Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ana Claudia dos Santos da Silva

Outra

Ciências Ambientais
  • museu goeldi: memórias e histórias de 156 anos de pesquisa na amazônia
  • A Semana Nacional de CTI de 2022 que tem como tema “Bicentenário da independência: 200 anos de ciência, tecnologia e inovação no Brasil”, com destaque para as atividades educativas na programação do Museu Goeldi, estas programações já fazem parte da programação oferecida para o público que visita o Museu Goeldi durante a Semana Nacional de C&T, realizada anualmente e sempre apresentam as suas ações com foco nas temáticas propostas para o evento. As atividades propostas para este ano irão mesclar o presencial e virtual com o objetivo de atender a um que vai além dos muros do Museu Goeldi. Estas atividades são: Mostras expositivas sobre a história da Ciência no Museu Goeldi que se realizará em duas bases físicas do Museu, no Parque zoobotânico com foco para o público da educação infantil e ensino fundamental de 1ª a 4ª series e no Campus de Pesquisa que abrange os alunos do ensino fundamental de 5ª a 8ª series, ensino médio, tecnológico e superior. O Embarque na Ciência será uma atividade direcionada para as comunidades ribeirinhas de Portel e Melgaço situados na Ilha do Marajó e que o Museu Goeldi já trabalha com ações educativas. Para a Semana Nacional de C& T 2022 vamos apresentar a história da ciência produzida no Museu Goeldi ao longo dos seus 156 anos. Esta programação será dirigida neste momento, para as escolas do Fundamental II e médio da sede dos Municípios, com apresentação de materiais de pesquisas, jogos educativos e oficinas para estudantes e professores. Para a atividades virtuais serão produzidos vídeos em que pesquisadores contam suas histórias de vida no Museu, além de apresentar personagens ícones que desenvolveram pesquisa na Instituição. Estes materiais serão apresentados no programa Memórias da Ciência do Museu Goeldi que será exibido durante o Mês da Ciência e tecnologia.
  • Museu Paraense Emílio Goeldi - PA - Brasil
  • 13/09/2022-31/03/2023
Foto de perfil

Ana Claudia dos Santos da Silva

Ciências Sociais Aplicadas

Museologia
  • o museu paraense emilio goeldi: a transversalidade da ciência para a preservação e sustentabilidade na amazônia paraense
  • O Museu Paraense Emílio Goeldi, unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações do Brasil, é a instituição, do seu gênero, mais antiga do norte do país, completando 155 anos em outubro de 2021, é a segunda mais antiga do Brasil. Este Museu é pioneiro em diversas áreas e tem ao longo dos anos se destacado no campo das Ciências Humanas e das Ciências Naturais. Sua missão é de realizar pesquisas, promover a inovação científica, formar recursos humanos, conservar acervos e comunicar conhecimentos nas áreas de ciências naturais e humanas relacionadas à Amazônia. Na atualidade desenvolve quase 200 projetos de pesquisa e é referência também na formação de capital humano especializado através de seus programas de pós-graduação com mais de três décadas de atuação na região. Suas pesquisas geram conhecimentos sobre padrões históricos, socioambientais, ecológicos e evolutivos que condicionaram a Amazônia de hoje, e que determinam sua dinâmica atual. Os estudos subsidiam o estabelecimento de políticas adequadas à proteção do patrimônio natural e sociocultural amazônico e à promoção do desenvolvimento sustentável. Objetivo desta proposta é apresentar atividades educativas de divulgação da Ciência produzida no Museu Paraense Emílio Goeldi, na Semana Nacional de Ciência & Tecnologia e Inovação de 2021, que em decorrência do atual cenário, frente a pandemia, serão em sua maioria em formato online. Terão como objeto a comunicação da ciência, por meio de ações educativas, oficinas especializadas, lives, passeios virtuais e disponibilização de materiais didáticos em formato digital.
  • Museu Paraense Emílio Goeldi - PA - Brasil
  • 13/10/2021-31/10/2023
Foto de perfil

Ana Claudia Fernandes Amaral

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • seleção de protótipos antileishmania a partir de plantas nativas do brasil
  • As leishmanioses fazem parte do grupo das doenças tropicais negligenciadas com grande ocorrência nas populações mais vulneráveis economicamente, sendo a leishmaniose tegumentar a mais frequente nas Américas e endêmica no Brasil. Embora apresente grande impacto social, os poucos medicamentos atualmente disponíveis para o seu tratamento são considerados tóxicos e de baixa eficácia, além do custo elevado. Neste contexto, as plantas medicinais representam uma fonte promissora, com destaque para as substâncias das classes dos terpenoides, e fenólicos, possivelmente menos tóxicas, de novos agentes terapêuticos com efeitos contra leishmaniose. Além disso, a combinação de substâncias provenientes de espécies vegetais diferentes pode apresentar efeitos sinérgicos que contribuem para reduzir a toxicidade, aumentar a atividade biológica e driblar a quimiorresistência do protozoário. Sendo assim, o presente projeto propõe viabilizar protótipos com atividade antileishmania a partir de estudos promissores estabelecidos no grupo de pesquisa de dois gêneros botânicos nativos do Brasil, Endlicheria e Marlierea. Este assunto vem sendo explorado por nós nos últimos anos e estudos preliminares indicaram que frações ativas e substâncias presentes nessas espécies possuem atividade contra o protozoário, ação esta que também pode ser potencializada com a estratégia de elaboração de nanoformulação empregada como carreadora. Além disso, o projeto tem potencial para elencar novos protótipos ativos que podem ser usados como base para elevar o arsenal de alvos químicos no combate a este grave problema de saúde pública.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 01/07/2022-31/07/2024
Foto de perfil

Ana Cláudia Niedhardt Capella

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • agenda governamental brasileira: incrementalismo e pontuações na dinâmica orçamentária federal.
  • A presente proposta se insere no multidisciplinar campo das políticas públicas e dialoga diretamente com temas, métodos e objetos de estudos dos campos da Administração Pública e da Ciência Política. Inserido no debate teórico sobre a formação da agenda governamental (agenda-setting) - processo competitivo de priorização de temas que serão abordados pelos governos - esse projeto tem o objetivo de analisar a dinâmica de um instrumento de grande importância para o policy process: o orçamento federal brasileiro. Nesse estudo não olhamos para a forma, diretrizes legais e impactos da formação do orçamento. Buscamos entender e analisar, a partir do montante designado à cada função de gasto, a seleção de prioridades sobre políticas públicas e a dinâmica da formação orçamentária no Brasil democrático. Quais políticas setoriais recebem mais recursos do orçamento Federal? Essa destinação às diferentes funções e políticas setoriais varia ao longo do tempo? A formação orçamentária federal brasileira opera de forma incremental, ou é possível observar pontuações no equilíbrio e mudanças significativas na destinação de recursos ao longo dos anos? Diferentes governos, partidos e reeleições impactam na dinâmica da formação orçamentária em sua destinação de gastos e de financiamento de políticas públicas? É a partir dessas perguntas que esse projeto tem o objetivo de mapear e analisar a formação orçamentária federal brasileira ao longo do tempo, de 1988 a 2021, por meio da construção de bancos de dados metodologicamente robustos e comparáveis que demonstrem as prioridades em políticas setoriais na alocação dos recursos. Para isso, serão adotados métodos de análise de conteúdo e de codificação de dados já elaborados pelo Brazilian Policy Agendas Project em diversos indicadores de atenção governamental do executivo, legislativo e do judiciário, o que possibilita, inclusive comparações entre os dados. Assim, buscamos fortalecer e aproximar pesquisadores que se dedicam às temáticas.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 02/06/2022-30/06/2025