Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Vanessa Amaral Mendonça

Ciências da Saúde

Fisioterapia e Terapia Ocupacional
  • avaliação do perfil sarcopenico, nível de atividade física e força muscular em indivíduos com doença pulmonar obstrutiva crônica
  • A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) representa a quinta principal causa de morte no mundo e, de acordo com estimativas recentes, alcançará a terceira posição até o ano 2030. A doença desencadeia diversas alterações estruturais, locais e sistêmicas, resultando em aumento da inflamação, contribuindo para redução da tolerância ao exercício físico em decorrência da disfunção muscular periférica. Adicionalmente, a perda de massa magra é uma condição que pode estar presente na DPOC, sendo um fator importante para o desenvolvimento e progressão do quadro de sarcopenia em alguns casos. Assim, este estudo tem como objetivo principal investigar a sarcopenia e sua relação com a força muscular, nível de atividade física e concentrações de citocinas em pessoas com DPOC. Para tal, o presente estudo contará com a participação de sujeitos com DPOC, de ambos os sexos. Serão alocados 80 participantes divididos em quatro grupos, sendo eles: DPOC pré-sarcopenicos (PS), DPOC sarcopenicos (S), DPOC sarcopenicos grave (SG) e DPOC não-sarcopenicos (NS). Os participantes serão avaliados quanto à função pulmonar (espirometria) e avaliação prognóstica da DPOC. A composição corporal será avaliada por meio do cálculo do Índice de massa corporal (IMC), mensuração da circunferência abdominal e pelo exame de Absormetria Radiológica de Dupla Energia (DEXA). Adicionalmente, para avaliar o risco de sarcopenia, três testes serão realizados: o teste de velocidade de marcha de 4 metros, o Short Physical Performance Battery (SPPB) e a medida da força de preensão palmar. A avaliação do nível de atividade física será realizada por meio da aplicação do questionário Active Austrália Questionaire (AAQ) e por meio do uso do acelerômetro Polar Loop durante 7 dias. A força muscular respiratória será avaliada por meio da Pressão Inspiratória máxima (PImáx) e a Pressão Expiratória máxima (PEmáx). Secundariamente serão analisadas as concentrações plasmáticas de citocinas pelo método de ELISA sanduíche. Consideramos como hipótese alternativa que indivíduos sarcopenicos com DPOC apresentam menor força muscular e nível de atividade física que indivíduos com DPOC não-sarcopenicos, e que esses parâmetros têm relação com o grau de sarcopenia, bem como com alterações inflamatórias. Além disso, acreditamos que a sarcopenia associada à DPOC tenha relação com a piora da força e nível de atividade física.
  • Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - Campus JK - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanessa Batista Schramm

Engenharias

Engenharia de Produção
  • metodologia para identificação, estruturação e análise de conflitos ambientais na bacia do rio paraíba do norte
  • Existe uma expectativa de aumento no número de conflitos ambientais em alguns estados da região Nordeste em decorrência do projeto de integração do Rio São Francisco com bacias hidrográficas da porção sul da região Nordeste. Estes conflitos nascerão de disputas decorrentes das novas formas de uso da água que irão ocorrer, com destaque para aqueles envolvendo exploração econômica dos recursos naturais. A identificação e tratamento destes conflitos é uma condição essencial para garantir o desenvolvimento sustentável da região, que é o principal objetivo do Projeto São Francisco. Assim, esta atividade deve estar prevista nas atribuições dos comitês de bacias hidrográficas. O objetivo deste projeto é estudar e testar ferramentas para, com isso, desenvolver uma metodologia para apoiar o Comitê da Bacia do Rio Paraíba do Norte, na identificação, caracterização e análise de conflitos existentes e potenciais ao longo da bacia. A metodologia proposta tem potencial de se tornar um instrumento inovador de apoio à gestão de recursos hídricos no Brasil, que pode ser adotado por todos os comitês de bacias hidrográficas e por organizações de gestão de recursos hídricos no Brasil e no mundo. Além da metodologia em si, o projeto irá realizar um mapeamento dos conflitos existentes na Bacia do Rio Paraíba do Norte.
  • Universidade Federal de Campina Grande - PB - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanessa Bergamin Boralli Marques

Ciências da Saúde

Farmácia
  • da pesquisa básica para a saúde humana: uma abordagem multidisciplinar na busca por novos alvos e estratégias terapêuticas.
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal de Alfenas - MG - Brasil
  • 06/01/2020-06/01/2025
Foto de perfil

Vanessa Braganholo Murta

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • aceleração de experimentos científicos
  • Experimentos científicos, que anteriormente eram realizados apenas in vivo, hoje são realizados por meio de simulações computacionais, e normalmente envolvem vários programas diferentes que são encadeados de forma a realizarem a simulação desejada. Até que a hipótese experimental seja confirmada ou refutada, o cientista normalmente modifica a estrutura do experimento diversas vezes e testa diferentes parâmetros e algoritmos. A cada uma dessas tentativas, chamamos ensaio (do inglês trial). Um experimento, portanto, é formado por um ou mais ensaios que se sucedem em alguma ordem. Entre um ensaio e outro, há normalmente muita repetição: trechos de código se repetem, ou mesmo dados de entrada se repetem. O foco desse projeto reside em estudar e propor formas de acelerar a execução de um experimento com base em resultados de execuções de ensaios anteriores. Para isso, pretendemos trabalhar em três frentes: (i) mecanismo de cache, para que seja possível aproveitar resultados de partes de experimentos anteriores que sejam comuns ao experimento atual; (ii) recomputação incremental, para que seja possível reexecutar uma parte do experimento usando apenas um delta dos dados (diferença entre os dados antigos e os dados novos); e (iii) colaboração, para que seja possível que cientistas trabalhem em paralelo em uma mesmo experimento e compartilhem suas bases de proveniência. Como resultados, espera-se algoritmos que avancem o estado da arte, ferramentas que auxiliem cientistas de diversos domínios na execução de seus experimentos, além de publicações e formação de alunos de mestrado e doutorado.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanessa Carla Furtado Mosqueira

Ciências da Saúde

Farmácia
  • polímeros fluorescentes biodegradáveis funcionalizados com ligantes em nanoplataformas: imagem celular e in vivo com aplicação no diagnóstico e tratamento de doenças
  • Neste projeto nossa equipe de pesquisa está propondo o desenvolvimento de nanopartículas preparadas a partir de polímeros biodegradáveis derivados do ácido poliláctico (PLA) funcionalizados covalentemente pelo uso de sondas fluorescentes na região do infravermelho próximo e decorados à superfície com análogos do ácido siálico. As nanopartículas poliméricas a serem obtidas possuem amplas aplicações no direcionamento de fármacos para tumores e focos inflamatórios, que podem ser usados na fototermoterapia de tumores, bem como no diagnóstico por imagem in vivo (NIR image) em estudos não clínicos em pequenos animais. A co-funcionalização com sonda e ligante permite melhor controle do direcionamento ao alvo e acompanhamento da eficiência de “targeting” celular ou tecidual sem a transferência da fluorescência para proteínas e lipídeos (“jumping”), evitando-se artefatos durante os estudos de biodistribuição in vivo pela liberação precoce das sondas fluorescentes. Dentro do escopo do projeto propomos a síntese do ligante e dos polímeros, os estudos farmacotécnicos de preparo e caracterização detalhada das nanoestruturas e os estudos interação com proteínas plasmáticas e células, distribuição celular, ligação aos receptores, toxicidade para células tumorais de mama humana em modelo murinho e também efeitos antimetastáticos das partículas decoradas, além de estudos de seletividade e toxicidade frente a células normais (cardiomiócitos e células normais de mama). Os estudos de biodistribuição comparativos em animais sãos e com tumores de mama altamente metastáticos também estão previstos. Como visualizamos esse novo material polimérico como nanoplataforma para múltiplas aplicações em diferentes doenças, estudaremos o comportamento biológico das nanoestruturas e eventualmente poderemos associar diferentes fármacos visando aplicações farmacológicas ao longo do projeto. As sondas fluorescentes a serem utilizadas exibem atividade fotodinâmica e por isso podem também ser usados em terapia fotodinâmica do câncer (PDT) por meio de uso de foto irradiação. Nosso grupo tem experiência na área e é composto por pesquisadores que apresentam expertise complementar e adequada a execução desta proposta. Trata-se de projeto multidisciplinar e translacional que poderá gerar nova tecnologia de detecção por imagem com proteção intelectual, bem como uma plataforma muito útil para estudos pré-clínicos em pequenos animais que pretendemos disponibilizar para os pesquisadores no Brasil interessados no uso da nanomedicina.
  • Universidade Federal de Ouro Preto - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanessa da Silva Carvalho Vila

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • readmissões hospitalares após o acidente vascular cerebral: estudo misto convergente paralelo
  • Este projeto integrado será desenvolvido sob a coordenação de pesquisadores dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu - Mestrado em Atenção à Saúde, da Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Participarão da equipe executora pesquisadores da Escola de Enfermagem da Universidade British Columbia, Vancouver, Canadá, do Departamento de Estatística da Western University, London, Canadá e da Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Goiás. O foco central será analisar e compreender os fatores relacionados a readmissões hospitalares não planejadas de sobreviventes ao acidente vascular cerebral atendidos em serviços de saúde hospitalares públicos e privados da região metropolitana de Goiânia, Goiás, Brasil. Conduzirão o projeto pesquisadores com experientes na condução de estudos científicos e na formação de recursos humanos em nível de mestrado e doutorado. Parte-se do pressuposto de que em casos de acidente vascular cerebral (AVC), o período após a alta hospitalar é reconhecido como de grande vulnerabilidade para pacientes e familiares, que requerem cuidados complexos. Trata-se de um campo fecundo para adoção de intervenções inovadoras destinadas a reduzir as readmissões hospitalares evitáveis. No Brasil, as limitadas informações sobre as frequentes readmissões de sobreviventes ao AVC evidenciam uma lacuna do conhecimento científico que necessita de aprofundamento para melhor redirecionamento de esforços em prol da gestão da segurança e qualidade do cuidado transicional após esse evento. Será desenvolvido um estudo misto do tipo convergente paralelo. Os objetivos serão : analisar as readmissões hospitalares não planejadas de pessoas que sobreviveram ao AVC; e compreender a experiência da readmissão após o AVC, na perspectiva de pacientes, cuidadores familiares e profissionais de saúde que atuam em serviços de saúde hospitalares públicos e privados, da região metropolitana de Goiânia, Goiás, Brasil. Na etapa com delineamento quantitativo será realizada uma análise retrospectiva, consecutiva dos prontuários clínicos e das autorizações de internação hospitalares de pessoas que estiveram internadas com diagnóstico de AVC, no período de janeiro de 2018 a dezembro de 2019, em três hospitais gerais, um centro de reabilitação e um hospital privado especializado em neurologia localizados na região metropolitana de Goiânia. Serão coletados dados relacionados as caraterísticas sociodemográficas e clínicas dos pacientes, as circunstâncias sociais, aos sistemas de saúde, ao processo ou cuidado clínico e aos desfechos em saúde após as readmissões. Nesta fase, além de análise descritiva, serão desenvolvidos teste de correlação, regressão logística e múltipla. A etapa com delineamento qualitativo contemplará uma investigação exploratória sobre a experiência da readmissão após o AVC, conduzido segundo os pressupostos metodológicos descritos por Thorne. Os participantes dessa etapa serão sobreviventes ao AVC readmitidos no período de um ano; seus respectivos cuidadores familiares e profissionais de saúde que participam do processo de alta hospitalar. Os dados serão coletados mediante entrevistas e grupos focais e analisados por meio da análise temática interpretativa, seguindo as seis etapas recomendadas por Braun e Clarke. Os resultados dos dois estudos serão triangulados e interpretados a luz do Modelo de Cuidado Ideal de Transição do Cuidado descrito por Burke e colaboradores. O projeto será submetido ao processo de análise ética conforme o protocolo brasileiro previsto na Resolução 466/2012.
  • Pontifícia Universidade Católica de Goiás - GO - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanessa de Brito Poveda

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • manutenção da normotermia do paciente cirúrgico: métodos de aferição de temperatura e pré-aquecimento
  • A prevenção da hipotermia perioperatória permanece como um desafio, exigindo o aprimoramento de práticas para o alcance do sucesso na manutenção da normotermia. Entre elas, a adequada monitorização e registro da temperatura do paciente durante o perioperatório e a necessidade de prevenir que cheguem hipotérmicos às salas cirúrgicas, diminuindo a efetividade das demais medidas empregadas. Dessa forma, a presente proposta se compõe por dois estudos, com os seguintes objetivos: (1) avaliar um dispositivo de avaliação da temperatura corporal no perioperatório, do tipo termômetro “Zero-Heat-Flux Cutaneous”, em comparação ao cuidado padrão (termômetro temporal no pré e pós-operatório e esofágico no intraoperatório) e (2) determinar o efeito do pré-aquecimento na temperatura corporal dos pacientes submetidos a cirurgias do sistema digestório. Para o alcance do primeiro objetivo pretende-se realizar um estudo longitudinal de medidas repetidas, comparando os resultados obtidos a partir de um termômetro central do tipo “Zero-Heat-Flux Cutaneous”, em relação às medidas de temperatura periférica (temporal) e central (esofágica) atualmente utilizadas. O segundo estudo trata-se de um ensaio clínico randomizado composto por três grupos, a saber: apenas o aquecimento pré-operatório dos pacientes com cobertor e lençol de algodão (controle); aquecimento pré-operatório com sistema de ar forçado aquecido por 20 minutos (Intervenção 1) e participantes submetidos ao aquecimento pré-operatório com sistema de ar forçado aquecido por 30 minutos (Intervenção 2). Acredita-se que este estudo permitirá a aplicação das melhores evidências científicas relativas à manutenção da normotermia perioperatória à prática clínica e seus resultados poderão ser reproduzidas em diversos serviços de saúde.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-31/08/2022
Foto de perfil

Vanessa Fernandes Guimarães

Outra

Divulgação Científica
  • museus e centros de ciência em tempos de pandemia: a mudança no paradigma de público em três instituições do rio de janeiro.
  • As importantes transformações impostas pela pandemia de Covid-19 afetaram extraordinariamente as dinâmicas social, econômica e cultural de centenas de milhões de pessoas, levando ao fechamento ou controle da capacidade de todos os espaços de reunião e concentração de pessoas em diferentes partes do mundo. A área da cultura foi particularmente afetada já que a maioria das atrações e manifestações foi cancelada ou fechada para o público por tempo indeterminado. Os museus não foram a exceção: a partir do início de 2020, a maioria dos museus fechou as portas para visitas presenciais e buscou, desde então, não perder contato com diferentes públicos por meio de iniciativas direcionadas ao ambiente digital. Várias ações de divulgação científica dos museus e centros de ciência (MCCT) migraram do presencial para o virtual e novas ações foram criadas e aprimoradas visando atender e mantê-los conectados com seus públicos e divulgando informações confiáveis e fidedignas. No entanto, a ampliação da presença dos MCCT no ambiente virtual enfrenta dificuldades que não estão apenas restritas ao acesso a uma boa infraestrutura de internet. Outros fatores como o expertise sobre o funcionamento das mídias digitais e na produção de conteúdo, acesso a softwares adequados e disponibilidade de pessoal qualificado para a tarefa são também limitantes, por requererem um nível de investimento que é, por vezes, incompatível com o orçamento dessas instituições. A desigualdade de acesso aos meios digitais, por parte do público, também é um fator preocupante, seja pela falta internet ou de infraestrutura, ou pela falta de recursos de acessibilidade nas plataformas, ou até mesmo por inexperiência das instituições em realizar ações capazes de engajar públicos diversos, a exclusão é uma realidade inegável. Então, mesmo para os MCCT que conseguiram manter contato com o público e são mais ativos nos ambientes digitais, tais circunstâncias colocam algumas questões fundamentais relativas ao impacto deste cenário sobre a constituição dos públicos dos museus e do seu processo de comunicação com eles. Alguns exemplos destas questões são: quem é esse público virtual do museu durante a pandemia? Qual é o seu perfil sociodemográfico e de quais maneiras se afasta ou se aproxima daquele do público presencial? Qual a sua relação com o MCCT? Como o conteúdo disponibilizado da rede é recebido por esse público? E, finalmente, como transformar esse público virtual em público presencial após a reabertura dos MCCT? As respostas a essas perguntas precisam partir de uma base prévia de conhecimentos dos MCCT sobre os seus públicos visitantes. Neste sentido, selecionamos três MCCT participantes do Observatório de Museus e Centros de Ciência e Tecnologia (OMCCT), que dispunham dessa base de conhecimentos e que se mantiveram ativos nas mídias digitais durante a pandemia de Covid-19 - o Museu da Vida da COC/Fiocruz, o Museu Ciência e Vida da Fundação Cecierj e o Espaço Ciência Viva - a fim de realizar um estudo de público visando responder a essas questões.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 29/10/2021-31/10/2024
Foto de perfil

Vanessa Galli

Ciências Biológicas

Botânica
  • mecanismos transcricionais e pós-transcricionais envolvidos na resposta a estresses osmóticos e no amadurecimento de frutos não-climatéricos
  • Os fenilpropanóides são metabólitos secundários produzidos pelas plantas e estão envolvidos em respostas a estresses bióticos e abióticos. Além disso, eles são sintetizados durante o processo de amadurecimento dos frutos. O interesse por estes compostos, especialmente as antocianinas, tem aumentado devido a seus efeitos benéficos à saúde humana. Portanto, o entendimento dos mecanismos envolvidos no acúmulo desses compostos é de extrema importância para o desenvolvimento de plantas com maior resistência/tolerância a estresses bióticos e abióticos e plantas com maior potencial funcional. Neste contexto, o morango se destaca como modelo para estudar os mecanismos envolvidos no acúmulo de antocianinas. Embora as vias de sinalizações envolvidas na síntese destes compostos ainda não estejam elucidadas, existem evidências de que seja dependente do ácido abscísico (ABA), sendo gerada por uma cascata de sinalização envolvendo cálcio (Ca2 +) e proteínas quinases dependentes de Ca2 + (CDPKs). Embora estudos mostrem uma correlação entre o conteúdo de ABA e de fenilpropanóides sob condições de estresse e durante o amadurecimento de frutos não climatéricos, como é o caso do morango, pouco ainda se conhece sobre os mecanismos que determinam o conteúdo de ABA nas células, e como se conecta ao conteúdo de fenilpropanóides. Existem evidências de que o cálcio (Ca2+) possa ser um dos elos conectando estas vias de sinalização, sendo este percebido na célula por proteínas quinases dependentes de cálcio (CDPKs) que traduzem este sinal em uma cascata de fosforilação proteica. Sugere-se que diferentes isoformas desta proteína seriam capazes de perceber diferentes sinais de Ca2+ e fosforilar diferentes substratos. Em Arabidopsis, tem se apontado os fatores de transcrição WRKY (envolvido na resposta a estresses), além da enzima fenilalanina amônia liase (PAL - enzima limitante na rota metabólica de síntese de fenilpropanóides) como possíveis substratos de CDPKs. Estudos prévios realizados pelo nosso grupo de pesquisa mostraram que dentre os genes que codificam para CDPKs em morango, dois (FaCDPK4 e FaCDPK11) são influenciados pelo estresse, por ABA e pelo processo de maturação. No entanto, este resultado precisa ser validado e o efeito sobre o metabolismo de fenilpropanóides determinado. Neste contexto, a técnica de silenciamento gênico usando vetores virais para expressão transiente (vírus-induced gene silencing – VIGS) tem se mostrado efetiva para determinação da funcionalidade de genes em frutos de morango. O crosstalk entre ABA, CDPKs e fenilpropanóide também pode ser regulado por mecanismos pós-transcricionais. Neste contexto, os RNAs circulares tem recebido atenção, podendo atuar com esponjas de miRNAs, ou seja, capturando-os e impedindo-os de regularem seu mRNA alvo. Até o presente momento, nenhum circRNA foi descrito em morango; no entanto, recentemente foi reportado a existência de circRNA afetando a maturação de tomate, um fruto climatérico, sugerindo que este possa ser também um mecanismo de regulação em frutos não-climatéricos. Assim, este projeto tem como objetivo identificar e caracterizar a expressão de fatores de transcrição WRKY e de circRNAs, miRNAs e alvos de miRNAs durante o amadurecimento de frutos de morango e em resposta a estresses osmóticos e aplicação de ABA; e avaliar o efeito do silenciamento transiente de genes FaCDPK4 e FaCDPK11 na expressão de genes associados ao metabolismo de ABA e fenilpropanóides, bem como de WRKY, além do acúmulo de compostos fenilpropanóides, ABA e metabólitos de ABA (ácido abscísico glicosil-ester, ácido faseico e dehidrofaseico). Dessa forma, o conhecimento obtido poderá vir a ser utilizado para o desenvolvimento de plantas com maior conteúdo de compostos funcionais (biofortificados) e tolerantes/resistentes a estresses osmóticos. Estratégias para o controle da maturação de frutos também poderão ser desenvolvidas, seja por meio de engenharia genética ou melhoramento convencional, ou ainda através da aplicação de um produto baseado em ABA ou a base de miRNA ou circRNAs, aumentando a qualidade pós-colheita e o tempo de prateleira destes frutos. A execução deste projeto também permitirá estimular a formação de recursos humanos (graduação, pós-graduação) de alto nível científico, numa interação de conhecimentos de fisiologia vegetal, biologia molecular e bioinformática. Além de consolidar colaborações interdepartamentais e interinstitucionais.
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanessa Hatje

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • fontes, sumidouros e processos controladores da distribuição de elementos terras raras (ree) e εnd no atlântico tropical (15ºn-21ºs)
  • Os elementos terras raras (REE) são um conjunto de elementos químicos extremamente coerente, de modo que suas propriedades variam gradualmente ao longo da série. Esta característica faz com que estes elementos sejam ferramentas valiosas na pesquisa oceanográfica, como marcadores de ciclos biogeoquímicos e de diferentes massas de água, proxies para reações de oxirredução e na caracterização de fontes de material particulado em suspensão. Dentro os REE, o Nd devido às aplicações de seus isótopos, é um elemento que merece destaque. A composição isotópica do Nd dissolvido no oceano reflete o balanço entre a composição radiogênica do isótopo originado do intemperismo continental e do derivado do manto, seja por intemperismo do manto ou atividade hidrotermal. A discrepância entre o comportamento não conservativo das concentrações de Nd e o comportamento conservativo da composição isotópica de Nd foi descrita como o “paradoxo do Nd”. Foi proposto que processos de troca entre os sedimentos e a coluna d’água nas margens continentais, chamados de Boundary Exchange Processes, seriam importantes para explicar o “paradoxo do Nd”, uma vez que forneceriam um novo termo de aporte para o balanço global de Nd nos oceanos, permitindo que houvesse alteração da composição isotópica nas margens continentais, sem necessariamente haver enriquecimento em termos de concentração. Os dados de REE e, principalmente, de isótopos de Nd ainda são escassos para o Atlântico Tropical e Sul. Este fato reflete algumas das dificuldades associadas à medida destes elementos e seus isótopos. Neste contexto e em resposta ao Edital UNIVERSAL MCTI/CNPq N⁰ 28/2018, esta proposta tem os seguintes objetivos: 1) Determinação de REE nas águas do Atlântico tropical oeste entre as latitudes 21ºS e 15ºN obtidas no cruzeiro oceanográfico PIRATA XVII/GEOTRACES Apr 10; 2) Testar a hipótese de “Boundary Exchange” para explicar a discrepância entre as concentrações de Nd e epsilon Nd ao longo de transects em 5ºS e 11ºS na plataforma continental durante o cruzeiro a PIRATA XVIII/GEOTRACES a ser realizado entre setembro e outubro de 2018; 3) Capacitar os integrantes do grupo de pesquisa na preparação de amostras de água oceânica visando a determinação de isótopos de Nd, Ba e na utilização de diluição isotópica nas análises de REE por ICP-MS. Para execução deste projeto está prevista a utilização de amostras de água obtidas em duas campanhas oceanográficas: i. cruzeiro oceanográfico PIRATA XVII/GEOTRACES Apr10 e o ii. cruzeiro oceanográfico PIRATA XVIII/GEOTRACES, ambos realizados com o N/Oc. Vital de Oliveira. O cruzeiro PIRATA XVII/GEOTRACES Apr10 foi realizado com sucesso no verão 2017/2018, enquanto o cruzeiro de 2018 se iniciará dia 29 de setembro a partir de Maceió. As amostras para determinação de REE serão pré-concentradas empregando o sistema seaFAST e as concentrações dos elementos determinadas por um ICP-MS (ICAP-RQ, Thermo Finnigan, Alemanha) acoplado a um sistema de desolvatação (Aridus 3, CETAC, USA) que usa uma mistura de gás nitrogênio-argônio para aumentar a sensibilidade do instrumento e diminuir a formação de óxidos. Precisão e acurácia serão verificadas com amostras de referência GEOTRACES (GSC, GSP). Para os isótopos de Nd, as amostras serão pré-concentradas em cartuchos C18 e o Nd será separado da matriz de água cromatografia de troca aniônica. As amostras serão medidas por espectrometria de massa por ionização térmica ou por um ICP-MS multicoletor. Este projeto promoverá a consolidação e ampliação das linhas de pesquisa do Centro Interdisciplinar de Energia e Ambiente da Universidade Federal da Bahia, desenvolvendo expertise, promovendo capacitação laboratorial, formação de alunos e criando condições para subsidiar o crescimento da pesquisa oceanográfica de oceano aberto na região nordeste do Brasil.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanessa Morais Freitas

Ciências Biológicas

Morfologia
  • estresse celular na modulação das células endoteliais: o papel das vesículas extracelulares
  • O câncer de mama representa o 2º câncer mais letal em todo o mundo, sendo a malignidade mais frequente e mortal na população do sexo feminino. Durante a progressão tumoral, a angiogênese é estimulada por células tumorais e garante o aporte de nutrientes e oxigênio garantindo o crescimento sustentado das células tumorais. Antes da formação desses novos vasos, as condições presentes no microambiente tumoral incluem acidose, hipóxia, limitação de nutrientes e em células metastáticas, ausência de substrato adesivo. Acreditamos que somente células resistentes à essas condições inóspitas podem sobreviver e dar continuidade ao crescimento do tumor. Em contrapartida, o modelo in vitro convencionalmente utilizado no estudo do câncer não reproduz fielmente o microambiente tumoral, pois apresenta pH neutro, normóxico, com meios nutritivos e substratos bidimensionais plásticos tratados para facilitar a adesão celular. Nosso laboratório, utilizando PCR array, avaliou a expressão gênica de células tumorais de mama em diferentes situações de estresse e observamos o aumento da expressão de genes envolvidos na angiogênese quando as células tumorais são cultivadas em pH ácido. Além disso, observamos que células tumorais resistentes ao pH ácido, produzem mais vesículas extracelulares do que as células controle. Essas vesículas podem levar informações específicas para células do microambiente tumoral, incluindo as células endoteliais. Temos o intuito de investigar se a diminuição no pH em culturas de células tumorais poderia induzir a formação de novos vasos por células vizinhas (endoteliais). Além da angiogênese temos a intenção de estudar se as vesículas podem modificar o comportamento das células tumorais aumentando moléculas de adesão e consequentemente o comportamento adesivo de células tumorais ao endotélio. Também investigaremos se a internalização de vesículas extracelulares é diferente entre células endoteliais de diferentes origens, o que pode nos trazer mais informações sobre a formação dos sítios pré-metastáticos. Essas informações irão contribuir para o melhor entendimento da angiogênese e metástases dos tumores, o que pode aumentar as chances de conseguirmos novas terapias para barrar a progressão dos tumores de mama.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanessa Naciuk Castelo Branco

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • oleogéis como substituto de gordura em alimentos industrializados: caracterização das suas propriedades físico-químicas e da sua ação como veículo de administração de compostos bioativos
  • Atualmente, existem várias controvérsias sobre os efeitos deletérios do consumo de gorduras para a saúde humana, principalmente em relação aos ácidos graxos saturados. No entanto, dietas ricas em ácidos graxos trans estão claramente associadas ao aumento do risco de doenças cardíacas e da síndrome metabólica, fato que conduziu órgãos regulatórios e governamentais a recomendar a redução e a restrição do uso dos ácidos graxos saturados e trans em alimentos industrializados, respectivamente. No entanto, a gordura sólida (ácidos graxos saturados e trans) promove a estrutura elástica de muitos alimentos industrializados, conferindo suas propriedades sensoriais desejáveis. Portanto, a indústria de alimentos deve encontrar alternativas para substituir as gorduras sólidas que fornecem propriedades sensoriais semelhantes a esses produtos e supram as expectativas do consumidor em relação ao desenvolvimento de produtos mais saudáveis. Nos últimos anos, a estruturação de óleos vegetais com agentes estruturantes (oleogéis) tem sido amplamente investigada como substitutos deste tipo de gordura. Neste sentido, os oleogéis são organogéis cuja fase líquida oleosa é imobilizado por um agente estruturante, formando uma rede tridimensional contínua que possue propriedades semelhantes a uma estrutura sólida. Logo, é possível que os oleogéis apresentem propriedades mecânicas, principalmente plasticidade e elasticidade, semelhantes às da gordura sólida em produtos alimentícios. Além disso, os oleogéis também podem contribuir para controlar a liberação de compostos bioativos lipofílicos, como tocoferóis, carotenos e fitoesterois, que geralmente apresentam uma absorção intestinal limitada. Portanto, o uso de oleogéis como substitutos de gordura pode fornecer propriedades sensoriais adequadas aos produtos alimentícios, além de aumentar a bioacessibilidade de compostos bioativos. No entanto, existem poucos produtos comerciais disponíveis usando oleogéis como substitutos de gordura, especialmente devido à necessidade ainda existente de um agente estruturante de grau alimentício aceitável, comercialmente disponível e de baixo custo. O efeito de diferentes agentes estruturantes para as propriedades mecânicas e estruturais de oleogéis tem sido relatado, sendo o polímero etilcelulose e as ceras vegetais os agentes estruturantes responsáveis por gerar os oleogéis mais adequados. Entretanto, ambos apresentam limitações que dificultam sua aplicação em escala industrial, reforçando a busca contínua por um agente estruturante mais adequado. Neste cenário, os polissacarídeos são importantes agentes espessantes e emulsificantes para a indústria alimentar, que apresentam alta disponibilidade comercial, além de grau alimentar aceitável e baixo custo. Assim, o uso de polissacarídeos como agentes estruturantes é uma alternativa promissora para contribuir com a aplicação de oleogel como substituto de gordura na indústria de alimentos. No entanto, esse assunto ainda é pouco investigado. Neste contexto, a quitosana é um polímero catiônico derivado da quitina de baixo custo, biodegradável, biocompatível e não tóxico, que apresenta ação antioxidante, anti-hipertensiva, anti-inflamatória, anticoagulante, antidiabética, antimicrobiana, anticancerígena e efeitos neuroprotetores. Além disso, a quitosana é um conservante alimentar com grau alimentício aprovado pela Food and Drug Administration e um agente promissor de liberação controlada de compostos bioativos. Sendo assim, a aplicação da quitosana em alimentos como filmes comestíveis ativos e revestimentos tem sido extensivamente investigada. Portanto, a quitosana apresenta potencial para ser utilizada como agente estruturante para o desenvolvimento de um oleogel biocompatível e biodegradável com propriedades tecnológicas adequadas à indústria alimentícia e para o aumento e o controle da biodisponibilidade de compostos bioativos. Para tal, a presente proposta será dividida em três subprojetos, destinados a responder questões científicas relacionadas à: 1) melhores protocolos para desenvolver um oleogel estável estruturado com quitosana e enriquecido com compostos bioativos lipofílicos; 2) o desenvolvimento de produtos de alta aceitabilidade usando oleogéis estruturados com quitosana como substitutos de gordura e; 3) o papel dos oleogéis estruturados com quitosana como sistemas de liberação controlada de compostos biativos lipofílicos. Análises instrumentais relacionadas à textura, reologia, microscopia, termogravimetria, espectroscopia, cromatografia e sensorial serão utilizadas. Além disso, ensaio in vitro de digestão dinâmica simulada (TIM-1) será usado para compreender o impacto dos oleogéis para a absorção dos compostos ao longo do trato gastrointestinal. Esta proposta integra e dá continuidade a linha de pesquisa coordenada pelo proponente que se articula com uma Dissertação de Mestrado, uma Tese de Doutorado e um projeto de Iniciação Científica já em andamento sob minha supervisão. Ademais, pretende-se selecionar mais três alunos (1 Doutorado, 1 Mestrado e 1 IC) para participar desta proposta. Este projeto conta com equipe multidisciplinar de pesquisadores (UFF, UFRJ, USP e Universidade de Guelph), estudantes de graduação e pós-graduação, colaborando com o fortalecimento de parcerias Institucionais, além da formação de recursos humanos qualificados. Vale ressaltar que outros projetos desta linha de pesquisa recebem apoio financeiro da FAPERJ e da UFF. O desenvolvimento desta proposta resultará em dados de crescente impacto científico, com relevância tecnológica e biológica e significância para a indústria de alimentos e para a saúde humana. Portanto, espera-se ampliar o conhecimento em relação à ciência básica e aplicada dos oleogéis, difundindo essa saber para além da academia, dando os subsídios necessários para a fabricação de novos produtos isentos de ácidos graxos trans e agregados em valor bioativo.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanessa Olzon Zambelli

Outra

Biomedicina
  • papel da aldeído desidrogenase-2 na tolerância induzida por fármacos opioides.
  • Os opioides são fármacos analgésicos eficazes no tratamento da dor moderada a intensa. Porém, o uso crônico de opioides resulta no desenvolvimento de tolerância a seu efeito analgésico. O fenômeno de tolerância trata-se da necessidade de aumentar a dose do opioide para promover o mesmo efeito analgésico. Evidências clínicas sugerem que a população oriental é mais responsiva aos opioides e, possivelmente, mais resistentes ao desenvolvimento de tolerância. Compreender os mecanismos moleculares envolvidos na tolerância aos opióides pode permitir o desenvolvimento de terapêuticas mais eficazes, sem este efeito indesejado. Nesse estudo, estudaremos uma mutação pontual que inativa a enzima aldeído desidrogenase 2 (ALDH2). Essa mutação afeta ~ 560 milhões de asiáticos. Conhecida como ALDH2*2, essa mutação reduz a atividade enzimática em mais de 60% em indivíduos heterozigotos. A ALDH2 é bem conhecida por metabolizar aldeídos reativos, porém, também é responsável pela metabolização de fármacos como nitroglicerina e agentes quimioterápicos. Apesar dessas evidências, não se sabe se esta enzima é responsável pela diminuição da tolerância aos opioides observada em pacientes do leste asiático após. O objetivo deste estudo é avaliar se a enzima ALDH2 regula a tolerância a opioides. Para responder essa questão, desenvolvemos camundongos ALDH2*2, que mimetizam a mutação pontual ALDH2 encontrada na população do leste asiático e Alda-1, uma pequena molécula que ativa seletivamente a ALDH2. Os objetivos específicos são: a) investigar se os camundongos ALDH2*2 respondem diferentemente ao efeito analgésico e tolerância ao efeito analgésico da morfina; b) avaliar se os camundongos ALDH2*2 apresentam diferente padrão de internalização de receptores opioides após a administração crônica de morfina; c) investigar se o uso crônico de morfina induz neurotoxicidade medindo os níveis tóxicos de aldeídos (método DarkZone) e avaliando a função mitocondrial neuronal. A oliceridina, um agonista seletivo da via da proteína G do receptor µ, que não induzir a internalização de MOR e tolerância, será usada como controle. Este mecanismo biológico básico tem, se elucidado, profundas implicações para o tratamento da dor e fornece uma base científica para o melhor controle da dor com analgésicos opioides. Para isso, nossas descobertas podem ajudar a reduzir a dor e os efeitos colaterais indesejáveis de opioides, levando a uma melhor qualidade de vida e a uma redução nos custos hospitalares.
  • Fundação Butantan - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanessa Paes da Cruz

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • estudos genéticos em espécies de tubarões do gênero squalus (chondrichthyes, squalidae) na costa do brasil
  • A pesca excessiva impõe mudanças na estratégia de vida das populações dos organismos, especialmente dos elasmobrânquios (tubarões e raias). Assim, compreender a estrutura das populações torna-se uma importante ferramenta de conservação e manejo dos estoques, que requer um amplo conhecimento sobre aspectos genéticos, biogeográficos, distribuição e ocorrência das espécies. A identificação de estoques geneticamente diferenciados e adaptados ao seu habitat representam um ponto fundamental para o manejo das espécies. Os tubarões do gênero Squalus (família Squalidae) é atualmente formado por 26 espécies e são popularmente chamados de cação-bagre. Este gênero constitui um dos grupos de tubarões mais problemáticos taxonomicamente, principalmente devido à grande similaridade morfológica entres as espécies, onde muitos pesquisadores acreditam que neste grupo existam táxons descritos erroneamente. No oceano Atlântico existem cerca de 11 espécies do gênero Squalus; contudo, no litoral brasileiro essas espécies nunca foram identificadas geneticamente ou tiveram suas populações analisadas. A escassez de dados e as confusões taxonômicas refletem o atual status na lista vermelha da IUCN (International Union for Conservation of Nature), onde grande parte das espécies de Squalus estão listadas como “dados insuficientes” ou inexistentes. Neste contexto, o presente trabalho tem como objetivo principal utilizar a ferramenta genética do DNA barcoding para identificar as espécies de tubarões do gênero Squalus que ocorrem no litoral da costa brasileira, além de desenvolver marcadores do tipo SNPs para estudos populacionais nas espécies identificadas. Para a realização desta pesquisa contamos com 225 amostras de indivíduos do gênero Squalus obtidas de diferentes localidades distribuídas no litoral do dos estados do Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro e Pernambuco. Na tentativa de ampliar o número amostral serão realizadas expedições em outras regiões de interesse da costa brasileira. Serão realizadas as etapas de extração de DNA, amplificação do gene COI (DNA barcoding) e SNPs (single nucleotide polymorphisms), obtidos com sequenciamento de nova geração (NGS). Considera-se que tais informações irão contribuir para a identificação da diversidade de espécies do gênero Squalus que ocorrem na costa brasileira, além de estabelecer o conhecimento do real status das populações destas espécies.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanessa Peripolli

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • características da carcaça e da carne de novilhos certificados oriundos de diferentes sistemas de terminação
  • A qualidade da carcaça e consequentemente da carne bovina é dependente de vários fatores intrínsecos e extrínsecos aos animais. Entre os fatores intrínsecos e extrínsecos podemos citar a raça e a nutrição, respectivamente. Estes fatores isolados ou em conjunto definirão a qualidade físico-química, tecnológica e sensorial da carne. Portanto, o objetivo do presente projeto será avaliar o efeito do sistema de terminação e da raça sobre as características da carcaça e da carne de novilhos certificados de acordo com o protocolo do Programa Carne Pampa®. O experimento será conduzido em plantas frigoríficas com inspeção. As amostragens das carcaças serão realizadas por seleção deliberada, sendo selecionadas apenas a carcaça de machos abatidos com idade entre 18 a 24 meses das raças Hereford e Braford terminados a pasto, em semi-confinamento ou em confinamento. Assim, será um delineamento inteiramente casualizado em arranjo fatorial com duas raças (Hereford e Braford) e três sistemas de terminação (a pasto, semi-confinamento e confinamento) totalizando seis tratamentos com 12 repetições. Previamente ao abate os animais serão pesados e o escore de condição corporal avaliado. Serão avaliados o acabamento, a conformação, o peso, o rendimento e o pH das carcaças. Será avaliada a área de olho de lombo, o índice de marmorização, a espessura de gordura subcutânea, os teores de umidade, cinzas e proteína bruta, a quantificação e identificação do perfil lipídico, a cor, as perdas por cocção, a força de cisalhamento, a textura, a oxidação lipídica, a proteína total e o α-tocoferol no musculo Longissimus dorsi de cada carcaça. Independente a raça espera-se que os animais terminados a pasto apresentem carne com maiores teores de α-tocoferol, ômega-3, CLA e estabilidade oxidativa que os animais terminados em confinamento e semi-confinamento trazendo benefícios à saúde humana.
  • Instituto Federal Catarinense - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2023
Foto de perfil

Vanessa Silveira Barreto Carvalho

Engenharias

Engenharia Mecânica
  • proposta de apoio à formação de doutores para o fortalecimento de áreas estratégicas dos programas de pós-graduação da unifei
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal de Itajubá - MG - Brasil
  • 03/04/2020-02/04/2025
Foto de perfil

Vania Celina Dezoti Micheletti

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • estratégias de intervenção intersetoriais na prevenção e controle de diabetes mellitus, hipertensão arterial sistêmica e obesidade na atenção primária à saúde, em um município do rio grande do sul
  • As Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) afetam com maior frequência populações de baixa renda, por estarem mais expostas aos fatores de risco e terem menor acesso à informação e aos serviços de saúde. O impacto das DCNT na população economicamente ativa leva à incapacidade laboral, a mortes prematuras, a redução de produtividade e de renda familiar, impactando, negativamente, na qualidade de vida e na economia. No Brasil, os custos para tratar diabetes Mellitus (DM), Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) e a obesidade, pelo Sistema Único de Saúde (SUS), somaram R$ 3,45 bilhões em 2018, sendo 72% deste valor gasto com pessoas de 30 a 69 anos. Em 2018, 73,9% das mortes no Brasil foram por DCNT. Estas doenças englobam um conjunto de fatores de risco comportamentais, como tabagismo, aumento do consumo de alimentos ultraprocessados, inatividade física e consumo excessivo de bebidas alcoólicas. O enfrentamento das DCNT requer educação em saúde, sistema de diagnóstico, vigilância, controle e monitoramento para prevenir os agravos decorrentes destas doenças. A educação em saúde, realizada conjuntamente por equipes multiprofissionais, visa compartilhar informações, empoderar as pessoas para o autocuidado seguro, minimizar o desconhecimento sobre as DCNT, propiciar maior adesão aos tratamentos e melhorar a qualidade de vida. O objetivo deste estudo será identificar, avaliar, desenvolver e divulgar as ações intersetoriais na prevenção e controle de DM, HAS e obesidade na Atenção Primária à Saúde (APS). O referencial metodológico será o da pesquisa-ação com as etapas do desenvolvimento, focadas na ação de transformar a realidade ou elucidar os problemas da situação observada, envolvendo a participação dos sujeitos investigados. O cenário do estudo será o Município de São Leopoldo/RS com população estimada em 230.914 pessoas, com maior afluência na área urbana. A APS do município inclui 22 Unidades Básicas de Saúde (UBS), uma Unidade de Saúde Volante e uma Equipe do Núcleo de Apoio a Saúde da Família, que se articulam com demais áreas do âmbito municipal. O estudo será realizado nas 22 UBS e em seus respectivos territórios, de forma intersetorial, com as Secretarias de Educação, Cultura, Assistência Social, Meio Ambiente, Esporte e Lazer, Políticas para as Mulheres e Associações de Moradores. Será desenvolvido em três etapas: 1) Fase Exploratória: diagnóstico situacional; 2) Desenvolvimento, potencialização e implantação das ações inovadoras; 3) Divulgação da produção do conhecimento e socialização das ações produzidas para a comunidade científica e sociedade. A etapa exploratória será constituída pelo diagnóstico situacional das necessidades do município, com levantamento intersetorial, sobre usuários com DM, HAS e obesos. A coleta de dados será realizada nos prontuários, no sistema de informação disponível nas UBS e na Assistência Farmacêutica, no período de 2017-2019. Também serão utilizados os sistemas DATASUS e BI. Serão realizadas entrevistas, rodas de conversa, seminários, e oficinas com as lideranças comunitárias, no territórios das 22 UBS e estudo documental, que buscarão identificar: condições de vida, organização comunitária, redes de apoio, acesso ao serviço de saúde, lazer e atividade física. Também serão identificadas as ações intersetoriais inovadoras desenvolvidas no município, que visam prevenção e controle de DM, HAS e obesidade. Os participantes serão os usuários, profissionais de saúde e gestores da rede intersetorial. Os resultados do Diagnóstico Situacional, irão subsidiar a Etapa 2 de pesquisa, que será constituída para o desenvolvimento, implantação e potencialização das ações inovadoras, visando desenvolver as ações apontadas pelos participantes como prioridades para a prevenção e controle de DM, HAS e obesidade. Dentre as ações desenvolvidas serão realizados, seis seminários com os profissionais da rede intersetorial, sobre o tema da prevenção e controle de DM, HAS e obesidade, buscando subsídios para propor novas ações e potencializar as existentes, tais como: a Farmácia Viva e Telemonitoramento de Agravos. Nesta etapa serão desenvolvidas Tecnologia Educativas (TE), considerando os conteúdos das rodas de conversa, seminários, oficinas e entrevistas realizadas na etapa anterior. As TEs irão auxiliar na prevenção e controle de DM, HAS e obesidade. Os produtos gerados serão: materiais didáticos instrucionais; aplicativos para monitorar e prevenir os agravos em estudo; conteúdos digitais; guias; manuais; infográficos; entre outras TEs, relacionadas à prevenção e controle de DM, HAS e obesidade. A validação das tecnologias será feita por experts no tema em estudo a partir de instrumentos de validação de conteúdo do material desenvolvido. Na Etapa 3 será realizada a divulgação e socialização das ações produzidas para a comunidade cientifica e sociedade. incluirá a apresentação de um plano para a aplicabilidade das ações e TEs construídas e validadas na Etapa 2. Será realizada divulgação do conjunto de ações intersetoriais e das TEs propostas e implantadas na APS, desenvolvidas para a prevenção e controle de DM, HAS e obesidade. Dentre as estratégias para potencializar a divulgação das produções e as ações planejadas, será utilizada a Tradução do Conhecimento (TC), que possibilita, principalmente, por meio de processo interativo, disseminar e aplicar conhecimento científico, para oferecer serviço de saúde e produtos mais efetivos fortalecendo as políticas públicas de saúde.
  • Universidade do Vale do Rio dos Sinos - RS - Brasil
  • 07/01/2021-31/01/2023
Foto de perfil

Vania Goncalves Lourenço Esteves

Ciências Biológicas

Botânica
  • diversidade polínica e sua aplicação na taxonomia em plantas do sudeste: com ênfase nas vernonieae (asteraceae)
  • O projeto tem como objetivo direto o estudo polínico das plantas do sudeste brasileiro, com ênfase na família Asteraceae atendendo a vários gêneros, tribos e subfamílias. O material polínico será submetido à acetólise e mensurado, descrito e fotomicrografado sob microscópio de luz. Os grãos de pólen não acetolisados, serão analisados em microscópio eletrônico de varredura (MEV) e eletromicrografados para observação dos detalhes da exina e das aberturas. Com os resultados obtidos pretende-se contribuir para uma categorização da flora polínica brasileira além de oferecer subsídios para análises filogenéticas. Serão apresentados dados inéditos acerca do grupo estudado, contribuindo par uma maior compreensão dos táxons de Asteraceae.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vania Margaret Flosi Paschoalin

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • nanoencapsulação da lectina de taro (colocasia esculenta) ou de seus peptídeos ativos para o enriquecimento da farinha de taro e avaliação do potencial imunomodulador, antitumoral e antimetastático em ensaios pré-clínicos
  • A tarina, lectina do inhame, é um fitoquímico com atividades imunomoduladora, antitumoral e antimetastática. A encapsulação de compostos bioativos é uma estratégia desenvolvida para evitar a interação do composto encapsulado com tecidos/células ou com a matriz alimentar que, naturalmente, interfeririam na eficiência do composto e causariam efeitos citotóxicos em tecidos/células que são o alvo do ativo farmacológico. Este projeto tem o objetivo de produzir tarina ou seu peptídeo ativo, encapsulado, em lipossomos, com atividade antitumoral in vitro e in vivo para aplicação na indústria alimentar, como aditivo funcional ou nutracêutico. A tarina ou peptídeo serão encapsulados por hidratação de camada fina de filme lipídico e as nanocápsulas serão avaliadas quanto ao tamanho, homogeneidade, morfologia, estabilidade, eficiência de encapsulação e cinética de liberação. A inocuidade das formulações será avaliada por ensaios de citotoxicidade em cultura de células animais e humanas. Células de diferentes linhagens tumorais serão cultivadas na presença das nanocápsulas e as alterações morfológicas e no ciclo celular serão avaliadas por microscopia de contraste de fase e citometria de fluxo. A indução de apoptose será avaliada por quantificação de caspases e detecção de proteínas apoptóticas por Western Blot. Camundongos BALB/c nude, serão tratados com nanocápsulas de tarina ou peptídeo, e receberão células tumorais no quinto dia, pela via subcutânea. No decurso do tratamento, a massa corporal e o volume dos tumores serão monitorados e após eutanásia, os tumores serão medidos e pesados para determinação do potencial inibitório. A celularidade total, o perfil de distribuição celular bem como a fenotipagem de linfócitos do baço e medula óssea dos animais serão avaliados por citometria de fluxo. Os mesmos procedimentos serão repetidos após a ingesta de farinha de inhame enriquecida com as nanocápsulas pelos camundongos, que serão desafiados por inoculação de células tumorais.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vânia Medianeira Flores Costa

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • personalidade e sua relação com o desempenho acadêmico dos estudantes do curso de administração
  • Para que seja explicado o desempenho que os discentes apresentam em exames de avaliação, torna-se necessário investigar quais são os fatores responsáveis pelo rendimento apresentado. No Brasil, um dos indicadores do desempenho para avaliar a qualidade do ensino é a nota da prova ENADE realizada pelo Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES). Neste sentido, tem-se como objetivo geral do estudo analisar como os traços de personalidade afetam o desempenho dos estudantes do curso de administração (RS), usando como variáveis de controle as características socioeconômicas e institucionais. Especificamente, buscar-se-á caracterizar os estudantes do curso de graduação em administração; explicar o desempenho dos alunos de graduação em administração tendo por base o Inventário dos Cinco Grandes Fatores da Personalidade (IGPF); discutir o desempenho dos alunos de graduação em administração com base nas variáveis socioeconômicas e institucionais; analisar as relações existentes entre os aspectos de personalidade e as variáveis socioeconômicas e institucionais que afetam o desempenho dos estudantes de administração. Será realizada uma pesquisa quantitativa e descritiva, utilizando como modelo de investigação o Partial Least Squares Path Modeling (PLS-PM) com uma abordagem quantílica. Os dados serão analisados através do Software R. Será aplicado um instrumento para uma amostra mínima de 366 discentes do curso de administração que prestarão a prova Enade 2018, bem como, também serão analisados os microdados Inep/Mec a fim de que seja investigado quais fatores explicam o desempenho dos estudantes. Espera-se que os resultados colaborem com a literatura e expliquem os determinantes do desempenho dos egressos do curso de administração.
  • Universidade Federal de Santa Maria - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vania Ribas Ulbricht

Ciências Humanas

Educação
  • coin- artefato para o desenvolvimento de material digital acessível
  • O projeto propõe a produção de um aplicativo web e mobile para representação interativa de diretrizes para produção de material educacional acessível. Através do protótipo desenvolvido para mobile e ambiente web, as diretrizes de recomendação da pesquisadora Macedo (2010) foram organizadas para que desenvolvedores e conteudistas de Objetos de Aprendizagem (OAs) possam utilizar as ferramentas de acessibilidade em seus projetos . Para validar a utilização do aplicativo para que desenvolvedores e conteudistas realizem a produção de conteúdos e Objetos de Aprendizagem (OAs) acessíveis, propõe-se também o desenvolvimento de um Ambiente Virtual de Ensino Aprendizagem (AVEA) com acessibilidade para pessoa com deficiência visual e auditiva, com objetivo de transferir e disseminar conhecimento. Buscando aproximar as diretrizes da visão de mundo dos usuários de acordo com o contexto de uso, objetivamos adequá-las ao ambiente das organizações e dos indivíduos. Dessa forma, profissionais e pesquisadores da área de OAs podem obter uma nova experiência na apropriação das recomendações e promover ações inclusivas.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vania Zanella Pinto

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • uso de extrato de erva mate nanoencapsulado no desenvolvimento de embalgens para alimentos
  • No projeto “Uso de extrato de erva mate nanoencapsulado no desenvolvimento de embalgens para alimentos” objetiva-se encapsular extrato de erva mate (Ilex paraguariensis) usando sistema blow spinning de formação de nanofibras e aplicar as fibras contendo extrato de erva mate como recobrimento em bandejas biodegradáveis e como cobertura ativa em frutas in natura. O projeto está divido em três Estudos a serem executados durante os três anos de vigência. No Estudo I objetiva-se encapsular extrato de erva mate empregando sistema blow spinning e diferentes polímeros como material de parede e, avaliar a eficiência de encapsulação e caracterizar os materiais nanoencapsulados. As variáveis independentes serão tipo de polímero, que apresenta 4 sub-níveis (Amido:PVA, Amido:PEO, PVA, PEO) e concentração do extrato de erva mate com quatro sub-níveis (0, 10, 25 e 50 mL/100g), totalizando 16 tratamentos. As variáveis dependentes (respostas) consistem na avaliação das propriedades da solução polimérica (viscosidade e condutividade elétrica) e solubilidade em água e em ácido das nanofibras obtidas, bem como eficiência de encapsulamento (EE), a sua estabilidade térmica (DSC, TG), estrutura química (FTIR-ATR), morfologia verificada com microscópios, atividade antimicrobiana e concentração inibitória mínima (CIM) e compostos fenóis totais, além da caracterização prévia do extrato. No Estudo II objetiva-se recobrir bandejas expandidas de amido e celulose/nanocelulose com extrato de erva mate nanoencapsulado. A produção das bandejas será estudada variando-se a concentração amido (10, 15, 20 e 25 g/100 mL solução) e a concentração de fibras de celulose (0, 10, 15, 25 e 50 g/g de amido), totalizando 16 tratamentos. As bandejas serão caracterizadas e recobertas com nanofibras contendo extrato de erva mate (Estudo I) empregando o material que apresentou maior teor de compostos fenólicos e atividade antimicrobiana. As respostas serão cor, morfologia, espessura e densidade, absorção de água, propriedades mecânicas, propriedades térmicas (DSC, TG), estrutura química (FTIR-ATR), atividade antimicrobiana e concentração inibitória mínima (CIM) e degradabilidade. No Estudo III objetiva-se aplicar cobertura ativa com nanofibras contendo extrato de erva mate (Estudo I) para ampliar a vida útil de frutas de mamão papaia in natura. As frutas serão caracterizadas, no início e durante 40 dias de armazenamento. As avaliações nas frutas serão massa fresca e incidência de podridão, coloração dos frutos, sólidos solúveis (SS), acidez titulável (AT) e a relação SS/AT, pH, firmeza e compostos fenólicos. Assim ao final, almeja-se instalar uma estação de blow spinning, desenvolver nanofibras ativas e obter produtos tecnológicos, tais como bandejas biodegradáveis de amido expandido e coberturas ativas para frutas.
  • Universidade Federal da Fronteira Sul - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanilton Camilo de Souza

Ciências Humanas

Geografia
  • os erros conceituais e didáticos nos livros de geografia do ensino médio e nas práticas docentes: processos de retificação e mediação didática
  • A proposição desse projeto é desdobramento, por um lado, da Tese de Doutorado defendida em 2009 ocasião em que se postulou sobre a importância da mediação didática e da retificação do erro como conceitos capazes de promover significativa e qualitativamente a formação inicial do professor de Geografia. E, por outro lado, da investigação realizada em pós-doutoramento em 2014 quando analisou-se a primazia de erros conceituais próprios da Geografia e os erros didáticos presentes nas atividades de Estágio Curricular dos Licenciandos de Geografia e Pedagogia. Os argumentos dessas investigações fundamentaram-se nos postulados de Vigotski e Bachelard apontando que tanto o conceito de mediação didática quanto o conceito de retificação dos erros teóricos e conceituais da Geografia Escolar são dimensões capazes de permitir ações didáticas ao processo de construção do conhecimento por parte dos alunos da licenciatura, por se referirem às dimensões epistemológicas dessa construção. O conceito de mediação didática é uma tarefa que se tem debruçado desde 2007 quando iniciou-se, isoladamente, os estudos de Vigotski e, a partir de 2008, esses estudos ocorrem no Grupo de Estudos sobre Vigotski para o Ensino de Geografia. Diferentemente, os estudos sobre Gaston Bachelard no Ensino de Geografia, especificamente os relativos à retificação do erro como dimensão capaz de superar os obstáculos epistemológicos presentes na formação do professor de Geografia tem ocorrido isoladamente. Um curto diálogo ocorreu com um grupo de Didática das Ciências da Universidade de Sevilla, por ocasião do doutorado sanduiche desenvolvido nessa universidade e que tinham em Bachelard e, especificamente, a categoria erro, como rica dimensão didática para essa área do ensino. Através desse grupo, acessou-se as produções do francês Pierre Astolf, quem primeiro sistematizou as contribuições do erro no Ensino de Ciências. No Brasil, esses fundamentos didáticos são bastante incorporados no ensino dessa disciplina. Sob as inspirações de Bachelard (1968, 1996, 2004) e Astolf (2003, 1994, 1988) foi desenvolvido o pós-doutoramento na USP, momento em que, juntamente com a supervisora do programa da Faculdade de Educação dessa universidade, desenvolvemos uma metodologia de retificar os erros teóricos e didáticos da Geografia Escolar, detectados durantes os Estágios desenvolvidos nas escolas pelos licenciandos de Geografia e Pedagogia. Naquele momento, compreendíamos que os caminhos para retificar os erros detectados nesses estágios era, promover a mediação didática na construção do conhecimento profissional desses professores (SOUZA & CASTELAR, 2016). Os resultados dessa investigação apontaram, por um lado, que durante o desenvolvimento do estágio, os licenciando conseguiam perceber os erros (tanto os teóricos quanto os didáticos) sobre a Geografia Escolar durante o processo de planejamento. Nesse ato de planejar, era perceptivo algumas capacidades de retificar os erros e, com isso, definir outros encaminhamentos de aulas mais adequados. A pesquisa apontou, por outro lado, uma maior dificuldade de perceber os erros didáticos e conceituais da Geografia Escolar nas práticas de ensino. Naquele momento, nosso foco era essencialmente nas atividades de planejamento pois não tínhamos logística para acompanhar os estagiários na sua prática durante o estágio. No entanto, nas discussões com os licenciando eles apontavam para a dificuldade tanto de perceber tais erros como de retificá-los, a saber: dificuldade de superar o modelo de aula baseada na transmissão do conhecimento e dificuldade de exercer maior autonomia sobre os textos de livros didáticos. Em decorrência dessas investigações sobre a relevância de se tomar os erros relativos às nossas práticas profissionais no ensino de Geografia e a necessidade de retificá-los, temos dois desdobramento que jugamos importantes: o primeiro é o de reforçar o papel da mediação didática nos processos de aprendizagem dos alunos; o segundo diz respeito os desenvolvimento da Didática da Geografia a qual consideramos um campo epistêmico muito importante na formação do professor e nas práticas de ensino dessa disciplina. Em função dessa relevância por um lado e a necessidade de ampliarmos a investigação nas práticas de ensino, é que propomos esse projeto. O problema dessa proposta assenta-se no seguinte entendimento: as dificuldades de percepção e retificação de erros conceituais e didáticos de Geografia vivenciados pelos licenciandos em sua formação inicial estão presentes nas práticas de ensino de docentes de Geografia que já possui experiências na sala de aula? Que concepções de ensino e aprendizagem de Geografia estão presentes na prática do professor de Geografia? Quais os obstáculos conceituais e didáticos oriundos dos livros didáticos usados pelo professor de Geografia nas escolas? Que erros teóricos, conceituais e didáticos estão presentes ou são induzidos pelo livro didático? Que elementos da prática do professor de Geografia apontam para metodologias mediadoras na construção do conhecimento capazes de retificar os erros conceituais e didáticos? Que relação se estabelece entre as teorias educacionais, as teorias geográficas e os fundamentos da Didática da Geografia no processo de construção de uma metodologia de ensino coerente com o que se pensa e com o que se ensina, tendo em vista as atividades didáticas desenvolvidas pelos professores nas suas práticas de ensino tendo como referência o livro didático? Qual a conexão possível entre tais fundamentos no contexto dessas práticas docentes? As conexões retificam os erros e mobilizam a construção do pensamento geográfico por parte do aluno?
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanina Macowski Durski Silva

Engenharias

Engenharia de Transportes
  • logística portuária: análise, modelagem matemática e simulação de operações visando a melhoria da eficiência operacional
  • Com a nova organização mundial, baseada na constituição de mercados globais, exige-se a criação de sistemas logísticos eficientes, capazes de escoar a produção para os mercados externos. Assim, os portos, como agentes de transporte, devem ser analisados como um elo extremamente importante na integração do mercado nacional e global e, a sua modernização encontra-se entre as principais ações a serem desenvolvidas no plano de redução dos custos nacionais, bem como no aumento das exportações. O Brasil, por apresentar características que o destacam no setor marítimo e fluvial, por possuir 7.408 km de fronteira com o Oceano Atlântico (principal porta de entrada e saída de cargas para o mundo) e devido ao ganho de escala e ao baixo custo, apresenta o modal aquaviário com a maior quantidade de carga escoada do país para o exterior. Assim, é imperativo a reestruturação do sistema portuário, tornando-se crucial analisar e avaliar o desempenho dos portos/terminais para melhorar e ampliar a importância e o desenvolvimento de uma região ou país. A análise dos portos/terminais brasileiros bem como dos agentes envolvidos na atividade do transporte aquaviário (sejam as indústrias, os operadores portuários, navegadores, etc.) é vital para o desenvolvimento regional e nacional, visto que os portos são entrada e saída para conexões com o mercado e, desse modo, a ineficiência ou gargalos apresentados nas operações logística-portuárias poderão tornar-se impedância para o desenvolvimento brasileiro. Em decorrência desse enfoque, a linha mestra desta proposta pode ser resumida da seguinte forma: desenvolvimento de métodos de modelagem matemática e de simulação associados à logística portuária (incluindo-se as operações de transporte marítimo), que permitam realizar uma análise comparativa entre os portos/terminais brasileiros e alguns internacionais, no tocante à eficiência operacional no intuito de reduzir condições indesejadas bem como custos elevados.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Varlei Rodrigues

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • desenvolvimento de (bio)sensores baseados em filmes poliméricos nanoestruturados com nanopartículas metálicas embebidas
  • A detecção específica de espécies relevantes, biológicas ou para monitoramento ambiental, com sensibilidade e seletividade cada vez maiores é um desafio importante nas ciências fundamentais e aplicadas. Intensos trabalhos de pesquisa introduziram nos últimos anos vários métodos para a detecção óptica de biomoléculas através de Raman, fluorescência ou espectroscopia de ressonância plasmônica de superfície. Devido a sua estreita largura espectral e forte amplificação de campos elétricos locais, o plasmon de superfície de nanopartículas (NPs) de metais nobres tem sido usado para melhorar a detecção até o nível da detecção de uma partícula única. Tem sido reportadas medidas SERS de rodamina usando substratos de NPs de Au em polímero, os detalhes da interação não são claros, principalmente devido à dificultade de controlar a distância entre NPs e molécula. Além disso, foram observadas grandes diferenças na amplificação e na resolução espectral das medidas. Apesar de recentes avanços, os filmes poliméricos ainda são raramente explorados em combinação com NPs metálicas. Esta ausência de pesquisa é surpreendente, tendo em mente o alto grau de aplicabilidade dos polímeros e das NPs, e pode ser atribuída ao alto grau de interdisciplinaridade necessária para o seu estudo. Assim, o potencial da combinação de polímeros e NPs está longe de ser totalmente explorado. O conhecimento detalhado de como combinar as possibilidades e versatilidades de polímeros e das NPs metálicas é crucial para uma possível aplicação tecnológica futura. O objetivo deste projeto é compreender a influência das propriedades físicas e químicas de filmes poliméricos dopados com NPs metálicas para o seu uso em sensores. Para isso pretendemos fabricar e caracterizar amostras modelo de filmes de polímero com NPs metálicas incorporadas com controle total sobre composição, tamanho e concentração. Vamos estudar como o ambiente polimérico influencia as propriedades das NPS metálicas, como sua estrutura cristalina, posição do pico de ressonância plasmônica, transferência de carga e extinção magnética na interface. Também vamos abordar como a presença de NPs metálicas altera as propriedades físicas e químicas do filme polimérico, como sua condutividade, rigidez e permeabilidade. Vamos também verificar como o sistema nanoestruturado responde a estímulos externos como campos elétricos ou magnéticos, umidade, reagentes químicos. Finalmente, vamos analisar seu comportamento quando usados em arquiteturas de sensores. Uma vez que a combinação adequada de materiais seja encontrada e que o sistema nanoestruturado seja caracterizado, poderemos implementá-lo em protótipos de dispositivos sensores para testar seu desempenho.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vasco Ariston de Carvalho Azevedo

Ciências Biológicas

Genética
  • uma abordagem integrativa para entender a estrutura, função e dinâmica da protease do hiv: aplicações para projetar novos inibidores
  • Os países Índia, África do Sul e Brasil são amplamente afetados pela epidemia de HIV / AIDS. Embora as terapias de tratamento tenham como alvo várias proteínas do HIV, as proteases são os principais alvos dos medicamentos anti-retrovirais (antiretroviral-ARV). Várias análises experimentais e computacionais foram realizadas para entender a estrutura, função, mecanismo de ação do fármaco, resistência a drogas, e a maioria dos estudos está focada no subtipo B. Pawar et al. (2018) mapeou os dados genotípicos com a estrutura da enzima e propôs um método usando aprendizado de máquina para classificar a resistência à protease do HIV. Eles mostraram que os modelos de aprendizado de máquina treinados com um inibidor poderiam classificar a resistência de outros inibidores com base na similaridade de estruturas químicas. Li et al. (2018) desenvolveram um método de previsão de consenso usando diferentes técnicas de aprendizado de máquina, juntamente com fingerprints e características físico-químicas para discriminar os inibidores e decoys de protease do HIV. Koushi et al. (2018) revelaram as ligações químicas de ligantes com dois resíduos de Asp catalíticos de protease de HIV-1 por cristalografia de neutrões. Pintro e de Azevedo (2017) desenvolveram uma função de pontuação para prever a afinidade de ligação de ligantes com a protease do HIV-1 usando métodos de molecular docking. Zhua et al. (2019) usaram a estratégia conhecida como scaffold-hopping para combinar o inibidor de protease do HIV-1 Darunavir (DRV) e os triterpenóides pentacíclicos para projetar novos compostos. Ghosh et al. (2018) projetaram e sintetizaram uma ampla gama de inibidores de protease excepcionalmente potentes e estruturalmente intrigantes e mostraram propriedades semelhantes a drogas favoráveis. Nosso grupo caracterizou diferentes tipos de mutações para distinguir entre a presença ou ausência da doença (Kulandaisamy et al. 2019), bem como inibidores específicos de mutação (Anoosha et al. 2019). Por outro lado, vários bancos de dados como BindingDB, ChEMBL e The Stanford HIV Drug Resistance Database foram desenvolvidos para moléculas do tipo droga, que incluem inibidores e mutações resistentes a drogas do subtipo B de protease do HIV. No entanto, estes estudos baseiam-se principalmente no subtipo B do HIV-1 e sabe-se que os fármacos / inibidores disponíveis são menos eficazes contra algumas variantes do subtipo C. Um dos pesquisadores, o grupo do Professor Yasien Sayed iniciou o trabalho no subtipo C, focando na superexpressão, purificação e caracterização, bem como a susceptibilidade à droga e capacidade de replicação das variantes da região charneira da protease do subtipo C do HIV-1 (Zondagh et al. 2018, 2019). Portanto, é necessário realizar investigações detalhadas sobre a estrutura e função do subtipo C da protease do HIV, desenvolver bancos de dados e inibidores / fármacos projetados especificamente para as proteases do subtipo C do HIV.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 08/08/2019-31/08/2022
Foto de perfil

Velci Queiróz de Souza

Ciências da Saúde

Farmácia
  • utilização de compostos bioativos obtidos de plantas do bioma pampa gaúcho em terapias de desordens decorrentes do envelhecimento.
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal do Pampa - RS - Brasil
  • 23/01/2020-22/01/2025
Foto de perfil

Venerando Eustáquio Amaro

Outra

Ciências Ambientais
  • geotecnologias aplicadas à gestão de recursos hídricos do sistema lacustre do bonfim/rn (sigla geotec-bonfim)
  • No Estado do Rio Grande do Norte (RN) o sistema público de abastecimento de água e esgoto é operado em 155 municípios pela Companhia de Água e Esgoto do Rio Grande do Norte (CAERN) e em 12 municípios pelo Sistema Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), com base em mananciais superficiais e subterrâneos, que estão inerentemente interligados nos aspectos de recarga hídrica. No contexto desse abastecimento estratégico do RN destaca-se a relevância do açude Eng. Armando Ribeiro Gonçalves, na bacia do rio Piranhas-Açu, do qual partem quatro grandes sistemas adutores (Médio Oeste, Serra de Santana, Sertão Central Cabugi e Adutora Jerônimo Rosado) e a Lagoa do Bonfim, localizada no Município de Nísia Floresta no litoral oriental do Estado, que é responsável pelo abastecimento de 30 municípios através do Sistema Adutor Monsenhor Expedito da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMARH-RN) e da CAERN. Esta adutora, de importância basilar no atendimento do Agreste Potiguar com cerca de 35% da população do Estado, vale-se da captação direta no espelho de água da Lagoa do Bonfim e por alguns poços tubulares situados a montante desta. Por conseguinte, tornou-se imprescindível uma gestão dos recursos hídricos consistentes e baseada em instrumentação e ferramentas de alta precisão e acurácia, de baixo custo relativo e que permita o monitoramento contínuo, com opções de vários arranjos temporais, de aspectos qualitativos e quantitativos da qualidade de água e da disponibilidade hídrica da Lagoa do Bonfim, diante do funcionamento de toda a adutora, especialmente durante os prolongados períodos de estiagem. A Lagoa do Bonfim compõe o Sistema Lacustre do Bonfim juntamente com as lagoas de Redonda, Urubu, Boa Água, Arituba, Alcaçuz, Ferreira Grande e Carcará, que constitui uma pequena bacia com um único dreno, o Riacho Boa Cica afluente da margem esquerda do Rio Trairi, com área de aproximadamente 60 km2, todas integradas em aquífero livre. Contudo, é notável nesse sistema lacustre a ausência de rede de drenagens proeminentes, além de destacada influência do controle morfotectônico sobre as formas e arranjo das lagoas, sugerindo elevada taxa de infiltração e pouca influência dos fluxos superficiais para as lagoas. Portanto, todo o sistema lacustre do Bonfim está inserido no Aquífero Dunas-Barreiras (ou apenas Aquífero Barreiras, na ausência de Dunas) entre as bacias hidrográficas dos rios Trairi, ao sul, e Pirangi, ao norte, ambas de contribuição superficial reduzida e configura-se como o maior reservatório de água natural da região litorânea oriental do RN (Pereira et al. 1996, Lucena 1999, Pereira 2007). O sistema lacustre do Bonfim apresenta baixa capacidade reguladora, da ordem de 18.000.000 de m3/ano (Pereira et al. 2000). O Aquífero Barreiras é o principal aquífero da região costeira do Norte e Nordeste do Brasil, estendendo-se desde o Amapá ao Rio de Janeiro (Lucena 1999, Batista et al. 2007, Santos 2013, Zoby & Oliveira 2005). Consequentemente é o maior manancial de água subterrânea do litoral oriental do RN e a principal fonte de abastecimento de água das cidades litorâneas, incluindo a capital Natal (SERHID 1998, 2006). Embora represente uma área de apenas 1,5% do RN, o sistema lacustre do Bonfim atende as necessidades hídricas de cerca de 35% de população do RN (Pereira et al. 2003). Porém, ininterruptamente nota-se o rebaixamento no nível de água na Lagoa do Bonfim, quase 50% de Novembro de 1998 a Julho de 1999, devido ao volume captado para a adutora após o início do bombeamento. Portanto a captação é um fator muito impactante no sistema lacustre do Bonfim (Pereira et al. 2002), juntamente com a ampliação do uso e ocupação dos entornos das lagoas por diversas atividades, que também sugerem a tendência de redução do espelho de água e do volume do manancial superficial de água. Nesse cenário se insere o doravante chamado projeto GEOTEC-BONFIM que servirá como modelo de integração de ferramentas de Geotecnologias Aplicadas à formação de recursos humanos, desde o diagnóstico até o monitoramento de sistemas lacustres e seus entornos, propiciando facilidades operacionais às tomadas de decisões, com métodos e instrumentação integrados ao tratamento de geodados multifontes na gestão sustentável de recursos hídricos na região Nordeste e outras similares.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vera Beatriz Siqueira

Lingüística, Letras e Artes

Artes
  • laboratório de história da arte global
  • A História da Arte Global é tema de destaque na área há algumas décadas. Importa-nos especialmente levantar o problema da abrangência efetiva dessa nova tendência historiográfica, debatendo como, apesar de a arte estar difundida pelo globo terrestre, o conteúdo da História da Arte, tal como é gerado por meio de ensino, mostras e publicações, permanece ainda parcial, centrado na Europa e na América do Norte. Importa também pensar em estratégias inclusivas, que não apenas ampliem o panteão da arte ocidental, mas que enfrentem os problemas da heterocronia e da incomensurabilidade das culturas a partir do Brasil, da arte aqui produzida e de seus processos de historicização e institucionalização. Devido à sua formação e qualificação, e aos vínculos estabelecidos com importantes instituições do Brasil e do exterior, os pesquisadores participantes desse projeto pretendem participar de forma qualificada nos debates atuais sobre a disciplina histórico-artística e, mais especificamente, sobre a perspectiva da História da Arte Global, buscando discutir algumas questões fundamentais: 1. O desenvolvimento de uma História da Arte a partir do Brasil, questionando não apenas o centramento na Europa e nos Estados Unidos, mas também os conceitos que fundamentam a História da Arte ocidental; 2. O entendimento da História da Arte como uma linguagem, uma tática de pensamento, um projeto de compreensão, capaz de articular diferentes quadros culturais, a partir das ideias de fluxo, recepção, comparação, interpretação, entre outras; 3. A compreensão da historicidade da arte como algo que não se restringe ao tempo específico de sua produção, e sim como dado que se renova, a partir de cada nova interpretação, uma vez que o objeto artístico é sempre contemporâneo do historiador da arte e o passado se apresenta como necessariamente mutável e instável; 4. A investigação da arte em sua associação entre a materialidade dos objetos e o fenômeno estético e cultural, buscando extrair do fato artístico a sua emergência histórica e o seu sentido cultural; 5. A compreensão de que a busca por uma História da Arte global não pode significar apenas incluir novos objetos no tradicional panteão ocidental, mas sim, ao fazê-lo, lidar com a potência estética destes, de modo a obrigar o historiador a uma redefinição do processo simbólico da cultura e da própria dinâmica da historicidade; Desse modo, a interpretação histórico-artística é tratada não como algo que se apõe aos objetos e sim como aquilo que os configura: os fatos artísticos são, em si, fatos interpretados, em múltiplas temporalidades e diferentes quadros culturais.
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vera Cascon

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • xv fecti – décima quinta feira de ciência, tecnologia e inovação do estado do rio de janeiro.
  • O objetivo do presente projeto é a realização da XV FECTI - Décima Quinta Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado do Rio de Janeiro, organizada pela Fundação CECIERJ, fundação pública de direito público, órgão da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação do Rio de Janeiro. A realização da feira de ciências estadual FECTI integra as ações executadas pela Fundação CECIERJ, que tem como origem o Centro de Ciências do Estado da Guanabara (CECIGUA), que foi criado em 1965 como o objetivo de “promover a educação científica do povo”, atuando na capacitação de professores, produzindo e distribuindo livros-texto e materiais para os laboratórios das escolas, além de ter realizado feiras de ciências estaduais de 1968 a 1974. A Fundação CECIERJ, comprometida com a difusão e popularização da ciência e com a melhoria do ensino de ciências, retoma a iniciativa de feiras de ciências em 2005 com o estabelecimento do programa FECTI – Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado do Rio de Janeiro, que conta com o apoio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação do Rio de Janeiro (Anexo I). A FECTI é a maior feira de ciências do Estado do Rio de Janeiro e tem contado com o auxílio da FAPERJ desde sua primeira versão, em 2005, e das chamadas organizadas pelo CNPq para feiras de ciência e mostras científicas, desde 2010. A participação, gratuita, na FECTI ocorre de duas formas: por inscrição avulsa no site, ou por meio de indicação de feiras afiliadas, que sejam realizadas até o final da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Todos os projetos, mesmo os indicados por feiras afiliadas, necessitam se inscrever na FECTI, enviando um relatório do projeto que será avaliado pela comissão científica da FECTI. Os estudantes de 6º ao 9º ano poderão inscrever seus projetos nas categorias Ciências no Ensino Fundamental II- 6º e 7º ano e Ciências no Ensino Fundamental II- 8º e 9º ano; e os estudantes do ensino médio e técnico nas categorias: Ciências Biológicas & da Saúde, Ciências Exatas, Desenvolvimento de Tecnologia, Interdisciplinar (para projetos de Arte e Ciência, Sociedade, Ciência e Esporte, Educação e Ensino de Ciências, História da Ciência). Os projetos inscritos na FECTI são submetidos a uma pré-seleção realizada pela equipe da Divulgação Científica da Fundação CECIERJ. Nessa pré-seleção, são considerados a originalidade, o cumprimento às normas da FECTI (Anexo II) e aos princípios éticos que regem a pesquisa com seres vivos. Os projetos considerados aptos a participar da FECTI são avaliados pelo Comitê Científico, composto por cerca de 160 professores e pesquisadores ligados a instituições de ensino e pesquisa e museus de ciência (Anexo III). A seleção para a mostra da XV FECTI levará em consideração a qualidade e o número máximo de 190 projetos finalistas. Os relatórios dos projetos finalistas serão publicados nos Anais da XV FECTI, em mídia digital. A XV FECTI será realizada nos dias 3 e 4 de dezembro de 2021, no CEFET/RJ, Campus Maracanã, cidade do Rio de Janeiro. Durante o evento, das 10h às 17h, com entrada gratuita, os projetos serão apresentados pelos estudantes ao público e à comissão de avaliação. Concomitantemente com a feira, irá ocorrer nas dependências do CEFET/RJ o 5º. Encontro de professores FECTI, para troca de experiências entre professores, com a participação de especialistas em ensino de ciências e dos professores orientadores dos projetos expostos na FECTI. Também serão oferecidas oficinas para formação continuada aos professores, ministradas pelos professores integrantes da Praça da Ciência Itinerante, programa da Fundação CECIERJ voltado à formação continuada de professores da educação básica. Para os estudantes, será realizada a visitação aos laboratórios do CEFET/RJ, uma oportunidade de incentivar esses jovens a seguirem seus estudos, especialmente nas carreiras de ciência e tecnologia. Ao final do evento, os expositores, alunos, professores e suas escolas, receberão o certificado de participação e os vencedores em cada categoria serão premiados. A realização anual da FECTI promove o desenvolvimento no ambiente escolar de projetos de pesquisa, nas diversas áreas de ciência e tecnologia, envolvendo estudantes e seus professores na investigação científica, contribuindo para a melhoria do ensino de ciências e matemática e abrindo caminho para a formação de jovens com um pensamento inventivo e crítico. A realização do evento, aberto e gratuito, permite à população o desenvolvimento de uma cultura científica. Assim, além de despertar o gosto de jovens pelas carreiras científicas e tecnológicas, espera-se contribuir para a formação de cidadãos mais críticos e participativos.
  • Fundação Centro de Ciências e Educação Superior à Distância do Estado do RJ - RJ - Brasil
  • 28/12/2020-31/12/2022