Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Paulo Simionatto Polito

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • o arquipélago de são pedro e são paulo como zona de transições inter-hemisféricas (interzonas)
  • O interesse deste projeto é entender a variabilidade dos processos físicos que ocorrem no oceano Atlântico equatorial à oeste do Arquipélago de São Pedro e São Paulo (ASPSP). O principal objetivo é desmembrar os principais mecanismos que atuam especificamente nessa região, mas que sua origem pode ser traçada a distintos pontos da bacia. Investigaremos como os ondas planetárias formadas no lado leste da bacia são modificadas ao atravessar o ASPSP e quanto desse sinal propagante é influenciado pela Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) em escalas intra-anuais. Esse processo será identificado como a Conexão Leste-Oeste. Por outro lado, investigaremos uma Conexão Sul-Norte, onde os sinais da Circulação de Revolvimento Meridional (MOC) será investigada como a responsável pelas trocas interhemisféricas entre o Atlântico Sul e Atlântico Norte em escalas interanuais, influenciada pela ZCIT. O estudo será conduzido através de uma estratégia abrangente onde diversas fontes de dados serão utilizadas para obtermos uma descrição global dos processos que atuam na região de ASPSP e adjacências. Para tanto, utilizaremos dados provenientes de satélites, derivadores de superfície, perfiladores Argo, boias do PIRATA e saídas um modelo numérico oceânico de alta resolução. Como um aspecto inovador do projeto, planejamos fazer lançamento de derivadores de superfície a leste de ASPSP e implementar um algoritmo de rastreamento de partículas lagrangeano para simular o deslocamento dos derivadores e ajudar a validar o modelo numérico a ser utilizado.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 28/11/2019-30/11/2022
Foto de perfil

Paulo Simionatto Polito

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • a influência de sinais propagantes para oeste no meandramento da corrente do brasil ao largo da bacia de santos
  • A Corrente do Brasil (CB) é a corrente de contorno oeste do giro subtropical do Atlântico Sul, podendo ser interpretada como o retorno do transporte de Sverdrup da circulação de grande escala forçada pelo vento. Ao largo da Bacia de Santos, entre Cabo Frio (~22S) e a Bifurcação de Santos (~25S-27S), a CB apresenta-se como uma corrente rasa e fraca quando comparada às outras correntes de contorno oeste do oceano global. Nesse intervalo, ela transporta Água Tropical próxima à superfície e Água Central do Atlântico Sul nas profundidades próximas à da picnoclina (Campos et al. 1995). Abaixo da CB, em níveis intermediários, existe uma contracorrente em direção ao equador denominada Corrente de Contorno Intermediária (CCI), a qual transporta Água Antártica Intermediária e Água Profunda Circumpolar Superior (Silveira et al. 2004). Ao sul da bifurcação, não há mais uma contracorrente e a CB ocupa toda a coluna d'água sobre a quebra da plataforma e o talude, transportando as massas d'água supra mencionadas em direção ao polo. O Sistema da Corrente do Brasil que inclui, além da CB, seus meandros e a CCI, é bastante baroclínico na região da Bacia de Santos, especialmente até a Bifurcação de Santos. Isso significa que há um intenso cisalhamento vertical das velocidades, o qual tem impacto na atividade exploratória na área do pré-sal da Bacia de Santos. Assim, é importante conhecer e entender os processos dinâmicos desse sistema na região da Bacia de Santos. Entre Cabo Frio e a Bifurcação de Santos, a CB é baroclinicamente instável, apresentando uma grande atividade de mesoescala com formação de meandros (Silveira et al. 2008). Em 22,7S, Silveira et al.(2008) observaram que as ondas mais instáveis apresentavam comprimento de onda de 266-388 km, taxa de crescimento de 0,06-0,05 dia e baixa velocidade de propagação, sendo ondas quase-estacionárias. Com uma análise similar, Rocha et al. (2014) observaram as ondas mais instáveis com comprimento de onda, taxa de crescimento e velocidade de fase de, respectivamente, 230 km 0,03 km/dia e 0,03 m/s em 22,7S, 190 km 0,056 km/dia e -0,13 m/s em 25S e 180 km, 0,030 km/dia e -0,15 m/s em 28S. Apesar de diversos estudos terem analisado instabilidade da CB entre 23S e 30S, nenhum ainda verificou se fenômenos externos advindos do oceano aberto têm algum papel na ocorrência e/ou intensidade do meandramento da CB. Com o advento da altimetria por satélites, observou-se pela primeira vez que feições propagantes para oeste com escala de centenas de quilômetros e amplitude de cerca de 10 cm são comuns às latitudes médias dos oceanos globais (Chelton 1996). Uma série de estudos identificaram essas feições como ondas de Rossby do primeiro modo baroclínico (Chelton e Schlax 1996, Polito e Cornillon 1997, Cipollini et al. 1997) e compararam a potência delas em relação à de outros sinais (Polito e Liu 2003). No início da década, Chelton et al. (2011) sugeriram que a maior parte da variabilidade dos sinais propagantes para oeste dos dados altimétricos é devida a atividade de vórtices não lineares de mesoescala, especialmente fora da região tropical. Oliveira e Polito (2013) obtiveram da análise simultânea de dados altimétricos e de temperatura da superfície do mar que há uma dominância de ondas de Rossby longas entre 10,5S e 24,5S, enquanto os vórtices não lineares dominam em latitudes mais altas que 34,5S, sendo a latitude de 25,5S uma região de transição. Recentemente, Polito e Sato (2015) observaram que os sinais propagantes para oeste associados às ondas de Rossby longas explicam 65 da variabilidade dos dados altimétricos em 23,5S no oceano Atlântico. Além disso, os autores mostraram que há uma tendência de os vórtices não lineares alinharem seus centróides às cristas e cavados das ondas de Rossby lineares. Então, as feições propagantes para oeste observadas nos dados altimétricos podem ser tanto vórtices lineares, devidos às ondas de Rossby, quanto vórtices não lineares. Zhai et al. (2010) observaram através de um modelo de gravidade reduzida que a borda oeste dos giros oceânicos atuam como um sorvedouro da energia dos vórtices propagantes para oeste. Os autores sugerem que, no oceano real, a energia dos vórtices é espalhada em modos verticais de número de onda alto e que dissipam rapidamente. Esperamos que essas feições propagantes transfiram energia para diversos outros processos ao se aproximarem da borda oeste e interagirem com o sistema da CB. Parte da energia deve ser refletida como onda de Rossby curta, parte incorporada pela corrente de contorno oeste média e parte deve alimentar a atividade de mesoescala local, podendo instabilizar a corrente de contorno. Assim, a hipótese da presente proposta é que há um impacto das feições propagantes para oeste no meandramento da CB, conforme elas adentram a região da corrente de contorno oeste, resultando no aumento da atividade turbulenta de mesoescala na região. Este impacto independe da natureza dessas feições, não importando se são vórtices ou ondas.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Paulo Tarso Sanches de Oliveira

Engenharias

Engenharia Sanitária
  • seghae - segurança hídrica-alimentar-energética no cerrado bbrasileiro
  • O bioma Cerrado é crucial para a dinâmica de recursos hídricos do Brasil, pois, engloba parte de 10 das 12 grandes regiões hidrográficas brasileiras e das áreas de recarga do Aquífero Guarani. Além disso essa região é fundamental no desenvolvimento agrícola, energético e econômico do país. No entanto, mudanças no uso e ocupação do solo e a influência das mudanças climáticas globais tem causado diversas alterações nos processos hidrológicos e erosão do solo no Cerrado. Essas mudanças são ainda pouco entendidas, apesar de fundamentais na tomada de decisão de uso do solo e da água na região. Neste projeto iremos investigar os impactos das mudanças climáticas e de uso e cobertura do solo nos fluxos de água e erosão do solo no Cerrado; e como essas mudanças podem afetar a segurança hídrica, alimentar e enérgica. Para tanto, serão utilizados dados de sensoriamento remoto, modelos climáticos globais, regionais e dados observados. Além disso, modelos hidrológicos e de erosão do solo serão calibrados e validados para melhor entender cada processo e posteriormente gerar prognósticos de disponibilidade hídrica, vulnerabilidade, escassez hídirca e erosão do solo. A presente proposta visa dar prosseguimento a recentes descobertas de projetos em desenvolvimento pelo grupo, como: “Water availability and quality threats in a Guarani Aquifer System outcrop zone - Projeto FAPESP Temático”, “Mudanças Climáticas na Amazônia: reflexo no Pantanal Mato-grossense-MCTI/CNPQ/FNDCT - Ação Transversal - Programa de Grande Escala da Biosfera-Atmosfera na Amazônia – LBA”, e “AguasMS: Estudo hidrológico, sedimentológico e hidroquímico de águas superficial e subterrânea como suporte ao gerenciamento de bacia hidrográfica - CNPq Universal”. Assim, a partir do presente projeto serão desenvolvidos novos conceitos e conclusões que poderão auxiliar na tomada de decisão de uso e ocupação do solo e na segurança hídrica, alimentar e energética na região. Além disso, espera-se que as conclusões deste projeto possam ser úteis para subsidiar planos de zoneamento agrícola e ambiental e proporcionar uma produção agrícola mais eficiente no Brasil.
  • Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - MS - Brasil
  • 09/02/2018-31/05/2021
Foto de perfil

Paulo Tarso Sanches de Oliveira

Engenharias

Engenharia Civil
  • sapi - sistema de alerta e previsão de inundações para bacias urbanas
  • Tem-se empreendido significativo esforço para compreender, avaliar e prever eventos de inundação e seus impactos, sendo esse um dos principais problemas do gerenciamento integrado de risco de inundação. No entanto, poucas cidades ao redor do mundo possuem um sistema eficiente de risco de inundação. Isso ocorre, na maioria das vezes, pela ausência ou escassez de dados hidrometeorológicos observados, o que dificulta ou inviabiliza o entendimento e ajuste de modelos eficientes de previsão de inundações. Assim, o objetivo deste projeto é desenvolver um sistema de previsão de inundações para uma bacia hidrográfica monitorada localizada no Município de Campo Grande, MS. Para o desenvolvimento do sistema será utilizado o modelo HEC-RTS, que integra HEC-HMS e o HEC-RAS. Serão utilizados como entrada dos modelos, dados observados de precipitação e estimados por radar meteorológico. Dados de nível e vazão dos canais serão utilizados nas etapas de calibração e validação dos modelos. Dados hidrometeorológicos serão armazenadas na base de dados do servidor e fornecendo informações de entrada para o HEC-RTS realizar a identificação de riscos de inundação. O alerta de inundação será realizado através de aplicativo a ser desenvolvido para dispositivos móveis. Os resultados deste projeto servirão como uma ferramenta importante para que os gestores públicos sejam capazes de minimizar ou até mesmo evitar maiores impactos de eventos de inundação. A presente proposta integra recentes descobertas de projetos em desenvolvimento pelo grupo, como: “SegHAE - Segurança Hídrica-Alimentar-Energética no Cerrado Brasileiro – MCTIC/CNPq – Nexus Cerrado”, podendo-se enquadrar no objetivo ODS 6 da Agenda 2030 da ONU “Assegurar a disponibilidade e gestão sustentável de água e saneamento para todos”.
  • Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - MS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Paulo Yukio Gomes Sumida

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • conexões bênticas em altas latitudes do hemisfério sul - becool
  • As mudanças no clima da Terra vêm trazendo sérias consequências para os organismos vivos, como alterações no comportamento migratório, expansão/redução de habitat, entre outros. Nos oceanos, apesar de mais lentas do que na atmosfera, as alterações no sistema de correntes causadas por mudanças de padrões de vento e de circulação termohalina irão afetar de maneira significante a distribuição dos organismos vivos e, consequentemente, a função ecossistêmica. Essencialmente, tais mudanças terão implicações globais significativas decorrentes da circulação oceânica, incluindo aquelas que afetam as áreas da margem continental sul-americana; e locais, como, por exemplo, as consequências do derretimento de geleiras que reduzem o albedo contribuindo para o aumento de temperatura e maior aporte de material particulado para o ambiente marinho, afetando sobremaneira as comunidades costeiras. As diferenças na complexidade biológica e histórias evolutivas entre as regiões polares e o restante do planeta sugerem que estresses nas funções ecossistêmicas polares podem apresentar, fundamentalmente, respostas distintas daquelas que ocorrem em menores latitudes. Da mesma forma, respostas de táxons presentes num gradiente latitudinal podem ser distintas, influindo em suas histórias de vida e sua resiliência às mudanças climáticas. Uma série de respostas a estresses (a partir de níveis bioquímicos moleculares, fisiológicos até populações e comunidades) pode ser esperada como resultado desta era de mudanças climáticas, afetando inclusive organismos encontrados no oceano profundo. A Península Antártica é uma das regiões do planeta que vem sendo mais drasticamente afetadas, através de um aquecimento sem precedentes na história geológica recente, causando o derretimento de importantes geleiras. Adaptações evolutivas ao ambiente polar podem restringir a habilidade de seus organismos responderem às mudanças ambientais tão rapidamente quanto elas vêm ocorrendo. Os agrupamentos de organismos marinhos antárticos refletem a influência de eventos macro-evolutivos, invasões, extinções, processos tectônicos e mudanças climáticas, considerando-se uma longa escala de tempo. Por outro lado, em escalas de tempo menores, os organismos estão sujeitos a fatores ecológicos, tais como características do habitat, suprimento de alimentos, entre outras. Estas duas escalas de tempo refletem os extremos de um contínuo através do qual há uma interação entre a importância relativa dos fatores ecológicos e evolutivos. A presente proposta visa estudar as conexões populacionais da fauna bêntica entre a Antártica e a América do Sul, bem como o papel das mudanças climáticas nas barreiras geográficas entre estes ecossistemas marinhos (i.e., mudanças na Frente Polar e retração de geleiras) no presente e em futuros cenários que alterem as comunidades de altas latitudes e o isolamento de suas populações. Para avaliar estas questões uma abordagem intercontinental (Antártica e América do Sul) e outra local serão adotadas, nas quais a fauna bêntica será investigada quanto à sua sucessão, estruturação e filogeografia. No âmbito mais global, utilizaremos a fauna de substratos orgânicos como estudo de caso através da implantação de estruturas autônomas experimentais (landers) contendo substratos orgânicos para a atração de organismos especialistas e generalistas por um período de um ano em águas rasas (~100 m) e mar profundo (~1500 m). Evidências mostram que estas “ilhas orgânicas” contribuem de maneira significativa para o aumento da biodiversidade bêntica de mar profundo, sustentando modos de vida altamente especializados. Porém, uma grande lacuna existe sobre padrões de larga escala na biodiversidade, biogeografia e conectividade entre populações bentônicas que exploram estas ilhas, bem como nas relações entre diversidade e funcionamento destes ecossistemas. Assim, será analisada a biota associada a ilhas orgânicas no mar profundo e plataforma continental (ossos de baleia e parcelas de madeira) ao longo da margem continental sul-americana e antártica, em locais sob rotas migratórias sazonais de baleias e com proximidade histórica a extensas florestas continentais (florestas subpolares da América do Sul). Em termos de avaliação local, a enseada Martel, Baía do Almirantado, Ilha Rei George, faz parte de uma das regiões mais sensíveis às mudanças climáticas no nosso planeta e possui um sólido registro de dados meteorológicos, biológicos e ambientais. Dados recentes apontaram uma perda de mais de 10% das geleiras na enseada entre os anos de 1979 e 2011. Amostragens em zonas costeiras previamente conhecidas e em áreas recentemente livres de gelo poderão contribuir para a compreensão dos prováveis efeitos da retração de geleiras e processos de colonização bêntica. Nestas áreas, serão efetuadas amostragens remotas do fundo com imageamento por um robô submarino para caracterização dos habitats e da megafauna bêntica, além de coletas da fauna e sedimentos. O imageamento e coleta serão prioritariamente feitos próximo às geleiras onde foram registradas maiores retrações. Também instalaremos um lander para estudos de sucessão de longo prazo. Análises ecológicas, moleculares e genéticas tanto dos organismos associados aos ossos e madeira, quanto daqueles encontrados na Baía do Almirantado, permitirão avaliar padrões regionais, a história evolutiva de polissacarídeos sulfatados de interesse biotecnológico e aspectos biológicos locais que sinalizam a conectividade entre populações de organismos especialistas da Região Magelânica e da Antártica e avaliar o papel da Frente Polar e do isolamento propiciado pela Corrente Antártica Circumpolar nos últimos 30 milhões de anos como barreira de dispersão entre as regiões de estudo. A comparação da biodiversidade e funcionamento dessas ilhas orgânicas entre bacias oceânicas terá forte colaboração internacional e contará com dados pretéritos disponíveis para o Atlântico Sudoeste, Pacífico Nordeste e Baía do Almirantado.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 25/12/2018-31/12/2022
Foto de perfil

Pedro Avelino Maia de Andrade

Ciências Agrárias

Agronomia
  • biologia sistêmica da interação entre a linhagem bacillus sp. (rz2ms9) e o milho usando abordagens distintas
  • Rizobactérias promotoras de crescimento de plantas são micro-organismos com grande potencial de aplicação na agricultura devido aos seus papéis na biofertilização e biocontrole, sendo alternativas mais sustentáveis à utilização de fertilizantes e defensivos químicos. O gênero Bacillus é um representante importante desses micro-organismos relacionados à promoção de crescimento devido principalmente à fixação de nitrogênio, solubilização de fosfato, produção de sideróforos, modulação do nível de fitohormônios, ou ainda ao biocontrole de fitopatógenos. A linhagem Bacillus sp. (RZ2MS9), isolado da rizosfera do guaranazeiro, apresenta grande potencial de aplicação como promotor de crescimento, por apresentar muitas dessas características e, em ensaios prévios, ter promovido o crescimento de milho em casa de vegetação e campo. No entanto, informações relativas a comunicação micro-organismo-planta são limitadas, principalmente no que diz respeito a resposta molecular do micro-organismo em relação a planta. Desta forma, o presente trabalho visa avaliar a biologia sistêmica do Bacillus sp. (RZ2MS9), na presença do exsudado do milho. A fim estudar controlar e analisar esse sistema biológico por completo, será obtido o exo e endo proteoma e metaboloma do Bacillus sp. (RZ2MS9) sob influencia dos exsudados do milho para posteriormente esses dados serem integrados em complexas redes de interactoma.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Pedro Colmar Gonçalves da Silva Vellasco

Engenharias

Engenharia Civil
  • comportamento e projeto de estruturas de aço e mistas
  • Este projeto tem como um de seus principais objetivos demonstrar a utilização de estruturas de aço na construção civil como uma alternativa economicamente viável. O desenvolvimento do projeto estrutural aliado a técnicas construtivas é uma consequência lógica desta vertente de pesquisa, a qual só será possível com um melhor entendimento do comportamento dos diversos membros que compõem a estrutura global. Dentro desta perspectiva, o uso de estruturas de aço e mistas na construção civil vem cada vez mais se tornando uma alternativa eficaz. Para atingir este objetivo pretende-se dinamizar a formação de uma nova geração de engenheiros, mestres e doutores familiarizados com o seu comportamento. A pesquisa está dividida em duas áreas principais. A primeira consiste na investigação dos aspectos relevantes ao comportamento, projeto e uso de estruturas de aço na Engenharia Civil, desenvolvimento de sistemas construtivos eficientes. A segunda concerne à modelagem computacional de estruturas de aço e mistas. De uma forma sintética, os principais problemas abordados no presente projeto de pesquisa envolverão: ligações semirrígidas em aço/mistas; conectores Perfobond; estruturas de aço inoxidável e de alta resistência; lajes mistas para habitações populares; uso da inteligência computacional em aplicações na engenharia estrutural; vigas de aço/mistas com aberturas na alma, uso de aço inoxidável em subestações e torres de transmissão; colunas mistas com tubos de aço carbono e inoxidável; conectores de cisalhamento perfurados, ligações tubulares soldadas, colunas de aço carbono e inoxidável estaiadas; vigas casteladas com aço inoxidável, esmagamento de placas de aço inox com furos, colunas com cantoneiras de aço inox sob flexo-torção, tubos com costura sob compressão; robustez estrutural. A coordenação deste projeto será realizada pelo Professor Pedro Colmar Gonçalves da Silva Vellasco, do Departamento de Estruturas e Fundações da Faculdade de Engenharia da UERJ, bolsista PQ do CNPq, nível IB, e Cientista do Nosso Estado da FAPERJ. Para gerar recursos para o presente projeto de pesquisa, diversos projetos foram submetidos e aprovados junto a órgãos de fomento nacionais e internacionais onde destacam-se: projetos CNPq - Editais Universais; projetos Faperj - Apoio a Entidades Estaduais: um projeto Faperj apoio a grupos emergentes 2013; projetos aprovados na Faperj nos editais de Cientistas do Nosso Estado; projetos aprovados nos editais da Faperj de Melhoria da Infra-Estrutura Técnico-Científica do Programa de Pós Graduação; projetos aprovados no CNPq referentes a bolsas de Produtividade: uma nível (1B), uma nível (1D) e uma nível (2),. A Cooperação com Portugal também foi fomentada com a inclusão do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil da UERJ PGECIV como Membro Associado de um Consórcio de Universidades Europeias envolvidas na criação de um Curso de Pós-Graduação à nível de Mestrado Europeu. Além destes dois novos projetos foram aprovados: uma Cooperação com a EPFL (Ecole Polytecnique Federale de Lausanne) Intitulado FAST Homes: FAst rebuilding with locally produced STeel houses e a aprovação da UERJ como membro da ArcelorMittal Scientific Network. A aprovação deste projeto de pesquisa possibilitará a aquisição de módulos adicionais para o sistema de aquisição de dados HBM, aquisição de computadores, impressoras para efetuar simulações, além de material de consumo como Cartuchos e tonners para impressoras, extensômetros elétricos, material requerido para colagem de extensômetros, cabos e conectores para ligação de extensômetros, LVDTs e células de carga ao sistema de aquisição de dados, brocas, discos para esmerilhadeira, e corte aço estrutural carbono e inoxidável, p e cortearafusos, cimento areia brita, aditivos para concreto.para realização de ensaios experimentais no LEC - Laboratório de Ensaios de Materiais da Engenharia Civil da Faculdade de Engenharia da UERJ, situado à Rua Fonseca Telles, Nº 121, São Cristóvão.
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Pedro Dal Lago

Ciências da Saúde

Fisioterapia e Terapia Ocupacional
  • efeito do treinamento físico e treinamento muscular inspiratório na capacidade funcional em pacientes com insuficiência cardíaca coexistente à doença pulmonar obstrutiva crônica: ensaio clínico controlado
  • A insuficiência cardíaca (IC) e a doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) se configuram importantes problemas de saúde pública, onde devido ao fenômeno de envelhecimento populacional sua magnitude e impactos socioeconômicos criam a necessidade de estratégias para melhorar os sintomas e diminuir a utilização e os altos gastos com recursos de saúde. A coexistência dessas síndromes ainda é pouco elucidada em termos de impacto funcional e resposta às terapêuticas. O exercício físico e o treinamento muscular inspiratório já são considerados adjuvantes na melhora sintomatológica e na qualidade de vida tanto na IC quanto na DPOC isoladamente, porém ainda não há dados sobre a magnitude do efeito quando concomitantes. Assim, o objetivo deste estudo é avaliar o efeito do treinamento físico e muscular inspiratório em variáveis funcionais e clínicas em pacientes com IC coexistente à DPOC. Trata-se de um estudo clínico controlado, incluindo 56 indivíduos, sendo 28 portadores de IC e 28 de IC concomitante à DPOC, com quadro estável, classes II e III ( New York Heart Association-NYHA) e GOLD II, III e IV (baseados na avaliação espirométrica). Estes serão avaliados quanto a sua capacidade funcional, força e endurance muscular respiratória, status de fragilidade e qualidade de vida. Os dados serão submetidos a teste de normalidade de distribuição e, caso tenham distribuição normal, as diferenças entre as intervenções serão verificadas por meio de análise da variância, sendo considerado significativo um p < 0,05. Se os dados apresentarem distribuição não-paramétrica, será utilizado o teste de Mann-Whitney ou Kruskal-Wallis. O software (SPSS) 24 será utilizado como ferramenta para a análise dos dados. Espera-se encontrar como desfechos do estudo uma melhora na capacidade funcional e parâmetros funcionais após protocolo de exercício físico e treinamento muscular inspiratório e ainda traçar um perfil dos pacientes com DPOC coexistente à IC.
  • Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Pedro de Alcântara Bittencourt César

Ciências Sociais Aplicadas

Turismo
  • a formação das localidades turísticas: cidades, centralidades e seus equipamentos urbanos.
  • Estuda-se a formação físico-espacial das localidades (cidades), equipamentos urbanos e dos atrativos turísticos e suas relações de dependência regional (urbano-territorial). Tem-se como pressuposto que o turismo do Nordeste do Rio Grande do Sul se faz por uma centralidade em Gramado (RS). Desta maneira, parte-se da questão norteadora: possivelmente municípios com demandas menores podem apresentar grau de independência como geradora da atividade turística receptiva e compondo com a oferta regional. Na análise, o atrativo por diversas escalas (local, municipal e regional) abarcam-se fundamentalmente em dois procedimentos metodológica: a observação direta e o uso de representações gráficas. Instrumentos que possibilitarão montagens de esquemas conceituais de representação cartográfica ao auxiliar o estudo das formas de apropriações espacial da atividade de visitação regional. Adota-se de aportes urbano-arquitetônicas como recorte epistemológico. Desta maneira, objetiva-se nesta pesquisa elaborar um quadro esquemático do estatuto que define o equipamento como oportunidade de apropriação social e sua relação local e regional de dependência sócio-territorial. Busca-se também: Reconhecer as maneiras de transformações espaciais das áreas de apropriação turística; Elencar os valores territoriais constitutivos das áreas analisadas; Definir lógicas de fluxos de serviços, dos visitantes e das territorialidades definidoras. Parte-se da formulação de método comparativo compreensivo, comumente adotado nas questões envolvidas com o urbano-regional, como instrumento de rigor científico que será reconhecido na observação do local. Espera-se contribuir para o desenvolvimento de propostas para o desenvolvimento de um turismo consciente das necessidades da comunidade local, valorizando suas autonomias locais por um viés integrador em relação às comunidades e grupos diversos existentes.
  • Universidade de Caxias do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Pedro de Lemos Menezes

Ciências da Saúde

Fonoaudiologia
  • desenvolvimento de teste diagnóstico para identificação de marcador biológico dos níveis de discriminação auditiva com potenciais evocados auditivos corticais
  • A discriminação auditiva refere-se à capacidade que o ser humano possui para diferenciar dois ou mais sons. O exame de Potenciais Evocados Auditivos Corticais é utilizado para caracterizar a discriminação de sons, a partir de diferentes estímulos, podendo ser tom puro ou fala. Os estímulos de fala são usados para investigar a discriminação auditiva, sem analisar semelhanças ou diferenças entre os fonemas usados. Diante dessa realidade, surgiu a necessidade de desenvolver diferentes estímulos de fala, considerando os traços distintivos que os fonemas compartilham, estabelecendo diferentes níveis de dificuldades de discriminação. A identificação de marcadores biológicos, a partir dos testes desenvolvido, poderá ser uma importante ferramenta de diagnóstico no futuro. Objetivo: desenvolver um teste diagnóstico para identificação de marcador biológico dos níveis de discriminação auditiva com potenciais evocados auditivos corticais. Método: o estudo será realizado em duas etapas: Etapa I - Geração de tecnologia e Etapa II – Pesquisa com seres humanos. Na etapa I serão desenvolvidos os estímulos de fala /da/ x /ka/, /ba/ x /ka/, /ga/ x /ka/, o distrator e o protocolo para definir níveis de discriminação auditiva. Na etapa II será realizada uma pesquisa, composta por uma amostra de 34 sujeitos, distribuídos em dois grupos pesquisas, sendo GP 1, formado por 17 adultos jovens na faixa etária entre 18 anos e 25 anos e GP 2, formado por crianças, na faixa etária entre 7 anos e 10 anos. Os dois grupos serão formados por pessoas de ambos os sexos, sem alteração auditiva e sem alteração de fala. Serão aplicados os procedimentos de anamnese, otoscopia, imitanciometria, audiometria tonal e vocal, prova de fonologia do Teste de Linguagem Infantil ABFW e os testes de potenciais auditivos corticais. A normalidade da amostra será observada por meio do teste de Kolmogorov-Smirnov. Para detectar diferenças entre os três estímulos, numa análise intragrupo, serão usados os testes teste ANOVA two-way, com o teste post hoc de bonferroni ou o teste Friedman, com o Wilcoxon, a depender da normalidade da amostra. Para avaliação da sensibilidade e especificidade será traçada a curva de Característica de Operação do Receptor (Curva ROC – Receiver Operating Characteristic). Os valores de p serão considerados significativos quando menores que 0,05 e o valor de beta estabelecido será de 0,1. O software utilizado para a obtenção dos cálculos será o Statistical Package for Social Sciences (SPSS), versão 23.0.
  • Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas - AL - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Pedro de Lima Neto

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • eletrodeposição de materiais metálicos a partir de eletrólitos não aquosos baseados em líquidos iônicos e em solventes eutéticos
  • Esta proposta objetiva estudar a eletrodeposição de materiais metálicos a partir de soluções eletrolítica formuladas com líquidos iônicos ou misturas eutéticas de cloreto de colina com etilenoglicol, urea e glicerol. Os revestimentos a serem estudados serão: Fe-Co, Fe-Ni, Fe-Mn, Zn-Fe, Cu-Fe, Sn-Cu, Sn-Ni, Sn-Zn. Serão avaliados os efeitos da concentração de íons metálicos e da temperatura de eletrodeposição na morfologia das camadas eletrodepositas, na composição química e na microestrutura. As ligas de Sn-Cu, Sn-Ni, Sn-Zn e Zn-Fe serão avaliadas como revestimentos protetores do aço carbono contra a corrosão em meio ácido e neutro. As ligas Fe-Co, Fe-Ni, Fe-Mn, Cu-Sn e Cu-Fe serão estudadas como materiais eletródicos para a oxidação de moléculas orgânicas, etanol e formaldeído, para a reação de eletrólise da água e reação de redução de oxigênio. A investigação das propriedades eletrocatalíticas dos eletrodepósitos está associada ao interesse no desenvolvimento de materiais mais baratos para a reações associadas a processos de conversão de energia.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Pedro Domingos Marques Prietto

Engenharias

Engenharia Civil
  • comportamento de diferentes materiais geotécnicos submetidos à ação de percolados ácidos
  • Este projeto de pesquisa busca avaliar o comportamento de diferentes materiais geotécnicos, com potencial para aplicação em barreiras de contenção de contaminantes em aterros de disposição de resíduos industriais e de mineração, através da análise das alterações nas suas características mecânicas, físicas, químicas, mineralógicas e geomorfológicas, resultantes da percolação ácida. Serão estudados três diferentes concentrações de ácido sulfúrico em solução aquosa (0, 0,01 e 1 mol/L e quatro diferentes materiais geotécnicos (areia Fina - AFO; caulim - CAU; bentonita - BEN; e um solo argiloso residual de basalto (SRB). Ensaios em amostras estruturadas e não estruturadas serão conduzidos para avaliar os impactos do ataque ácido a partir da análise das alterações no comportamento mecânico (ensaios de consolidação com medidas de rigidez) e modificações na fração solida, no lixiviado liquido e na microestrutura das amostras. Na fração sólida serão realizadas as seguintes análises: granulometria por espalhamento de luz laser de baixo ângulo, fluorescência de raios-x (FRX), difração de raios-x (DRX), termogravimétrica (TG/DTG/DSC) e microscopia eletrônica de varredura (MEV) de alta resolução com EDS. A microestrutura será analisada por meio de porosimetria por Intrusão de Mercúrio e microtomografia computadorizada por raios-x. No extrato líquido serão analisados pH, condutividade elétrica e os seguintes elementos Ca, Al, K, Mg, Na, Cu, Mn, Zn e Fe, por meio de espectrometria de emissão por plasma (ICPE-Plasma). Como resultado, espera-se estabelecer padrões de comportamento para uma ampla gama de materiais geotécnicos que possam servir de subsídio ao dimensionamento de barreiras utilizadas na contenção de contaminantes, fornecendo evidências experimentais que propiciem o desenvolvimento de modelos de previsão de comportamento.
  • Universidade de Passo Fundo - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Pedro Dultra Britto

Ciências Sociais Aplicadas

Arquitetura e Urbanismo
  • canteiro experimental - pensando a habitação de interesse social rural em áreas de cerrado
  • A política habitacional brasileira dedicou-se, mesmo com as inúmeras críticas inerentes a ela, à produção quase que exclusiva da habitação e do habitat em áreas urbanas. As populações rurais ficaram relegadas ao pouco alcance que as políticas de desenvolvimento rural obtiveram em relação às melhorais infraestruturais e à produção do habitat no campo. Apenas em períodos recentes, datados do início da década de 2000, com especial atenção para o período pós 2003 é que foram institucionalizados programas de apoio à habitação de interesse social em áreas rurais com destaque para o Programa de Subsídio à Habitação de Interesse Social (PSHIS) executado entre 2003 e 2005 e o Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR), criado em 2009 e articulado ao Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV). Mesmo assim, a execução de tais programas demandou a capacidade de articulação e organização dos movimentos sociais do campo que, na maioria das vezes, tiveram que suprir condições e fatores que os programas não contemplaram, dentre elas, o trabalho de assessoria técnica para a construção das moradias. Considerando este contexto, o projeto de pesquisa - que se desdobra do projeto de extensão “Habitar do Campo: mais vida e mais qualidade para as comunidades de agricultores e agricultoras familiares em Goiás” - tem por objetivo consolidar um núcleo de pesquisa e extensão ancorado nas práticas de canteiro-escola a fim de subsidiar, dialogar, qualificar e apontar diretrizes para o debate a consequente produção de habitação de interesse social rural nas áreas de Cerrado, especialmente, localizadas em Goiás. A metodologia empregada baseia-se nos métodos da educação popular e troca de saberes, onde os estudantes e as entidades organizadoras de movimentos sociais do campo e da cidade engajados nas políticas de acesso aos programas de habitação de interesse social poderão interagir e construir propostas com soluções diferentes e adequadas para habitar no campo.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Pedro Engel Penter

Ciências Sociais Aplicadas

Arquitetura e Urbanismo
  • supergrid – uma pedagogia do kit-de-partes. desenvolvimento do mecanismo de controle para uma gramática da forma visando a concepção de fachadas urbanas.
  • O projeto de pesquisa apresentado a seguir propõe o desenvolvimento de um sistema computacional para a composição de fachadas a partir de elementos ordinários do edifício. Desenvolvida junto ao LAMO – Laboratório de Modelos e Fabricação Digital – a pesquisa compreende a criação de um algoritmo paramétrico por meio do softwares Rhinoceros / Grasshopper baseado nos princípios das gramáticas da forma (BEIRÃO e DUARTE, 2005; DUARTE, 2001). O algoritmo, apelidado de Supergrid, permite gerar variações compositivas a partir de um conjunto finito de elementos segundo regras de combinação pré-estabelecidas e viabiliza a produção de modelos físicos via fabricação digital empregando um sistema de encaixes controlado computacionalmente. Além de avançar nos conhecimentos sobre métodos computacionais de projeto e fabricação, a pesquisa compreende a implementação do sistema gerando modelos que suscitem reflexões sobre o sentido da fachada como dispositivos de mediação entre o edifício e a cidade. O avanço nos métodos computacionais aborda especificamente o problema de como governar as variações compositivas por meios computacionais e, por consequência, de como ordenar estas variações nos modelos. O objetivo é poder estabelecer uma organização baseada em padrões, retomando o princípio proposto por Alexander (1977) a partir do qual é possível construir, inventários valiosos para o processo heurístico do projeto, a partir de soluções recorrentes vinculadas a situações recorrentes de projeto. A hipótese do trabalho é que os recursos computacionais permitirão gerar padrões (tipos de soluções compositivas) por uma via indutiva, ou seja, aposta-se que dadas determinadas condições de projeto o algoritmo será capaz de gerar um cardápio de soluções compositivas consideradas satisfatórias segundo critérios os estabelecidos (permeabilidade visual, proteção solar, proporção de cheios e vazios, etc). Este tipo de dispositivo computacional é chamado de controlador semântico, pois governa as variações sintáticas por meio de critérios que dotam as composições de sentido arquitetônico. A implementação do sistema, por sua vez, compreende a produção de modelos físicos valendo-se dos recursos de fabricação digital disponíveis no LAMO – Laboratório de Modelos e Fabricação Digital – e da oficina de modelos da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRJ. A intenção é formar uma espécie de biblioteca de padrões compositivos. Com isso, pretende suscitar uma reflexão sobre o caráter sistêmico das formas elementares identificadas com a modernidade arquitetônica e explicitar a potencial versatilidade desta gramática na constituição de distintos tipos de interface entre edifício e cidade. Deste modo, a investigação busca conjugar o desenvolvimento de as ferramentas computacionais com a abordagem de questões que interessam ao campo disciplinar num sentido mais amplo. Por esta razão, propõe-se levar os produtos gerados pelo Supergrid a um público mais amplo por meio da exposição da coleção de modelos produzidos com o auxílio do algoritmo. As atividades propostas incluem a produção módulos de exposição tendo como meta principal a participação no 27º Congresso Mundial de Arquitetos, organizado pela União Internacional de Arquitetos (UIA 2020 Rio), em Junho de 2020 no Rio de Janeiro.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Pedro Falcão Pricladnitzky

Ciências Humanas

Filosofia
  • explicações científicas em descartes
  • Esse projeto tem por objetivo contribuir para o atual debate acerca da filosofia da ciência no início da modernidade em geral, e sobre a filosofia da ciência de Descartes em particular, mostrando como é possível articular seu projeto epistemológico fundacionista e o apelo que constantemente faz à experiência em sua prática científica e, mesmo, em afirmações de caráter metodológico. Essa articulação passa, como será defendido, pela compreensão adequada do modelo explicativo usado e proposto normativamente por Descartes em sua física, no qual tanto os elementos a priori da Geometria Euclidiana, quanto as Leis do Movimento derivadas de sua metafísica, devem ser combinados com hipóteses ou suposições empíricas (como vemos nos Princípios, Dióptrica e Meteoros), que cumprem um papel essencial na aplicação e comprovação dos resultados obtidos pela investigação a priori para a compreensão adequada dos fenômenos naturais apreendidos pela experiência.
  • Universidade Estadual de Maringá - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Pedro Felipe Arce Castillo

Engenharias

Engenharia Química
  • medição experimental, correlação e predição do comportamento de fases de fluidos de sistemas contendo líquidos iônicos (imidazôlio) e co2 supercrítico
  • A necessidade atual por mais e melhores dados sobre propriedades físicas, físico-químicas e termodinâmicas de líquidos iônicos (LIs), para o desenvolvimento de muitos processos, em condições supercríticas, onde esses fluidos apresentam vantagens extraordinárias, originam o interesse por estudar, analisar e propor métodos termodinamicamente fundamentados. Esses métodos servem para determinar propriedades tais como densidade, propriedades críticas, fator acêntrico, pressão de saturação entre outras, os quais são de especial interesse para correlacionar e predizer propriedades termodinâmicas de equilíbrio e sua aplicação aos processos supercríticos de separação. Os LIs são fluidos inovadores na engenharia com um tremendo e insuspeitado potencial nos processos de separação. Esses LIs são sais fundidos de tipo orgânico com pontos de fusão sob 100ºC e pressões de vapor extremadamente pequenas. Atualmente, na Indústria Química se faz necessário desenvolver solventes orgânicos alternativos aos atuais devido à pressão social e a legislação ambiental cada vez mais rigorosa. Neste sentido, os LIs representam uma excelente opção e têm sido catalogados como os “solventes do futuro”. Os LIs se tornaram os parceiros perfeitos do CO2 supercrítico em muitas aplicações e a maioria dos estudos relatados na literatura analisa a interação entre estes dois solventes “verdes”. Este projeto de pesquisa visa focalizar as propriedades físicas, físico-químicas e termodinâmicas especificas dos LIs (imidazôlio) e o comportamento de fases, em altas pressões, de sistemas binários: LI (imidazôlio) – CO2 supercrítico, em forma experimental (Montagem de uma unidade de laboratório), correlação, através da modelagem termodinâmica utilizando equações de estado e a predição, usando modelos matemáticos via redes neurais artificiais.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Pedro Felipe Carvalhedo de Bruin

Ciências da Saúde

Medicina
  • estudo dos efeitos da administração pré-operatória de melatonina sobre a microbiota, a barreira epitelial intestinal e a dor pós-operatória em obesos submetidos a cirurgia bariátrica
  • A obesidade é uma doença crônica não transmissível, de etiologia multifatorial e prevalência crescente no Brasil e no mundo, com graves repercussões sociais e econômicas. A microbiota intestinal dos obesos, comparada à de indivíduos eutróficos, difere quanto à composição, diversidade, atividade metabólica e conteúdo genético. Evidências de uma relação entre microbiota e integridade da barreira intestinal e endotoxemia metabólica na obesidade têm estimulado novos estudos para buscar estratégias de modificação dessa microbiota. Paralelamente, a cirurgia bariátrica é uma modalidade terapêutica capaz de produzir perda de peso sustentada e controle metabólico, porém, pode acompanhar-se de significativa dor pós-operatória, com repercussão no tempo de recuperação. A melatotina (MLT) é uma substância com atividade antiinflamatória, antioxidante e hipnoindutora, que participa na regulação do ritmo circadiano, balanço energético e peso corporal, e sua administração é reconhecidamente bem tolerada. Estudos recentes sugerem que a MLT pode modular a percepção dolorosa e influenciar a microbiota intestinal. Com o objetivo de investigar o efeito da administração de MLT sobre a microbiota, a barreira epitelial intestinal, a endotoxemia metabolica e a intensidade da dor pós-operatória em pacientes submetidos a cirurgia bariátrica, será realizado ensaio clínico, duplo cego, randomizado, com dois grupos paralelos. Serão convidados a participar do estudo pacientes de ambos os sexos que comparecerem ao Núcleo do Obeso do Ceará para consulta pré-agendada, e que preencham os seguintes critérios idade> 18 anos; IMC> 34,9kg/m2; candidatos a cirurgia de “Bypass” Gástrico. Pacientes internados por qualquer motivo nas oito semanas precedentes ou que usaram probióticos, antibióticos ou MLT nas duas semanas prévias não serão incluídos. Após assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, os participantes responderão aos questionários: Índice de Qualidade de Sono de Pittsburgh; Escala de Sonolência de Epworth; Inventário de Depressão de Beck; Escala de Ansiedade de Beck; Questionário de Matutinidade e Vespertinidade; Questionário Holandês de Comportamento Alimentar; Escala de Sintomas Alimentares Noturnos; Escala de Compulsão Alimentar Periódica. Em seguida, serão aferidos o peso, altura, circunferências do pescoço, quadril e cintura e coletadas amostras de sangue, para dosagem de LPS, I-FABP, IL-1β, IL-6, 8-isoprostano, e de fezes para estudo da microbiota intestinal. Os pacientes serão então randomizados para receber MLT 5mg ou placebo, VO, uma hora antes do horário habitual de sono, por um período mínimo de 60 dias, até a véspera da cirurgia. Durante o período de tratamento, deverão retornar após 30 dias para avaliar adesão, através da contagem de cápsulas. No dia anterior à cirurgia, serão reaplicados os questionários e realizada nova coleta de sangue e de fezes. A Escala Visual Analógica da Dor será aplicada antes e 12, 24 e 36 horas após a cirurgia. Durante o procedimento cirúrgico serão coletadas amostras de tecido jejunal para análise da barreira epitelial intestinal (morfometria intestinal e imunofluorescência). O estudo obedecerá a Resolução nº 466/2012 do CNS e o protocolo será aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa local. A análise estatística será realizada pelo software Statistical Product and Service Solutions - SPSS® (versão 21).
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Pedro Fernando Avalone de Athayde

Ciências da Saúde

Educação Física
  • políticas de esporte em países iberoamericanos: um estudo comparado entre brasil e portugal.
  • Este projeto corresponde a segunda etapa de estudo diagnóstico sobre as políticas esportivas dos países ibero-americanos. Na primeira fase, em desenvolvimento, com apoio do Edital 04/2017 da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP-DF), estão em estudo as políticas esportivas da Espanha e algumas de suas comunidades autônomas. Para esse segundo momento, elegemos as políticas esportivas de Portugal, o que nos possibilitaria abranger uma amostragem composta pelos países integrantes da península Ibérica da Europa, os quais seriam tomados como parâmetro de comparação com as políticas esportivas brasileiras. O projeto tem como objetivo principal realizar estudo comparado, a partir de cooperação acadêmico-científica, identificando e analisando as características gerais das políticas públicas e da organização esportiva brasileira e portuguesa. Apresenta-se como hipótese inicial a percepção de que há uma tedência global de organização esportiva que vem orientando as políticas esportivas nacionais. Entretanto, a despeito da utilização de modelos de governança e gestão semelhantes, pressupõe-se que fatores históricos, culturais e políticos locais engendram particularidades e, por conseguinte, elementos de diferenciação. Ao mesmo tempo, acreditamos que esse olhar para fora possibilita compreender melhor nossas limitações internas. Para o alcance dos objetivos e aferição dessas hipóteses iniciais, utilizaremos como recursos metodológicos a análise documental e a pesquisa de campo, com registro fotográficos e coleta de entrevistas, utilizando para tratamento dos dados a análise comparada da administração pública e o suporte de softwares de análise qualitativa de dados.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Pedro Fernando Teixeira Dorneles

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • fecipampa – feira de ciências do pampa
  • A Universidade Federal do Pampa (Unipampa) consolidada como instituição multicampi é formada por 10 campi, estendendo-se desde a região da Encosta do Sudeste (campus Jaguarão), região da Campanha Gaúcha (campus Bagé, D. Pedrito, Caçapava do Sul, São Gabriel, Santana do Livramento, Alegrete e Uruguaiana) até a região das Missões (Itaqui e São Borja). Nos campi Bagé e Caçapava do Sul da Unipampa ocorrem Feiras de Ciências ininterruptas desde 2011. No campus Dom Pedrito, as Feiras de Ciências começaram a ocorrer, no ano de 2014, a partir da chamada CNPq que envolveu a Universidade Federal da Fronteira Sul e Unipampa em uma dimensão interestadual, sendo a partir daí integradas com as Feiras do Campus Bagé. O Campus Uruguaiana passou a realizar feiras a partir de 2017. No ano de 2019 (últimas feiras presenciais) o somatório de alunos envolvidos foi de 1150 nas feiras que o foram organizadas pela Unipampa, já nos anos anteriores (de 2011 a 2018) foram 186, 246, 494, 581, 849, 869, 815, 1144, respectivamente. O crescimento significativo no número de trabalho nos últimos anos é fruto da ampliação das equipes organizadoras, da maior divulgação dos projetos, pela realização de rodas de conversa para professores da Educação Básica e, também, pelo início de um projeto de pesquisa intitulado: Feiras de ciências estimulam a alfabetização científica dos estudantes da Educação Básica? Esse crescimento numérico e de consolidação de equipes de trabalhos, com experiências em formações para professores da Educação Básica, planejamento, organização e realização de Feiras de Ciências, aliado ao fato de não haver até o momento uma feira que faça um movimento de integração entre os munícipios do sul ao oeste do estado do Rio Grande do Sul (região de abrangência da Unipampa), com a presente proposta visamos conceber um evento estadual de Feiras de Ciências e aglutinador de feiras municipais, pois nosso estado tem uma forte identificação com as feiras desenvolvidas anteriormente pelo CECIRS (Centro de Ciências do Rio Grande do Sul). Para isso, buscamos apoio da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Unipampa para constituir um projeto institucional, o que resultou em uma chamada aos servidores (docentes e Técnicos em Assuntos Educacionais) da Unipampa para manifestarem interesse em participarem da presente proposta. Assim, formamos uma equipe de trabalho com representantes de todas as 10 cidades com campus da Unipampa. No caso dos campi São Borja e Santana do Livramento, por não terem cursos na área Ciências da Natureza, buscamos parcerias com a Universidade Estadual do Rio Grande do Sul e o Instituto Federal Farroupilha. Dessa forma, estamos propondo além da Feira Estadual (FECIPAMPA – Feira de Ciências do Pampa) a realização de duas etapas anteriores (municipal e integradora), ou seja, as equipes de cada campus irão fomentar a realização de feiras nos municípios vizinhos para o credenciamento de trabalhos nas feiras integradoras (feiras nos 10 campi da Unipampa), as quais selecionarão trabalhos para a FECIPAMPA. Assim, esperamos ter nas feiras municipais, os espaços para a participação de muitos estudantes e professores e nas etapas seguintes o grau de avaliação se tornando maior. As feiras integradoras constituirão um comitê científico para avaliar os trabalhos a serem selecionados para a etapa da FECIPAMPA, na qual esperamos ter no mínimo a representação de 75 municípios do Rio Grande do Sul compreendendo 53 trabalhos selecionados das feira integradoras e uma reserva de vagas por meio de duas chamadas: uma para feiras afiliadas e outra para municípios que não participaram das feira integradora, possibilitando assim, inscrição de trabalhos de todo o estado e dos países vizinhos (Uruguai e Argentina). O número de trabalhos das chamadas vai ser estimado a partir do número de trabalhos das feiras integradoras. Ao total estimamos de 140 a 160 trabalhos para a FECIPAMPA (aproximadamente 90 das feiras integradoras, 30 de feira que se afiliarão a FECIPAMPA e 30 de municípios que não participaram das feiras integradoras). Tal estimativa será possível de ser alcançada a partir do apoio da presente chamada e da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura, que já manifestou o apoio em realizar um edital de seleção de bolsistas de graduação para atuarem nos dez campi da Unipampa como monitores das equipes locais. Além disso, temos articulação com mais projetos da Universidade, tais como: Gurias do Pampa (com foco na inclusão das meninas em CT&I), Inclusive, Planetário para Todos, Rede Sacci (Ciência na Escola), etc. Como perspectivas futuras temos a intenção de criar uma rede estadual de Feiras de Ciências, articulando atividades de extensão, pesquisa e ensino (curricularização da extensão nos cursos de graduação) das universidades públicas e privadas e dos institutos federais do Rio Grande do Sul, tornando um evento itinerante pelas cidades gaúchas.
  • Universidade Federal do Pampa - RS - Brasil
  • 28/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

Pedro Fernando Teixeira Dorneles

Tecnologias

Desenvolvimento Tecnológico e Industrial
  • difundindo ciência e tecnologia na região da campanha/fecipampa – feira de ciências do pampa
  • Na Unipampa Campus Bagé ocorrem feiras ininterruptas desde 2011. No presente ano foram apresentados 83 trabalhos, já nos anos anteriores de 2011 a 2018 foram apresentados 27, 31, 40, 46, 68, 62, 68 e 87, respectivamente. O crescimento significativo no número de trabalho nos últimos dois anos é fruto da ampliação da equipe organizadora, da maior divulgação do projeto (que passou a ter uma página institucional: https://eventos.unipampa.edu.br/), pela realização de rodas de conversa para professores da Educação Básica e, também, pelo início de um projeto de pesquisa intitulado: Feiras de ciências estimulam a alfabetização científica dos estudantes da Educação Básica? Essas novas ações e do histórico das feiras anteriores, descrito no item 2.2, possibilitou a estimativa para as próximas feiras do Campus Bagé/RS de 100 trabalhos, além de 80 trabalhos na Feira Municipal de Candiota/RS (feira que seleciona trabalhos para a Feira de Bagé), 50 para Feira Municipal de Hulha Negra e 50 para a Mostra de Ciências de Dom Pedrito/RS. Assim, espera-se ter a apresentação de 280 trabalhos anuais e no mínimo 1400 pessoas (cinco por trabalho), entre alunos e professores, envolvidos na concepção e apresentação de trabalhos. Se o número de pessoas que participarão das feiras levarem em conta os visitantes, certamente se atingirá um público em torno de 2000 pessoas, considerando 150 visitantes por feira (uma estimativa abaixo dos anos anteriores, mas útil para se estabelecer uma meta possível de ser atendida). Se ainda forem levadas em conta as participações nas Semanas Nacionais de Ciência e Tecnologia, a partir das ações intituladas “Feira na Praça”, descrita em mais detalhes no item 4.5, a meta de pessoas envolvidas anualmente, estabelecida pela equipe executora do projeto, é de 3000, ou seja, atender 6 mil pessoas em dois anos. Outro público que será atingido envolve a comunidade das escolas, em que ocorrerão atividades de preparação e divulgação nas escolas (descrição no item 4.4). Nessas atividades além da orientação sobre o desenvolvimento de trabalhos e minimização de possíveis dúvidas, também poderão ocorrer sessões do planetário inflável ou fixo do Campus Bagé, que já atingiu mais de 10.000 pessoas. Para o presente projeto esperamos continuar sendo uma feira afiliada das feiras Fecimes (https://www.necim.org/) e Ciência Jovem (http://www.espacociencia.pe.gov.br/), assim como ter a feira do projeto Difundindo Ciência e Tecnologia na Região da Campanha UNIPAMPA – Caçapava do Sul ( ttp://200.132.138.126/wp/feiradeciencias/wp-content/uploads/2016/05/Edital_FeiraCiencias2019_CS.pdf) como uma afiliada a nossa feira. Como pode-se observar, ao longo dos nove anos de projeto, ano após ano, houve fortalecimento da proposição de uma feira regional. Assim, para as edições de 2020 e 2021 será incentivada a realização de feiras municipais em Candiota (oitava edição), em Hulha Negra (segunda edição), em Aceguá (primeira edição), em Dom Pedrito (evento realizado anualmente pela secretaria educação), em Bagé (a primeira edição municipal, pois até 2019, nona edição, o presente projeto recebia trabalhos dos municípios que não realizavam feiras e para o fechamento da primeira década de projeto, em 2020, será realizada a I FECIPAMPA (Feira de Ciências do Pampa). Em tal feira serão apresentados trabalhos das feiras municipais listadas anteriormente e trabalhos selecionados da feira do Campus Caçapava do Sul.
  • Universidade Federal do Pampa - RS - Brasil
  • 07/01/2020-31/07/2021