Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Alessandra Santana Soares e Barros

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • a deficiência enquanto conseqüência da síndrome congênita do zika-vírus: enquadramentos discursivos da mídia impressa brasileira
  • O objetivo desse projeto de pesquisa é descrever o tratamento discursivo dado pela mídia - no contexto da cobertura jornalística da epidemia - à relação entre a síndrome congênita do Zika vírus e as seqüelas que definiam aquelas crianças enquanto pessoas com deficiências. Interessa saber como os jornais disseram que ficariam os bebês da zika quando eles crescessem. A hipótese de trabalho é que houve um enviesamento na abordagem das notícias acerca dos danos cerebrais, ou seja, modos pouco informativos de escrever sobre o seguimento da vida das crianças acometidas e pouca ênfase dada à explicação sobre os atrasos que sofreriam no desenvolvimento infantil. Para responder a essa pergunta de pesquisa será feita análise lingüística das narrativas e, principalmente, dos sentidos subliminares dos textos das matérias, alcançáveis através do vocabulário e recursos semânticos, assim como do conjunto da composição – imagens, fotos e destaques gráficos. De início serão estudados os dois primeiros anos da cobertura jornalística. Se possível, a investigação será desdobrada por sobre os demais anos que se seguirem, no que tange igualmente, aos modos como a mídia houver de continuar retratando a geração das crianças da Zika; pois os bebês que assim nasceram, viverão sob as consequências dos danos neurológicos. Logo, quer sob a forma da curiosidade popular ou sob a interrogação da comunidade científica, os que sobreviveram à Zika congênita haverão de persistir como objetos de interesse do conhecimento público, o que manterá o assunto, portanto, nas páginas dos jornais. Justifica-se essa pesquisa pela importância de auxiliar a mídia a cumprir sua função social. Parte da população, que busca informação através dos noticiários, é de mulheres e famílias que precisam tomar decisões reprodutivas. Assim, é necessário que haja mais clareza acerca do futuro que lhes aguarda, quando sob risco ou já no cuidado de filhos com essa condição neurológica. A primeira grande tarefa prática dessa pesquisa será levantar o conjunto das matérias de jornal a ser analisada. Esse corpus empírico será composto por uma amostra recortada a partir do universo de matérias, reportagens, editoriais e artigos publicados pelos principais jornais de circulação nacional que noticiaram o tema em questão. Para o levantamento será acessado um serviço de monitoramento chamado “Observatório Saúde na Mídia” (https://saudenamidia.icict.fiocruz.br). Este serviço, disponibilizado gratuitamente, é uma iniciativa do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz – FIOCRUZ. Esta plataforma virtual realiza acompanhamento diário das informações sobre saúde publicadas em jornais nacionais e, nesse sentido, mantém um portal on-line para localização e recuperação especialmente daquelas sobre o zika-virus, a dengue e a febre chikungunia. Estão disponíveis ali os textos publicados nos jornais Folha de S. Paulo (SP); O Globo (RJ); O Estado de Minas (MG); A Tribuna (ES); Correio Braziliense (DF); Jornal do Commercio (PE); Correio da Paraíba (PB); O Correio (BA); Zero Hora (RS) e Dez Minutos (AM). Os critérios de seleção para escolha desses jornais pelo Portal eletrônico se basearam em suas representatividades nas respectivas regiões de pertencimento, e no fato de abrangerem áreas de atuação onde há maior incidência de casos das referidas doenças. Paralelamente ao uso desse mecanismo de busca, os acervos eletrônicos, disponibilizados comercialmente pela internet, dos jornais “O Globo”, “Folha de São Paulo” e “Correio Braziliense” serão também acessados. Esta dupla abordagem garantirá uma melhor cobertura amostral além do que favorecerá a apreciação das matérias, reportagens e artigos nos contextos de diagramação das páginas de cada edição do jornal. A consideração deste aspecto, não possibilitado quando do acesso apenas através do Portal eletrônico da FIOCRUZ, permitirá que se julgue eventual importância destacada a uma matéria de capa, por exemplo, assim como os arranjos entre as fotos em seus diferentes destaques e tamanhos, gráficos ilustrativos e demais imagens que compõem, juntamente com os textos escritos, os sentidos implícitos sujeitos à reclamada análise lingüística e semiótica. O primeiro critério para definição da amostra de trabalho será escolher aquelas matérias que fazem menções à Microcefalia/ Síndrome Congênita. Para tanto, se buscará identificar, tanto no título da matéria, quanto no corpo do texto, a presença dos seguintes termos associados à Zika: microcefalia, cabeça pequena, seqüelas neurológicas, bebê, gravidez, grávidas, mãe, mulheres, filhos, síndrome congênita, crianças, recém-nascidos, aborto e demais expressões sinônimas. No primeiro momento da pesquisa serão analisadas as notícias veiculadas pelos Jornais entre os meses outubro de 2015 a Junho de 2017. No segundo, as matérias publicadas pelos jornais entre Julho de 2017 a julho de 2019.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Alessandra Teixeira

Ciências Humanas

Sociologia
  • de menores abandonadas a adolescentes infratoras: gênero, controle e punição
  • Este projeto se volta à compreensão das formas de controle e punição dirigidas às meninas e jovens designadas como menores, através da análise dos registros constantes nos prontuários de menores do Serviço Social do Estado de São Paulo, entre os anos de 1930 e 1950, e numa perspectiva contemporânea pretende reconhecer a atualização desses dispositivos através da análise dos prontuários das agora nomeadas adolescentes infratoras internadas na FCasa entre 1990 e 2010. Busca-se identificar as formas de criminalização, repressão e punição dirigidas às meninas adolescentes, ao longo do tempo, assim como os dispositivos de controle sobre o corpo, a sexualidade e a autodeterminação, que impuseram e reificaram iniquidades e discriminações baseadas no gênero, como também na raça e na classe.
  • Universidade Federal do ABC - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022