Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Sydia Rosana de Araujo Oliveira

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • obesidade infantil: avaliação sobre a implementação de intervenções complexas
  • A prevalência da obesidade infantil representa um desafio global urgente. A Comissão da Organização Mundial de Saúde (OMS) para acabar com a obesidade infantil propõe a implementação de um pacote integrado de recomendações ao longo da vida para fornecer serviços de prevenção e controle; no entanto, poucos estudos têm se debruçado para compreender como as intervenções são implementadas e mantidas ao longo do tempo. No Brasil, nasce a academia da saúde com o objetivo de garantir comunidades mais saudáveis, integrando ações de saúde pública na Atenção Primária dentro dos espaços onde as pessoas vivem, trabalham, estudam e se divertem. Este tipo de intervenção se mostra efetiva quando se pretende abordar agravos multicausais como é o caso da obesidade, principalmente a que incide em crianças e jovens. A obesidade infantil está presente nas diferentes faixas econômicas no Brasil. Pesquisas mostram este problema crescendo em escala nacional, no entanto, em estados mais pobres como os da região nordeste, estes são mais escassos e geralmente são feitos com populações muito específicas ou com escolares. Mais escassos ainda, são os trabalhos que enfatizem o processo de implementação de políticas de controle da obesidade infantil. O objetivo desta pesquisa será avaliar o processo de implementação do controle da obesidade infantil, a partir da investigação de uma intervenção local. Trata-se de uma pesquisa avaliativa, que utilizará de modelo lógico da intervenção, cinco dimensões da avaliação: alcance, eficácia/efetividade, adoção, implementação e manutenção, além dos fatores contextuais da implementação. Os dados serão produzidos a partir de pesquisa documental, base de dados da intervenção e entrevistas semiestruturadas e em profundidade com os envolvidos. A análise temática das respostas qualitativas das entrevistas será realizada e triangulada com os dados quantitativos. Integrará o estudo o Programa Bom dia, intervenção realizada pelo Programa Academia da Cidade, em Recife.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Sylvia do Carmo Castro Franceschini

Ciências da Saúde

Medicina
  • estado nutricional de iodo, sódio e potássio no grupo materno-infantil brasileiro: um estudo multicêntrico
  • Introdução: Durante os períodos de gestação e lactação, alterações fisiológicas importantes impõem um aumento nas demandas dietéticas materna ameaçando o equilíbrio metabólico do iodo.Estudos recentes têm evidenciado que a excreção mediana de iodo urinário em escolares, atualmente recomendada como indicador da nutrição de iodo na população, pode não ser representativa de segmentos populacionais específicos como gestantes e mulheres em lactação. Neste sentido fica evidente a necessidade de estudos direcionados especificamente a estes grupos que visem não apenas a identificação de prevalências da deficiência iódica mas também a compreensão dos determinantes associados à sua distribuição. Objetivo: Avaliar os fatores associados ao estado nutricional de iodo, sódio e potássio em gestantes, nutrizes e lactentes em diferentes regiões brasileiras. Metodologia: Trata-se de um estudo epidemiológico, observacional, de base populacional e recorte transversal realizado em 13 centros com representatividade em cada macrorregião brasileira. Serão estudas por meio de recortes transversais 5430 gestantes em diferentes idades gestacionais e 4911 nutrizes e seus lactentes entre 15 e 60 dias após o parto selecionados por amostragem estratificada em dois estágios. Serão convidadas a participar do estudo as gestantes e nutrizes residentes na zona urbana dos municípios amostrados e usuárias da rede pública de saúde. O levantamento das informações sociais, econômicas, demográfica e de saúde será realizado mediante aplicação de um questionário semi estruturado. Os dados de consumo alimentar serão obtidos por meio de aplicação de um Questionário de Frequência e Consumo Alimentar (QFCA). A análise do conteúdo urinário de iodo, sódio e potássio será realizada pelo método ICP-MS utilizando-se um espectrômetro de massa no Laboratório de Análises Clínicas e Toxicológicas da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo em Ribeirão Preto. Serão consideradas deficientes as gestantes que apresentarem iodúria < 150 µg/L e nutrizes e lactentes com iodúria < 100 µg/L. As análises do teor de iodo no leite materno e alimentos regionais será realizada por espectrofotometria utilizando-se o método proposto por Sveikina e modificado por Moxon e Dixon (1980) no Laboratório de Análises de Alimentos do Departamento de Tecnologia de Alimentos da Universidade Federal de Viçosa. O teor de iodo no sal de consumo domiciliar será obtido por titulação, sendo consideradas adequadas as amostras que apresentarem níveis de iodo entre 15 e 45 mg/kg de sal. As análises ocorrerão no Laboratório de Tecnologia e Biomassa do Cerrado. Para análise estatística inicialmente será apresentada uma análise descritiva com frequências absoluta e relativa, medidas de tendência central e dispersão. Visando a identificação dos fatores de risco associados à deficiencia iódica entre gestantes, nutrizes e lactentes será realizada uma análise univariada (testes t de student, Mann Whitney e qui quadrado) seguida de análise multivariada na qual será aplicado um modelo hierarquizado por meio de regressão de Poisson. O teste adotado será o qui-quadrado de Wald e a medida de risco avaliada a razão de prevalência, com intervalo de confiança de 95%. A avaliação da influência dos condicionantes maternos como iodúria materna durante lactação e teor de iodo no leite sobre a concentração de iodo urinário dos lactentes será realizada por meio de Regressão Linear. O teste aplicado será o teste t a um nível de significância de 0,05 e a magnitude do efeito de cada variável expositiva sobre a iodúria dos lactentes mensurada pelos coeficientes beta padronizados e seus respectivos intervalos de confiança de 95%. O mesmo procedimento analítico será adotado para verificação dos fatores correlacionados aos níveis urinários de sódio e potássio entre gestantes, nutrizes e lactentes. A qualidade do ajuste do modelo explicativo final será analisada pelo R quadrado ajustado e análise de variância aplicando-se o teste F a um nível de significância de 0,05. O presente estudo será submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Viçosa (UFV – MG) para apreciação do cumprimento dos princípios éticos na condução de pesquisas envolvendo seres humanos conforme a Resolução 466 de 12 de dezembro de 2012 do Conselho Nacional de Saúde.
  • Universidade Federal de Viçosa - MG - Brasil
  • 24/11/2017-30/04/2021