Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Beatriz de Aguiar Giordano Paranhos

Ciências Agrárias

Agronomia
  • nanoformulação de bioinseticida para controle da mosca da fruta ceratitis capitata via tecnologia de rna interferente
  • A mosca-das-frutas Ceratitis capitata é uma praga de grande importância econômica na fruticultura nacional e internacional, que causa enormes prejuízos à produção e comercialização de frutas, limitando sua exportação devido às barreiras quarentenárias impostas por países importadores. Ceratitis capitata, conhecida popularmente como mosca do mediterrâneo ou moscamed, foi introduzida no início de 1900 e está amplamente distribuída pelo país, sobretudo no Submédio Vale do São Francisco. Com o agravamento dos impactos ambientais em resposta a ação antropogênica na natureza, tem se desenvolvido técnicas de controle de inseto alternativas ao uso de agroquímicos como o controle biológico e o uso de moscas estéreis (transgênicas ou mutantes). Entre os métodos complementares de controle de insetos, este projeto tem como objetivo viabilizar o uso da tecnologia do RNA interferente no controle de C. capitata com foco na seleção de potenciais genes alvo a terem sua expressão suprimida, no aumento da estabilidade do dsRNA por meio de seu nanoencapsulamento e na otimização de entrega dessa molécula ao inseto adulto na forma de isca (atrativo alimentar + dsRNA), já que as larvas se desenvolvem no interior dos frutos. Além disso, será avaliado possíveis efeitos nocivos do bioinseticida a macros e microrganismos associados à C. capitata. Essa tecnologia inovadora apresenta grande potencial para o manejo de insetos-praga, com as vantagens da alta especificidade à espécie alvo e a possibilidade de desenvolvimento de sistemas não transgênicos, que será associada à nanotecnologia para aumentar a estabilidade de RNA dupla-fita (dsRNA).
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - PE - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Beatriz Fátima Alves de Oliveira

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • emergência climática e saúde pública: um estudo sobre ondas de calor e riscos à saúde no brasil
  • A crise climática representa uma séria ameaça à saúde pública. Seus efeitos na saúde humana podem se dar por inúmeras vias, sendo uma importante via o efeito do aquecimento global e do aumento da frequência e da intensidade das ondas de calor, que podem comprometer os mecanismos de termorregulação e resultar em internações e óbitos. Um dos grandes desafios é o fortalecimento da vigilância em saúde sobre os impactos relacionados à variabilidade climática e aos eventos extremos. Nesse sentido, este estudo tem como objetivos identificar áreas potencialmente vulneráveis para ondas de calor no Brasil e desenvolver um painel que possibilite o acesso a informações estratégicas que subsidiem ações de saúde pública para a redução dos impactos das ondas de calor na saúde humana. Os sistemas de alerta para ondas de calor são desenvolvidos para se adequarem às condições locais e dados disponíveis, capacidade de previsão de tempo e recursos humanos. Nesse sentido, a proposta é desenvolver uma estrutura básica para implementação do sistema de alerta, a partir das seguintes etapas: 1) Revisão dos critérios estabelecidos para definição de ondas de calor; 2) Identificação dos agravos e das populações mais sensíveis em termos de morbimortalidade às ondas de calor; 3) Coleta e processamento de um conjunto de dados climáticos, ambientais e de saúde humana para avaliar os impactos e vulnerabilidade das ondas de calor no Brasil, com base em projeções de modelos climáticos globais e regionais; 4) Após o processamento dos dados, será estudada a relação entre os indicadores de onda de calor e os desfechos de saúde estabelecendo os indicadores mais sensíveis para avaliar os impactos na saúde humana nas capitais do Brasil; 5) Elaboração de um painel de informações estratégicas com informações referentes às ondas de calor e os indicadores de saúde, com sinal de alerta para eventos extremos e seus impactos na saúde humana em áreas prioritárias.
  • Fundação Oswaldo Cruz Piauí - PI - Brasil
  • 22/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Belita Koiller

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • informação quântica
  • Esta proposta apresenta o projeto para a realização de um novo Instiuto de Ciência e Tecnologia em Informação Quântica, estendendo e aperfeiçoando o Instituto atualmente em atividade. A pesquisa em Informação Quântica no Brasil atingiu um grau considerável de organização, coerência e maturidade durante os últimos anos. Como resultado imediato deste processo, a produtividade quantitativa e qualitativa teve aumento significativo, bem como o número de doutores e mestres formados na área. Nota-se ainda uma melhoria na qualificação do pessoal formado e a intensificação das cooperações internacionais. Vários recém-doutores foram contratados para posições na carreira de universidades e centros de pesquisa e agora participam deste projeto como pesquisadores e orientadores. Isto produziu uma renovação no grupo de pesquisadores participantes em comparação com o Instituto de 2008-presente, o que pode ser quantificado pelos 28 pesquisadores contratados em posições permanentes durante os ultimos 3 anos, entre os 107 cientistas participantes deste projeto. Além destes 107 pesquisadores, o Instituto engloba 15 Laboratórios associados, 28 estagiários de pós-doutorado, 100 estudantes de doutorado, 43 estudantes de mestrado e 35 estudantes de iniciação científica, totalizando uma equipe de 313 pesquisadores distribuídos em 24 grupos de pesquisa em 25 universidades e centros de pesquisa brasileiros, localizados em 12 estados da federação. Observamos nos últimos anos um crescente e forte interesse da comunidade internacional, inclusive no Brasil, em temas como correlações quânticas, termodinâmica quântica e metrologia quântica/controle quântico. Estes três temas foram portanto somados aos temas de comunicação e computação quântica, para estabelecer um foco renovado em torno de cinco linhas de pesquisa. O trabalho nestas linhas inclui o aprofundamento dos estudos dos atributos quânticos de diferentes sistemas físicos, que vão desde os fenômenos ópticos e atômicos até os sistemas de matéria condensada, visando identificar os melhores candidatos para a implementação de dispositivos de processamento, transmissão e armazenamento de dados. Notamos que a comunicação quântica ainda é o tema mais próximo das aplicações práticas e pretendemos explorar este caminho. Verificamos também que a computação quântica se diversificou e a simulação quântica passou a desempenhar um papel importante, abrindo o caminho para a realização de computadores quânticos dedicados. O objetivo geral da presente proposta é consolidar grupos ativos de pesquisa em torno dos cinco temas, buscando otimizar o entendimento e o controle de sistemas quânticos para solucionar ou melhorar soluções conhecidas para processamento, armazenamento e a transmissão de informação. O detalhamento do projeto pode ser encontrado no arquivo anexo.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 23/11/2016-30/11/2024
Foto de perfil

Ben Hur Marimon Junior

Ciências Biológicas

Ecologia
  • transição cerrado-amazônia: bases ecológicas e socioambientais para a conservação (etapa iv)
  • O PELD-TRAN iniciou em 2010 com o edital MCT/CNPq 59/2009 e continuou com as chamadas MCTI/CNPq/FAPs 34/2012 e CNPq/Capes/FAPs/BC-Fundo Newton 15/2016, perfazendo mais de 10 anos de ações socioambientais, coleta de dados e publicações, cujo foco é a transição entre o Cerrado e Amazônia, abrangendo uma linha de traçado sinuoso que ultrapassa 6.000 km, que está sob ameaça extrema e intensa por conta de atividades antrópicas. A equipe do PELD-TRAN já monitora a vegetação da transição há mais de 25 anos e está avaliando os impactos causados por eventos climáticos extremos e os impactos antrópicos, como o fogo e desmatamentos. Em 10 anos de pesquisas do PELD-TRAN já foram publicados 92 artigos científicos, alguns em periódicos de altíssimo impacto, e as atividades do Sítio contribuíram com o treinamento, formação e capacitação de 158 alunos e deram suporte para a produção de 105 monografias, dissertações e teses. Esta nova proposta representa o amadurecimento da equipe PELD-TRAN, que após amplos e detalhados estudos agora está pronta para alçar voos mais altos que envolverão análises mais complexas, que além de incluírem a transição Cerrado-Amazônia também incluirão os próprios biomas. Na primeira etapa a área de estudo (e base do Sítio) se restringiu a uma unidade de conservação (Parque Municipal do Bacaba), na segunda etapa foram englobadas parcelas de monitoramento em toda a região leste de Mato Grosso e o sul do Pará e, na terceira, o Sítio se expandiu para a transição de todo o estado de Mato Grosso, englobando núcleos de monitoramento em Alta Floresta, Cáceres e Tangará da Serra. Uma vez consolidada essa rede de monitoramento da vegetação e os dados já depositados na Plataforma ForestPlots, estamos prontos para realizar análises em escala Neotropical e até Global. Um grande desafio para essa nova etapa será o mapeamento e a elaboração de políticas públicas para a faixa de transição Cerrado-Amazônia em todo o território brasileiro, bem como avaliar o uso de agrotóxicos por produtores agrícolas. Também incluiremos análises e comparações climáticas e edáficas em ampla escala e continuaremos com ações socioambientais visando a divulgação científica e a formação de coletores da Rede de Sementes do Xingu, os quais apresentam papel-chave na recuperação de Áreas de Preservação Permanente (APPs) que estão no entorno do Parque Indígena do Xingu (PIX). A região de abrangência do PELD-TRAN foi recentemente sugerida em um artigo como sendo um “super sítio”, sendo recomendada a fazer parte de uma rede global de amostragem para dar suporte aos cálculos de biomassa da vegetação determinados por sensoriamento remoto. Assim, o Sítio PELD-TRAN foi indicado como um dos potenciais “super sítios” globais, pois além de atender a quase todos os requisitos sugeridos pelos autores do artigo, conta também com uma equipe permanente de cientistas locais realizando o monitoramento da vegetação em longo prazo. O PELD-TRAN, nesta quarta etapa, continuará buscando respostas para questões de longa duração relacionadas ao funcionamento dos ecossistemas e de como estes respondem às mudanças climáticas e de uso da terra. Para tanto, levantamos cinco QUESTÕES DE LONGA DURAÇÃO: 1) Como a vegetação muda ao longo do tempo e como os eventos climáticos extremos afetam a dinâmica, estrutura, composição e o balanço do carbono da vegetação da transição? Para responder a pergunta realizaremos inventários e reinventários da vegetação arbórea para entendermos os efeitos de eventos climáticos extremos; 2) Como os parâmetros edáficos determinam os padrões da vegetação da transição? Para tanto coletaremos amostras de solos e analisaremos quais os efeitos desses parâmetros na dinâmica, resistência e resiliência da vegetação; 3) Qual a resposta da vegetação à intensificação ou redução de impactos antrópicos na transição? Realizaremos reinventários da vegetação e avaliaremos a sucessão em áreas alteradas, sendo uma excelente oportunidade para elaborar propostas de manejo e restauração dessas áreas; 4) Qual é a área da faixa de transição entre os biomas Cerrado e Amazônia em todo o território brasileiro e como as atividades socioeconômicas afetam a dinâmica da vegetação e a integridade da faixa ao longo dos anos? Utilizaremos dados de inventários da vegetação para mapearmos a faixa de transição e realizarmos a caracterização socioeconômica e ambiental e elaborarmos políticas públicas de sustentabilidade; 5) De que forma as ações de educação ambiental, a comunicação pública dos resultados do projeto e o treinamento de coletores da Rede de Sementes do Xingu (RSX) contribuirão com a conservação da biodiversidade e com o uso sustentável dos recursos naturais da transição Cerrado-Amazônia? Avaliaremos o efeito prático das ações educacionais, de divulgação científica e de qualificação de coletores da RSX. Em um estado, cuja economia está quase que integralmente baseada na agricultura e pecuária, jamais poderá deixar de prestar atenção em estudos que se propõem a compreender os efeitos do clima sobre a vegetação e os efeitos do uso de agrotóxicos sobre a saúde ambiental e humana. Infelizmente, ainda temos muitas incertezas sobre as atuais tendências climáticas, porém alguns estudos recentes demonstraram que os serviços que as florestas tropicais prestam para compensar os desmatamentos e as emissões de combustíveis fósseis podem estar ameaçados face às mudanças climáticas cada vez mais evidentes e incertas. Compreendendo melhor esses fatores poderemos recomendar ações para o manejo e a conservação da biodiversidade de áreas naturais. Uma vez que essas áreas sejam conservadas e preservadas de modo eficaz, garantindo a manutenção dos serviços ecossistêmicos, é esperado que as flutuações climáticas diminuam. Com isso, o maior beneficiário será o setor agrícola e pecuário, minimizando as perdas de safras e as reduções no peso animal, contribuindo para o sucesso socioeconômico de todo os agricultores do estado de Mato Grosso.
  • Universidade do Estado de Mato Grosso - MT - Brasil
  • 11/12/2020-31/12/2024
Foto de perfil

Benemar Alencar de Souza

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • estudo de nano e biomateriais para desenvolvimento de materiais com aplicações diversas
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal de Campina Grande - PB - Brasil
  • 05/02/2020-04/02/2025
Foto de perfil

Benito Soto Blanco

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • desenvolvimento de técnicas cromatográficas para diagnóstico de intoxicações por plantas em ruminantes
  • As intoxicações por plantas representam uma importante causa de morte nos animais de produção no Brasil, representando uma significativa perda econômica. Como o diagnóstico destas intoxicações geralmente é realizado por meio da associação do quadro clínico-patológico com o acesso à planta suspeita, é frequente o diagnóstico ser presuntivo ou mesmo incerto. A pesquisa de toxinas de plantas em amostras animais poderia confirmar ou refutar o diagnóstico em casos de rotina e em estudos científicos, mas infelizmente a disponibilidade destas análises é bastante limitada no Brasil. Assim, o presente projeto visa desenvolver metodologias analíticas para o diagnóstico de intoxicações por diversas plantas. Serão desenvolvidas metodologias utilizando cromatografia líquida de alta eficiência (HPLC) e cromatografia em camada delgada (CCD), adaptando metodologias desenvolvidas para plantas ou outras amostras. As técnicas de HPLC propiciam resultados quantitativos. Por outro lado, a CCD gera resultados qualitativos e é menos sensível, mas é mais simples e de menor custo, o que viabiliza sua implantação em grande número de laboratórios. Serão desenvolvidas técnicas para identificação de monofluoracetato (presente em plantas das famílias Rubiaceae, Bignoniaceae e Malpighiaceae), senecionina e monocrotalina (alcalóides pirrolizidínicos presentes em Senecio spp e Crotalaria spp), ricinina (indicador do consumo de mamona), swainsonina (presente em plantas da família Convolvulaceae que causam doença do armazenamento lisossomal), pterosina B (indicador do consumo de Pteridium) e lantadeno A (presente em Lantana spp) em amostras de conteúdo ruminal, fígado, rins e urina. O desempenho de cada metodologia desenvolvida será validado conforme protocolos nacionais e internacionais. A aplicação será realizada em amostra de animais intoxicados espontaneamente em diversas regiões do país.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Berenice Vahl Vaniel

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • 8ª feira municipal do conhecimento de são lourenço do sul
  • Este projeto tem por objetivo promover a investigação científica na Educação Básica do Município de São Lourenço do Sul por meio do processo formativo pautado no educar pela pesquisa, na interdisciplinaridade e nas tecnologias digitais e sociais, culminando com a realização da 8ª Feira Municipal do Conhecimento. A proposta será realizada em três etapas: a) Formação de professores/as multiplicadores a partir do educar pela pesquisa, da interdisciplinaridade e da reflexão sobre os desafios, das potencialidades das tecnologias digitais e sociais em um contexto de pandemia-Covid 19; b) Feira de Conhecimento nas escolas da educação básica participantes, sejam elas públicas da rede municipal ou estadual de ensino, ou particulares; c) Realização da 8ª Feira do Conhecimento do Município de São Lourenço do Sul na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia – SNCT, em 2021. Este projeto terá a abrangência municipal e será executado por docentes e acadêmicos/as da Universidade Federal do Rio Grande - FURG, campus São Lourenço do Sul, em parceria e cooperação com professores/as e equipe técnica-administrativa da Secretaria de Educação, Cultura e Desporto (SMECD) do Município, diretores, coordenadores pedagógicos e docentes da Educação Básica. A rede Municipal de ensino de São Lourenço do Sul é composta por 10 escolas de Educação Infantil, 06 escolas de Ensino Fundamental na Sede, 07 escolas na zona rural, sendo 06 escolas Polos de Ensino Fundamental e 01 escola Multisseriadas. Ao todo, atende-se 3.175 alunos do Ensino Fundamental e 750 da Educação Infantil, com efetivo de 444 professores. No campus São Lourenço do Sul, da FURG, criou-se em 2013 o curso de Licenciatura em Educação do Campo: ênfase em Ciências da Natureza e Ciências Agrárias. Este tem por objetivo formar educadores/as para “atuar de maneira crítica, criativa, ética e solidária no âmbito da Educação Básica, tendo em vista ao fortalecimento da identidade do campo” (FURG, 2018). Em 2020, o campus passou a contar com o curso de Letras - Português e Literaturas de Língua Portuguesa para fortalecer a formação de educadores/as na Educação Básica. Sendo assim, a etapa 1, a formação de professores, integrará acadêmicos e professores formadores dos cursos de Licenciatura em Educação do Campo e de Letras, assim como professores da rede básica de ensino. A proposta da 8ª Feira Municipal do Conhecimento de São Lourenço do Sul - 2021 assume o educar pela pesquisa (MORAES, MANCUSO, 2004) como princípio pedagógico, e propõe desenvolver-se a partir da abordagem sociocultural, pois “apostar nesses princípios significa apostar no diálogo, na leitura na escrita, na elaboração e negociação de argumentos fundamentados empírica e teoricamente.” (MORAES, RAMOS, GALIAZZI, 2004, p. 97).Neste sentido, compreendemos que a implementação desta proposta, a partir dos princípios destacados pelos autores citados acima, contribuirá para estimular uma cultura investigativa no contexto da Educação Básica e da formação docente inicial e continuada. A partir de um movimento propiciado pelo diálogo, questionamentos, leituras e pela construção de argumentos relacionados às questões de estudos vinculados ao contexto em que estão inseridos os sujeitos participantes do processo que culminará com a Feira. Processo esse, que tendo um objeto único poderá ser investigado, explicado e interpretado pelas múltiplas áreas do conhecimento. Por isso, ressalta-se a importância das múltiplas determinações e mediações históricas que o constituem (FRIGOTO, 2008) ao promover esta forma de trabalho coletivo e interdisciplinar. Na etapa 1 da Feira, propomos a reflexão sobre os desafios, as potencialidades das tecnologias digitais e sociais em um contexto de pandemia Covid-19, interagindo com diferentes áreas do conhecimento, desde as ciências da natureza até as ciências humanas e agrárias. Neste sentido, é importante pensar nas inúmeras possibilidades de utilização de software, aplicativos,vídeos e de objetos de aprendizagem digital que podem compor a dinâmica do ambiente educacional para promover a investigação, o aprender, de forma a reinventar a Educação. Buscar-se-a compreender as possibilidades e facilitar o acesso às redes de conhecimentos, propiciar o compartilhamento das informações e das experiências vividas, despertando a criatividade, a imaginação e a inteligência coletiva. (LÈVY, 1999). Da mesma forma, o processo formativo incluirá a discussão das tecnologias sociais, que se propõem a atuar sobre um problema social, dialogando com o desenvolvimento da sociedade. A dimensão social coloca-se como uma alternativa ao considerar os saberes dos diferentes sujeitos sociais envolvidos nas questões do nosso tempo. São tecnologias de baixo custo, sustentáveis e que promovem a autonomia dos sujeitos em um cenário em que precisam se reinventar. Traz-se a discussão das tecnologias sociais no âmbito da educação básica com a intenção de incentivar o pensamento crítico e a construção de conhecimento que propõe alternativas para situações do seu cotidiano. Portanto, essas ações fomentarão o surgimento de novos cientistas e pesquisadores/as em tecnologias sociais. A etapa 2, realização das Feiras de Conhecimento nas escolas, será articulada pela equipe de professores multiplicadores que participaram do processo formativo, com apoio dos acadêmicos e professores da FURG, bem com o envolvimento de práticas educativas embasadas nos Programas Institucionais: PIBID (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência) e Residência Pedagógica. Cada escola irá realizar sua própria feira, preferencialmente no período de julho a setembro, selecionando trabalhos para participar da 8ª Feira Municipal do Conhecimento. A etapa 3, realização da 8ª Feira do Conhecimento do Município de São Lourenço do Sul será realizada em um amplo espaço proporcionado pela Prefeitura Municipal de São Lourenço do Sul, responsável pela estrutura e logística.
  • Universidade Federal do Rio Grande - RS - Brasil
  • 29/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

Berilo Luigi Deiró Nosella

Lingüística, Letras e Artes

Artes
  • a documentação da iluminação cênica como modo de fazer, formação e transmissão de conhecimentos.
  • O presente projeto insere-se no campo dos estudos da prática e da teoria da iluminação para cena; neste sentido, em termos amplos, propõe debruçar-se sobre o estudo e análise de documentações específicas deste fazer a partir dos preceitos e métodos da genética teatral, da história oral e da arquivologia. No projeto aqui apresentado, especificamente, propomos analisar um conjunto pré-selecionado de documentos produzidos a partir do fazer da iluminação para cena, com o objetivo de gestar modelos documentais desse fazer, que tenham como principal fim o uso pedagógico em cursos e oficinas de iluminação cênica. Tais documentos são desenvolvidos no ato de criação da luz para cena basicamente com 3 finalidades: dar suporte ao próprio processo criativo; transmitir instruções técnicas/artísticas ao conjunto da equipe; e como propriedade artística/intelectual daquela criação. Não há no Brasil um sistema oficial normatizado que estabeleça um modelo quanto à produção destes documentos. Tal ausência de normatização, acreditamos, dá-se, numa possível primeira hipótese, pela pouca e ainda muito recente institucionalização da formação deste profissional em território nacional. Assim, o que propomos é entender as seguintes questões: o que compõe e como se caracteriza cada documento? Como os documentos se agrupam em dossiês documentais que buscam dar conta da experiência de criação da iluminação para cena e transmiti-la? Como cada um realiza e organiza sua documentação e seus dossiês? De onde e como cada um aprendeu/desenvolveu sua forma de elaborar seus documentos? Quais questões técnicas, culturais, políticas e econômicas sustentam cada forma de elaborar estes documentos? Tal conjunto de questões almejam a resposta à seguinte questão chave: Qual seria um possível modelo de produção documental, no contexto brasileiro, que pudesse servir a fins pedagógicos em cursos/processos de formação em Iluminação Cênica?
  • Universidade Federal de São João Del-Rei - MG - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Bernardina Maria Juvenal Freire de Oliveira

Ciências Sociais Aplicadas

Ciência da Informação
  • memória do jornalismo na paraíba no contexto da preservação digital
  • Pensar a preservação da memória no Brasil não se constitui em tarefa fácil, sobretudo, quando se testemunha as perdas memoriais recentes, ou seja, o colapso porque passa a memória serve de alerta, especialmente no que diz respeito a memória do Jornalismo impresso na Paraíba que tendo surgido ainda em final do século XIX tem vivido seus dias de extermínio, e uma total ausência de preservação do fazer jornalístico no Estado. Nesse sentido o presente projeto objetiva desenvolver ações integradas de pesquisa junto aos arquivos, às bibliotecas e aos institutos históricos e de pesquisa no Nordeste, cujos acervos contenham jornais impressos publicados na Paraíba com vistas ao mapeamento dos jornalistas e de suas respectivas áreas de atuação promovendo a democratização e o acesso à memória do Jornalismo na Paraíba, contribuindo para a preservação da memória desse fazer histórico, propositura que se ancora no processo de digitalização dos acervos e mapeamento das atividade jornalísticas por meio de relatos, depoimentos, perfis de jornalistas que fizeram e fazem parte da construção da memória do Jornalismo paraibano, em vários períodos históricos, de modo a promover a democratização e o acesso de pesquisadores e da comunidade em geral à memória do Jornalismo na Paraíba. Metodologicamente, adotar-se-á a pesquisa qualitativa do tipo documental, assentado na perspectiva teórica da memória por meio da preservação digital, sobretudo no momento atual em que o Jornalismo atravessa diferentes crises, dentre as quais o silenciamento e apagamento da memória. Nesse sentido parte da premissa de que preservar o papel informacional dos jornais antes impressos, em circulação no Estado, pode contribuir para a construção da memória e fortalecimento da identidade paraibana.
  • Universidade Federal da Paraíba - PB - Brasil
  • 25/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Bernardo Martins Rocha

Engenharias

Engenharia Biomédica
  • desenvolvimento de modelos computacionais personalizados da miocardite e da formação de edemas decorrentes de infecção viral
  • A miocardite, uma inflamação do músculo cardíaco, normalmente resulta de uma infecção viral seguida por destruição inflamatória do miocárdio. A miocardite pode resultar em insuficiência cardíaca, arritmias ventriculares e na formação de edemas, e está associada a altas taxas de mortalidade. A caracterização e o diagnóstico desta doença apresentam grandes desafios e ainda existem muitos aspectos do seu comportamento e de suas consequências que são desconhecidos. A recente pandemia aumentou ainda mais estes desafios, já que a miocardite se apresenta de forma mais significativa em pacientes que tiveram a COVID-19. Este projeto de pesquisa tem por objetivo demonstrar que modelos matemáticos e computacionais são capazes de reproduzir a inflamação do músculo cardíaco e formação de edemas como consequência da resposta imune à infecção viral pelo Sars-CoV-2. Nesse contexto, com diferentes fenômenos, escalas e interações entre os sistemas cardiovascular e imunológico, essas ferramentas podem ajudar a avançar o entendimento e o tratamento da miocardite. A justificativa da hipótese se baseia em modelos desenvolvidos pela equipe deste projeto, que foram capazes de reproduzir, quantitativamente ou qualitativamente, dados experimentais obtidos para outras doenças. Espera-se que os modelos computacionais sejam capazes de responder a perguntas como: a) O que leva a alguns pacientes desenvolverem um quadro de miocardite durante a infecção com SARS-CoV-2? b) Qual o impacto da miocardite no sistema cardiovascular e a sua relação com outros distúrbios cardíacos? c) Por quanto tempo após a eliminação do patógeno os efeitos da miocardite perduram? As questões a serem abordadas neste projeto serão estudadas através de modelos matemáticos e computacionais, que são capazes de descrever os diversos fenômenos e suas interações. Os modelos matemáticos da miocardite e da formação de edemas serão calibrados com base em dados clínicos e imagens e serão resolvidos através de métodos numéricos.
  • Universidade Federal de Juiz de Fora - MG - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025