catarina.
  • A proposta, com caráter interinstitucional e interdisciplinar, mantém fortes vínculos com a Educação Básica e articula pesquisadores da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, da Universidade Federal de Santa Catarina e pós-graduandos de mais três instituições com vínculos nas escolas envolvidas. Tem por objetivo impulsionar a investigação, produção e divulgação científica, por meio da pesquisa básica na área de Tecnologias para o Desenvolvimento Sustentável, aprofundando a compreensão sobre a relação Educação do Campo e Agroecologia para o delineamento de estratégias na promoção da sustentabilidade em assentamentos rurais. O lócus da pesquisa abarca as práticas inovadoras sustentáveis nos agroecossistemas da Escola Técnica de Agroecologia Luana Carvalho na Bahia, do Colégio Estadual do Campo Iraci Salete Strozak no Paraná e da Escola Vinte e Cinco de Maio em Santa Catarina. A questão central volta-se para o levantamento e análise de práticas inovadoras vivenciadas a partir das conexões entre organização sócio-produtiva e processos formativos na relação Educação do Campo e Agroecologia e que podem fomentar a formulação de estratégias de promoção do desenvolvimento sustentável nos agroecossistemas. É crível o potencial de conceber o desenvolvimento sustentável a partir das realidades e contextos. Nesse exercício investigativo, a prática social como ponto de partida traz a tona conhecimentos construídos no trabalho e nas relações, isso passa por compreender os saberes, os valores e a interação social como elementos basilares na organização sócio-produtiva e nas práticas formativas. A inferência sobre as conexões entre essas dimensões têm na escola um espaço fecundo e pertinente no inventário de práticas inovadoras que promovam o desenvolvimento sustentável. Isso impulsiona a viabilidade investigativa e metodológica da pesquisa com participação efetiva dos atores na popularização do conhecimento produzido.
  • Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - BA - Brasil
  • 28/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alexander Christian Vibrans

Ciências Agrárias

Recursos Florestais e Engenharia Florestal
  • iffsc - estratégias csr e dinâmica da diversidade taxonômica, estrutural e funcional da floresta atlântica subtropical
  • Florestas constituem o maior sumidouro terrestre de carbono atmosférico, o que confere a elas um importante papel na mitigação das mudanças climáticas. Nesse contexto, as florestas secundárias têm participação crescente, especialmente nas regiões (sub)tropicais. No Brasil, a maior parte da Mata Atlântica é atualmente composta por florestas secundárias. Conhecer a dinâmica dessas florestas é fundamental para protegê-las, restaurá-las e manejá-las. Do ponto de vista logístico e financeiro, é um desafio obter estimativas populacionais robustas de mudanças taxonômicas, estruturais e funcionais, visto que para isso é necessária a coleta de dados em parcelas permanentes distribuídas de forma probabilística em toda a população, e não em áreas escolhidas arbitrariamente ou por conveniência. Ainda é incompleto o entendimento das interações ecológicas entre as espécies que moldam o processo sucessional, a acumulação de biomassa e o sequestro de carbono. Desta forma, precisa ser esclarecido quais espécies, atributos e estratégias funcionais estão direcionando o desenvolvimento da Floresta Atlântica subtropical, inclusive frente às mudanças climáticas. Pretendemos investigar, como itens-chave, as taxas de ingressos de indivíduos e espécies, de incremento dos sobreviventes e de mortalidade por espécie, bem como mudanças na diversidade taxonômica, estrutural e funcional das florestas catarinenses. Esta proposta acrescenta a investigação da influência de atributos funcionais das espécies arbóreas no desenvolvimento das florestas. Em especial, hipotetizamos que as análises das estratégias CSR permitirão quantificar o papel de espécies competidoras, tolerantes ao estresse e ruderais na variação da composição de espécies e no processo de acumulação de biomassa nas florestas. O Inventário Florístico Florestal de SC (IFFSC), com 499 parcelas, construiu uma base de dados pública para a execução desta proposta, que consiste na terceira remedição de 36 parcelas instaladas em 2008.
  • Fundação Universidade Regional de Blumenau - SC - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Alexander Henning Ulrich

Outra

Biomedicina
  • a sinalização purinérgica, cininérgica e a estimulação cerebral profunda como intervenções terapêuticas na doença de alzheimer
  • A Doença de Alzheimer (AD) é a forma mais prevalente de demência, e apresenta no início de seu desenvolvimento um extenso processo neuroinflamatório, que resulta em danos aos neurônios e comprometimento da transmissão e plasticidade sináptica. Um desses danos é a deficiência na neurogênese adulta, que é alterada durante processos de neuroinflamação devido à presença de diversos componentes, como citocinas e quimiocinas liberadas pela microglia e astrócitos, além da invasão de células imunes periféricas. Assim, o estudo de mecanismos que possam prevenir o aumento do processo neuroinflamatório da AD são de extrema importância. Como atualmente não existe cura ou tratamentos eficazes para a AD, o objetivo deste projeto é avaliar se intervenções farmacológicas ou de estimulação cerebral (deep brain stimulation, DBS) podem prevenir/atenuar os danos causados pela AD no sistema nervoso central. As intervenções farmacológicas serão realizadas com agonistas/antagonistas de receptores purinérgicos e cininérgicos (P2Y2, P2Y14 e B2) envolvidos na migração, proliferação e desenvolvimento de neurônios, e quimiotaxia de células imunes periféricas. A DBS já mostrou melhorar processos cognitivos como a memória de curto prazo, e a modulação de circuitos específicos via DBS resultam no aumento da neurogênese, plasticidade sináptica e sobrevivência celular. Além disso, a DBS modula os níveis extracelulares de adenosina, que agem por receptores purinérgicos do tipo A1. O projeto avaliará o efeito da modulação do sistema purinérgico e cininérgico na neuroinflamação e neurogênese, utilizando a transfecção com retrovírus CAG/eGFP+, em modelos de AD: in vivo, com camundongos transgênicos APP/PS1 ou APP/PS1/B2R-/-, e in vitro com o modelo de neuroesferas isoladas destes animais. Visando a aplicação clínica, avaliaremos os efeitos da DBS no fórnix nos processos neuroinflamatórios e de neurogênese de animais APP/PS1 e seu papel na modulação dos níveis de adenosina e atividade do receptor A1.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Alexander Welker Biondo

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • saúde única e vulnerabilidade: zoonoses e sars-cov-2 em populações indígenas, seus animais e meio ambiente
  • As populações indígenas brasileiras têm historicamente enfrentado exclusão e confinamento em regiões isoladas. Desigualdades socioeconômicas, baixo nível educacionais, condições de vida complexas, entre outros determinantes sociais e de saúde, podem agravar a situação e aumentar a vulnerabilidade aos impactos das zoonoses. Nesse cenário, comunidades indígenas do Paraná e São Paulo apresentam vulnerabilidade social, crescimento da população de animais de companhia, a aglomeração de animais no peridomicílio e outras alterações ambientais antrópicas que podem favorecer a circulação de Leishmania spp., Leptospira spp., Toxoplasma gondii, Toxocara spp. e SARS-CoV-2, ainda não pesquisada sob abordagem da Saúde Única. Deste modo, o objetivo do presente projeto é avaliar a exposição de populações indígenas, seus animais de companhia e profissionais de saúde do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Litoral Sul a ocorrência de Leishmania spp., Leptospira spp., Toxocara spp., Toxoplasma gondii, Rickettsia spp. e ao SARS-CoV-2, bem como identificar e caracterizar molecularmente sua presença nas pessoas, animais e no meio ambiente, e os fatores associados à possível infecção. Um total de 500 amostras representativas de sangue serão coletadas de populações indígenas de diferentes aldeias, 150 de seus animais de companhia e 80 de profissionais de saúde da DSEI Sul, em aldeias indígenas situadas nos Estados do Paraná e São Paulo. O estudo envolverá ainda a coleta de solo para a pesquisa de Toxocara spp. e Toxoplasma gondii, e coleta de fezes e pelos de cães para a pesquisa de Toxocara spp., a coleta e identificação de flebotomínios e ectoparasitas, seguida de análise molecular para Leishmania spp. e Rickettsia spp., acompanhados de preenchimento de questionários epidemiológicos. Os resultados serão analisados estatisticamente, com abordagem preventiva educacional e de intervenção serão adotadas, se necessárias, com base nos resultados e fatores associados de risco.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Alexander Wilhelm Armin Kellner

Ciências Biológicas

Zoologia
  • paleoantar - paleobiologia e paleogeografia do gondwana sul: inter-relações entre antártica e américa do sul
  • O registro fóssil da Antártica tem se mostrado de grande relevância para o conhecimento da paleobiota Austral, suas estratégias adaptativas e relações filogenéticas, desde o Cretáceo até o Paleógeno. Os organismos e suas relações filogenéticas são essenciais para se entender a respeito de padrões de distribuição biogeográficas. Com isso, constituem um registro fundamental para as reconstituições paleogeográficas e ambientais dos continentes gondwânicos, principalmente pela sua localização e identificação de barreiras geográficas. Somado a este está o registro geológico que abarca importantes informações acerca dos paleoambientes pretéritos da região antártica, sua paleoclimatologia e paleobatimetria oceânica, principalmente quando integrado ao estudo dos microfósseis e dados geoquímicos. Desta forma, a presente proposta visa realizar atividades de prospecção, coleta e análises laboratoriais de macrofósseis, microfósseis e rochas coletadas em perfis geológicos detalhados, com a finalidade de compreender a diversificação da biota e dos ecossistemas durante a evolução do Gondwana Sul, apontando para o entendimento das inter-relações entre Antártica e América do Sul, incluindo questões paleogeográficas. Para tal contará com equipe interinstitucional nacional e internacional coordenada pelo proponente, realizada em colaboração com pesquisadores do Sul, Sudeste e Nordeste do Brasil, da China, Canadá, Chile e Inglaterra. A metodologia a ser utilizada é atual e específica para os tipos de análises a serem realizadas (detalhadas no projeto), contando com adaptações à natureza do trabalho na Antártica, baseado em experiências anteriores, havendo, ainda, a ampliação de novas técnicas que não haviam sido empregadas em versões anteriores do projeto (p.ex., geoquímica). O desenvolvimento dos trabalhos será um grande incentivo e oportunidade para a restauração do Museu Nacional/UFRJ, instituição que teve parte do seu acervo destruído por uma tragédia recentemente.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 25/12/2018-31/12/2022
Foto de perfil

Alexander Wilhelm Armin Kellner

Ciências Biológicas

Zoologia
  • contribuição para estudos evolutivos e paleobiológicos de vertebrados mesozoicos através de análises paleohistológicoas e tomografia computadorizada
  • Estudos envolvendo aspectos relacionados à paleobiologia de vertebrados fósseis vem ganhando cada vez mais espaço a nível internacionais, principalmente devido ao desenvolvimento de dois campos de investigação, a paleohistologia e o uso de tomografias computadorizadas, que permitem acessar informações não disponíveis por meio de estudos descritivos clássicos. Através de secções delgadas de ossos, dentes e tecidos moles preservados, observações de padrões microestruturais teciduais têm permitido analisar diferentes aspectos paleobiológicos dos vertebrados, como taxas e modos de crescimento, ontogenia, maturidade somática e sexual, histovariabilidade individual, termorregulação e até determinação de sexo. O uso de tomografias permite, de modo não destrutivo, a investigação de estruturas internas, especialmente as cavidades endocranianas, com destaque para a paleoneurologia, cavidades nasais, estruturas da orelha média e padrões de substituição dentária. Apesar de serem áreas já consolidadas no cenário internacional da paleozoologia, a paleohistologia e o uso de tomografias ainda são subexplorados no Brasil, apesar do rico patrimônio fossilífero com potencial para estudos dessa natureza. O objetivo deste projeto é, desenvolver análises histológicas e reconstituição de endocavidades em vertebrados fósseis, tanto a partir de espécimes previamente coletados, quanto de novos achados. Para tal, serão confeccionadas lâminas histológicas e serão obtidas tomografias de crânio e pós-crânio (e dentes) de fósseis. Estes estudos serão integrados em com descrições anatômicas e estudos filogenéticos dos espécimes selecionados no projeto. Para tal, além da pesquisa em coleções paleontológicas de distintas instituições, estão previstas atividades de campo concentradas em unidades mesozoicas brasileiras (grupos Santana e Bauru) para coleta de novos exemplares. Os fósseis coletados serão depositados no Museu Nacional, instituição que teve seu acervo devastado após o incêndio de 2018.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Alexandra Augusta Margarida Maria Roma Sanchez

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • mortalidade nas prisões em tempos de covid-19
  • Ainda que nas prisões insalubridade, superlotação e a insuficiência dos serviços de saúde gerem alta morbidade, a mortalidade, importante indicador de saúde e direitos humanos, é pouco estudada pela dificuldade de acesso a informações confiáveis. Em estudo precedente que realizamos nas prisões do estado do RJ em parceria com o Ministério Público/RJ, mostramos a alta mortalidade em 2016 e 2017, especialmente por doenças infecciosas. No presente estudo propomos analisar a mortalidade e suas causas em 2019, 2020 e 2021, e sua associação com as medidas implementadas em decorrência dos resultados do estudo anterior e, a partir de 2020, o impacto da COVID-19. Postulamos que a partir de 2017 tenha havido redução da mortalidade, especialmente por doenças infecciosas. Entretanto, mortes por COVID-19 e o eventual recrudescimento de óbitos por outros agravos podem ter revertido a tendência inicial. Sustentam essa hipótese a ausência de medidas para melhorar as condições de encarceramento, impossibilidade de aplicar plenamente as medidas de prevenção da COVID-19, atraso na vacinação das pessoas privadas de liberdade (PPL) e o direcionamento dos escassos recursos da saúde para a pandemia, em detrimento de outros agravos. Os dados oficiais disponíveis para PPL não permitem uma análise precisa da situação. Este estudo fornecerá informações importantes para que gestores aprimorem as políticas de saúde prisional, otimizem recursos humanos e financeiros, além de subsidiar ações dos órgãos de fiscalização (OSCs, MP, DP) para que as PPL se beneficiem, no âmbito do SUS, de atenção à saúde equivalente a população livre. Taxas de mortalidade global e por causas, especialmente por tuberculose, HIV/aids e COVID-19 entre pessoas encarceradas em 2019, 2020 e 2021 serão estimadas a partir da base de dados construída nesta pesquisa e comparadas às observadas em 2016-2017. As taxas padronizadas por idade serão também comparadas às observadas na população geral do estado.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025