Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Daniele Cristina Silva de Freitas

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • materiais magnéticos de baixa dimensionalidade
  • Materiais de baixa dimensionalidade são altamente anisotrópicos e caracterizam-se por apresentarem propriedades que diferem-se em relação a direção de observação. Tais materiais possuem aplicações em diversas áreas. Supercondutividade com alto TC, ondas de densidade de carga e spin, cadeias magnéticas desordenadas e muitos outros fenômenos são exemplos da rica física presente nesta larga classe de compostos. Dentre essa vasta classe de materiais, destacamos os oxiboratos. Nestes,, os íons metálicos situam-se no centro de octaedros de oxigênios que se vinculam formando fitas (warwickitas), escadas (ludwigitas) ou planos (hulsitas). Estes exibem inúmeras propriedades, entre elas destacamos o ordenamento de cargas encontrado na ludwigita Fe3O2BO3 e nas warwickitas Mg2OBO3 e Fe2OBO3, além da ordem magnética parcial nas ludwigitas Fe3O2BO3, Co2FeO2BO3, Ni2FeO2BO3. Já outra única ludwigita homometálica conhecida, Co3O2BO3, apesar de não apresentar ordenamento de cargas abaixo de temperatura ambiente, possui um ordenamento magnético exótico com mistura de íons de Co no low e no high spin state. Uma possível transição high-low spin precisa ser investigada bem como a existência do ordenamento de cargas a altas temperaturas. Recentemente medidas de transporte elétrico na Fe3O2BO3 revelaram um campo novo de pesquisa com possíveis aplicações tecnológicas. Dentre estas, podemos destacar a de um oscilador de baixa frequência ou um amplificador de corrente elétrica. Alguns autores também sugeriram que esta ludwigita pode apresentar propriedades multiferróicas, tornando esses materiais ainda mais promissores. Já as hulsitas foram pouco exploradas, porém medidas magnéticas recentes indicam a existência de um estado líquido de spin no composto Ni5,15Sn0,85(O2BO3)2 revelando um campo vasto de estudo nesses materiais. Muitas dessas características dos oxiboratos até hoje não foram bem compreendidas. Este projeto busca à compreensão do mecanismo responsável pela distribuição de cargas e do magnetismo destes materiais, além de poder revelar novos fenômenos interessantes.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Daniele da Glória de Souza

Ciências Biológicas

Farmacologia
  • efeitos da alteração do metabolismo do triptofano pela microbiota disbiótica na patogênese da infecção pulmonar por pseudomonas aeruginosa
  • A Pseudomonas aeruginosa é um dos agentes patogênicos mais prevalentes em infecções respiratórias em pacientes hospitalizados e imunocomprometidos, uma vez que este microrganismo frequentemente pode ser encontrado como parte da microbiota indígena de profissionais da saúde e dispõe de diversos mecanismos de patogenicidade que facilitam sua colonização e invasão dos tecidos do hospedeiro, como por exemplo, a produção de exotoxinas pelo SST3 e produção de proteases. Pacientes hospitalizados frequentemente estão expostos ao uso de antibióticos, o que pode levar ao desequilíbrio da microbiota intestinal, levando ao estado de disbiose e favorecendo o aparecimento de diversas doenças. A disbiose intestinal é acompanhada de alterações da produção de diversos metabólitos pela microbiota, como ácidos graxos de cadeia curta e succinato, que exercem importante papel no controle de fatores de virulência de patógenos intestinais, no entanto ainda não se sabe a capacidade destes metabólitos de alterar a expressão de fatores de virulência em patógenos extra-intestinais. A produção de outros metabólitos da microbiota como, os metabólitos do triptofano, também podem ser alterados em processos disbióticos. Sabe-se que o indol, metabólito intermediário do metabolismo do triptofano é capaz de modular fatores de virulência da P.aeruginosa. Diante disso, torna-se interessante avaliar o efeito da alteração do metabolismo do triptofano pela microbiota disbiótica, por meio do uso de antibióticos na patogênese da infecção pulmonar por P. aeruginosa. Para isso, camundongos C57/BL6 serão submetidos a um protocolo de disbiose pelo uso de antimicrobianos e posteriormente serão infectados via intranasal pela P.aeruginosa (PA103). Como resultados esperados, acreditamos que a disbiose intestinal altera a susceptibilidade do hospedeiro frente a infecção por P. aeruginosa por alterar os níveis de indol e sulfato de indoxil do hospedeiro. Propomos, dessa maneira, estudar tanto fatores associados a P. aeruginosa quanto ao hospedeiro que são alterados pela diminuição dos metabólitos de triptofano. O entendimento desses mecanismos poderá ser importantes para propor potenciais drogas para o tratamento da infecção pulmonar por P. aeruginosa.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Daniele de Jesus Ferreira

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • silagem de ração total com subprodutos da agroindústria regional, como alternativa nutricional para bovinos leiteiros e ovinos no maranhão
  • Tecnologias que promovem o desenvolvimento do Brasil são extremamente necessárias, de forma ainda mais emergências nos estados mais carentes como o Maranhão. Assim gerar tecnologias aplicadas com subprodutos da agroindústria beneficiadora como a de babaçu se fazem necessárias para o desenvolvimento regional. Serão realizados dois experimentos. O primeiro experimento terá como objetivo avaliar a produção de silagem de ração total (SRT) contendo o capim Panicum maximum cv. tanzânia e dois subprodutos da agroindústria do babaçu (farinha fina do mesocarpo e a torta de babaçu) em substituição ao milho nessas dietas, para atendimento das exigências nutricionais de vacas leiteiras. As SRT serão compostas por 60% de volumoso, silagem de capim tanzânia, e 40% de concentrado. Será avaliado o perfil fermentativo, composição bromatológica, perdas na ensilagem, degradabilidade e o custo com os ingredientes de cada SRT. O delineamento experimental será o inteiramente casualizado com quatro tratamentos e seis repetições. Sendo os tratamentos compostos por silagem de capim tanzânia; silagem de ração total (SRT) composta por capim tanzânia e 40% de concentrado, com inclusão da farinha de mesocarpo de babaçu; silagem de ração total composta por capim tanzânia e 40% de concentrado com inclusão da torta de babaçu, e silagem de ração total composta por capim tanzânia e 40% de concentrado, com base na dieta padrão (milho e soja). O segundo experimento terá como objetivo avaliar a produção de silagem de ração total (SRT) contendo capim tanzânia e dois subprodutos da agroindústria do babaçu (farinha fina do mesocarpo e a torta de babaçu) em substituição ao milho nessas dietas, para atendimento das exigências nutricionais de ovinos de corte. As SRT, terão as mesmas avaliações do experimento 1. O delineamento experimental será o inteiramente casualizado com quatro tratamentos e seis repetições. Sendo os tratamentos compostos por silagem de capim tanzânia; silagem de ração total (SRT) composta por capim tanzânia e 50% de concentrado, com inclusão da farinha de mesocarpo de babaçu; silagem de ração total composta por capim tanzânia e 50% de concentrado com inclusão da torta de babaçu, e silagem de ração total composta por capim tanzânia e 50% de concentrado, com base na dieta padrão (milho e soja). No final do projeto terá um volume de informações científicas relevantes concernentes aos subprodutos da agroindústria de babaçu, em substituição de fontes tradicionais de energia pela farinha fina de mesocarpo e a torta de babaçu, que possivelmente deve ser incluída em dietas de ovinos, além de estabelecer qual o melhor subproduto que potencializará uma dieta de alto valor nutricional. O experimento da composição químico-bromatológica e da degradabilidade mostrarão resultados do uso desses subprodutos, que poderá proporcionar uma possível economia no custo dos ingredientes da dieta e melhoria do processo fermentativo das silagens. Além de possibilitar alternativas aos agroindustriais em agregar valores aos seus subprodutos.
  • Universidade Federal do Maranhão - MA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Daniele Detanico

Ciências da Saúde

Educação Física
  • efeitos da maturação somática sobre o desempenho físico de jovens atletas de judô: análise durante um perído competitivo
  • O objetivo geral do presente projeto é investigar os efeitos da maturação somática sobre o desempenho físico de jovens atletas de judô de ambos os sexos durante um período competitivo. Para isso, participarão jovens atletas de judô (meninos e meninas) com idade entre 9 e 16 anos (aproximadamente 102 sujeitos). As avaliações serão realizadas nos centros de treinamento dos clubes de judô de Santa Catarina e seguirão a seguinte ordem: preenchimento do formulário de identificação; medidas antropométricas (massa corporal, estatura, altura sentada e dobras cutâneas); testes físicos genéricos (salto vertical, salto horizontal, força de preensão manual e arremesso de medicine ball) e específicos (Special Judo Fitness Test e Judogi Grip Endurance Strength Test). Os atletas serão previamente instruídos e familiarizados com todos os protocolos dos testes. Será identificado o nível de maturação somática por meio do pico de velocidade de crescimento (PVC). Para análise dos dados, será utilizado o teste t para comparar a idade cronológica com a idade do PVC e para comparar as variáveis de desempenho físico entre os grupos do PVC. A correlação de Pearson será utilizada para relacionar o desempenho nos testes físicos com a idade cronológica e com o PVC em grupos com diferentes tempos de prática na modalidade. Uma análise de regressão linear múltipla será utilizada para identificar as variáveis capazes de explicar (predizer) o PVC. O nível de significância será fixado em 5% e software utilizado será o SPSSTM, versão 17.0. Além disso, será utilizada a análise da magnitude baseada em inferências para avaliar a significância prática entre os grupos. As instituições participantes serão a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS) e o Instituto Federal Catarinense (IFC). Além disso, a Federação Catarinense de Judô (FCJ) será parceira do estudo, cedendo os atletas participantes. Os laboratórios envolvidos possuem uma parte dos equipamentos a serem utilizados no estudo e outra parte está sendo pleiteada no edital Universal/CNPq.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Daniele Fernanda Maffei

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • salmonella e outras enterobacteriaceae em hortaliças produzidas pelos sistemas de cultivo convencional e orgânico: contribuição para avaliação quantitativa de risco microbiológico
  • O consumo regular de hortaliças integra uma alimentação saudável, sendo recomendado por autoridades de saúde em todo o mundo. No entanto, dados de vigilância epidemiológica em diversos países apontam aumento na associação de surtos de origem alimentar, causados por micro-organismos patogênicos, com o consumo de hortaliças. A contaminação destas pode ocorrer ao longo da cadeia produtiva, sendo que algumas práticas empregadas no cultivo podem aumentar o risco de contaminação. Este projeto de pesquisa tem por objetivo obter dados sobre a ocorrência de Salmonella spp. e população de Enterobacteriaceae em hortaliças produzidas pelos sistemas de cultivo convencional e orgânico, contribuindo para a construção de um modelo de avaliação quantitativa de risco microbiológico para estimar o impacto à saúde devido ao consumo destas hortaliças, com foco no risco de infecção por Salmonella spp. A pesquisa e quantificação de Salmonella spp. será realizada empregando-se métodos de análise convencionais e moleculares. As bactérias pertencentes à família Enterobacteriaceae isoladas das amostras serão submetidas à identificação (gênero e espécie) utilizando a técnica de MALDI-TOF MS. O modelo de risco a ser construído englobará diversas etapas (do campo à mesa), de forma a fornecer dados relevantes que auxiliem governo e produtores no estabelecimento de medidas de controle que visem a segurança microbiológica destes produtos.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Daniell Rodrigo Rodrigues Fernandes

Ciências Agrárias

Agronomia
  • desvendando os phygadeuontinae (hymenoptera: ichneumonidae) da amazônia brasileira
  • O Brasil destaca-se como um dos países de maior biodiversidade do mundo, e essa grande diversidade está refletida diretamente em sua entomofauna, a qual permanece pouco estudada. Boa parte da floresta tropical brasileira está concentrada na região amazônica, com seis milhões de quilômetros quadrados, nada menos do que aproximadamente 60% do território brasileiro. A Amazônia brasileira também abriga a maior riqueza de espécies de animais e plantas do mundo, dos quais apenas 10-20% já foram catalogados. Ichneumonidae (Hymenoptera: Ichneumonoidea) é um dos mais diversos grupos de seres vivos e abriga mais de 25.000 espécies e apenas para a região Neotropical são relatados cerca de 460 gêneros. Os Phygadeuontinae são uma das mais diversas subfamílias de Ichneumonidae e abrigam mais de 130 gêneros, entretanto apenas 13 destes estão registrados no Brasil. Em geral são ectoparasitoides idiobiontes de pupas e pré-pupas de insetos holometábolos (principalmente Lepidoptera, Diptera, Neuroptera, Coleoptera e Hymenoptera). Entretanto, algumas espécies também podem ser cenobiontes e endoparasitoides. Dos 13 gêneros com representantes no pais, seis possuem hospedeiros importantes para agricultura, atuando tanto como agentes de controle biológico de pragas, como parasitando importantes inimigos naturais destes. Além do pouco conhecimento sobre a fauna desta subfamília no pais, a lacuna na fauna ocorrente na Amazônia brasileira assume maiores proporções, já até o momento apenas uma espécie desta subfamília é encontrada nesta área. Assim, esta proposta tem por objetivo estudar a taxonomia e a distribuição das espécies de Phygadeuontinae na Amazônia brasileira. O proponente espera em médio prazo ampliar o conhecimento sobre as espécies que ocorrem nesta região, descrever novas espécies, gerar uma lista de espécies e mapas de distribuição para a região amazônica.
  • Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - AM - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Daniella Castanheira Bartholomeu

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • desenvolvimento e avaliação de estratégias inovadoras para controle de vetores em seus vários estágios de desenvolvimento e bloqueio da infecção pelo zika vírus empregando-se ensaios pré-clínicos em camundongos e primatas não-humanos
  • Atualmente, o aumento da imigração e a ampla distribuição de vetores em todo o mundo, associado a condições climáticas adequadas pode ter facilitado o surgimento de epidemias arbovirais na América do Sul. Recentemente, devido ao número crescente de casos de infecção pelo Zika vírus (ZIKV) no Brasil, e a sua possível associação com transtornos neurológicos e anomalias congênitas, a Organização Mundial de Saúde declarou a situação como “emergência de saúde pública de importância internacional”. Até janeiro de 2016, já foram confirmados casos autóctones de ZIKV em 18 países das Américas. Dengue, Chikungunya e Zika são arbovírus transmitidos aos seres humanos através da picada de fêmeas de insetos hematófagos infectados do gênero Aedes, principalmente o Aedes (Stegomyia) aegypti (Linnaeus, 1762), causando surtos simultâneos com manifestações clínicas semelhantes. A co-circulação dos três vírus representa hoje um desafio no diagnóstico e tratamento dos doentes. Devido limitações relacionadas ao desenvolvimento de vacinas e de drogas antivirais contra o ZIKV, a única medida de controle atual está associada ao controle vetorial de A. aegypti. De forma pioneira no mundo, o presente projeto visa a utilização de alvos vacinais selecionados de A. aegypti com o intuito de controlar populações de campo desta espécie de mosquito, bem como o bloqueio direto da transmissão de arboviroses a este inseto, como o ZIKV. O grande potencial biótico de A. aegypti como seu rápido ciclo de vida nas temperaturas tropicais de várias cidades do Brasil, a capacidade de resistência à dessecação de seus ovos, a característica das fêmeas em utilizar recipientes oriundos de atividade antrópica que acumulam água como sítio de oviposição, o comportamento das fêmeas em explorar vários reservatórios de água durante um ciclo de oviposição (“skip oviposition”), aliado à sua alta susceptibilidade aos arbovírus atualmente circulantes em várias cidades brasileiras (Dengue, Chikungunya e Zika) fazem deste mosquito a principal espécie vetora de patógenos em nosso país. Diante deste cenário, considerando a necessidade e importância em se desenvolver novas estratégias para o combate deste inseto vetor, o presente projeto propõe a identificação de alvos vacinais, que estimulariam a produção de anticorpos em hospedeiros vertebrados vacinados contra proteínas do A. aegypti, capazes de interferir com o ciclo biológico do inseto e bloquear a infecção pelo ZikV. Resultados preliminares mostram que fêmeas de A. aegypti alimentadas em camundongos vacinados com antígenos deste inseto, apresentaram importantes danos relacionados ao fitness do inseto. A continuidade destes estudos permitiria o licenciamento por companhias especializadas em biotecnologia, da primeira vacina humana brasileira que bloquearia a transmissão de arbovírus por A. aegypti ao induzir a morte prematura de fêmeas transmissoras. Mesmo insetos previamente infectados teriam sua capacidade reduzida em transmitir patógenos como o ZikV pois, ao se alimentarem em indivíduos vacinados, estes teriam sua longevidade reduzida. Além disto, é razoável esperarmos que com o racional proposto no presente projeto, seria possível identificarmos alvos vacinais que interfiram com a dinâmica de infecção no inseto, de modo a bloquear a transmissão do ZikV nestes mosquitos, resultando em um controle efetivo desta infecção nas áreas urbanas. Do ponto de vista global, esta vacina poderia ser aplicada em diferentes regiões do mundo onde há transmissão de diferentes arboviroses e que consequentemente, tem estes mosquitos como principal vetor.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 03/10/2016-30/09/2021
Foto de perfil

Daniella Castanheira Bartholomeu

Ciências Biológicas

Parasitologia
  • análise da plasticidade molecular de proteínas de superfície de trypanosoma cruzi e associação com a infectividade do parasito
  • Uma característica marcante do genoma do parasito Trypanosoma cruzi é a grande expansão de famílias multigênicas que codificam proteínas de superfície, como as MASPs, Mucinas e Trans-sialidases. Essas famílias são extremamente polimórficas e apresentam alta plasticidade funcional estando envolvidas em vários mecanismos de interação parasito-hospedeiro, mediando processos de invasão celular e escape do sistema imune no hospedeiro vertebrado. Atualmente um grande número de dados de sequências de genomas obtidas por metodologias de sequenciamento de nova geração (NGS) de diferentes isolados e linhagens do parasito se encontram em banco de dados públicos, o que poderia ser usado para estudos sobre a evolução e análise da plasticidade molecular destas famílias. A despeito deste cenário, análises comparativas de variabilidade e expressão dessas famílias entre diferentes isolados do parasito baseadas em dados de NGS apresentam limitações devido ao grande número de membros e o caráter repetitivo, o que reduz a confiabilidade do mapeamento de reads curtas genômicas e transcriptômicas em genes específicos, bem como dificulta a montagem de novo do genoma. Desta forma, apesar destas famílias multigênicas estarem envolvidas em diversos processos chaves da interação parasito-hospedeiro e haver em bancos de dados públicos um grande número de sequências genômicas de T. cruzi, a diversidade assim como o nível de expressão de seus genes entre diferentes isolados e linhagens de T. cruzi não são bem conhecidos. Outro papel destas famílias que ainda necessita ser melhor investigado é o possível envolvimento de membros/motivos específicos na capacidade do parasito de infectar diferentes células nucleadas do hospedeiro vertebrado. Esta é uma importante estratégia de sobrevivência do parasito, mas devido às limitações metodológicas inerentes ao estudo de famílias multigênicas, nenhuma associação clara entre um perfil específico de moléculas de superfície e a habilidade do parasito de infectar uma determinada célula hospedeira foi até o momento desvendada. Visando contribuir para um melhor entendimento da diversidade e plasticidade funcional das proteínas de superficie de T. cruzi, nosso grupo de pesquisa desenvolveu uma nova metodologia baseada em reads NGS que é independente de mapeamento gene-específico e montagem e que permite comparar a ocorrência e abundância de motivos genômicos e transcriptômicos das famílias multigênicas de T. cruzi. Neste projeto propomos usar esta metodologia para avaliar semelhanças e diferenças existentes no número de cópias de motivos gênicos e de transcritos das famílias MASP, Mucina e Trans-sialidase entre (i) cerca de 30 isolados de campo e representantes das linhagens TcI, TcII e TcVI de T. cruzi, as principais linhagens envolvidas na infecção humana, (ii) entre as fases do ciclo de vida do parasito, epimastigota, tripomastigota e amastigota e (iii) entre tripomastigotas derivadas de uma mesma população do parasito e que, após passagens sucessivas em células L6 e LLCMK2, apresentam maior taxa de infecção em cada uma destas células hospedeiras (Santos et al., 2012). A antigenicidade de motivos com alto número de cópias e conservados entre diferentes linhagens do parasito será também avaliada. Espera-se assim contribuir para o melhor entendimento sobre a evolução e plasticidade molecular destas famílias e identificar possíveis motivos que possam estar associados à capacidade do parasito de otimizar a infecção em diferentes células hospedeiras. Outro desdobramento do projeto é a identificação de determinantes antigênicos derivados destas famílias e conservados entre um grande número de isolados de campo do parasito e que possam ser aplicados no desenvolvimento de testes de diagnóstico sorológico na doença de Chagas.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Danielle Cristina Guimarães da Silva

Ciências da Saúde

Nutrição
  • deficiências nutricionais e terapia nutricional no tratamento da paralisia cerebral em crianças: uma revisão sistemática e metanálise
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal do Oeste da Bahia - BA - Brasil
  • 02/01/2020-31/01/2022
Foto de perfil

Danielle Gonçalves de Oliveira Prado

Ciências Exatas e da Terra

Probabilidade e Estatística
  • mostra de profissões – utfpr apucarana
  • A escolha profissional é um dos processos com maior influência na vida do ser humano em sociedade. Ao se inserir no meio acadêmico, toda a carga conceitual apresentada em sala de aula faz parte de uma importante contribuição para a formação do aluno, haja vista que o primeiro preparo para o mercado de trabalho se dá durante o período em que o discente participa de discussões e exposições de conhecimento ofertadas pelo docente, que tem por objetivo incentivar e contribuir ao máximo para a formação profissional do indivíduo. Desta forma o professor pode explorar diversas dinâmicas e atividades que envolvam o conceito desenvolvido por ele em ações práticas da disciplina, oportunizando ao aluno um contato prático com o que ele possa atuar após a graduação. Pensando nisso e com o intuito de ajudar jovens e adolescentes que estão passando por essa fase de incertezas na escolha profissional, o projeto: “Praticar o conhecimento com a UTFPR de portas abertas” foi elaborado. Seu objetivo principal é fortalecer e melhorar a associação conceitual do discente com a empírica, envolvendo todos os cursos de nível superior da UTFPR-Apucarana. Através disso a instituição recebe visitas frequentes da comunidade externa interessada em conhecer o meio universitário. E ainda, com a colaboração de professores, técnicos e alunos, promover a “Mostra de Profissões”, evento público para que a comunidade visite, interaja com acadêmicos e professores, receba orientações, apresente os trabalhos que são desenvolvidos no ensino básico e conheça todos os recursos e oportunidades que uma universidade pode proporcionar.
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 04/12/2018-30/11/2021
Foto de perfil

Danielle Guedes de Lima Cavalcante

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • desenvolvimento de ligas metálicas complexas (lmc) quasicristalinas a partir de elementos percussores reciclados.
  • O desenvolvimento de novos materiais que possam contribuir para melhoria dos sistemas tribológicos tais como, diminuição de atrito e diminuição do desgaste tem despertado o interesse dos pesquisadores do mundo inteiro. Dentre estes materiais, a recente descoberta (desde 1982) das ligas metálicas complexas, especialmente as ligas quasicristalinas, tem contribuído para o desenvolvimento de materiais com boas respostas tribológicas. Os quasicristais são materiais com características microestruturais distintas, são aperiódicos, porém com ordenadação à longo alcance. Os materiais quasicristalinos apresentam excelentes propriedades mecânicas e superficiais, tais como: elevada dureza, baixa energia superficial, baixo coeficiente de atrito, boa resistência à oxidação e corrosão, ainda baixas condutividades elétrica e térmica. As ligas metálicas complexas (LMC) são composições da família dos intermetálicos Vários pesquisadores, no mundo, se voltaram para o estudo desses novos materiais e, já em 1986, ligas quasicristalinas, termodinamicamente estáveis, foram obtidas. Nos dias atuais, uma centena de ligas quasicristalinas é conhecida, sendo a maioria de base alumínio. Entre estas, as mais estudadas são as AlCuFe, desenvolvia em 1987 por TSAI et al., a qual se apresenta com fase icosaedral estável. O sucesso destas ligas pela facilidade de obtenção e pela ausência de toxicidade. Vários são os estudos que vem sendo desenvolvido no desenvolvimento destas ligas, no entanto, a literatura quanto ao desenvolvimento destas ligas a partir de material reciclado ainda se encontra bastante escassa. Desta maneira o desenvolvimento de ligas especiais a partir de materiais, como alumínio, cobre e ferro reciclado, é um desafio para comunidade científica, preocupada com grande impacto ambiental que os elementos primários constituem. O Brasil ocupa o primeiro lugar no ranking mundial em reciclagem de latas de alumínio. Em 2006, o país reaproveitou 94,4% do alumínio consumido. O Japão fica em segundo com 90,9%, seguido pela Argentina , com 88,2% . Convém, ressaltar que o alumínio é uma material 100% reciclável, e seu reaproveitamento, reduz, substancialmente, a emissão de CO2 na atmosfera pela produção, comparado com o processo de sua obtenção à partir do minério. Mesmo sendo a bauxita o minério mais fácil para a obtenção do alumínio, o processo de transformação exige muita energia, sendo a proporção 1 : 14 000, ou seja, para cada 1 tonelada de alumínio extraído, necessita-se de 14 000 KWH de energia elétrica. Daí, a grande necessidade de reciclagem do alumínio, pois a demanda energética é 95% menor, além disto, para que se decomponha, naturalmente, são necessários em torno de 400 anos. Por outro lado, a indústria siderúrgica para produção de ferro tem elevado impacto ambiental e não resta dúvida que o uso de sucata para produção de ligas metálicas de “fina aplicação”, como as ligas quasicristalinas, constituem um grande desafio. Portanto, este projeto tem pelo menos três vieses importantes: 1-diminuição da degradação ambiental, através da redução da extração de minério de ferro e bauxita; 2-diminuição do consumo de energia, posto que a energia para a reciclagem é, consideravelmente, inferior à da obtenção do alumínio a partir a bauxita; 3- aumento do valor agregado do material oriundo da reciclagem das latinhas de embalagem de bebidas e no uso de sucata de aço.
  • Universidade Federal da Paraíba - PB - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Danielle Heberle Viegas

Ciências Humanas

História
  • “planejando o terceiro mundo”: transnacionalidade e circulação de ideias em experiências de planejamento urbano no sul do brasil
  • O presente projeto pretende investigar a circulação de ideias sobre a temática do planejamento urbano na América Latina a partir de suas intersecções com o circuito europeu no decorrer da década de 1970, tendo por base um estudo de caso entre o Brasil e a República Federal da Alemanha. Reporta-se, especificadamente, ao caso da Região Metropolitana de Porto Alegre, contemplando a escala transnacional de saberes mobilizadas pela literatura científica-acadêmica para orientar a urbanização da localidade a partir da assinatura de um Acordo de Cooperação Técnica entre os países referidos (1971). Questiona-se, prioritariamente, quais os conteúdos fundamentaram a elaboração do campo do urbanismo da RMPA, promovendo avanços em relação ao estudo de outros aspectos correntemente investigados pela historiografia sobre o tema. Argumenta-se que, para além de proposições meramente identificáveis como alcunhas populares, referências como as de cidade-dormitório e cidade-industrial foram pontos nevrálgicos de um projeto federal de planejamento das regiões metropolitanas enquanto locus de políticas desenvolvimentistas, por parte do Estado brasileiro, bem como de demandas da ordem política internacional, ligadas à concepção do chamado “terceiro mundo” e da disciplinarização dos chamados espaços “subdesenvolvidos”.
  • Universidade La Salle - Canoas - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Danielle Lazarin Bidoia

Ciências Biológicas

Parasitologia
  • associação da vitamina c com um novo e promissor derivado da vitamina k3 (jn034) como potencial arsenal quimioterapico na doença de chagas e na leishmaniose
  • A doença de Chagas e a leishmaniose são patologias que afetam milhões de pessoas em todo o mundo, principalmente em países em desenvolvimento. Os agentes quimioterápicos disponíveis para o tratamento destas infecções causam severos efeitos colaterais e possuem eficácia variável. Assim, diante da gravidade destas doenças, bem como das dificuldades envolvidas em seus tratamentos, a busca de novos ativos eficientes e menos tóxicos é urgentemente necessária. Neste sentido, as vitaminas têm sido muito estudadas contra várias doenças. Por exemplo, a vitamina K3, que é uma naftoquinona que apresenta atividade tripanocida e também antitumoral. A combinação desta vitamina com a vitamina C induz efeitos melhores, contra diferentes linhagens celulares cancerosas e contra o protozoário Trypanosoma cruzi, do que quando é utilizada sozinha. Efeitos esses, que têm sido atribuídos à capacidade desta associação provocar um aumento na geração de espécies reativas de oxigênio nestas células. Devido ao fato das naftoquinonas serem substâncias promissoras, novas naftoquinonas, como as derivadas da vitamina K3, têm sido investigadas. Resultados prévios obtidos pelo nosso grupo de pesquisa, mostrou que a associação da vitamina C com o composto JN034, um novo e promissor derivado da vitamina K3, apresentou excelente atividade contra as formas parasitárias de T. cruzi e Leishmania amazonensis, e baixa toxicidade sobre células de mamíferos. Assim, considerando a eficácia desta associação, o presente projeto dá continuidade à nossa linha de pesquisa e tem como objetivo contribuir para uma melhor compreensão da atividade biológica e os mecanismos de ação envolvidos na morte destes parasitos, através de análises por microscopia correlativa, técnicas espectrofluorimétricas e citometria de fluxo. Os resultados podem contribuir para o desenvolvimento de uma nova abordagem terapêutica, seja contra a doença de Chagas e/ou contra a leishmaniose.
  • Universidade Estadual de Maringá - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Danielle Macêdo Gaspar

Ciências Biológicas

Farmacologia
  • complicações neuropsiquiátricas decorrentes da exposição pré-natal ao vírus sars-cov2: “atenção ao binômio mãe-bebê”
  • O coronavírus 2 da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS-CoV-2) é responsável pela maior crise de saúde pública mundial dos últimos 50 anos. O número de infectados e óbitos associados a COVID-19 tem crescido exponencialmente. No Brasil, o estado do Ceará é um dos estados com maior número de casos de COVID-19. O SARS-CoV2 apresenta importante neurotropismo causando ampla gama de manifestações neuropsiquiátricas. No quadro agudo por COVID-19, cerca de 36% dos pacientes apresentam sintomas neuropsiquiátricos, como cefaleia, alterações de consciência e mudanças de humor, sendo que na infecção, fatores como a toxemia sistêmica “tempestade citocinas”, alterações metabólicas e hidroeletrolíticas e hipóxia seriam os responsáveis pelo dano cerebral e edema. Entretanto, o SARS-CoV2 foi identificado no cérebro e no líquor de pacientes mostrando que mecanismos virais diretos e indiretos podem contribuir para as manifestações neuropsiquiátricas dessa doença. Evidências mostram que citocinas liberadas durante a infecção viral e não exatamente um efeito direto do vírus estaria subjacente ao surgimento de alterações neuropsiquiátricas como autismo e esquizofrenia, o que reforça a importância do estudo na COVID-19 e sua consequente “tempestade de citocinas”. Desta forma, considerando o enorme número de casos recentes da COVID-19 e a ampla frente de expansão desse vírus no Brasil, identificar precocemente os casos gestacionais de COVID-19 e entender as complicações neuropsiquiátricas que podem estar associadas ao vírus, é de suma relevância para a aplicação de estratégias preventivas/curativas efetivas. Portanto, o presente estudo se reveste de importância por possibilitar fornecer respostas e ferramentas para questões que afetam não apenas a essa geração, mas que potencialmente poderão afetar a próxima geração, na forma de transtornos mentais. Baseado no racional acima exposto, a rede formada por pesquisadores da UFC, UFMG, Fiocruz PE e CE, USP-RP e University of Liverpool, através do presente projeto, se propõe a avaliar alterações neuropsiquiátricas em diferentes fases da vida da prole de mães infectadas com o vírus SARS-CoV2 em períodos gestacionais distintos buscando mecanismos centrais e periféricos associados a estas alterações. Para responder a este objetivo serão conduzidos protocolo experimental pré-clínico e clínico. Através do estudo pré-clínico a ser conduzido em animais transgênicos, K18-hACE2, iremos avaliar a ocorrência de alterações comportamentais que se assemelham a transtornos neurodesenvolvimentais, como autismo e esquizofrenia, em camundongos filhotes, periadolescentes e adultos, de ambos os sexos, provenientes de mães expostas ao vírus SARS-CoV2 em diferentes períodos gestacionais, bem como de mecanismos centrais e periféricos associados a estas alterações. Através deste objetivo vamos testar a hipótese de que o aumento nos níveis de citocinas e cortisol no sangue de camundongos grávidos causa alterações comportamentais a longo prazo similares a doenças neurodesenvolvimentais como autismo e esquizofrenia. Dependendo dos resultados obtidos testaremos o efeito preventivo do tratamento com doxiciclina, um fármaco anti-inflamatório e neuroprotetor. No protocolo clínico, iremos determinar alterações imuno-inflamatórias em gestantes com COVID-19 e em sua prole. Neste objetivo testaremos a hipótese de que gestantes com COVID-19 apresentam um elevado nível plasmático de mediadores inflamatórios que podem ser transmitidos ao feto, e que causariam um aumento na susceptibilidade para o desenvolvimento de transtornos do neurodesenvolvimento. No protocolo clínico as gestantes com quadro confirmado de COVID-19 serão acompanhadas por toda a gravidez sendo colhidas amostras de sangue para o isolamento de exossomas (vesículas extrasinápticas). Os exossomas estão sendo considerados como marcadores na comunicação mãe-feto. Ao nascimento do bebê a placenta será utilizada para estudos ultraestrutura, bem como será coletado líquido amniótico para avaliação da presença do vírus e de marcadores inflamatórios. Os bebês serão acompanhados por 18 meses para determinação de possíveis alterações neurocomportamentais. Merece destaque o fato do grupo de pesquisadores envolvidos no presente projeto apresentar ampla experiência nas diversas áreas envolvidas no projeto, sendo o mesmo formado por neurocientistas, imunologistas, virologistas, especialista em medicina fetal e especialistas em pesquisa translacional. Outro ponto que merece destaque é a infraestrutura das Instituições envolvidas no projeto, neste contexto a UFC na tentativa de dar uma resposta rápida às demandas da Pandemia por COVID-19 está investindo em uma estrutura com nível de segurança 3 (NB3) que permite desenvolver todas as etapas da pesquisa pré-clínica. Acreditamos que com a execução da presente pesquisa translacional possamos antecipar dados mostrando um possível desenvolvimento futuro (nos próximos 20 anos) de transtornos neuropsiquiátricos desencadeados pela COVID-19. Isto é de suma relevância para o desenvolvimento de estratégias de prevenção, bem como preparo do SUS para lidar com esta situação.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 27/08/2020-26/09/2022
Foto de perfil

Danielle Soares Rocha Vieira

Ciências da Saúde

Fisioterapia e Terapia Ocupacional
  • the anxiety inventory for respiratory disease (air): adaptação transcultural e investigação das propriedades psicométricas para uso no brasil em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica
  • Introdução: A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) acomete primariamente os pulmões, mas está associada a manifestações extrapulmonares significativas, dentre as quais se destaca a ansiedade. Esta condição mostra-se frequente entre os pacientes com DPOC e compromete a adesão ao tratamento assim como aumenta as taxas de exacerbações e hospitalização e o tempo de permanência hospitalar. Dessa forma, fazem-se necessários instrumentos específicos adequados para a identificação da ansiedade nessa população. Nesse contexto, a escala Anxiety Inventory for Respiratory Disease (AIR) foi desenvolvida pelo Prof. Yohannes e seu grupo de pesquisa, no entanto, ela não foi adaptada para uso no Brasil e suas propriedades psicométricas não foram investigadas. Objetivo: Realizar a adaptação transcultural e investigar as propriedades psicométricas da escala AIR para uso no Brasil em pacientes com DPOC. Métodos: Trata-se de estudo transversal de caráter metodológico que será dividido em duas etapas. Na primeira etapa, a escala será traduzida e adaptada com base nas etapas propostas por Beaton et al.: tradução inicial da escala do inglês para o português; síntese dos termos traduzidos na tradução inicial; retrotradução da escala para o idioma original; avaliação do instrumento traduzido por um comitê de especialistas; teste da versão pré-final para avaliar a clareza da escala, que nesse estudo será realizado com 30 a 40 pacientes com DPOC, os quais serão submetidos a avaliação da função pulmonar por meio de espirometria e, em seguida, entrevistados para a coleta de dados clínicos e sóciodemográficos, para a aplicação de escalas destinadas a caracterização da dispneia, nível de atividade física e impacto clinico da doença e da versão pré-final da escala AIR; e, por fim, será feita a submissão de todos os relatórios e formulários ao desenvolvedor do instrumento e ao comitê. Na segunda etapa, serão testadas as propriedades psicométricas da escala adaptada, incluindo a consistência interna, a confiabilidade teste-reteste, e a validade concorrente. Para isso, serão avaliados no mínimo 50 pacientes com DPOC recrutados de acordo com critérios de inclusão pré-definidos. Na primeira visita, serão realizados os mesmos procedimento da Etapa 1 e, além disso, os pacientes responderão outras duas escalas genéricas para a avaliação da ansiedade, a Hospital Anxiety and Depression Scale (HADS) e a Beck Anxiety Inventory (BAI). Adicionalmente, após 7 a 14 dias os pacientes responderão novamente a escala AIR. Analise Estatística: Na primeira etapa, os dados serão analisados de forma descritiva e será calculado o percentual de concordância entre os membros do comitê assim como o índice de validade de conteúdo para cada item da escala. Adicionalmente, será apresentado o percentual de itens classificados na avaliação da clareza das escala pelos pacientes. Na segunda etapa, a confiabilidade teste-reteste será avaliada por meio do teste t pareado ou Wilcoxon e serão utilizados o coeficiente de correlação intraclasse (CCI) e o coeficiente de variação do método erro (CVME). Para avaliação da consistência interna, será utilizado o coeficiente alfa de Cronbach e para a análise da validade concorrente entre a AIR e as escalas HADS e BAI, será utilizada regressão linear e método de Bland-Altman. Resultados Esperados: Espera-se disponibilizar uma ferramenta aos profissionais de saúde, incluindo os fisioterapeutas, para que possam identificar a presença de sintomas de ansiedade nos pacientes com DPOC, possibilitando a referência para profissionais especializados, otimizando, assim, os resultados do tratamento. Além disso, busca-se consolidar o recém criado Programa de Pós-Graduação em Ciências da Reabilitação (PPGCR) da UFSC e o Laboratório de Pesquisa em Fisioterapia Cardiovascular e Respiratória da UFSC (LACOR), formar recursos humanos no contexto da graduação e da pós-graduação, estabelecer parcerias interinstitucionais e internacionalizar o PPGCR.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Danielo Gonçalves Gomes

Engenharias

Engenharia Biomédica
  • simone: sensoriamento e monitoramento remoto da vitalidade fetal
  • Este projeto propõe o SiMONE, um sistema computacional inteligente e inovador para apoio à decisão médica na detecção e predição de fatores de risco e patologias fetais. A partir de bases de dados de biossinais da frequência cardíaca fetal, de contrações uterinas e de fluxo sanguíneo fetal (imagens via exame ultrassom Doppler), serão desenvolvidas e aplicadas técnicas de processamento digital de sinais, extração automática de parâmetros, análise exploratória/entrópica de dados e aprendizado de máquina.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 20/08/2020-31/08/2022
Foto de perfil

Danillo Pinhal

Ciências Biológicas

Genética
  • investigação do papel da metilação de rna m6a na biogênese e processo de arm-switching de micrornas utilizando o zebrafish como modelo biológico.
  • O processo de arm-switching dos microRNAs (miRNAs) possui grande impacto na regulação gênica. Este processo ocorre devido à seleção diferencial dos braços 5p e 3p dos miRNAs que serão incorporados ao complexo miRISC durante o desenvolvimento ontogenético dos organismos, nos tecidos diferenciados ou mesmo entre diferentes espécies. Este fenômeno tem reconhecido impacto biológico, uma vez que os miRNAs 5p e 3p comumente atuam sobre processos biológicos distintos, e sua desregulação está associada a diversos tipos de câncer. Desta maneira, a correta expressão dos braços 5p e 3p dos miRNAs é fundamental para direcionar a adequada diferenciação celular nos variados tecidos. Até o momento, entretanto, não foram elucidados os mecanismos moleculares responsáveis pelo controle do arm-switching. Recentemente a metilação m6A foi descrita como um passo importante durante a biogênese dos miRNAs, servindo como sítio de reconhecimento da enzima DROSHA, responsável por clivar o pri-miRNA durante sua biogênese e determinar as porções finais dos miRNAs maduros. Considerando-se que esta metilação é capaz de alterar a estrutura secundária de RNAs mensageiros (mRNAs) e que a região do corte promovido pela DROSHA é influenciada pela estrutura secundária do pri-miRNA, a hipótese desta proposta é que a metilação m6A também poderia alterar a estrutura secundária do pri-miRNA, promovendo clivagens alternativas pela DROSHA. Sabendo-se que a seleção do braço canônico ocorre devido à maior instabilidade de sua porção 5', estas clivagens alternativas podem ser responsáveis pelo evento de arm-switching. Com o objetivo de testar esta hipótese, propõe-se a análise dos padrões de arm-switching e de metilação m6A de pri-miRNAs na espécie modelo Danio rerio (zebrafish). Adicionalmente, será avaliada a potencial influência da metilação m6A na seleção do braço canônico, a partir do knockout dos sítios de metilação e quantificação da expressão dos braços 5p e 3p. Estes experimentos ampliarão o conhecimento sobre o processo de biogênese e atividade regulatória de miRNAs durante o desenvolvimento de vertebrados.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Danilo Akio de Sousa Esashika

Ciências Agrárias

Agronomia
  • otimização da polinização artificial do maracujazeiro azedo pela aplicação do pólen via pulverização.
  • O cultivo do maracujazeiro (Passiflora edulis Sims) é uma atividade exercida principalmente pela agricultura familiar devido as constantes atividades manuais que as plantas necessitam. Dentre as atividades que mais demandam mão-de-obra na cultura do maracujazeiro destaca-se a polinização manual. Essa prática é empregada para aumentar a produtividade da cultura, porém apresenta aspectos limitantes como: elevada demanda de mão-de-obra; exposição dos trabalhadores à condições climáticas desgastantes por ser realizada no início da tarde; menor eficiência em dias chuvosos e em dias de baixa umidade relativa do ar. Nesse contexto, inovações a polinização da cultura impactam tanto as condições de trabalho das pessoas envolvidas nas atividades de polinização como também na produtividade da cultura. A polinização pode ser otimizada pela pulverização do pólen nas flores, prática que pode apresentar maior rendimento por trabalhador, diminuindo o tempo para realização da polinização, e ainda ser realizada com soluções químicas que viabilizem a polinização mesmo em condições climáticas desfavoráveis. Entretanto, a estrutura do pólen pode sofrer injúrias da solução de pulverização em que estiver imerso, sendo necessário primeiramente encontrar soluções químicas aptas à pulverização que não danifiquem os grãos de pólen e viabilizem a emissão do tubo polínico. Posteriormente é necessário identificar quais soluções químicas para pulverização do pólen proporcionam os maiores índices de polinização bem-sucedida. Assim, este projeto tem como objetivo principal formular soluções químicas que viabilizem a polinização da cultura através da pulverização dos grãos de pólen nas flores de maracujazeiro azedo. A pesquisa será executada a partir de dois experimentos em laboratório e dois em campo, parcialmente interdependentes. Os estudos em laboratório contemplarão condições de exposição dos grãos de pólen às soluções químicas e avaliação da sua integridade estrutural e da sua capacidade de emitir tubo polínico. Dos experimentos em laboratório serão selecionados, pelo menos, três soluções químicas que propiciem a manutenção da viabilidade do pólen. Por fim, estes produtos serão testados em plantas mantidas a campo, selecionando-se pólen de diversas plantas do pomar, misturando-os às soluções químicas, para então serem pulverizados nos estigmas de flores de maracujazeiro. Serão avaliadas a eficiência de polinização, a qualidade dos frutos e a viabilidade econômica. Participam do projeto O Instituto Federal do Tocantins (IFTO) e a Embrapa Cerrados, um importante centro de pesquisa da cultura do maracujazeiro. O projeto tem vigência de três anos e será parcialmente executado nas instalações do IFTO. Espera-se, com os resultados desse projeto, contribuir efetivamente para aumentar a produtividade dos pomares de maracujazeiro, propiciando melhores condições de trabalho aos envolvidos na atividade de polinização.
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins - TO - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Danilo Bandini Ribeiro

Ciências Biológicas

Ecologia
  • projeto noleedi (fogo no idioma kadiwéu) – efeito do fogo na biota do pantanal sul-mato-grossense e sua interação com os diferentes regimes de inundação
  • O fogo pode ser considerado um distúrbio ao meio ambiente que pode prejudicar algumas e beneficiar outras espécies. Ambos resultados dependerão da época, intensidade e frequência sendo que seu uso indiscriminado tem levado à grandes prejuízos ambientais em escala global. Por outro lado, os incêndios naturais são componentes integrais dos ecossistemas e, tradicionalmente, povos indígenas têm utilizado o fogo para manejo das culturas e para caça. Portanto, existe uma demanda urgente de definição da época e intensidade ideias de prescrição do fogo em locais sob diferentes condições ambientais como por exemplo, regimes de inundação. A ação do fogo em áreas de inundação ainda é pouco conhecida. Um dos efeitos é que a combinação do fogo com a inundação pode produzir efeitos nas plantas em comunidades florestais como diminuição da diversidade das espécies. O fogo pode ainda mediar a distribuição das espécies ao longo do gradiente de inundação e interferir no tipo de resposta que as espécies podem apresentar ao gradiente. A investigação do manejo prescrito do fogo, considerando a interação com a inundação, poderá avaliar se há um incremento na ciclagem de nutrientes, na regeneração natural das espécies da flora e qual o seu efeito na fauna. Apesar de existirem importantes iniciativas no contexto do manejo do fogo, as respostas não podem ser extrapoladas para o país, ainda mais quando se considera a interação com regimes de inundação e o seu contexto em Terras Indígenas. Desta maneira, existe a necessidade da obtenção de dados localmente para se estabelecer um protocolo de queima controlada. Assim, o presente projeto pretende investigar os efeitos do fogo e inundação na biodiversidade a fim de estabelecer um protocolo da melhor época de queima controlada para atender a uma demanda dos povos indígenas Kadiwéus no Pantanal e Cerrado em parceria com o PREVFOGO/IBAMA. Assim, esta proposta pretende construir de maneira cooperativa um protocolo de queima controlada e uma metodologia simplificada para avaliar os impactos dos incêndios não controlados na biota que sejam bem fundamentados do ponto de vista científico. Estes protocolos serão produzidos com participação de todos os atores envolvidos no processo e por ações de integração que incluem um workshop com participação de agentes do estado, pesquisadores e populações indígenas. Desta maneira, a presente proposta pretende fortalecer a gestão pública de incêndios florestais através dos seguintes objetivos: (1) gerar dados sobre os efeitos do fogo na Biota de acordo com demandas dos atores que já estão envolvidos com estas atividades (Ibama, Populações indígenas); (2) Verificar a interação da influência de diferentes padrões de inundação com os efeitos do fogo sobre alguns grupos da biota em uma área ecótone do Cerrado com o Pantanal Sul- matogrossense; (3) Criar de forma cooperativa com o envolvimento de agentes do Estado, populações indígenas e pesquisadores um protocolo de manejo do fogo e também um protocolo de avaliação de impactos de incêndios na Biota; (4) avaliar o manejo do fogo como uma estratégia de restauração passiva que favoreça a regeneração natural, além de identificar traços que permitam selecionar espécies com potencial para serem utilizadas na restauração de ecossistemas sujeitos a incêndios e inundações de modo a garantir recursos para a manutenção da fauna e o sucesso no recrutamento de novos indivíduos e prever o efeito de diferentes regimes de fogo sobre a reprodução de espécies-chave da flora utilizadas pela comunidade indígena. Os grupos avaliados serão aves, mamíferos, borboletas frugívoras e plantas vasculares. Estes grupos foram escolhidos devido a sua importância para as populações locais, por serem bons indicadores de perturbação e também por serem os grupos monitorados pelo programa “Monitora” do ICMBio, programa de monitoramento de biodiversidade em UCs. Todos os grupos serão amostrados antes e depois da queima em duas condições de regime de inundação (maior e menor), sendo testado o efeito do fogo em três tratamentos, além de um controle: (1) fogo precoce (antes do auge da seca); (2) fogo modal (no auge do período seco); (3) fogo tardio (após o auge da seca). Estes tratamentos serão estabelecidos blocos de 1200 X 1200m que serão divididos em quatro áreas de igual tamanho onde a disposição dos tratamentos no bloco será sorteada. Será feito o controle da temperatura/intensidade do fogo durante os episódios de queima com o auxílio de um termômetro pirômetro infravermelho. Além disso, também iremos medir a altura da chama e a velocidade de propagação como medidas adicionais de intensidade do fogo. Investigaremos o efeito dos diferentes regimes de fogo e inundação sobre variáveis da biota de riqueza, abundância, composição, diversidade, desenvolvimento estrutural, fenologia reprodutiva de espécies de plantas de interesse da comunidade, sua produtividade e germinação de sementes, além do efeito sobre parâmetros físico-químicos do solo. Os resultados poderão servir de base para outras regiões do Pantanal, Terras Indígenas que tenham essa mesma demanda e demais áreas úmidas continentais do Brasil e do mundo. Os resultados do projeto irão ser amplamente divulgados por diversas ações de comunicação incluindo releases jornalísticos, podcasts temáticos e material impresso. O Público alvo das ações de comunicação incluirá populações indígenas da região, população das cidades do entorno, órgãos públicos ligados ao meio ambiente e população do MS em geral.
  • Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - MS - Brasil
  • 01/01/2019-31/10/2021
Foto de perfil

Danilo de Menezes Daloso

Ciências Biológicas

Botânica
  • regulação dos movimentos estomáticos de angiospermas e monilófitas: abordagens metabolômicas, fisiológicas e morfoanatômicas.
  • Estômatos são estruturas epidérmicas foliares constituídos de duas células-guarda que envolvem um poro. A abertura e o fechamento deste poro regulam o influxo de CO2 atmosférico para fotossíntese bem como o efluxo de água via transpiração. Resultados recentes do nosso grupo de pesquisa demonstraram que a sacarose induz o fechamento estomático em altas concentrações, sugerindo que este metabólito seria um sinal das células mesofílicas para o fechamento estomático em períodos de altas taxas fotossintéticas. No entanto, permanece obscuro em quais situações ambientais este mecanismo ocorreria. Além disso, não há um consenso a respeito da importância desse metabólito na regulação dos movimentos estomáticos em linhagens de plantas vasculares primitivas, como as monilófitas (samambaias). Neste sentido, evidências iniciais sugeriram que os estômatos das monilófitas são irresponsivos a variações ambientais como mudanças na concentração de CO2. Por outro lado, resultados recentes refutam esta hipótese e sugerem que os estômatos das monilófitas são capazes de fechar o estômato em respota a mudanças na concentração de CO2 porém em menor velocidade, sugerindo haver uma regulação diferencial entre estes distintos grupos evolutivos de plantas. No entanto, não se sabe se esta resposta envolve algum componente metabólico. Visto que as taxas fotossintéticas das monilófitas são notadamente menores do que as encontradas nas angiospermas, nós hipotetizamos que a menor velocidade de fechamento estomático encontrada nas monilófitas deve-se, ao menos em parte, à uma menor capacidade destas plantas em produzir sacarose e/ou outros metabólitos oriundos da fotossíntese. Cabe ressaltar que a regulação estomática é um processo complexo que envolve inúmeros componentes. Dessa forma, além de realizar uma extensa caracterização fisiológica e metabólica, nós iremos analisar a importância das diferenças anatômicas encontradas entre os estômatos de angiospermas e monilófitas para a regulação dos movimentos estomáticos bem como faremos análise da expressão de genes que são reconhecidos de fazerem parte da rota de sinalização do fechamento estomático induzido por alto CO2. Assim, este projeto, ao mesmo tempo em que busca identificar mecanismos metabólicos de regulação estomática em angiospermas (Vigna unguiculata L. Walp e Nicotiana tabacum L.), visa investigar se os mesmos são conservados em plantas vasculares mais primitivas (Microsorum scolopendria e Phlebodium aureum). Diferentes experimentos serão realizados a fim de elucidar o comportamento estomático, associado com as mudanças metabólicas em folhas, sob diferentes condições de luz e CO2.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022