Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Sue Anne Regina Ferreira da Costa

Ciências Sociais Aplicadas

Museologia
  • musealização do geopatrimônio amazônico no pará: renovando acervos e afetos
  • As microregiões do Salgado e Bragantina do Estado do Pará possuem a maior concentração de fósseis capazes de reconstruir o Oceano Atlântico na Amazôniahá 23 milhões de anos atrás. A escassez de recursos para aquisição de fósseis nos acervos trouxe problemas com relação ao número de espécimes incluídos nas coleções para salvaguarda e,conseqüente, a interrupção do desenvolvimento de pesquisas que auxiliam a compreensão dos ecossistemas. Também a ausência da “equipe do museu”, conciliada com a ausência de dados e de ações que possibilitem a elaboração de políticas públicas efetivas, acabou por criar um distanciamento das comunidades com esse patrimônio, gerando nos últimos anos descasos que facilitaram a destruição silenciosa de alguns sítios, bem como osilenciamento das percepções nativas sobre esse patrimônio. Portanto, este projeto tem como objetivos principais:intensificar e aprimorar as ações de musealização do geopatrimônio nessas localidades ;identificar e analisar as relaçõesdos envolvidos no processo de apropriação social do patrimônio geológico dessas microregiões. Além de incrementar os acervos de 3 instituições, UFPA, MPEG e UNAMA. E com isso viabilizar uma diversidade científica, tangenciada por incremento de coleções e conhecimentos de diferentes ordens - geológica, museológica e tradicional.
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Sueli Fumie Yamada Ogatta

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • desenvolvimento de testes diagnóstico para o enfrentamento da covid-19: estratégias de diferenciação de outras síndromes respiratórias agudas graves aplicadas ao sus
  • COVID-19 é uma síndrome respiratória aguda grave (SRAG) potencialmente fatal causada pelo vírus envelopado de RNA fita simples SARS-CoV-2 (Severe Acute Respiratory Syndrome Coronavirus 2) que apresenta altas taxas de transmissão e infecção. Devido esta característica, se disseminou rapidamente para muitos países e foi declarada como pandemia em março de 2020 pela Organização Mundial da Saúde. O sucesso na contenção da disseminação da COVID-19 em alguns países tem sido relacionado, além do isolamento social, ao elevado número de testes realizados para detecção de SARS-CoV-2 na população. De fato, para o controle das doenças infecciosas, o diagnóstico do agente etiológico é crucial para o estabelecimento de um tratamento adequado e assim evitar complicações ao paciente; bem como, de medidas eficientes de controle da transmissão do agente. Neste cenário, um dos desafios atuais da comunidade científica é a busca por diagnósticos rápidos e específicos para SARS-CoV-2. Assim, este projeto tem como objetivo o desenvolvimento de metodologias inovadoras de baixo custo para diagnóstico de COVID-19 baseadas em diferentes estratégias: a) desenvolvimento de dispositivos para diagnóstico point of care baseados na tecnologia de impressão molecular de polímeros biomiméticos. Nesta metodologia, materiais poliméricos realizam o reconhecimento específico por formarem cavidades que são complementares em tamanho e forma ao agente infeccioso e mimetizam o sistema de reconhecimento biológico baseado em afinidade, como o que ocorre no sistema antígeno/anticorpo. Dois dispositivos serão padronizados cujo reconhecimento dessa interação será detectado por reações eletroquímicas (sensores) e colorimétricas visíveis a olho nu (fluxo lateral); b) desenvolvimento de multiplex em tempo real para diagnóstico diferencial de SARS-CoV-2 e outros agentes virais causadores de SRAGs. Em contraste aos métodos disponíveis baseados em amplificação de ácidos nucleicos que utilizam sondas de hidrólise, a especificidade do método proposto será obtida a partir de uma curva de melting dos amplicons gerados; esta estratégia diminui os custos associados ao teste; c) desenvolvimento de um kit para diagnóstico imunológico baseado em imunoabsorção enzimática (Antigen down ELISA) utilizando anticorpos IgY. Os anticorpos IgY são facilmente produzidos em galinhas poedeiras e obtidos a partir dos ovos em grande quantidade, comparado aos obtidos em mamíferos. Esses anticorpos, além de serem utilizados em testes de diagnóstico, podem ser estudados quanto a sua aplicação na imunoprofilaxia da COVID-19. A equipe desta proposta é multidisciplinar, envolvendo pesquisadores da Universidade Estadual de Londrina, Universidade Estadual de Maringá, Instituto Carlos Chagas/FIOCRUZ, Instituto de Biologia Molecular do Paraná e Universidade de São Paulo que dominam as técnicas que serão utilizadas no seu desenvolvimento. Além disso, conta com profissionais da saúde de Hospitais (HU-UEL e Evangélico) e Instituto Inspirar (especializado em atendimento a doenças respiratórias) para auxiliar na validação e análise de performance dos métodos. A combinação das atividades desta proposta pode estar associada a várias vantagens como: geração e disseminação do conhecimento científico; desenvolvimento de produtos inovadores de forma econômica e sustentável para o enfrentamento de surtos, endemias, epidemias e pandemias; acesso à população atendida pelo Sistema Único de Saúde (SUS); diminuição dos custos de assistência à saúde; e principalmente um prognóstico melhor para os pacientes acometidos por estas enfermidades. Do ponto de vista tecnológico, e devido às características dos produtos gerados podem ser mais acessíveis e, dessa forma, mais competitivos com os produtos já existentes. Assim, diversas empresas nacionais e multinacionais que atuam em inovação, desenvolvimento e aplicação de diferentes materiais e/ou processos, serão beneficiadas com o desenvolvimento do estudo e poderão ser tornar parceiras.
  • Universidade Estadual de Londrina - PR - Brasil
  • 16/07/2020-15/08/2022