Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Mariana Pinheiro Fernandes

Ciências da Saúde

Nutrição
  • efeitos do treinamento físico moderado na bioenergética mitocondrial, metabolismo hepático e sistemas antioxidantes de ratos jovens submetidos a uma dieta obesogênica durante períodos críticos do desenvolvimento
  • A relação entre exercício físico e saúde vem se consolidando nas últimas décadas. Por outro lado, o consumo de uma dieta obesogênica, em fases iniciais da vida está associado ao acúmulo de tecido adiposo, disfunção hepática e doenças crônico-metabólicas. Durante a gestação, muitas mulheres consomem dietas com alto teor de lipídios e carboidratos numa frequência maior e muitas vezes essa mudança de hábito alimentar está relacionada ao ganho de peso em excesso na gravidez e pode interferir no metabolismo do feto. Tendo em vista que dietas obesogênicas materna, predispõem o desenvolvimento de disfunções mitocondriais hepáticas e doenças metabólicas na prole, intervenções devem ser propostas a fim de minimizar esses efeitos adversos tanto durante a gestação como na infância. Entre possíveis intervenções, sabemos que o treinamento físico de intensidade moderada pode atuar como uma importante ferramenta terapêutica na prevenção de várias disfunções e desordens metabólicas. Sendo assim, a hipótese desse projeto é que o treinamento físico moderado, em ratos jovens expostos à dieta obesogênica durante períodos críticos de desenvolvimento, melhora a bioenergética mitocondrial, metabolismo hepático e sistemas antioxidantes. Para validarmos nossa hipótese avaliaremos os parâmetros de bioenergética mitocondrial (consumo de oxigênio, produção mitocondrial de espécies reativas de oxigênio e nitrogênio e avaliação da transição de permeabilidade mitocondrial); biomarcadores de estresse oxidativo; atividade de enzimas antioxidantes; avaliação do estado REDOX celular, além da atividade de enzimas metabólicas (fosfofrutoquinase 1, glicose-6-fosfato desidrogenase, beta-hidroxiacil-CoA desidrogenase, ácido graxo sintase e citrato sintase), histologia dos hepatócitos, e quantificação de mRNA referente a genes relacionados a biogênese e dinâmica mitocondrial (PGC-1alfa, TFAM, MFN-1, MFN-2, OPA-1 e DRP-1) por RT-PCR, e a expressão proteica do AMPK e PPAR gama por Western Blot.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 22/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Mariana Recamonde Mendoza

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • diagnóstico e predição clínica em oncologia: análise integrativa de dados ômicos através de modelos complexos de aprendizado de máquina
  • A identificação de biomarcadores indicativos da predisposição, desenvolvimento ou prognóstico de doenças, ou ainda da resposta à atividade farmacológica, é um dos mais importantes objetivos da pesquisa biomédica atualmente. Do ponto de vista da prática clínica, biomarcadores possuem um tremendo impacto no screening, diagnóstico e tratamento de doenças complexas como o câncer (CA), responsável por um sexto da mortalidade global e com previsão de aumento de até 70% no número de casos nas próximas duas décadas . A medicina de precisão, novo paradigma para uma medicina mais preventiva e individualizada, busca otimizar as decisões sobre diagnóstico ou tratamento clínico de acordo com características individuais do paciente a fim de reduzir o impacto social e econômico destas doenças, o que depende muito do conhecimento acerca de biomarcadores [1] No entanto, é extremamente desafiador identificar biomarcadores efetivos. Isto se deve, em parte, pela complexidade de doenças como câncer, a qual é induzida por alterações em múltiplas camadas de atividades moleculares, como genoma, transcriptoma e epigenoma, resultando em uma grande heterogeneidade dos tumores. Como consequência, em muitos casos as assinaturas de diagnóstico e prognóstico identificadas em uma população não funcionam em outra população [2]. Assim, enquanto a estabilidade de biomarcadores é uma qualidade imprescindível como um método de auxílio na tomada de decisão clínica, é algo difícil de ser alcançado na prática [3]. Complementar a este desafio está a dificuldade em se apontar novos candidatos a biomarcadores, tendo em vista o grande número de características genéticas e genômicas (por exemplo, milhares de genes e milhões de proteínas) que podem influenciar no desenvolvimento e progressão de doenças, e, portanto, atuar como marcadores biológicos. Técnicas de caracterização molecular em larga escala, como microarranjo e RNA-Seq, estão disponíveis atualmente a um custo descrescente, gerando dados ômicos (e.g., genoma, transcriptoma, miRnoma, metiloma, dentre outros) que permitem, em teoria, a comparação estatística entre perfis moleculares de diferentes grupos e a identificação de alterações grupo-específicas. No entanto, os dados ômicos possuem alta dimensionalidade e são bastante ruidosos, cenário no qual testes estatísticos clássicos tendem a falhar, exigindo análises de dados mais complexas para a derivação de biomarcadores precisos e estáveis [3]. Neste sentido, os métodos de aprendizado de máquina (machine learning, ML) têm sido cada vez mais recorrentes na identificação de candidato a biomarcadores a partir de dados ômicos [4]. Como a descoberta de biomarcadores é tipicamente modelada para determinar as variáveis (i.e., atributos) mais discriminatórias para classificação de pacientes, ela pode ser descrita como um problema de seleção de atributos em relação à classe alvo (e.g, diagnóstico ou prognóstico do paciente) do ponto de vista de ML. Em suma, seleção de atributos visa extrair um conjunto de atributos, o menor possível, que classifique precisamente os exemplos de aprendizado [5]. Cabe ressaltar, no entanto, que os dados ômicos representam um grande desafio para os pesquisadores de ML, pois o grande número de variáveis relativos a tão poucas amostras cria uma alta probabilidade de encontrar falsos positivos devido ao acaso, tanto na descoberta de molécular relevantes (i.e., potenciais biomarcadores), quanto na construção de modelos preditivos. Abordagens convencionais de seleção de atributos são ineficientes quanto à reprodutibilidade dos achados: pequenas alterações no conjunto de dados podem levar a grandes alterações no resultado da seleção de atributos, reduzindo sua validade como biomarcadores importantes [5]. De fato, observa-se uma enorme discrepância entre o número de publicações relacionadas à descoberta de biomarcadores genômicos e o número de biomarcadores efetivamente validados e utilizados no manejo clínico de pacientes [3]. O presente projeto propõe abordar o problema de identificação de biomarcadores a partir de dados genômicos explorando o conceito de ensemble learning (i.e., aprendizado a partir da combinação de múltiplos algoritmos a fim de melhorar o desempenho preditivo) em conjunto com metodos de seleção de atributos e algoritmos de aprendizado supervisionado. Trabalhos anteriores atestam a melhoria na estabilidade de atributos selecionados ao se combinar resultados obtidos de dados ligeiramente diferentes, como por exemplo, diferentes amostras de um mesmo transcriptoma. No entanto, considerando a ampla disponibilidade de dados ômicos atualmente, melhores resultados poderiam ser obtidos ao se combinar dados gerados por diferentes estudos de forma a melhor modelar a variabilidade fenotípica do câncer, bem como diferentes tipos de dados ômicos de forma a capturar a interação entre alterações moleculares em níveis distintos (e.g., metilação e expressão de genes) – abordagens ainda pouco exploradas na literatura. Como estudo de caso, nossa proposta abordará a busca por novos biomarcadores de diagnóstico e prognóstico em câncer de mama e câncer de tireoide, visando a criação de uma ferramenta de alta acurácia e baixo custo para auxiliar na tomada de decisão clínica, e contribuir com a redução da incidência e mortalidade por estes tipos de tumores.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 19/08/2020-31/08/2022
Foto de perfil

Mariana Rodrigues Davanso

Ciências Biológicas

Imunologia
  • relação da desregulação inflamatória e metabólica com o inflamassoma nlrp3 em pacientes com diabetes melito de tipo i
  • O diabetes mellitus tipo I (DMI) é uma doença crônica autoimune caracterizada por hiperglicemia devido à destruição das células beta pancreáticas produtoras de insulina. Apesar dos estudos descrevendo os mecanismos de desenvolvimento do DMI, pouco foi descrito sobre a contribuição do DMI para o comprometimento do perfil inflamatório de células do sistema imune. Do outro lado, observamos recentemente em camundongos C57BL/6 diabéticos um significativo aumento de moléculas pró-inflamatórias. Em particular verificamos o envolvimento do NLRP3 inflamassoma nos macrófagos peritoneais tanto na produção de IL-1ß, quanto na liberação de óxido nítrico, nesse caso de maneira dependente da via de sinalização NLRP3-iNOS. Considerando este cenário e a lacuna de dados sobre o possível envolvimento do NLRP3 inflamassoma em seres humanos, o projeto propõe avaliar a ativação do inflamassoma NLRP3 quanto ao perfil inflamatório em células do sistema imune de pacientes com DMI, permitindo (1) verificar a contribuição da genética do inflamassoma NLRP3 na modulação da resposta imunológica após o estabelecimento do DMI; (2) o eixo NLRP3/PARP1/iNOS em macrófagos de pacientes DMI; e (3) a alteração do metabolismo da glicose e sua relação com ativação do inflamassoma NLRP3. Macrófagos derivados de monócitos de pacientes com DMI serão avaliados in vitro quanto (a) a ativação do inflamassoma, da via NLRP3/PARP1/iNOS e (b) da atividade de enzimas glicolíticas frente a desafios comuns de NLRP3 e a DAMPs caraterísticos de diabetes (glicose, ácidos graxos). Os dados serão também analisados de acordo com a presença de polimorfismos do inflamassoma associados ao desenvolvimento de DMI (ensaios genótipos-guiados). Desta forma espera-se encontrar uma assinatura (genética e/ou funcional) para o inflamassoma NLRP3 em pacientes com DMI, importante tanto para compreensão dos distúrbios inflamatórios encontrados nas complicações diabéticas, quanto como ferramenta para o diagnóstico precoce da doença.
  • Universidade Tuiuti do Paraná - PR - Brasil
  • 27/04/2022-30/04/2025
Foto de perfil

Mariana Rodrigues de Almeida

Engenharias

Engenharia de Produção
  • proposta de estratégias para inserção de jovens meninas na área tecnológico aeroespacial
  • O presente projeto tem como objetivo desenvolver um modelo de estratégias embasadas nas práticas do setor aeroespacial que aplicadas de maneira inovadora em instituições do ensino médio e fundamental podem contribuir para o aumento do interesse de jovens do gênero feminino na área de Ciências Exatas e Tecnológica. Tendo o espaço como sendo uma fonte de inspiração ao desenvolvimento de conhecimento, esta proposta analisa as principais barreiras para inserção do gênero feminino no setor de engenharia aeroespacial, bem como desenvolver estratégias de incentivos para disseminar oportunidades de mercado e pesquisa aos docentes e discentes, que pertencem aos cursos de graduação e de pós-graduação do Centro de Tecnologia (CT), da Escola de Ciência e Tecnologia (ECT), Escola Agrícola de Jundiaí da Universidade Federal do Rio grande do Norte (UFRN) e o Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI). O Centro de Lançamento é considerado como o berço das pesquisas espaciais no Brasil, tendo essa estrutura como o vetor inicial para alavancar o processo de conhecimento no setor aeroespacial, localizado na cidade de Natal-RN. A partir dessa estrutura física, a pesquisa visa desenvolver ferramentas e diagnósticos dos fatores que influenciam a escolha das meninas ao entrarem no ensino médio para entrada no ensino superior no Rio Grande do Norte, por meio de questionários qualitativos e quantitativos, assim como a análise do background familiar. Com a união dessas instituições, o diagnóstico será elaborado para minimizar esta discrepância entre a terra e o setor espacial com a função de encorajar e incentivar a participação de garotas na área. A principal justificativa deste projeto é seu caráter inovador, pois permite a utilização do setor espacial como fonte motriz para o desenvolvimento de práticas inovadoras como ferramentas de apoio à escolha de jovens na inserção do ensino superior, possibilitando as meninas uma visão exata dos problemas, em que visam desenvolver novas habilidades acadêmicas com aproximação dos membros do projeto na área espacial, pois algumas dificuldades são inseridas desde a infância, por paradigmas culturais e educacionais como barreiras a aprendizagem. O método de pesquisa adotado é predominantemente exploratório com aplicação de uma etapa de diagnóstico e posteriormente contempla três fases no desenvolvimento das estratégias. A etapa de diagnóstico identifica os grupos de conhecimento em “Engenharia Aeroespacial” e de “Tecnologias nas áreas Aeronáutica e Aeroespacial” e da pós-graduação em “Engenharia e Tecnologia Espacial” do Instituto Nacional de Pesquisa Espacial (INPE). Após a organização dos dados iniciais, as fases subsequentes da pesquisa visam: (1) identificar os processos de desenvolvimento de tecnologias sociais com a participação do gênero feminino na área do setor aeroespacial; (2) realizar entrevistas e questionários semiestruturados com profissionais do gênero feminino na barreira do inferno e na base de Alcântara; (3) realizar simulações de um novo habitat de Marte na estação de pesquisa Habitat Marte com a participação do gênero feminino; (3) aplicar os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável no contexto do semiárido brasileiro, com maior foco na região central do Rio Grande do Norte por meio de missões de pesquisa; e (4) a integração entre estudantes de universidades e estudantes de escolas públicas do interior do Rio Grande do Norte, incluindo-se também o interesse da sociedade de modo geral para questões espaciais. Esse estudo copila teorias sobre as questões do gênero na ciência e o setor aeroespacial. Espera-se, ao final do projeto contribuir em duas dimensões: (1) acrescentar à literatura nacional e internacional estudos específicos com aplicação de um modelo de estratégias inovadoras de ensino baseado na interação das Escolas com a Universidade; e (2) oferecer metodologias específicas e inovadoras em escolas do ensino médio e fundamental capazes de promover no longo prazo o maior interesse de jovens meninas as práticas tecnológicas no espaço.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 02/02/2021-31/08/2022
Foto de perfil

Mariana Schutzer Ragghianti Zangrando

Ciências da Saúde

Odontologia
  • avaliação do uso de ftalocianina em pós-operatórios de enxertos de tecido conjuntivo subepitelial: análise em cultura celular, avaliação clínica e somatossensorial das áreas receptoras e doadoras.
  • A qualidade de vida está associada aos estados de saúde e doença e dentro da Odontologia também aos aspectos relacionados a dor/desconforto pós-operatórios e alterações sensoriais pós-cirúrgicas. O enxerto de tecido conjuntivo subepitelial (ETCS) associado ao deslize coronal do retalho apresenta maior previsibilidade de recobrimento radicular. No entanto, os enxertos autógenos estão associados a maior morbidade/desconforto principalmente na área palatina. Embora existam diferentes cuidados, ainda não há evidências de um protocolo pós-operatório padrão ouro, sendo que o uso de agentes caseiros com aplicação pelo próprio paciente seria o ideal pela praticidade e facilidade. Além disso, não existem dados consistentes sobre características somatossensoriais de áreas doadoras e receptoras de enxertos. Desta forma, baseados em resultados promissores do uso da ftalocianina autoativada obtidos pelo nosso Grupo de Pesquisa sobre o uso de novas tecnologias no combate ao COVID-19, os objetivos da presente proposta são: avaliar comparativamente a citotoxicidade da Clorexidina (CHX) e Ftalocianina (PHY) em diferentes concentrações (ensaio de viabilidade celular MTT, cristal violeta e cicatrização de feridas) e o efeito de ambos ativos na expressão de citocinas e fatores de crescimento. Além disso, avaliar parâmetros clínicos, somatossensoriais e resultados centrados no paciente das áreas receptoras e doadoras de ETCS, comparando um grupo controle (CHX) ao grupo teste (PHY). Um melhor pós-operatório seria expresso em avanços na cicatrização do palato e nos resultados relatados pelo paciente. Existem possibilidades de cuidados ambulatoriais com o uso da PHY, melhorando o padrão de cicatrização nesta fase pós-operatória desafiadora. Além disso, não existem estudos relatando avaliações somatossensoriais após procedimentos plásticos periodontais. Sendo assim, são questões que influenciam diretamente na qualidade de vida dos pacientes, sendo uma evolução nos cuidados pós-operatórios.
  • Faculdade de Odontologia de Bauru - USP - SP - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Mariana Torquato Quezado de Magalhães

Ciências Biológicas

Biofísica
  • desenvolvimento dirigido de peptídeos bioativos para a geração de novos agentes terapêuticos em leishmaniose cutânea
  • O tratamento de leishmaniose humana, uma importante doença tropical endêmica, é baseado em uma antiquada quimioterapia (com N-metilglucamina ou anfotericina B, pentamidina e paramomicina) que apresenta sérios problemas na complexa via de administração do fármaco, necessidade de internação, tratamento prolongado, toxicidade, alto custo e o desenvolvimento de resistência. Existe portanto uma premente necessidade de novas alternativas terapêuticas mais efetivas e menos tóxicas e que não induzam resistência. Uma classe de agentes que tem se demonstrado promissor em efetividade e segurança são os peptídeos antimicrobianos (AMPs). Os AMPs tem conquistado a atenção do setor produtivo pelo fato de poderem ser utilizados como formulações tópicas não-invasivas, que exercem efeitos locais melhorando a adesão do paciente, reduzindo os riscos de efeitos colaterais. Nossos dados preliminares indicam que AMPs com LyeTx-1 e Lunatina-4A apresentam efeitos no controle direto da replicação ou possivelmente na modulação da resposta imune de células da imunidade inata. Portanto, nosso objetivo é investigar os efeitos leishmanicida de novos peptídeos planejados com rigoroso método in sílico validado por Machine Learning; avaliar a capacidade em modular a ativação de macrófagos infectados; avaliar os melhores hits encontrados em estimulação de macrófagos empregando modelo de leishmaniose cutânea; realizar estudos de estabilidade físico-química dos peptídeos e a capacidade de ligação à membranas fosfolipídicas; desenvolver formulação piloto de bioconjugados e/ou sistemas de liberação modificada para vetorização do melhor bioproduto desenvolvido.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Mariana Torreglosa Ruiz

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • efetividade do aconselhamento individualizado na duração do aleitamento materno exclusivo: ensaio clínico multicêntrico, randômico, paralelo e aberto
  • O aleitamento materno é consagrado como promotor e protetor do desenvolvimento infantil, com recomendação para ser praticado de forma exclusiva até o sexto mês de vida da criança e na forma mista até dois anos ou mais. A prevalência na forma exclusiva até o sexto mês, no Brasil e no mundo, vêm mostrando índices inferiores a 50%. O aconselhamento ao aleitamento é intervenção de baixo custo, de abordagem horizontal, centrada na pessoa, que vai além do manejo clínico e orientações. Tendo em vista: altos índices de desmame nas crianças brasileiras; ser o período de internação no Alojamento Conjunto estratégico por permitir intervenção oportuna individualizada em aleitamento; ser o aconselhamento uma intervenção efetiva de Saúde Pública de impacto no aleitamento, incluindo a forma exclusiva e, diante de indicativas do risco de aumento de desmame, devido à pandemia pela COVID-19, justifica-se o projeto. Será testada a hipótese: o aconselhamento individualizado realizado por enfermeiro capacitado é efetivo na manutenção do aleitamento materno exclusivo até o sexto mês de vida, comparado ao cuidado habitual. A plausibilidade justifica-se por estar o binômio por cerca de 48 horas em internação e ser oportuno para suporte informacional e técnico singularizado, a intervenção, uma tecnologia leve e de baixo custo. Caso comprovada, permitirá revisitar documentos e políticas orientadoras do Alojamento Conjunto, assim como, a formação em aleitamento materno para enfermeiros, todos com provável repercussão para o dimensionamento de pessoal, melhorias assistenciais e saúde materno-infantil. Trata-se de ensaio clínico multicêntrico, randômico, paralelo e aberto com distribuição aleatória em dois grupos de estudo: controle com cuidados de rotina e intervenção, com consultoria de aleitamento materno por enfermeiro capacitado. A intervenção será aplicada no tempo 0 e 24 horas após inclusão. Após a alta hospitalar serão feitos contatos telefônicos com 1 e 2 semanas, 1,4 e 6 meses.
  • Universidade Federal do Triângulo Mineiro - MG - Brasil
  • 20/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Mariângela Freitas da Silveira

Ciências da Saúde

Medicina
  • efeitos da infecção por covid-19 e do isolamento social sobre a saúde materno-infantil: coorte de nascimentos de pelotas de 2015
  • A COVID-19 é causada por um tipo de Coronavírus (SARS-COV-2) que provoca síndromes respiratórias e diversos outros sintomas, podendo causar efeitos duradouros. A recente pandemia de COVID-19 e apresentou altas taxas de infeção e mortalidade ao redor do mundo. Apenas no Brasil, houve mais de meio milhão de óbitos por COVID-19 até setembro de 2021. A alta taxa de contágio e mortalidade têm impactado diretamente a sociedade desde o início de 2020, seja com mudanças sociais e econômicas, quanto com medidas mais diretas como distanciamento social e outras medidas restritivas. Uma das faixa etárias afetadas foram as crianças, especialmente aquelas no início de fase escolar, podendo ser impactadas de maneira negativa no seu desenvolvimento pelo confinamento, isolamento social e principalmente o fechamento das escolas. Essas experiências podem impactar diretamente tanto a saúde física dessas crianças quanto sua saúde mental. Além disso, nessa faixa etária, as crianças podem apresentar efeitos crônicos da COVID-19, impactando sua saúde ao longo do ciclo vital. Nesse sentido, os estudos de Coorte de nascimentos, como os da cidade de Pelotas (Rio Grande do Sul) oferecem uma ótima oportunidade para investigar e acompanhar aspectos gerais da saúde das crianças. Especificamente a Coorte de Pelotas de 2015, que inclui todos nascidos vivos na zona urbana da cidade neste ano, está começando seu acompanhamento dos 6-7 anos, já tendo acompanhado as mães e crianças desde o pré e perinatal, 3, 12, 24 e 48 meses. Este projeto, vinculado ao acompanhamento da Coorte 2015, visa avaliar diversos impactos da pandemia de COVID-19 e do isolamento social sobre tempo de tela, alimentação, uso de medicamentos para prevenção e tratamento do COVID e diversos outros aspectos da saúde de crianças de 6-7 anos e suas mães.
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Mariangela Hungria da Cunha

Ciências Agrárias

Agronomia
  • microrganismos promotores do crescimento de plantas visando à sustentabilidade agrícola e à responsabilidade ambiental
  • Existe uma forte demanda global por maior produção quantitativa e qualitativa de alimentos, mas com a nova abordagem de que, tão importante quanto produzir mais, é considerar a sustentabilidade agrícola, valorizando a recuperação de áreas degradadas, a menor emissão de gases de efeito estufa (GEE) e o cuidado com a contaminação do solo e da água por agroquímicos, portanto, otimizando o uso racional de insumos. Embora fundamentais à produtividade, os fertilizantes químicos apresentam custo elevado, sendo a maioria importados e de baixa eficiência de utilização pelas plantas. Nesse contexto, microrganismos promotores do crescimento de plantas (MPCP, considerando os microrganismos estimuladores do crescimento vegetal, independente do mecanimos de ação, incluindo bactérias fixadoras de nitrogênio atmosférico, produtoras de reguladores de crescimento vegetal, solubilizadoras de rochas fosfáticas e potássicas, bem como facilitadores de absorção de nutrientes, como os fungos micorrízicos) são decisivos para a sustentabilidade agrícola, abrindo oportunidades para aquilo que pode ser definido como uma verdadeira “microrrevolução verde”, com impacto na produtividade, mas com responsabilidade ambiental. Este INCT foi proposto com a missão de “Conduzir pesquisas básicas e de desenvolvimento biotecnológico, formar recursos humanos e realizar transferência de conhecimento, produtos e tecnologias para setores públicos e privados, visando incrementar o uso de MPCP, processos microbianos e biomoléculas de origem microbiana na agricultura brasileira, maximizando a nutrição das plantas e o rendimento das culturas com menor aporte de fertilizantes químicos e impacto ambiental”. Para isso, nesta primeira fase do projeto foram delineados 27 objetivos específicos, relacionados a 51 atividades e 60 metas. As atividades da vertente de ciência básica deverão gerar novos conhecimentos em taxonomia, filogenia, fisiologia, ecologia, genômica, proteômica, transcriptômica e metabolômica com os MPCP e em associações plantas-MPCP. Uma segunda vertente consiste no desenvolvimento biotecnológico de produtos, moléculas e tecnologias relacionadas aos MPCP, com diversas inovações biotecnológicas, bem como no melhoramento das culturas associadas aos MPCP. Novas tecnologias, por exemplo, de aplicação de microrganismos, de ajustes fitotécnicos para cada cultura e de recuperação de pastagens degradadas vias ação microbiana também deverão estudadas e validadas. Outra forte vertente deste INCT compreende linhas de pesquisas relacionadas ao meio ambiente, com atividades de pesquisa visando quantificar a contribuição da fixação biológica do nitrogênio e de emissão de GEE na comparação de uso dos MPCP frente aos fertilizantes químicos, gerando informações para subsidiar o Plano ABC (Agricultura de Baixa Emissão de Carbono) do governo brasileiro. Além disso, essas informações permitirão a utilização de MPCP em Mecanismos de Desenvolvimento Limpo (MDL) e como serviços ecossistêmicos. Na vertente ambiental também há estudos relacionados ao uso de bioindicadores microbianos para o monitoramento da qualidade do solo, com implicações científicas, sociais e em políticas públicas. Como resultado, prevê-se a publicação de pelo menos 150 artigos científicos. Como desenvolvimento biotecnológico prevê-se o lançamento de pelo menos 8 estirpes comerciais, 7 insumos biotecnológicos, 8 linhagens/genótipos com maior capacidade de resposta a MPCP e 12 tecnologias. Estima-se que o pacote tecnológico deste INCT possa ser valorado em mais de US$ 25 bilhões anuais, considerando o equivalente ao uso de fertilizantes químicos e que possa comprovar a mitigação de 30 MT CO2-e. A quarta vertente deste INCT está representada por ações de comunicação, transferência e capacitação de agentes públicos e privados, estando previstas mais de 100 ações de transferência. Também existe um forte componente de formação de recursos humanos e a parceria entre as Unidades da Embrapa, as Universidades e os setores empresariais permitirá o fortalecimento de cursos de graduação e pós-graduação nas cinco regiões do Brasil, estando prevista a formação de pelo menos 50 alunos de pós-graduação em áreas estratégicas do conhecimento. A espinha dorsal deste INCT é representada por 11 Unidades da Embrapa, com estreita associação com instituições de pesquisa estaduais (IAPAR, PESAGRO) e 13 universidades. O setor empresarial também está incluído, com empresas nacionais e internacionais. Os grupos do INCT incluem 89 pesquisadores e estão sediados em 20 municípios localizados em 12 estados e no DF: Norte (Boa Vista-RR), Nordeste (Petrolina-PE, Aracaju-SE, Balsas-MA), Centro-Oeste (Brasília-DF, Planaltina-DF, Dourados-MS, Santo Antônio de Goiás-GO, Palmas-TO), Sudeste (Seropédica-RJ, Rio de Janeiro-RJ, Campos de Goytacases-RJ, Sete Lagoas-MG), Sul (Londrina-PR, Curitiba-PR, Cornélio Procópio-PR, Palotina-PR, Ponta Grossa-PR, Quatro Barras-PR, Pelotas-RS). A Instituição Sede é a Embrapa Soja, em Londrina, PR e fazem parte da Coordenação e do Comitê Gestor vários pesquisadores nível 1 e 2 do CNPq. Relações internacionais estão estabelecidas com 12 grupos do exterior, cobrindo todos os continentes, com atividades de pesquisa, de desenvolvimento biotecnológico e de intercâmbio de pesquisadores e alunos de pós-graduação. Três consultores internacionais e três nacionais de alto gabarito estão propostos como consultores, devendo contribuir para o acompanhamento do projeto. Já existe contrapartida financeira da Embrapa, do setor privado e novos aportes estão previstos. A conversão dos resultados de todas as vertentes deste INCT trará grande impacto ao desafio nacional de substituição, total ou parcial, de fertilizantes químicos por estirpes elite de MPCP, biomoléculas e/ou processos microbianos, garantindo altas produtividades, mas com menor custo para o agricultor e para o país e com responsabilidade ambiental.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - PR - Brasil
  • 28/11/2016-30/11/2024
Foto de perfil

Mariano Michelon

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • abordagem microfluídica para a produção de lipossomas de interesse para indústria de alimentos
  • Lipossomas são sistemas de encapsulação biodegradáveis e atóxicos de tamanho nanométrico que apresentam elevada biocompatibilidade, características que têm despertado interesse da indústria de alimentos. Entretanto, para uma maior versatilidade na aplicação destes sistemas em alimentos é necessário o desenvolvimento de técnicas de produção robustas, como alternativa aos métodos tradicionais, os quais proporcionam controle limitado do processo e baixa reprodutibilidade. Neste sentido, para superação dessas dificuldades, processos emergentes vêm sendo propostos, destacando-se aqueles que utilizam abordagens microfluídicas. Dessa forma, este projeto terá como objetivo o desenvolvimento tecnológico de um processo microfluídico para a obtenção de lipossomas de grau alimentício visando sua aplicação na encapsulação de compostos ativos de origem biotecnológica de interesse para a indústria de alimentos. O desenvolvimento tecnológico desta proposta será construir um modelo de prova de conceito, pois estudos laboratoriais são necessários para definir se a tecnologia e as aplicações propostas são viáveis para um futuro desenvolvimento industrial. Inicialmente serão avaliadas a viabilidade técnica de obtenção de lipossomas utilizando diferentes lecitinas de grau alimentício pelo método clássico de injeção de etanol, e a adaptação desse método para escala microfluídica. Na segunda etapa, será avaliada a produção microfluídica de lipossomas encapsulando individualmente diferentes compostos ativos de origem biotecnológica como pigmentos, enzimas e peptídeos antimicrobianos. Dessa maneira, espera-se encapsular diferentes compostos ativos em lipossomas através de um processo microfluídico contínuo passível de escalonamento industrial. De maneira indireta, espera-se capacitar recursos humanos através da formação de pós-graduandos e iniciantes científicos, fortalecer interações entre os membros do projeto e contribuir na consolidação das pesquisas em microfluídica no Brasil.
  • Universidade Federal do Rio Grande - RS - Brasil
  • 21/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Maricilda Palandi de Mello

Ciências da Saúde

Medicina
  • investigação das consequências transcricionais de variantes em região de splicing no gene nphs1 em pacientes com síndrome nefrótica congênita
  • A Síndrome Nefrótica Congênita (SNC) é caracterizada por proteinúria até os primeiros três meses de vida, hipoalbuminemia e edema. A principal causa das manifestações clínicas é a disfunção na barreira de filtração glomerular (BFG) renal que leva à perda maciça de proteínas essenciais através da urina. A BFG é constituída por um endotélio fenestrado, uma membrana basal glomerular e pelos podócitos, células altamente especializadas e cujos prolongamentos se interdigitam formando os diafragmas de fenda. A nefrina é a principal proteína presente nos diafragmas de fenda e possui um papel fundamental na ultrafiltração do sangue. Variantes patogênicas recessivas no gene NPHS1, que codifica a nefrina, correspondem à aproximadamente 40% dos casos mundiais de SNC. Em estudo anterior do nosso grupo, após análise molecular do gene NPHS1 de paciente portador de SNC, foram identificadas oito variantes compondo o genótipo do paciente, todas em heterozigose: duas missense, a p.Ser910Pro já descrita como patogênica e a p.(Val991Leu), descrita como benigna; três intrônicas, c.840+6G>A, c.1758-8T>G, c.3287-6C>A e três sinônimas p.(Lis480=), p.(Val642=) e p.(Val763=). Após análise da segregação das variantes nos pais foi confirmado que a variante patogênica p.Ser910Pro foi herdada do pai saudável e que as variantes inéditas e de significado incerto p.(Lis480=) e c.3287-6C>A foram herdadas da mãe, também saudável, o que confirma a heterozigose composta no paciente. Diversos estudos mostram as consequências de substituições intrônicas e sinônimas na estabilidade dos ácidos nucléicos, pois podem afetar regiões regulatórias e impactar o nível da produção das proteínas com um potencial efeito de dose, contribuindo para a patogênese de doenças humanas. Desta forma, propõe-se neste projeto o estudo das consequências funcionais das variantes de significado incerto, p.(Lis480=) e c.3287-6C>A de forma a contribuir para o conhecimento de sua patogenicidade na condição deste paciente.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Marie Anne Macadar Moron

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • cultura e desenvolvimento urbano sustentável: museus como hub de engajamento institucional e elaboração de iniciativas comunitárias no contexto das cidades inteligentes
  • A Constituição Federal de 1988 (CF/88) trouxe para a Agenda Pública o desafio da construção de novos arranjos federativos de cooperação territorial ao elevar os municípios ao status de entes federativos ao lado dos estados e da União. Ao ampliarem as responsabilidades municipais, as novas regras constitucionais acabaram por estabelecer a necessidade de rediscussão do pacto federativo brasileiro. Tal discussão tem se dado de forma setorial através de políticas públicas baseadas no modelo de sistemas nacionais, caso do SUS. Uma lógica que se constitui de uma rede regionalizada e hierarquizada, que reconhece a interdependência entre os entes visando a garantia de determinada oferta de serviços. Eduardo José Grin e Fernando Abrucio, pesquisadores da Fundação Getúlio Vargas, consideram que a CF/88 acabou por instituir um paradoxo no federalismo brasileiro: repassou a autonomia e a responsabilidade pela implementação de boa parte das políticas públicas aos municípios, sem que a maioria tivesse capacidade administrativa e gerencial para realizar essa tarefa. Neste contexto, esta pesquisa tem como questão específica contribuir com o desafio da articulação intersetorial entre os três níveis de governo pelo viés da Política Nacional de Desenvolvimento Urbano Sustentável (PNDU), que se encontra em processo de formulação. Assim, conforme o documento “Bases para a atualização colaborativa da Agenda Nacional de Desenvolvimento Urbano Sustentável”, publicado em maio/2021 pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, é preciso “formularmos de maneira conjunta a agenda brasileira para o desenvolvimento urbano sustentável” (p. 8). Portanto, considerando o desafio específico deste projeto, a Design Science Research será tomada como base metodológica a fim de se desenvolver Recomendações Técnicas e um Framework Teórico que conjuguem o rigor teórico-metodológico e uma perspectiva aplicada de forma a contribuir com o processo de intersetorialização da PNDU.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 24/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Mariella Pitombo Vieira

Ciências Humanas

Sociologia
  • a relação entre trabalho, gênero e cultura popular nas festas de santo amaro (ba).
  • O presente projeto é um desdobramento da pesquisa “Cidades e Festas: ambivalências do Recôncavo”, apoiada pela chamada CNPq Universal 2018. Dentre os vários aspectos analisados (estéticos, midiáticos, ritualísticos), pretendemos aprofundar a dimensão da relação entre trabalho e cultura popular. O projeto circundará em torno do tema trabalho, cultura popular e gênero. O propósito é tomar como empiria a trajetória de algumas mulheres que participam da complexa configuração das festas populares da cidade de Santo Amaro (Bahia), buscando compreender o perfil do trabalho realizado e seus possíveis efeitos na profissionalização e ocupação dessas mulheres na cadeia produtiva das festas. A partir de alguns resultados obtidos na referida pesquisa observou-se um protagonismo masculino nos efeitos de profissionalização engendrados pelas festas, cabendo às mulheres uma atuação nas dimensões comumente identificadas ao universo feminino: a religiosidade e a culinária, por exemplo. A investigação sobre a relação entre trabalho e cultura ainda é esparsa, concentrando-se em pesquisas quantitativas de segmentos hegemônicos que não capturam atividades não-formais e sua distribuição por gênero. Partimos da hipótese que a tessitura da festa se faz também pela presença invisível de mulheres que incorporam suas práticas domésticas às várias camadas que configuram as festas populares da cidade de Santo Amaro. A pesquisa será guiada pela seguinte questão: em que medida o trabalho realizado pelas mulheres nas festas populares possibilita processos de profissionalização que podem levar à emancipação financeira, ou apenas reproduz a lógica do trabalho doméstico não-remunerado? A metodologia possui abordagem qualitativa e interdisciplinar e tem como premissa o envolvimento ativo das mulheres, a partir das suas percepções e vivências nas festas. Como procedimentos teremos: pesquisa de dados primários e secundários; observação participante; cartografia social; grupo focal.
  • Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - BA - Brasil
  • 18/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Marilda Agudo Mendonça Teixeira de Siqueira

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • sequenciamento genômico de sars-cov-2 e estudos de epimiologia moleuclar e modelagem matemática da pandemia de covid-19.
  • Este projeto multidisciplinar engloba a análise de genomas de SARS-CoV-2 no contexto epidemiológico, e modelagem matemática. Participam do projeto pesquisadores sênior experientes, de grandes centros do Brasil, Russia, India, e China. O coordenador do Brasil realiza atividades de combate ao COVID juntos a OMS para toda a América Latina. O projeto obterá dados inéditos de sequências genômicas de vírus nos diferentes países e realizará estudos computacionais, visando gerar conhecimento para melhorar a qualidade de vida da população, com possíveis impactos sócio-econômicos relevantes. O projeto determinará a diversidade de vírus circulantes e variabilidade genética. Também pretendemos consolidar parcerias com a indústria, incluindo indústria do complexo da saúde, e indústria de óleo e gás, no contexto do diagnóstico viral. Os resultados esperados englobam i. diversidade de SARS-Cov-2, modelos epidemiológicos, formação de bancos de dados com os parceiros BRICS, e formação de recursos humanos.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 26/03/2021-28/02/2023
Foto de perfil

Marilda Agudo Mendonça Teixeira de Siqueira

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • rede one health de monitoramento genômico em tempo real: dinâmica evolutiva, de transmissão e dispersão espaço-temporal do sars-cov-2 em humanos, animais e no ambiente
  • Em dezembro de 2019, foram relatados clusters de pacientes com pneumonia atípica de origem desconhecida, epidemiologicamente relacionados ao um mercado de frutos do mar em Wuhan, China e associados à infecção por novo coronavírus, denominado SARS-CoV-2. Os coronavirus (CoV) causam doença respiratória, gastrointestinal, hepática e desordens neurológicas. Periodicamente, novos CoV emergem na população humana, em virtude da alta prevalência, ampla diversidade genética e crescente interface homem-animal. Além de promover a variabilidade intraespécie, esses fatores favorecem o salto interespécie, quando os vírus adquirem adaptações para infectar novos hospedeiros. Dois principais clusters de SARS-CoV-2 foram identificados: A e B. Até o momento, foram identificadas 5 linhagens derivadas do grupo A e 9 do grupo B. Descendentes destas linhagens têm sido identificados no Brasil, onde já foram identificadas linhagens B (RJ e AM), A.1 (MG, ES e SP) e A.2 (RJ, MG, SP, RS, GO). O aumento de sequências fornecerá informações valiosas sobre a origem, evolução e epidemiologia do vírus durante a pandemia - com impacto na mitigação e controle -, bem como potenciais sítios de ação para drogas, mutações associadas à virulência e gravidade, potencial de escape à resposta imune, alvos diagnósticos. O sequenciamento massivo rápido em tempo real e análise em larga escala permitirão investigar a variabilidade viral inter- e intra-hospedeiro e a dinâmica de transmissão/ disseminação espaço-temporal do vírus em diferentes nichos (homem, animais e ambiente). A abordagem filogeográfica pode ser usada para investigar a disseminação espacial de patógenos e os estudos filodinâmicos permitem estimar parâmetros importantes para o monitoramento da epidemia, como o número reprodutivo básico. O desenvolvimento de novas técnicas de sequenciamento, combinado ao aprimoramento da capacidade computacional, tem permitido a aplicação genômica em Saúde Pública, subsidiando a vigilância epidemiológica de doenças. A identificação das árvores de transmissão é relevante, pois estima como um vírus se dissemina na população e permite fazer previsões do potencial epidêmico, subsidiando ações oportunas. Quanto maior o grau de agrupamento dos indivíduos em grandes redes de transmissão, maior o impacto das medidas de saúde na redução da transmissão local. Os estudos filogeográficos do SARS-CoV-2 permitiram identificar múltiplas introduções do vírus e a existência de cadeias de transmissão independentes. No projeto, investigaremos se a pandemia é resultado da transmissão do vírus através de redes locais de grande tamanho, de múltiplas redes locais de pequeno tamanho e/ou de múltiplas introduções independentes. Em complementação às abordagens epidemiológicas clássicas utilizadas na investigação epidêmica, esse conjunto de informações fundamental, seja no atual contexto, seja no período pós-pandêmico, visando monitorar a dinâmica de transmissão pós-pico epidêmico e subsidiar a preparação oportuna para a possibilidade de novas ondas epidemias. Ainda, buscamos agregar novas ferramentas analíticas à vigilância de COVID-19, contribuindo para com a intervenção oportuna pelo MS e seus pares nas diferentes esferas. O SARS-CoV-2 é principalmente transmitido através de gotículas infectadas e por contato com superfícies contaminadas. O papel dos aerossóis também tem sido investigado. Como descrito para outros coronavirus, o SARS-CoV-2 foi detectado no epitélio gastrointestinal21 e em amostras de fezes, sendo isolados a partir da última. Assim, tem sido questionado se a transmissão fecal-oral pode desempenhar um papel secundário na disseminação viral. A transmissão viral por diferentes vias (respiratória e extra-respiratória) ajudaria a explicar a velocidade de disseminação na população. Tem sido relatado que pacientes podem excretar o vírus nas fezes e escarro, mesmo após a remissão da sintomatologia respiratória, o que poderia constituir uma importante fonte de contaminação comunitária e entre profissionais de saúde. Esse contexto motiva o estudo ora proposto sobre a persistência/excreção viral em diferentes amostras clínicas e o potencial de transmissão fecal-oral. O SARS-CoV pode sobreviver nas fezes por 4 dias, ao passo que outros CoV podem sobreviver na água e esgoto de dias a semanas. O genoma do SARS-CoV-2 foi detectado no esgoto de 7 cidades holandesas. Alguns autores têm demonstrado a relevância dessa abordagem para monitorar a circulação de patógenos. A OMS considera a vigilância ambiental como um componente essencial aos sistemas de alerta precoce para o poliovírus. Dada a ausência de saneamento básico adequado no Brasil, o potencial de contaminação ambiental poderia constituir um desafio adicional no controle/prevenção dessa virose. No projeto, propomos investigar o potencial papel ambiental no contexto da COVID-19 e o valor do monitoramento ambiental como indicador de circulação/dispersão do SARS-CoV-2 na comunidade, através de estudo piloto na sub-bacia do Canal do Cunha, que faz parte da bacia da Baía de Guanabara. Existem lacunas sobre o papel de vertebrados na transmissão viral e que hospedeiros intermediários poderiam atuar como reservatórios e/ou amplificadores da doença. No projeto, pesquisaremos o vírus em animais e sua possível relação com vírus circulantes no homem e ambiente. No projeto, propomos a abordagem One Health, de modo a sequenciar vírus obtidos em humanos, amostras ambientais e animais, para que possamos gerar informações sobre a dinâmica evolutiva, circulação e disseminação viral em diferentes contextos, com possível impacto na saúde humana e a relação entre os vírus circulantes em diferentes nichos. Além do conhecimento científico gerado, esperamos contribuir significativamente para com o controle da epidemia no Brasil, subsidiando o desenho e/ou adequação de estratégias voltadas à vigilância e prevenção dessa virose no âmbito do SUS, frente imprescindível no enfrentamento à pandemia de COVID-19.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 16/07/2020-15/08/2022
Foto de perfil

Marilene Borges da Silva Passos

Outra

Divulgação Científica
  • 18ª semana nacional de ciência e tecnologia em mato grosso
  • A 18ª “Semana Nacional de Ciência e Tecnologia – SNCT” é o maior evento de popularização da ciência do país, coordenada nacionalmente pelo MCTIC por meio do Coordenadoria Geral de Popularização da Ciência e conta com a participação das Secretarias Estaduais de Ciência, Tecnologia e Inovação para as coordenações estaduais. A SNCT tem o objetivo de aproximar a ciência e tecnologia da população, congregando inúmeras instituições a fim de realizarem atividades de divulgação científica em todo o país, por meios inovadores, com linguagem acessível e que estimulem a curiosidade e motivem a população a discutir as implicações sociais da ciência e aprofundar seus conhecimentos sobre o tema. A 18ª SNCT, com o tema “A transversalidade da ciência, tecnologia e Inovações para o planeta”, acontecerá no mês de outubro, entre os dias 05 a 08/10, 15 a 17/10 e 19 a 21/10, de forma híbrida (virtual e presencial)
  • Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia de Mato Grosso - MT - Brasil
  • 05/10/2021-31/10/2023
Foto de perfil

Marilene Henning Vainstein

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • diversidade de fungos e de suas moléculas bioativas com potencial biotecnológico, isolados de ambientes marinhos extremos do arquipélago de são pedro e são paulo
  • Ambientes isolados com condições climáticas peculiares, alta incidência de radiação solar, alta concentração de sais e com variedade de fontes de microrganismos oriundos de guano e da flora microbiana marinha, representam uma oportunidade única para isolar e caracterizar fungos. Fungos são um dos maiores e mais diversos Reinos de organismos eucarióticos. Tem sido estimado que mais de 5 milhões de espécies fúngicas habitem o planeta, apenas uma pequena parcela destas espécies (100 mil) já foram descritas. Habitando solos, águas e ambientes extremos, estes organismos são prolíficos produtores de metabólitos secundários e enzimas de interesse biotecnológico. Assim, melhor compreender a biodiversidade destas espécies fúngicas está também ligado a bioprospecção de produtos de interesse comercial e científico. O arquipélago de São Pedro e São Paulo é formado por um grupo de pequenas ilhas rochosas, desprovidas de vegetação, localizadas no meio do Oceano Atlântico. Lar de uma biodiversidade única de animais marinhos e terrestres, a diversidade fúngica, das ilhas que compõe o arquipélago, nunca foi explorada. Neste sentido, o presente projeto tem por objetivo isolar e explorar a micodiversidade do arquipélago, bem como o potencial biotecnológico destas espécies. Duas abordagens principais serão empregadas em amostras de água marinha e sedimento (solo, rochas, guano e detritos) da região: (I) técnicas de micologia para o isolamento de fungos filamentosos e leveduras; (II) metagenômica shotgun para bioprospecção de genes interesse. Fungos obtidos a partir da primeira abordagem terão seus metabólitos secundários testados em ensaios para avaliar a inibição de fungos patogênicos de importância médica (Cryptococcus neoformans e Candida albicans) e bactérias multi-resistentes (S. aureus, Pseudomonas aeruginosa e Klebsiella pneumoniae). Extratos e fungos, que se mostrarem promissores, serão mais bem explorados, através da purificação e caracterização dos metabólitos com atividade bioativa, e o sequenciamento do genoma dos fungos, a fim de identificar os agrupamentos gênicos envolvidos na biossíntese destes metabólitos. Na segunda abordagem, as sequências obtidas a partir do método de metagenômica, serão também mineradas para a presença de agrupamentos gênicos envolvidos na biossíntese de metabólitos secundários. Estes genes e agrupamento serão avaliados através de filogenia e genômica comparativa para a identificação de potenciais alvos. Finalmente, alguns agrupamentos gênicos, obtidos a partir de ambas abordagens serão escolhidos para expressão heteróloga em linhagens “chassi”, a fim de identificar compostos novos e melhor compreendendo as rotas de biossíntese destes metabólitos. Desta forma, o presente projeto pretende não apenas explorar a diversidade de fungos do arquipélago de São Pedro e São Paulo, como explorar a presença de moléculas bioativas, identificando compostos de interesse.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 01/12/2019-31/10/2022
Foto de perfil

Marilene Hohmuth Lopes

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • mini-cérebros como potencial plataforma pré-clinica para modelagem do perfil invasivo de células de glioblastoma
  • A sobrevida global média de pacientes com glioblastoma (GBM), a forma mais grave de gliomas, é de cerca de um ano. As células de GBM infiltrativas no tecido cerebral adjacente são intrinsecamente quimioresistentes e ultrapassam as margens cirúrgicas, contribuindo definitivamente para a recidiva do GBM e, portanto, para a alta letalidade da doença. Novas opções terapêuticas são necessárias, mas uma questão fundamental no desenvolvimento de novas propostas terapêuticas é se os modelos in vitro e pré-clínicos disponíveis são suficientemente translacionais, ou seja, se representam fielmente a doença em humanos. As culturas de organóides cerebrais tridimensionais (3D), ou mini-cérebros, derivados de células-tronco de pluripotência induzida humana (hiPSC), oferecem uma representação mais acurada do cérebro humano, com um resultado mais rápido e robusto do que os modelos pré-clínicos disponíveis atualmente. Co-culturas de organóides cerebrais e células tumorais representam uma ferramenta valiosa para estudos futuros sobre a dinâmica da invasão de GBM e para desenvolver estratégias de tratamento de inibição da invasão cerebral. Neste projeto, utilizaremos linhagens celulares de GBM estabelecidas e células de GBM derivadas diretamente de pacientes para co-cultivá-las com os mini-cérebros. Estes modelos serão utilizados para quantificar o fenótipo infiltrativo destas células no ambiente dos mini-cérebros e estudar o papel de moléculas de superfície celular implicadas na modulação deste fenótipo. Finalmente, iremos avaliar a relevância dos mini-cérebros para estudar o papel da terapia combinada, uma modalidade terapêutica que visa combinar dois ou mais quimioterápicos com outras pequenas moléculas inibitórias que possam influenciar não somente o componente proliferativo, mas também o comportamento invasivo destes tumores. Assim, recriar o ambiente do cérebro para estudar e testar novos tratamentos pode ser uma potencial estratégia para sobrepujar a incurabilidade da doença.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Marilene Kreutz de Oliveira

Engenharias

Engenharia Química
  • v feira de ciencias do município de alto alegre/rr
  • A V Feira de Ciências do Município de Alto Alegre/RR, ocorrerá no mês de outubro do ano de 2021, na Praça Municipal Gonçalves Dias, receberá inscrições de projetos nas modalidades: Educação Infantil; Ensino Fundamental I e II e Ensino Médio.Atenderá as categorias: Ensino Regular, Educação de Jovens e Adultos e Educação Especial. Os projetos inscritos passarão por comissão de avaliadores e serão credenciados em Feira filiadas a nível Estadual e Nacional. A previsão de visitação do publico ao evento é de 1400 pessoas.
  • Prefeitura Municipal de Alto Alegre - RR - Brasil
  • 29/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

Marilene Kreutz de Oliveira

Ciências Humanas

Educação
  • v feira de ciências do município de alto alegre/rr
  • A V Feira de Ciências do Município de Alto Alegre/RR, tem o objetivo de desenvolver projetos de pesquisa na Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio, nas modalidades Ensino Regular, Educação de Jovens e Adultos (EJA) e Correção de Fluxo das escolas públicas do município. O projeto atende as escolas da sede, das vilas/vicinais e das comunidades indígenas e acontecerá aberto ao público na Praça Municipal Gonçalves Dias, ou no caso, se ocorrer um agravamento da Pandemia do COVID-19, de maneira virtual.
  • Prefeitura Municipal de Alto Alegre - RR - Brasil
  • 08/12/2021-31/12/2023