Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Roque Ismael da Costa Güllich

Ciências Biológicas

Biologia Geral
  • formação e docência em ciências com foco no ensino por investigação
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal da Fronteira Sul - SC - Brasil
  • 12/08/2019-30/11/2021
Foto de perfil

Rosa Elisabete Militz Wypyczynski Martins

Ciências Humanas

Geografia
  • saberes e fazeres da geografia na construção da cidadania: brasil, um país que envelhece
  • RESUMO: O projeto tem como objetivo geral: Desenvolver uma metodologia para o ensino-aprendizagem de Geografia utilizando conjuntamente pesquisa-ação , as TICs, a cartografia colaborativa e a cartografia escolar para abordar o tema do envelhecimento da população brasileira no espaço urbano. Também pretende-se investigar como Vencer o desafio de integrar a Tecnologia da Comunicação e Informação (TICs), a Cartografia Escolar e a Cartografia Colaborativa à metodologia de ensino pesquisa-ação para trabalhar conteúdos Geografia; Promover a inclusão digital e potencializar o uso das TICs na construção de práticas pedagógicas colaborativas para construção do conhecimento nas aulas de geografia escolar; Motivar os estudantes a perceber a cidade considerando a qualidade de vida e a cidadania dos idosos; Criar uma consciência cidadã nos adolescentes de forma a vencer estereótipos e preconceitos nocivos em relação às pessoas idosas; Revelar que a população idosa é importante para a transmissão de experiência e conhecimentos úteis para os mais jovens. Temos como metas: Criar uma metodologia dinâmica de ensino-aprendizagem de geografia que instiga a busca e compartilhamento do conhecimento pelos alunos; Utilizar as TICs para os fazeres da Geografia escolar recortados na temática do envelhecimento da população; Proporcionar a inclusão digital na escola e potencializar o uso das TICs; Trabalhar com a Cartografia Colaborativa sob o enfoque da população idosa, para conhecer a realidade dos diferentes bairros das escolas; Proporcionar o debate dos adolescentes sobre o aumento da população idosa no Brasil e as implicações que isto trás para a sociedade atual; Ampliar o conhecimento de mundo do estudante, através da comunicação da informação levantada com seus pares em outras cidades, utilizando para tanto a tecnologia da informação e comunicação; Desenvolver habilidades espaciais para construir um mapeador consciente e leitor crítico de mapas e do mundo; Criar um endereço eletrônico para iniciar a Cartografia Colaborativa da situação do idoso no Brasil.
  • Universidade do Estado de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosa Fatima de Souza Chaloba

Ciências Humanas

Educação
  • formação e trabalho de professoras e professores rurais no brasil: pr, sp, mg, rj, ms, mt, pe, pi, pb, se, ro (décadas de 40 a 70 do século xx)
  • Este projeto de investigação compreende um estudo histórico sobre a formação e trabalho de professoras e professores primários rurais em nove estados brasileiros (RO, PI, PB, PE, SE, MT, MG, RJ, SP, PR), abrangendo as décadas de 40 a 70 do século XX. A pesquisa objetiva analisar a profissionalização docente no Brasil buscando compreender as políticas públicas empreendidas em âmbito nacional e estadual para a formação do magistério rural e as formas de recrutamento, carreira, salários e condições de trabalho dos professores do campo. A investigação proposta constitui um desdobramento de projetos de pesquisa conjuntos, colaborações e intercâmbios estabelecidos pelos pesquisadores ao longo dos últimos dez anos incidindo sobre a temática da educação rural, objeto de pesquisa relevante para a história educacional e cultural e para a área da Educação. A equipe do projeto possui formação sólida e pertinente à temática de investigação envolvendo pesquisadores de reconhecida liderança no campo da História da Educação, tendo os participantes doutores desenvolvido e/ou orientado pesquisas sobre o tema e divulgado conhecimento em periódicos e livros. Fazem parte da equipe pesquisadores doutores e estudantes de pós-graduação e de graduação de 15 (quinze) instituições de ensino superior brasileiras (UNESP-SP, UNISANTOS, UFU-MG, UEM-PR, PUC-PR, UFGD – MS, UFMT – MT, UFRRJ-RJ, UFPI-PI, UFPB, UPE-PE, UNIR-RO, UPE-PE, UNIT-SE, Faculdade de Ciências e Tecnologia de Birigui - SP),além de colaboradores estrangeiros, especialistas na temática. A proposta objetiva contribuir para o alargamento do campo sócio histórico da educação através do investimento teórico-metodológico na perspectiva comparada, da criação de oportunidades de aprimoramento e formação de pesquisadores em nível de graduação e de pós-graduação, do fortalecimento dos grupos de pesquisa e da internacionalização das universidades.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 01/06/2017-31/01/2021
Foto de perfil

Rosa Maria Esteves Arantes

Ciências Biológicas

Morfologia
  • medicina, fisiologia e antropologia antártica - sobrevivendo no limite : da fisiologia de extremos à gestão da saúde na antártica
  • Sendo este projeto continuidade daquele encaminhado pelo Grupo Mediantar no edital 64/2013 é importante indicar os principais produtos do projeto que contabiliza trabalho publicado em revista cientifica internacional indexada, QUALIS A1 na área polar especifica (Moraes et al, J of Circump Health, 2018) e outros trabalhos trabalho submetidos a revistas com bom impacto Qualis. A lista dos produtos está no Quadro 1 do Projeto Detalhado anexo. Destaca-se nossa curadoria da exposição Expedição Antártica que foi exibida com sucesso de público no Espaço do conhecimento da UFMG (mais de 40.000 visitantes). Enquanto os demais projetos brasileiros no Proantar se ocupam dos eixos temáticos dentro das linhas indicadas no Plano de Ação 2013-202, nosso projeto se ocupa de estudar aspectos fisiológicos, neurobiológicos e sociais, (Eixos Temáticos emergentes G e H deste edital) relacionados a pesquisadores e militares das Operações. Nosso foco é na compreensão de vários aspectos da interação do homem nos ambientes antárticos. A vida na Antártica envolve desafios para a fisiologia humana devido ao clima extremamente frio e às situações de isolamentos e confinamentos. Ao longo de uma expedição para a Antártica podem ser experimentados baixa a sensação térmica, o isolamento e a sensação de monotonia sensorial da paisagem, a situação de confinamento, a elevada incidência de raios UVA e as condições de luz específicas dos polos (24h de luz no verão e 24h de escuro no inverno) (PALINKAS e SUEDFELD, 2008; OLSON, 2002). Somado a isto, o estresse associado ao esforço físico em campo pode estar associado a alterações das respostas fisiológicas e funcionais, tais como alterações hormonais e no sistema nervoso central, alterações no ritmo circadiano, mudanças na microbiota intestinal, sendo, inclusive, considerado o ambiente terrestre que mais se aproxima das experiências espaciais (SHEPANEK; LUGG, 1999), já que uma jornada extraterrena inclui a preparação de astronautas para o isolamento, confinamento e o ambiente extremo - identificado pelo acrônimo ICE (EDWARDS, LLOYD, 2017). Assim, uma das melhores maneiras de estudar o ICE na Terra é observando outras pessoas que também passam vários meses nestas condições – o que ocorre com os expedicionários (pesquisadores e militares) que se deslocam para Antártica. Sendo a Antártica o ambiente mais desafiador do ponto de vista fisiológico; tendo o frio, o isolamento e o confinamento como estímulos estressores, e a aclimatização e o exercício físico como atenuantes da ativação simpática e da supressão imunológica causadas pelo frio -, nossa hipótese é que os indivíduos que realizam pesquisas de campo na Antártica adaptem-se de forma diferente dependendo de sua capacidade aeróbica e da realização de exercícios físicos. O objetivo principal deste estudo é avaliar as respostas neurobiológicas e comportamentais ao confinamento, à aclimatização ao frio em indivíduos na antártica. Este projeto de pesquisa científica é multi e interdisciplinar nas áreas de Medicina polar, Biologia e Fisiologia, Neuropsicologia e Ciências Humanas (Antropologia da Saúde e do Gênero, e Ciências Políticas) e visa contribuir para geração de conhecimentos e inovação científica na área da saúde humana em ambientes ICE. O grupo de pesquisas Mediantar é bem estruturado e produtivo, com colaboração internacional efetiva (um laboratório em Punta Arenas (UMagalhaes) e com dois laboratórios na UFMG (NIPE e LAFISE) que proporcionam incremento à infraestrutura portátil para pesquisa em campo antártico (navios, acampamentos, refúgios) que será potenciada pela criação e manutenção de um laboratório na nova Estação Antártica Brasileira equipado para operar nas invernagens, quando as variáveis ambientais (ciclo luz, dia-noite, frio, paisagem, isolamento, desamparo) atingem seu ápice. No projeto detalhado anexo estão desenvolvidas as nossas hipóteses de trabalho, e delineados os campos de investigação que compreendem também aspectos oftalmológicos, hormonais, psicológicos e médicos afim de investigar o adoecimento físico e psíquico em campo. Além disto, aspectos da gestão dos programas antárticos e suas agendas de investimento em saúde e pesquisas médicas serão estudados pois a saúde nestes ambientes perpassa questões de gênero, poder, hábitos comportamentais demandando pesquisas sociológicas em assédio sexual, feminismo, masculinidade, uso de drogas prescritos ou não, álcool, e cigarro na Antártica. Estas abordagens visam caracterizar os problemas e desenvolver estratégias para conhecer os fatores humanos, organizacionais e ambientais que podem ser acessados para melhoria da qualidade de vida e da saúde nestes ambientes. Em termos de Divulgação da Ciência, teremos a Exposição Itinerante agendada em conjunto com O museu do Ponto da UFMG para disseminar a experiência sensorial da Antártica, como continuidade à experiência da Exposição Expedição Antártica realizada em Belo Horizonte. A itinerância das Cápsulas Portáteis que serão construídas permitirá disseminar entre o público das diversas localidades visitadas pelo Museu de Ciência, que funciona em um ônibus, e é uma atividade de grande repercussão na sociedade.As atividades do Museu do Ponto já estão institucionalizadas e são financiadas com verba da UFMG e projetos pontuais. Haverá uma Semana de "Corpo e Antártica" no Espaço do Conhecimento da UFMG, na Praça da Liberdade, em Belo Horizonte. Esta atividade permite divulgar os resultados de nossa pesquisa em um enfoque integrado entre as ciências humanas (antropologia da saúde, antropologia do Corpo) e a biologia humana (fisiologia dos extremos). Um catálogo impresso, memória da bem-sucedida exposição Expedição Antártica realizada em 2017/2018 será impresso. A rede pública de ensino dos Estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, e Pernambuco serão visitadas em um programa de divulgação sobre A Antártica, com adaptação do conteúdo para as diversas faixas etárias. Espera-Formação de recursos humanos pós graduados
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 25/12/2018-31/12/2022
Foto de perfil

Rosa Maria Formiga Johnsson

Engenharias

Engenharia Sanitária
  • gestão adaptativa do risco de seca como estratégia de segurança hídrica na bacia paraíba do sul
  • Este projeto de pesquisa tem dois objetivos principais: i) avaliar a capacidade atual dos usuários de água e instituições gestoras dos recursos hídricos da Bacia para lidar com o risco climático de seca; ii) propor estratégias de gestão adaptativa como mecanismo de aumentar a segurança hídrica atual e futura dos usos e usuários de água, em cenários de intensificação das variabilidades e mudanças do clima. A Bacia do rio Paraíba do Sul é compartilhada por três estados (SP, MG e RJ), mas é manancial estratégico para os Estados de São Paulo e sobretudo Rio de Janeiro cujas águas abastecem 75% da população fluminense, incluindo sua Região Metropolitana, além de indústrias e atividades agrícolas de grande parte do Estado. Por outro lado, a Bacia retrata também os problemas associados às mudanças ambientais globais: de um lado, o aumento de incertezas em relação ao clima pode ser ilustrado pelo megadesastre causado por inundações e enxurradas na Região Serrana (RJ), em 2011, e pelas duas estiagens severas ocorridas em 2003 e sobretudo em 2014-2015, a pior do registro histórico. A Bacia reflete também a pressão crescente sobre as suas águas, a exemplo de uma nova transposição para abastecer a metrópole de São Paulo, o que provocou um dos mais acirrados conflitos federativos do país. É nesse contexto que esta pesquisa se insere, propondo desenvolver um tema ainda novo na agenda política e na academia do sudeste brasileiro.
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosa Maria Martins de Almeida

Ciências Humanas

Psicologia
  • emoções e instabilidade do status social e da hierarquia de dominância: fingerprint epigenético e abordagem experimental
  • A hierarquia de dominância caracteriza as relações sociais de diversas espécies de animais. Contudo, o status dominante-subordinado é mutável, o que pode ser determinante para as reações emocionais humanas. Neste projeto investigaremos o papel da estabilidade e instabilidade das hierarquias sobre as reações emocionais em humanos. Para tanto, conduziremos três estudos metodologicamente complementares. No primeiro, buscaremos identificar padrões de associação entre diferentes perfis de dominância e tendências de reações emocionais em jovens universitários. Verificaremos se há uma sobreposição dos fingerprints epigenéticos com tais padrões comportamentais e afetivos. No segundo, conduziremos um experimento em laboratório para testar os efeitos do status estável e instável induzidos artificialmente através de uma competição em tarefas de rastreio visual entre jovens universitários. Com os resultados previamente determinados, induziremos padrões de vitória e derrota em condições plenas (resultado com ampla margem de diferença entre os competidores) e acirradas (resultados com pequena margem de diferença entre os competidores). As nossas variáveis dependentes serão os padrões de reações emocionais dos participantes. No nosso terceiro estudo, replicaremos o segundo estudo com adolescentes entre 16 e 21 anos de idade. Manipularemos os resultados de competições (tarefas de rastreio visual) mas em dias sucessivos, o que produzirá 4 condições experimentais: vitória-vitória (vitórias em ambos os dias), vitória-derrota (vitória no primeiro dia e derrota no segundo), derrota-vitória (derrota no primeiro dia e vitória no segundo) e derrota-derrota (derrota em ambos os dias). Compararemos, então, as tendências de reações emocionais dos participantes. Conhecer as tendências de reações emocionais determinadas pelos padrões naturais de hierarquia social e poder poderá ajudar a prever e minimizar as consequências dos comportamentos agonistas em humanos.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosa Maria Moraes Anunciato

Ciências Humanas

Educação
  • diálogo intergeracional na indução de professores: o estabelecimento de um contínuo de formação docente
  • A aprendizagem dos professores é um processo contínuo que ocorre ao longo da vida profissional, não se limitando a espaços educativos formais e tradicionais. A literatura no campo da formação de professores indica que os professores devem aprender a aprender com a prática, uma vez que o ensino exige improvisação, criatividade, experimentação para além dos conteúdos. Considerando que os professores necessitam de apoio, tempo, oportunidades, diálogos, parcerias, de compreensão do contexto escolar, indagamos: quais limites e possibilidades de construção de uma rede colaborativa em um espaço virtual envolvendo professores experientes, iniciantes e licenciandos com vistas ao desenvolvimento profissional dos participantes? Temos como pressuposto que o modelo colaborativo entre professores com diferentes níveis de experiência promove reflexão sobre a própria prática. Além disso, no diálogo intergeracional, os professores experientes, serão capazes de prestar atenção à dinâmica da atribuição de significados de professores iniciantes, em vez de oferecer um inventário acumulado de métodos. Nesse sentido, a presente pesquisa tem por objetivo geral analisar as contribuições para a aprendizagem da docência provocada pelo intercâmbio on-line de professores experientes, iniciantes e licenciandos, por meio de um diálogo intergeracional em um espaço virtual. Participarão da pesquisa professores experientes (com mais de 10 anos de experiência) que atuarão como formadores dos iniciantes; professores iniciantes de escolas públicas parceiras (que já possuem vínculo institucional com a universidade) e graduandos dos cursos de Licenciatura em Pedagogia presencial e a distância da UFSCar. A produção dos dados terá como fonte principal as narrativas escritas pelos envolvidos na construção de uma rede colaborativa em um espaço virtual. Adota-se, portanto, uma abordagem qualitativa de pesquisa que possibilita compreender, a partir de um acompanhamento próximo dos envolvidos, o conhecimento produzido nessa rede colaborativa, configurando-se em um estudo exploratório descritivo-analítico. Espera-se, contribuir para o campo das pesquisas sobre formação de professores, especialmente sobre os processos de aprendizagem profissional da docência; analisar dos processos de planejamentos de ensino e sua implementação; compreender os desdobramentos da participação de professores nas atividades da rede colaborativa; identificar variáveis contextuais que contribuem para a eficácia ou dificultam o desenvolvimento profissional docente on-line.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2021
Foto de perfil

Rosa Maria Soares Madeira Domingues

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • uso de dados do mundo real e aprendizado de máquina na vigilância da mortalidade materna e da morbidade materna grave.
  • A razão de mortalidade materna permanece como um dos piores indicadores de saúde em locais com recursos limitados. A grande maioria dos óbitos é potencialmente evitável pela atuação oportuna dos serviços e do sistema de saúde. Entretanto, mortes maternas são raras em número absoluto, o que dificulta sua análise estatística, especialmente no âmbito local dos serviços. No espectro da morbidade materna, as condições potencialmente ameaçadoras à vida (CPAV) e os casos de Near Miss materno (NMM) - mulher que vivencia situações ameaçadoras à vida durante a gestação, o parto ou até 42 dias após o término da gravidez e sobrevive - encontram-se no extremo da gravidade. Por esta razão, o estudo da morbidade materna grave (MMG), que inclui os casos de CPAV e NMM, tem sido recomendado como uma estratégia complementar para a redução da mortalidade materna, por ser mais frequente e compartilhar dos mesmos determinantes do óbito materno. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda a utilização de critérios padronizados para a classificação desses eventos, o que permite a sua comparação entre serviços e países e o monitoramento ao longo do tempo. No Brasil, o Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde (SIH-SUS) é o único sistema de informação disponível que contém informações sobre morbidade materna. Entretanto, estudos nacionais evidenciam incerteza quanto à utilização desse sistema para o estudo da MMG. Alguns autores indicam as vantagens do SIH-SUS, tais como a elevada cobertura de parto hospitalar no país e a disponibilidade de informação. Outros, no entanto, apontam para a dificuldade de operacionalização dos critérios recomendados pela OMS com os dados disponíveis no SIH-SUS e sua utilização prioritária para o pagamento das internações, com dúvidas sobre a qualidade da informação. Existe, portanto, uma lacuna de conhecimento sobre a possibilidade de utilização do SIH-SUS para o estudo da morbidade materna. Além disso, sabe-se que a razão de mortalidade materna é um importante indicador de desigualdade social, sendo mais elevada em populações mais vulneráveis. Dessa forma, a incorporação de indicadores sociais, econômicos, demográficos e de acesso a serviços na vigilância da saúde materna, além dos indicadores de morbidade e mortalidade, podem propiciar o monitoramento e a identificação oportuna de populações em situação de maior vulnerabilidade, com intervenções visando a melhoria do cuidado e a prevenção de óbitos maternos. Esse sistema de monitoramento com uso ampliado de indicadores teria a vantagem de permitir a identificação de locais com maior vulnerabilidade mesmo em períodos sem óbito materno. Os objetivos desta proposta são o desenvolvimento e validação de um algoritmo para a identificação da MMG, utilizando dados do SIH-SUS e técnicas de aprendizado de máquina; a validação de critérios para NMM propostos por alguns autores nacionais, com base em dados do SIH-SUS; e a criação de um painel de vigilância da saúde materna com uso de indicadores provenientes de diversos sistemas de informação disponíveis no Brasil. O estudo será desenvolvido em três etapas. Na primeira será desenvolvido um algoritmo preditivo para a identificação de morbidade materna grave utilizando bancos de dados não identificados do SIH/SUS (microdados) disponíveis publicamente (Brasil, 2010-2020). O desfecho (label) será o óbito materno. A idade materna, características obstétricas, diagnósticos, procedimentos médicos e permanência em Unidade de Terapia Intensiva serão os preditores avaliados. Os dados relacionados ao tipo de hospital serão usados para verificar se existe uma diferença nos preditores de acordo com o contexto do hospital. Também estudaremos um subconjunto de pacientes que apresentem diagnóstico de COVID-19. Várias técnicas serão utilizadas para a exploração de dados (visualização e aprendizagem não supervisionada de máquina) e predição (aprendizagem de máquina supervisionada) A segunda etapa será um estudo de validação de constructo do algoritmo desenvolvido na primeira etapa. A base de dados do estudo “Nascer no Brasil” será empregada como padrão de referência. O estudo Nascer no Brasil é um inquérito nacional, realizado nos anos 2011 e 2012, com 23.894 mulheres, que identificou 199 casos de Near Miss materno por meio de análise de prontuários hospitalares, utilizando a classificação de casos preconizada pela OMS. Faremos análises de validação convergente e divergente. Adicionalmente, serão validados (validade de critério) os critérios que tem sido utilizados por autores nacionais como proxy da definição de caso de NMM preconizada pela OMS e que são baseados em diagnóstico de internação e procedimentos registrados no SIH/SUS. Para essa análise, as informações do estudo “Nascer no Brasil” serão empregadas como padrão ouro, sendo calculadas as medidas de acurácia. A coordenação do estudo “Nascer no Brasil” disponibilizará a base de dados vinculada, pelo Ministério da Saúde, à base de dados do SIH/SUS, anos 2011/2012. Na terceira etapa, será desenvolvido um painel online a ser utilizado por gestores do Sistema Único de Saúde para a vigilância e controle da mortalidade materna. Para selecionar os indicadores a serem incluídos no painel, construiremos modelos preditivos usando técnicas de aprendizado de máquina supervisionado. Os modelos serão construídos no nível ecológico (cidades), incluindo os indicadores do SIH-SUS validados nas etapas anteriores, bem como indicadores demográficos, socioeconômicos, de recursos e de cobertura de serviços de diversos sistemas de informação. Para os indicadores selecionados, serão desenvolvidas rotinas ETL (extração, transformação e carregamento do banco de dados). Os dados serão armazenados no Elasticsearch e apresentados em um painel online. O projeto será desenvolvido por epidemiologistas, obstetras e especialistas em ciência de dados de diversas instituições.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 15/12/2020-30/06/2022
Foto de perfil

Rosalia Aldraci Barbosa Lavarda

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • interface entre strategizing e tarefas que compõem os tipos de trabalho: análise micro-organizacional
  • Consideramos neste estudo duas premissas base, quais sejam: (i) o conceito da estratégia como processo a partir de uma análise micro-organizacional da ação, do que a organização faz, mais do que o que ela tem (Whittington, 2006), no qual se insere o entendimento da estratégia como prática social ou strategizing; e (ii) existem nas organizações pelo menos quatro tipos de trabalho que podem ser caracterizados por trabalho rotineiro ou simples, técnico ou não-rotineiro, profissional ou artesanal e criativo ou inovador, segundo Perrow (1967, 1970), os quais são independentes dos fatores contingenciais, como ambiente, estratégia, estrutura, tamanho e tecnologia (Donaldson, 2001). Compreendendo que a materialidade se dá na realização da tarefa, e que a tarefa só ocorre como fazendo parte de um contexto, Zammuto (2007) explica que as pessoas atuam de diferentes formas ao se relacionarem com objetos, para isso, utiliza-se da noção de affordance desenvolvida originalmente por Gibson (1979). Assim, affordance corresponde as possibilidades de ação que a materialidade de um objeto permite ou, ainda, restringe (Dameron et al., 2011). Nesse sentido, as possibilidades de ação dos atores organizacionais estão relacionadas aos seus tipos de trabalho cujas tarefas são desenvolvidas, e, mais especificamente, nesse estudo, sob a perspectiva da estratégia como pratica ou strategizing. As tarefas, assim, são partes do trabalho materializado. Recorremos, então, ao conceito de affordances para compreender essas relações entre material e social. Estabelecemos, portanto, a seguinte questão de pesquisa: Como se dá a interconexão entre strategizing e tarefas que compõem os diferentes tipos de trabalho? Para responder à questão de pesquisa partimos da proposição que estabelece, a partir do marco teórico revisado (Perrow, 1970; Gibson, 1979; Orlikowski, 2000; Whittington, 2006; Jarzabkowski et al., 2007; Zammuto, 2007; Dameron, Lê e LeBaron, 2015; Werle e Seidl, 2015), que (P): A interconexão entre strategizing e trabalho se dá pelo affordance (possibilidade de ação) inerente a cada elemento que compõe tanto o strategizing [práticas (Pk), práxis (Px) e praticantes (Pte)] quanto os elementos que caracterizam os tipos de trabalho [centralização (C), formalização (F) e nível de conhecimento (K)]; portanto, o strategizing influencia os elementos que compõe os tipos de trabalhos e vice-versa. Assim, a materialização da estratégia se dá por meio da execução da tarefa (materialidade objetiva + não objetiva) que compõe o trabalho. Desse modo, determinado trabalho, por exemplo, possui características objetivas e subjetivas para ser realizado, tal qual o strategizing. O objetivo deste estudo consiste em compreender como se dá a interconexão entre strategizing e tarefas que compõem os diferentes tipos de trabalho. Para realizar este estudo será adotada a metodologia qualitativa por meio do estudo de caso múltiplo (Stake, 2005). A seleção dos casos será não aleatória, por conveniência e acessibilidade. Ademais, consideramos o alto nível tecnológico (definido pela criação de tecnologia internamente como parte do seu core business), ou seja, preferencialmente, empresas de base tecnológica, bem como, diferentes níveis de conhecimento específico agregado à tarefa executada pelos praticantes. As técnicas de coleta de dados serão entrevistas semiestruturadas, observação direta e análise de documentos. E, a análise dos dados coletados utilizará a análise da narrativa (Godoi, Bandeira-de-melo e Silva, 2006) e pattern matching possibilitando o processo abdutivo, que permite o ir e vir da teoria para a prática, de Trochim (1989). Como resultados espera-se identificar uma conexão entre os elementos que compõem o strategizing e os elementos que compõem os tipos de trabalho a partir da execução da tarefa. É na execução da tarefa que os atores utilizam a subjetividade inerente às relações que permeiam o ambiente organizacional mesclada com a materialidade ou objetividade que vem imposta pelas normas regras e demais restrições e possibilidades de atuação (affordance), caracterizando a sociomaterialidade proposta por Werle e Seidl (2015).
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosalia Mendez-Otero

Ciências Biológicas

Fisiologia
  • desenvolvimento de produtos terapêuticos investigacionais de terapia celular e gênica ex vivo `a base de células-tronco mesenquimais e seus derivados para o tratamento de doenças neurodegenerativas, oculares e avc
  • As doenças neurológicas são altamente prevalentes e apresentam uma grande morbidade e mortalidade. Estima-se que, com o envelhecimento progressivo das populações, a incidência destas doenças tenderá a crescer de tal forma que, em países desenvolvidos, elas vêm sendo consideradas como o maior problema de saúde pública em função do ônus que acarretam aos sistemas de saúde. Por exemplo, dados da Organização Mundial de Saúde indicam que o acidente vascular cerebral (AVC) é a terceira maior causa de morte no mundo e a maior causa de incapacitação de indivíduos adultos. No Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde, o AVC é o segundo maior responsável pelo número de óbitos e a maior causa de incapacidade em indivíduos adultos. Por outro lado, a dificuldade de tratar doenças neurodegenerativas crônicas, como a doença de Alzheimer, é agravada pelo conhecimento ainda incompleto acerca das suas bases de patogênese e pela alta prevalência de multimorbidades, incluindo a co-existência de doenças cerebrovasculares prévias agudas (como o próprio AVC) ou crônicas em pacientes com diferentes tipos de demências. As terapias farmacológicas existentes atualmente para doenças neurológicas são pouco eficientes e há uma grande necessidade de se desenvolver novos paradigmas que permitam mudar o quadro atual de tratamentos para pacientes com lesões ou doenças crônico-degenerativas do sistema nervoso. Nos últimos anos, diversos grupos de pesquisa vêm se dedicando ao estudo de células-tronco e seu potencial terapêutico em doenças e lesões neurológicas. A hipótese de trabalho é a de que as células-tronco podem ser utilizadas em terapias celulares de doenças neurológicas, seja substituindo células perdidas em lesões ou doenças, seja aumentando a capacidade de regeneração existente dentro do próprio tecido nervoso por mecanismos de neuroproteção e/ou de neuroregeneração ou ainda modulando a neuroinflamação. O objetivo final destas terapias celulares é o de diminuir e/ou recuperar a perda funcional que ocorre após lesão do sistema nervoso adulto. No período compreendido por este projeto, desenvolveremos estudos pré-clinicos visando esabelecer as bases necessárias para a utilização dessas terapias avançadas em estudos clínicos e, futuramente, no SUS como tratamento. Os estudos pré-clínicos de terapias celulares serão realizados em modelos animais já padronizados pelos grupos participantes da proposta, incluindo esclerose lateral amiotrófica (ELA, glaucoma, AVC hemorrágico e doença de Alzheimer, bem como em um novo modelo a ser desenvolvido de comorbidade Alzheimer/Doença Cerebrovascular. Em vários destes estudos, demonstramos efeitos terapêuticos das células-tronco e/ou das vesículas extracelulares (VEs) liberadas por estas células e investigamos possíveis mecanismos de ação, como atestado em diversas publicações do grupo. A partir da identificação de mecanismos de ação que sugerem um efeito parácrino destas células através da liberação de fatores neurotróficos e/ou neuroprotetores, inciamos estudos que visam a terapia gênica ex-vivo com células mesenquimais modificadas para superexpressar fatores específicos, e este é um dos objetivos deste projeto. Mais recentemente, iniciamos uma outra abordagem, visando substituir e/ou aprimorar os modelos pré-clínicos de estudo de doenças neurológicas, que consiste na geração de células-tronco de pluripotência induzida (iPSCs) de pacientes. As iPSs geradas podem ser diferenciadas nos diversos tipos celulares e, no nosso caso específico, em diferentes tipos de neurônios, astrócitos e/ou oligodendrócitos. Linhagens de iPSCs já foram obtidas pelo grupo a partir de células mesenquimais da geleia de Wharton do cordão umbilical humano, o que nos permitirá investigar, por exemplo, as alterações genéticas identificadas nesta etapa do desenvolvimento. As iPSCs geradas a partir de cordões saudáveis podem ser utilizadas para obter células do sistema nervoso humano para estudos in vitro em substituição ao uso de células de origem animal. No caso de indivíduos adultos, iPSCs foram geradas a partir de eritroblastos obtidos de sangue periférico de indivíduos com esclerose lateral amiotrofica (ELA) e com mutações específicas prevalentes na população brasileira. As metodologias a serem utilizadas nos diferentes sub-projetos e os resultados já obtidos que subsidiaram a formulação desta proposta estão descritos nas publicações listadas ao final do formulário. O objetivo do grupo é o de buscar modelos in vitro ou in vivo que permitam investigar os mecanismos fisiopatológicos das doenças e lesões do sistema nervoso, bem como de multimorbidade no sistema nervoso central, e avaliar a segurança, eficácia e mecanismos de ação de novos produtos terapêuticos obtidos a partir de células-mesenquimais geneticamente modificadas ou não e seus derivados (VEs, por exemplo) visando a translação para a prática médica. Com os estudos básicos e pré-clínicos a serem desenvolvidos no decorrer do período coberto por este projeto, esperamos oferecer subsídios para o desenvolvimento de estudos clínicos em lesões e doenças do sistema nervoso e coordenar o desenvolvimento destes protocolos em colaboração com a área médica.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 07/12/2020-31/12/2023
Foto de perfil

Rosalina Aparecida Partezani Rodrigues

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • biomarcadores relacionados a fragilidade do idoso
  • Introdução: A população mundial envelhece rapidamente no século XXI e os problemas de saúde, sociais, econômicos e psicológicos, representam desafios que deverão ser enfrentados diante do surgimento de novas síndromes, entre elas, a fragilidade. Objetivo: Determinar os biomarcadores associados à síndrome da fragilidade. Método: Estudo observacional de associação, transversal. Será realizado no Centro de Saúde Escola da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto/USP/Secretaria Municipal de Saúde do município de Ribeirão Preto, São Paulo. A população será de idosos com 60 anos ou mais, de ambos os sexos, que vivem em domicilio, capaz de se comunicar e atendidos na referida Unidade e a amostra será de 258 idosos. A coleta de dados se dará no ambiente adequado no CSE (entrevista e coleta de sangue). A entrevista será composta dos dados sociodemográficos e dos dados clínicos, e na coleta de sangue serão analisados os Indicadores biológicos de carga alostática e os Biomarcadores genéticos. A análise será descritiva, com análise da contribuição simultânea de preditores sobre os escores de fragilidade por meio da regressão linear ou pelas categorias por meio da regressão logística multivariada tendo como desfecho as diferenças entre os escores final e basal de fragilidade. Alternativamente, poderão ser tentadas modelagens com equações de estimativas generalizadas tendo como desfechos os escores pontuais de fragilidade no período de seguimento. O projeto foi encaminhado ao Comitê de Ética da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, USP e aprovado.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosalinda Carmela Montone

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • poluentes orgânicos persistentes em aves marinhas da ilha da trindade e do arquipélago de são pedro e são paulo: influência de fatores ecológicos nos padrões de contaminação e na dispersão de poluentes em regiões oceânicas
  • Ambientes insulares possuem alta importância biológica por apresentarem características peculiares, altas taxas de endemismo e, apesar de representarem apenas 5% da área total terrestre, abrigam aproximadamente 20% da biodiversidade global. Dentre as principais ameaças que atuam sobre esses frágeis ecossistemas, destacam-se as de origem antrópica, como a ocupação humana, introdução de espécies invasoras e poluição por compostos químicos. As aves marinhas são um grupo frequentemente utilizado para o estudo de contaminação oceânica devido às suas posições superiores na cadeia trófica marinha e alta sensibilidade a mudanças ambientais, respondendo rapidamente às alterações no ecossistema. As ilhas oceânicas brasileiras abrigam uma avifauna diversa e abundante, sendo que cinco espécies (Pterodroma arminjoniana, Onychoprion fuscatus, Anous stolidus, Gygis alba e Sula dactylatra) se reproduzem na Ilha da Trindade, e três (Anous stolidus, Anous minutus, Sula leucogaster) no Arquipélago de São Pedro e São Paulo. O objetivo da proposta é avaliar os poluentes orgânicos persistentes (POPs) em aves marinhas da Ilha de Trindade e do Arquipélago de São Pedro e São Paulo e analisar a influência da distribuição espacial e da estrutura trófica das aves na assimilação e distribuição de contaminantes em regiões insulares do Oceano Atlântico. Esta proposta dará continuidade ao projeto aprovado no edital CNPq 39/2012 incorporando novos indicadores ecológicos (isótopos estáveis em compostos específicos e radiotransmissores VHF) para o monitoramento das populações de aves marinhas, bem como para elucidar os padrões de contaminação e as rotas de dispersão de poluentes orgânicos persistentes (POPs) em regiões insulares do Oceano Atlântico.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 03/12/2015-30/11/2021
Foto de perfil

Rosaline Rocha Lunardi

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • enfrentamento da covid19 em saúde indígena xavante: avaliação de ações em saúde e de itinerários intersetoriais.
  • Em geral, as populações indígenas são particularmente vulneráveis ao impacto de Covid-19, dadas as condições sociais e econômicas desfavoráveis. Associem-se a estas condições, as barreiras de comunicação entre a população indígena e os profissionais de saúde - assim como as diversas práticas de higiene, de alimentação e de estilo de vida - e haverá um quadro ainda mais grave. Há de se considerar ainda, que o perfil imunológico de populações indígenas pode respostas ao vírus e à doença inesperadas e bastante diferentes das demais populações, inclusive no mesmo território Os governos tem implementado medidas de enfrentamento ao Covid-19 que podem ser agrupadas sob três grandes estratégias: a recomendação ou determinação do isolamento e do distanciamento social; a ampliação da capacidade de atendimento dos serviços de saúde; e formas de apoio econômico a cidadãos, famílias e empresas. Porém, num cenário de populações indígenas não citadinas, há de se considerar como estas estratégias serão implementadas de acordo com as especificidades étnicas e territoriais. Como as estratégias adotadas pelo Ministério da Saúde deverão ser remodeladas de acordo com a realidade Xavante, faz-se necessário o acompanhamento e a avaliação longitudinal das ações do sistema de saúde e dos demais setores envolvidos com os determinantes da saúde Xavante. Assim, esta proposta pretende avaliar as ações de enfrentamento da Covid-19 no território Xavante, considerando os atributos essenciais e derivados da atenção primária à saúde, bem como nos demais níveis de atenção acessados pela população.
  • Universidade Federal de Mato Grosso - MT - Brasil
  • 24/07/2020-23/08/2022
Foto de perfil

Rosana Blawid

Ciências Agrárias

Agronomia
  • diagnóstico de infecções virais em dioscoreáceas das áreas produtoras de pernambuco e paraíba
  • O inhame (Dioscorea spp.) apresenta grande importância socioeconômica, principalmente nas regiões tropicais e subtropicais do mundo, incluindo além da América tropical, a Ásia, África Ocidental e o Caribe. No Brasil, a cultura do inhame é cultivada principalmente na região do Nordeste, destacando-se os estados de Pernambuco e Paraíba, onde constitui-se de um alimento importante para pequenos agricultores e uma fonte de subsistência expressiva. No entanto, a cultura do inhame é ainda considerada negligenciada quanto a estruturação da cadeia produtiva, e pesquisas que visam o melhoramento genético. Por ser uma cultura propagada vegetativamente existe um acúmulo de vírus que vem afetando o aumento da produtividade. Até o presente momento, nove gêneros de vírus foram relatados infectando o inhame. Dentre os vírus que infectam a cultura, os pertencentes aos gêneros Aureusvirus, Badnavirus, Carlavirus, Comovirus, Cucumovirus, Fabavirus, Macluravirus, Potexvirus, e Potyvirus foram os principais relatados. No Brasil os potyvírus Yam mosaic virus e Yam mild mosaic virus, o badnavirus Dioscorea alata bacilliform virus e o secovirus Dioscorea mosaic-associated virus foram relatados infectando inhame. Este projeto visa a diagnose e o desenvolvimento de estratégias de controle através da caracterização molecular dos vírus que infectam o inhame, bem como da caracterização de possíveis proteínas endógenas virais. Para tanto, três instituições nacionais (UFRPE, UnB e o IPA) e uma instituição internacional (DSMZ) pesquisarão em conjunto o estudo da diversidade viral em plantas de campo, de estações experimentais e de acessos de banco de germoplasma visando o melhoramento genético do inhame.
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosana da Rosa Portella Tondolo

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • transparência e capital social na intenção do gestor de organizações sociais em mobilizar recursos
  • Este estudo tem como objetivo identificar a influência da transparência e do capital social na intenção do gestor de organizações sociais em mobilizar recursos. Para isso, se realizará um experimento no contexto das organizações sociais brasileiras, no qual serão utilizadas vinhetas para simular uma situação de concessão de recursos. Após a apresentação das vinhetas os gestores responderão a um questionário sobre a intenção em mobilizar os recursos. Os dados serão analisados de forma quantitativa. Como resultado espera-se que gestores com maior estoque de capital social estrutural e relacional tenham maior intenção de mobilizar recursos. Além disso, espera-se que o nível de transparência da empresa concessora do recurso financeiro influencie positivamente na intenção do gestor em mobilizar recursos.
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosana de Freitas Boullosa

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • escola livre em gestão social: formação tecnológica para processos de políticas públicas
  • Este projeto de pesquisa, intitulado Escola Livre em Gestão Social: formação tecnológica para processos de políticas públicas, busca construir e oferecer processos de formação livre e certificada em gestão social, nas modalidades presencial e a distância, por meio de percursos formativos, de natureza tecnológica, que visem, portanto, a transformação e ampliação das suas bases e de seus repertórios de conhecimento aplicado, para públicos específicos formados por praticantes em gestão social e suas áreas temáticas, envolvidos em processos de políticas públicas, inseridos particularmente no Centro-Oeste e Nordeste do país, composto sobretudo por gestores públicos locais, organizações sociais, organizações comunitária, conselhos locais e outras esferas de participação pública institucionalizada ou em vias de institucionalização. As principais áreas temáticas a serem trabalhadas, dentro da sua natureza tecnológica, além da própria gestão social, são: avaliação e monitoramento, elaboração de projetos, implementação de instrumentos de políticas públicas, instrumentos de participação democrática, problemas públicos, desenvolvimento territorial, gestão de conflitos, arte pública, economia do compartilhamento, dentre outros, envolvendo as noções de transversalidade em políticas públicas. Este projeto nasceu foi um dos principais frutos de um projeto de extensão inovadora da Rede de Pesquisadores em Gestão Social (RGS), intitulado Observatório da Formação em Gestão Social: avaliação, ensino-aprendizagem e inovação, também objeto de Bolsa de Produtividade DT (2012-2015) desta mesma proponente, que envolvia, incialmente, 4 Universidades brasileiras: Universidade Federal da Bahia (UFBA, Universidade Federal do Cariri (UFCA, então Universidade Federal do Ceará - Campus Cariri (UFC)) e Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). O projeto do Observatório expandiu-se logo em seguida, englobou novas universidades, sempre no contexto da RGS, com a entrada da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), Universidade de São Paulo (USP-EACH), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Universidade Federal do Tocantins (UFT), bem como da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG). Cada Universidade possuía um grupo de trabalho, sempre sob a coordenação geral desta mesma proponente, até então lotada no Departamento de Administração da Escola de Administração da UFBA (EAUFBA), tendo contado om o apoio financeiro e de bolsas de pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (FAPESB), da UFBA, todos no contexto da coordenação geral, além de apoios variados das demais Universidades Parceira. De modo resumido, este projeto da Escola Livre em Gestão Social: extensão inovadora para o desenvolvimento tecnológico em gestão de processos de políticas públicas, possui duração de 3 anos, e objetiva projetar e oferecer Percursos Formativos em Gestão Social, nas modalidades presencial e a distância, nas áreas temáticas já acima apresentadas, idem para o público. Do ponto de vista do método, na modalidade presencial, tratam-se de duas linhas de ação: uma primeira, mais ampla, intitulada Edições da Escola Livre em Gestão Social, com edições sequenciadas, pelo menos uma semestre, com a participação de todas as parceiras envolvidas no projeto, com duração mínima de 40 horas por edição. Seus Percursos Tecnológicos de Formação em Gestão Social, desenhados como atividades de extensão inovadora, assumem podem assumir os formatos de Ateliês Tecnológicos (preferencialmente, pois possuem a obrigatoriedade de desenvolvimento de um produto individual e/ou coletivo) ou Mini-cursos (sem produção de produtos), organizados por níveis de complexidade baixa, média e alta, como será descrito mais detalhadamente a seguir. E uma segunda, intitulada Encontros Formativos em Gestão Social, voltada para as próprias Universidades envolvidas, de modo a desenvolver competências instrumentais nos alunos de seus respectivos cursos graduação relacionados ao Campo de Públicas (Administração Pública, Gestão de Políticas Públicas, Políticas Públicas, Gestão Pública e Gestão Social), por entender que estes alunos também carecem de repertório instrumental (sobretudo em método), mas também por divulgar internamente as ações dos parceiros e ajudar na formação de suas/nossas equipes locais. Na modalidade a distância, será implementada uma plataforma virtual que oferece um conjunto definido de possibilidades formativas já desenhadas, em gestão social e suas áreas temáticas, para usuários que desejem empreender seus percursos formativos individuais e online a partir de seus próprios perfis e demandas. Os perfis possíveis, construídos a partir do cruzamento de poucas informações, tais como idade, formação pregressa, motivação, interesse específico, tempo semanal disponível (2 às 10 horas), tempo total disponível (de um a três módulos de 12 horas), além de algumas preferências sobre meios de aprendizagem, serão classificados segundo uma matriz de distribuição e sugestão de percursos formativos. Os materiais para a construção dos percursos serão textos, vídeo-aulas de introdução aos temas, sites, dicionários, revistas específicas, referências bibliográficas, estudos bibliométricos, mapeamentos das ofertas formativas existentes em níveis de graduação e pós-graduação, mapeamento de grupos de pesquisa, mapeamento de ementas de disciplinas em gestão social, dentre outros. Por fim, ressalta-se que este novo projeto já nasce com a parceria das mesmas universidades que o iniciaram, além da entrada da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), sempre no contexto da RGS, bem como da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal (SEEDF), contando ainda com o apoio da UnB (financeiro e de bolsas) e de recursos próprios das parceiras envolvidas.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosana Louro Ferreira Silva

Ciências Humanas

Educação
  • ensino de ciências em articulação com os objetivos do desenvolvimento sustentável: um estudo de caso na rede municipal de são paulo
  • Vide projeto anexo
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 12/08/2019-30/11/2021
Foto de perfil

Rosana Maria Gemaque Rolim

Ciências Humanas

Educação
  • carreiras e remunerações de professores das redes municipais de ensino do estado do pará
  • O Projeto investigará as configurações e tendências de carreiras de professores das redes de ensino da educação básica e de composições da remuneração, a partir do que está estabelecido nos Planos de Cargo, Carreira e Remuneração. O estudo partirá de um mapeamento dos planos existentes em municípios do Estado do Pará, mediante o qual procederá um estudo transversal dos Planos, na perspectiva de identificar e analisar as tendências e ou configurações de carreira e de remuneração de professores decorrentes do quantitativo e de tipos de cargos, de formas de evolução na carreira e da composição da remuneração. Isso demandará o desenvolvimento de metodologias específicas que contemplem as tendências e ao mesmo tempo a diversidade, tendo em vista que os municípios são autônomos no desenvolvimento de suas políticas educacionais.
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 01/06/2017-31/01/2021
Foto de perfil

Rosana Pereira Vianello

Tecnologias

Tecnologia e Inovação para Agropecuária
  • piramidação de alelos de resistência à antracnose, mancha angular, murcha de fusarium e escurecimento lento em feijão carioca via ferramentas biotecnológicas
  • Vide projeto anexo
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - DF - Brasil
  • 29/11/2019-30/11/2022
Foto de perfil

Rosana Salles da Costa

Ciências da Saúde

Nutrição
  • insegurança alimentar, rendimentos e despesas familiares no brasil: uma análise de dados na pesquisa de orçamentos familiares – pof 2018
  • O último relatório do Fundo das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), publicado em setembro de 2018, apresentou a situação de insegurança alimentar (IA) e nutrição no mundo, enfatizando os avanços no monitoramento da fome, da desnutrição e de IA, como parte da Agenda para o Desenvolvimento Sustentável de 2030. As evidências apontaram para aumento da fome em quase todos os continentes nos últimos anos, após um prolongado declínio. De acordo com a FAO, a comparação dos dados de 2014 e 2017 revelam aumento na proporção de IA grave, intimamente relacionada com a fome presente nas famílias, tanto no mundo ( 8,3% para 10,2%, respectivamente), como na América do Sul (5,5% para 8,7%, respectivamente). Uma das hipóteses para o aumento de IA grave seria o aumento no preço dos alimentos e nas despesas com alimentação, como também o desemprego em países da America do Sul, mais acentuado nos últimos 3 anos. Essa hipótese é corroborada com os dados do I Relatório Nacional Voluntário da Agenda de 2030, organizado pelo Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para a Agenda 2030. Os pesquisadores ressaltaram no relatório o risco que o Brasil teria de aumento da IA, como consequência do congelamento nos gastos governamentais com políticas sociais de combate à fome, e aumento no desemprego no país em função do déficit fiscal acumulado e o descaso com problemas estruturais como a reforma tributária. No Brasil, desde 2003 a Escala Brasileira de Insegurança Alimentar (EBIA) é a ferramenta utilizada para aferir IA, em estudos populacionais. Trata-se de instrumento validado em território nacional, com base na escala norte-americana de aferição de IA. Até 2013, a estimativa de IA no âmbito nacional era feita pelo IBGE na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). A sequência das três últimas PNADs (2004, 2009 e 2013) permitiu identificar sua redução no país. Em 2004, 34,9% das famílias brasileiras conviviam com algum grau de IA, das quais 6,9% tinham IA grave. Em 2013, IA reduziu para 22,6% das famílias, entre as quais apenas 3,2% conviviam com IA grave. Recentemente, o IBGE adotou a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) para avaliar IA pela EBIA, com o intuito de relacionar as despesas e rendimentos familiares, além do consumo individual, com a medida de IA. Esse avanço, inédito no país, será primordial para avaliar dimensões pouco exploradas das causas relacionadas com o desfecho, principalmente após a crise econômica que o país vivencia nos últimos anos. Outro ponto importante da medida de IA na POF consiste em avançar em estudos psicométricos da EBIA, revisitando os pontos de corte para classificação dos níveis Isso será possível em função da interface da EBIA com outras dimensões avaliadas na POF e que não eram aferidas na PNAD (qualidade de vida, consumo alimentar individual e familiar, despesas familiares entre outros). Com base no exposto, o projeto se insere com a proposta de realizar dois subprojetos, simultaneamente, com os seguintes objetivos: (i) a análise da associação entre IA, rendimentos e despesas familiares e (ii) preencher lacunas nas análises psicométricas da EBIA, ambos estudos considerando os microdados da Pesquisa de Orçamentos Familiares de 2018 .
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022