Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Wanilson Luiz Silva

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • dinâmica de elementos terras raras e razões isotópicas (147sm/144nd, 143nd/144nd, 87sr/86sr) em sedimento, água e biota de ambiente estuarino subtropical, sudeste do brasil: físico-química e mobilidade geoquímica
  • O presente projeto de pesquisa almeja investigar a geoquímica de elementos terras raras (ETR) em sedimentos de ambiente estuarino subtropical, sua solubilidade em água intersticial e sua transferência à biota exposta. O estudo será desenvolvido no sistema estuarino de Santos-Cubatão (SE do Brasil), o qual abriga uma das áreas mais industrializadas da América Latina, e apresenta ambientes estuarinos contrastantes em termos de impactos industriais e atividades humanas urbanas. Em geral, estudo de ETR em organismos e seu uso como marcadores de fonte (geogênica e antrópica) não são muito bem fundamentados na literatura, especialmente em ambientes estuarinos tropicais e subtropicais. A área de estudo apresenta características como a presença de indústrias de fertilizantes com histórico de contaminação de ETR, e isso proporciona um ambiente adequado para este tipo de pesquisa. A fim de contribuir para uma melhor compreensão do comportamento de ETR na biosfera, especialmente estuários e manguezais associados, este projeto explora o uso destes elementos e das razões isotópicas (147Sm/144Nd, 143Nd/144Nd, 87Sr/86Sr) como traçadores de fontes natural e antrópica entre a biota (músculo e carapaça de caranguejos – Ucides cordatus, músculo de peixes) e os compartimentos sedimentar e aquoso. O estudo pretende verificar os mecanismos físicos e químicos que promovem a solubilidade e precipitação destes elementos em um ambiente estuarino, e consequentes rotas de transferência para os organismos naturalmente expostos. Em adição, esta pesquisa vai ajudar a entender a história de acumulação de ETR nos sedimentos, e discriminar entre as origens geogênica (background) e antrópica.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2021
Foto de perfil

Wanius José Garcia da Silva

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • química bioinorgânica de monooxigenases líticas de polissacarídeos de insetos
  • As monooxigenases líticas de polissacarídeos (LPMOs) formam uma classe de metaloenzimas (dependentes de Cu+2) recentemente descobertas que se ligam a regiões cristalinas de polissacarídeos e realizam a sua clivagem através de mecanismo de oxidação. Quatro famílias dessas enzimas foram identificadas as quais podem oxidar diferentes polissacarídeos como celulose, quitina e amido. Essas metaloenzimas oxidativas atuam facilitando a ação de outras enzimas hidrolíticas aumentando a eficiência de degradação de diferentes polissacarídeos. Neste contexto, as LPMOs são enzimas com grande potencial para aplicações tecnológicas, especialmente como complementos em coquetéis lignocelulósicos para a degradação da biomassa e produção de etanol de segunda geração. Neste projeto de pesquisa, nós propomos estudar as LPMOs dos insetos Coptotermes gestroi, Drosophila yakuba e Bombyx mori. As metaloenzimas de insetos serão clonadas, produzidas em bactéria e purificadas através de métodos cromatográficos. As atividades enzimáticas (especificidades) serão estudadas em diferentes polissacarídeos. A termodinâmica de interação das LPMOs com íons metálicos será estudada por espectroscopia de fluorescência e calorimetria de titulação isotérmica (ITC). As estruturas secundária e terciária das LPMOs serão estudadas por espectroscopia de dicroísmo circular (CD), espalhamento dinâmico de luz (DLS) e espalhamento de raios X a baixos ângulos (SAXS). As estruturas tridimensionais das LPMOs serão determinadas por difração de raios X (XRD, cristalografia de proteínas). Os resultados oriundos deste projeto de pesquisa permitirão uma melhor compreensão do modo de ação das LPMOs de insetos e do papel de íons metálicos (química bioinorgânica) no mecanismo catalítico dessas enzimas. Essas LPMOs de insetos possuem grande potencial como suplementos em coquetéis lignocelulósicos comerciais.
  • Universidade Federal do ABC - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Warley Marcos Nascimento

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • iii horta & escola: feira de ciência e tecnologia da embrapa hortaliças
  • Nos últimos anos, a escola vem sendo questionada acerca do seu papel na sociedade, a qual vem exigindo um novo tipo de profissional, mais flexível e polivalente, capaz de pensar e aprender constantemente. A escola deve também saber trabalhar, nos jovens, o desenvolvimento de uma consciência científica indagativa, uma vez que a Ciência e a Tecnologia têm tido intensa interferência na sociedade atual. Dessa forma, emerge a necessidade de uma maior difusão de conceitos científicos, para que todos possam ter uma postura crítica diante do que a ciência e tecnologia apresentam à sociedade, permitindo a promoção da cultura científica entre os cidadãos, tornando-os capazes de participar ativamente de uma sociedade democrática. O projeto tem como objetivo geral a popularização da ciência como agente de redução de desigualdades, buscando reduzir a distância entre o conhecimento produzido pela ciência e sua aplicação para melhoria da qualidade de vida, contribuindo para o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação do País. Busca despertar nos alunos, dos ensinos fundamental, médio e técnico, o interesse pela área científica e tecnológica, contribuindo para estimular o pensamento crítico e o desenvolvimento social e humano do País. A proposta se justifica por oportunizar a popularização e a divulgação de ações desenvolvidas pelas instituições de ensino e por instituições de pesquisa, como a Embrapa e parceiros, que possuem o propósito de reduzir as desigualdades, empoderar segmentos da população e despertar o interesse de jovens pela ciência, e assim, contribuir para o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação do País. Para atender aos objetivos do projeto, o mesmo acontecerá durante a data limite publicada no calendário oficial da Feira de ciência - III Horta & Escola, onde estudantes matriculados nos ensinos fundamental, médio e técnico no ano de 2021, em escolas do Distrito Federal e entorno, poderão submeter seus projetos para avaliação do Comitê de avaliação. A apresentação dos projetos selecionados ocorrerá no segundo semestre de 2021 durante a Semana da Ciência e Tecnologia. III Horta & Escola: Feira de Ciência e Tecnologia da Embrapa Hortaliças, que terá duração de três dias.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - DF - Brasil
  • 28/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

Washington Jose de Sousa

Ciências Humanas

História
  • inteligência artificial, agroecologia e economia solidária na educação do campo: aplicando estratégias integradas de intervivência universitária e pesquisa-ação na popularização da ciência (pureza/rn, 2020/2021)
  • Progride em ações da Organização de Aprendizagem e Saberes em Iniciativas Solidárias e Estudos no Terceiro Setor (Oasis) no sistema público de educação básica sob a forma de intervivência universitária. Objetiva contribuir para a formação de jovens rurais em ciência, tecnologia e inovação a partir da extensão universitária centrada na cooperação com a educação básica para estimular a pesquisa e o conhecimento de indicadores sociodemográficos municipais e regionais e de sistema produtivos sustentáveis. A Oasis/PPGA/UFRN é grupo de ensino, pesquisa e extensão vinculado à linha Gestão Social e Políticas Públicas do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Desde 2009, a Oasis/PPGA/UFRN desenvolve o Projeto de Intervivência Universitária em vários municípios potiguares. Um dos 15 municípios participantes, Pureza, foi escolhido pela equipe para a realização da mostra científica aqui programada. Trata-se de ação a ocorrer na Escola Municipal Maria do Livramento, localizada na comunidade rural de Bebida Velha, onde a equipe está estimulando atividades de educação contextualizada focada na agricultura familiar, no cooperativismo e na economia solidária inclusive via recursos de inteligência artificial. O projeto integra 200 jovens da educação básica, 40 trabalhadores do programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA) e 60 sócios da Cooperativa Mista da Agricultura Familiar e Economia Solidaria de Bebida Velha (COOPABEV). As ações ocorrerão por meio de intercâmbios entre escola/comunidade, áreas de produção e Universidade, com ampla participação de estudantes da UFRN e da equipe pedagógica da escola na definição de critérios e etapas, na execução, no acompanhamento e na avaliação. A apresentação dos trabalhos na I Mostra de Ciências de Bebida Velha ocorrerá mediante instalações pedagógicas. Na instalação pedagógica, as turmas poderão utilizar recursos estéticos como músicas, poesias, repentes e dramatização banners, cartazes, maquetes, experimentos de iniciação científica júnior, e protótipos de projetos sociais aliados a resultados de trabalhos investigativos, além de produtos locais da agricultura familiar. Trata-se de estratégia didático-pedagógica de construção de cenários que guardam aspectos da instalação artística no que se refere à dimensão estética, exigindo o uso de múltiplos suportes e artifícios estéticos e a espacialização flexível, que permite montagens e desmontagens de contextos. Os participantes mobilizarão outras escolas do município e agricultores familiares de modo a gerar, como produto, número superior a 50 trabalhos, com foco em inteligência artificial, matemática, estatística e políticas públicas, com naturezas econômica, social, ambiental e demográfica mediados por temas correlacionados à agricultura familiar, ao cooperativismo e à economia solidária.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 29/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

Washington Jose de Sousa

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • energias renováveis e desenvolvimento à escala humana: efeitos e desafios da produção e distribuição de energia eólica em áreas do semiárido do nordeste do brasil
  • O projeto assume o objetivo central de compreender mudanças e desafios inerentes à implantação de sistemas de produção e distribuição de energias renováveis, tomando como objeto empírico concepções do meio empresarial, de gestores públicos e de munícipes em áreas do Semiárido e, como referência teórica, o constructo Desenvolvimento à Escala Humana (MAX-NEEF, 2012). A questão central da pesquisa é: de que modo sistemas de produção e distribuição de energia eólica são concebidos pelo meio empresarial do setor e por gestores públicos e munícipes do Semiárido nordestino? Trata-se de proposta liderada pela Organização de Aprendizagem e Saberes em Iniciativas Solidárias e Estudos no Terceiro Setor (Oasis), grupo de ensino, pesquisa e extensão vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (PPGA/UFRN) e responsável pela execução do Curso de Graduação Tecnológica em Gestão de Cooperativas. As ações previstas reúne, como público de interesse, além de acadêmicos da UFRN, autoridades públicas municipais, segmentos populacionais de jovens e adultos de áreas urbanas e rurais, além de diretores do Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (CERNE), organização de pensamento estratégico empresarial do Nordeste brasileiro, com atuação multissetorial na exploração sustentável de recursos naturais e energéticos prefeituras municipais de dois territórios potiguares (Mato Grande e Sertão Central Cabugi e Litoral Norte). Seis municípios de dois territórios potiguares, em estágios distintos de implantação de parques eólicos e linhas de transmissão, estão contemplados nesta pesquisa como objeto empírico, considerando que a equipe parte de duas premissas: nos municípios em estágio de implantação e, portanto, com fluxo financeiro de ISS crescente, as expectativas com relação ao desenvolvimento local, intrínseco à energia eólica, são elevadas; nos municípios com serviços de instalação das torres e das linhas de transmissão concluídos, a arrecadação municipal com ISS é fortemente descontinuada e, desse modo, os munícipes passam a perceber e conviver com passivos sociais, econômicos e ambientais, questionando o legado dos investimentos. Como estratégia metodológica, a equipe adotará instrumentos de coleta e processamento de dados qualitativos, em sintonia com o intento de aprofundar conhecimentos relativos à implantação de sistemas de energia eólicos, qualificando ganhos, passivos e desafios trazidos para os municípios. Grupo focal será empregado na coleta de dados junto aos seguintes segmentos: a) jovens estudantes de Ensino Médio de escolas públicas; b) professores de Ensino Médio de escolas públicas; c) lideranças municipais políticas, empresarias e religiosas. Em cada município será realizada uma série de grupo focal envolvendo cada segmento, totalizando 18 (três segmentos em seis municípios). Entrevista semiestrutura será realizada junto: a) dois prefeitos(as) em cada município, totalizando 12 – o que ocupava o cargo à época da instalação do primeiro parque eólico e o ocupante atual, do período 2017/2020; b) dois membros do CERNE – o Diretor-Presidente e o Coordenador Executivo de Gestão de Projetos e Eventos Setoriais, este último responsável pela gestão de ações de responsabilidade socioambiental das empresas do setor. Todo o material coletado, áudio gravado com prévia anuência do informante, será transcrito e processado no software Interface de R pour les Analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionnaires (IRAMUTEQ) de modo a gerar categorias analíticas a serem interpretadas com base no modelo de Desenvolvimento à Escala Humana (MAX-NEEF, 2012). Como produtos, entre outros, são esperados: uma dissertação no Curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Administração da UFRN; retroalimentação, por meio de relatórios executivo, de protocolos administrativos do Comitê de Sustentabilidade Socioambiental (CSS), unidade administrativa responsável pela integração das dimensões social e ambiental a processos, práticas e procedimentos na esfera da Política de Responsabilidade Social e Ambiental do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES); qualificação de recursos humanos, agentes públicos e privados, para aplicação de conteúdos e estratégias em responsabilidade socioambiental; publicação de artigos científicos com dados primários e revisões da literatura envolvendo temas de efeitos socioeconômicos e ambientais de sistemas de energia eólicos.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022