Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ana Cristina de Albuquerque

Ciências Sociais Aplicadas

Ciência da Informação
  • organização do conhecimento e documentação museológica: relações classificatórias na dimensão social, cultural e política em catálogos de museus brasileiros
  • O objetivo da Organização do Conhecimento é possibilitar incursões quanto ao processo de sistematização da organização, representação e recuperação do conhecimento, através da elaboração e do estudo dos Sistemas de Organização do Conhecimento. No bojo dos questionamentos oriundos de uma perspectiva crítica, a OC vem sendo discutida por diversos estudiosos sobre sua dimensão social, cultural e política e sobre os limites hegemônicos de organizar o conhecimento. Este ponto contradiz o caráter dialético de compreensão dos fenômenos e considera apenas um recorte da realidade, deixando de lado perspectivas que podem ajudar a compreender a construção implícita nos instrumentos que representam o conhecimento. O interesse recai sobre a documentação museológica como ação que documenta, preserva e narra de forma classificatória, as informações sobre documentos e sua organização dentro do universo em que se encontram. Questiona-se de que maneira se estabelecem relações classificatórias, tendo como principal elemento os conceitos, que caracterizam uma Organização do Conhecimento ligada a seu contexto social, político e cultural na documentação museológica do século XIX de museus brasileiros. O método de Análise do Domínio será utilizado para caracterizar o domínio específico do conhecimento, assim como as comunidades discursivas que incluem tanto os pesquisadores quanto os documentos produzidos sobre esse domínio. Os locais escolhidos são o Museu Paranaense, PR, Museu Emilio Goeldi, PR e Museu Paulista, SP, ambos fundados na segunda metade do século XIX. A proposta visa contribuir transversalmente com discussões teóricas na Ciência da Informação, na documentação museológica, na Teoria da Classificação e Organização do Conhecimento possibilitando o intercâmbio de conhecimentos oriundos de referencial bibliográfico nacional e internacional, assim como um olhar para um entendimento contextual dos documentos que narram, medeiam e organizam o conhecimento para seus usuários.
  • Universidade Estadual de Londrina - PR - Brasil
  • 03/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Cristina Miranda Brasileiro

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • memória do estresse em plantas: uma estratégia biotecnológica inovadora para mitigar os efeitos das mudanças climáticas
  • Plantas cultivadas estão constantemente expostas a estresses ambientais simultâneos e recorrentes que causam perdas significativas de produtividade em diversas culturas. No contexto das mudanças climáticas previstas, esses fatores abióticos afetarão cada vez mais o setor agrícola, tornando-se imperativo o desenvolvimento de cultivares mais tolerantes a múltiplos estresses para garantir a segurança alimentar mundial. As plantas desenvolveram, ao curso da evolução, mecanismos para memorizar suas respostas de defesa após vivenciar uma situação de estresse, e reagir de maneira mais rápida e eficiente a um próximo estresse. Este processo, conhecido como ‘priming’, de aquisição de memória do estresse e pré-ativação de defesa constitui um enorme potencial a ser explorado no desenvolvimento de novas cultivares adaptadas às condições subótimas de crescimento. Entretanto, até o momento, não está descrito na literatura científica ou patentária brasileira a aplicação da engenharia de genes de memória em commodities agrícolas de interesse para o país. A equipe proponente acumulou, ao longo dos anos, dados de sequências genômicas de interesse e um extenso conhecimento sobre os mecanismos moleculares de defesa desenvolvidos por espécies silvestres de Arachis, nativas do Brasil, para sobreviver às inúmeras combinações de estresses que ocorrem em seus ambientes naturais. Este acervo constitui, assim, uma oportunidade ímpar para a exploração de genes ‘silvestres’ de memória no desenvolvimento de novas soluções biotecnológicas visando reduzir os danos causados por estresses em plantas. A presente proposta propõe a identificação, engenharia, e caracterização fenotípica in planta de genes de memória oriundos da biodiversidade brasileira, possibilitando a exploração de todo potencial biotecnológico destes genes na aquisição constitutiva de memória do estresse em plantas e o desenvolvimento de cultivares com maior tolerância a múltiplos e simultâneos estresses abióticos.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - DF - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025