Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Washington Jose de Sousa

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • energias renováveis e desenvolvimento à escala humana: efeitos e desafios da produção e distribuição de energia eólica em áreas do semiárido do nordeste do brasil
  • O projeto assume o objetivo central de compreender mudanças e desafios inerentes à implantação de sistemas de produção e distribuição de energias renováveis, tomando como objeto empírico concepções do meio empresarial, de gestores públicos e de munícipes em áreas do Semiárido e, como referência teórica, o constructo Desenvolvimento à Escala Humana (MAX-NEEF, 2012). A questão central da pesquisa é: de que modo sistemas de produção e distribuição de energia eólica são concebidos pelo meio empresarial do setor e por gestores públicos e munícipes do Semiárido nordestino? Trata-se de proposta liderada pela Organização de Aprendizagem e Saberes em Iniciativas Solidárias e Estudos no Terceiro Setor (Oasis), grupo de ensino, pesquisa e extensão vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (PPGA/UFRN) e responsável pela execução do Curso de Graduação Tecnológica em Gestão de Cooperativas. As ações previstas reúne, como público de interesse, além de acadêmicos da UFRN, autoridades públicas municipais, segmentos populacionais de jovens e adultos de áreas urbanas e rurais, além de diretores do Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (CERNE), organização de pensamento estratégico empresarial do Nordeste brasileiro, com atuação multissetorial na exploração sustentável de recursos naturais e energéticos prefeituras municipais de dois territórios potiguares (Mato Grande e Sertão Central Cabugi e Litoral Norte). Seis municípios de dois territórios potiguares, em estágios distintos de implantação de parques eólicos e linhas de transmissão, estão contemplados nesta pesquisa como objeto empírico, considerando que a equipe parte de duas premissas: nos municípios em estágio de implantação e, portanto, com fluxo financeiro de ISS crescente, as expectativas com relação ao desenvolvimento local, intrínseco à energia eólica, são elevadas; nos municípios com serviços de instalação das torres e das linhas de transmissão concluídos, a arrecadação municipal com ISS é fortemente descontinuada e, desse modo, os munícipes passam a perceber e conviver com passivos sociais, econômicos e ambientais, questionando o legado dos investimentos. Como estratégia metodológica, a equipe adotará instrumentos de coleta e processamento de dados qualitativos, em sintonia com o intento de aprofundar conhecimentos relativos à implantação de sistemas de energia eólicos, qualificando ganhos, passivos e desafios trazidos para os municípios. Grupo focal será empregado na coleta de dados junto aos seguintes segmentos: a) jovens estudantes de Ensino Médio de escolas públicas; b) professores de Ensino Médio de escolas públicas; c) lideranças municipais políticas, empresarias e religiosas. Em cada município será realizada uma série de grupo focal envolvendo cada segmento, totalizando 18 (três segmentos em seis municípios). Entrevista semiestrutura será realizada junto: a) dois prefeitos(as) em cada município, totalizando 12 – o que ocupava o cargo à época da instalação do primeiro parque eólico e o ocupante atual, do período 2017/2020; b) dois membros do CERNE – o Diretor-Presidente e o Coordenador Executivo de Gestão de Projetos e Eventos Setoriais, este último responsável pela gestão de ações de responsabilidade socioambiental das empresas do setor. Todo o material coletado, áudio gravado com prévia anuência do informante, será transcrito e processado no software Interface de R pour les Analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionnaires (IRAMUTEQ) de modo a gerar categorias analíticas a serem interpretadas com base no modelo de Desenvolvimento à Escala Humana (MAX-NEEF, 2012). Como produtos, entre outros, são esperados: uma dissertação no Curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Administração da UFRN; retroalimentação, por meio de relatórios executivo, de protocolos administrativos do Comitê de Sustentabilidade Socioambiental (CSS), unidade administrativa responsável pela integração das dimensões social e ambiental a processos, práticas e procedimentos na esfera da Política de Responsabilidade Social e Ambiental do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES); qualificação de recursos humanos, agentes públicos e privados, para aplicação de conteúdos e estratégias em responsabilidade socioambiental; publicação de artigos científicos com dados primários e revisões da literatura envolvendo temas de efeitos socioeconômicos e ambientais de sistemas de energia eólicos.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Washington Leite Junger

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • saúde em ambientes urbanos (fase 3): poluição atmosférica, fatores climáticos e áreas verdes
  • O presente projeto visa contribuir para a consolidação do conhecimento sobre os efeitos das exposições urbanas como poluição atmosférica e extremas meteorológicas na saúde das populações residentes em grandes centros urbanos. Este projeto busca também estender a investigação para os efeitos que outros elementos do ambiente em centros urbanos podem exercer sobre a saúde, por exemplo, os benefícios de áreas verdes como parques e jardins. O objetivo principal deste projeto é avaliar os efeitos do espaço urbano construído, em termos de poluição atmosférica, fatores climáticos e disponibilidade de áreas verdes, na saúde da população das capitais brasileiras. Um objetivo secundário do projeto é o desenvolvimento de metodologias para quantificação da exposição da poluição atmosférica ambiental e avaliação de intervenções a fim de reduzir riscos ambientais. Os objetivos específicos são: (i) estimar a associação entre material particulado fino (PM2,5) e mortalidade por doenças respiratórias e cardiovasculares na cidade do Rio de Janeiro; (ii) estudar a associação entre poluição atmosférica e danos no DNA e a potencial modificação de efeitos de polimorfismos genéticos em crianças e adolescentes asmáticos no município do Rio de Janeiro; (iii) estimar o efeito da temperatura e das ondas de calor na mortalidade por DIC e DCBV no município do Rio de Janeiro; (iv) investigar o efeito da temperatura e do estresse térmico na mortalidade por doenças cardiovasculares nas populações das capitais brasileiras, bem como impactos futuros segundo diferentes modelos e cenários climáticos; (v) estimar a associação entre áreas verdes e mortalidade por doenças cardiovasculares, no município do Rio de Janeiro considerando aspectos sociodemográficos e ambientais; (vi) explorar a aplicabilidade de modelos de simulação baseada em agentes para avaliar o impacto de intervenções de mitigação dos efeitos das mudanças climáticas no ambiente urbano na saúde da população; e (vii) avaliar a associação entre áreas verdes no ambiente construído e os Transtornos Mentais Comuns. Este projeto também visa fortalecer a cooperação internacional com o ISGlobal (Instituto de Salud Global Barcelona, Espanha) com a participação de um pesquisador dessa instituição.
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Washington Luis Conrado dos Santos

Ciências da Saúde

Medicina
  • desestruturacao da polpa branca e plasmocitose: potenciais mecanismos envolvidos na susceptibilidade e morte na leishmaniose visceral
  • Um dos principais problemas relacionado à leishmaniose visceral (LV) no Brasil é o surgimento de formas clínicas graves responsáveis por 5-20% dos óbitos associados à doença, mesmo na vigência do tratamento específico. Formas graves da LV humana e canina cursam com desorganização da polpa branca do baço e extensa substituição da celularidade normal da polpa vermelha por plasmócitos. O baço é um orgão linfoide responsável pela vigilância imunológica contra antígenos circulantes no sangue. Apesar do comprometimento do baço em todos os casos da LV e de sua regressão de tamanho ser considerado um marcador de resposta terapêutica, sabemos pouco a respeito do da contribuição da desestruturação esplênica para o agravamento da doença. Por exemplo, não sabemos de que forma a desestruturação do baço interfere com a resposta do hospedeiro à Leishmania? Ou que impacto tem a desestruturação de sítios de diferenciação e homing de células B de memória tem sobre a proteção contra infecções bacterianas. Não sabemos se as mudanças na celularidade esplênica muda o perfil de produção de citocinas no orgão favorecendo a susceptibilidade à Leishmania. Nosso grupo tem contribuído na busca de respostas para estas questões, utilizando cães naturalmente infectados como modelo de doença humana. Nesses estudos demonstramos que a atrofia e desestruturação do tecido linfoide esplênico estão associadas a marcadores de susceptibilidade à leishmaniose visceral. A desestruturação não atinge uniformemente os compartimentos do tecido linfoide. Há uma diminuição do número de células dendríticas foliculares nos folículos e o de células B na zona marginal associadas a uma diminuição na expressão de CXCL13, sugerindo disfunção no segmento mais terminal da alça de estimulação positiva [linfócito B] - [LT-alfa/beta] – [célula dendrítica] – [CXCL13] – [linfócito B], afetando a manutenção dos folículos linfoides. A desorganização do tecido linfoide cursa com progressiva plasmocitose, sugerindo a existência de uma diferenciação anômala de linfócitos B. Os linfócitos B estão envolvidos na defesa de seres humanos e cães contra infecções bacterianas e virais. São capazes também de modular a resposta de linfócitos T a uma variedade de antígenos. Nossa hipótese é de que a desorganização linfoide leva à diferenciação anômala de linfócitos B contribuindo para a progressão da leishmaniose visceral por favorecer a emergência de coinfecções e por desestruturar microambientes responsáveis pela cooperação celular na resposta imune a uma variedade de antígenos. Neste projeto acessaremos algumas destas questões através do estudo das alterações histológicas, mudanças nas populações celulares, alterações no perfil de produção de citocinas e especificidade dos plasmócitos em baços de indivíduos com formas graves de leishmaniose visceral, refratários ao tratamento convencional e submetidos a esplenectomia terapêutica. Contamos no momento com amostras de quatro pacientes obtidas nessa condição e temos em perspectiva de obtermos outras duas. Como controles utilizaremos baços obtidos de indivíduos submetidos à esplectomia por trauma, sem enfermidades adicionais. Sumário dos objetivos e metas deste projeto: Objetivos: 1- Definir as alterações histológicas mais relevantes em baços de seres humanos com formas graves de LV utilizando microscopia ótica convencional; 2- Definir as alterações nas populações leucocitárias mais relevantes em baços de seres humanos com formas graves de LV utilizando imunoistoquímica; 3- Definir na população de plasmócitos que se acumula no baço a proporção de células com especificidade para antígenos de Leishmania; 4- Definir as alterações no perfil de produção de citocinas mais relevantes em baços de seres humanos com formas graves de LV utilizando RT-PCR; 5- Examinar o perfil de produção de citocinas por plasmócitos esplênicos de seres humanos com formas graves da LV utilizando RT-PCR de plasmócitos microdissecados a laser do baço; 6- Formação de pessoal em pesquisa: 1 pós-doutorando, 2 doutores, 2 estudantes de iniciação científica. Finalmente, esse projeto integra-se na linha de pesquisa do nosso laboratório que visa a identificação de marcadores de progressão e morte na LV. Será desenvolvido no âmbito de uma rede de colaborações envolvendo laboratório do Centro de pesquisas Gonçalo Moniz (Fiocruz-BA), Hospital de Doenças Tropicais Nathan Portela (Teresina-PI) e Laboratório da Disciplina de Patologia de Moléstias Transmissíveis (Faculdade de Medicina, USP-SP). Como resultado direto da execução deste projeto, esperamos gerar conhecimentos sobre alterações teciduais associadas à gravidade e morte na LV que possam contribuir com a identificação de alvos terapêuticos e de definição de prognóstico da doença. Esperamos ainda contribuir com o entendimento dos mecanismos de alteração da diferenciação de linfócitos B comuns à LV e outras enfermidades inflamatórias crônicas de origem infecciosa ou autoimune, nas quais os plasmócitos tem importante participação nos infiltrados inflamatórios.
  • Fundação Oswaldo Cruz - BA - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2021
Foto de perfil

Washington Soares Ferreira Júnior

Outra

Ciências Ambientais
  • quais fatores influenciam no conhecimento e na seleção de estratégias de tratamento ao longo do curso da doença em um grupo humano?
  • O que leva as pessoas na busca por tratamentos e a adotar estratégias de prevenção de doenças em sistemas médicos locais? Algumas evidências mostram que doenças percebidas pelas pessoas com alta frequência de ocorrência tendem a apresentar muitas plantas e animais medicinais para o seu tratamento. Uma explicação para isso pode estar ligada à experiência prévia que as pessoas possuem com essas doenças frequentes. O papel da experiência prévia tem sido destacado nos estudos de percepção de risco das pessoas sobre desastres ambientais. Isso sugere que o fato de uma pessoa não apresentar experiência prévia com a doença levaria a pessoa a adotar menos comportamentos preventivos e apresentar um menor conhecimento sobre as estratégias de tratamento (plantas medicinais e medicamentos de origem biomédica). Além disso, a busca por tratamentos pode ser bastante variada ao longo do curso de uma doença. Nesse caso, é também importante verificar se a frequência de ocorrência da doença, além de outros fatores ligados às características das doenças e dos moradores locais, afeta a seleção de tratamentos à medida que a doença avança. Para avaliar o papel da experiência prévia em sistemas médicos locais, e os fatores que afetam as decisões terapêuticas ao longo da doença, realizaremos um estudo em um grupo humano no nordeste brasileiro. Serão realizadas entrevistas individuais em que os participantes serão convidados a listar as plantas medicinais, os medicamentos de origem biomédica e as estratégias de prevenção que utilizam para cada doença indicada. Os participantes também serão convidados a informar a probabilidade de adquirir a doença no próximo ano após a realização da entrevista, a percepção de gravidade e o grau de preocupação em relação à doença. Será realizado um itinerário terapêutico para acompanhar famílias da comunidade ao longo de dois anos, registrando os eventos de doenças e as decisões terapêuticas tomadas em cada episódio. Também será realizada uma oficina participativa para obter informações sobre a percepção da frequência de ocorrência da doença. Esperamos que a experiência prévia com a doença seja o principal preditor do número de plantas, medicamentos conhecidos e do número de estratégias adotadas para prevenir a doença. Esperamos também que a frequência da doença seja importante em predizer o número de estratégias tomadas ao longo do curso da doença. Esse achado indicaria um importante mecanismo pelo qual as pessoas em um sistema médico direcionam suas estratégias de prevenção e tratamento de doenças e explicaria por que há uma grande riqueza de tratamentos para doenças com alta frequência de ocorrência em grupos humanos.
  • Universidade de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022