Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Natanael Antonio dos Santos

Ciências Humanas

Psicologia
  • medidas psicofísica e psicofisiológica em crianças com história de desnutrição e crianças com transtorno do espectro autista
  • A avaliação de funções visuais básicas é realizada com delineamento de pesquisa experimental, pois possibilita avaliar os efeitos das variáveis de estudo (por exemplo, doenças, transtornos, etc.) na resposta do sistema visual medida com técnicas psicofísicas e eletrofisiológicas não invasivos. Este projeto tem como objetivo geral utilizar métodos psicofísicos para determinar e avaliar as funções visuais de três grupos de crianças na faixa etária de 6 a 11 anos (crianças saudáveis, crianças com TEA leve/moderada e crianças com desnutrição atual, pregressa e crônica). Neste sentido, pretende-se utilizar o programa Metropsis (Cambridge Research Systems) para medir a sensibilidade de luminância cromática para comprimentos de onda curto, médio e longo e a sensibilidade ao contraste acromática para frequências espacial senoidal linear. Pretende-se ainda determinar parâmetros do movimento ocular medindo as sacadas e fixações dos três grupos de crianças utilizando a imagem visual de um labirinto. A meta é verificar se existe algum prejuízo na resposta sensorial do sistema visual das crianças com TEA e com história de desnutrição quando comparadas a crianças saudáveis na mesma faixa etária. Esperamos descrever possíveis alterações entre estes transtornos, o período crítico de desenvolvimento do sistema visual e o desenvolvimento das vias magno e parvocelular. Em geral, estudar os efeitos desses transtornos na percepção visual é importante tanto do ponto de vista sociocultural como do ponto de vista clínico, pois estudos desta natureza podem fornecer indícios de alterações da percepção visual em crianças na idade pré-escolar, podendo sugerir, inclusive, estratégias para correção e uma maior probabilidade de recuperação do sistema visual, oferecendo melhor qualidade de vida.
  • Universidade Federal da Paraíba - PB - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Natanael Duarte de Azevedo

Lingüística, Letras e Artes

Letras
  • história dos jornais eróticos brasileiros dos séculos xix e xx
  • A presença da pornografia na literatura passa a ser considerada como categoria a partir do século XIX através de suas qualidades formais, que criam possibilidades de análise que abrangem a intencionalidade da inserção do texto pornográfico e/ou a sua funcionalidade nos gêneros literários. Esse segunda possibilidade dá margem ao estudo dos elementos pornográficos da sátira, que servem de instrumento de crítica ao poder. Amparados em postulados teóricos de Hodgart (2010) e Frye (2014), segundo os quais a pornografia serve de instrumento para construção da sátira, vista pela ótica do ataque, buscaremos analisar de que modo a pornografia foi tomada como recurso satírico pelos jornais pornográficos brasileiros do final do século XIX e metade do século XX. Para compreender o contexto de produção e circulação dos jornais pornográficos e, consequentemente, como estes se apropriaram da pornografia, é necessário realizar uma investigação por meio dos métodos propostos pela História Cultural (CHARTIER, 1991 e 2007), segundo o qual a história da leitura e da literatura só se faz se o pesquisador levar em consideração as práticas e os modos de leitura, assim como a apropriação e a representação do discurso de uma dada época. Nossa pesquisa aborda, de modo mais específico, os discursos pornográficos e políticos que constituíram os jornais pornográficos para analisar os pontos de tensão e organização destes discursos em relação à crítica política presente no impresso. O objetivo de nossa pesquisa é compreender o discurso pornográfico nos jornais catalogados e a sua relação com a História da Literatura por meio da pornografia e da política. Nosso corpus será formado pelos gêneros utilizados para edição dos jornais que tratavam de questões pornográficas e político-sociais. Os resultados esperados em nossa pesquisa apontam que, através dos instrumentos da sátira e os diferentes modos de apropriação da pornografia, é possível perceber que esta estava a serviço da crítica política, além do seu caráter inerente que é a excitação do leitor. Nesse sentido, o discurso que constitui os jornais pornográficos não é apenas o da sexualidade, mas (e principalmente) o do posicionamento político e social.
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Nathalia de Oliveira Meireles da Costa

Ciências Biológicas

Genética
  • avaliação do papel da autofagia no desenvolvimento do carcinoma epidermoide de esôfago
  • O câncer de esôfago (CE) ocupa a oitava posição em incidência e a sexta em letalidade dentre todos os tipos de tumores no mundo. O carcinoma epidermóide de esôfago (CEE) é subtipo histológico de CE mais incidente, respondendo por aproximadamente 80% dos casos de CE. Os principais fatores de risco para o desenvolvimento do CEE são o consumo de tabaco e álcool, e a principal mutação observada nesse tumor é no gene supressor de tumor TP53. Apesar do CE figurar entre os mais letais do mundo, este ainda carece de conhecimentos mais aprofundados em aspectos celulares e moleculares envolvidos em sua gênese e progressão, que possam impactar positivamente no prognóstico dos pacientes. A autofagia é um processo catabólico evolutivamente conservado, no qual estruturas da membrana intracelular seqüestram proteínas e organelas no intuito de realizar a degradação e turnover desses constituintes citoplasmáticos, sendo, dessa forma, essencial para a regulação do crescimento e a manutenção da homeostase. A autofagia ocorre em múltiplas etapas, que são rigorosamente reguladas por um número limitado de genes altamente conservados, chamados reguladores de autofagia (Atg). O processo de autofagia pode ser desencadeado quando uma célula é exposta a condições estressantes, como privação de nutrientes, danos celulares, quimioterápicos e hipoxia, atuando como um fator de proteção para as células. Entretanto, a desregulação nesse processo está associada ao desenvolvimento de diversas patologias, incluindo o câncer. Em relação à regulação da autofagia, os genes Atg são regulados pela oferta de nutrientes, energia e estresse. Além disso, o fator de transcrição p53, que também funciona como um sensor para uma grande gama de estresses celulares e é codificado pelo gene TP53, regula diretamente a transcrição de uma vasta rede de genes que codificam proteínas envolvidas no controle das diferentes etapas da autofagia, sendo esta uma resposta central de p53 aos estresses celulares. O conhecimento sobre os mecanismos de autofagia envolvidos com a iniciação e progressão do CEE ainda são muito escassos. Dessa forma, o objetivo desse projeto consiste em avaliar o papel da autofagia no desenvolvimento do carcinoma epidermóide de esôfago, e a participação de p53 nesse processo.
  • Instituto Nacional de Câncer - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Nathália Korossy Leite

Ciências Sociais Aplicadas

Turismo
  • turismo cinematográfico no brasil: desafios, perspectivas e possibilidades de cooperação entre os agentes institucionais dos setores turístico e audiovisual
  • O projeto aborda a relação entre turismo e cinema como via para o desenvolvimento econômico das cidades, a partir da análise de desafios, perspectivas e formas de atuação dos agentes institucionais públicos e privados dos setores produtivos do turismo e do audiovisual para promoção do turismo cinematográfico no Brasil. A atração de produções audiovisuais (tais como filmes, séries televisivas, videocliples, etc.) consiste em um potencial meio não só para criação de novos produtos turísticos criativos, como também um instrumento para divulgar turisticamente a cidade e, evidentemente, de atrair visitantes por meio da promoção de um novo tipo de segmento turístico: o turismo cinematográfico. Trata-se de um segmento em franca expansão no mundo e que vem ganhando atenção dos governos locais das principais capitais mundiais devido às possibilidades de difusão da imagem da cidade e aos benefícios econômicos diretos e indiretos obtidos com o desenvolvimento do setor. Porém, no Brasil ainda não existe uma atuação institucional consolidada para dinamização econômica do setor, tampouco uma sistematização de pesquisas científicas sobre o tema, o que leva a um baixo aproveitamento do potencial do turismo cinematográfico. Na contramão da tendência de crescimento mundial do setor do turismo cinematográfico, existe no Brasil um vácuo institucional e científico sobre o tema que impede o seu efetivo desenvolvimento. Diante do exposto, o que este projeto propõe é voltar a atenção para tal setor de modo a criar bases para seu desenvolvimento no Brasil. Sendo assim, o projeto busca gerar impactos não apenas no campo teórico, mas também tem possibilidades de gerar resultados práticos aplicáveis à promoção do setor turístico em sua relação com o audiovisual, com rebatimentos no desenvolvimento socioeconômico das cidades receptoras. Em suma, trata-se de um projeto de pesquisa aplicada, com baixo investimento em termos de execução (30.000 reais divididos em 36 meses), mas com grande potencial para gerar informações empíricas úteis à promoção deste setor no cenário brasileiro. Como principais produtos espera-se gerar: diversos artigos científicos a serem apresentados em eventos acadêmicos da área e publicados em periódicos nacionais e internacionais; um e-book destinado a gestores do turismo e do audiovisual com boas práticas de fomento do turismo cinematográfico empreendidas por organizações internacionais da área; e por fim, a produção e difusão de um mini documentário para web (webdoc) a ser veiculado em mídias digitais, de modo a se obter um maior alcance no compartilhamento dos resultados desta pesquisa.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Nathália Thaís Cosmo da Silva

Ciências Sociais Aplicadas

Direito
  • construção participativa de propostas de atualização do marco regulatório cooperativista
  • Este projeto propõe a validação da pesquisa participativa como instrumento de atualização no marco regulatório da Política Nacional do Cooperativismo. A Política Nacional de Cooperativismo é regrada pela lei federal nº 5.764, de 16 de dezembro de 1971, sendo complementada, também, pelas novas disposições da Constituição Federal de 1988 e do Código Civil de 2002. A Constituição Federal de 1988 acompanhada do processo de fortalecimento da democracia no Brasil ampliaram os mecanismos de participação pública para além da representatividade. Embora os novos paradigmas democráticos pós-88 interfiram na aplicação do modelo cooperativista de 1971, subsiste um hiato entre o fortalecimento da democracia e o modelo societário vigente (Lei 5.764) por inexistir mecanismos, estratégias e métodos que permitam a efetiva participação dos atores sociais na elaboração e consecução das políticas de cooperativismo. Portanto, debruçamo-nos sobre a seguinte pergunta de pesquisa: de que maneira a pesquisa participativa pode ser utilizada como instrumento de atualização do marco teórico do cooperativismo? Acredita-se que a pesquisa participativa operará como fonte de informação para a readequação da lei, representando um avanço no saber fazer para a devida ampliação dos mecanismos de intervenção da sociedade civil em todas as etapas do ciclo das políticas públicas, especialmente em sua formulação. Espera-se o avanço na fronteira do conhecimento, uma vez que serão atualizados e recontextualizados os temas atinentes ao marco regulatório e seus desdobramentos na realidade do Brasil atual; a popularização dos resultados por meio da publicação de um livro; e, por fim, a validação do método que propiciará um fortalecimento do processo democrático entre os atores sociais, que ao participar de processos de discussão sobre a formulação de marcos regulatórios e políticas públicas passam por um processo de empoderamento e esclarecimento sobre a possibilidade de coparticipação e cogestão junto aos governos no desenvolvimento de suas ações e estratégias.
  • Universidade Federal de Viçosa - MG - Brasil
  • 08/09/2018-30/09/2021
Foto de perfil

Nathan Bessa Viana

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • pinça magnética associada a pinças óticas: aplicações em física e biologia celular
  • Com este projeto pretendemos equipar o Laboratório de Pinças Óticas da Universidade Federal do Rio de Janeiro com uma pinça magnética, a ser desenvolvida com tecnologia parcialmente brasileira, e integrada aos equipamentos de pinças óticas disponíveis no laboratório. Em comparação com as pinças óticas, a pinça magnética permite ampliar a escala de forças aplicadas a materiais moles, como células vivas, em 3 ordens de grandeza. Essa característica permite, por exemplo, o estudo de mecanismos celulares dependentes de força, como a adesão celular e reologia não linear do citoesqueleto. Além disso, a possibilidade de aplicação de campos magnéticos, estáticos e variáveis no tempo, e estudar seus efeitos em materiais diversos, orgânicos e inorgânicos, têm tido recentemente grande interesse, devido a potenciais aplicações que vão desde regeneração de tecido nervoso até melhorias ligadas à extração de petróleo em poços de grande profundidade. Devido à sua versatilidade, a pinça magnética, em conjunto com técnicas já estabelecidas no Laboratório de Pinças Óticas, possibilitaria que estudos ligados a projetos de grande interesse tecnológico com grande potencial em física aplicada fossem desenvolvidos.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Nathan Levien Vanier

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • discriminação de origem geográfica de arroz e trigo pela análise de fosfolipídios e compostos fenólicos por lc-ms
  • O arroz e o trigo estão entre os cereais mais cultivados e consumidos no mundo, constituindo a base alimentar da população. A qualidade de grãos é dependente do genótipo, das variáveis ambientais do local de cultivo, bem como do manejo pré- e pós-colheita. Não é novidade que a demanda por alimentos com cada vez mais qualidade físico-química é crescente. Para a maior parte dos brasileiros, arroz de qualidade é aquele não pegajoso quando cozido, com grãos brancos, de alta sanidade. Para as indústrias de moagem de trigo, processar grãos de trigo com alto teor de glúten, com sanidade e alto peso volumétrico é premissa básica para atender parâmetros de qualidade exigidos pelo mercado consumidor. Tanto para a cadeia produtiva do arroz como para a do trigo, a segregação industrial de genótipos e de suas origens de cultivo propiciam atingir nível superior de qualidade industrial e implementar conceitos de rastreabilidade da produção. Em relação ao arroz produzido no Brasil, o principal estado de produção é o Rio Grande do Sul. Sabe-se que há diferença significativa de condições climáticas nos principais municípios de cultivo neste estado. O mesmo ocorre para o trigo produzido no Rio Grande do Sul, segundo estado que mais produz este cereal. Para ambas as culturas, um mesmo genótipo, sob mesmas condições de manejo agronômico de produção, numa mesma safra, pode apresentar características físico-químicas distintas. Para atender a padronização de qualidade e as crescentes expectativas de consumidores nacionais e estrangeiros, marcadores moleculares de discriminação de genótipos e de locais de cultivo são fundamentais. Há relatos recentes na literatura científica de que fosfolipídios e compostos fenólicos são os marcadores mais promissores para estas culturas. Objetiva-se com o presente projeto: (1) avaliar o perfil de fosfolipídeos e compostos fenólicos em arroz branco e em arroz preto, de diferentes genótipos, produzidos em diferentes municípios do Brasil, definindo metabolitos marcadores para cada genótipo e local de cultivo; (2) avaliar o perfil de fosfolipídios e de compostos fenólicos em diferentes genótipos de trigo produzidos em diferentes municípios do Rio Grande do Sul e do Paraná, definindo, da mesma forma que para o arroz, metabólitos marcadores para cada genótipo e local de cultivo; (3) discriminar a qualidade físico-química e tecnológica do arroz e do trigo em função do genótipo e do local de cultivo, de duas distintas safras de produção. Fosfolipídios e compostos fenólicos serão avaliados por cromatografia liquida acoplada a espectrometria de massas. Para arroz, serão também realizadas as seguintes avaliações: teor de amilose, propriedades viscoamilográficas, teor de proteína bruta, solubilidade de proteínas, rendimento de grãos inteiros, grau de brancura de arroz polido, teor de defeitos e perfil texturométrico. Para trigo, além das determinações de fosfolipídios e fenólicos, serão determinados: teor de proteína bruta, teor de cinzas, rendimento de extração de farinha, alveografia, peso do hectolitro, teor de defeitos dos grãos, propriedades viscoamilográficas e teor de amilose. Ao final do projeto, as cadeias produtivas de arroz e do trigo terão mapeamento aprofundado sobre a qualidade dos grãos produzidos no Brasil e ferramentas para segregar a matéria prima agroindustrial e diferenciar por genótipo e por origem de produção os produtos oferecidos aos consumidores. As metas incluem a publicação de dois artigos científicos em periódicos internacionais, de seis trabalhos em congressos, de dois artigos magazine e a realização de palestras para a difusão do conhecimento gerado com a pesquisa.
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Nayana Cristina Gomes Teles

Ciências Humanas

Educação
  • mentoria de professores de ciências iniciantes
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal do Amazonas - AM - Brasil
  • 12/08/2019-30/06/2022
Foto de perfil

Nécio Turra Neto

Ciências Humanas

Geografia
  • juventudes e múltiplas territorialidades: diferenças socioculturais em contextos de cidades médias e metrópoles brasileiras
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Nédia de Castilhos Ghisi

Outra

Ciências Ambientais
  • avaliação múltipla dos efeitos tóxicos do herbicida 2,4-d (ácido diclorofenoxiacético) sobre a espécie nativa rhamdia quelen (pisces: siluriformes)
  • O grande aumento populacional registrado no último século fez com que a preocupação com o suprimento alimentar para a população mundial se tornasse uma das principais agendas dos governos em todo o planeta. Para atender a esta demanda crescente, áreas de floresta foram desmatadas para dar lugar à produção agropecuária, que também passou por inovações tecnológicas, visando aumento da produtividade por área. Dentre estas novidades pode ser destacada a produção de alimentos transgênicos, tecnologia que prometia acabar com a fome mundial. A utilização de transgênicos permite, pela aplicação de pesticidas, a eliminação de organismos “praga” sem afetar a cultura de interesse comercial. Porém dentro de poucos anos iniciou-se a propagação de organismos resistentes ao princípio ativo empregado nestes agrotóxicos, a exemplo da erva-daninha conhecida popularmente como buva, atualmente resistente ao herbicida glifosato. Atualmente, pela perda da eficácia deste herbicida, pretende-se o desenvolvimento de um novo cultivar transgênico, agora resistente a um novo pesticida, o 2,4-D (ácido diclorofenoxiacético). Esta transgenia já foi liberada pelo CTNBio, e espera-se que nos próximos anos ocorra a implantação deste novo cultivar, e o aumento da exposição ambiental a este pesticida. O 2,4-D não é novidade, pois foi desenvolvido durante a Segunda Guerra Mundial, sendo muito usado como um dos princípios ativos do agente laranja na guerra do Vietnã. A aplicação deste produto é polêmica, pois ao mesmo tempo em que reduz os custos da produção agropecuária e aumenta a produtividade, não há informações suficientes quanto aos efeitos da sua exposição crônica para a saúde humana e também sobre a dimensão dos problemas ambientais que podem acarretar pela contaminação do ar, água e solos. O 2,4-D é proibido no Dinamarca, na Suécia e na Noruega. Foi proibido também para uso em ambientes públicos em vários estados do Canadá e vários países já estudam seu banimento, como os EUA. Para efeitos de regulamentação de produtos como este, agências reguladoras do país exigem estudos prévios de toxicidade. No entanto, nem sempre estes estudos são conclusivos, revelando os reais efeitos agudos ou crônicos sobre os vários níveis da organização biológica. O ideal para testar a segurança de produtos como este, seria a realização de estudos com organismos bioindicadores, expondo-os a diferentes tempos e concentrações ou doses. Desta forma podem ser avaliados com resultados práticos os efeitos sobre a qualidade de vida do organismo, através de biomarcadores cuja alta sensibilidade é capaz de detectar precocemente efeitos deletérios. Assim, vê-se a necessidade da realização da presente proposta, garantindo assim uma avaliação mais minuciosa de um produto ao qual tendemos a ficar cada vez mais expostos. Desta forma, a presente proposta tem como objetivo avaliar os efeitos tóxicos da exposição ao herbicida 2,4-D sobre a espécie nativa Rhamdia quelen por meio da comparação de seus efeitos nas concentrações 15, 30 e 60 µL/L, em dois tipos de vias: hídrica e trófica. Serão realizados testes de efeitos através de biomarcadores: genotóxicos (expressão gênica, ensaio cometa e teste do micronúcleo), potencial mutagênico, citotóxicos (aberrações nucleares em hemácias e exames hematológicos, teste de Ames), histológicos (fígado, neurônios entéricos e brânquia), bioquímicos (Glutationa Reduzida –GSH; Glutationa S-Transferase – GST; Catalase – CAT; carbonilação proteica – PCO; Lipoperoxidação – LPO) e avaliação molecular da expressão da vitelogenina no plasma de indivíduos machos (desregulação endócrina). Este projeto visa consolidar uma linha de pesquisa sobre bioindicadores e biomarcadores ambientais de poluição aquática na Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Câmpus Dois Vizinhos - PR, reafirmando parcerias já existentes. Ainda, a divulgação dos resultados obtidos será de fundamental importância para a comunidade acadêmica e para a sociedade em geral, auxiliando na formação de recursos humanos, e na construção de dados que possibilitem uma discussão mais ampla sobre os riscos de exposição para a biota e populações humanas aos xenobiontes lançados no ambiente.
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2021
Foto de perfil

Neha Khandpur

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • avaliação do impacto da rotulagem frontal de alimentos na saúde pública no brasil
  • Reduzir o consumo de produtos ultraprocessados no Brasil é crucial para reduzir a morbidade das doenças não transmissíveis, a perda de produtividade e a melhoria da equidade em saúde na região. Os rótulos frontal de alimentos são uma parte importante e talvez até necessária do conjunto de medidas que visam a redução do consumo de produtos ultraprocessados. Esta proposta visa: (1) estimar as reduções na mortalidade por doença a partir da inclusão obrigatória do rotulagem frontal de alimentos (FOP) em produtos ultraprocessados no Brasil, e (2) estimar mudanças na expectativa de vida e anos de vida ajustados por incapacidade evitados ciclos de vida dos indivíduos. Utiliza modelos de macro-simulação, PRIME e PRIMEtime, e aproveita dados secundários para estimar os potenciais impactos à saúde atribuíveis ao uso de rótulos frontal de alimentos na diminuição do consumo de alimentos ultraprocessados e estimular sua reformulação. Os resultados desta proposta identificarão os impactos dos rótulos frontal de alimentos sobre a saúde após 5 e 10 anos , quantificarão o número de mortes evitadas pela sua implementação e informarão a alocação de recursos do governo. Essa proposta atende à demanda por essa evidência do Ministério da Saúde e da ANVISA para ajudar a informar futuras decisões políticas sobre esse tema e de ONGs de defesa, como o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, para capacitar e educar o consumidor brasileiro. Além disso, fornece as evidências necessárias para informar o debate sobre rotulagem nutricional entre pesquisadores da saúde pública. A validade dos métodos e a importância de seus resultados são independentes da decisão final da ANVISA sobre a política da FOP.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Nei de Freitas Nunes Neto

Ciências Humanas

Educação
  • educar para transformar: investigações sobre estratégias de ensino para a formação de agentes virtuosos
  • Cada vez mais tem sido questionado o papel da educação em ciências frente à existência de uma séria crise socioambiental e também de um afastamento entre a pesquisa acadêmica em educação e a prática pedagógica, sobretudo na escola básica. Uma educação tradicional-tecnicista, associada a métodos passivos e transmissivos, tem sido pouco eficaz para preparar os jovens para lidarem com os desafios contemporâneos, assim como não tem sido estimulante para eles, limitando seu engajamento cognitivo e comportamental nos processos de ensino e aprendizagem. O presente projeto dedica-se à investigação do desenvolvimento e implementação de inovações educacionais que visem a contribuir para a redução dos problemas mencionados. Todas as investigações do projeto estarão relacionadas à Educação CTSA (Ciência-Tecnologia-Sociedade-Ambiente), e mais especificamente, em alguns contextos será mobilizado um modelo teórico-metodológico de ensino adotado em trabalhos prévios (e.g.; Conrado & Nunes-Neto, 2018), assim como aplicações empíricas. Trata-se de um modelo de ensino para o letramento científico crítico que articula em sua unidade básica quatro elementos principais: 1) contexto pedagógico (educação CTSA); 2) questões sociocientíficas concebidas como casos controversos; 3) questões norteadoras como mediadoras das interações e da aprendizagem; 4) objetivos de aprendizagem concebidos multidimensionalmente. Parte das iniciativas de pesquisa incluídas neste projeto serão também financiadas pelo INCT em Estudos Interdisciplinares e Transdisciplinares em Ecologia e Evolução (INCT IN-TREE) (CHAMADA INCT – MCTI/CNPq/CAPES/FAPs nº 16/2014), contando o presente projeto com a participação de vários pesquisadores, incluindo o coordenador geral do INCT IN-TREE. O IN-TREE tem um amplo programa de interação com a sociedade nos setores educacional, ambiental e rural, e abriga um grande número de projetos de pesquisa em educação. Além disso, o projeto contará com a colaboração de estudantes de pós-graduação, sob orientação de pesquisadores componentes da equipe. Por fim, quanto à viabilidade do projeto, existe a possibilidade de buscar outras fontes de financiamento, relacionadas a editais para pesquisa de agências de fomento ou das próprias instituições universitárias participantes.
  • Universidade Federal da Grande Dourados - MS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Neide Maria de Almeida Pinto

Ciências Sociais Aplicadas

Economia Doméstica
  • os usos das tics sob uma perspectiva de gênero e geração
  • A produção, a difusão e o uso das Tecnologias da Informação e Comunicação têm sido responsáveis por grandes transformações na sociedade. A ampliação das possibilidades de comunicação e de informação por meio de equipamentos como telefone, televisão e o computador/internet alteraram a forma de viver na atualidade. As tecnologias digitais de comunicação e informação, como o celular, possibilitam novas formas de acesso à informação, novas formas de interação e de comunicação, bem como, diferentes formas de aprendizagem. Esse estudo pretende explorar os usos e as formas de apropriação social das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs) a partir das perspectivas de gênero e geração. O foco da pesquisa se colocará nas relações intergeracionais e de gênero, buscando compreender os modos de comportamento e os hábitos constituídos a partir da integração dessas tecnologias na vida de indivíduos de sexo e idades diferentes. Já as variáveis renda e escolaridade serão importantes para compreender os fatores condicionantes ao acesso e posse das TICs nos diferentes segmentos estudados. Para tanto, tomar-se-á como objeto de estudo, o uso da televisão, do computador/internet e do celular em três segmentos geracionais distintos. As análises permitirão construir parte do caminho relacionado à ‘domesticação’ dessas tecnologias. Ao longo de tempo o uso destas tecnologias deixou de estar restrito quase que exclusivamente aos espaços públicos sendo incorporado ao âmbito privado e nas dinâmicas familiares. A presente pesquisa busca, portanto, compreender o processo de adaptação dos indivíduos a estes artefatos no âmbito da sua vida pessoal. O aporte teórico adotado considera a influência mútua entre a tecnologia e o contexto social em que ela opera. As análises enfatizarão, consequentemente, as interações entre a tecnologia e a sociedade, sem cair na armadilha do determinismo tecnológico. Pelo contrário, a perspectiva do condicionamento recíproco não se subscreve a determinismos. Reconhece a interinfluencia entre estrutura e ação. Rejeita o unidirecionalismo da tecnologia sobre a sociedade, tal como desta sobre a tecnologia. Considera-se que a renda, a escolaridade, a idade, bem como os papéis a que estão associados a homens e mulheres, influenciam no acesso, no uso e na forma como essas tecnologias são apropriadas por indivíduos de diferentes gerações.
  • Universidade Federal de Viçosa - MG - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2022
Foto de perfil

Nelio Marco Vincenzo Bizzo

Ciências Humanas

Educação
  • ciências na escola do futuro
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 12/08/2019-30/11/2021
Foto de perfil

Nelita Gonçalves Faria de Bessa

Engenharias

Engenharia Civil
  • elas na engenharia: por que não?
  • O projeto "Elas na Engenharia: Por que Não?" está em consonância com as políticas institucionais da UnirG, recentemente passando de Centro Universitário para Universidade de Gurupi, mediante alcance de indicadores para esta transformação, dentre tais aqueles relativos a execução de projetos de pesquisa ensino e extensão com integração da sociedade. Temos assim histórico de programas, projetos e ações com e sem fomento externo junto a escolares, como: PIBID/CAPES, PROEXT/MEC, Prodocência, Educação empreendedora, Extensão e estágios curricularizados. Conta com termo de cooperação com secretarias de educação e cadastro na plataforma Freire/Capes com escolas municipais e estaduais. Criada em 1985, sendo IES pública genuinamente tocantinense, tendo a engenharia civil um curso de graduação dentre os 14, disponibilizará neste projeto corpo docente de doutores, mestres e especialistas, predominantemente feminino e atuantes nas engenharias. As experiências anteriores subsidiarão a execução do projeto cujo objetivo será “Desenvolver conhecimentos aplicados do núcleo curricular comum da formação das engenharias junto as mulheres e meninas do 6° ano do ensino fundamental ao ensino médio de escolas públicas de Gurupi-TO, que tem o programa Mais Educação e são cadastradas na plataforma Freire/Capes, com envolvimento de professoras escolares, docentes do curso de engenharia civil da UnirG e acadêmicas, tendo como estratégias a adequação de intervenções pedagógicas para séries do ensino formal, relato de vivências de mulheres das áreas de engenharia e formações por meio de eixos integradores do conhecimento como Robótica, Concreto de Alta Resistência (COCAR), Lançamento de Foguete de Garrafas PET, associando o Letramento Científico na transversalidade das abordagens bem como fortalecendo a cultura das profissões das engenharias para o sexo feminino e as várias possibilidades de atuação. O Letramento Científico é definido a apropriação de conhecimentos científicos na ajuda da formação de cidadãos que serão capazes de usar as informações aprendidas para entender e resolver questões pessoais e sociais. A escolha das cinco (5) escolas de Gurupi-TO para participação no projeto obedeceu aos critérios daquelas que já estão cadastradas na plataforma Freire/Capes, bem como já estão realizando atividades em conjunto com a Universidade de Gurupi (Programa PIBID-reforço didático-pedagógico na área de licenciatura/bacharelado) e também tem o Programa Mais Educação: Física e Matemática implementado. Espera-se que tenham o conhecimento sobre a área da engenharia, competências e habilidades das profissões perfeitamente possíveis de concretização por mulheres e assim possam ser despertas para o ingresso em cursos superiores e/ou técnicos e tecnológicos nas áreas das engenharias, e para aquelas em risco de evasão no curso, possam ter suporte para enfrentar e romper as dificuldades. A nossa IES tem em sua missão a responsabilidade com o desenvolvimento Local regional e coaduna com os interesses do CNPq, por meio das políticas públicas que contribuem para esta questão. Dentre elas, coaduna com a necessidade de executar políticas afirmativas de Gênero em áreas do conhecimento de relevante interesse para sociedade e desenvolvimento, que são as engenharias e de suporte a infraestruturação do País, bastante incipientes na região Norte. Este projeto poderá contribuir com a resolução da problemática do desconhecimento das habilidades e competências inerentes a área de engenharia por escolares bem como da estigmatização relativa ao gênero feminino nestas áreas e ainda evasão de acadêmicas em curso, visto dificuldades de aprendizagem. No ensino formal no Brasil, especialmente ensino fundamental e médio, ainda é pouco articulado com o processo de despertar para vocações bem como para não associá-las a questão de gênero, naturalmente sendo este fator reflexo do comportamento da sociedade em que vivemos.
  • Fundação UNIRG - TO - Brasil
  • 15/04/2021-31/10/2022
Foto de perfil

Nelma de Cássia Silva Sandes Galvão

Outra

Divulgação Científica
  • atividades interdisciplinares de popularização da ciência: inteligência artificial e tecnologia assistiva primeira edição
  • O projeto é o resultado da articulação de Instituições de Ensino Superior (IES), Secretarias de Educação, comunidades escolares de unidades de ensino da Educação Básica, Educação Profissional e Educação de Jovens e Adultos (EJA), no Estado da Bahia. Tem como tema a Inteligência Artificial (IA) com o recorte do uso desses conhecimentos científicos no campo da Tecnologia Assistiva (TA). Entendendo-se TA como um campo de conhecimento interdisciplinar que envolve produtos, serviços, metodologia, voltados para a qualidade de vida, autonomia e independência da pessoa com deficiência e/ou com mobilidade reduzida. A escolha desse recorte foi motivada pela crescente demanda nos espaços educacionais envolvidos nesta proposta, por soluções tecnológicas que fomentem a entrada e permanência com qualidade de estudantes com deficiência. A importância dessa realidade fica evidente quando se constata a escassez de informações sobre as possibilidades do uso da TA nas práticas educacionais inclusivas. Na atualidade, os avanços científicos na produção e melhoramento dos recursos de TA caminham a passo largo, com contribuições das inovações trazidas pelos estudos sobre Inteligência Artificial, entretanto, essas novidades chegam lentamente para o usuário final dos recursos, no caso das unidades escolares, o estudante. Constata-se em nossas pesquisas que essa discrepância entre o que a ciência produz e o uso desses conhecimentos no cotidiano é fruto do distanciamento entre a academia e a comunidade, e no caso da pessoa com deficiência o impacto desse abismo é nocivo e potencializa diversas barreiras para o pleno exercício da sua cidadania. Popularizar os conhecimentos científicos nesse campo do conhecimento é uma ação de enfrentamento a essa exclusão. Os usuários dos recursos de TA precisam saber da existência e funcionalidade dos produtos, por sua vez, a sociedade precisa garantir o uso desses com segurança, essa via de mão dupla contribuirá para a criação de espaços inclusivos, favorecedores de equidade, o que é direito das pessoas com deficiência. Nessa direção o objetivo geral desta proposta é: Contribuir para a popularização da ciência relacionando os avanços científicos no campo da inteligência artificial com a qualidade de vida do ser humano, com ênfase nos processos criativos de produtos no âmbito da Tecnologia Assistiva, potencializando e ampliando discussões, formação, desenvolvimento de conceitos estabelecendo uma maior articulação entre a comunidade e a Universidade-Escola-Instituto Superior. Como já referido, as atividades foram gestadas coletivamente por um grupo que envolve a Universidade Federal do Oeste da Bahia, Universidade Federal da Bahia, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia - Campus Barreiras, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia - Campus Santo Amaro, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Universidade Estadual de Santa Cruz e as Secretarias de Educação das cidades envolvidas. O evento envolve três modalidades de ação, realizadas em três etapas, envolvendo 28 municípios, distribuídos em 5 (cinco) regiões do estado, a saber Feira de Santana e região do Portal do Sertão; Salvador e região Metropolitana; Barreiras e região do Oeste Baiano; Santo Amaro e região do Recôncavo da Bahia; Itabuna e região Sul da Bahia. A primeira etapa ocorrerá na modalidade “Seminários e ciclo de palestras” realizados no formato virtual, de 19 a 23 de outubro de 2020. A segunda etapa refere-se a modalidade “Conjunto de Oficinas” realizadas de modo híbrido, virtualmente e presencialmente, durante os meses de janeiro e fevereiro de 2021, a culminância das oficinas será com uma maratona de Tecnologia Assistiva na qual serão construídos produtos de baixo custo que envolvam Tecnologia Assistiva e Inteligência Artificial, esses produtos serão disponibilizados para estudantes com deficiência da rede pública de ensino e expostos durante a terceira etapa do evento, que ocorrerá na modalidade “Exposição CTI”. A terceira etapa ocorrerá em março de 2021, será presencial, incorporando o evento Ciência Móvel, que de forma itinerante levará às cidades parceiras uma Exposição CTI, na qual serão apresentados os recursos produzidos durante as oficinas e outros produtos de Tecnologia Assistiva. Além dessas atividades, durante o evento será celebrado um convênio entre a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia e a Organização IberoAmericana de Seguridade Social para a implementação do Espaço de Referência em Tecnologia Assistiva e Acessibilidade da UFRB. Ressalta-se que a divulgação do evento será realizada por meio de panfletos, cartazes e por meio eletrônico, através da ampla rede de divulgação virtual das instituições parceiras. Estima-se um público de cerca de 2000 participantes, distribuídos entre professores, pesquisadores, estudantes de pós-graduação, estudantes de graduação, estudantes da Educação Básica, Educação Tecnológica e Educação de Jovens e Adultos, empresas, escolas, dentre outros. Considera-se também como importante fruto do evento o fortalecimento de redes interinstitucional, envolvendo a sociedade, pesquisadores, escolas e empresas, com o intuito da criação e manutenção de práticas educacionais inclusivas envolvendo IA e o campo da TA.
  • Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - BA - Brasil
  • 22/10/2020-31/07/2021
Foto de perfil

Nelmires Ferreira da Silva

Ciências Sociais Aplicadas

Serviço Social
  • movimentos sociais rurais e urbanos em sergipe: os tradicionais e emergentes sujeitos políticos no atual cenário
  • Esta proposta de pesquisa intitulada “Movimentos Sociais Rurais e Urbanos em Sergipe: os tradicionais e emergentes sujeitos políticos no atual cenário” surge a partir das experiências empíricas, acúmulos de conhecimentos e produções de trabalhos científicos realizados ao longo da trajetória dos sujeitos envolvidos com esta empreitada de estudo, o que, portanto, justifica-se frente a intenção em continuar reatualizando as investigações na área temática. Entre outros elementos instigantes dessa pesquisa, encontra-se a importância de resgatar as discussões que marcaram as décadas de 1980 e 1990 com as investigações acerca das Lutas, Movimentos Sociais e Conflitos Agrários no espaço sergipano, os quais foram de grande relevância para se repensar e propor políticas públicas, tendo em vista, a necessidade de incrementar as estratégias de enfrentamento as expressões da questão social naquele contexto. Para isso, situamos o atual cenário dos fins do século XX e início do XXI em que, o processo de globalização, reestruturação produtiva, a nova divisão internacional e territorial do trabalho, frente às inovações técnico-científicas, bem como a emergência do modelo de gestão do trabalho, possibilitaram verificar o aparecimento de novos sujeitos sociais e políticos na cena contemporânea. É exatamente a introdução desses elementos conjunturais que gerou a emergência de revisões ou atualizações da retomada histórica dos movimentos sociais, suas estratégias de participação e disputas de acesso ao conjunto das políticas públicas. É nesse panorama que as tensões e consensos reordenam-se frente às atuais configurações dos movimentos sociais em Sergipe com suas bandeiras e agendas de lutas. Assim, o cenário tem confluído entre os fluxos/refluxos dos movimentos tradicionais/classistas/marxistas, e a emergência dos novos movimentos, conforme sinaliza os estudos de Maria da Glória Gohn, Novos Movimentos Sociais (NMS), cuja abordagem centra-se no âmbito dos micros relações sociais e bandeiras reivindicatórias. À luz dessas mudanças de base empírica e paradigmática passamos a fomentar os seguintes questionamentos: no atual cenário sergipano como se configuram os tradicionais e emergentes movimentos sociais? Quem são os emergentes sujeitos políticos que estão presentes nas lutas diárias atualmente? O que os atuais sujeitos políticos sinalizam em suas agendas de lutas? Frente à problematização e as questões que nortearão essa pesquisa, partimos da hipótese diretriz de que em Sergipe, na atual conjuntura de crises e ataques aos direitos sociais, as lutas sociais têm sido forjados no impulso dos acontecimentos imediatos e fragmentados, o que não significa dizer que desapareceram da cena política. Nessa direção, o pressuposto que direciona nossa hipótese é a de que há um aparente esvaziamento e/ou mesmo uma retirada de cena desses sujeitos, podendo ainda traduzir em nova roupagem/reconfigurações. Nessa direção, imprimir dizer que esperamos que, o referido estudo possa despertar novas reflexões ao leitor e especialmente, trazer elementos para repensar a gestão de políticas, organização e participação nas políticas públicas governamentais/não governamentais, fomentando informações importantes para a construção de suas agendas de lutas tendo em vista o enfrentamento a questão social. No caminho da contribuição, essa pesquisa sinaliza para a construção de um importante banco de dados que poderá fortalecer não somente o debate nos movimentos, na academia, sociedade civil e Estado, como visibilizar informações estratégicas para os programas, ações, projetos de enfrentamento das desigualdades sociais.
  • Universidade Federal de Sergipe - SE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Nelson Adelar Toniazzo

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • física para todos: oficinas de introdução à eletrônica e exposição interativa
  • Na perspectiva de promover a difusão e a popularização da Física para todos os segmentos da sociedade (pessoas escolarizadas e não escolarizadas), de produzir, junto às pessoas, uma imagem mais atrativa desta ciência e de sugerir procedimentos metodológicos mais adequados para ensiná-la, desde 1997 está sendo desenvolvido, o projeto de extensão universitária “Física para Todos-Experimentos Interativos”. Nesses 20 anos de sua história do projeto podemos afirmar que em torno de 100 mil pessoas visitaram o projeto. Para essa chamada, estamos propondo duas ações fundamentais: O desenvolvimento de Introdução à Eletrônica para 45 alunos das escolas de ensino médio públicas de abrangência da 36a Coordenadoria de Educação do RS. As oficinas serão realizadas nos espaços internos da UNIJUÍ, perfazendo um total de 32 horas, ao final das mesmas será emitido um certificado aos alunos. As vagas [45] para a realização das Oficinas de Introdução à Eletrônica serão rateadas pelo total das escolas de ensino médio de abrangência da 36a Coordenadoria de Educação do RS, cabendo a cada escola fazer a seleção dos alunos. As oficinas de Introdução à Eletrônica visam trabalhar com alunos e professores das escolas participantes através de diversas atividades práticas que envolvem eletrônica, computação e robótica. Com estas atividades é possível trabalhar a aplicação prática dos conceitos teóricos vistos em diversas disciplinas como a física e a matemática, proporcionando a fácil compreensão, por exemplo, de como que um simples dispositivo pode controlar tarefas rotineiras de uma residência, ou mesmo, como um aplicativo de celular pode ser programado. Para isto, serão realizadas oito oficinas de quatro horas/aula, sendo um encontro semanal. Estas atividades serão monitoradas pelos bolsistas e professores do projeto. Ao final de cada curso será definido, pelos participantes do curso, um conjunto de equipamentos produzidos, que farão parte da exposição. A segunda ação é uma Exposição Interativa do Projeto Física para Todos. A exposição será realizada nos espaços da UNIJUÍ e será composta pelos equipamentos/experimentos que compõem o atual acervo do projeto, acrescido dos objetos desenvolvidos pelos alunos nas Oficinas de Introdução à Eletrônica. Com previsão de quatro dias nos turnos da manhã, tarde e noite exposição será realizada no período da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Atualmente o projeto possui em torno de cinquenta equipamentos/experimentos envolvendo as diversas áreas da física como mecânica, eletricidade, magnetismo, física moderna, astronomia e óptica. A equipe do projeto possui experiência no desenvolvimento de materiais didáticos, roteiros, equipamentos de laboratório destinados a mostras de ciências e fundamentalmente na organização de mostras de Ciências. Assim, a presente proposta não só vem ao encontro dos objetivos do projeto como reforça e qualifica o trabalho que já vem sendo realizado por essa equipe.
  • Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 08/01/2021-31/01/2023
Foto de perfil

Nelson Ferreira Fontoura

Ciências Biológicas

Ecologia
  • sítio peld pró-mata: floresta ombrófila e campos de altitude do sul do brasil
  • A RPPN Pró-Mata abriga, em seus 3100 hectares, ecossistemas remanescentes primários e em regeneração da Mata Atlântica, localizando-se na borda do planalto da Serra Geral do Rio Grande do Sul. Apresenta também fragmentos de campos de altitude sem impacto do gado ou fogo desde 1994. Além de extensas áreas de Floresta Ombrófila Mista (mata com Araucária) ao longo da borda do Planalto, nos limites de menor altitude, observa-se a Floresta Ombrófila Densa, ou Mata Atlântica stricto sensu. Estes ecossistemas e seus ecótonos representam na RPPN Pró-Mata, assim como nas seis unidades de conservação federais e estaduais do entorno, uma considerável fração das florestas nativas do Estado do Rio Grande do Sul, que são tombadas pela UNESCO e compõe a Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, reconhecida internacionalmente como um dos 25 hotspots de biodiversidade mundial. Criada com o objetivo de conservação e pesquisa, a RPPN Pró-Mata dispõe de 900 m² de área construída, com alojamentos individuais e coletivos, laboratórios, sala de aula e refeitório, mantida por um corpo permanente de seis funcionários entre gerente de operações, funcionários de hotelaria e de manutenção. Recomendamos a navegação pelo site da RPPN Pró-Mata, incluindo a visualização de vídeo institucional, através do link: https://www.pucrs.br/ima/pro-mata/. A RPPN Pró-Mata, com orçamento próprio anual de aproximadamente R$ 700.000,00, dentre despesas de pessoal, custeio e investimentos, é administrada pelo Instituto de Meio Ambiente da PUCRS (IMA). Considerando-se que a presente proposta é coordenada pelo próprio diretor do IMA, a mesma terá todo o apoio institucional necessário para que os objetivos propostos sejam alcançados. Por outro lado, o vice-coordenador da proposta é coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Evolução da Biodiversidade da PUCRS, de forma a garantir que as atividades de pesquisa desenvolvidas tenham um forte viés de formação de pessoal. A equipe principal do projeto, elencada nominalmente, compreende 17 professores e pesquisadores da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), além de bolsistas de pós-doutorado, estudantes de mestrado e doutorado, assim como colaboradores de instituições nacionais e internacionais. Destacamos que dentre o elenco de pesquisadores principais, sete são bolsistas de produtividade em pesquisa do CNPq, incluindo o coordenador e vice-coordenador da proposta. O projeto encontra-se dividido em oito subprojetos, listados a seguir, cada qual coordenado por pesquisadores qualificados em suas áreas de atuação. (1) Parcelas permanentes na Mata Atlântica do Sul do Brasil; (2) Biodiversidade e distúrbio por fogo em campos de altitude do Sul do Brasil; (3) Ecologia e diversidade de abelhas silvestres associadas à Floresta Ombrófila Mista; (4) Dinâmica da assembleia de aranhas da RPPN Pró-Mata; (5) Dinâmica da assembleia e estudo bioquímico-funcional de anfíbios frente a um cenário de mudanças ambientais; (6) Riqueza e composição de aves em gradiente de vegetação na RPPN Pró-Mata; (7) Dinâmica sazonal e interanual da assembleia de mamíferos da RPPN Pró-Mata; (8) Inventário e monitoramento molecular da biodiversidade da RPPN Pró-Mata. Por fim, o Sítio PELD RPPN Pró-Mata terá um forte viés de divulgação científica. Pretende-se a realização de vídeos em formato documentário sobre o projeto geral e cada de subprojeto. Os vídeos serão produzidos em formato de 15-20 minutos para depósito em conta específica do YouTube, assim como versões curtas de 1 minuto para divulgação em exposição permanente do Museu de Ciências e Tecnologia da PUCRS, com visitação anual de quase 220 mil pessoas (2019), assim como nas redes sociais. Sugerimos a visualização de documentário modelo sobre pesquisa em aves, com 14 minutos, produzido na RPPN Pró-Mata: https://drive.google.com/file/d/1ONsKo6UOIUZOLNN2iBmZvEXZ3xDqUfFv/view?usp=sharing.
  • Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 03/12/2020-31/12/2023
Foto de perfil

Nelson Filice de Barros

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • práticas integrativas e complementares na atenção primária à saúde nas regiões metropolitanas de porto alegre, fortaleza, campinas e goiânia
  • Em 2006 foi publicada a Portaria 971 do Ministério da Saúde, que criou a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no Sistema Único de Saúde (SUS), com a implantação da Homeopatia, Medicina Antroposófica, Medicina Tradicional Chinesa-Acupuntura, Fitoterapia e Termalismo Social/Crenoterapia. Em 2017 foram introduzidas outras 10 práticas: Arteterapia, Ayurveda, Biodança, Dança Circular, Meditação, Musicoterapia, Naturopatia, Osteopatia, Quiropraxia, Reflexoterapia, Reiki, Shantala, Terapia Comunitária Integrativa e Yoga. Em 2018 a PNPIC foi ampliada mais uma vez com a introdução da Apiterapia, Aromaterapia, Bioenergética, Constelação familiar, Cromoterapia, Geoterapia, Hipnoterapia, Imposição de mãos, Ozonioterapia e Terapia de Florais. Nessas três etapas a Atenção Primária à Saúde (APS) foi o nível de atenção prioritário para a implantação das 29 diferentes PICS. O objetivo deste projeto é analisar a oferta de Práticas Integrativas e Complementares nos 1444 serviços de Atenção Primária à Saúde dos 93 municípios das Regiões Metropolitanas de Porto Alegre, Fortaleza, Campinas e Goiânia. Essas regiões foram escolhidas em função de estarem em diferentes regiões do país, somarem cerca de 14 milhões de pessoas e contarem com extensa rede de serviços de APS. A metodologia adotada no projeto é de natureza mista, com coleta de dados por meio de entrevistas eletrônicas. A parte quantitativa desenvolverá: a) coleta de dados com questionário estruturado em todos os serviços de APS das quatro regiões metropolitanas; b) criação de um banco de dados atualizado; e c) disponibilização dos dados para os municípios investigados. A parte qualitativa será desenvolvida a partir de: a) entrevistas eletrônica com instrumento com perguntas abertas, cujas respostas serão gravadas e posteriormente transcritas pelo entrevistador; b) análise de conteúdo temática dos sentidos atribuídos pelos gestores dos serviços de saúde sobre estratégias locais e regionais; impacto para a organização do trabalho das equipes profissionais e usuários; e fatores que dificultam e facilitam o desenvolvimento das PICS na APS das Regiões Metropolitanas de Porto Alegre, Fortaleza, Campinas e Goiânia. Serão realizados estudos de caso e estudos comparativos de cada uma das regiões metropolitanas. A importância desse projeto é ampla, pois abarca análise sobre o acesso e qualidade da atenção de grande população distribuídas em 93 municípios constituintes da quinta, sétima, décima e décima terceira maiores regiões metropolitanas do Brasil. Além disso, o projeto contribuirá para a estruturação de ações locais e a construção de estratégias regionais de implantação das PICS na Rede de Atenção à Saúde da APS no SUS.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022