Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Simone Costa Nunes

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • gestão da diversidade e inclusão de pessoas com deficiência: análise do papel de recursos humanos
  • Este projeto de pesquisa tem como objetivo analisar como as áreas de Recursos Humanos (RH) percebem a gestão da diversidade e inclusão de pessoas com deficiência e em que medida vêm cumprindo seu papel como responsáveis pela implementação de políticas e práticas para sua efetividade. Embora o acesso ao trabalho seja um direito civil individual, na maioria das vezes, as pessoas com deficiência encontram obstáculos para ingressar no mercado laboral. Especialmente a partir dos anos 1990, um conjunto de leis e decretos-lei específicos vêm sendo sancionados no Brasil para garantir o direito e acessibilidade ao mercado de trabalho de pessoas com deficiência. Dentre as leis mais difundidas no mercado, encontram-se a Lei de Cotas nº 8.213, de 1991 que se constituiu como um marco para as práticas de inclusão, obrigando que as organizações também ofertassem oportunidades de trabalho abrangendo pessoas com deficiência, e a Lei no. 8.112, de 1990, que assegura às pessoas com deficiência o direito de se inscreverem em concurso público para provimento de cargo. Entretanto, apesar de toda sua importância, a legislação não teve ainda o poder de transformar a sociedade, já que a sensibilização e efetiva aceitação das pessoas, especialmente no universo organizacional, ainda se encontram alicerçadas em práticas discriminatórias. Tal realidade inclui profissionais das áreas de Recursos Humanos das empresas dos quais se esperariam atitudes e ações de inclusão baseadas no desenho de políticas e práticas voltadas para a melhor adaptação deste público às realidades organizacionais. Entretanto, o que se observa, é uma ainda incipiente ação das empresas nessa direção, e uma baixa incidência de estudos sobre o tema, no caso da academia. Para o desenvolvimento da pesquisa propõe-se uma abordagem qualitativa e quantitativa, com a definição de etapas que incluem: (1) levantamento bibliográfico sobre o tema diversidade e inclusão de pessoas com deficiência; (2) Sistematização e análise de dados secundários da publicação do Guia “As Melhores Empresas para Você Trabalhar” (MEPT) no qual consta item específico sobre diversidade; (3) Sistematização e análise de dados secundários do “Guia Exame de Diversidade”, cuja publicação objetiva reconhecer as melhores práticas empresariais em políticas e ações junto aos públicos diversos; (4) Aplicação do Índice de Maturidade em Gestão Inclusiva (IMGI) nas empresas selecionadas a partir da avaliação dos resultados constantes na MEPT e no Guia Exame de Diversidade; (5) Seleção das empresas para estudo de caso em profundidade; (6) Análise documental das empresas selecionadas; (7) Definição de respondentes e realização de entrevistas e grupos de foco; (8) Análise dos dados; (9) Devolutiva da pesquisa aos envolvidos. A relevância e contribuição desta pesquisa estão na ampliação do conhecimento sobre a temática da diversidade e, em especial, da inclusão de pessoas com deficiência no contexto empresarial brasileiro, contribuindo para que as possibilidades de uma adequada inclusão sejam ampliadas no mercado de trabalho. O papel das áreas de Recursos Humanos nas empresas, nesse sentido, é fundamental, de modo a sensibilizar e garantir as contratações, além de promover a inclusão no ambiente laboral.
  • Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Simone Cristina Baggio Gnoatto

Ciências da Saúde

Farmácia
  • síntese de peptidomiméticos com atividade antibiofilme
  • A capacidade das bactérias em formar biofilmes provoca uma grande dificuldade na terapia antimicrobiana, pois as células bacterianas em biofilmes são extremamente resistentes ao tratamento com antibióticos como também a resposta imunológica do hospedeiro se torna deficiente. Estes fatos têm incentivado a uma contínua busca por novos fármacos antibiofilmes de forma que possam vencer as limitações existentes nos fármacos atuais. Neste contexto, os peptídeos vêm sendo estudados nas últimas décadas e têm demonstrado considerável atividade antibiofilme. Nosso grupo de pesquisa vem trabalhando na hipótese de encontrar peptídeos bioativos naturais e sintéticos e excelentes resultados foram obtidos. No entanto, em função da baixa estabilidade proteolítica dos peptídeos, estes compostos têm um interesse terapêutico moderado. Desta forma, eles servirão como fonte de inspiração para a síntese de compostos miméticos, os AApeptídeos. Essa é uma abordagem recente e inovadora. O termo AApeptídeo se inspirou de N-Acila-N-Aminoetilaminoácidos. Comparados aos peptídeos, uma unidade repetida no AApeptídeo é estruturalmente similar à dois resíduos adjacentes de um peptídeo, no qual há duas cadeias laterais, uma é a cadeia regular de um α-aminoácido enquanto a segunda provem de um resíduo de um ácido carboxílico ligado a um átomo de nitrogênio terciário. Cada AApeptídeo possui o mesmo número de grupos funcionais que o peptídeo convencional com uma cadeia carbônica de mesmo tamanho. Ainda, cada átomo de nitrogênio, secundário ou terciário, faz parte de uma ligação amida. Esta família de peptidomiméticos apresenta assim, similaridades desejadas aos peptídeos sem os seus inconvenientes. Os AApeptídeos serão sintetizados com base na estrutura dos peptídeos que já demonstraram atividade antibiofilme e terão seu atividade avaliada. Buscamos, com este projeto, uma terapia contra a formação de biofilmes patogênicos e uma nova classe química de fármacos, visto que não existe no mercado um fármaco com estas características.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022