Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Silvia Eloiza Priore

Ciências da Saúde

Nutrição
  • fatores associados à deficiência de iodo na população rural
  • O iodo é um micronutriente essencial para o organismo humano, e é utilizado para a síntese de hormônios tireoidianos. Estes hormônios desempenham papéis importantes, pois atuam no crescimento físico e neurológico e na manutenção do fluxo normal de energia. Populações que vivem em áreas deficientes em iodo apresentam maior risco de desenvolver distúrbios causados pela deficiência desse mineral, e cujo impacto sobre os níveis de desenvolvimento humano, social e econômico são muito graves. A Pesquisa Nacional para Avaliação do Impacto da Iodação do Sal (PNAISAL) realizada com escolares com idade entre seis e 14 anos, detectou maior prevalência de deficiência de iodo em escolares do meio rural, cerca de 14,1% contra 8,1% de escolares da área urbana. Ademais, poucos estudos abordam a prevalência de deficiência de iodo na população acima dos 20 anos de idade. Neste sentido, este estudo tem o objetivo de analisar os fatores associados à deficiência de iodo na população adulta e idosa do meio rural. Trata-se de um estudo transversal a ser desenvolvido no meio rural da Zona da Mata Mineira, tem como público envolvido adultos e idosos. Será realizada uma descrição deste público com base nas características sociodemográficas, antropométricas, bioquímicas, de disponibilidade e consumo alimentar. As informações socioeconômicas e demográficas serão obtidas a partir da aplicação de questionário semiestruturado. A avaliação antropométrica constará da aferição das medidas de peso, altura e perímetro da cintura. O estado nutricional de adultos e idosos será avaliado por meio do índice de massa corporal, segundo World Health Organization (1998) e Lipschitz (1994), respectivamente. Será calculada a relação cintura estatura (RCE), com a finalidade de verificar presença de risco cardiometabólico, e valores de RCE ≥0,50 serão considerados como presença de risco cardiometabólico, independentemente de sexo e idade. Para avaliar a composição corporal será utilizada a densitometria óssea de dupla energia (Dual-Energy X-Ray Absortiometry, DEXA) para quantificar a massa gorda, óssea, muscular, corporal total e livre de gordura, percentual de gordura e tecido adiposo visceral. Será avaliada a quantidade calórica disponível no domicílio referente aos últimos trinta dias e para o cálculo dessa disponibilidade domiciliar será utilizada uma lista de alimentos comuns ao consumo alimentar da população analisada. Investigar-se-á o consumo alimentar deste público a partir da aplicação do recordatório de ingestão habitual com a finalidade de se determinar o hábito alimentar e verificar o consumo de alimentos processados e ultraprocessados. A partir dos dados de ingestão será calculado o teor de energia, carboidratos, proteínas, lipídios totais, ácidos graxos saturados, fibras, cálcio, ferro, zinco e iodo dos alimentos informados. A adequação dos nutrientes será avaliada segundo Dietary Reference Intakes (DRI), sendo sódio e fibra avaliados por Adequate Intake (AI), demais micronutrientes por Estimated Average Requiments (EAR) e proteína em grama/kg de peso. A distribuição de carboidratos e lipídios será avaliada pela Acceptable Macronutrients Distribuition Range (AMDR). A prevalência de deficiência de iodo será determinada a partir da excreção urinária do mineral que reflete a ingestão do iodo, e serão adotados os pontos de corte dos valores medianos de concentração urinária de iodo estabelecidos pela World Health Organization (2007). Também será analisado o teor de iodo no sal de consumo alimentar e em temperos industrializados e caseiros a partir da técnica recomendada pelo Ministério da Saúde, e as amostras que apresentarem níveis de iodo entre 15 e 45 mg/kg serão consideradas adequadas, de acordo com a recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. A análise do conteúdo de iodo nos alimentos mais consumidos pela população será realizada por espectrofotometria utilizando-se o método proposto por Sveikina e modificado por Moxon e Dixon (1980). Nesta população do meio rural também será realizada uma caracterização referente à exposição ocupacional e uma avaliação bioquímica da exposição aos agrotóxicos. Sendo realizados exames bioquímicos para avaliação de alterações no plasma, na atividade de enzimas hepáticas e em marcadores inflamatórios para avaliação de possível contaminação por agrotóxicos sendo elas colinesterases totais (ChEs) e acetilcolinesterase (AChE), enzimas que encontram-se diminuídas quando expostas a agrotóxicos organofosforados; aspartato aminotransferase (AST), alanina aminotransferase (ALT), fosfatase alcalina (ALP) e gamaglutamiltranspeptidase (GGT); enzimas marcadoras de lesão hepática; creatinina e uréia para avaliar a função renal; albumina, como marcador inflamatório; proteína total, como marcador de lesão hepática e renal e hemograma completo, para identificação de anemia e infecções. O estudo será submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da Universidade Federal de Viçosa e a participação dos voluntários na pesquisa somente ocorrerá após a leitura e assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Os dados serão digitados em duplicata no Microsoft Excel®, e validados pelo programa Excel para conferência dos dados. A análise dos dados será realizada no programa estatístico Statistical Program for Social Science (SPSS) versão 20.0 e no STATA. Para verificar a normalidade dos dados será utilizado o teste de Kolmogorov-Smirnov. Será realizada análise descritiva dos dados, testes de associações e construídos modelos de regressão para verificar os fatores associados à deficiência de iodo. Será adotado nível de significância menor que 0,05.
  • Universidade Federal de Viçosa - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Silvia Galvão de Souza Cervantes

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • techninas - ciências e tecnologia para meninas
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Estadual de Londrina - PR - Brasil
  • 12/08/2019-31/01/2022