Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ana Suelly Arruda Câmara Cabral

Lingüística, Letras e Artes

Lingüística
  • consolidando o atlas sonoro das línguas indígenas do brasil
  • O projeto “Consolidando o Atlas Sonoro das línguas Indígenas do Brasil (ASLIB)” tem como objetivo principal o desenvolvimento de um sistema aberto de informações linguísticas, sociolinguísticas, históricas e culturais sobre os povos indígenas do Brasil, com vistas : a) à documentação das línguas nativas do Brasil, b) à consolidação de um banco de dados, com originais guardados, preservados e divulgados a partir do Brasil, d) ao protagonismo indígena na construção e manutenção dos dados armazenados de suas respectivas línguas, e) ao uso da plataforma para fins educacionais sobre os povos indígenas do Brasil, no ensino fundamental, intermediário e superior, f) ao uso da plataforma por pesquisadores indígenas ou não indígenas em estudos linguísticos das línguas do Brasil. Seus objetivos específicos são a) a construção de Atlas de línguas indígenas e de dois agrupamentos genéticos – Tupí e Jabutí; b) a associação da documentação e pesquisa linguísticas com os interesses da comunidades falantes dessas línguas em fortalecê-las; d) a divulgação máxima dos resultados da documentação e pesquisa em prol do desenvolvimento do conhecimento das línguas e da preservação e fortalecimento delas. Os dados coletados são tratados e aplicados a um script no programa computacional Praat, recortados, renomeados e salvos em pastas específicas. O tratamento consiste em inserir, por meio do programa Audacity, um intervalo de silêncio entre os dados, bem como manter no arquivo final somente os dados finais a serem recortados. Além de dados lexicais, o ASLIB reúne textos nas línguas documentadas, assim como informações sociolinguísticas, históricas e culturais dos povos falantes das línguas documentadas. O presente projeto se constitui de dois subprojetos: Subprojeto 1: Criação da Plataforma ASLIB e Subprojeto 2: Contribuição ao desenvolvimento de atlas linguísticos das línguas da famílias do tronco Tupí de Rondônia, Mato Grosso do Sul e do Pará, e da família Jabutí. Os dois subprojetos se complementam em busca da consolidação do ASLIB, uma inovação positiva que faz uso de tecnologias computacionais a serviço do armazenamento e preservação de dados das línguas indígenas do Brasil e do ensino aberto a todos. Como ocorre na construção de todo Atlas linguístico de grande porte, o tempo e o número de colaboradores qualificados, assim como apoio institucional são requisitos fundamentais para o desenvolvimento e sucesso das ações planejadas. Nosso compromisso com o Atlas se fortaleceu, alimentado pelos resultados obtidos até o presente e pela associação de novas equipes de outras instituições de ensino e pesquisa do Brasil.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Tereza Ribeiro de Vasconcelos

Ciências Biológicas

Genética
  • rede de vigilância genômica para sars-cov-2 no brasil, rússia, índia, china e áfrica do sul (ngs-brics)
  • A Rede de Vigilância Genômica para SARS-CoV-2 no Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul (NGS-BRICS) formará um consórcio que pretende acelerar a transformação de dados genômicos em pesquisas e intervenções clínicas e de saúde pública. Através do sequenciamento genômico total (WGS), análises de bioinformática, métodos matemáticos e epidemiológicos, será possível fazer o rastreamento do vírus até a identificação de clusters de transmissão. A equipe brasileira é composta por cinco Instituições (LNCC, UFRJ, UFMG, UNESP e FEEVALE) que participam da Rede CoronaÔmica-BR, apoiada pelo MCTI, e que já atuam de forma colaborativa na pandemia da COVID-19. Os cinco principais grupos de vigilância genômica e de big data dos países do BRICS são os parceiros dessa proposta, tendo gerado, analisado, processado e publicado seus resultados. Os grupos possuem também sinergia prévia com algumas das equipes brasileiras. A NGS-BRICS realizará o sequenciamento de aproximadamente 1.000 amostras positivas para COVID-19 identificadas em cada país do BRICS. Esses dados serão agregados aos dados já gerados em cada país o que permitirá expandir as análises para melhor entender como o SARS-CoV-2 está se espalhando e evoluindo no tempo. O consórcio pretende desenvolver ferramentas de bioinformática e métodos matemáticos comuns, monitorar o diagnóstico e ampliar a capacitação de pesquisadores locais de forma a proporcionar respostas de saúde pública local aos surtos de COVID-19. O consórcio irá investigar a introdução da infecção e a dinâmica da transmissão, para estabelecer redes de rastreamento de contato e avaliar o impacto de decisões de controle de surto. Além disso, propõe fornecer uma plataforma de alta precisão para detecção, vigilância e análise de SARS-CoV-2, que pode servir como um futuro modelo para outros patógenos. A equipe pretende ainda realizar análise de variantes das diferentes linhagens de SARS-CoV-2 presentes nos países do BRICS para entender o impacto funcional de mutações e avaliar a sensibilidade em diferentes testes de amplificação de ácido nucleico (NAATs) usados ​​para fins de diagnóstico, além de desenvolver modelos estocásticos do surto COVID-19 no estágio inicial para prever a tendência de futuros surtos. Sem dúvida o uso direcionado e racional do sequenciamento do genoma será um recurso importante para tentar prevenir ou reduzir o impacto de uma segunda onda de infecções. Ao realizar uma detecção mais abrangente e precisa das linhagens de SARS-CoV-2 a partir de amostras clínicas e de vigilância, utilizando tecnologias genômicas e ferramentas epidemiológicas e bioinformáticas, a NGS-BRICS poderá: 1) expandir o conhecimento sobre vírus e infecções virais em nível molecular e clínico, 2) permitir a caracterização mais rápida de linhagens emergentes e auxiliar na vigilância desses vírus e 3) acelerar o desenvolvimento de tecnologia de sequenciamento de próxima geração para uso futuro em ensaios de diagnóstico e rastreamento da dinâmica de transmissão de SARS-CoV-2 e outros vírus.
  • Laboratório Nacional de Computação Científica - RJ - Brasil
  • 22/01/2021-31/01/2023
Foto de perfil

Ana Valéria Machado Mendonça

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • comunicação promotora de saúde: estratégias de enfrentamento de epidemias de ists, hiv/aids e hepatites virais em população jovem.
  • Este projeto de pesquisa destina-se a analisar elementos do cenário de prevenção das Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), do HIV/aids e das hepatites virais, dirigidos a população jovem, com recorte nos últimos dez anos (2010-2019). Trata-se de uma pesquisa de métodos mistos, com abordagem convergente paralela, em que as investigações qualitativa e quantitativa serão realizadas simultaneamente. A coleta de dados quantitativos será realizada por meio de análise dos dados disponibilizados no Sistema de Notificação e Agravos – SINAN. A coleta de dados qualitativa dar-se-á por meio de oficinas de abordagem, sendo três por região do país. Os municípios em que será desenvolvida a pesquisa de campo englobam Brasília (DF), Paraíba(JP), Manaus (AM), São Paulo (SP) e Porto Alegre(RS). Como resultados esperados, objetiva-se elaborar estratégias e informação, educação e comunicação em saúde voltadas à promoção da saúde e tradução do conhecimento acerca das temáticas de HIV/aids, IST’s e hepatites virais com vistas à promoção da saúde de jovens e adultos.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 02/01/2020-31/01/2023
Foto de perfil

Ana Virginia de Almeida Luna

Ciências Humanas

Educação
  • modelagem matemática na educação básica: efeitos de um ensino problematizador sobre violência no contexto escolar
  • O propósito deste projeto é identificar os efeitos dos processos recontextualizadores dos textos de modelagem matemática, sobre violência na escola, de um espaço de formação para professores de matemática para as salas de aula desses profissionais. Os efeitos compreendem as implicações, as práticas, os discursos e ações etc., constituídas pelos sujeitos a partir de uma intervenção discursiva. Tem como aporte teórico os estudos de Bernstein (1998), que demonstra como diferentes discursos das ciências compartilham elementos comuns, que permeiam o campo educacional, criando diferentes modalidades de práticas pedagógicas – as quais se referem ao “contexto social pelo qual se realiza a reprodução e a produção de culturas” (BERNSTEIN, 1998, p. 35). Na perspectiva bernsteiniana, a prática pedagógica não diz respeito apenas a sala de aula, professor-estudante, mas a toda relação social de poder, como por exemplo, pais-filhos. Por meio da recontextualização, o discurso se desloca do seu contexto original de produção para outro contexto, em que é modificado e relacionado com outros discursos e depois é relocado (BERNSTEIN, 1998; 2003). Este estudo entende que as instituições sociais, neste caso, a instituição escolar, são permeadas por relações de poder que as legitimam e as constituem (FOUCAULT, 2014). As produções discursivas dos sujeitos nesses espaços são permeadas pelo que pode ou não ser dito e como dizê-lo. Assim, as instituições formativas são vistas como disciplinarizantes. Elas atuam tanto sobre a organização e fixação do saber que lá será objeto de conhecimento, quanto na disciplinarização dos corpos (GALLO, 2004). Essa tecnologia disciplinar escolar tem gerado efeitos sobre os corpos dos sujeitos que a mobilizam. O adoecimento e a deserção de professores das redes públicas e particulares de ensino é um desses efeitos, conforme destaca Carmargo (2012). Já Rocha (2005) e Alfredo Veiga-Neto (2006) enfatizam a tecnologia disciplinar como geradora de conflitos no ambiente escolar, entre eles, o acirramento da violência física e simbólica entre seus membros. Nessa direção, este projeto abordará os efeitos de sentido gerados pela abordagem da violência escolar, por meio de tarefas de modelagem matemática no contexto escolar. Neste caso, mobilizaremos textos de modelagem sobre violência escolar com os professores em formação continuada, em primeiro momento, e, em seguida, identificaremos que efeitos de sentido foram gerados por eles em seus ambientes escolares, seja com seus alunos, com a equipe pedagógica da escola, com os pais, ou ainda com todos os sujeitos envolvidos. A Organização Mundial de Saúde, em seu relatório geral sobre a violência (OMS, 2002), reconhece que, para preveni-la, é preciso reconhecer que suas condições de risco e de proteção são muito complexas, o que corrobora a dificuldade dos professores para adotar medidas destinadas a preveni-las na escola, já que a falta de compreensão de toda a equipe escolar distancia a comunicação dos estudantes, a fim de socializar os problemas que ocorrem no ambiente escolar (DÍAZ-AGUADO, 2015). Sendo assim, a falta de resposta da escola diante da violência é considerada uma condição de risco. Segundo Díaz-Aguado (2015), é preciso levar em consideração que o silêncio da escola frente à violência deixa as vítimas sem ajuda e costuma ser interpretada, pelos autores, como apoio implícito. A violência escolar tende a diminuir quando se estabelece, na escola, contextos que oportunizem os estudantes a falar dos dilemas que os circundam. Para tanto, é importante considerar a forma tradicional de definir o papel dos professores, de forma quase exclusiva, a ministrar uma matéria específica, cuja tendência pode ser mudada quando se proporciona, aos docentes, formação adequada para prevenir a violência entre os estudantes. Nessa direção, a modelagem matemática, aqui entendida como um ambiente de aprendizagem em que estudantes são convidados a investigar, utilizando a matemática, situações com referência na realidade (BARBOSA, 2007), pode possibilitar aos estudantes argumentarem sobre a aplicabilidade da matemática em práticas sociais externas à disciplina Matemática (SKOVSMOSE, 2007). Assim, a modelagem torna-se uma das possibilidades de potencializar estudantes a interferir em debates de interesse social. Além disso, a modelagem confere uma dinâmica diferente às aulas de matemática, pois se trata de um ambiente em que estudantes são convidados a atuar, de forma ativa, no desenvolvimento do ambiente, cabendo ao professor conduzi-lo de forma que estudantes assumam o processo de investigação.
  • Universidade Estadual de Feira de Santana - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Anabelle Silva Cornachione

Ciências da Saúde

Fisioterapia e Terapia Ocupacional
  • efeitos do treinamento aeróbio de baixa intensidade no conteúdo da proteína utrofina e nas propriedades contráteis do músculo tibial anterior de camundongos mdx: modelo experimental da distrofia muscular de duchenne
  • A distrofia muscular de Duchenne (DMD) é a mais comum e mais severa distrofia muscular que acomete em torno de 3.500 meninos nascidos vivos. Causada pela mutação da região Xp21 no cromossomo X, esta doença é caracterizada pela ausência da proteína distrofina que determina perda progressiva das fibras musculares (degeneração) e consequentemente, fraqueza muscular. A utrofina é uma proteína expressa no sarcolema, durante a fase de desenvolvimento, que é substituída, por sua homóloga distrofina e, mantêm-se na junção neuromuscular do músculo esquelético durante a vida adulta. Estudos tem mostrado que a terapia com genes da utrofina pode ser um tratamento promissor para pacientes portadores de DMD pois, esta atua similarmente a distrofina na reparação do músculo lesado, minimizando lesões e retardando a evolução da doença. Alguns autores observaram um aumento na expressão da utrofina no músculo esquelético de camundongos mdx. Esses autores também acreditam que este aumento pode minimizar a degeneração muscular, como resposta protetora do tecido muscular. Outros estudos mostraram que o aumento da utrofina pode ser exacerbado quando o músculo esquelético, de camundongos mdx, é submetido a treinamento aeróbio. Serão utilizados 48 camundongos machos (n= 24 Wild Type: C57BL-10) e mdx (n=24 - C57BL/10-Dmd/mdx) divididos em grupos controles (21 e 37 dias) e treinados durante 21 e 37 dias. O treinamento contará com uma corrida leve em esteira plana. Após experimentos, os animais serão eutanasiados por decapitação sob anestesia, e o músculo tibial anterior será excisado para análises morfológica, bioquímica e biofísica. Resultados esperados: Após o treinamento, esperamos observar nos animais distróficos, um aumento do conteúdo da proteína utrofina, sinais morfológicos de regeneração e melhora da força total das fibras musculares.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Anderson Barbosa Evaristo

Ciências Agrárias

Agronomia
  • seleção de genótipos de soja para sistemas integrados de cultivo
  • A região noroeste do Estado de Minas Gerais destaca-se por ser a principal região da produção de grãos nesse estado e possuir uns dos maiores rebanhos bovinos. Apesar de ser uma região tecnificada, existe ainda uma grande demanda por tecnologias no setor agropecuário, principalmente nas áreas de média altitude. O estado do Tocantins faz parte da região denominada Matopiba, considerada última fronteira agrícola do país. O Matopiba compreende o bioma Cerrado dos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia e responde por grande parte da produção brasileira de grãos e fibras. O bioma cerrado das regiões do noroeste de Minas Gerais e do estado do Tocantins estão sofrendo com a degradação do solo e dos recursos hídricos provocados em partes pelas atividades do setor agropecuário. O desenvolvimento de tecnologias que visam a redução do impacto ambiental e promovem o desenvolvimento econômico e social é foco das políticas públicas nacionais. A utilização de sistemas integrados de cultivos como Integração Lavoura-Pecuária (ILP), Lavoura-Floresta (ILF) e Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) são exemplos de tecnologias adotadas pelos produtores, que muitos dos casos contem financiamento público, que promovem o aumento da sustentabilidade no bioma cerrado. Estima-se que no Brasil há cerca de 11,5 milhões de hectares com alguma adoção de sistema de integrado de cultivo como exemplo ILPF (EMBRAPA, 2016). A cultura da soja (Glycine max) é a principal cultura agrícola no Brasil e além de ser muito utilizada nos sistemas integrados como exemplo em ILF e ILPF. No entanto não há recomendações técnicas validadas para escolha de cultivares de soja nesses sistemas de cultivo, que apresentam diferentes graus de sombreamento. O presente projeto pretende selecionar genótipos de soja para sistemas integrados de cultivo, desenvolver metodologias para a seleção precoce de genótipos e selecionar descritos morfoagronômicos e morfofisiológicos que permitem selecionar genótipos de soja em diferentes níveis de sombreamento para o desenvolvimento de cultivares de soja para sistemas integrados de cultivo.
  • Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - Campus JK - MG - Brasil
  • 18/02/2019-31/08/2022
Foto de perfil

Anderson Bastos Martins

Lingüística, Letras e Artes

Letras
  • fronteiras seculares: pós-colonialidade, globalização e cosmopolitismo na ficção contemporânea
  • Este projeto investiga novas possibilidades teóricas e críticas dos estudos literários anglófonos pós-coloniais a partir de um estudo comparativo entre suas premissas e as pesquisas recentes sobre os conceitos de globalização e cosmopolitismo e sobre as práticas literárias e culturais derivadas dos mesmos. Com base em narrativas de autoria de quatro ficcionistas contemporâneos, a saber, Nadine Gordimer (1923- 2014) , Salman Rushdie (1947), Mohsin Hamid (1971) e Chimamanda Ngozi Adichie (1977), o enfoque é comparar e contrastar a ficção pós-colonial em seu momento nacional (Nadine Gordimer e Salman Rushdie) com a ficção pós-colonial em tempos de globalização (Nadine Gordimer, Salman Rushdie, Mohsin Hamid e Chimamanda Ngozi Adichie), com o objetivo de atualizar a teoria e crítica pós-coloniais anglófonas diante dos desafios da contemporaneidade global e cosmopolita.
  • Universidade Federal de Juiz de Fora - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Anderson da Costa Armstrong

Ciências da Saúde

Medicina
  • associação entre marcadores inflamatórios para aterosclerose e marcadores sorológicos para chikungunya e doença cardiovascular subclínica em populações indígenas do vale do são francisco: projeto de aterosclerose em indígenas (pai)
  • Introdução As doenças cardiovasculares são preocupações de âmbito mundial e seu desenvolvimento associa-se a fatores relacionados ao estilo de vida comumente adotado no Ocidente. Comunidades indígenas mudam o perfil de risco cardiovascular ao passar por processos de transformação socioeconômica advindos da urbanização, porém não dispõem em suas aldeias tradicionais do mesmo acesso ao sistema de saúde assistencial e à educação em saúde. A Bacia do Rio São Francisco possui elevado potencial econômico no Sertão Nordestino. Economicamente há grandes ações voltadas à irrigação para grandes cultivos de terras, à Transposição das Águas do São Francisco para consumo humano de outras regiões semiáridas e à construção de barragens e usinas que explorem o potencial hidroelétrico da região. Tais intervenções vêm afetando o modo de vida das populações tradicionais indígenas ao longo da Bacia do São Francisco, com impacto desconhecido sobre o risco de doenças cardiovasculares dessa população. Dados de vigilância epidemiológica já mostram um crescimento substancial na mortalidade cardiovascular nos grupos indígenas mais urbanizados na nossa região. Marcadores inflamatórios têm se correlacionado a doença cardíaca tanto através de doença aterosclerótica como de infecções que provocam inflamação crônica. A Chikungunya é uma doença inflamatória com surto recente no Brasil, mas a associação entre a infecção por Chikungunya, inflamação crônica e doença cardiovascular subclínica ainda é desconhecida. Atualmente, o método de Speckle Tracking Echocardiography tem sido utilizado para detecção precoce de alterações cardíacas subclínicas, mas a relação entre fatores inflamatórios e alterações cardiovasculares precocemente detectadas a partir do emprego dessas técnicas ainda não é esclarecido em populações indígenas em franco processo de urbanização. Objetivo Identificar a associação de marcadores inflamatórios para doença aterosclerótica e de marcadores sorológicos para Chikungunya com disfunção cardíaca subclínica em populações tradicionais indígenas do Vale do São Francisco. Métodos A fase transversal do Projeto de Aterosclerose em Indígenas foi desenvolvida nos Estados de Pernambuco e Bahia, ao longo da área da bacia hidrográfica do Rio São Francisco. Três grupos populacionais foram incluídos no estudo, totalizando 1.061 participantes: Um grupo indígena com baixo processo de urbanização (Aldeia Funi-ô); um grupo indígena já afetado pelo processo de urbanização (Etnia Truká); e um grupo de moradores de área urbana (área de baixo perfil migratório no Município de Juazeiro-BA). Os participantes foram incluídos se idade 30 a 70 anos, de ambos os sexos e excluídos participantes com insuficiência cardíaca clinicamente manisfestada, passado de evento coronariano agudo que requereu internação, insuficiência renal em diálise, passado cirúrgico para procedimento cardíaco ou arterial periférico, doença cerebrovascular que tenha requerido internação e participantes que manifestem restrição quanto à coleta de sangue para análise laboratorial. Dados clínicos, laboratoriais e de ecocardiografia foram coletados de forma transversal. Propomos dosagem de marcadores inflamatórios e sorologia para Chikungunya, para posterior análise da associação entre tais parâmetros e disfunção miocárdica calculada por Speckle Tracking Ecocardiography. Resultados esperados Esperamos identificar os mediadores inflamatórios que possam estar afetando a saúde cardiovascular das comunidades indígenas do Vale do São Francisco, ainda em fase de doença subclínica.
  • Universidade Federal do Vale do São Francisco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Anderson de Moura Zanine

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • alternativas alimentares com subprodutos da agroindústria do babaçu na alimentação animal
  • Tendo em vista o potencial de produção animal brasileiro e a grande produção de resíduos da agroindústria de babaçu no Estado do Maranhão, serão realizados três experimentos. O primeiro experimento terá como objetivo avaliar a composição química-bromatológica e a degradabilidade in situ dos subprodutos da agroindústria de babaçu com potencial para a nutrição animal, como a torta, farinha fina do mesocarpo, farinha grossa do mesocarpo e o grumo do babaçu. Será utilizado para a avaliação químico-bromatológica o delineamento inteiramente casualizado, com quatro tratamentos que consistirão dos subprodutos do babaçu (torta, grumo, farinha grossa do mesocarpo e farinha fina do mesocarpo) e dez repetições. As amostras serão coletadas a cada 7 dias de forma a ter maior representatividade dos subprodutos avaliados. Para o ensaio de degradabilidade, será utilizado o delineamento inteiramente casualizado, com quatro tratamentos que consistirá dos subprodutos do babaçu (torta, grumo, farinha grossa do mesocarpo e farinha fina do mesocarpo) e quatro repetições representadas pelos animais, em parcelas subdivididas nos tempos de incubação 0, 3, 6, 12, 24, 72 e 144 horas. O segundo experimento terá como objetivo avaliar a produção de silagem de ração total (SRT) contendo cana-de-açúcar e dois subprodutos da agroindústria do babaçu (farinha grossa do mesocarpo e a torta de babaçu) em substituição ao milho nessas dietas, para atendimento das exigências nutricionais de vacas leiteiras. Será avaliado o perfil fermentativo, composição bromatológica, perdas na ensilagem, degradabilidade e o custo com os ingredientes de cada SRT. O delineamento experimental será o inteiramente casualizado com quatro tratamentos e seis repetições. As SRT serão compostas por 60% de volumoso, silagem de cana-de-açúcar, e 40% de concentrado. Sendo os tratamentos compostos por silagem de cana-de-açúcar; silagem de ração total (SRT) composta por cana-de-açúcar e 40% de concentrado, com inclusão da farinha de mesocarpo de babaçu; silagem de ração total composta por cana-de-açúcar e 40% de concentrado com inclusão da torta de babaçu, e silagem de ração total composta por cana-de-açúcar e 40% de concentrado, com base na dieta padrão (milho e soja). O terceiro experimento terá como objetivo avaliar a produção de silagem de ração total (SRT) contendo cana-de-açúcar e dois subprodutos da agroindústria do babaçu (farinha grossa do mesocarpo e a torta de babaçu) em substituição ao milho nessas dietas, para atendimento das exigências nutricionais de ovinos de corte. As SRT, terão as mesmas avaliações do experimento 2. O delineamento experimental será o inteiramente casualizado com quatro tratamentos e seis repetições. Sendo os tratamentos compostos por silagem de cana-de-açúcar; silagem de ração total (SRT) composta por cana-de-açúcar e 50% de concentrado, com inclusão da farinha de mesocarpo de babaçu; silagem de ração total composta por cana-de-açúcar e 50% de concentrado com inclusão da torta de babaçu, e silagem de ração total composta por capim- cana-de-açúcar e 50% de concentrado, com base na dieta padrão (milho e soja). No final do projeto terá um volume de informações científicas relevantes concernentes aos subprodutos da agroindústria de babaçu, em substituição de fontes tradicionais de energia, proteína e fibra pela farinha de mesocarpo, torta e/ou gruma do babaçu, que possivelmente deve ser incluída em dietas de ovinos, além de estabelecer qual o melhor subproduto que potencializará uma dieta de alto valor nutricional. Não obstante, o experimento da composição químico-bromatológica e da degradabilidade mostrarão resultados do uso desses subprodutos, que poderá proporcionar uma possível economia no custo dos ingredientes da dieta e melhoria do processo fermentativo das silagens. Além de possibilitar alternativas aos agroindustriais em agregar valores aos seus subprodutos.
  • Universidade Federal do Maranhão - MA - Brasil
  • 18/02/2019-31/12/2022
Foto de perfil

Anderson de Oliveira Lobo

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • eletrofiação coaxial e bioimpressão de biomateriais multifuncionais para engenharia tecidual
  • Neste projeto de pesquisa está sendo buscado o desenvolvimento da próxima geração de biomateriais funcionais utilizando polímeros, hidrogéis e biosilicato. A estratégia da pesquisa será buscar a construção de um nanobiomaterial funcional que seja capaz de estimular a regeneração tecidual através de grupos funcionais bioativos, especialmente tecido ósseo. Este projeto está buscando nuclear uma nova linha de pesquisa no Brasil, especificamente no programa de Pós-graduação em Ciência dos Materiais da Universidade Federal do Piaui. Neste, o proponente, recém concursado como Titular-Livre está apresentando um projeto de inovação e extensão do estágio pós-doutoral e aplicação como professor visitante realizado na “Harvard Medical School” e “Massachusetts Institute of Technology” durante os últimos dois anos. Está sendo esperado uma colaboração internacional envolvendo alunos de graduação e pós-graduação através de curtos estágios para continuar a cooperação com os colaboradores americanos. Utilizará a técnica de eletrofiação e bioimpressão para a produção de scaffolds. Adicionalmente, com este projeto, o proponente poderá desenvolver conjuntamente com seus colaboradores do exterior e professores do programa de pós-graduação de ciência dos materiais, novos polímeros funcionais a base de poliésteres, hidrogéis e biosilicatos para a engenharia tecidual. Após a confecção, serão realizados também ensaios biológicos in vitro e in vivo. Espera-se desenvolver um novo nanobiomaterial tridimensional, funcional e com propriedades biomiméticas que melhorem a regeneração de tecidos. Por último, pretende-se envolver alunos de iniciação científica, mestrado e doutorado dos programas de graduação e pós-graduação em ciência dos materiais.
  • Universidade Federal do Piauí - PI - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022