Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

André Luiz Paulilo

Ciências Humanas

Educação
  • a ampliação das tarefas escolares as reformas educacionais do ensino público entre 1922-1938
  • Este projeto propõe uma investigação acerca da ampliação dos serviços escolares entre as décadas de 1920 e 1930. Estuda as reformas da instrução pública realizadas em São Paulo e Distrito Federal a partir da organização nas escolas dos serviços de saúde e assistência, do cinema educativo e dos serviços de psicologia e orientação profissional. O objetivo da pesquisa é compreender a maneira como, através da legislação, Lourenço Filho, Fernando de Azevedo e Antônio de Almeida Júnior em São Paulo e de Carneiro Leão, Fernando de Azevedo e Anísio Teixeira no Distrito Federal promoveram a saúde, a assistência social, a educação física e a cultura civil e científica entre as crianças das camadas populares da sociedade no início do século XX.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

André Luiz Rodrigues Roque

Ciências Biológicas

Parasitologia
  • diversidade de tripanosomatídeos de mamíferos silvestres da mata atlântica
  • Tripanosomatídeos compreendem um grupo muito diverso de parasitos que inclui os gêneros Trypanosoma e Leishmania. São parasitos envolvidos em redes complexas de transmissão na Mata Atlântica, sustentadas por uma diversidade de hospedeiros mamíferos e insetos vetores. Embora seja um bioma muito diverso e que os ciclos de transmissão de T. cruzi, Leishmania infantum e L. braziliensis sejam reconhecidos, muitas espécies/genótipos de tripanosomatídeos também circulam nesta área e permanecem desconhecidos. Isolamento e caracterização do parasito são as melhores ferramentas para o diagnóstico taxonômico, possibilitando sua caracterização biológica, morfológica e ultraestrutural que, aliada à filogenia, são essenciais na descrição de novas espécies/genótipos de parasitos. Alternativamente, a caracterização molecular diretamente em amostras de tecidos possibilita a realização de estudos com maior número de amostras distribuídas em diferentes áreas e em diferentes períodos de tempo. O presente projeto vai ao encontro da proposta selecionada no edital de Bolsa de Produtividade 2017 e dá continuidade às atividades desenvolvidas nos últimos anos para captura e isolamento de parasitos de mamíferos silvestres no bioma Mata Atlântica. Nestes últimos anos, foram obtidos mais de 50 isolados, além da coleta de mais de 400 amostras de tecidos coletadas que serão testadas frente a infecção por tripanosomatídeos. Análises biológicas em isolados sugestivos de serem novas espécies/genótipos serão realizadas através de curva de crescimento em meio axênico, análise morfológica/morfométrica de formas coradas, além de microscopia eletrônica de varredura e transmissão. Análise molecular será realizada através de PCR com os alvos 18S e gGAPDH, sequenciamento dos produtos amplificados, identificação por similaridade e análise filogeneticamente. Ao final do projeto, pretende-se descrever nova(s) espécie(s) e expandir o conhecimento acerca da diversidade de espécies de tripanosomatídeos e sua dispersão em áreas de Mata Atlântica do Brasil.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

André Luiz Sena Guimarães

Ciências da Saúde

Odontologia
  • efeito abscopal da radioterapia em carcinoma de células escamosas de cabeça e pescoço: enfoque na expressão de genes associados com o metabolismo glicolítico e angiogênese.
  • O carcinoma de células escamosas de cabeça e pescoço (CCECP) representa um dos principais problemas de saúde pública com estimativa de 300 mil casos novos no mundo, em 2017. A etiopatogênese do CCECP está relacionada a fatores intrínsecos e extrínsecos ao indivíduo. Recentemente o metabolismo glicolítico tumoral voltou a ser explorado como um importante alvo terapêutico no tratamento do CCECP. Assim, faz-se necessário o desenvolvimento de estudos que busquem investigar novas estratégias terapêuticas. A radioterapia, combinada ou não com cirurgia e quimioterapia, vem sendo amplamente utilizada para o tratamento do CCECP. A interação entre célula neoplásica e células do estroma é de fundamental importância para o prognóstico do paciente. Foi observado que embora submetidos à irradiação local, alguns pacientes apresentam redução de outros tumores metastáticos que não foram irradiados. Estas observações sugerem que a radiação pode ter um efeito à distância, que é conhecido como efeito abscopal. Adicionalmente, evidencias sugerem que mediadores sistêmicos podem estar relacionados a perda de tolerância imunológica relacionada às células neoplásicas. Sendo assim a busca pelos efeitos sistêmicos da radioterapia pode revelar estratégias e alvos terapêuticos para o CCECP. Considerando todos estes fatos o presente projeto tem por objetivo avaliar os efeitos da radioterapia em níveis sistêmicos de moléculas associadas ao metabolismo glicolítico e angiogênese.
  • Universidade Estadual de Montes Claros - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

André Luiz Sens

Ciências Sociais Aplicadas

Comunicação
  • design audiovisual transmídia: um sistema para análise e criação das interfaces audiovisuais de mundos narrativos multimidiáticos.
  • Matrix, Star Wars, Harry Potter e outras franquias midiáticas, bem como os complexos jogos pervasivos denominados como ARGs são manifestações contemporâneas usualmente relacionadas a um conceito denominado transmídia, que contempla estratégias, práticas e processos coletivos na construção de mundos narrativos multimidiáticos, onde o público contribui na sua manutenção e expansão, seja no estabelecimento de conexões entre as histórias ou na produção de novos textos. Contudo, além dos aspectos narrativos, é possível identificar possibilidades de atuação do design nos diversos arranjos comunicacionais, industriais e experienciais distribuídos entre as várias mídias, indivíduos e conteúdos que transitam por esse ecossistema complexo. Nesse sentido, foi desenvolvido pelo proponente deste projeto o sistema TRADE (2017) que consiste em um framework conceitual somado a procedimentos e ferramentas para o desenvolvimento de um mapa do mundo e seus respectivos quadros midiáticos. Entretanto, embora sua configuração simplificada e versátil demonstra a possibilidade de aplicação em diferentes tipos e tamanhos de projetos transmídia, não foram efetivamente realizadas análises mais sofisticadas em diferentes contextos e cenários práticos, além de um estudo de caso de projeto intercomposicional. Ademais, outro avanço em relação a investigação proposta no trabalho de tese é o aprofundamento nas questões relativas especialmente ao campo da audiovisualidade que avançam com a presença cada vez mais significativa dos vídeos na comunicação na internet. Portanto, o objetivo geral deste projeto de pesquisa consiste no desenvolvimento de um framework de natureza conceitual e prática para o desenvolvimento das interfaces audiovisuais em projetos transmídia. Para tal, será utilizado, para esta investigação, o método baseado em design (DBR), que consiste em um processo cíclico de análise, desenvolvimento, testagem e implementação que pretendem resultar ao menos no desenvolvimento de um projeto transmídia, um produto audiovisual, três produtos midiáticos inter-relacionados, dois workshops e/ou cursos em design audiovisual e transmídia e três artigos de impacto nacional e internacional.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

André Macedo Vale

Ciências Biológicas

Imunologia
  • dinâmica do repertório de células b na infecção experimental por zika vírus (zikv): relevância para o desenvolvimento racional de vacinas contra arbovírus
  • A resposta imune humoral contra vírus é composta por imunoglobulinas específicas para epítopos estruturalmente distintos das partículas virais, capazes de impedir a ligação dos vírus aos seus receptores celulares ou de formar imunocomplexos, levando à eliminação do patógeno. Existem evidências de que imunoglobulinas polirreativas, com reatividade cruzada contra outros sorotipos ou vírus distintos, são geradas tanto na infecção primária quanto na secundária. Além disso, “especificidades inatas”, presentes no organismo previamente à infecção, podem contribuir para a resposta [1]. Esses achados indicam a complexidade das diferentes subpopulações de células B e sua importância nas respostas aos vírus. Embora anticorpos neutralizantes possam conferir imunidade duradoura contra a reinfecção pelo mesmo vírus, níveis de anticorpos subneutralizantes, parecem aumentar a entrada e replicação de outros subtipos em células fagocíticas, um fenômeno denominado potencialização da infecção dependente de anticorpos (antibody dependent enhancement - ADE, revisado em [2]). Entretanto, pouco se sabe sobre o mecanismo de ADE e a sua contribuição para a patologia, apesar desse fenômeno ter sido demonstrado in vivo em modelos de infecção por DENV [3], e ZIKV [4]. Até hoje não estão disponíveis vacinas ou imunoterapias capazes de prevenir eficazmente a infecção pelo DENV ou ZIKV, ou de diminuir a severidade da doença, no caso da dengue hemorrágica. Embora um número razoável de candidatos a vacinas esteja em desenvolvimento [5], é necessário compreender melhor a natureza da resposta imune humoral contra a infecção para o desenvolvimento racional de vacinas [6]. Observações clínicas tem fornecido informações sobre a patogenia da Dengue e Zika, porém, até recentemente, a falta de um modelo animal adequado tem dificultado estudos mais aprofundados em laboratório. Ainda mais crítico é o fato de que uma vacina, visando estimular a imunidade humoral, poderia promover anticorpos neutralizantes para um determinado sorotipo de vírus, mas, ao mesmo tempo, aumentar o risco de agravar uma infecção subsequente com outro sorotipo ou vírus relacionado. Este paradoxo sugere que o entendimento mais completo da imunidade humoral contra arboviroses exige o estudo da seleção da diversidade de anticorpos como um todo, em vez da descrição de interações individuais vírus-anticorpo. Além disso, manifestações de autoimunidade vem sendo relacionadas a diversos tipos de infecções e fatores ambientais, incluindo infecções virais. O mecanismo pelo qual doenças infecciosas levam ao surgimento de doenças autoimunes não foi esclarecido, embora esse fenômeno tenha sido observado em diversos casos, com diferentes infecções associadas a distintas manifestações autoimunes, como a síndrome de Guillain-Barrè, recentemente descrita em infecções por ZIKV, artrite reumatoide e lúpus. Diversas teorias foram propostas para explicar como infecções poderiam causar doenças autoimunes, como antígenos ocultos, que seriam expostos ao sistema imunitário apenas após a infecção de um dado tipo celular; mimetismo molecular, devido à semelhança entre epítopos apresentados por patógenos e moléculas do próprio organismo hospedeiro; efeito adjuvante, em que moléculas associadas a patógenos, ligadas a receptores da imunidade inata poderiam funcionar como o segundo sinal para a ativação de linfócitos autorreativos; ou, simplesmente, que doenças autoimunes são uma possível consequência de uma infecção (revisto em [7]). Faz-se necessária uma maior compreensão do processo de formação do repertório de imunoglobulinas em reposta a infecção para esclarecer a relação entre este processo e o aparecimento de manifestações autoimunes. Em suma, a interação entre anticorpos e antígenos virais pode resultar tanto em imunidade protetora, por meio da neutralização do vírus, quanto em aumento da infecção das células hospedeiras pelo vírus. Por outro lado, anticorpos secretados por linfócitos B em decorrência de infecções virais podem ser autoreativos e levar a manifestações de autoimunidade. Nosso grupo tem vasta experiência na análise global do repertório de linfócitos B, tanto na caracterização da especificidade antigênica dos anticorpos secretados, quanto na identificação dos genes que codificam as regiões variáveis das imunoglobulinas, regiões responsáveis pelo reconhecimento antigênico. Na presente proposta, pretendemos aplicar essas abordagens a fim de avançar no conhecimento fundamental sobre os processos de geração de imunoglobulinas que promovem ou prejudicam a produção de anticorpos amplamente neutralizantes contra os arbovírus, mais precisamente o ZIKV. Assim, a estratégia do nosso projeto é caracterizar o repertório de imunoglobulinas gerado em resposta à infecção viral, ou exposição a antígenos virais, quanto às especificidades contra antígenos virais e o potencial surgimento de autoanticorpos patogênicos, para testar, se e em que medida, os efeitos de neutralização viral, ADE e autoimunidade podem ser gerados independentemente. Essa informação pode ser usada para avaliar melhor as vacinas existentes e desenvolver vacinas ou imunoterapias seguras de nova geração que sejam protetoras, minimizando o risco de ADE e evitando a geração de anticorpos autoreativos potencialmente patogênicos.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

André Machado de Siqueira

Ciências da Saúde

Medicina
  • enfrentando os desafios da diminuição da transmissão da malária na amazônia no caminho da eliminação: febres não-maláricas e baixas parasitemias
  • Com a redução da intensidade da transmissão da malária, observada no Brasil, as infecções de baixa densidade e as causas alternativas de febre assumem maior relevância proporcional. Abordar estas duas questões importantes é de grande importância para a saúde pública na região amazônica e precisa ser investigado mais a fundo. Objetivos: Duas linhas de pesquisa abordarão lacunas atuais no diagnóstico clínico e laboratorial da malária. A proposta visa: (I) investigar a etiologia da doença febril aguda (AFS) em crianças que buscam atendimento em centros de saúde periurbanos e rurais na região amazônica, com o objetivo de gerar algoritmos clínicos e laboratoriais para o manejo de casos e encaminhamento para centros terciários. (Ii) obter conhecimentos sobre a prevalência de infecções maléticas assintomáticas de densidade muito baixa que estejam abaixo do limite de detecção do diagnóstico padrão no campo (microscopia, testes diagnósticos rápidos) e investigar a relevância das infecções de baixa densidade para a transmissão subsequente. Métodos (I) Desenvolvimento de um protocolo de pesquisa para caracterizar a etiologia do SAF na região amazônica, propondo algoritmos para o manejo de pacientes a serem implantados na região. (Ii) Métodos moleculares ultra-sensíveis serão aplicados para o diagnóstico de P. falciparum e P. vivax. As amostras serão analisadas por PCR quantitativa altamente sensível e PCR de transcrição reversa. (Iii) Os ensaios de membrana e sangue direto realizados com amostras de sangue de contatos domiciliares sub-microscópicos mas qPCR-positivos serão conduzidos em Manaus utilizando colônias de Anopheles aquasalis com o objetivo de avaliar a infecciosidade de infecções de baixa densidade e seu potencial de transmissão. Os resultados esperados são: 1) O desenvolvimento de recomendações para o manejo clínico e encaminhamento em áreas rurais e periurbanas da região amazônica; 2) Uma estratégia para estimar de forma precisa e fiável a prevalência de P. falciparum e P. vivax; 3) Conhecimento sobre infectividade de infecções de baixa densidade.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 01/02/2017-31/01/2021
Foto de perfil

André Machado de Siqueira

Ciências da Saúde

Medicina
  • elucidando a contribuição dos componentes das recidivas de malaria para atingir a cura radical - abracamal
  • Diante da proposta de avançar para o controle e eliminação da malária do território brasileiro e da necessidade de estratégias customizadas para diferentes cenários epidemiológicos é essencial o entendimento dos fatores que levam ao alto número de recorrências entre os indivíduos tratados por malária. Nosso estudo multicêntrico, propõe seguir pacientes com malária em seis estados com diferentes caracteristicas – Rio de Janeiro, São Paulo, Amapá, Roraima, Rondônia e em duas localidades no Pará, totalizando inclusao em sete diferentes unidades. Os 880 participantes serão acompanhados por 360 dias seguindo um protocolo de pesquisa clínica harmonizado e além do seguimento clínico, terão suas amostras avaliadas através de técnicas de biologia molecular, farmacogenética, questionário e contagem de medicamentos para adesão e observação de eventos adversos. Adicionalmente, análise da qualidade dos medicamentos empregados nos sete diferentes locais também serão realizadas. Coordenada pelo médico infectologista André Siqueira do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas – INI – Fiocruz, a proposta do estudo é uma parceria de qualificados profissionais do: Instituto Rene Rachou – Fiocruz – MG; Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde – Fiocruz - RJ; Instituto Evandro Chagas – PA; Universidade Federal do Pará – PA; Centro de Pesquisas em Medicina Tropical – RO; Hospital das Clínicas Boa Vista – RR; Secretaria de Estado da Saúde do Amapá – AP e Instituto de Infectologia Emílio Ribas – SP. Com abordagem ampla, visando englobar diferentes aspectos relacionados aos componentes da recidivas pretendemos ser capazes de esclarecer os diferentes fatores envolvidos no sucesso terapêutico e prover informações robustas e bem definidas para a definição e desenho de estratégias pelo programa de controle de malária do Brasil.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 01/05/2020-30/04/2023
Foto de perfil

Andre Marcio Araujo Amorim

Ciências Biológicas

Botânica
  • estudos em malpighiales: preenchendo gaps na morfologia e sistemática e avançando sobre o conhecimento biogeográfico em linhagens neotropicais
  • Malpighiales é um dos mais surpreendentes clados revelados por estudos moleculares nas Angiospermas nos últimos anos. A dificuldade em se reconhecer sinapomorfias morfológicas e a escassez de estudos biogeográficos que auxiliem na compreensão dos mecanismos de diversificação, em contraposição à crescente detecção de novidades taxonômicas na América Tropical, confere a essa ordem ampla relevância para investigações sob distintas vertentes biológicas. Nos neotrópicos, as Malpighiales são altamente diversificadas, com elevada riqueza, expressiva amplitude ecológica e enorme variabilidade morfológica, além de serem representadas por espécies com potencial econômico como a mandioca (Manihot esculenta Crantz), a mamona (Ricinus communis L.), a seringueira (Hevea brasiliensis Müll. Arg.), o urucum (Bixa orellana L., Bixaceae), o maracujá (Passiflora spp., Passifloraceae) e o pequi (Caryocar brasiliense Cambess.), entre outras plantas alimentícias, farmacológicas, madeireiras e ornamentais. A proposta aqui apresentada objetiva ampliar o conhecimento biogeográfico, florístico, morfológico e sistemático em linhagens de Malpighiales neotropicais. A partir do andamento de estudos taxonômicos e biogeográficos associados a filogenias moleculares (i.e., Bernardia [Euphorbiaceae], Hirtella e Parinari [Chrysobalaceae], Clusia e Tovomita [Clusiaceae]) e de estudos evolutivos sobre anatomia foliar, embriologia e estrutura floral em linhagens de Malpighiaceae, esperamos contribuir para o conhecimento sobre a história evolutiva dessa ordem. Paralelamente, o projeto contribuirá na finalização dos estudos taxonômicos em Carolus (Malpighiaceae) e Parinari (Chrysoblanaceae) e na realização de estudos florísticos e taxonômicos em diferentes famílias na ordem que carecem de especialistas. A proposta será executada por pesquisadores, estudantes de graduação, pós-graduação e técnicos vinculados a duas Universidades Estaduais no estado da Bahia, além do suporte logístico do Herbário do Centro de Pesquisas do Cacau – CEPEC. É prevista a participação colaborativa de outras seis instituições de ensino e pesquisa no Brasil e o apoio de duas instituições internacionais. O desenvolvimento metodológico será norteado especialmente por nove subprojetos (i.e. Doutorado, Mestrado e Iniciação Científica) envolvendo Clusiaceae (1), Chrysobalanaceae (2), Euphorbiaceae (1) e Malpighiaceae (5). Um projeto de Iniciação Científica inédito em Malpighiaceae é aqui solicitado através da concessão de uma bolsa, assim como uma bolsa de apoio técnico. A proposta trará contribuições complementares a projetos já em andamento em especial ao PROTAX Malpighiales e a outros projetos em vigência no grupo, entretanto, atuando de forma independente a estes. Como um resultado central, espera-se a ampliação de informações sobre a riqueza taxonômica, a biogeografia e a morfologia em linhagens de Malpighiales. Paralelamente, contribuições para o andamento de floras regionais são esperados, em especial a Flora do Brasil 2020. A equipe é composta por 20 profissionais (i.e. coordenador, oito pesquisadores doutores, cinco alunos de pós-graduação nível doutorado, dois alunos de pós graduação nível mestrado e cinco técnicos). Alguns subprojetos indicados já se encontram em execução, especialmente aqueles voltados aos alunos de pós-graduação. Todos os participantes aqui citados estão cientes e acreditam na importância desse projeto para dar continuidade à capacitação de taxonomistas em plantas vasculares e a integração desse grupo de pesquisa no sul da Bahia com outras instituições de ensino e pesquisa.
  • Universidade Estadual de Santa Cruz - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

André Menezes Strauss

Ciências Humanas

Arqueologia
  • arqueogenética dos grupos produtoros de cerâmica aratu
  • O presente projeto tem como foco a arqueogenética de grupos produtores de cerâmica da Tradição Aratu através da análise de DNA antigo e da morfologia do labirínto ósseo do osso temporal – ambas inéditas no Brasil. A Tradição Aratu é reconhecida por um conjunto cerâmico caracterizado pela baixa ocorrência de decoração que inclui vasilhames piriformes e globulares de diferentes tamanhos, destacando-se grandes potes para armazenagem de líquidos e grãos, urnas funerárias, pequenas vasilhas geminadas, rodelas de tortual de fuso e cachimbos tubulares. No século IX d.C. os grupos produtores de cerâmica Aratu já estavam plenamente estabelecidos em dezenas de aldeias circulares de até 600 metros de diâmetro que chegavam a abrigar mais de 1000 indivíduos.A partir do ano mil da era cristã, os grupos produtores da tradição Aratu começam a se expandir para o sul e para o leste, ocupando zonas ecológicas diversificadas numa área semicontínua cuja área total equivale à da Europa continental. No Brasil central o território em questão já era povoado tanto por caçadores-coletores como ceramistas horticultores. Estes últimos, denominados grupos da tradição Una, surgiram através da adoção gradual de técnicas de cultivo por populações caçadoras-coletoras que já habitavam o local, representando a mais antiga evidência dessa forma de subsistência no Brasil central. Como é o caso em outras partes do mundo, a substituição de um modo de vida forrageador móvel por um modo produtor fixo foi extremamente complexo. O padrão de variabilidade intra e inter-sítios indica uma série de processos recíprocos e multidirecionais caracterizados por especificidades regionais, envolvendo o fluxo de pessoas, ideias e objetos. Apesar de avanços consideráveis, os detalhes desse processo, especialmente no que se refere ao componente dêmico a ele associado, ainda são incertos. O estudo arqueogenético dos esqueletos associados à Tradição Aratu irá contribuir para avaliar a coerência populacional por detrás dessa unidade cerâmica e, ainda que de forma indireta, qualificar as propostas que conectam essa tradição a um presente etnográfico Jê. A arqueogenética constituí um campo de interface entre as ciências humanas e biológicas que vem revolucionando o conhecimento sobre o passado humano. Dedica-se ao estudo de uma categoria específica do registro arqueológico: o ácido desoxirribonucleico (DNA). Permite qualificar de forma precisa a constituição genética de grupos pré-coloniais, estimar parâmetros demográficos, datar eventos de coalescência, identificar relações consanguíneas e estimar traços fenotípicos. O mtDNA antigo será extraído no laboratório de arqueogenética do MAE-USP utilizando-se um protocolo de fita dupla. Todas as análises dependem de um contexto cronológico robusto que será obtido através do modelamento bayesiano de datações radiocarbônicas de colágeno filtrado para contaminantes. A antropologia virtual conjuga o uso de modelos tridimensionais com análises de geometria morfométrica de alta resolução. Além de seu caráter estritamente analítico apresenta-se como nova ferramenta de gestão do patrimônio arqueológico. A pars petrosa do temporal será virtualizada com tomografias computadorizadas a partir das quais modelos tridimensionais serão extraídos. Análises de morfometria geométrica de alta densidade serão implementadas para avaliar as afinidades morfológicas do labirinto ósseo, um reconhecido indexador de história populacional entre grupos humanos. Todas essas análises são inéditas no Brasil.Escavações enfatizando o registro espacial, documentação tridimensional e exumação detalhada serão realizadas no sítio Aratu de Pirajiba, na Bahia.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

André Monteiro Costa

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • estudo ecossistêmico do acesso à água, dos conflitos socioambientais e da reparação na área de abrangência da transposição do rio são francisco
  • RESUMO A irregularidade de chuvas no semiárido e períodos de estiagem prolongada, associada a restrições no armazenamento e distribuição de água, tem imposto restrições graves no acesso à água. Grandes obras “contra a seca” predominaram desde o XIX e a história mostrou que essa opção contribuiu para a concentração de água, concentração de terra e, portanto, concentração de poder. O projeto da transposição do rio São Francisco se insere nesse conjunto de políticas de água no semiárido. Cerca de 70% das águas a serem transpostas será para a agricultura irrigada, e a maior parte destas para a fruticultura irrigada, que se insere no mercado de commodities. Apenas 19% para abastecimento humano. A crise hídrica por que passa o rio São Francisco também está relacionada à produção de grãos para exportação no cerrado mineiro e baiano, o que afeta a disponibilidade de água para a transposição. Como uma megaobra, a transposição produz impactos ambientais e processos de vulnerabilização em grupos sociais tradicionais que vivem nas cidades e no entorno dessas obras. Vulnerabilização se caracteriza como uma injustiça ambiental e consiste em processos em que grupos sociais são afetados em seus meios de produção e outras perdas materiais. E pode ter implicações para a saúde, quer por doenças transmissíveis, quer por transtornos mentais. Esses processos são, em geral, invisibilizadas. A transposição foi iniciada em 2007 e era prevista para ser concluída em 2010. A previsão de conclusão das obras é em 2019. Estes 12 anos de atraso é fator que contribui para vulnerabilizar mais essa população. A visibilização da vulnerabilização as obras, bem como a situação hídrica do rio São Francisco é importante para um projeto dessa envergadura. Em projeto anterior foi desenvolvido o Portal Beiras d’Água, acervo audiovisual, para visibilizar a complexidade desses territórios. O objetivo principal deste estudo é analisar o acesso à água, os conflitos e a vulnerabilização e implementar medidas de reparação comunitária na área de abrangência da transposição do rio São Francisco. A abordagem teórica metodológica será a Reprodução Social e a Saúde, formulada pelo epistemólogo Juan Samaja, e se insere na perspectiva da determinação social da saúde coletiva latinomericana. Esta abordagem tem uma perspectiva sistêmica e o estudo será qualitativo. A estratégia de trabalho de campo e coleta de dados será por meio de entrevistas com lideranças comunitárias e de movimentos sociais e realização de oficinas nos territórios, usando a modalidade de Pesquisa-ação, com camponeses, indígenas e quilombolas ao longo dos canais, na Área Diretamente Afetada do projeto. A partir do trabalho de campo, pretende-se constituir uma rede de comunicação nos territórios entre comunidades e pesquisadores, para visibilizar os processos de acesso à água e os conflitos socioambientais. O Portal Beiras d'Água por meio de tecnologias de informação e comunicação contribuirá para compreensão ecossistêmica do acesso à água, dos conflitos socioambientais na Bacia do Rio São Francisco. Por meio de ferramenta identificar, reconhecer e fortalecer as redes de comunicação já presentes no território, utilizando recursos e tecnologias que possam ser aplicados em larga escala. A partir daí, serão desenvolvidos os instrumentos de representação desses saberes, em forma de coleções propostas e significadas pelos próprios sujeitos sociais. A análise dos dados será por análise crítica do discurso.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 15/05/2019-31/05/2022