Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Theo Luiz Ferraz de Souza

Ciências Humanas

Filosofia
  • ii feira de ciência, tecnologia e inovação em saúde
  • Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde (FECTIS) é um projeto de Extensão da UFRJ que promove a integração de Universidade-Escola, em contato com a sociedade, na busca da criação de produtos inovadores para abordar e minimizar problemas atuais de saúde pública. Seu principal objetivo é despertar o interesse de estudantes para a ciência, tecnologia e inovação em temas de Saúde Pública, trazer noções dos seus impactos na sociedade e em políticas públicas, e promover o desenvolvimento do pensamento científico, crítico, argumentativo e criativo. Com intuito de promover formação inicial sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde, além de promover o entendimento, adaptação, motivação e noções desejadas e essenciais para um melhor desenvolvimento dos projetos, assim como para “filtrar” os alunos mais interessados e engajados à proposta de desenvolvimento do projeto, a realização do curso de Extensão “Iniciação à Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde” será pré-requisito para participação em equipes no projeto. O curso será interativo com mesas redondas que envolverá apresentações iniciais para abordar conteúdos e levantar reflexões na área da Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde, seguido por discussões de casos gerais, para os participantes alunos e professores da Educação Básica. Aspectos básicos do método científico e da metodologia ativa design thinking serão bastante explorados e discutidos com exemplos e discussão de casos, de forma a trazer senso crítico e criativo na produção de conhecimento científico e na resolução problemas. A metodologia ativa design thinking vem do encontro com os avanços da ciência e da tecnologia e a necessidade de ir além das fronteiras que visam desenvolvimento de produtos e processos. Adicionalmente, os temas inovação tecnológica, inovação social, tecnologias sociais, tecnologias digitais da informação e comunicação, políticas públicas em saúde, e sustentabilidade serão apresentados e discutidos. Assim, além da integração organizada, interdisciplinar, interprofissional e interinstitucional de Instituições da Educação Básica e de Instituições do Ensino Superior, a formação inicial promoverá o engajamento e empoderamento dos participantes no desenvolvimento dos projetos sendo um grande diferencial. Após a formação das equipes e desenvolvimento dos projetos, o evento II FECTIS visa a apresentação e a divulgação dos produtos desenvolvidos para todos os participantes do projeto e para a Sociedade em geral, de forma a levar a promoção da saúde e do autocuidado. Devido à pandemia COVID-19, todas as etapas na II FECTIS em 2021 serão de forma virtual. Dentre as etapas do projeto temos: 1- Realização do Curso de Extensão “Iniciação à Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde” da Universidade Federal do Rio de Janeiro pelos alunos e professores de Instituições Públicas da Educação Básica; 2- Formação das equipes com os respectivos temas; 3- Encontro em salas virtuais dos professores de ambas as instituições para discutir as atividades e envio de leitura recomenda para os alunos (sobre o tema). Em paralelo cada professor encontra-se os seus respectivos alunos para discussão das atividades; 4- Reunião em sala virtual para conhecimento do laboratório do professor da Instituição de Ensino Superior. Apresentação da linha de pesquisa, problemática, quais são as perguntas, objetivos, os métodos utilizados para responder as perguntas, e exemplos de produção do grupo. Adicionalmente, disponibilização de um vídeo de apresentação do laboratório e linha(s) de pesquisa do professor; 5- Discussão do método científico e design thinking no contexto do tema. Embasamento teórico-prático dos alunos para o exercício das suas criatividades no desenvolvimento dos projetos; 6- Identificação da problemática no tema específico da Saúde. Reuniões das equipes e discussões periódicas para o desenvolvimento das propostas dos projetos para abordar e minimizar a problemática; 7- Inclusão de outros alunos do nível de graduação e ou pós-graduação para o auxílio na elaboração dos produtos; 8- Atividades e reuniões para a elaboração e desenvolvimento dos produtos dos projetos; 9- Submissão dos resumos das propostas de projetos para apresentação na II FECTIS; 10- Submissão dos produtos gerados a serem apresentados a II FECTIS. a) Categoria 1: Produto voltado para promoção da Saúde - Melhoria do ensino em Escolas. b) Categoria 2: Produto voltado pra promoção da Saúde - Sociedade em geral c) Categoria 3: Capítulo de livro “Problemas atuais de Saúde Pública: Vamos minimizar!!”; 11- Apresentação dos produtos dos projetos na “II Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde (II FECTIS)”; 12- Ajustes para finalização de um e-book intitulado “Problemas atuais de Saúde Pública: Como minimizar??”.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 21/01/2021-31/01/2023
Foto de perfil

Theresa Maria de Freitas Adrião

Ciências Humanas

Educação
  • o ensino privado-mercantil no brasil: caracterização e análise das estratégias de inserção do capital financeirizado para a oferta educacional
  • Este projeto pretende analisar a atuação do setor privado de natureza mercantil na oferta da educação em sua etapa obrigatória e superior no Brasil. O tema é pouco recorrente tanto mais se a análise considerar conjuntamente as duas etapas da educação. Mais precisamente, objetiva-se investigar os mecanismos e as estratégias de privatização da oferta da educação obrigatória e superior operadas por grupos empresariais de capital aberto associados a fundos de investimentos em cada região político-administrativa do país, identificando consequências desta atuação para efetivação do direito humano à educação. A pesquisa busca responder à pergunta: Que dinâmicas podem ser observadas no campo da educação, com ênfase em seu financiamento, quando a oferta educacional passa a ser considerada em termos de operações de compra e venda de ativos financeiros, tais como valores mobiliários, especialmente ações; ou seja, quando os estabelecimentos de ensino passam a ser geridos por Fundos de investimentos? A pesquisa ocorrera em suas dimensões: documental em fontes primárias e secundarias, e exploratória. Analisará dois grupos empresariais que satisfazem o perfil a ser estudado considerando a atuação destes segmentos na educação brasileira tanto sem sua etapa obrigatória, quanto no ensino superior: Cogna Educação e Eleva Educação. Os campos empíricos serão constituídos por ao menos um estado de cada região político-administrativa do Brasil, onde os grupos operam e o período consiste no intervalo entre 2013- ano de criação do Eleva-educação a 2022, último ano do governo de Jair Bolsonaro fortemente comprometido com a liberalização econômica. É importante destacar as dificuldades na realização de estudos sobre o setor privado da educação no Brasil, condição que minimizada pelo acesso às tecnologias de informação e exigências de publicização de informações para os acionistas de empresas de capital aberto
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 26/05/2022-31/05/2025
Foto de perfil

Thereza Cristina de Lacerda Paiva

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • propriedades emergentes em materiais quânticos: magnetismo, transporte e topologia
  • A mecânica quântica é fundamental para descrever as propriedades físicas de sistemas. Em baixa dimensionalidade, na presença de fortes correlações ou topologia, as propriedades quânticas de materiais se manifestam mais intensamente. Neste projeto abordaremos estes 3 casos. A habilidade de aprisionar átomos fermiônicos em redes óticas e os recentes desenvolvimentos no imageamento destes vêm permitindo avanços no conhecimento de propriedades emergentes de sistemas fortemente interagentes. A possibilidade de explorar diferentes geometrias, onde frustração e bandas não-dispersivas podem surgir, na presença de correlações fortes é um dos focos deste projeto. A orbitrônica, um análogo da spintrônica, opera com o grau de liberdade orbital dos elétrons e, embora embrionária, vem despertando interesse crescente. Nessa nova área de pesquisa, um número crescente de efeitos está sendo investigado, muitos dos quais também têm analogias na spintrônica. Nosso projeto se propõe a aproveitar o conhecimento acumulado em spintrônica para ajudar a construir um novo paradigma no processamento da informação que utiliza orbitrônica. Nosso objetivo é explorar esta nova capacidade em materiais 2D, focando em aspectos práticos relacionados ao transporte orbital para estabelecer a base teórica necessária para motivar experimentos de sucesso nesta área emergente. Isolantes topológicos são materiais que conduzem corrente elétrica apenas em suas bordas, enquanto seu volume se comporta como um isolante. Esses estados de borda são topologicamente protegidos de desordem, devido à ausência de retroespalhamento. Mas o que acontece com as correntes topológicas se um sistema se afasta do cristalino e é continuamente deformado em direção a um sistema amorfo? Esta questão tem implicações tecnológicas importantes, pois materiais amorfos são comuns em dispositivos eletrônicos. Investigaremos a amorfização de isolantes topológicos e suas consequências na ordem topológica.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Thiago Antonini Alves

Engenharias

Engenharia Mecânica
  • redes neurais na previsão do desempenho térmico de coletores solares de tubos evacuados assistidos por termossifões com nanofluido de óxido de nióbio
  • Pesquisas relacionadas ao uso de energias renováveis vêm se destacando por permitir a geração de eletricidade e calor de forma mais sustentável. O Brasil possui elevado potencial energético para produção de energia solar. Coletores solares de tubos evacuados assistidos por termossifões têm destaque, com as vantagens de baixa resistência térmica, alta remoção de calor da superfície absorvente e baixa perda de carga. Os nanomateriais à base de nióbio estão ganhando ênfase devido às suas especiais aplicações nas indústrias de alta tecnologia. Estudos experimentais envolvendo coletores solares de tubos evacuados assistidos por termossifões são custosos, demandam tempo e mão de obra, limitando as análises sob diferentes condições operacionais e climáticas. Desta forma, a Inteligência Computacional, por exemplo Redes Neurais Artificiais, se faz uma ferramenta primordial para a previsão do desempenho de coletores solares e redução de testes experimentais. Entretanto, a arquitetura frequentemente aplicada é a Perceptron de Múltiplas Camadas (MLP). Arquiteturas mais sofisticadas com melhor capacidade de previsão podem ser aplicadas, como as Máquinas Desorganizadas (UM). Diante do exposto, nenhum trabalho considerando as UM e com nanofluido à base de nióbio foi identificado na literatura consultada. Então, esse projeto propõe a aplicação das UM e MLP, para previsão de desempenho de um coletor solar de tubos evacuados assistido por termossifões utilizando nanofluido de óxido de nióbio. A equipe executora é multidisciplinar e trabalha com coletores solares assistidos por termossifão e nanotecnologia possuindo experiência na aplicação de UM em diferentes âmbitos, tornando a hipótese plausível e plenamente exequível. A estratégia metodológica consiste na produção do nanofluido, fabricação dos termossifões, desenvolvimento do coletor solar, previsão de desempenho por meio de Redes Neurais Artificiais, que garantirão a efetiva conclusão da hipótese a ser investigada.
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 26/04/2022-30/04/2025