Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Sandro Marcio Lima

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • síntese e caracterização de diketopyrrolopyrrole modificado para uso como “fósforo luminescente” em diodos emissores de luz
  • Historicamente, os diketopyrrolopyrroles (DPP) vêm sendo empregado na indústria como pigmentos de alto desempenho devido a suas propriedades ópticas excepcionais, como altas luminosidade e eficiência quântica de emissão. Estas características tornaram os DPPs altamente atraentes para diferentes aplicações, como emissores de luz orgânicos e conversores de energia solar. Independente da aplicação espera-se que um estudo minucioso das características ópticas seja desenvolvido no material. Com isto, na presente proposta estamos unindo esforços entre instituições que tradicionalmente têm demonstrado experiência, ou na síntese de DPPs modificados ou na caracterização espectroscópica e térmica de materiais, para desenvolver um material que tenha características promissoras para aplicação como fósforo luminescente, a fim de serem combinados com diodos emissores de luz para geração de luz branca.
  • Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - MS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Sandro Roberto Valentini

Ciências Biológicas

Bioquímica
  • desenvolvimento de teste rápido de detecção de partículas virais de sars-cov-2 enriquecidas por suporte funcionalizado com enzima conversora de angiotensina 2 (eca2) e detecção por meio de fragmento de anticorpo para reconhecimento da espícula viral
  • Atualmente, uma síndrome respiratória aguda (SRAG ou, em inglês, SARS, Severe Acute Respiratory Syndrome) causada por um novo coronavírus (CoV-2) gerou uma pandemia catastrófica para a qual não existem medicamentos nem testes eficientes o suficiente para detectar a doença em diferentes momentos da infecção. Embora filogeneticamente relacionado a outros SARS-CoVs, o novo coronavírus apresenta mutações na sua espícula aumentando a afinidade pelo seu receptor no hospedeiro, a enzima conversora de angiotensina 2 (ECA2) humana, o que pode ser responsável pela sua maior capacidade de infecção. Por outro lado, a espícula mutada de SARS-CoV-2 pode levar à produção de anticorpos específicos para sua detecção, sem detecção cruzada com outros vírus da mesma família. Desta forma, o objetivo deste projeto de pesquisa é o de gerar fragmentos variáveis de anticorpos de cadeia única (scFv, single-chain variable fragment) com alta afinidade e especificidade frente ao domínio de ligação ao receptor da espícula do SARS-CoV-2 para aplicação em teste diagnóstico de COVID-19 por meio de ensaios enzimáticos de imunoabsorção. Para isso, uma biblioteca de scFv será clonada a partir do mRNA de células B de pacientes contaminados e será expressa na superfície da levedura (YSD, yeast surface display). A expressão em Saccharomyces cerevisiae será induzida por galactose e as sequências peptídicas de scFv serão expostas na superfície por fusão à subunidade 2 da proteína aglutinina. A sequência peptídica do domínio de ligação ao receptor (RBD) será obtida ligada a biotina e após incubação com as leveduras expressando scFv, a interação entre antígeno-anticorpo será avaliada por citometria de fluxo pela adição de estreptavidina-PE/Cy7. A afinidade dos fragmentos variáveis ao domínio RBD será avaliada pela correlação entre fluorescência e concentração do antígeno. Da mesma forma, sequências de outros SARS-CoV comuns serão testadas para avaliar a especificidade de scFv de maior afinidade. A fim de concentrar as partículas virais para revelação do teste por imunoabsorção, o domínio peptidase (que interage com o domínio RBD) será produzido heterologamente em Escherichia coli e será imobilizado em placa de 96 poços. As amostras de pacientes contaminados com SARS-CoV-2 (controle positivo) e não contaminados (controle negativo) serão adicionadas à placa. Posteriormente, serão adicionados os fragmentos scFv purificados a partir da levedura, contendo uma cauda de seis histidinas em fusão. Também serão adicionados anticorpos antihistidina ligados a peroxidase para revelação do resultado de padronização do diagnóstico para SARS-CoV-2. Com este projeto, portanto, pretende-se estabelecer um teste diagnóstico rápido e específico de COVID-19 por meio da identificação da partícula viral a partir de amostra sanguínea, sem necessitar de reagentes e equipamentos de alto custo e que permita o diagnóstico em estágios da doença em que o vírus está ausente das vias aéreas superiores. Este projeto também lança a base para produção de um teste point-of-care em um cartucho cromatográfico, que segue o mesmo fundamento do ensaio enzimático de imunoabsorção. O estabelecimento da plataforma de yeast surface display para fragmentos variáveis contra o domínio RBD permite também a evolução dirigida das sequências variáveis viabilizando rápida detecção de novas interações em um possível novo surto do vírus mutado. Esta plataforma também possibilita a detecção de fragmentos variáveis para outros virus patogênicos, como os virus da dengue, zika e chicungunha. A equipe do laboratório de Biologia Celular e Molecular de Micro-organismos, supervisionado pelo Prof. Dr. Sandro R. Valentini (coordenador deste projeto) e Prof. Dr. Cleslei F. Zanelli é extremamente capacitada na execução dos experimentos e análises de clonagem e expressão de DNA recombinante em bactéria e levedura, purificação de proteínas recombinantes, genética de levedura e citometria de fluxo o que pode ser verificado pelo currículo Lattes dos professores, viabilizando o desenvolvimento do projeto.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 24/07/2020-23/08/2022