Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Alfred Sholl Franco

Ciências Biológicas

Fisiologia
  • viii olimpíada brasileira de neurociências
  • As Olimpíadas de Neurociências (Brain Bee) são competições de neurociências para estudantes do ensino médio, que surgiram em 1998, no âmbito da década do cérebro, cujo principal objetivo é despertar o interesse dos estudantes para o conhecimento científico relacionado às neurociências. A participação em Olimpíadas de Neurociências é um importante motivador da juventude para aprender mais sobre as ciências do cérebro. A Olimpíada Brasileira de Neurociências (OBN), a exemplo da International Brain Bee, organiza-se em etapas, que envolvem competições locais/regionais e, por fim, a competição nacional, com os campeões locais. As competições locais e a competição nacional são excelentes oportunidades para que os jovens sejam expostos a materiais de leitura mais específicos do que aqueles que eles podem encontrar em suas escolas, o que estimula o estudo e desperta vocações, além de auxiliar no preparo para seus estudos. A VIII Olimpíada Brasileira de Neurociências (VIII OBN) será realizada nos dias 18 e 19 de junho de 2020 no Centro de Ciências da Saúde, na Universidade Federal do Rio de Janeiro. A competição contará com avaliações teóricas e práticas, mas também com palestras para o público em geral e uma mesa redonda sobre neurociências e temas relevantes para o público jovem, como a carreira do neurocientista, uso de drogas, estresse e outros. Contaremos com competidores provenientes de pelo menos 14 comitês locais. Assim, no próximo ano a competição nacional selecionará o representante brasileiro que irá participar da 22a Competição Internacional de Neurociências (International Brain Bee) a ser realizada entre 6 a 9 de agosto de 2020. Trata-se de uma oportunidade para reforçar o potencial brasileiro na produção científica e divulgação das neurociências entre os estudantes do ensino médio, além de favorecer a consolidação desta iniciativa e o fomento à formação de novos comitês locais em todo o território nacional. Soma-se, ainda, a realização de eventos/ações satélites ao longo do ano, a saber: (1) Cursos de Férias em Neurociências (Cursos de Inverno e Verão em Neurociências), ações extensionistas realizadas pela Coordenação Nacional e pelos Comitês Locais, destinadas a apresentar o conhecimento de neurociências aos alunos e professores do Ensino Médio, enquanto estratégia de incentivo à participação de jovens talentos nas Olimpíadas de Neurociências; (2) Semana do Cérebro, realizada em março, que busca instigar o público geral sobre os diversos aspectos das neurociências e integrada a um conjunto de ações internacionais da Brain Awereness Week; (3) Curso de Formação Continuada em Neuroeducação, voltado para professores do ensino básico, pedagogos e licenciandos, buscando introduzir estes profissionais aos conceitos básicos das neurociências e a sua relação com o processo de ensino-aprendizagem, de forma a garantir a formação continuada destes profissionais; (4) Curso de Formação de Mediadores em Divulgação Científica, que busca treinar graduandos para atuação enquanto mediadores do conhecimento científico em neurociências, sobretudo durante as demais ações realizadas pelo grupo. (5) Simpósio Brasileiro de Neurociências, que configura-se como um evento de promoção das neurociências, formação de cientistas, divulgação científica e educação interdisciplinar em neurociências para professores e alunos do ensino médio e superior. Este conjunto de ações perfaz um calendário acadêmico dedicado à promoção da Ciência, da alfabetização científica e ao estímulo ao urgente diálogo entre instituições de alta performance científica e o público geral, trazendo coerência e robustez ao evento proposto e sendo essencial na realização do mesmo. Além disso, as ações da Olimpíada Brasileira de Neurociências incluem a produção de material de divulgação e alfabetização científica. Ao longo dos últimos anos, foram produzidos uma série de vídeos, intitulados Neuroquest, com o objetivo de discutir aspectos da neurofisiologia de forma simples e descomplicada. Da mesma forma, foram produzidos uma série de oficinas e atividades práticas que os professores podem utilizar em sala de aula, de forma a discutir conceitos básicos das neurociências. Neste sentido, são propostas três estratégias para 2020: (1) a criação do Museu Virtual de Neurociências (MVN); (2) criação do Portal do Candidato (PC) e (3) criação do Portal do Professor (PP). Com o MVN esperamos criar uma experiência imersiva, para o público geral, com conteúdos como: história das neurociências, anatomia e histologia, oficinas práticas de neurofisiologia, disponibilização de textos e vídeos explicativos e didáticos. Logo, pretende-se permitir a massificação destes conteúdos de forma a familiarizar os alunos e professores do ensino médio com as diferentes temáticas envolvidas com as neurociências. Por outro lado, o PC e o PP serão estruturados na forma de “Ambiente Virtual de Aprendizagem”, a partir da plataforma moodle, permitindo que os Comitês Locais e o Comitê Nacional disponibilizem os materiais de formação de forma estruturada, em um modelo semelhante ao de cursos EAD, contendo vídeos, textos, capítulos de livros, banco de questões, fórum para resolução de dúvidas e demais recursos virtuais para treinamento e capacitação. A Olimpíada Brasileira de Neurociências (OBN) é uma iniciativa organizada por Ciências e Cognição - Núcleo de Divulgação Científica e Ensino de Neurociências (CeC-NuDCEN), a partir do apoio inicial de duas instituições: a Universidade Federal do Rio de Janeiro e a Organização Ciências e Cognição. Atualmente, esta iniciativa conta com o apoio de profissionais oriundos de várias instituições de Ensino e Pesquisa e de Sociedades Nacionais e Internacionais, como a Sociedade Brasileira de Neurociências e Comportamento (SBNeC), a Organização Internacional de Investigação do Cérebro (IBRO), a Society for Neuroscience (SfN) e a Dana Foundation, dentre outros.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 05/12/2019-31/12/2020
Foto de perfil

Alfredo Bonini Neto

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • sistemas inteligentes e técnicas matemáticas de parametrização aplicados ao fluxo de carga continuado visando a melhoria dos sistemas elétricos de potência
  • Atualmente, a tendência contínua de aumento nas demandas de carga, juntamente com as restrições econômicas e ambientais para a construção de novas usinas e linhas de transmissão, levou os sistemas de energia a operar mais próximos de seus limites, aumentando a probabilidade de ocorrência de problemas de estabilidade. Os estudos relacionados com a estabilidade estática de tensão exigem a avaliação qualitativa de diversas condições operativas do sistema em diferentes condições de carregamento e contingências. O método da continuação é uma das principais ferramentas utilizadas nesses estudos em virtude de sua robustez e versatilidade, e tem sido empregado entre outros: na avaliação dos efeitos de variações de parâmetros das linhas de transmissão sobre o sistema de potência, na observação do comportamento das tensões das barras do sistema e na comparação de estratégias de planejamento visando à proposição adequada de ampliações e reforços da rede com o intuito de se evitar o corte de carga. As publicações demonstram um crescente interesse por parte das empresas do setor elétrico mesmo em pequenas melhorias deste método visando a melhora de seu desempenho nos diversos estudos. No método da continuação, a singularidade da matriz Jacobiana é removida com a adição de equações parametrizadas às equações do fluxo de carga. Dos estudos prévios já realizados criou-se uma grande expectativa de que seja possível utilizarem-se diversas variáveis globais, tais como a potência ativa ou reativa da barra slack, perdas totais de potência ativa entre outras, para compor a equação da reta ou a equação quadrática. Outra ideia bastante atrativa, é utilizar diversos planos para o traçado completo da curva P-V, um exemplo é o plano formado pelas magnitudes versus os ângulos das tensões nodais, acarretando em uma trajetória de soluções com um aspecto linear e com isso, possibilitando a remoção da singularidade durante o traçado de toda curva P-V. O uso dessas variáveis também apresenta como vantagem o fato de exigir apenas pequenas alterações nos programas de Fluxo de Carga convencionais existentes e de praticamente, não afetar o grau de esparsidade da matriz Jacobiana. Outro fator importante que pretende-se investigar é o uso das redes neurais artificiais (RNAs) para análise da margem de carregamento e consequentemente a obtenção do ponto de máximo carregamento dos sistemas elétricos. Assim, esse projeto tem por objetivo dar continuidade às analises dessas técnicas de parametrização geométrica e também através da RNAs melhorar a sua eficiência na obtenção da margem de carregamento e na redução do tempo computacional gastos pelas técnicas de parametrização geométricas. Também pretende-se investigar a viabilidade do uso de métodos de Newton desacoplado e das versões XB e BX do fluxo de carga desacoplado rápido continuado, bem como de alguns novos métodos recentemente apresentados na literatura.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Alfredo Dias de Oliveira Filho

Ciências da Saúde

Farmácia
  • efeito de um protocolo de revisão da farmacoterapia sobre o controle da pressão e a triagem clínica de pacientes com suspeita de hipertensão resistente
  • Introdução A Hipertensão Arterial Resistente (HAR) é caracterizada por valores valores de pressão arterial (PA) acima de 140x90 mmHg para a pressão arterial sistólica e diastólica, respectivamente, mesmo com o uso de três fármacos anti-hipertensivos com ações sinérgicas, em doses máximas estabelecidas e toleradas, sendo um deles diurético, ou quando o paciente está em uso de quatro ou mais fármacos anti-hipertensivos, mesmo com a PA controlada. Diagnosticos errôneos de HAR podem levar ao uso de medicamentos desnecessários e de alto custo ou até à realizacao de procedimentos invasivos, assim, descartar a pseudorresistência - seja pela obtenção do controle pressórico, seja pela confirmação de HAR - é uma etapa preliminar obrigatório no manejo desses pacientes. Objetivo O objetivo deste estudo é avaliar o efeito de um protocolo de revisão da farmacoterapia sobre a modificação dos valores de PA sistólica e diastólica pacientes com hipertensão arterial resistente e pseudorresistente. Método Será realizado um ensaio clínico controlado randomizado em uma unidade básica de saúde em Maceió-AL e em seis consultórios do ambulatório de cardiologia de um hospital privado em Aracaju-SE, com duração de 24 meses. Serão avaliados como desfechos primários os valores de modificação da PA sistólica e diastólica. Os desfechos secundários serão taxa de pacientes sob controle pressórico, taxa de modificação do status diagnóstico (HAR, hipertensão arterial pseudorresistente e hipertensão com controle pressórico) e a adesão terapêutica. Os valores referentes à PA serão obtidos por meio de Medida Ambulatorial da Pressão Arterial. A adesão terapêutica será determinada por meio da escala de Morisky-Green-Levine. O protocolo de intervenção durará 6 meses e será baseado em um protocolo de otimização da adesão previamente testado em pacientes com doenças cardivasculares pós-ala hospitalar e em pacientes ambulatoriais com hipertensão, e em um protocolo de revisão da farmacoterapia segundo o modelo Medication Appropriateness Index (MAI). Estimou-se que uma amostra de pelo menos 111 pacientes em cada grupo fornecerá 80% de poder para detectar uma diferença de 6 mmHg na PAS com nível de significância de 5%.
  • Universidade Federal de Alagoas - AL - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Alfredo Rodrigues de Sena Neto

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • desenvolvimento de sensores para análise da qualidade de águas através de impressão 3d
  • O estudo e desenvolvimento de novos dispositivos sensores para identificação e quantificação de contaminantes presentes em águas são ações de extrema importância para o avanço das cadeias produtivas onde se tem o consumo de água, por exemplo: na agropecuária, farmacêutica, alimentícia, assim como o consumo doméstico, dentre outras. O projeto versa sobre o desenvolvimento e emprego de materiais eletroativos e nanoestruturados obtidos através da tecnologia de impressão 3D de sensores. Será adotado o foco no desenvolvimento de filamentos poliméricos por extrusão e fiação via úmida, com adição de nanopartículas, partículas metálicas e polímeros condutores; e na caracterização das propriedades de interesse dos materiais desenvolvidos, como propriedades morfológicas, eletroquímicas, elétricas, cristalográficas e térmicas. Também serão abordados tópicos relativos à construção de dispositivos sensores de baixo custo. Os sensores desenvolvidos com auxílio desses materiais serão do tipo língua/nariz eletrônicos e eletroquímicos. Espera-se que os resultados obtidos permitam o advento de novos materiais com potencial para desenvolvimento de sensores para monitoramento da qualidade de águas de consumo.
  • Universidade Federal de Lavras - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Algemira de Macêdo Mendes

Lingüística, Letras e Artes

Letras
  • literatura e imprensa piauiense: rastros e memórias
  • Ao revitalizar a memória histórica e cultural da literatura piauiense, por meio de sua imprensa e de outros suportes essenciais, este projeto pretende contribuir para o desenvolvimento de novas visadas acerca da historiografia do Piauí, em especial relacionado ao campo das letras. Para isso, a investigação, diferindo da metodologia tradicional, fará uso de fontes primárias (jornais, revistas, coletâneas, diários, cartas etc.), que ajudarão na compreensão não só do contexto histórico a que estavam inseridos os intelectuais piauienses do século XIX às primeiras décadas do século XX, como também poderão evidenciar os escritores que permanecem, até a presente data, à margem do cânone literário, justamente por não terem publicado livro. Essa tomada de consciência objetiva colocar o estado do Piauí no atual momento de estudos da história da literatura brasileira, cujas bases estão sendo reformuladas, há alguns anos, por nomes como Jacques Le Goff, Roger Chartier, (2001) ,João Hansen(1989), Regina Zilberman (2003), Tânia Regina de Lucca (2008), dentre outros.O desenvolvimento desta pesquisa se dará, em especial, pela inter-relação do campo das letras com os da história e do jornalismo, cujo alcance, nos mais diferentes ambientes (universitário e comunitário) possibilitará, a partir da catalogação e da organização do acervo pesquisado (a ser disponibilizado em suporte específico para esse fim), o surgimento de novas pesquisas, tanto relacionadas às áreas protagonistas da pesquisa, como a outras congêneres.
  • Universidade Estadual do Piauí - PI - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022