Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Simério Carlos Silva Cruz

Outra

Divulgação Científica
  • semana digital de ciência e tecnologia da universidade federal de jataí
  • A Semana Digital de Ciência e Tecnologia da UFJ faz parte do movimento de divulgação da produção científica para o público, realizado anualmente com o apoio do MCTIC, durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia – SNCT. Para isso, a proposta possui três ações: 1. UFJ Saúde (dia 20 de outubro) - serão oferecidos à população esclarecimentos sobre os projetos de pesquisa e de extensão que estão sendo desenvolvidos na UFJ no combate ao Corona Vírus através de palestras e Webnários; 2. Workshop A Ciência na UFJ: contexto da inteligência artificial e as suas perspectivas para o Futuro (20 de outubro): através de podcasts serão divulgados os principais projetos de pesquisa bem como as potencialidades da Instituição no contexto da inteligência artificial; 3. Feira de Ciências (dias 21 e 22 de outubro) - durante a realização da “Feira de Ciências” serão apresentados produtos, processos e serviços da UFJ selecionados para a comunidade em geral e, principalmente, para os alunos do ensino fundamental e médio, matriculados nas escolas públicas e privadas de Jataí e Municípios vizinhos. Para a Feira de Ciências serão realizados Webnários com temática de abertura “Inteligência Artificial e sua interface entre as grandes áreas do conhecimento”, além disso, esses alunos, poderão se inscrever para a apresentação de trabalhos científicos nas diferentes categorias da Feira de Ciências. Os pesquisadores da UFJ, juntamente com graduandos e pós-graduandos organizarão todo material digital necessário para levar as informações mais relevantes aos participantes do evento. As Secretarias de Educação do Município de Jataí e municípios vizinhos se responsabilizarão pela divulgação da “Feira de Ciências” focando nos alunos da rede municipal e estadual de ensino.
  • Universidade Federal de Jataí - GO - Brasil
  • 20/10/2020-30/04/2021
Foto de perfil

Simone Aparecida Lopes-Herrera

Ciências da Saúde

Fonoaudiologia
  • elaboração e validação de objetos de aprendizagem para educação continuada em fonoaudiologia
  • O ensino em saúde vem sendo cada vez mais tema de debate na comunidade científica, visando aperfeiçoar técnicas, humanizar os profissionais e melhorar o aproveitamento dos alunos em sala de aula. Contudo, existem poucos estudos publicados e materiais técnicos disponíveis para o ensino em Fonoaudiologia, mostrando uma defasagem quando comparada a outras especialidades na área da saúde. O objetivo desta pesquisa é elaborar e validar objetos de aprendizagem (Serious Game de simulação clínica, ferramentas digitais para auxiliar a tomada de decisão clínica e outros Mini Serious Games para facilitar a associação teórico-prática) para o treino em estimulação de Linguagem Oral em crianças. Para isso, serão utilizados dados sobre as principais dificuldades encontradas pelos fonoaudiólogos clínicos com relação á intervenção na Linguagem Infantil para definir os tópicos necessários a serem abordados, fazendo então uma elaboração colaborativa. O grupo de pesquisa da proponente já tem tais dados coletados e em processo de análise, tais dados são derivados de duas teses de doutorado em andamento, orientadas pela proponente nesta mesma área de estudo. A partir desses dados será realizada um mapeamento sistemático da literatura para selecionar os materiais com maior evidência cientifica sobre o tema, que serão utilizados como referencial teórico para a elaboração dos objetos de aprendizagem. Já para a elaboração do Serious Game (que será um jogo realístico de simulação de paciente) será utilizada uma rede neural artificial elaborada por um aluno de doutorado, orientado pela proponente, em sua tese para a definição dos casos fictícios que serão abordados no jogo. Ao término da elaboração das ferramentas, todas terão seus conteúdos validados seguindo as três fases da metodologia de validação de conteúdo: (1) validação face a face – realizada por juízes docentes na área da linguagem infantil (n=10) e designers (n = 10), que responderão questionários validados e amplamente utilizados na literatura para este fim; (2) validação de construto – onde os mesmos juízes irão comparar por meio de questionários e escalas os objetos educacionais propostos neste projeto com outros objetos de aprendizagem já validados e amplamente utilizados de acordo com a literatura científica; (3) validação por contraste – onde 30 fonoaudiólogos clínicos irão utilizar os objetos de aprendizagem e os seus conhecimentos sobre intervenção serão comparados com outro grupo de 30 fonoaudiólogos em situação controle. Ademais, os fonoaudiólogos que utilizarem as ferramentas serão consultados por sua opinião sobre as mesmas. Espera-se, como produto final da pesquisa, ferramentas eficazes para o ensino em Fonoaudiologia que poderão ser utilizadas dentro dos cursos de graduação e educação continuada, melhorando não só o aprendizado do aluno, mas também os atendimentos fonoaudiológicos prestados aos pacientes.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Simone Costa Nunes

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • gestão da diversidade e inclusão de pessoas com deficiência: análise do papel de recursos humanos
  • Este projeto de pesquisa tem como objetivo analisar como as áreas de Recursos Humanos (RH) percebem a gestão da diversidade e inclusão de pessoas com deficiência e em que medida vêm cumprindo seu papel como responsáveis pela implementação de políticas e práticas para sua efetividade. Embora o acesso ao trabalho seja um direito civil individual, na maioria das vezes, as pessoas com deficiência encontram obstáculos para ingressar no mercado laboral. Especialmente a partir dos anos 1990, um conjunto de leis e decretos-lei específicos vêm sendo sancionados no Brasil para garantir o direito e acessibilidade ao mercado de trabalho de pessoas com deficiência. Dentre as leis mais difundidas no mercado, encontram-se a Lei de Cotas nº 8.213, de 1991 que se constituiu como um marco para as práticas de inclusão, obrigando que as organizações também ofertassem oportunidades de trabalho abrangendo pessoas com deficiência, e a Lei no. 8.112, de 1990, que assegura às pessoas com deficiência o direito de se inscreverem em concurso público para provimento de cargo. Entretanto, apesar de toda sua importância, a legislação não teve ainda o poder de transformar a sociedade, já que a sensibilização e efetiva aceitação das pessoas, especialmente no universo organizacional, ainda se encontram alicerçadas em práticas discriminatórias. Tal realidade inclui profissionais das áreas de Recursos Humanos das empresas dos quais se esperariam atitudes e ações de inclusão baseadas no desenho de políticas e práticas voltadas para a melhor adaptação deste público às realidades organizacionais. Entretanto, o que se observa, é uma ainda incipiente ação das empresas nessa direção, e uma baixa incidência de estudos sobre o tema, no caso da academia. Para o desenvolvimento da pesquisa propõe-se uma abordagem qualitativa e quantitativa, com a definição de etapas que incluem: (1) levantamento bibliográfico sobre o tema diversidade e inclusão de pessoas com deficiência; (2) Sistematização e análise de dados secundários da publicação do Guia “As Melhores Empresas para Você Trabalhar” (MEPT) no qual consta item específico sobre diversidade; (3) Sistematização e análise de dados secundários do “Guia Exame de Diversidade”, cuja publicação objetiva reconhecer as melhores práticas empresariais em políticas e ações junto aos públicos diversos; (4) Aplicação do Índice de Maturidade em Gestão Inclusiva (IMGI) nas empresas selecionadas a partir da avaliação dos resultados constantes na MEPT e no Guia Exame de Diversidade; (5) Seleção das empresas para estudo de caso em profundidade; (6) Análise documental das empresas selecionadas; (7) Definição de respondentes e realização de entrevistas e grupos de foco; (8) Análise dos dados; (9) Devolutiva da pesquisa aos envolvidos. A relevância e contribuição desta pesquisa estão na ampliação do conhecimento sobre a temática da diversidade e, em especial, da inclusão de pessoas com deficiência no contexto empresarial brasileiro, contribuindo para que as possibilidades de uma adequada inclusão sejam ampliadas no mercado de trabalho. O papel das áreas de Recursos Humanos nas empresas, nesse sentido, é fundamental, de modo a sensibilizar e garantir as contratações, além de promover a inclusão no ambiente laboral.
  • Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Simone Cristina Baggio Gnoatto

Ciências da Saúde

Farmácia
  • síntese de peptidomiméticos com atividade antibiofilme
  • A capacidade das bactérias em formar biofilmes provoca uma grande dificuldade na terapia antimicrobiana, pois as células bacterianas em biofilmes são extremamente resistentes ao tratamento com antibióticos como também a resposta imunológica do hospedeiro se torna deficiente. Estes fatos têm incentivado a uma contínua busca por novos fármacos antibiofilmes de forma que possam vencer as limitações existentes nos fármacos atuais. Neste contexto, os peptídeos vêm sendo estudados nas últimas décadas e têm demonstrado considerável atividade antibiofilme. Nosso grupo de pesquisa vem trabalhando na hipótese de encontrar peptídeos bioativos naturais e sintéticos e excelentes resultados foram obtidos. No entanto, em função da baixa estabilidade proteolítica dos peptídeos, estes compostos têm um interesse terapêutico moderado. Desta forma, eles servirão como fonte de inspiração para a síntese de compostos miméticos, os AApeptídeos. Essa é uma abordagem recente e inovadora. O termo AApeptídeo se inspirou de N-Acila-N-Aminoetilaminoácidos. Comparados aos peptídeos, uma unidade repetida no AApeptídeo é estruturalmente similar à dois resíduos adjacentes de um peptídeo, no qual há duas cadeias laterais, uma é a cadeia regular de um α-aminoácido enquanto a segunda provem de um resíduo de um ácido carboxílico ligado a um átomo de nitrogênio terciário. Cada AApeptídeo possui o mesmo número de grupos funcionais que o peptídeo convencional com uma cadeia carbônica de mesmo tamanho. Ainda, cada átomo de nitrogênio, secundário ou terciário, faz parte de uma ligação amida. Esta família de peptidomiméticos apresenta assim, similaridades desejadas aos peptídeos sem os seus inconvenientes. Os AApeptídeos serão sintetizados com base na estrutura dos peptídeos que já demonstraram atividade antibiofilme e terão seu atividade avaliada. Buscamos, com este projeto, uma terapia contra a formação de biofilmes patogênicos e uma nova classe química de fármacos, visto que não existe no mercado um fármaco com estas características.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022