Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Álvaro Reischak de Oliveira

Ciências da Saúde

Educação Física
  • os efeitos da terapia hipertérmica, em comparação com o treinamento de força no metabolismo, controle glicêmico, resposta ao choque térmico e microbiota em indivíduos diabéticos: um ensaio clínico randomizado
  • O custo do tratamento do diabetes e das doenças associadas são elevadíssimos e, por esta razão, a busca por diferentes estratégias no combate a esta doença são essenciais. Uma das principais características encontradas em indivíduos diabéticos, obesos e resistentes à insulina (IR), é a presença crônica de inflamação, com origem no tecido adiposo e da microbiota em disbiose. A resposta ao choque térmico (heat shock response -HSR), mediada pela ação da proteína HSP72, é uma das mais importantes vias de resolução da inflamação, e pode ser induzida por uma vasta gama de estressores celulares, como calor, privação metabólica, e pelo exercício físico. Recentemente, demonstramos que em condições de inflamação crônica e IR, a HSR fica comprometida, causando disfunção celular, perpetuação da inflamação e risco aumentado de complicações no diabetes. Nesse sentido, intervenções capazes de modular a HSR, como o exercício físico e a Terapia Hipertérmica (heat therapy, HT) são candidatas como estratégias terapêuticas aliadas na prevenção e tratamento do Diabetes. De fato, o Treinamento de força (RT) tem se mostrado eficiente como na prevenção e tratamento de doenças crônicas associadas à inflamação. Apesar do exercício físico representar a ferramenta não farmacológica mais eficiente para a melhora das funções metabólicas, algumas pessoas apresentam dificuldades para realizar exercício (idosos, obesos, etc). Nesse contexto, a HT é uma terapia alternativa, que pode induzir efeitos semelhantes aos do exercício. Neste projeto pretendemos avaliar os efeitos da HT em comparação com o RT (Ensaio de Clínico randomizado, por 3 meses) em indivíduos com diabetes, observando: 1) Composição corporal; 2) parâmetros metabólicos e controle glicêmico; 3) marcadores inflamatórios; 4) HSR; 5) concentrações de LPS plasmática; 6) Sinalização celular inflamatória em células mononucleares do sangue periférico (PBMC); 7) Resposta inflamatória de PBMC ao LPS e 8) mudanças na microbiota intestinal.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Álvaro Silva Lima

Engenharias

Engenharia Química
  • utilização de líquidos iônicos na remoção e identificação de pesticidas contidos em matrizes vegetais alimentares
  • O presente projeto visa a utilização de líquidos iônicos de toxicidade desprezível (baseados em colinas) no processo de remoção de pesticidas de matrizes alimentares vegetais (MAV) como alface, tomate e uva, bem como o emprego de líquidos iônicos baseados em glicina-betaína na remoção de pesticidas de soluções extratoras convencionais de eliminação destes compostos de MAV e por fim seu emprego na melhoria da detecção de pesticidas em alimentos. Para tanto serão sintetizados líquidos iônicos a base de colina e avaliados quanto a citotoxicidade, além de sintetizar líquidos iônicos a base de glicina-betaína. Os líquidos iônicos assim obtidos serão empregados nos processos de extração. Serão também estudados a adsorção dos pesticidas utilizando suportes formados por resíduos agroindustriais como casca de camarão (quintina) e sabugo de milho (material lignocelulósico). Todos os processos baseiam-se em alternativas amigáveis com o meio ambiente. O projeto é uma parceria de um conjunto de pesquisadores do Instituto de Tecnologia e Pesquisa (incluso alunos de doutorado e iniciação científica) com universidades nacionais (Universidade de Sorocaba) e internacionais (Universitet Reims, Franca e Universidade de Aveiro, Portugal).
  • Instituto de Tecnologia e Pesquisa - SE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2023