Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Barbara Stolte Bezerra

Engenharias

Engenharia de Transportes
  • meta-análise sobre o efeito de segurança de intervenções viárias
  • Recentemente, o governo brasileiro tem lançado programas para as mortes e feridos no trânsito. Em 2018 foi promulgada a Lei 13.614/2018 que criou o Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito (PNATRANS), reestruturada pela Resolução CONTRAN nº 870/2021. Este plano apresenta seis pilares sendo a Engenharia um deles, e estabelece a responsabilidade compartilhada para a promoção de um sistema viário seguro, incluindo quem projeta, constrói e gerencia esse sistema; e tem como uma das metas principais reduzir em 50% o número de morte de pedestres e ciclistas. Desse modo, a gestão as segurança no trânsito é integrada e proativa. Papadimitriou et al. (2016) apontam que os manuais de projeto de infraestruturas viárias nem sempre garantem a segurança, e por isso os gestores da infraestrutura viária precisam de suporte baseado em evidências para escolher a melhor intervenção; porém há a falta de avaliação consolidada de um conjunto de medidas para a segurança viária. Hauer (2019) aponta que os engenheiros civis não estão preparados para tomar as decisões quanto à escolha dos parâmetros de projeto, os quais ficam em aberto na maioria dos manuais de engenharia de tráfego; e que há a necessidade de consolidação, sistematização de pesquisas e publicações com as boas práticas para intervenções viárias para embasar a tomada de decisão dos engenheiros. Nos Estados Unidos e na Comunidade Europeia há esforços para a elaboração de ferramentas para auxiliar na análise da estimativa dos efeitos de segurança das intervenções viárias. Assim, o objetivo deste projeto de pesquisa é criar um protocolo para estimar os efeitos de segurança de intervenções viárias de forma sistematizada para auxiliar na tomada de decisões. A questão que se coloca refere-se em como realizar a escolha de intervenções viárias com foco na segurança viária e economia de recursos públicos? Para atingir esse objetivo será utilizada a meta-análise de estudos de segurança viária.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 05/05/2022-31/05/2025
Foto de perfil

Bartira Mendes Gorgulho

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • organização do cuidado às pessoas com dcnt em mato grosso: diagnóstico e capacitação
  • A maior parte das ações de controle e prevenção da obesidade e das DCNT acontecem na Atenção Primária à Saúde (APS), ou Atenção Básica (AB). No entanto, embora haja o plano de enfrentamento e controle das DCNT realizado pelo MS, com a proposta de implementação da Rede de Cuidado pelo SUS, sabe-se que nem todos os Estados já conseguiram implementá-lo, incluindo o Mato Grosso (BRASIL, 2019). Neste contexto, busca-se diagnosticar a organização da gestão do cuidado às pessoas com Doênças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) na Atenção Primária a Saúde (APS) do Estado de Mato Grosso, com ênfase nos fatores de risco modificáveis para diabetes, hipertensão arterial e obesidade, apoiando os municípios e territórios no planejamento, monitoramento e avaliação das ações e estratégias, bem como na organização de suas equipes, no reconhecimento dos equipamentos disponíveis e da intersetorialidade e transdisciplinaridade necessárias. Dessa forma, com base nos dados resultantes de avaliação situacional, com ênfase na obesidade (prevenção e estratégias de tratamento), serão planejadas e executadas atividades semipresenciais de formação em saúde, tanto para os gestores, quanto para os profissionais de saúde da rede.
  • Universidade Federal de Mato Grosso - MT - Brasil
  • 07/12/2020-31/12/2023
Foto de perfil

Bartolomeu Zamprogno

Ciências Exatas e da Terra

Probabilidade e Estatística
  • a estatística e sua contribuição no bicentenário da independência
  • A estatística nos 200 anos da independência transformou e vem transformando nosso país. Nesse projeto daremos destaque histórico dessa transformação e mostraremos com conceitos estatísticos e dinâmicas presenciais e com vídeos como a estatística contribuiu em todos contextos do desenvolvimento, em análises para economia de recursos, indicando novos padrões, sendo parte do processo para o desenvolvimento de novas tecnologia transformando a sociedade. O desenvolvimento de todo trabalho será em sala/espaços temáticos, interagindo com alunos e professores, inserindo conceitos estatísticos (tomada de decisões) por meio de demonstrações experimentais abordando áreas de pesquisa clínica, recursos humanos, indústria, somada a simulações em computadores e reprodução de vídeos.
  • Universidade Federal do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 12/09/2022-31/03/2023
Foto de perfil

Beatrice Padovani Ferreira

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • peld tamandaré - dinâmica espacial e temporal da paisagem marinha: conectividade, resiliência e uso sustentável no sul de pernambuco
  • O sítio PELD TAMS se localiza na região costeira sul de Pernambuco e se estende da costa até o talude continental. O ambiente é reconhecido como hotspot de biodiversidade, com uma rica área estuarina e costeira, formada por um mosaico de habitats que incluem manguezais, pradarias de fanerógamas e recifes costeiros. Tradicionalmente, a maioria dos estudos se concentram em áreas costeiras, de mais fácil acesso e uso humano mais intenso. No entanto, os ecossistemas se distribuem em um contínuo sobre a plataforma continental, recortada por canais submersos onde recifes profundos formam habitats responsáveis por suportar recursos que sustentam a intensa atividade de pesca. A ecologia da paisagem marinha requer uma compreensão integrada das massas d’água e de sua dinâmica. Sobre esta base topográfica, se distribui um sistema marinho interconectado pelo fluxo de energia, por meta-populações e por populações que se deslocam ocupando diferentes habitats ao longo de seu ciclo de vida. Na escala temporal, efeitos de ciclos sazonais, interanuais e decadais têm sido observados, com diferentes impactos na zona costeira. A intensidade, duração e frequência destes fenômenos mediados por conexões interoceânicas têm apresentado variações, e os efeitos nos ciclos das populações e comunidades, bem como efeitos ecossistêmicos de curto e longo prazo, ainda são pouco estudados no Atlântico tropical. Os impactos humanos, como poluição, modificação/supressão de habitats e remoção de organismos pela pesca, agravam as consequências destes fenômenos e podem, em sinergia, levar sistemas ao colapso. A continuidade do monitoramento destes fenômenos e das possíveis respostas biológicas a longo prazo é essencial para a compreensão da dinâmica temporal operante e dos impactos de fenômenos climáticos em escala global e local, e consequentemente para o direcionamento de decisões de gestão e prevenção e mitigação de possíveis impactos. O Projeto para o sítio PELD-TAMS (Programa Ecológico de Longa Duração - Tamandaré Sustentável) foi aprovado pelo CNPq em 2017, porém estudos têm sido desenvolvidos na região há mais de duas décadas. Estes estudos têm fundamentado a gestão, com contribuições tanto para a criação de UCs federais, estaduais e municipais, quanto para seus planos de manejo. O PELD-TAMS inclui a primeira zona de recuperação recifal da costa nordeste, criada em 1999, e se desenvolve em estreita parceria com o Centro de Estudos da Biodiversidade do Nordeste (CEPENE) do ICMBio e com gestores das unidades de conservação locais. Assim, a integração da pesquisa com as ações de gestão são constantes no programa. O sítio PELD-TAMS (ILTER 18) tem atraído novas e importantes parcerias, e busca o acompanhamento dos efeitos das intervenções e a observação das respostas a curto, médio e longo prazo. A presente proposta do sítio PELD é a continuidade do estudo da paisagem marinha, com novas perspectivas obtidas a partir de avanços tecnológicos de observação remota (satelital) das tendências temporais de cobertura de habitats submersos, de feições do fundo marinho e associações de usos e diversidade. Devido ao histórico de impactos de origem terrestre, a proposta do sítio incorpora agora estudos de contaminantes e seus efeitos na biota. Concentrado em áreas costeiras consideradas berçários de recurso pesqueiros, estas informações visam fortalecer a abordagem ecossistêmica no manejo pesqueiro e seus territórios. Em conjunto, estes estudos que são desenvolvidos em forte parceria com gestores e comunidade local, objetivam subsidiar a gestão numa abordagem adaptativa e de planejamento espacial marinho.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 07/12/2020-31/12/2024
Foto de perfil

Beatrice Padovani Ferreira

Ciências Agrárias

Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca
  • avaliação ecossistêmica dos recursos pesqueiros demersais e pelágicos das costas norte e nordeste: subsídios para o ordenamento pesqueiro sustentável
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 16/12/2015-31/10/2022
Foto de perfil

Beatriz D'Agord Schaan

Ciências da Saúde

Medicina
  • ensaio clínico randomizado em cluster para estruturação do cuidado ao diabetes na atenção primária: protocolo com metas individualizadas, integração multiprofissional e apoio de teleconsultoria
  • O Diabetes mellitus tipo 2 (DM) tem prevalência crescente e é causa de doença cardiovascular, cegueira, doença renal, amputações e hospitalizações, justificando a importância de estratégias de gerenciamento eficazes e reorganização dos recursos disponíveis, especialmente na atenção primária à saúde (APS). A magnitude da doença, princípios operacionais centrados no paciente, disponibilidade de equipes multidisciplinares e proximidade com a população fazem com que a APS tenha potencial de oferecer atendimento de alta qualidade a estes pacientes. Porém, estudo de nosso grupo (DOI: 10.1016/j.jdiacomp.2020.107835) mostrou que <35% dos pacientes idosos atendidos na APS apresentam hemoglobina glicada (HbA1c) na meta para alvos individualizados; apenas 26,7% recebem ajustes farmacológicos (falta intensificação ou desintensificação). Mostramos (DOI: 10.1186/s13098-019-0428-8) que na APS menos de 5% destes pacientes têm todos indicadores de qualidade avaliados (avaliação de complicações crônicas e controle metabólico regularmente, orientação nutricional, recomendação de cessação do fumo). Isso reforça a necessidade de reorganização de recursos e realização de estudos para elaboração/otimização de protocolos e sistematização de atendimento, com foco multiprofissional baseado em evidências (10.3390/jcm10153428). Objetivos: Avaliar a efetividade de conjunto de intervenções baseadas em telessaúde para equipes de APS, utilizando estratégias individualizadas de cuidado. Trata-se de ensaio clínico com randomização em cluster de Unidades de Saúde, incluindo intervenção que consiste em novo protocolo de tratamento/redistribuição de papéis no cuidado do DM na APS, com enfoque ao papel do enfermeiro no atendimento, introdução de website para determinação de metas individualizadas de cuidados/tratamentos. Teleconferências de capacitação e treinamento (via plataforma TelessaúdeRS), uso de website e mensagens de Whatsapp reforçando medidas serão oferecidas.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 22/04/2022-30/04/2025
Foto de perfil

Beatriz de Aguiar Giordano Paranhos

Ciências Agrárias

Agronomia
  • nanoformulação de bioinseticida para controle da mosca da fruta ceratitis capitata via tecnologia de rna interferente
  • A mosca-das-frutas Ceratitis capitata é uma praga de grande importância econômica na fruticultura nacional e internacional, que causa enormes prejuízos à produção e comercialização de frutas, limitando sua exportação devido às barreiras quarentenárias impostas por países importadores. Ceratitis capitata, conhecida popularmente como mosca do mediterrâneo ou moscamed, foi introduzida no início de 1900 e está amplamente distribuída pelo país, sobretudo no Submédio Vale do São Francisco. Com o agravamento dos impactos ambientais em resposta a ação antropogênica na natureza, tem se desenvolvido técnicas de controle de inseto alternativas ao uso de agroquímicos como o controle biológico e o uso de moscas estéreis (transgênicas ou mutantes). Entre os métodos complementares de controle de insetos, este projeto tem como objetivo viabilizar o uso da tecnologia do RNA interferente no controle de C. capitata com foco na seleção de potenciais genes alvo a terem sua expressão suprimida, no aumento da estabilidade do dsRNA por meio de seu nanoencapsulamento e na otimização de entrega dessa molécula ao inseto adulto na forma de isca (atrativo alimentar + dsRNA), já que as larvas se desenvolvem no interior dos frutos. Além disso, será avaliado possíveis efeitos nocivos do bioinseticida a macros e microrganismos associados à C. capitata. Essa tecnologia inovadora apresenta grande potencial para o manejo de insetos-praga, com as vantagens da alta especificidade à espécie alvo e a possibilidade de desenvolvimento de sistemas não transgênicos, que será associada à nanotecnologia para aumentar a estabilidade de RNA dupla-fita (dsRNA).
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - PE - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Beatriz Fátima Alves de Oliveira

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • emergência climática e saúde pública: um estudo sobre ondas de calor e riscos à saúde no brasil
  • A crise climática representa uma séria ameaça à saúde pública. Seus efeitos na saúde humana podem se dar por inúmeras vias, sendo uma importante via o efeito do aquecimento global e do aumento da frequência e da intensidade das ondas de calor, que podem comprometer os mecanismos de termorregulação e resultar em internações e óbitos. Um dos grandes desafios é o fortalecimento da vigilância em saúde sobre os impactos relacionados à variabilidade climática e aos eventos extremos. Nesse sentido, este estudo tem como objetivos identificar áreas potencialmente vulneráveis para ondas de calor no Brasil e desenvolver um painel que possibilite o acesso a informações estratégicas que subsidiem ações de saúde pública para a redução dos impactos das ondas de calor na saúde humana. Os sistemas de alerta para ondas de calor são desenvolvidos para se adequarem às condições locais e dados disponíveis, capacidade de previsão de tempo e recursos humanos. Nesse sentido, a proposta é desenvolver uma estrutura básica para implementação do sistema de alerta, a partir das seguintes etapas: 1) Revisão dos critérios estabelecidos para definição de ondas de calor; 2) Identificação dos agravos e das populações mais sensíveis em termos de morbimortalidade às ondas de calor; 3) Coleta e processamento de um conjunto de dados climáticos, ambientais e de saúde humana para avaliar os impactos e vulnerabilidade das ondas de calor no Brasil, com base em projeções de modelos climáticos globais e regionais; 4) Após o processamento dos dados, será estudada a relação entre os indicadores de onda de calor e os desfechos de saúde estabelecendo os indicadores mais sensíveis para avaliar os impactos na saúde humana nas capitais do Brasil; 5) Elaboração de um painel de informações estratégicas com informações referentes às ondas de calor e os indicadores de saúde, com sinal de alerta para eventos extremos e seus impactos na saúde humana em áreas prioritárias.
  • Fundação Oswaldo Cruz Piauí - PI - Brasil
  • 22/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Belita Koiller

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • informação quântica
  • Esta proposta apresenta o projeto para a realização de um novo Instiuto de Ciência e Tecnologia em Informação Quântica, estendendo e aperfeiçoando o Instituto atualmente em atividade. A pesquisa em Informação Quântica no Brasil atingiu um grau considerável de organização, coerência e maturidade durante os últimos anos. Como resultado imediato deste processo, a produtividade quantitativa e qualitativa teve aumento significativo, bem como o número de doutores e mestres formados na área. Nota-se ainda uma melhoria na qualificação do pessoal formado e a intensificação das cooperações internacionais. Vários recém-doutores foram contratados para posições na carreira de universidades e centros de pesquisa e agora participam deste projeto como pesquisadores e orientadores. Isto produziu uma renovação no grupo de pesquisadores participantes em comparação com o Instituto de 2008-presente, o que pode ser quantificado pelos 28 pesquisadores contratados em posições permanentes durante os ultimos 3 anos, entre os 107 cientistas participantes deste projeto. Além destes 107 pesquisadores, o Instituto engloba 15 Laboratórios associados, 28 estagiários de pós-doutorado, 100 estudantes de doutorado, 43 estudantes de mestrado e 35 estudantes de iniciação científica, totalizando uma equipe de 313 pesquisadores distribuídos em 24 grupos de pesquisa em 25 universidades e centros de pesquisa brasileiros, localizados em 12 estados da federação. Observamos nos últimos anos um crescente e forte interesse da comunidade internacional, inclusive no Brasil, em temas como correlações quânticas, termodinâmica quântica e metrologia quântica/controle quântico. Estes três temas foram portanto somados aos temas de comunicação e computação quântica, para estabelecer um foco renovado em torno de cinco linhas de pesquisa. O trabalho nestas linhas inclui o aprofundamento dos estudos dos atributos quânticos de diferentes sistemas físicos, que vão desde os fenômenos ópticos e atômicos até os sistemas de matéria condensada, visando identificar os melhores candidatos para a implementação de dispositivos de processamento, transmissão e armazenamento de dados. Notamos que a comunicação quântica ainda é o tema mais próximo das aplicações práticas e pretendemos explorar este caminho. Verificamos também que a computação quântica se diversificou e a simulação quântica passou a desempenhar um papel importante, abrindo o caminho para a realização de computadores quânticos dedicados. O objetivo geral da presente proposta é consolidar grupos ativos de pesquisa em torno dos cinco temas, buscando otimizar o entendimento e o controle de sistemas quânticos para solucionar ou melhorar soluções conhecidas para processamento, armazenamento e a transmissão de informação. O detalhamento do projeto pode ser encontrado no arquivo anexo.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 23/11/2016-30/11/2024
Foto de perfil

Ben Hur Marimon Junior

Ciências Biológicas

Ecologia
  • transição cerrado-amazônia: bases ecológicas e socioambientais para a conservação (etapa iv)
  • O PELD-TRAN iniciou em 2010 com o edital MCT/CNPq 59/2009 e continuou com as chamadas MCTI/CNPq/FAPs 34/2012 e CNPq/Capes/FAPs/BC-Fundo Newton 15/2016, perfazendo mais de 10 anos de ações socioambientais, coleta de dados e publicações, cujo foco é a transição entre o Cerrado e Amazônia, abrangendo uma linha de traçado sinuoso que ultrapassa 6.000 km, que está sob ameaça extrema e intensa por conta de atividades antrópicas. A equipe do PELD-TRAN já monitora a vegetação da transição há mais de 25 anos e está avaliando os impactos causados por eventos climáticos extremos e os impactos antrópicos, como o fogo e desmatamentos. Em 10 anos de pesquisas do PELD-TRAN já foram publicados 92 artigos científicos, alguns em periódicos de altíssimo impacto, e as atividades do Sítio contribuíram com o treinamento, formação e capacitação de 158 alunos e deram suporte para a produção de 105 monografias, dissertações e teses. Esta nova proposta representa o amadurecimento da equipe PELD-TRAN, que após amplos e detalhados estudos agora está pronta para alçar voos mais altos que envolverão análises mais complexas, que além de incluírem a transição Cerrado-Amazônia também incluirão os próprios biomas. Na primeira etapa a área de estudo (e base do Sítio) se restringiu a uma unidade de conservação (Parque Municipal do Bacaba), na segunda etapa foram englobadas parcelas de monitoramento em toda a região leste de Mato Grosso e o sul do Pará e, na terceira, o Sítio se expandiu para a transição de todo o estado de Mato Grosso, englobando núcleos de monitoramento em Alta Floresta, Cáceres e Tangará da Serra. Uma vez consolidada essa rede de monitoramento da vegetação e os dados já depositados na Plataforma ForestPlots, estamos prontos para realizar análises em escala Neotropical e até Global. Um grande desafio para essa nova etapa será o mapeamento e a elaboração de políticas públicas para a faixa de transição Cerrado-Amazônia em todo o território brasileiro, bem como avaliar o uso de agrotóxicos por produtores agrícolas. Também incluiremos análises e comparações climáticas e edáficas em ampla escala e continuaremos com ações socioambientais visando a divulgação científica e a formação de coletores da Rede de Sementes do Xingu, os quais apresentam papel-chave na recuperação de Áreas de Preservação Permanente (APPs) que estão no entorno do Parque Indígena do Xingu (PIX). A região de abrangência do PELD-TRAN foi recentemente sugerida em um artigo como sendo um “super sítio”, sendo recomendada a fazer parte de uma rede global de amostragem para dar suporte aos cálculos de biomassa da vegetação determinados por sensoriamento remoto. Assim, o Sítio PELD-TRAN foi indicado como um dos potenciais “super sítios” globais, pois além de atender a quase todos os requisitos sugeridos pelos autores do artigo, conta também com uma equipe permanente de cientistas locais realizando o monitoramento da vegetação em longo prazo. O PELD-TRAN, nesta quarta etapa, continuará buscando respostas para questões de longa duração relacionadas ao funcionamento dos ecossistemas e de como estes respondem às mudanças climáticas e de uso da terra. Para tanto, levantamos cinco QUESTÕES DE LONGA DURAÇÃO: 1) Como a vegetação muda ao longo do tempo e como os eventos climáticos extremos afetam a dinâmica, estrutura, composição e o balanço do carbono da vegetação da transição? Para responder a pergunta realizaremos inventários e reinventários da vegetação arbórea para entendermos os efeitos de eventos climáticos extremos; 2) Como os parâmetros edáficos determinam os padrões da vegetação da transição? Para tanto coletaremos amostras de solos e analisaremos quais os efeitos desses parâmetros na dinâmica, resistência e resiliência da vegetação; 3) Qual a resposta da vegetação à intensificação ou redução de impactos antrópicos na transição? Realizaremos reinventários da vegetação e avaliaremos a sucessão em áreas alteradas, sendo uma excelente oportunidade para elaborar propostas de manejo e restauração dessas áreas; 4) Qual é a área da faixa de transição entre os biomas Cerrado e Amazônia em todo o território brasileiro e como as atividades socioeconômicas afetam a dinâmica da vegetação e a integridade da faixa ao longo dos anos? Utilizaremos dados de inventários da vegetação para mapearmos a faixa de transição e realizarmos a caracterização socioeconômica e ambiental e elaborarmos políticas públicas de sustentabilidade; 5) De que forma as ações de educação ambiental, a comunicação pública dos resultados do projeto e o treinamento de coletores da Rede de Sementes do Xingu (RSX) contribuirão com a conservação da biodiversidade e com o uso sustentável dos recursos naturais da transição Cerrado-Amazônia? Avaliaremos o efeito prático das ações educacionais, de divulgação científica e de qualificação de coletores da RSX. Em um estado, cuja economia está quase que integralmente baseada na agricultura e pecuária, jamais poderá deixar de prestar atenção em estudos que se propõem a compreender os efeitos do clima sobre a vegetação e os efeitos do uso de agrotóxicos sobre a saúde ambiental e humana. Infelizmente, ainda temos muitas incertezas sobre as atuais tendências climáticas, porém alguns estudos recentes demonstraram que os serviços que as florestas tropicais prestam para compensar os desmatamentos e as emissões de combustíveis fósseis podem estar ameaçados face às mudanças climáticas cada vez mais evidentes e incertas. Compreendendo melhor esses fatores poderemos recomendar ações para o manejo e a conservação da biodiversidade de áreas naturais. Uma vez que essas áreas sejam conservadas e preservadas de modo eficaz, garantindo a manutenção dos serviços ecossistêmicos, é esperado que as flutuações climáticas diminuam. Com isso, o maior beneficiário será o setor agrícola e pecuário, minimizando as perdas de safras e as reduções no peso animal, contribuindo para o sucesso socioeconômico de todo os agricultores do estado de Mato Grosso.
  • Universidade do Estado de Mato Grosso - MT - Brasil
  • 11/12/2020-31/12/2024