Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ana Railka de Souza Oliveira Kumakura

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • acurácia das evidências clínicas relacionadas aos déficits no autocuidado de pacientes com acidente vascular cerebral
  • O objetivo do estudo será analisar a acurácia das características definidoras dos diagnósticos de enfermagem relacionados aos déficits no autocuidado em pacientes com acidente vascular cerebral (AVC). Estudo metodológico para validação de diagnósticos de enfermagem a ser desenvolvido em duas etapas: análise de conteúdo diagnóstico e validação clínica. Para a primeira etapa será realizada uma revisão na literatura em bases de dados e em livros-textos que permitam a construção de definições conceituais e operacionais para cada um dos indicadores dos diagnósticos aplicados aos déficits de autocuidado em pacientes com acidente vascular cerebral. Esse material será submetido ao crivo de 22 enfermeiros especialistas na área em taxonomias de enfermagem ou no cuidado a pacientes com AVC. Os especialistas irão avaliar os títulos e definições de cada indicador, segundo os critérios psicométricos de clareza e precisão. Os dados serão organizados em planilhas e analisados com o software SPSS 22. Para a etapa de análise de conteúdo serão calculados média aritmética e teste binomial. Estes indicadores clínicos analisados por especialistas serão testados na prática clínica. Para a etapa de validação clínica será conduzido um estudo de acurácia diagnóstica fase II. O estudo será desenvolvido no Ambulatório de Neurovascular de um hospital público e terciário do Brasil, situado na cidade de Campinas/SP. A amostra será calculada com base na fórmula para estudos de acurácia e constará de 132 pacientes. Critérios de inclusão: diagnóstico médico de AVC independente do tipo; b) idade igual ou superior a 18 anos; c) ter sido internado no hospital sede do estudo durante episódio do AVC; e d) ter realizado a consulta inicial e no mínimo uma de seguimento no ambulatório de neurovascular. Estabeleceu-se que os pacientes incapazes de comunicação verbal e que não estiverem acompanhados por cuidadores/acompanhantes que saibam dar informações sobre seu processo saúde/doença serão excluídos do estudo. As fontes para coleta de dados serão dos tipos primária e secundária (prontuário dos pacientes e fichas de atendimento do ambulatório). Serão utilizados dois formulário de coleta de dados. O primeiro contém tópicos sobre dados sociodemográficos, da história pessoal e familiar, da internação hospitalar e do acompanhamento ambulatorial. O segundo contém as características definidoras e os diganósticos de enfermagem relacionados aos déficits de autocuidado. Os dados serão categorizados numa planilha do Excel e analisados pelo programa estatístico SPSS, versão 20.0. Proceder-se-á à análise mediante uma abordagem estatística descritiva, para a qual se fará a distribuição das frequências absolutas e relativas para as variáveis categóricas e das medidas de dispersão para variáveis contínuas, bem como serão empregados teste de associação. O método da análise de classe latente será empregado para analisar a acurácia diagnóstica. Serão realizadas medidas de sensibilidade, especificidade e área sob a curva ROC para todas as características definidoras investigadas. O nível de significância adotado será de 5%. O trabalho foi enviado ao Comitê de Ética em Pesquisa da Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP para sua apreciação e foi aprovado com número de protocolo 1.163.474.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Raimunda Dâmaso

Ciências da Saúde

Educação Física
  • aplicação de uma metodologia multidisciplinar semipresencial com auxilio de meios eletrônicos para o tratamento da obesidade em adolescentes
  • A obesidade é caracterizada como uma doença complexa, multifatorial e crônica, com consequências biológicas e sociais desencadeadoras de diversas comorbidades que diminuem a qualidade e expectativa de vida. Os números crescentes de pessoas acometidas por sobrepeso e obesidade principalmente em idades precoces aumentam o desenvolvimento de modelos de intervenções para adequação do estilo de vida pautadas na regulação do balanço energético que frequentemente colidem com problemas de motivação, barreiras ambientais e pessoais dificultando o sucesso, implementação e a adesão aos programas. Nesta perspectiva, os meios eletrônicos e o fácil acesso a internet podem ser aliados de programas de emagrecimento estruturados e embasados cientificamente por agregar inúmeras ferramentas educacionais, de controle e de comunicação. Objetivo: Avaliar os efeitos de 20 semanas de terapia multidisciplinar semipresencial associada ao uso de meios eletrônicos para o tratamento da obesidade em adolescentes. Métodos: Serão selecionados 101 adolescentes de ambos os sexos, com idades entre 15 e 19 anos, classificados com obesidade de acordo com o Índice de Massa Corporal (IMC) por gênero e idade da Organização Mundial da Saúde (OMS), e estagiamento 5 de acordo com a classificação de Tanner. Os voluntários serão submetidos 20 semanas de terapia multidisciplinar semipresencial com consulta médica inicial, prescrição dietética, instruções para atividades físicas autoguiadas e suporte online através de emails, whatsapp® e vídeos com temas educativos sobre obesidade no site do ciclo do emagrecimento®. Após a seleção (basal) e do período de intervenção, os pacientes realizarão a análise da composição corporal, análise do nível de atividade física, análises bioquímicas (glicose, insulina, perfil lipídico - colesterol total, frações e triglicérides, marcadores do balanço energético – adiponectina, leptina, obestatina, NPY, alpha-MSH, vistatina, miostatina e meteorina like, e dos marcadores de transdiferenciação celular – Irisina e FGF-21) e pressão arterial (PA). Serão calculados os índices de resistência a insulina (HOMA-IR) e sensibilidade a insulina (QUICKI). O protocolo será composto por cinco sessões presenciais com apoio individual e em grupo que trabalharão as dificuldades encontradas na prescrição dietética, exercício físico e motivação durante todo o protocolo por meios eletrônicos. Nestes encontros serão aplicados os questionários sintomas de depressão, bulimia, auto-imagem corporal, alteração de humor e qualidade de vida e feitas medidas antropométricas de peso, estatura, circunferências, PA e composição corporal. Nas semanas não presenciais o peso será monitorado por auto-relato e ao final de toda semana os voluntários responderão um quiz de perguntas sobre os temas trabalhados. A análise do reganho de peso pós intervenção será feita via meios eletrônicos durante 12 e 24 semanas subsequentes aos estudos. Os resultados serão analisados utilizando o software Statistica versão 7.0. Será verificada a normalidade dos dados e o comportamento das variáveis durante a intervenção será analisada pelo o teste ANOVA para medidas repetidas com adotando p ≤ 0,05. Será verificado o comportamento de dependências das variáveis por regressão linear simples.
  • Universidade Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Raquel Rodrigues Lindquist

Ciências da Saúde

Fisioterapia e Terapia Ocupacional
  • efeitos da prática mental na marcha de indivíduos com doença de parkinson idiopática: ensaio clínico randomizado e multicêntrico
  • As alterações motoras apresentadas por indivíduos com Doença de Parkinson (DP) afetam de forma importante a marcha, gerando uma dependência cognitiva na melhora do padrão do movimento, ou seja, a marcha se torna mais vulnerável a influências externas. Estudos têm mostrado uma forte interação entre marcha e cognição nessa população no sentido de um aumento da dependência atencional no controle do movimento, distanciando do automatismo. No ano de 2013, foi realizado no Departamento de Fisioterapia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte o estudo intitulado: Efeitos imediatos da adição da prática mental à prática física na marcha de indivíduos com Doença de Parkinson: ensaio clínico randomizado. Este estudo teve como objetivo verificar os efeitos da prática mental adicionada à prática física sobre a marcha de indivíduos com DP idiopática imediatamente após uma única sessão de treinamento, e se estes efeitos se mantinham após 1 e/ou 7 dias (Santiago, et al. NeuroRehab. 37:1, 2015). Os resultados mostraram que, após uma única sessão de treinamento ambos os grupos de estudo melhoram significativamente padrões cinemáticos e conseguiram manter as alterações nos follow-ups, entretanto, a adição da prática mental não produziu efeitos superiores à prática física sobre a marcha. Assim, sugeriu-se a necessidade de uma maior frequência de prática mental. O projeto proposto, desta forma, será uma continuidade do estudo anterior e tem como meta investigar se o aumento no número de sessões de treinamento com adição de prática mental é capaz de trazer benefícios superiores ao treino convencional da marcha. Pretende-se desenvolver e identificar uma nova abordagem terapêutica para a marcha desses indivíduos estimulando-os a se envolverem ativamente no processo terapêutico, uma vez que a prática mental permite a auto-regulação a fim de promover mudanças no padrão de movimento. Parece prudente que a abordagem terapêutica busque controlar a atenção fornecendo informações que favoreçam a normalização da marcha. Desta forma, o que precisa ser esclarecido é se o treinamento associando uma estratégia externa (prática mental, por exemplo) à prática física é capaz de provocar mudanças no padrão do movimento treinado e por quanto tempo os efeitos se mantêm. Assim, questiona-se: a prática mental é capaz de trazer efeitos sobre a marcha de pacientes com DP? Esses efeitos se mantêm após 7, 30 e 60 dias? Para isso, será realizado um ensaio clínico multicêntrico controlado, randomizado e simples-cego com parceria das Universidades Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), de São Paulo (USP) e de Brasília (UNB). 66 indivíduos com DP idiopática, com idade entre 50 e 75 anos, sem déficit cognitivo, na fase moderada da doença e com capacidade de gerar imagem mental serão recrutados. Para a inclusão e caracterização da amostra, serão utilizados os seguintes instrumentos/equipamentos: (1) Formulário de identificação (aspectos sociodemográficos, clínicos e antropométricos; (2) Mini Exame do Estado Mental e Montreal Cognitive Assessment (nível cognitivo); (3) Escala de Hoehn e Yahr (nível de incapacidade física); (4) Movement Imagery Questionnaire (nitidez da imagem mental); (5) Qualisys Motion Capture Systems® (cinemática da marcha), (6) Emotiv Epoc+ (atividade eletroencefalográfica); (7) Unified Parkinson’s Disease Rating Scale – UPDRS (função motora e atividades de vida diária); (8) Timed Up and Go Test – TUG Test (mobilidade); e (9) Parkinson Disease Questionnaire – PDQ-39. Os participantes incluídos serão distribuídos aleatoriamente em 2 grupos: experimental (n= 33), que participará da prática mental e da prática física da marcha; e grupo controle (n= 33), que participará apenas da prática física da marcha. Ambos os grupos serão submetidos a 12 sessões de treino (3x/semana, durante 4 semanas) e serão reavaliados 10 minutos, 7, 30 e 60 dias após a última sessão de treinamento no que diz respeito aos itens (4), (5), (6) e (8) da avaliação. Os desfechos primários serão velocidade, comprimento da passada e amplitude de movimento do quadril e os secundários serão nitidez da imagem mental, atividade eletroencefalográfica e desempenho no TUG Test. A normalidade na distribuição dos dados será verificada por meio do teste Shapiro–Wilk. O Teste “t” e o Mann-Whitney serão usados para verificar a homogeneidade dos grupos no baseline. Uma ANOVA para medidas repetidas verificará a interação entre os grupos nos momentos observados.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Regina Noto

Ciências Humanas

Psicologia
  • prevenção de riscos baseada em mindfulness para populações jovens em contextos educacionais
  • Introdução: Mindfulness é uma habilidade de atenção plena ao momento presente, podendo ser aprimorada com práticas de meditação. Na área de saúde, as práticas são frequentemente ensinadas em grupo, por meio de protocolos estruturados. Embora com resultados comprovados para promoção de bem-estar, redução de estresse para população geral e prevenção de recaídas entre pacientes dependentes de álcool e outras drogas, faltam estudos sobre intervenções baseadas em Mindfulness voltadas prevenção de riscos entre populações jovens. O MBSR-T é um dos principais protocolos para manejo de estresse para adolescentes, mas ainda não avaliado no Brasil. Objetivo: Analisar a viabilidade do MBSR-T e adaptações necessárias para prevenção de comportamentos de risco entre adolescentes e jovens adultos em contextos educacionais brasileiros. Métodos: O estudo será baseado em métodos mistos, realizado em cerca de 10 contextos educacionais de diferentes localidades e características. Em cada contexto educacional, serão ofertados aos estudantes grupos de 8 semanas de treinamento em MBSR-T. Serão analisados os seguintes indicadores de viabilidade: aceitação, demanda, implementação e adaptação; por meio de entrevistas, grupos focais, análise de diário de campo, realizados com os usuários e profissionais dos serviços. Também serão aplicados escalas e questionários com estudantes antes e após a intervenção. O plano de análise de dados qualitativos utilizará análise de conteúdo, e de dados quantitativos utilizará análise descritiva para caracterização da amostra, além de testes de associação, análise de resíduos e de correspondência para traçar perfil dos participantes que aderirem ao programa de MBSR-T. Os resultados obtidos serão utilizados para subsidiar um subsequente ensaio clínico randomizado controlado.
  • Universidade Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Rita de Araujo Nogueira

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • análise exploratória de proteômica e minerais em tecido, fluido ruminal e fezes de bovinos da raça nelore (bos taurus indicus) visando associação com microbiomas do rúmen e intestino
  • A ciência caminha para a realização de estudos interdisciplinares que levem a resultados mais amplos, relacionados ao mecanismo de funcionamento dos organismos vivos e seus complexos processos metabólicos. Nesse sentido, o estudo metagenômico apresenta-se promissor por potencializar resultados obtidos individualmente, relacionados à expressão gênica, isoformas e novas transcrições no que diz respeito ao transcriptoma. Recentemente introduzido em pesquisas agronômicas, esta proposta está voltada à aplicação do estudo metagenômico em bovinos. Os ruminantes apresentam um sistema digestivo bastante complexo quando comparado a outros animais. Além da capacidade de regurgitar o alimento para aumentar a eficiência alimentar, possuem característica sobressalente que é a composição do rúmen assistida por um microbioma que contém bactérias, fungos e protozoários, capazes de promover a hidrólise de proteínas, lipídeos e carboidratos (incluindo a celulose). Visando o fornecimento de dados fenotípicos confiáveis para a construção de um banco de dados em conjunto com outras pesquisas em desenvolvimento na Embrapa, que envolvem o sequenciamento de DNA, RNA e microRNA dos microbiomas encontrados no rúmen e intestino de animais da raça Nelore (Bos indicus), serão desenvolvidos procedimentos para o preparo das amostras de análises proteômicas e minerais, os quais desempenham papel fundamental no crescimento e desenvolvimento saudável dos animais, e estão envolvidos em praticamente todas as vias metabólicas de seu organismo. Com o emprego de ferramentas de bioinformática, serão propostas possíveis vias metabólicas relacionadas às diferentes metaloproteínas avaliadas.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - DF - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Ruth Moresco Miranda

Lingüística, Letras e Artes

Lingüística
  • a fonologia e a ortografia em dados de escrita inicial
  • O presente projeto de investigação pretende dar continuidade a uma trajetória de pesquisa sobre aquisição da escrita que teve seu início em 2001 e tem o objetivo central de produzir uma análise linguística dos dados de escrita inicial. Em mais de 16 anos de investigação sobre a escrita de crianças, especialmente a partir de análises que contemplam a ortografia em suas possíveis relações com a fonologia, temos visado ao desenvolvimento de pesquisa cujo foco recai sobre os erros (orto)gráficos e sobre a busca de interpretações que nos permitam tanto compreender as hipóteses das crianças como analisar a emergência do conhecimento linguístico, sobretudo o fonológico, que subsidia as escolhas gráficas feitas por elas. Nosso intuito é o de responder a uma questão central: quais são os conhecimentos, fonológicos e/ou ortográficos, mobilizados pelas crianças quando elas começam a registrar a segunda articulação da linguagem, assim que compreendem o princípio do sistema alfabético de escrita que estão a adquirir. Entendemos que a resposta a esta questão oferece subsídios para a discussão de questões relacionadas ao conhecimento fonológico das crianças e é fundamental para a definição de categorias capazes de elucidarem a natureza dos erros produzidos durante o desenvolvimento da linguagem escrita, as quais são essenciais para a ação didática de professores. O investimento que temos feito na definição de categorias para classificação e interpretação dos erros produzidos nas escritas dos anos iniciais tem permitido, assim, uma reflexão sobre a natureza dos erros. Saber se são motivados por dificuldades inerentes ao sistema ortográfico ou por aquelas relacionadas a aspectos da fonética e da fonologia da língua é um dos primeiros passos para que possamos aprofundar nossas investigações sobre essa complexa tarefa que se impõe à criança e que consiste na compreensão de um sistema de escrita como o alfabético. Consideramos ser este um momento ímpar, à medida que possibilita, ao pesquisador, a construção de hipóteses interpretativas acerca da forma como o conhecimento fonológico é recuperado pelos aprendizes durante a aquisição da escrita, ao mesmo tempo em que é, inexoravelmente, afetado por ela. Com o intuito de ampliar o escopo de nossas investigações, a proposta deste projeto desdobra-se em três frentes de trabalho: i) análise panorâmica do penúltimo estrato do BATALE com base no conjuntos de categorias propostas, as quais organizam os erros em dois grandes grupos: erros relacionados à fonologia; erros relacionados às complexidades do sistema ortográfico; ii) comparação entre os dados de escrita espontânea e de escrita controlada; iii) estudo específico sobre grafias das soantes palatais, tomado como exemplo de emergência do conhecimento fonológico na escrita inicial; iv) finalização do SISTEMA VESTÍGIOS que permitirá o compartilhamento do BATALE (Banco de Textos sobre Aquisição da Linguagem Escrita) com a comunidade científica.
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Shirley Ferreira da Silva

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • coloração backbone, coloração gulosa e convexidade cíclica
  • Neste projeto, propomos a investigação de três problemas sobre grafos: a coloração backbone, coloração gulosa e convexidade cíclica. Dado um grafo G, um subgrafo gerador H de G e uma coloração própria c de G, dizemos que c é uma coloração backbone de (G,H) se a diferença entre c(u) e c(v) é de no mínimo 2, para toda aresta uv de H. O número backbone de (G,H), denotado por BBC(G,H), é o menor inteiro k para o qual existe uma coloração backbone de (G,H) com k cores. Note que isto generaliza o problema de coloração clássico, uma vez que H pode ser o grafo sem arestas. Esta variação do problema de coloração foi introduzida em 2003 por Broersma e coautores como um modelo para o problema de alocação de frequências onde algumas interferências são mais sensíveis do que outras. Desde então muito tem sido feito sobre o problema, em especial fazendo-se restrições nas classes de grafos investigadas. Neste projeto, propomos a investigação de limitantes superiores para BBC(G,H), quando G é planar e H é uma floresta. Ressaltamos que existem algumas conjecturas famosas sobre o assunto que serão abordadas. Propomos também a investigação da existência de um emparelhamento M de G para o qual BBC(G,M) é igual ao número cromático de G. 
 Dado um grafo G e uma ordem nos vértices de G, (v1, ..., vn), uma coloração gulosa de G pode ser obtida atribuindo a cor 1 para v1 e a menor cor c que não aparece na vizinha de vi, para i = 2 até i = n. Apesar de ser possível produzir uma coloração com a menor quantidade de cores, caso uma boa ordem seja fornecida, sabe-se que este procedimento pode gerar colorações muito ruins. Desta forma, Christen e Selkow propuseram em 79 a investigação do pior caso, isto é, eles definiram o número de Grundy de G como o maior inteiro k para o qual G admite uma coloração gulosa com k cores. Apesar de muito ter sido feito acerca deste parâmetro, não se conhece nenhum trabalho que restrinja as ordens a serem investigadas. Neste sentido, em 2014 a proponente e coautores investigaram as colorações geradas por ordens conexas, i.e., ordens (v1, ..., vn) onde vi possui ao menos um vizinho em {v1,...,v{i-1} }, para todo i em {2, ..., n}. Surpreendentemente, eles acharam que nem sempre existe uma ordem conexa que produz uma coloração com a menor quantidade de cores. Por isso, eles definiram o que chamaram de número cromático conexo de G, que se trata do parâmetro de minimização para o problema. Além disso, a versão de maximização é natural e por isso se definiu também o número de Grundy conexo. Mencionamos que o número de Grundy conexo de grafos bipartidos é 2, enquanto que o número de Grundy pode ser tão grande quanto se queira mesmo pra árvores. Neste projeto, propomos investigar a complexidade de encontrar estes parâmetros para grafos livres de H, assim como investigar conceitos de perfeição relativos a estes parâmetros. 
 Finalmente, dado um grafo G e uma família de subconjuntos D de G, dizemos que D é uma convexidade em G se D contém o conjunto vazio, o próprio conjunto V(G) e se é fechada sob interseção. Um conjunto de D é dito convexo; além disso, o fecho convexo de um subconjunto de vértices X qualquer é o menor conjunto convexo contendo X. Um conjunto X é chamado de conjunto de fecho se o fecho convexo de X contem todos os vértices de G; o número de fecho de G é o tamanho do menor conjunto de fecho de G. Denotamos este parâmetro por hn_D(G). Esta definição é bem geral e inclui vários tipos de convexidades. Uma das mais investigadas é a chamada de convexidade P_3. Nela, um conjunto C é convexo se todo vértice u de G que não está em C possui no máximo um vizinho em C. Esta convexidade atrai bastante atenção pois ocorre como modelo de vários problemas práticos, como por exemplo na estratégia de propagandas e no modelo de redes neurais. Neste projeto, propomos a investigação de um novo tipo de convexidade, chamada de convexidade cíclica, que se assemelha à convexidade P_3 e que serve de modelo para a obtenção de limites superiores para o número de túnel de nós. Um conjunto de vértice C é convexo na convexidade cíclica se todo vértice que não está em C possui no máximo um vizinho em cada componente do subgrafo de G induzido por C. Estamos interessados em investigar a taxa de crescimento do número de fecho de G em função do número de vértices e do genus de G. Como já mencionado, isto nos fornecerá limites superiores para o número de túnel de nós. Além disso, estamos também interessados em investigar a existência de problemas que dividam as convexidades P_3 e cíclica no que diz respeito à complexidade computacional.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Silvia Pavani Lemos

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • grupos de encontro do trabalho (grt) como estratégia de educação permanente em saúde: estudo com trabalhadores do sistema único de saúde (sus)
  • O presente projeto visa analisar a ferramenta ergológica “Grupos de Encontro do Trabalho (GRT) ” como estratégia para a Educação Permanente de profissionais da saúde atuantes no Sistema Único de Saúde (SUS) do Distrito Federal. A investigação, de abordagem qualitativa teórico-conceitual e de intervenção, será realizada com trabalhadores atuantes no Hospital Universitário de Brasília (HUB) e na Estratégia Saúde da Família (ESF) do Distrito Federal. A coleta de dados dar-se-á por meio de estudo documental, observação do trabalho, entrevistas semiestruturadas e grupos de trabalhadores. Os dados serão transcritos, sistematizados, categorizados e analisados utilizando-se a análise de conteúdo temática, e embasados pelo referencial teórico da ergologia, de origem francesa. A ênfase conceitual dar-se-á nos estudos sobre atividade de trabalho, ergoformação e o Dispositivo Dinâmico de Três Polos (DD3P), em diálogo com a literatura científica sobre Educação Permanente em Saúde. A partir dos achados, espera-se contribuir para a qualificação de ações de educação permanente para trabalhadores nos serviços de saúde, de forma a propiciar avanços para um agir em competência e construção coletiva do saber no (e para) o trabalho.
  • Fundação Oswaldo Cruz - DF - Brasil
  • 04/07/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Sílvia Rocha Ipiranga

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • o organizar de práticas científicas biotecnológicas à luz da história da gestão
  • Esta pesquisa articula os estudos prévios da virada histórica (Historic turn) na Administração e nos Estudos Organizacionais e das abordagens da Actor Network Theory (ANT) e, mais especificamente, da ANTi-History. Tendo como base estas abordagens e considerando o contexto dos laboratórios da Rede Nordeste de Biotecnologia (RENORBIO), esta pesquisa tem como objetivo resgatar as tramas históricas do socio-past no organizar das práticas científicas de translações de produtos e processos biotecnológicos para os mercados. Um conjunto de técnicas e métodos comporão os procedimentos metodológicos, sendo estes orientados pela natureza qualitativa da pesquisa, apoiando-se em uma postura etnográfica de arquivos históricos. O campo empírico da pesquisa terá como fulcro a Rede Nordeste de Biotecnologia (RENORBIO) e os demais atores, como os pesquisadores e cientistas, os laboratórios vinculados, entidades, instituições e empresas adjacentes. Em termos de impactos relevam-se as implicações teóricas interdisciplinares do estudo ao construir pontes entre as áreas da História, dos Estudos Organizacionais e da Administração da Ciência, Tecnologia & Inovação. Em termos práticos e de gestão, sublinham-se os impactos advindos com a reflexão sobre os efeitos da análise histórica das práticas científicas biotecnológicas sob estudo, em relação aos processos: i) de incorporação de novas tecnologias e inovações; ii) do surgimento de novos empreendimentos acadêmicos de base tecnológica; iii) na promoção do desenvolvimento de empresas de base tecnológica na região do semiárido brasileiro. Os resultados serão apresentados na forma de relatórios, dissertações e teses, comunicações em eventos científicos e em artigos prontos para publicações em periódicos científicos.
  • Universidade Estadual do Ceará - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Silvia Volpi Scott

Ciências Sociais Aplicadas

Demografia
  • além do centro-sul: por uma história da população colonial nos extremos dos domínios portugueses na américa
  • O projeto que ora se submete ao Edital Universal dá continuidade (fase 4) a projeto integrado e interinstitucional que tem a ambiciosa tarefa de agregar esforços em torno da iniciativa inédita de investigar os regimes demográficos que caracterizaram o passado brasileiro. A iniciativa foi contemplada nas sucessivas edições do Edital Universal e obteve resultados muito positivos, tanto no sentido de ampliar a cobertura dos estudos relativos à demografia histórica brasileira - contribuindo assim para eliminar o desequilíbrio na produção, em termos regionais -, como também sido decisiva para a formação de recursos humanos no campo dos estudos de população em perspectiva histórica. Para mais, é também relevante o papel que tem desempenhado na integração de colegas e alunos, de várias instituições espalhadas pelo país, que apostam em redes colaborativas, constituídas em torno de objetivos comuns. No caso da Demografia Histórica a estratégia das redes colaborativas é fundamental, dada a originalidade desse campo, que exige que toda a exploração e a análise das populações pretéritas sejam precedidas pela coleta, organização e inserção de informações em bancos de dados que transformam o conteúdo de fontes elaboradas com fins não demográficos em informação que possa ser tratada através de métodos e técnicas da Demografia Histórica. Esse é o grande desafio que está por trás desse projeto interinstitucional que reúne, na fase 4, quinze pesquisadores das mais importantes universidades do Brasil e de Portugal e que contribuem, assim, para o avanço da demografia histórica brasileira, bem como para o permanente e profícuo diálogo estabelecido com a História e com outras disciplinas, o que tem caracterizado a Demografia Histórica desde as suas origens. Considerando que o objetivo geral do projeto se mantém nesta proposta para a fase 4, daremos continuidade à tarefa central de discussão dos regimes demográficos, bem como seguiremos apostando na superação dos desequilíbrios nos conhecimentos da história demográfica brasileira, privilegiando as fontes referentes ao período colonial estendido (até 1850). Por fim, deve-se salientar que embora o foco permaneça, na fase 4, na indexação dos registros paroquiais das freguesias/paróquias selecionadas, incluímos a exploração de um novo conjunto de fontes de informação para o período colonial disponíveis desde meados do século XVIII até os inícios do século XIX, composto pelas estatísticas populacionais para o Brasil, produzidas por ordem da Coroa portuguesa entre os meados do século XVIII e primeiras décadas do XIX. Dessa forma, a proposta para a fase 4, além de ampliar o número de freguesias a serem indexadas, bem como incorporar novos colegas que colaboraram na inserção dos dados no NACAOB, software especialmente desenvolvido para essa finalidade, ainda propõe o uso dos mapas estatísticos de população para dar subsídios não apenas para a discussão dos diferentes regimes demográficos que caracterizaram o território brasileiro, como para a elaboração, como produto final, de um livro relativo à história da população brasileira no período em tela.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Suelly Arruda Câmara Cabral

Lingüística, Letras e Artes

Lingüística
  • consolidando o atlas sonoro das línguas indígenas do brasil
  • O projeto “Consolidando o Atlas Sonoro das línguas Indígenas do Brasil (ASLIB)” tem como objetivo principal o desenvolvimento de um sistema aberto de informações linguísticas, sociolinguísticas, históricas e culturais sobre os povos indígenas do Brasil, com vistas : a) à documentação das línguas nativas do Brasil, b) à consolidação de um banco de dados, com originais guardados, preservados e divulgados a partir do Brasil, d) ao protagonismo indígena na construção e manutenção dos dados armazenados de suas respectivas línguas, e) ao uso da plataforma para fins educacionais sobre os povos indígenas do Brasil, no ensino fundamental, intermediário e superior, f) ao uso da plataforma por pesquisadores indígenas ou não indígenas em estudos linguísticos das línguas do Brasil. Seus objetivos específicos são a) a construção de Atlas de línguas indígenas e de dois agrupamentos genéticos – Tupí e Jabutí; b) a associação da documentação e pesquisa linguísticas com os interesses da comunidades falantes dessas línguas em fortalecê-las; d) a divulgação máxima dos resultados da documentação e pesquisa em prol do desenvolvimento do conhecimento das línguas e da preservação e fortalecimento delas. Os dados coletados são tratados e aplicados a um script no programa computacional Praat, recortados, renomeados e salvos em pastas específicas. O tratamento consiste em inserir, por meio do programa Audacity, um intervalo de silêncio entre os dados, bem como manter no arquivo final somente os dados finais a serem recortados. Além de dados lexicais, o ASLIB reúne textos nas línguas documentadas, assim como informações sociolinguísticas, históricas e culturais dos povos falantes das línguas documentadas. O presente projeto se constitui de dois subprojetos: Subprojeto 1: Criação da Plataforma ASLIB e Subprojeto 2: Contribuição ao desenvolvimento de atlas linguísticos das línguas da famílias do tronco Tupí de Rondônia, Mato Grosso do Sul e do Pará, e da família Jabutí. Os dois subprojetos se complementam em busca da consolidação do ASLIB, uma inovação positiva que faz uso de tecnologias computacionais a serviço do armazenamento e preservação de dados das línguas indígenas do Brasil e do ensino aberto a todos. Como ocorre na construção de todo Atlas linguístico de grande porte, o tempo e o número de colaboradores qualificados, assim como apoio institucional são requisitos fundamentais para o desenvolvimento e sucesso das ações planejadas. Nosso compromisso com o Atlas se fortaleceu, alimentado pelos resultados obtidos até o presente e pela associação de novas equipes de outras instituições de ensino e pesquisa do Brasil.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Teresa de Castro Martins

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • lógica: modelos, expressividade, complexidade e aplicações
  • No escopo dos estudos relacionados à lógica, podemos distinguir duas áreas de pesquisa que estão associadas, respectivamente, à relação de consequência semântica e à relação de consequência sintática, a saber: (i) Teoria dos Modelos e (ii) Teoria da Prova. Neste projeto, nosso foco principal será na perspectiva de Teoria dos Modelos, em particular na Teoria de Modelos Finitos. Investigaremos não somente lógicas que estendem a lógica clássica como também fragmentos da lógica clássica. Estas lógicas serão exploradas por sua semântica (modelos); pelo poder expressivo de sua linguagem; pela relação com complexidade descritiva e programação em lógica indutiva como também pela dificuldade de seus problemas de decisão através da complexidade computacional. Iremos adicionalmente buscar aplicações das lógicas em sistemas multiagentes.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Tereza Bittencourt Guimarães

Outra

Ciências Ambientais
  • avaliação do efeito de águas contaminadas por pesticidas em espécies de peixes neotropicais
  • Pesticidas agrícolas foram relacionados à contaminação subletal de organismos não-alvo e promoção de inibição da atividade enzimática das colinesterases, assim como estresse oxidativo. Na literatura científica relacionada à contaminação em peixes também há relatos de alterações histopatológicas, mas em especial, alterações no desenvolvimento embriológico. O presente estudo terá como objetivo avaliar os efeitos de águas de riachos da bacia do Baixo Iguaçu com concentração-traço de pesticidas sobre as diferentes fases do desenvolvimento embrionário de espécies de peixes neotropicais. Para tal avaliação serão realizadas as seguintes atividades com ovos de Rhamdia quelen e Astyanax altiparanae submetidos a águas de riachos contaminadas com pesticidas: Ensaios de análises da capacidade de fertilização, avaliação do desenvolvimento embrionário, análises em morfologia óptica e eletrônica, análises da atividade enzimática das colinesterases, análises de parâmetros de estresse oxidativo (determinação de substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico, Superoxido dismutase (SOD), Catalase, Glutationa Peroxidase (Gpx), Glutationa Redutase (Gred), Quantificação da capacidade antioxidante da amostra, Quantificação de proteína) e Análises estatísticas referentes aos dados coletados. Propõem-se ainda organizar artigos científicos para a divulgação do conhecimento gerado, assim como a apresentação de trabalhos em congressos inerentes à área.
  • Universidade Estadual do Oeste do Paraná - PR - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Tereza Ribeiro de Vasconcelos

Ciências Biológicas

Genética
  • genômica aplicada a aquicultura da ostra nativa de importância econômica (crassostrea gasar) no estado do rio de janeiro
  • Crassostrea é o gênero de maior importância econômica do mundo. O Brasil possui uma extensa costa cuja pesca artesanal serve de sustento para as populações costeiras, e cuja exploração comercial é atividade altamente lucrativa. No entanto, a exploração desregulada dos recifes ostreícolas pode levar ao seu esgotamento em poucos anos. A rede GARPA-RIO (Genômica Aplicada a Recursos Pesqueiros e de Aquicultura do Estado do Rio de Janeiro) é constituída por laboratórios e instituições de pesquisa dos Estados do RJ, SC e RN e visa buscar estratégias de melhoramento para cultivo de ostras na costa fluminense através de abordagens de genômica molecular e análises de bioinformática. Para isso, utilizaremos os métodos mais recentes de sequenciamento no NextSeq 500 Illumina, através de experimentos de genômica, transcritômica e metagenômica, onde buscaremos caracterizar o perfil genético das ostras nativas do gênero Crassostrea sob determinadas condições ambientais e seus possíveis patógenos, bem como detectar os limites dos estoques genéticos na costa. Os experimentos serão realizados comparando as populações de SC, onde o cultivo de C. gasar está bem estabelecido, com aquelas do RJ, a fim de detectarmos as diferenças no perfil de expressão e estabelecermos as condições adequadas para o futuro estabelecimento de um cultivo ostreícola no RJ. A aplicação deste cultivo será conduzida pela FIPERJ (Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio de Janeiro), parceira neste projeto. Essa estratégia implicará na geração de empregos e desenvolvimento social local, ao mesmo tempo em que proporciona benefícios tangíveis ao ambiente marinho e ganho econômico ao Estado.
  • Laboratório Nacional de Computação Científica - RJ - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Thereza Chaves

Ciências da Saúde

Medicina
  • “avaliação de biomarcadores séricos - peptídeos relacionados ao metabolismo colágeno, citocinas, quimiocinas – e suas correlaçoes com a intensidade da fibrose na cardiopatia chagásica crônica”.
  • A imunopatogênese da cardiopatia chagásica crônica é complexa e ainda não totalmente esclarecida. Acredita-se que o parasito representa papel fundamental durante as fases aguda e crônica da doença, dependendo provavelmente do tipo de cepa presente na infecção. A interação entre parasito e mediadores do sistema imune parece constituir o principal fator responsável pelos danos teciduais, favorecendo a persistência da inflamação cardíaca, a perda de cardiomiócitos e a fibrose reparativa subsequente, levando a uma perda funcional importante do órgão ao longo dos anos. Na fibrose cardíaca, o colágeno fibrilar ocupa o espaço das células destruídas, servindo como tecido de substituição. Uma das manifestações clínicas mais marcantes da cardiopatia chagásica crônica é a morte súbita, a qual se atribui mais de 50% da letalidade da doença. O mecanismo mais frequentemente envolvido com a morte súbita, nos pacientes chagásicos, é a arritmia ventricular maligna, ou seja, taquicardia ventricular sustentada (TVS) degenerando em fibrilação ventricular, ou mesmo a fibrilação ventricular não precedida pela TVS. Episódios de arritmias ventriculares malignas são muito mais frequentes em pacientes com cardiopatia chagásica do que em pacientes com outras formas de cardiopatia. A despeito do grande número de investigações buscando testes úteis para a estratificação de risco de morte súbita de causa arrítmica, não se conseguiu obter, ainda, um teste com acurácia elevada. As características da fibrose ventricular, determinadas pela ressonância magnética, podem discriminar pacientes com cardiomiopatia dilatada não isquêmica (CDNI) com risco elevado de arritmia ventricular grave e de morte súbita. Devido a pouca disponibilidade deste método diagnóstico e seu custo elevado, têm-se buscado novos marcadores de risco, mais baratos, pouco invasivos e de fácil realização. Observações de natureza clínica e experimental sugerem que marcadores bioquímicos do metabolismo colágeno correlacionam-se significativamente com fibrose miocárdica. Assim, concentrações séricas desses marcadores poderiam ser empregadas como marcadoras da formação e degradação da fibrose miocárdica. Neste contexto, elaborou-se este projeto, constituído por dois subprojetos interdisciplinares, abordando importantes questões ainda não elucidadas. Constatando-se haver estabilidade, individual ou coletiva, no padrão da resposta imune, obter-se-ia fundamentação para que se pudesse definir este padrão por meio da dosagem de citocinas e quimiocinas em uma ou poucas amostras de sangue periférico. Uma vez comprovada à associação entre o padrão de resposta imune e o grau de morbidade cardíaca, poder-se-ia determinar, precocemente, o risco evolutivo, além de bases teóricas para o melhor controle do processo de alteração da matriz extracelular e da remodelagem cardíaca observadas na cardiomiopatia chagásica. Os resultados destes estudos podem contribuir para o melhor conhecimento do papel da resposta imune na patogênese da cardiopatia chagásica, especialmente no que se refere à evolução clínica, remodelagem cardíaca e arritmogenicidade. O desenvolvimento de uma estratégia de prever com precisão quais os pacientes está em um alto risco de apresentar com arritmia cardíaca maligna permitiria ações preventivas eficazes e o uso mais racional dos recursos disponíveis para o tratamento de cardiomiopatia chagásica.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Valéria Machado Mendonça

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • comunicação promotora de saúde: estratégias de enfrentamento de epidemias de ists, hiv/aids e hepatites virais em população jovem.
  • Este projeto de pesquisa destina-se a analisar elementos do cenário de prevenção das Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), do HIV/aids e das hepatites virais, dirigidos a população jovem, com recorte nos últimos dez anos (2010-2019). Trata-se de uma pesquisa de métodos mistos, com abordagem convergente paralela, em que as investigações qualitativa e quantitativa serão realizadas simultaneamente. A coleta de dados quantitativos será realizada por meio de análise dos dados disponibilizados no Sistema de Notificação e Agravos – SINAN. A coleta de dados qualitativa dar-se-á por meio de oficinas de abordagem, sendo três por região do país. Os municípios em que será desenvolvida a pesquisa de campo englobam Brasília (DF), Paraíba(JP), Manaus (AM), São Paulo (SP) e Porto Alegre(RS). Como resultados esperados, objetiva-se elaborar estratégias e informação, educação e comunicação em saúde voltadas à promoção da saúde e tradução do conhecimento acerca das temáticas de HIV/aids, IST’s e hepatites virais com vistas à promoção da saúde de jovens e adultos.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 02/01/2020-31/01/2023
Foto de perfil

Ana Virginia de Almeida Luna

Ciências Humanas

Educação
  • modelagem matemática na educação básica: efeitos de um ensino problematizador sobre violência no contexto escolar
  • O propósito deste projeto é identificar os efeitos dos processos recontextualizadores dos textos de modelagem matemática, sobre violência na escola, de um espaço de formação para professores de matemática para as salas de aula desses profissionais. Os efeitos compreendem as implicações, as práticas, os discursos e ações etc., constituídas pelos sujeitos a partir de uma intervenção discursiva. Tem como aporte teórico os estudos de Bernstein (1998), que demonstra como diferentes discursos das ciências compartilham elementos comuns, que permeiam o campo educacional, criando diferentes modalidades de práticas pedagógicas – as quais se referem ao “contexto social pelo qual se realiza a reprodução e a produção de culturas” (BERNSTEIN, 1998, p. 35). Na perspectiva bernsteiniana, a prática pedagógica não diz respeito apenas a sala de aula, professor-estudante, mas a toda relação social de poder, como por exemplo, pais-filhos. Por meio da recontextualização, o discurso se desloca do seu contexto original de produção para outro contexto, em que é modificado e relacionado com outros discursos e depois é relocado (BERNSTEIN, 1998; 2003). Este estudo entende que as instituições sociais, neste caso, a instituição escolar, são permeadas por relações de poder que as legitimam e as constituem (FOUCAULT, 2014). As produções discursivas dos sujeitos nesses espaços são permeadas pelo que pode ou não ser dito e como dizê-lo. Assim, as instituições formativas são vistas como disciplinarizantes. Elas atuam tanto sobre a organização e fixação do saber que lá será objeto de conhecimento, quanto na disciplinarização dos corpos (GALLO, 2004). Essa tecnologia disciplinar escolar tem gerado efeitos sobre os corpos dos sujeitos que a mobilizam. O adoecimento e a deserção de professores das redes públicas e particulares de ensino é um desses efeitos, conforme destaca Carmargo (2012). Já Rocha (2005) e Alfredo Veiga-Neto (2006) enfatizam a tecnologia disciplinar como geradora de conflitos no ambiente escolar, entre eles, o acirramento da violência física e simbólica entre seus membros. Nessa direção, este projeto abordará os efeitos de sentido gerados pela abordagem da violência escolar, por meio de tarefas de modelagem matemática no contexto escolar. Neste caso, mobilizaremos textos de modelagem sobre violência escolar com os professores em formação continuada, em primeiro momento, e, em seguida, identificaremos que efeitos de sentido foram gerados por eles em seus ambientes escolares, seja com seus alunos, com a equipe pedagógica da escola, com os pais, ou ainda com todos os sujeitos envolvidos. A Organização Mundial de Saúde, em seu relatório geral sobre a violência (OMS, 2002), reconhece que, para preveni-la, é preciso reconhecer que suas condições de risco e de proteção são muito complexas, o que corrobora a dificuldade dos professores para adotar medidas destinadas a preveni-las na escola, já que a falta de compreensão de toda a equipe escolar distancia a comunicação dos estudantes, a fim de socializar os problemas que ocorrem no ambiente escolar (DÍAZ-AGUADO, 2015). Sendo assim, a falta de resposta da escola diante da violência é considerada uma condição de risco. Segundo Díaz-Aguado (2015), é preciso levar em consideração que o silêncio da escola frente à violência deixa as vítimas sem ajuda e costuma ser interpretada, pelos autores, como apoio implícito. A violência escolar tende a diminuir quando se estabelece, na escola, contextos que oportunizem os estudantes a falar dos dilemas que os circundam. Para tanto, é importante considerar a forma tradicional de definir o papel dos professores, de forma quase exclusiva, a ministrar uma matéria específica, cuja tendência pode ser mudada quando se proporciona, aos docentes, formação adequada para prevenir a violência entre os estudantes. Nessa direção, a modelagem matemática, aqui entendida como um ambiente de aprendizagem em que estudantes são convidados a investigar, utilizando a matemática, situações com referência na realidade (BARBOSA, 2007), pode possibilitar aos estudantes argumentarem sobre a aplicabilidade da matemática em práticas sociais externas à disciplina Matemática (SKOVSMOSE, 2007). Assim, a modelagem torna-se uma das possibilidades de potencializar estudantes a interferir em debates de interesse social. Além disso, a modelagem confere uma dinâmica diferente às aulas de matemática, pois se trata de um ambiente em que estudantes são convidados a atuar, de forma ativa, no desenvolvimento do ambiente, cabendo ao professor conduzi-lo de forma que estudantes assumam o processo de investigação.
  • Universidade Estadual de Feira de Santana - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Virginia Moreira Gomes

Ciências Sociais Aplicadas

Direito
  • a política de inclusão dos catadores de resíduos no brasil: da precariedade ao trabalho digno?
  • No Brasil, 60% das cidades ainda não possuem aterros sanitários e 90% da coleta coletiva é realizada por catadores de resíduos (IPEA, 2013). O crescimento do volume de resíduos sólidos urbanos, consequência do modelo de desenvolvimento vigente, do consumismo e dos avanços tecnológicos, tem agravado direta ou indiretamente os problemas ambientais e sociais, especialmente nos países em desenvolvimento, sendo o catador a face mais cruel desse cenário. Não obstante o trabalho do catador de resíduos ser uma atividade importante para o meio-ambiente, a economia e a sociedade, o trabalho é exercido em condições inaceitáveis. É penoso, perigoso, insalubre, alvo de preconceitos e danoso à auto-estima do trabalhador. A própria sociedade é omissa ao ignorar, suportar e se aproveitar do trabalho dessas pessoas. A precariedade e a vulnerabilidade do trabalho dos catadores, entretanto, não é uma decorrência natural do tipo de atividade exercida, mas resultado da ausência de legislação e políticas públicas, além da falha imposição da lei no campo trabalhista e ambiental. Um passo essencial no sentido de garantir aos catadores melhores condições de vida e trabalho, segurança econômica e percepção de pertença à sociedade veio com a promulgação da Lei n°12.305 de 2 de agosto de 2010 instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). A estratégia da PNRS no que concerne ao trabalho dos catadores é a da sua inclusão nos sistemas de gerenciamento de resíduos por meio de suas associações e cooperativas. Dentre as disposições da Lei n°12.305 acerca do trabalho dos catadores, ressalta-se o Artigo 7o, inciso XII, da Lei n°12.305, que estabelece, dentre os objetivos da PNRS, a “integração dos catadores de materiais reutilizáveis e recicláveis nas ações que envolvam a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos”. Dentre os instrumentos da PNRS, ressalta-se no Artigo 8o, inciso IV, da Lei n°12.305, “o incentivo à criação e ao desenvolvimento de cooperativas ou de outras formas de associação de catadores de materiais reutilizáveis e recicláveis”. Apesar do avanço normativo, no entanto, a maioria das cidades brasileiras ainda não estruturou um sistema formal de gerenciamento de recursos com a inclusão dos catadores. Neste estudo, ao invés de se forcar nas razões pelas quais essas cidades não eliminaram os chamados “lixões”, construíram aterros sanitários e instituíram um sistema de coleta seletiva com a participação dos catadores; busca-se descobrir o que levou certas cidades a essa mudança e como se deu esse processo. Este projeto tem por objetivo geral desenvolver, por meio de pesquisa científica, um estudo qualitativo em cidades que foram capazes dar esse passo, passando de um sistema informal de recolhimento de despejo para um sistema formal de gerenciamento de resíduos com a inclusão social dos catadores. As cidades estudadas são: Belo Horizonte, Itaúna, Manhumirim e Brazópolis (MG); Arroio Grande e Santa Cruz do Sul (RS); Bonito de Santa Fé (PB); Crateús (CE); Ourinhos (SP) e Londrina (PR). Itaúna foi escolhida por ser a cidade pioneira na estruturação de um sistema de gerenciamento de resíduos com a inclusão dos catadores. Belo Horizonte também constitui um exemplo importante a partir da atuação da Associação dos Catadores de Papel, Papelão e Material Reaproveitável de Belo Horizonte - ASMARE. As demais cidades foram vencedoras do Prêmio Cidade Pró-Catador do Programa CATAFORTE do Governo Federal. O estudo se propõe a mapear o processo de transformação da atuação do poder público municipal de um modelo absenteísta para o da organização do gerenciamento dos resíduos com a inclusão dos catadores, considerando quais foram os principais atores envolvidos no processo; quais argumentos e interesses favoráveis e contrários foram relevantes; qual o papel desempenhado pelos catadores e suas associações; qual a percepção dos atores sobre resultados da nova estratégia de atuação no que concerne às oportunidades, desafios e limites da política de inclusão. Os resultados obtidos a partir desse mapeamento são essenciais para se induzir uma série de princípios acerca de uma mudança institucional no que concerne ao tratamento dos resíduos e à inclusão dos catadores que possam ser aplicados em outras cidades do Brasil. O estudo vai delinear o que podemos aprender com essas cidades que conseguiram mudar seu sistema e como esse conhecimento pode ser difundido entre àquelas que ainda não estruturaram um sistema de acordo com as disposições da PNRS. Quem propôs, nas cidades analisadas, a mudança no sistema de gerenciamento de resíduos? Quais mudanças legislativas foram necessárias e como se deu esse processo? Quais mudanças administrativas foram necessárias e como se deu esse processo? Foi realizado um estudo do impacto econômico do gerenciamento de resíduos para a cidade? Qual a participação dos catadores e suas associações? Como se dá a relação entre a Prefeitura e a associação dos catadores? Quais atores foram excluídos do processo? Quais os limites da política de inclusão? Essa são algumas das questões que irão guiar a pesquisa proposta. A importância do estudo empírico nesta pesquisa científica na área do direito se justifica pela necessidade de conhecer a realidade do trabalho de catação no Brasil, o papel exercido pela organização coletiva desses trabalhadores e por outros atores sociais relevantes no processo de transformação institucional no manejo e gerenciamento de recursos no Brasil. Esse conhecimento é essencial para se refletir acerca do potencial da atual política regulatória e buscar superar a situação de precariedade dos catadores de resíduos.
  • Universidade de Fortaleza - CE - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Anabelle Silva Cornachione

Ciências da Saúde

Fisioterapia e Terapia Ocupacional
  • efeitos do treinamento aeróbio de baixa intensidade no conteúdo da proteína utrofina e nas propriedades contráteis do músculo tibial anterior de camundongos mdx: modelo experimental da distrofia muscular de duchenne
  • A distrofia muscular de Duchenne (DMD) é a mais comum e mais severa distrofia muscular que acomete em torno de 3.500 meninos nascidos vivos. Causada pela mutação da região Xp21 no cromossomo X, esta doença é caracterizada pela ausência da proteína distrofina que determina perda progressiva das fibras musculares (degeneração) e consequentemente, fraqueza muscular. A utrofina é uma proteína expressa no sarcolema, durante a fase de desenvolvimento, que é substituída, por sua homóloga distrofina e, mantêm-se na junção neuromuscular do músculo esquelético durante a vida adulta. Estudos tem mostrado que a terapia com genes da utrofina pode ser um tratamento promissor para pacientes portadores de DMD pois, esta atua similarmente a distrofina na reparação do músculo lesado, minimizando lesões e retardando a evolução da doença. Alguns autores observaram um aumento na expressão da utrofina no músculo esquelético de camundongos mdx. Esses autores também acreditam que este aumento pode minimizar a degeneração muscular, como resposta protetora do tecido muscular. Outros estudos mostraram que o aumento da utrofina pode ser exacerbado quando o músculo esquelético, de camundongos mdx, é submetido a treinamento aeróbio. Serão utilizados 48 camundongos machos (n= 24 Wild Type: C57BL-10) e mdx (n=24 - C57BL/10-Dmd/mdx) divididos em grupos controles (21 e 37 dias) e treinados durante 21 e 37 dias. O treinamento contará com uma corrida leve em esteira plana. Após experimentos, os animais serão eutanasiados por decapitação sob anestesia, e o músculo tibial anterior será excisado para análises morfológica, bioquímica e biofísica. Resultados esperados: Após o treinamento, esperamos observar nos animais distróficos, um aumento do conteúdo da proteína utrofina, sinais morfológicos de regeneração e melhora da força total das fibras musculares.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Anacharis Babeto de Sá-Nakanishi

Ciências Biológicas

Bioquímica
  • avaliação do estado oxidativo plasmático via metabólitos nitrogenados em ratos com artrite por adjuvante e efeitos do resveratrol
  • A artrite reumatoide é uma doença autoimune caracterizada por inflamação crônica e sistêmica que afeta a cartilagem articular, membrana sinovial e ossos. A patologia apresenta uma prevalência de aproximadamente 1% na população adulta e está associada com aumento na taxa de mortalidade. A patofisiologia da artrite reumatoide envolve uma hiperplasia da cartilagem articular, citocinas pró-inflamatórias e aumentos nas espécies reativas. Como a artrite reumatoide é uma doença multissistêmica, em adição às articulações, outros órgãos também são afetados. Pacientes com artrite reumatoide apresentam redução na síntese hepática de albumina (-30%) e um quadro característico de composição protéica alterada no plasma, que é compatível com o quadro de inflamação sistêmica crônica. Da mesma forma, os marcadores de estresse oxidativo também estão aumentados no sangue. A artrite reumatoide pode apresentar uma evolução variável, desde um acometimento leve e intermitente até uma forma mais grave e progressiva da doença. Diversos esforços têm sido feitos para correlacionar os níveis de marcadores de estado oxidativo no sangue e fluído sinovial de pacientes com artrite reumatoide com a gravidade e atividade da doença, ou mesmo à taxa de mortalidade por comprometimento cardiovascular. Como a albumina corresponde a aproximadamente metade das proteínas plasmáticas em condições normais, as modificações oxidativas na albumina pode ser uma vantajosa ferramenta para avaliar a atividade da artrite reumatoide. Em condições normais, a albumina representa aproximadamente 60% das proteínas plasmáticas, cerca de 80% dos grupos tióis no plasma e, aproximadamente 70% da capacidade antioxidante plasmática. Assim, utilização da albumina plasmática como marcador patológico apresenta duas vantagens: 1) o material biológico (sangue) é de fácil obtenção a partir de punção venosa dos pacientes e 2) é a proteína mais abundante do plasma sanguíneo. A artrite induzida por adjuvante completo de Freund é uma imunopatologia experimental em ratos que apresenta muitas semelhanças com a artrite reumatoide humana. Os animais com artrite induzida por adjuvante também apresentam alterações nos marcadores de estresse oxidativo no sangue e tecido sinovial. Assim como na artrite reumatoide, a artrite por adjuvante também pode ser apenas leve ou de maior gravidade, dependendo da dose utilizada para induzir a doença. O modelo experimental clássico é induzido com altas doses do adjuvante (250-500 μg) e é caracterizado por resposta inflamatória generalizada, poliartrite e forte comprometimento sistêmico. Utilizando doses menores do adjuvante (100-150 μg) é possível induzir um modelo de artrite mais branda, que apresenta resposta inflamatória menos intensa, caracterizada por monoartrite sem efeitos sistêmicos mais comprometedores, embora presentes. Desta forma, a artrite induzida por adjuvante pode ser extrapolada para a artrite reumatoide em humanos, simulando tanto a forma mais grave quanto a mais branda, uma característica útil para avaliar os efeitos da atividade da doença ou a influência de tratamento sobre os níveis de marcadores inflamatórios e oxidativos. Os objetivos deste projeto são, portanto, quantificar os níveis de diferentes marcadores plasmáticos de estresse oxidativo não proteicos e associados às proteínas, especialmente albumina, em ratos com artrite induzida por adjuvante em diferentes graus de acometimento inflamatório. Aos dois clássicos modelos (poli- e monoartrite) será padronizada uma artrite intermediária. Para isso serão utilizados ratos induzidos com adjuvante na concentração de 100 µg (mono), 200 µg (intermediária) e 500 µg (poliartrite). Em adição, o projeto propõe avaliar os efeitos da suplementação com resveratrol sobre estes parâmetros. Serão enfatizados os parâmetros associados à albumina plasmática. Especificamente, serão quantificados no sangue de animais controles e artríticos: 1) Capacidade antioxidante total e os níveis dos principais antioxidantes séricos não proteicos: ácido úrico, ácido ascórbico e α-tocoferol. 2) Níveis séricos dos metabólitos ligados ao ácido úrico: hipoxantina, xantina e alantoína. 3) Níveis séricos de espécies reativas de nitrogênio: nitrito + nitrato e peroxinitrito. 4) Níveis séricos de proteínas totais e frações: albumina e globulinas. 6) Níveis séricos de antioxidantes protéicos: grupamentos tióis ligados à proteínas totais, e especificamente ligados à albumina. 7) Os níveis séricos dos produtos de modificação oxidativa por espécies reativas de oxigênio (proteínas carboniladas) e nitrogênio (3-nitrotirosina) em proteínas totais, e especificamente ligados à albumina. 8) Efeitos da suplementação dos ratos saudáveis e com diferentes graus de artrite com resveratrol sobre os níveis dos marcadores acima citados. 9) Avaliação dos parâmetros inflamatórios: edema de pata e lesões secundárias devido à artrite. Os animais serão divididos em nove grupos: 1, Controle: ratos saudáveis; 2, poliartrite; 3: artrite intermediária; 4: monoartrite; 5: Controle + resveratrol; 6: poliartrite + resveratrol; 7: intermediária + resveratrol; 8: monoartrite + resveratrol; 9: poliartrite + dexametasona (0,2mg/Kg) – Controle positivo. O tratamento com resveratrol será iniciado cinco dias antes da indução da artrite, e se manterá por 17 dias após. Os animais serão sacrificados no 19° dia após jejum de 12 horas. O resveratrol será administrado via oral diariamente na concentração de 50 mg/Kg. Ratos controle receberão solução de cloreto de sódio 0,9%. Após 18 dias da indução, os animais serão utilizados para os procedimentos experimentais. Os animais em jejum (12 horas) previamente anestesiados terá a cavidade abdominal exposta cirurgicamente e o sangue total coletado por meio de punção da veia cava hepática, imediatamente centrifugado e o sobrenadante separado para análise subsequente. Para avaliação das modificações oxidativas na albumina, a fração sérica da mesma será obtida por cromatografia
  • Universidade Estadual de Maringá - PR - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020