Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Renato Andreotti e Silva

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • imunoproteção de bovinos contra o carrapato utilizando peptídeos antigênicos desenhados a partir do transcriptoma do carrapato (rhipicephalus microplus).
  • Produtores adotam práticas de controle nas quais a frequência de uso de acaricidas associada à maneira inadequada de aplicação tem levado as populações de carrapatos a tornarem se resistentes aos poucos grupos ou famílias de produtos carrapaticidas existentes no mercado nacional. Isso aumenta os riscos de contaminação ambiental e humana pela intensificação do uso como também eleva os custos do controle do carrapato na produção de bovinos, cuja estimativa gira em torno de 11 bilhões de reais. Métodos alternativos de controle do carrapato R. microplus têm sido estudados como o uso de vacinas. As vacinas comerciais contendo a proteína recombinante Bm86, GavacTM e TickGardPLUS contra o carrapato dos bovinos, R. microplus, têm mostrado eficácia moderada com proteção de 49,2% e 46,4%, respectivamente, desta forma faz-se necessária a disponibilização de novos antígenos com eficácia suficiente para realizar o controle do carrapato. Entre os estudos pós-genômicos factíveis para organismos parasitas destaca-se a busca em larga escala, por meio da bioinformática, em que potenciais antígenos podem ser testados em prol de uma vacina polivalente. A resistência dos bovinos aos carrapatos é multigênica e seus produtos participam de processos metabólicos que contribuem para o desenvolvimento da resposta imune levando ao controle da infestação de carrapato. Desta forma, é necessário relacionar o perfil da resposta ao estímulo dos antígenos apresentados em animais sensíveis e sua relação com os efeitos em animais resistentes durante o desafio com os carrapatos. Assim, serão apresentados os melhores algoritmos dos antígenos potenciais baseados no transcriptoma do carrapato R. microplus e avaliada a resposta dos bovinos por meio da comparação das respostas em raças sensíveis e resistentes. O projeto tem por objetivo comparar o estímulo de peptídeos antigênicos contra o carrapato-do-boi, ao perfil da resposta imune comparando raça sensível e resistente e suas respectivas proteções contra o carrapato.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - DF - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renato Carrhá Leitão

Outra

Ciências Ambientais
  • plataforma lignoquímica: mdf e resinas obtidos a partir do bagaço de cana-de-açúcar
  • Considerando a produção de bagaço de cana-de-açúcar de 152 x 106 t de bagaço (safra 2017-2018), pode-se estimar até 38 x 106 t de lignina disponível para utilização pela indústria química, incluindo a produção de resinas. No entanto, o processo de modificação da lignina, de forma a deixá-la adequada a substituir a molécula de fenol em resinas, ainda não está completamente conhecido. Isto porque não se conhece a estrutura exata da lignina in natura, cuja molécula é formada por unidades fenilpropano se ligam formando um arranjo tridimensional aleatório. Além disto, como cada biomassa lignocelulósica contém ligninas com composição distintas, não se conhece a melhor proporção de lignina a ser usada na fabricação de uma resina que seja adequada a fabricação de MDF ou na fabricação de outras resinas de maior valor agregado. Em um projeto anterior, liderado por este proponente, demonstrou-se que a lignina pode substituir parcialmente os fenóis de origem petroquímica na síntese de resinas destinadas a fabricação de MDF. No entanto, verificou-se que, tanto a resina, como o MDF resultante não atenderam completamente às normas da ABNT. Além disto, é possível produzir uma resina de alto valor agregado (polibenzoxazinas) usando os fenóis obtidos da lignina. Testes iniciais mostraram que a lignina pode ser usada em polibenzoxazinas, mas resulta em uma resina com baixa trabalhabilidade (quebradiça e não homogênea). Neste caso, uma alternativa é a despolimerização da lignina, gerando fenóis que podem ser mais facilmente utilizáveis, através de um processo chamado de pirólise rápida, em que a biomassa (bagaço de cana-de-açúcar ou a lignina previamente extraída) é hidrolisada em reator de alta pressão e temperatura (400-500 °C), gerando um óleo rico em fenóis de baixo peso molecular. Estes fenóis serão usados para produção de resinas ligno-fenol-formaldeído ou polibenzoxazina. Assim, os objetivos deste projeto são: (i) desenvolvimento de um processo de produção de lignina, em escala piloto, para ser usada na produção de resinas ligno-fenol-formaldeído adequadas e otimizadas para produção de MDF; (ii) desenvolvimento de um processo de produção de placas de fibra de média densidade (MDF), usando bagaço da cana-de-açúcar como fonte de fibras e de lignina para síntese da resina ligno-fenol-formaldeído, de acordo com as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT NBR 15316-1:2014 e ABNT NBR 15316-2:2014); (iii) Desenvolvimento de processo em escala de laboratório para produção de resinas ligno-fenol-formaldeído e polibenzoxazinas a partir da lignina do bagaço da cana-de-açúcar, usando o bio-óleo, produzido a partir da pirólise rápida do bagaço da cana-de-açúcar, como fonte de fenóis.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - DF - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renato Dantas Rocha da Silva

Outra

Ciências Ambientais
  • ensino de ciências aplicadas como proposta de intervenção na rede pública de ensino: o uso de tecnologias adaptadas ao semiárido como tema norteador
  • Vide projeto anexo
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 12/08/2019-30/11/2021
Foto de perfil

Renato de Almeida Sarmento

Ciências Agrárias

Agronomia
  • respostas fisiológicas, moleculares e metabólicas induzidas pela vespa-da-galha-do- eucalipto (leptocybe invasa fisher & la salle (hymenoptera: eulophidae)) em clones de eucalipto, em um contexto de mudanças climáticas
  • O setor florestal brasileiro sofreu grande impacto com a rápida disseminação da vespa-da-galha-do-eucalipto (Leptocybe invasa Fisher & La Salle; Hymenoptera: Eulophidae), que se espalhou por viveiros e plantações em toda a América do Sul, África, Ásia, Oriente Médio e Mediterrânico. Especialmente em áreas com algum déficit hídrico, onde os genótipos mais promissores eram suscetíveis a esta praga. Essa vespa causa graves danos através da indução de galhas em pecíolos e nervuras de folhas e entrenós de ramos jovens. A compreensão dos mecanismos de respostas induzidos por essa praga é essencial para se estabelecer estratégias sustentáveis para seu controle. Nossa proposta permite a exploração da variabilidade genética dos principais materiais em uso no Brasil, com características de resistência à seca, através do estudo de características morfológicas/bioquímicas, de expressão de genes e do perfil metabólico relacionadas com as respostas induzidas pelo ataque da vespa-da-galha-do-eucalipto. A equipe envolvida no projeto possui alta qualificação técnico-científica e formação diversificada e conta ainda com a colaboração de dois centros de pesquisa nacional e um internacional. Pretende-se, portanto, contribuir para interligar informações dos processos envolvidos na indução de respostas defensivas de plantas ao parasitismo de insetos, desde a regulação de genes até a resposta fisiológica. Esta estratégia permitirá reunir uma vasta gama de dados, que incluem a expressão de genes/metabólitos até a performance dos clones. Ademais, nossa proposta fornecerá ferramentas para o desenvolvimento de marcadores para serem usados na seleção precoce de plantas mais tolerantes ao ataque da vespa-da-galha-do-eucalipto ao mesmo em que selecionará plantas que apresentam menor consumo hídrico. Cumpre mencionar também que, até o momento, não foram encontradas quaisquer estratégias de controle eficaz para combater esta praga. Por isso, a seleção de clones menos susceptíveis à vespa-da-galha-do-eucalipto e, ao mesmo tempo, mais tolerantes ao déficit hídrico, é a melhor ferramenta preventiva a médio/longo prazo capaz de garantir a produtividade, qualidade e sustentabilidade do setor florestal em um cenário de mudanças climáticas.
  • Universidade Federal do Tocantins - TO - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renato de Lima Santos

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • desenvolvimento de protocolos vacinais polivalentes para controle de brucelose em diferentes espécies animais
  • Este projeto tem plena aderência à proposta recentemente aprovada no mérito pelo CNPq, porém não financiada, para o INCT em Saúde Animal e Zoonoses e ampla sustentação nos trabalhos que nosso grupo tem desenvolvido na área de patologia, patogênese e vacinologia de brucelose. Ao estudar uma ilha genômica específica de B. ovis, nosso grupo identificou um sistema transportador ABC necessário para virulência. Embora o substrato desse transportador ainda não tenha sido identificado, demonstramos que sua deleção interfere com a expressão do sistema de secreção do tipo IV codificado pelo operon virB, de forma pós-transcricional, sendo, portanto, necessário para o tráfego intracelular da B. ovis. A cepa mutante B. ovis [delta]abcBA (Bo[delta]abcBA), que tem deleção do transportador ABC, também se mostrou fortemente atenuada em carneiros, hospedeiros naturais da B. ovis, mas provocou resposta imune humoral e celular semelhantes àquelas desencadeadas pela cepa parental. Com base nesses resultados, nosso grupo desenvolveu uma vacina para prevenção da infecção por B. ovis em carneiros baseada na cepa Bo[delta]abcBA, que produziu em imunidade estéril. Os carneiros vacinados com a cepa Bo[delta]abcBA e desafiados experimentalmente com a cepa virulenta de referência não desenvolveram sinais clínicos, não apresentaram neutrófilos no ejaculado, não desenvolveram lesões macro ou microscópicas, não eliminaram a cepa vacinal e nem a cepa virulenta pelo sêmen ou urina e não tiveram colonização pela cepa virulenta em órgãos alvo de B. ovis. Devido a esses excelentes resultados e a ausência de vacinas específicas para B. ovis disponíveis, essa vacina foi objeto de um pedido de patente depositado no INPI (Número de registro: BR1320150324862). As vacinas atualmente utilizadas para prevenção de brucelose em ruminantes (cepas B19 e RB51 para bovinos e Rev1 para pequenos ruminantes) têm alguns inconvenientes, pois: (i) apresentam patogenicidade residual para os animais, podendo causar aborto, (ii) têm potencial zoonótico, havendo diversos relatos de infecção humana por essas cepas e (iii) interferem com as provas sorológicas utilizadas para o diagnóstico de brucelose (com exceção da RB51). Considerando os resultados já alcançados com a cepa vacinal desenvolvida em nosso laboratório (Bo[delta]abcBA), nossa hipótese é que a mesma possa ser um vetor para carreamento de epitopos protetores que possam induzir resposta protetora contra todas as espécies de Brucella spp. de relevância para os animais domésticos. Tal estratégia, absolutamente original, é muito relevante, pois a cepa Bo[delta]abcBA não causa doença no homem, não é patogênica para os animais (como demonstrado por nosso grupo) e possui LPS rugoso, não interferindo com as provas sorológicas de rotina. Portanto, essa cepa pode permitir o desenvolvimento da vacina ideal para o controle de brucelose. O primeiro passo para o desenvolvimento de uma vacina polivalente para brucelose com base nessa tecnologia é a avaliação de proteção em camundongos e de inocuidade e resposta imune em bovinos, que é a principal espécie de interesse econômico e zootécnico no Brasil. Além da brucelose bovina, que tem grande relevância econômica para o Brasil, a brucelose canina tem sido claramente negligenciada e carece de estudos e do desenvolvimento de ferramentas adequadas para seu controle. Recentemente, um estudo realizado por nosso grupo demonstrou que a infecção por Brucella canis em cães é muito freqüente, ultrapassando 20% dos cães neonatos de canis comerciais. Além disso, demonstramos que a B. canis tem distribuição pantrópica em órgãos de cães neonatos, aumentando o risco de infecção humana. Considerando que os genomas de B. ovis e B. canis são muito conservados, que ambas são espécies de Brucella com LPS naturalmente rugoso (sendo este um importante determinante antigênico) e que não há vacinas disponíveis para a prevenção da infecção por B. canis em cães, propomos a hipótese de que a cepa vacinal Bo[delta]abcBA, altamente eficaz para prevenção da infecção por B. ovis em carneiros, seja inócua para cães e indutora de resposta imune protetora contra a infecção por B. canis. Dados preliminares, ainda não publicados, demonstraram que a cepa Bo[delta]abcBA protege camundongos contra o desafio experimental com B. canis, indicando seu potencial protetor para o cão. Nesta etapa, avaliaremos a inocuidade da cepa vacinal em cães, visando posterior estudo de indução de resposta imune protetora. Embora a necessidade do uso de vacinas vivas tenha se tornado um quase dogma na brucelose, recente estudo de meta-análise realizado por nosso grupo, demonstrou que vacinas inativadas têm potencial protetor em hospedeiros naturais vacinados contra Brucella spp. Considerando a incomparável segurança oferecida por vacinas inativadas aos vacinadores, uma vez que há inúmeros casos de infecção humana por cepas vacinais, bem como o surgimento de novos adjuvantes que direcionam a resposta imune para uma resposta celular (tipo Th1), que é protetora no caso da brucelose, os resultados da meta-análise mencionados acima fazem com que a avaliação de protocolos vacinais baseados em vacinas inativadas torne-se atraente. Nosso objetivo geral de longo prazo é o desenvolvimento de novos protocolos vacinais para prevenção da brucelose em diferentes espécies animais, consequentemente mitigando o risco de brucelose humana. A presente proposta nos permitirá avançar em três frentes: (1) utilizar a cepa vacinal Bo[delta]abcBA como vetor superexpressando proteínas sabidamente imunogênicas e conservadas em todas as espécies clássicas de Brucella, para imunização de bezerras visando proteção contra infecção por B. abortus; (2) avaliar a inocuidade e imunogenicidade da cepa vacinal Bo[delta]abcBA para cães, visando proteção contra infecção por B. canis; e (3) avaliação de vacinas inativadas por irradiação associadas a adjuvantes de última geração.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renato de Oliveira Resende

Ciências Agrárias

Agronomia
  • vírus em forrageiras um problema emergente no brasil: caracterização biológica e molecular e desenvolvimento de estratégias de detecção e controle de doenças virais em forrageiras
  • A importância das pastagens no sistema produtivo brasileiro pode ser constatada pela área que abrangem. No Brasil, as pastagens cultivadas ocupam, aproximadamente, 120 milhões de hectares sendo que o mercado de sementes de forrageiras movimenta U$ 250 milhões, equivalente ao mercado de milho híbrido no país. A Região Centro Oeste tem um papel destacado nessa atividade agropecuária, que constitui uma fonte de riqueza importante para a economia local e nacional. Ressalta-se que ao longo das últimas três décadas a área de pastagens aumentou apenas 17%, enquanto que a produção de carne cresceu 114%. Tal fato se deve à adoção de novas tecnologias, como vacinação, melhoramento animal, mineralização do rebanho e técnicas de manejo das pastagens, mas, em especial, à utilização de novas cultivares de forrageiras. Plantas essas mais adaptadas, mais produtivas, resistentes a pragas e doenças, resultantes de lançamentos por instituições de pesquisa brasileiras. Em plantas forrageiras que representam a base da bovinocultura brasileira, uma importante atividade econômica do país, muito pouco se conhece sobre os danos causados por infecções virais. No entanto, nos últimos anos plantas com sintomas típicos de vírus tem sido frequentemente encontradas em várias espécies de forrageiras, tornando-se um problema fitossanitário potencialmente importante para o cultivo dessas plantas. Devido à alta frequência e severidade de doenças viróticas observadas no campo em plantas forrageiras, aliada a completa falta de conhecimento científico desse novo tipo de interação vírus/hospedeiro/vetor, nosso grupo de pesquisa na Universidade de Brasília, associado a Embrapa Gado de Corte, Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia e Embrapa Cerrados iniciou uma linha de pesquisa visando elucidar e solucionar esse novo desafio. O projeto que esta sendo apresentado ao CNPq foi elaborado para conhecer biologicamente e molecularmente os vírus que causam problemas em plantas forrageiras e as interações desses patógenos com distintas espécies de forrageiras e os possíveis vetores, visando, como objetivo final, o desenvolvimento de plantas resistentes como uma estratégia eficiente de controle dessas doenças virais. Para isso, várias técnicas biológicas e moleculares serão empregadas na caracterização biológica (gama de hospedeiros, dinâmica do processo infectivo, sorologia, microscopia eletrônica e confocal) e molecular (NGS, qRT-PCR, clones infectivos) dos vírus encontrados. Após a caracterização dos agentes etiológicos, o projeto visará o desenvolvimento de métodos de detecção e diagnose e principalmente estratégias de controle, como a geração de variedades tolerantes/resistentes de plantas forrageiras, unidas a boas características agronômicas. Portanto, o projeto pretende criar as bases necessárias para disponibilização para o setor produtivo, de genótipos resistentes das mais importantes forrageiras utilizadas no Brasil. O projeto possibilitará também, a consolidação de um Núcleo de Excelência na Região Centro Oeste, no estudo desse problema através do estímulo da cooperação científica entre as equipes participantes e formação e capacitação de recursos humanos na área de virologia e interações de vírus com plantas forrageiras e seus vetores
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 01/06/2017-28/02/2021
Foto de perfil

Renato Evangelista de Araujo

Engenharias

Engenharia Biomédica
  • desenvolvimento de biossensor óptico nanoestruturado para o diagnóstico de candidemia
  • No Brasil, candidemia é a quarta causa mais comum de infecção na corrente sanguínea em hospitais terciários, e sua ocorrência tem sido associada à longa permanência hospitalar e alta mortalidade. Faz-se relevante a busca por alternativas no diagnóstico rápido, preciso e de baixo custo na identificação de leveduras do gênero Candida em pacientes com candidemia. O diagnóstico precoce desta doença tem sido extremamente difícil, pois os sinais e sintomas clínicos não são específicos, o que leva ao retardo no diagnóstico e, consequentemente, ao adiamento na terapia antifúngica mais apropriada. Além disto técnicas microbiológicas tradicionais de cultura e métodos moleculares de identificação apresentam vários limitantes. O trabalho proposto visa desenvolver, avaliar e explorar plataformas ópticas nanoestruturadas para a identificação de candidemia. As plataformas de sensoriamento proposta baseiam-se no efeito Ressonância Localizada de Plasmons de Superfície, que surge da interação de nanoparticulas metálicas com luz. Identifica-se como contribuições científicas inovadoras do projeto a avaliação teórica e experimental do efeito de Ressonância Localizada de Plasmons de Superfície em diferentes nanomateriais, o estabelecimento de processo de funcionalização de nanoestruturas metálicas com a identificação de antígenos de Candida, a avaliação e o desenvolvimento de protótipo para leitura da plataforma de sensoriamento. O projeto proposto encontra-se em sinergia com o plano da instituição (UFPE) em fortalecer as atividades de pesquisa em Engenharia Biomédica.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2021
Foto de perfil

Renato Ferracini

Lingüística, Letras e Artes

Artes
  • angostura: memórias, esquecimentos, presenças, vida
  • A pesquisa é uma iniciativa integrada que, por meio da metodologia cartográfica e da tensão gerada entre a filosofia da diferença e a arte presencial visa a problematização, conceituação e produção sistematizada de um conjunto de práticas cujo foco é a construção de efeitos de presença. Para tanto o projeto divide-se em duas etapas complementares. 1) Uma pesquisa prático-artística que tem como objetivo a ampliação e redimensionamento tanto do conceito como dos procedimentos práticos da Mímesis Corpórea e do chamamos de Treinamento do Ator a partir de um acompanhamento do processo criativo chamado, inicialmente, de "Projeto Angostura" com a participação de 4 atores-pesquisadores do LUME, 2)Uma pesquisa prático-teórica envolvendo pesquisadores de mestrado e doutorado cujo tema básico a ser investigado será o da "Construção de Efeitos de Presença" a partir de pontos de vista variados.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renato Ferreira de Velloso Vianna

Ciências Exatas e da Terra

Matemática
  • subvariedades lagrangianas e teoria de gromov-witten aberta
  • Minha área de pesquisa é em geometria simplética. Meus interesses acadêmicos incluem subvariedades Lagrangianas, homologias de Floer, categoria/álgebras de Fukaya, “Mirror Symmetry”, fenômeno de “wall- crossing” (para discos J-holomórficos com fronteiras em Lagrangianas), fibrações quase-tóricas e teoria de Gromov-Witten (GW) aberta. Os subprojetos descritos a seguir são baseados nos tópicos acima descritos e suas relações: 1) Levantamento de Lagrangianas em divisores de Donaldson e seu superpotencial: Um divisor de Donaldson D pode ser exemplificado como uma subvariedade complexa de uma variedade Fano X, com certa propriedade. Estudamos o relacionamento entre o potencial (parte de invariente de GW aberto) de subvariedade Lagrangiana L em D, com o levantamento de Biran a uma subvariedade Lagrangiana L' em X. Pode-se entender esta como uma versão aberta de um Teorema de Givental-Coates para decendentes gravitacionais, que são invariantes de GW fechados de X relativo a D. 2) Investigar todos decendentes gravitacionais, generalização de invariantes de GW fechados de uma variedade simplética X, em termos de superpotencial de um tóro monótono Lagrangiano em X. 3) Generalização de fibrações quase-tóricas para dimensões maiores que 4: Fibrações quase tóricas, definidas em dimensão 4, mostraram-se extremamente eficazes em descrever a topologia simplética e entender aspectos da Categoria de Fukaya, bem como relações em Mirror symmetry, em particular através dos trabalhos de M. Gross et al. Exemplos avulsos de fibrações que devem ser consideradas quase-tóricas já aparecem na literatura, em particular em trabalho próprio. Uma formalização desta se faz necessária em dimensões maiores, incluindo generalização de operações como `nodal trade' e `nodal slide'. 4) Fibrações ainda mais singulares: Existem restrições topológicas para obter-se fibrações quase-tóricas. Porém, flexibilizando singularidades, pode-se obter fibrações Lagrangianas em diversos tipos de superfícies algébricas. De particular interesse, buscamos fibrações em superfícies de tipo geral, por exemplo, na hipersuperfície quintica de CP^3. 5) Fibrações quase-tóricas em `orbifolds': Estudar fibrações quase-tóricas em superfícies `orbifold' permitindo fibras nodais com singularidade da variedade ambiente X. Analizar mutações correspondentes, invariantes de GW abertos das fibras, fórmula de `wall-crossings' e mais. 6) Não deslocamento de família de tóros Lagrangianos em fibrados de linha positivos: Combinar trabalhos de Abreu-Macarini, Fukaya-Oh-Ohta-Ono, bem como Biran-Khanevsky e Diogo-Tonkonog-Vianna-Wu para estudar não deslocamento de família de tóros Lagrangianos. 7) `Star-shapes' de Lagrangianas em variedades simpléticas não compactas, convexas no infinito: Espandir no trabalho recente com Shelukhin e Tonkonog, que estuda fluxos de isotopias de Lagrangianas para o caso acima mencionado. Gerar o análogo da função invariante \Psi neste caso, considerando cilindros holomórficos assimtopticos ao Lagrangiano e a órbitas de Reeb no infinito. 8) Outros trabalhos: Destaque especial para classificação de tóros Lagrangianos em CP^2 possivelmente usando técnicas de ECH (Embedded Contact Homology).
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renato Grillo

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • nanocarreadores hibridos para liberação controlada de herbicida: preparo, caracterização e destino no solo
  • O crescente avanço populacional junto a necessidade de produzir maior quantidade de alimentos no planeta, fez com que novas tecnologias pudessem ser exploradas, tornando as práticas agrícolas mais eficientes, sustentáveis e precisas. O desenvolvimento de nanocarreadores para encapsulação de pesticidas, é um exemplo disto, uma vez que vêm aumentando a eficácia e reduzindo a toxicidade de pesticidas no ambiente. Entretanto muitos nanopesticidas são inespecíficos, e pouco se conhece sobre os mecanismos de liberação e o destino deles no ambiente. Neste sentido, o presente projeto visa preparar e caracterizar nanocarreadores híbridos de poli(epsilon)caprolactona revestidos com quitosana, a fim de produzir um sistema de liberação inteligente responsivo ao pH para o herbicida atrazina. Também, nanopartículas de óxido de ferro serão incorporadas aos nanocarreadores para conferir propriedade magnética ao sistema, a fim de facilitar sua identificação no solo. Além disso, será comparado o destino do herbicida associado ou não aos nanocarreadores híbridos em diferentes valores de pH, através de ensaios de cinética de liberação in vitro em membrana artificial, cinética de sorção, mobilidade e lixiviação em coluna de solo. Dessa forma, este projeto poderá trazer avanços importantes para o entendimento da liberação e o destino de nanopesticidas no solo, bem como, contribuir para o desenvolvimento de uma nova formulação inteligente (responsiva ao pH) para a agricultura, proporcionando assim alternativas mais eficientes para o controle de pragas na agricultura.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renato Grillo

Ciências Humanas

Filosofia
  • i mostra científica de ilha solteira: “reuso e reciclagem de materiais”
  • A presente proposta visa a organização e realização da I Mostra Científica, em âmbito municipal, a ser realizada na cidade de Ilha Solteira - SP envolvendo a participação de estudantes da rede de ensinos fundamental I e II, ensino médio e ensino técnico, bem como familiares e comunidade em geral, cuja temática será “Reuso e Reciclagem de Materiais”. Essa é uma ação que conta com a colaboração conjunta da Coordenação do curso de Licenciatura em Física e do Programa de Pós-Graduação em Ciência dos Materiais, ambos da Unesp de Ilha Solteira, bem como da Secretaria Municipal e Estadual de ensino do Município. O objetivo da Mostra é promover o contato dos participantes com materiais que permitam mostrar como a ciência e a tecnologia estão articuladas e dialogam com a vida das pessoas, além de instigar a capacidade inventiva e investigativa dos estudantes desde cedo e possibilitar ações de comunicação entre ciência e sociedade, já que o tema sugere alternativas para a minimização das consequências da problemática do lixo e de ações de sustentabilidade, a qual depende diretamente da conscientização e ação da sociedade. A Mostra contemplará a apresentação de pôsteres e experimentos, os quais serão dispostos em um espaço amplo e aberto ao público em geral do município de Ilha Solteira – SP ou via mídias digitais caso ainda estejam implementadas as restrições sanitárias devido ao COVID-19. Os trabalhos a serem apresentados serão avaliados por um comitê científico e os seis melhores serão premiados de modo a promover um incentivo aos estudantes para a Ciência, através do desenvolvimento de projetos de natureza científica, acadêmica e cultural. Com isto se espera o fortalecimento do vínculo escola-universidade, ampliando, dessa forma, o interesse pela ciência, a geração de conhecimento e ações que possam trazer benefícios para o município e região.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 28/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

Renato Leão Rego

Ciências Sociais Aplicadas

Arquitetura e Urbanismo
  • a ideia de cidades satélites, a região urbana e o crescimento das cidades brasileiras. caracterização das manchas urbanas do norte do paraná, do norte de mato grosso, e do distrito federal.
  • Esta pesquisa trata de analisar a expansão urbana recente de conjuntos de cidades constituídos a partir da adaptação da deia de cidades satélites e reconhecer seus modelos de crescimento. De natureza histórico-interpretativa e baseada em estudo de caso múltiplo, esta contribuirá para a orientação de futuras ações de planejamento ao reconhecer a estrutura ambiental das regiões urbanas estudadas.
  • Universidade Estadual de Maringá - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renato Luiz Guerino Cunha

Ciências da Saúde

Medicina
  • seleção, desenvolvimento e validação de novos vetores para a manufatura de células de defesa geneticamente modificadas para o tratamento de pacientes portadores de mieloma múltiplo e leucemia mielóide aguda – um projeto br-cart-platform
  • Com o sucesso da terapia com células T CAR para neoplasias de células B, novos alvos têm sido investigados para inúmeras neoplasias que carecem de tratamentos inovadores com potencial curativo. O BCMA tem sido proposto como um alvo potencial para células T CAR em mieloma múltiplo e inúmeros outros para o tratamento de pacientes portadores de leucemia mielóide aguda. Recentemente, a American Society of Hematology apoiou a iniciativa de criar uma plataforma para desenvolver células T CAR com tecnologia 100% brasileira que permitiu selecionar novos clones scFv, com o objetivo de serem incorporados em novos vetores lentivirais. A identificação de novos anticorpos para os alvos humanos para as proteínas BCMA (MM) e CD123 ou CD99 (LMA) foi realizada com o uso biopainéis e biblioteca phage-display para a região scFv humana. As sequências de DNA dos clones scFv e as proteínas das regiões determinantes de complementariedade obtidas foram analisadas e comparadas com bases de dados universais. As sequências selecionadas apresentaram menos de 80% de similaridade e algumas foram consideradas inéditas, um indicativo de que os produtos de terapia avançada do presente projeto são originais e possuem alto potencial de registro de patentes. Assim, neste projeto objetiva-se: 1) validar através de novos vetores lentivirais e experimentos in vitro os novos clones scFv selecionados; 2) validar modelos animais para experimentos in vivo dos novos clones scFv e vetores lentivirais desenvolvidos e; 3) validar o processo de manufatura em sala limpa de acordo com as boas práticas de fabricação de vetores e células T CAR para uso clínico. Ao final, espera-se que a nova tecnologia brasileira seja traduzida para uso em protocolos de pesquisa clínica como novas opções de tratamento para pacientes portadores de MM e LMA e, ao mesmo tempo, se resultados clínicos satisfatórios, resultará em pedido de registro do produto celular junto à ANVISA com o objetivo de incorporá-lo ao Sistema Único de Saúde.
  • Fundação Hemocentro de Ribeirão Preto - SP - Brasil
  • 08/12/2020-31/12/2023
Foto de perfil

Renato Machado Cotta

Engenharias

Engenharia Mecânica
  • projeto aqua vitae: recuperação de calor rejeitado de sistemas térmicos e reaproveitamento em dessalinização de água por destilação com membranas superhidrofóbicas
  • As metas de desenvolvimento sustentável preconizadas pelas Nações Unidas tem estimulado nos últimos anos, no contexto da engenharia térmica, pesquisas científicas e tecnológicas em reaproveitamento de calor rejeitado com altas e baixas exergias, seja da geração de energia ou da indústria de processos em geral, em processos secundários alinhados com esses objetivos. Por outro lado, avanços em nano em micro-tecnologias, tem permitido aumentos de eficiência substanciais em processos de transferência de calor e massa, que sob determinadas condições econômicas e estímulos de conservação ambiental, podem levar a inovações para aproveitamento nesse contexto. O Projeto Aqua Vitae é uma proposta de pesquisa que se dedica à modelagem e análise de processos de destilação por membranas em contato direto (DCMD), visando a dessalinização de água a partir de recuperação de calor rejeitado em diferentes fontes. Além de propor um modelo melhorado para o processo de transferência simultânea de calor e massa em DCMD, a pesquisa pretende modificar membranas comerciais para introduzir características de superhidrofobicidade às superfícies em contato com as correntes quente e fria de água, bem como geometricamente micro-estruturar essas superfícies para intensificação da transferência de calor em cada lado, mitigando portanto o efeito de polarização de temperatura. As membranas modificadas serão então testadas em aparato experimental dedicado à avaliação da eficiência do novo processo e validação do modelo teórico proposto. Finalmente, módulos de membranas superhidrofóbicas serão montados para testes e demonstração na Unidade de Dessalinização por Membranas disponível na COPPE/UFRJ, com recuperação de calor de um coletor solar, de novo visando a validação do modelo matemático construído para todo o conjunto. Por último, análises termodinâmicas serão realizadas para avaliar a viabilidade técnica do emprego do processo DCMD otimizado a partir de diferentes fontes térmicas, como pequenos reatores modulares (SMR´s), motores de combustão interna estacionários ou marítimos, e painéis fotovoltaicos de alta concentração (HCPV´s).
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renato Mancini Astray

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • rede colaborativa do instituto butantan para o desenvolvimento de candidatos vacinais contra sars-cov-2
  • Apesar dos esforços mundiais recentes, ainda não existe uma vacina contra o Vírus da Síndrome Respiratória Aguda Grave do tipo 2 (SARS-CoV-2), o agente pandêmico da COVID-19, doença que já matou mais de 190 mil pessoas no mundo e 3.313 no Brasil até o dia 23 de abril de 2020. Propostas vacinais já em fase de testes e têm demonstrado a necessidade de desenho de antígenos e formulações mais precisas para atingir a imunidade protetora. O desconhecimento da imunologia e de aspectos básicos da interação patógeno-hospedeiro elevam o grau de empirismo dessas preparações vacinais precoces, resultando em produtos com pouca eficácia ou que tragam complicações pós-vacinais. Cabe lembrar que os candidatos mais avançados baseiam-se em vacinas genéticas, que até hoje não possuem sequer um produto licenciado para uso em humanos. Este cenário aponta para a necessidade do desenvolvimento de uma segunda geração de vacinas contra o SARS-CoV-2, baseadas em conhecimento científico mais estabelecido. Levando em consideração o desafio de se desenvolver uma vacina eficaz e segura contra o SARS-CoV-2, criamos a Rede Colaborativa para Desenvolvimento de Vacinas (RCDV) do Instituto Butantan (IBu), composta por laboratórios especializados em virologia, biologia molecular, imunoquímica, genética, biotecnologia e ensaios pré-clínicos. O fato de essa Rede estar abrigada no IBu, reconhecido produtor nacional de vacinas, dá o respaldo industrial necessário para colocar rapidamente no mercado uma nova vacina. No âmbito da RCDV, esta proposta se baseia no desenvolvimento de vacinas recombinantes de base proteica. Serão usadas múltiplas abordagens para a produção dos antígenos, na forma de virus-like particles (VLP) constituídas de proteínas estruturais inteiras (S, M, N e E) de SARS-CoV-2, vacinas de subunidades e quimeras proteicas. Essas abordagens permitirão descrever mais apropriadamente as propriedades imunogênicas de cada antígeno incluído na formulação. Para a avaliação dessas diversas abordagens, um centro estruturado de ensaios em animais do Instituto desenvolverá boa parte dos ensaios pré-clínicos necessários para a avaliação da toxicidade das preparações mais promissoras e da resposta imune. A consolidação da RCDV com o projeto de desenvolvimento de uma vacina contra o SARS-CoV-2 poderá resultar no desenvolvimento de uma preparação inovadora, com tecnologia nacional. A geração de conhecimento sobre a imunogenicidade das proteínas virais e do potencial uso desses antígenos apoiará o desenvolvimento de kits de diagnóstico, ou fabricação de anticorpos monoclonais e produção de soros hiperimunes. A RDCV se soma à recente iniciativa institucional pela construção de laboratórios multipropósitos e pilotos virais em condições BPL e BPF que visam dar ao país a estrutura necessária para uma resposta rápida a doenças emergentes.
  • Instituto Butantan - SP - Brasil
  • 16/07/2020-15/09/2022
Foto de perfil

Renato Márcio Ribeiro Viana

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • otimização de características de filmes de celulose bacteriana como curativos: modificação química e liberação de fármacos mediada por polímeros e lipossomas
  • A celulose bacteriana é um biopolímero natural com excelentes propriedades direcionadas para o campo biomédico, como biocompatibilidade, retenção de água e resistência mecânica. Seu sucesso como biomaterial faz com que ela já seja utilizada na prática clínica atual, como por exemplo, curativos de feridas ou pele artificial. Nosso grupo de pesquisa multidisciplinar vem trabalhando nos últimos anos com ferramentas bioquímicas e químicas para conferir-lhe novas propriedades, sem afetar as suas características naturais de interesse clínico. Nos últimos anos avançamos no conhecimento metodológico de como introduzir espaçadores químicos, passíveis de serem funcionalizados por outras biomoléculas, somente em sua superfície sem alterar significantemente sua macroestrutura. Neste projeto, nós apresentamos uma proposta de melhoramento de uma característica deste biomaterial: atividade antimicrobiana intrínseca. Para isto, estamos propondo a liberação de agentes antimicrobianos de duas formas (combinadas ou não): pelo enxerto de cadeias poliméricas do tipo poliisopropilacrilamida na superfície destes filmes e pelo uso de lipossomas encapsulando fármacos. A hipótese de liberação de antibiótico está baseada no fato de que o polímero a ser enxertado sofre uma transição de fase de temperatura crítica inferior, ou seja, a baixo de aproximadamente 32 C ele absorve água e acima desta temperatura ele a expulsa. Como a temperatura da pele está acima da citada anteriormente, filmes previamente expostos a soluções contendo antibióticos seriam capazes de expelir seu conteúdo quando aplicados em uma ferida. Por outro lado, lipossomas se fundem facilmente à membrana bacteriana, liberando mais facilmente seu conteúdo nas células alvo. Para confirmar tal hipótese, prepararemos tais filmes, caracterizaremos pelas técnicas corriqueiras e faremos ensaios de absorção e liberação de antibiótico. Estas membranas serão avaliadas em ensaios antimicrobianos e em relação a sua compatibilidade com células de fibroblastos e em modelo de cicatrização.
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renato Mitsuo Nagata

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • diversidade morfo-funcional de medusas scyphozoa: uma análise do sistema locomotor-alimentar
  • Medusas de Scyphozoa, as águas-vivas, se destacam pelo grande tamanho e eventual abundância em áreas costeiras, onde ocupam nichos distintos e relevantes. Esses animais foram os primeiros metazoários a desenvolverem a natação por propulsão através da força muscular. Apesar da limitação na produção de força devido a simplicidade estrutural de seus tecidos, cifomedusas desenvolveram estratégias locomotoras de baixos custos energéticos aliadas às mecânicas de captura de presas efetivas e distintas. As contrações umbrelares (pulsações) que promovem o impulso natatório integram o sistema locomotor-alimentar ao transportar fluidos contra as superfícies de captura (tentáculos e braços orais) aumentando as taxas de encontro com presas. O objetivo do projeto será testar a hipótese de que a diversidade morfológica da umbrela de cifomedusas é alta, devido a flexibilidade para o desenvolvimento de formatos pouco eficientes e neutros para a natação, porém funcionais para a alimentação. Variações no morfoespaço de cifomedusas serão quantificadas através de medições lineares e da Análise Elípitica de Fourier, um método de morfometria geométrica aplicado a descrição de contornos. Parâmetros biomecânicos da cinemática e performance da natação serão compilados de publicações e novos dados serão produzidos para representantes de famílias ainda não estudadas através de técnicas videográficas. Em uma análise morfo-funcional comparativa, será avaliado se a performance natatória está associada a variação no formato das estruturas umbrelares e pós-umbrelares através de uma Análise Fatorial de Dados Mistos. Também será avaliado se padrões morfológicos e biomecânicos podem ser indicativos de dieta, modo de forrageio e distribuição geográfica, através de uma Análise de Variância Multivariada filogenética e da Análise Discriminante Flexível. Por fim, considera-se que os resultados desse estudo aumentarão a compreensão sobre a diversidade de planos corporais em uma perspectiva funcional, demonstrando soluções biomecânicas, fomentando o entendimento sobre a coevolução dos sistemas locomotor e alimentar em Scyphozoa, a partir de uma abordagem inédita no grupo.
  • Universidade Federal do Rio Grande - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renato Nallin Montagnolli

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • pré-tratamentos aplicados à produção de biocombustíveis a partir de resíduos agroindustriais da região de araras - sp
  • A região de Araras tem potencial de disponibilidade de resíduos agroindustriais alternativos aos cana de açúcar. A produção de laranja e outras frutas conta com a participação da citricultura, indústria, e pequenos produtores locais. Desta forma, os resíduos gerados podem fornecer matérias-primas para a produção de biocombustíveis de segunda geração. A forma mais eficaz para obtenção de energia renovável é o uso de biocombustíveis. Biocombustíveis de segunda geração são produzidos a partir de uma grande variedade de matérias-primas, que vão desde matérias-primas lignocelulósicas a gordura animal e de resíduos sólidos urbanos. Em outras palavras, os biocombustíveis de segunda geração são obtidos a partir de matérias-primas não-comestíveis, como madeira, resíduos de madeira, cascas de frutas e culturas de plantas não utilizadas como alimento. Esse aspecto é importante para garantir a sustentabilidade da produtividade agrícola regional. Os micro-organismos são um componente-chave para a tecnologia utilizada em diferentes regimes de fermentação na produção de biocombustíveis de segunda geração, incluindo o bioetanol. A produção de bioetanol a partir de biomassa lignocelulósica compreende os seguintes passos: hidrólise da celulose e hemicelulose, fermentação de açúcar, separação do resíduo de lignina e, finalmente, a recuperação e purificação do etanol para atender às especificações de combustível. A tarefa de hidrolisar lignocelulose para monossacarídeos fermentáveis ainda é tecnicamente problemática pois a digestibilidade da celulose é dificultada por muitos fatores. Devido a estas características estruturais, o pré-tratamento é um passo essencial para a obtenção de açúcares fermentáveis. Este projeto de pesquisa propõe o pré-tratamento como um passo fundamental para alterar as características estruturais da lignocelulose, aumentando a susceptibilidade de açúcares à ação enzimática e consequentemente maior rendimento da fermentação. Nesse contexto, será avaliada a influência de pré-tratamentos físico-químicos e biológicos em diferentes substratos para produção de biocombustível de segunda geração a partir de resíduos agroindustriais disponíveis na região de Araras e na mesoregião de Piracicaba. Além disso, será considerada a desliginificação e a hidrólise enzimática dos açúcares gerados. A perspectiva de expansão na produção de bioetanol gera também a necessidade de métodos eficientes e baratos para quantificação dos produtos na mistura de fermentação. Para isso, alternativas de menor custo efetivo como o uso da variação da densidade do meio para determinação dos produtos em laboratório serão propostas.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renato Paes de Almeida

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • reconstrução de sistemas aluviais responsáveis pelos depósitos das áreas não inundáveis da amazônia ocidental
  • Este projeto apresenta uma proposta de pesquisa para resolver questões ligadas à evolução do sistema fluvial amazônico e dos depósitos construídos pelos canais aluviais, que produziram o substrato de uma das áreas de maior biodiversidade da biosfera. O rio Amazonas drena a maior bacia hidrográfica existente, seus tributários possuem grande extensão e características hidrológicas distintas, uma decorrência de fatores como as diferentes áreas fontes de sedimentos, dentre as quais destaca-se a cadeia andina. A resposta fluvial ao soerguimento diferencial dos setores andinos se deu na forma dos depósitos sedimentares das terras baixas, que descrevem a história de construção da atual paisagem amazônica. Os terrenos da Amazônia Ocidental são representativos dessa história, e a diversidade de episódios fluviais registrados nesta região ilustra a complexidade do estudo sedimentar da bacia. Existe ainda uma lacuna descritiva e explanatória em relação aos processos vinculados à origem desses terrenos, desse modo a evolução do sistema amazônico de acordo com episódios fluviais claramente descritos e datados segue indefinida na literatura. Este projeto demonstra como será conduzida a pesquisa para resolver o problema de como esses terrenos evoluíram, e descreve como a investigação será conduzida a partir da análise de novos dados ligados aos paleocanais da Amazônia; de métodos modernos para produzir dados de paleohidrologia; de modelos numéricos para caracterização ampla do sistema hidrográfico; da datação dos depósitos que formam o relevo amazônico; e do acesso direto às seções sedimentares de uma área representativa dos eventos fluviais importantes para a definição da paisagem atual. Ao fazer uso de métodos de acordo com as pesquisas de ponta em processos e depósitos superficiais, e ao produzir informação que pode mudar significativamente o entendimento da evolução da paisagem amazônica, este projeto tem potencial para contribuir à pesquisa sobre a Amazônia, em diversas áreas do conhecimento, com produção de dados relevantes e desenvolvimento de métodos originais.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renato Raul Boschi

Ciências Humanas

Ciência Política
  • inct de políticas públicas, estratégias e desenvolvimento
  • O Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento (INCT/PPED) tem como principal objetivo contribuir para a renovação conceitual e instrumental da ação pública comprometida com o desenvolvimento. A partir da constatação das mudanças no cenário internacional que vêm ocorrendo desde o início do século XXI, tornou-se evidente a necessidade de adaptação do Estado e de suas políticas ao novo contexto, bem como a importância de estratégias inovadoras do governo, de outros atores sociais e, especialmente, das empresas. O projeto INCT/PPED pretende responder ao duplo desafio de inovar na interpretação dos processos em curso - através da atualização da matriz conceitual relativa ao entendimento dos processos de desenvolvimento - bem como de subsidiar a ação pública governamental através da renovação das formas de intervenção pública em matéria de desenvolvimento econômico. Esse duplo desafio se concretiza num conjunto de ações de amplo impacto nos planos: da pesquisa e da interpretação; da capacitação, através do ensino e da produção discente; da ampla e irrestrita difusão de resultados; da construção de elos entre as múltiplas redes onde os professores participantes do INCT/PPED já constituem lideranças acadêmicas, tanto no plano nacional quanto internacional; do compromisso de subsidiar os processos de implementação de políticas de desenvolvimento. Tanto no plano doméstico como no internacional existem novas tendências pesadas que atribuem uma maior complexidade ao quadro que caracterizou a situação do Brasil na primeira década de 2000. Se por um lado os avanços no plano doméstico foram importantes, principalmente a partir da construção de um modelo de crescimento dinamizado pelo mercado interno e com forte inclusão social, o aumento de renda ocorrido na última década abriu espaço para novas demandas sociais que exigem políticas públicas mais assertivas, estruturantes, inclusivas e participativas. Por sua vez, já no plano internacional, a crise dos países centrais, originada na especulação financeira dos derivativos nos Estados Unidos, resulta muito mais que um simples gargalo no crescimento: expressa uma re-acomodação estratégica nas relações de poder no sistema mundial. Frente ao mundo unipolar, liderado pelos Estados Unidos, começa a tomar forma um sistema multipolar que abre janelas para se repensarem desafios e oportunidades no grau de atuação dos Estados (especialmente aqueles situados na semi-periferia com maior capacidade relativa de agência) no sistema internacional de fluxos comerciais, financeiros e de circulação de tecnologia. Há evidências de que o contexto presente é caracterizado por enormes possibilidades e oportunidades típicas de momentos de crise e redefinição de paradigmas. No entanto, tudo indica que o atual ciclo de crescimento dependeria fortemente da geração de vantagens no plano institucional e das capacidades estatais de cada país, pensadas em termos democráticos, ambientalmente sustentáveis e socialmente inclusivas. A nova proposta do trabalho do INCT/PPED pretende articular um marco teórico e conceitual que, tendo em conta o trabalho realizado até hoje, defina as linhas de atuação do instituto para os próximos seis anos, com o objetivo de proporcionar instrumentos que permitam dar uma resposta adequada às novas exigências que, tanto no plano doméstico como internacional, se colocam no processo de desenvolvimento do Brasil e de outros países emergentes. Para tanto, as linhas de pesquisa que definiram o trabalho do INCT/PPED nos últimos cinco anos foram reformuladas e atualizadas no intuito de, a partir de uma postura inovadora, poder subsidiar processos de formulação e implementação de políticas públicas. No atual contexto consideramos essencial poder dar uma resposta efetiva de política pública nos planos da inovação, do agronegócio, da área de sustentabilidade ambiental, e da política externa e cooperação internacional. Tendo em vista a consecução destes objetivos em sua acepção mais geral, nossa proposta se subdivide em quatro linhas de pesquisa. A primeira linha de pesquisa (Capacidades Estatais, Políticas Públicas e a Dimensão Institucional) abrange e unifica, a partir do conceito de capacidades estatais, as outras três linhas de pesquisa, destinadas a analisar especificamente três dimensões que se revelam fundamentais para o desenvolvimento brasileiro no atual contexto histórico: a dinâmica do agronegócio, a questão da sustentabilidade ambiental e inserção externa do País. A linha de pesquisa 2 (Políticas de inovação, fronteiras tecnológicas e coalizões de interesse: a dinâmica da agricultura em perspectiva comparada) integra-se com a discussão teórica de capacidades estatais na medida em que persegue as escolhas de caminhos nacionais próprios e singulares no que tange às políticas de inovação, com particular foco na área do agronegócio. A linha de pesquisa 3 (Governança de Bens Comuns e Serviços Ecossistêmicos na Economia Sustentável) procura formular diretrizes para políticas públicas inovadoras voltadas à governança de bens públicos em diversos contextos territoriais, contemplando as agendas verde (biodiversidade, serviços ecossistêmicos); cinza (energia, mudanças climáticas, ambiente urbano); e azul (recursos marinhos). Tal perspectiva adotará uma abordagem interdisciplinar e comparada ao referir-se à regulação dos comuns globais. Finalmente, a linha de pesquisa 4 (Política Externa, Regionalismo e Cooperação Internacional) focalizará três dimensões da inserção internacional do Brasil e em perspectiva comparada com outras potências emergentes: política externa, processos de regionalismo e a cooperação internacional. O projeto anexo neste formulário contém a descrição detalhada do programa e de cada uma das linhas de pesquisa.
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 23/11/2016-30/11/2022