Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Wanius José Garcia da Silva

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • química bioinorgânica de monooxigenases líticas de polissacarídeos de insetos
  • As monooxigenases líticas de polissacarídeos (LPMOs) formam uma classe de metaloenzimas (dependentes de Cu+2) recentemente descobertas que se ligam a regiões cristalinas de polissacarídeos e realizam a sua clivagem através de mecanismo de oxidação. Quatro famílias dessas enzimas foram identificadas as quais podem oxidar diferentes polissacarídeos como celulose, quitina e amido. Essas metaloenzimas oxidativas atuam facilitando a ação de outras enzimas hidrolíticas aumentando a eficiência de degradação de diferentes polissacarídeos. Neste contexto, as LPMOs são enzimas com grande potencial para aplicações tecnológicas, especialmente como complementos em coquetéis lignocelulósicos para a degradação da biomassa e produção de etanol de segunda geração. Neste projeto de pesquisa, nós propomos estudar as LPMOs dos insetos Coptotermes gestroi, Drosophila yakuba e Bombyx mori. As metaloenzimas de insetos serão clonadas, produzidas em bactéria e purificadas através de métodos cromatográficos. As atividades enzimáticas (especificidades) serão estudadas em diferentes polissacarídeos. A termodinâmica de interação das LPMOs com íons metálicos será estudada por espectroscopia de fluorescência e calorimetria de titulação isotérmica (ITC). As estruturas secundária e terciária das LPMOs serão estudadas por espectroscopia de dicroísmo circular (CD), espalhamento dinâmico de luz (DLS) e espalhamento de raios X a baixos ângulos (SAXS). As estruturas tridimensionais das LPMOs serão determinadas por difração de raios X (XRD, cristalografia de proteínas). Os resultados oriundos deste projeto de pesquisa permitirão uma melhor compreensão do modo de ação das LPMOs de insetos e do papel de íons metálicos (química bioinorgânica) no mecanismo catalítico dessas enzimas. Essas LPMOs de insetos possuem grande potencial como suplementos em coquetéis lignocelulósicos comerciais.
  • Universidade Federal do ABC - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Warley Marcos Nascimento

Ciências Agrárias

Agronomia
  • "horta & escola" - feira de ciência e tecnologia da embrapa hortaliças
  • O ambiente escolar é um ambiente social onde ocorre uma maior receptividade e capacidade de adoção de novos hábitos e, ainda, as crianças e jovens são excelentes mensageiras e ativistas de suas famílias e comunidades. Assim, a utilização da inovação científica e tecnológica devem ser operacionalizadas como ferramentas de aprendizagem que contribuem para a concretização de uma educação mais igualitária. A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, aqui representada pela Embrapa Hortaliças, vem nos últimos anos contribuindo com a formação de crianças e jovens por meio de parcerias com as instituições de ensino, aproximando cientistas, estudantes e professores para estimular, nas crianças e jovens, o interesse pelo conhecimento científico, através de atividades que demonstram como a ciência está presente na vida de cada um e destacam a contribuição da pesquisa agropecuária para o desenvolvimento nacional. Em especial, fortalece os laços que unem os ambientes urbano e rural, conscientizando os participantes sobre a necessidade da preservação ambiental, a importância da sustentabilidade e de práticas que garantam uma melhor qualidade de vida. Com o mote de reduzir a distância entre o conhecimento produzido e sua aplicação para melhoria da qualidade de vida, por meio da disseminação e popularização de soluções para problemas cotidianos, a feira “Horta & Escola: Feira de Ciência e Tecnologia da Embrapa Hortaliças” abre espaço para que instituições escolares apresentem projetos de pesquisa relacionados a algumas das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU), com a Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (ENCTI), mas enfatizando sempre a importância da produção sustentável e o consumo de hortaliças, através de estímulos adequados para a realização de uma alimentação adequada em um ambiente saudável, e com isso auxiliar a diminuição da taxa de obesidade, anemia, entre outros, contribuindo assim, com a diminuição da desigualdade social. Além da apresentação dos projetos pelos estudantes, a comissão organizadora da “Horta & Escola” está propondo a realização de atividades complementares com o intuito de maximizar o "produto social final" esperado nas escolas, e mais do que isso, buscar a democratização real do conhecimento através da libertação do pensamento, da visão e do raciocínio crítico na formação do saber individual.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - DF - Brasil
  • 04/12/2018-30/11/2021