Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Wilson Marques Junior

Ciências da Saúde

Medicina
  • avaliação clinica e molecular da neuropatia hereditária motora distal
  • A dHMN perfaz um grupo geneticamente bastante heterogêneo de neuropatia hereditária, classicamente caracterizada por um quadro lentamente progressivo de fraqueza e atrofia que acomete os membros inferiores e superiores distalmente. Mutações em diversos genes envolvidos em diferentes funções do sistema nervoso periférico (SNP) vem sendo correlacionadas com diferentes subtipos clínicos de dHMN. Sabidamente, o desenvolvimento, a manutenção e o funcionamento do neurônio motor no SNP é regulada através de uma complexa rede de comunicação mediada por enzimas e proteínas estruturais. De forma que, mutações em genes envolvidos em diferentes etapas desse processo ou na estrutura do SNP são causas estabelecidas de dHMN: como mutações em genes que controlam o metabolismo do RNA (GARS, SETX, IGHMBP2), o transporte axonal (BICD2, DCTN1, DYNC1H1, BSCL2), genes que participam da regulação osmótica e secretória (TRPV4, ATP7A) ou ainda genes que codificam proteínas envolvidas com reposta ao estresse e ao transporte intracelular (HSPB1, HSPB3, HSPB8). O avanço na investigação das causas genéticas das neuropatias hereditárias se deve a introdução e ao barateamento das técnicas de sequenciamento de nova geração (NGS) como os painéis multigênicos específicos, o sequenciamento de todo o exoma (WES) e o sequenciamento de todo o genoma humano (WGS). Apesar do aumento significativo no entendimento dessa entidade nosológica, apenas 20% dos casos de dHMN possuem diagnóstico molecular confirmado. Ademais, não se conhece o perfil genotípico da população brasileira. Para tal, buscamos a avaliação molecular de um grupo selecionado de pacientes com fenótipo de dHMN em seguimento no ambulatório de Neurogenética da FMRP/USP e da UNICAMP, através do uso de painel multigênico específico. Como meta, visamos demonstrar o perfil genotípico-fenotípico da amostra analisada, realizar a validação do painel multigênico para dHMN, demonstrar a acurácia desse método para investigação das causas moleculares de neuropatia hereditárias e sua aplicabilidade na pratica clínica. Pretendemos também caracterizar este grupo clinica e eletrofisiologicamente e correlacionar os achados com os aspectos genotípicos.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Wilson Massamitu Furuya

Ciências Agrárias

Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca
  • digestibilidade, desempenho produtivo, retenção de minerais, parâmetros sanguíneos e expressão do gene da enzima fosfatase alcalina em tilápias do nilo alimentadas com dietas suplementadas com nova geração de fitase líquida
  • Dois experimentos serão realizados para elaborar dietas ecologicamente corretas para alevinos de tilápias do Nilo por meio de ensaios de digestibilidade (Experimento I) e de crescimento (Experimento II). No experimento I, serão avaliados os coeficientes de digestibilidade da matéria seca, energia bruta, proteína bruta, aminoácidos, lipídios totais, cinzas, cálcio e fósforo. Os peixes (n = 180 peixes, peso inicial médio de 30.0 ± 3.0 g) serão distribuídos em delineamento inteiramente casualizado com quatro tratamentos e três repetições. Será elaborada dieta basal com 320 g/kg de proteína bruta, 4450 kcal/kg de energia bruta, 9 g/kg de cálcio, 8 g/kg de fósforo total e 3 g/kg de fósforo disponível. A partir da dieta basal, serão elaboradas três dietas com 500; 1000 e 1.500 unidades de fitase ativa (UFA)/kg. As dietas serão extrusadas para obtenção de pellets com 3 mm de diâmetro e a fitase líquida será incorporada por aspersão após secagem e resfriamento dos pélletes. Os peixes serão distribuídos em 12 aquários de digestibilidade de 250 L cada, sendo as fezes coletadas pelo método de Guelph modificado. No segundo Experimento II, 384 tilápias (3 ± 0.3 g) serão distribuídas em 24 aquários de recirculação de 100 L/cada e distribuídos em delineamento inteiramente casualizado com quatro tratamentos e seis repetições. Será elaborada dieta basal com 320 g/kg de proteína bruta, 4450 kcal/kg de energia bruta, 9 g/kg de cálcio, 8 g/kg de fósforo total e 3 g/kg de fósforo disponível. A partir da dieta basal, serão elaboradas três dietas com 500; 1000 e 1.500 UFA/kg. As dietas serão extrusadas para obtenção de pellets com 1 mm de diâmetro e a fitase líquida será incorporada por aspersão após secagem e resfriamento dos pélletes. Serão analisadas as variáveis de ganho de peso, consumo, conversão alimentar, taxa de eficiência proteica, retenção de nitrogênio, índice hepatosomático, gordura visceral, sobrevivência, composição corporal (umidade, energia bruta, proteína bruta, lipídios totais, cálcio fósforo e cinzas), retenção de minerais nos ossos (cálcio, fósforo, ferro, zinco, magnésio, cobre e manganês), atividade de enzimas (alanina aminotransferase, aspartato aminotransferase e fosfatase alcalina), parâmetros bioquímicos (glicose, proteína total, colesterol total, triglicerídeos, cálcio e fósforo) e expressão do gene da enzima fosfatase alcalina). Os dados serão submetidos à análise de variância e em caso de diferenças, serão comparados pelo teste de Tukey (P< 0,05). Os dados de expressão do gene da enzima fosfatase alcalina serão submetidos a análise de Kruskal-Wallis seguidos de teste de Dunn (P< 0,05).
  • Universidade Estadual de Ponta Grossa - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Wilson Roberto Maluf

Ciências Agrárias

Agronomia
  • utilização dos recursos genéticos das espécies solanum galapagense e s. pennellii para obtenção de cultivares melhoradas de tomateiro com resistência a pragas e tolerância à salinidade e ao estresse hídrico
  • O tomate é a hortaliça-fruto mais produzida e consumida no país, e sua cadeia produtiva tem relevância econômica no agronegócio, pois movimenta, anualmente, mais de R$ 2 bilhões (cerca de 16% do PIB gerado pela produção de hortaliças no Brasil). Em 2012 a produção nacional foi de 4 milhões de toneladas em uma área de 63 mil hectares. No cenário mundial, o Brasil é o nono maior produtor, sendo a China a maior produtora, seguida dos Estados Unidos e Índia O consumo de água pelo tomateiro é bastante elevado, situando-se em torno de 580 mm (ou 5800 m3/ha) ao longo do ciclo da cultura. A quase totalidade das lavouras é irrigada, o que impõe à cultura considerável impacto ambiental, tanto diretamente pela utilização de elevadas quantidades de água via irrigação, quanto indiretamente pelo gasto de energia envolvido com sua aplicação. Variações de disponibilidade de água podem ocasionar redução do potencial produtivo da cultura, provocando diversas alterações morfoanatômicas na planta. Uma das principais anomalias induzidas pelo estresse hídrico em tomateiro é a podridão apical dos frutos, que os inutiliza para fins comerciais. Embora a causa primária desta anomalia seja a deficiência de cálcio no tecido da porção estilar do fruto, ela pode ocorrer mesmo em condições de satisfatória disponibilidade do elemento no solo: frequentemente a causa agronômica imediata é a carência hídrica, no solo e na planta, resultando em concentração excessiva de sais solúveis e prejudicando a utilização do cálcio. No caso do tomateiro, a variabilidade genética para tolerância à seca é encontrada em espécies selvagens que são capazes de crescer e se reproduzir em ambientes que apresentam quantidades mínimas de água. Dentre as principais espécies selvagens que se desenvolvem em ambientes áridos, destacam-se o S. pennellii e o S. chilense. Adicionalmente, espécies como Solanum galapagense (sin. Lycopersicon cheesmannii var. minor), resistentes à salinidade, toleram potenciais hídricos bastante baixos, podendo também ser exploradas como fontes de resistência ao estresse hídrico. Assim, essas espécies podem servir como fonte genética de caracteres morfológicos, fisiológicos e bioquímicos que proporcionam a tolerância à seca, permitindo presumivelmente a obtenção de cultivares mais eficientes no uso dos recursos hídricos, com redução substancial no uso de água pela cultura. A proposta tem como objetivo último desenvolver cultivares de tomateiro resistentes a estresses hídricos severos, a partir dos recursos genéticos existentes no gene pool do tomateiro, em particular nas espécies selvagens Solanum pennellii e S. galapagense. No primeiro caso, pesquisas já em andamento demonstram a viabilidade da obtenção de tais cultivares, estando atualmente disponíveis linhagens pré-comerciais com altos níveis de resistência à podridão apical dos frutos induzida por estresse hídrico. Assim, a proposta visa principalmente a desenvolver técnicas rápídas e não destrutivas de seleção de plantas resistentes ao estresse hídrico (particularmente técnicas de seleção em hidroponia e/ou através da seleção de plantas com menor densidade estomática), com vistas a obter maior rapidez e eficiência no sentido de obtenção de linhagens resistentes com características plenamente comerciais. No segundo caso, visa-se a determinar as correlações existentes entre a resistência à salinidade de Solanum galapagense ‘LA-1401’ e a possível tolerância ao estresse hídrico do mesmo acesso, bem como obter linhagens melhoradas de tomateiro cultivado, resistentes ao estresse hídrico, a partir do cruzamento interspecífico S. lycopersicum x Solanum galapagense ‘LA-1401’
  • Universidade Federal de Lavras - MG - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Wilson Rogério Boscolo

Ciências Agrárias

Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca
  • dietas microextrusada, farelada e desintegrada e frequência de arraçoamento para alevinos de tilápia do nilo (oreochromis niloticus)
  • O presente projeto tem como objetivo determinar a melhor forma de processamento de dietas e frequência de arraçoamento para fase de alevinagem de tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus), através da avaliação da qualidade da água, desempenho zootécnico, composição centesimal, histologia hepática, histologia muscular e histologia intestinal e análise econômica parcial. Para isso serão realizados dois experimentos. No primeiro experimento serão utilizados 300 alevinos de tilápia com peso inicial médio de 0,5 g, distribuídos em 30 caixas experimentais. O delineamento experimental ao acaso consistirá de cinco tratamentos e seis repetições. Os tratamentos serão: T1 - ração farelada 0,3 mm; T2 - ração farelada 0,6 mm; T3 - ração microextrusada 1,0 mm; T4 - ração extrusada e desintegrada 0,3 mm e T5 - ração extrusada desintegrada 0,6 mm. As rações serão formuladas de forma a atender as exigências da espécie nessa fase. Os animais serão alimentados seis vezes ao dia (8h00; 10h00; 12h00; 14h00; 16h00 e 18h00), até a saciedade aparente. No segundo experimento, será avaliada a frequência de arraçoamento ideal para a dieta que proporcionou melhores resultados no experimento 01. Para isso, serão utilizados 300 alevinos de tilápia com peso inicial médio de 0,5 g distribuídos em 30 caixas experimentais. O delineamento experimental será inteiramente casualizado, serão avaliadas seis frequências de arraçoamento (4, 5, 6, 7, 8 e 9 vezes ao dia) com cinco repetições. Nos dois experimentos serão verificados semanalmente os parâmetros de qualidade de água como pH, oxigênio dissolvido (mg.L-1), condutividade elétrica (µS cm-1) e a temperatura (oC), e coletas amostras de água das unidades experimentais para posteriores análises de fósforo total e amônia. No final dos períodos experimentais os animais permanecerão em jejum prévio de 12 horas, serão anestesiados, pesados e medidos para determinação dos parâmetros zootécnicos. Também serão realizadas coletas de material para determinação da composição centesimal e para análise histológica do fígado, músculo e intestino. Para análise econômica serão considerados os custos referentes aos peixes e alimentação para determinação da receita líquida parcial.
  • Universidade Estadual do Oeste do Paraná - PR - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Wilson Rosa de Oliveira Junior

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • sistemas quânticos abertos: capacidade computacional e aplicações em aprendizado de máquinas e redes neurais sem pesos
  • Ampliamos o estudo do poder computacional, a dinâmica e os algoritmos de aprendizagem de Redes Neurais baseadas em RAM quântica (qRAM) realizado anteriormente em diversos projetos (Editais Universal, PRONEX, etc passados) a classe mais ampla dos Sistemas Quânticos Abertos, em geral, e o modelo de circuitos quânticos, em particular. As qRAM são definidas via circuitos quânticos, generalizando o estudo das Redes Neurais Sem Peso (que são compostas de circuito booleanos clássicos). Especificamente pretende-se: (1) Investigar a Dinâmica e Caos nos Sistemas Quânticos Abertos, (2) Investigar o poder computacional dos Sistemas Quânticos Abertos, (3) Particularizar os resultados aos circuitos quânticos e as qRAM. (4) Verificar o desempenho, a vista do resultados teóricos, das qRAM e/ou dos circuitos quânticos em problemas de Aprendizado de Máquina, particularmente relacionados a problemas relacionados com a Bioinformática. (5) Desenvolver software de simulação dos sistemas quânticos estudados em GP-GPU.
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco - PE - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2021
Foto de perfil

Wilson Savino

Ciências Biológicas

Imunologia
  • neuroimmunomodulação
  • O desenvolvimento do conhecimento científico sobre a fisiologia de sistemas complexos, e que funcionam de forma integrada, necessita de uma abordagem plural, tantos em termos conceituais quanto metodológicos. Nesse sentido, o entendimento integrado sobre os mecanismos celulares e moleculares de uma ampla variedade de doenças, será significativamente aumentado com projetos multicêntricos e translacionais, os quais favorecem melhor compreensão de mecanismos biológicos, e consequente aprimoramento de abordagens em saúde pública, seja em termos de prevenção, diagnóstico, prognóstico e/ou terapêutica. Ainda, redes de pesquisa multicêntricas contribuem para formação de recursos humanos de qualidade, propagadores de conhecimento e articuladores de ações em ciência, tecnologia e inovação. O Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em NeuroImunoModulação (INCT-NIM) se insere no Programa de INCT, integrando o conhecimento nas áreas de Imunologia, Endocrinologia, Metabolismo e Neurociência, tanto em condições fisiológicas, quanto patológicas. Sediado no Instituto Oswaldo Cruz (Rio de Janeiro), o INCT-NIM, compreende 15 Grupos de Pesquisa, distribuídos em 11 Instituições, localizadas em 10 Estados da Federação, abrangendo todas as regiões geográficas do País. Além disso, será internacionalizado através de cooperação Sul-Sul e Norte-Sul, assegurada com vários países. O Objetivo do INCT-NIM é estabelecer rede de pesquisa e formação de recursos humanos, baseando-se em visão holística sobre mecanismos celulares e moleculares relativos à fisiologia das interações neuroimunendócrinas e respectivos desvios patológicos que possam ocorrer em agravos decorrentes de agentes infecciosos, de alterações metabólicas e de comprometimento neural. Para alcançar tal objetivo, o INCT-NIM funcionará segundo uma matriz tridimensional, constituída de um eixo temático, um eixo de parâmetros de estudo e um eixo de sustentabilidade. Quatro grandes temas serão objetos de estudo: fisiologia das interações neuroimunoendócrinas; neuroimunomodulação em doenças infecciosas; neuroimunomodulação em doenças metabólicas e neuroimunomodulação em doenças do neurodesenvolvimento e neurodegenerativas. No que diz respeito à fisiologia de interações neuroimunendócrinas, abordaremos estudos sobre inervação de órgãos linfoides e respectivo impacto sobre a fisiologia destes órgãos. Interações tipicamente encontradas no sistema nervoso central, tais como aquelas mediadas por neuropilinas e semaforinas, também serão analisadas no sistema imune. Reciprocamente estudaremos a expressão e função de citocinas no sistema nervoso, usando modelo de desenvolvimento de células da retina, assim como o efeito de citocinas sobre estruturas encefálicas, notadamente o hipotálamo. Nestes modelos, analisaremos aspectos relacionados a controle de expressão gênica, sinalização celular e respostas biológicas celulares (proliferação, morte, diferenciação e migração). Os estudos sobre NIM em doenças infecciosas serão desenvolvidos em uma série de agravos: doença de Chagas, malária, hanseníase, e ainda as alterações de sistema nervoso decorrentes de infecções por HIV e HTLV-1. Estudaremos ainda a NIM em doenças metabólicas de grande importância em saúde pública, incluindo obesidade, diabetes tipo 1, e também o envelhecimento. Por fim, serão estudadas doenças típicas do sistema nervoso, tais como autismo (exemplo de doença de neurodesenvolvimento) e esclerose múltipla (doença neurodegenerativa), além de doenças psiquiátricas, o transtorno bipolar do tipo 1 e esquizofrenia. Nestes diversos agravos estudaremos os parâmetros moleculares e celulares descritos acima. Além disso, realizaremos estudos sobre mecanismos de neuroinflamação e distúrbios de cognição. Por fim, pretendemos desenhar, identificar e caracterizar, em modelos específicos de doença, biomarcadores, que possam ter valor diagnóstico, prognóstico e/ou terapêutico. O estabelecimento de circuitos dinâmicos na rede do INCT-NIM permitirá ampliar a garantia, a segurança da transmissão de grandes massas de dados. Nesse sentido, estudos oriundos dos diferentes subprojetos serão submetidos a uma metanálise que permitirá integrar a totalidade do conhecimento gerado. A evolução desses estudos terá como pilares de sustentabilidade a existência de modelos experimentais in vivo, coortes de pacientes, análises ex-vivo e in vitro a partir de amostras biológicas de modelos animais e de pacientes, além de modelagem molecular in silico. Como entregas para a sociedade, decorrente dos estudos desenvolvidos no âmbito do INCT-NIM, haverá sem dúvida uma produção científica de qualidade (artigos científicos e um livro sobre neuroimunomodulação na saúde e na doença), e ainda a geração de produtos de uso potencial em pesquisa clínica (seja para fins de diagnóstico, prognóstico e/ou terapêutico). Não menos importante será a formação de recursos humanos de alta qualificação, em níveis de mestrado, doutorado e pós-doutorado, além de uma série de ações visando informar o grande público; uma delas a geração e manutenção de página web. Para melhor cumprir estas atividades de divulgação, contaremos com uma plataforma de informação e comunicação, que incluirá a produção de manutenção de website e presença em mídias sociais, assim como a realização de filmes e programas de televisão. A gestão do INCT-NIM será garantida por uma plataforma de gestão, que englobará a coordenação e secretaria executiva do INCT, o comitê gestor, e comitê assessor internacional. Por fim, cumpre salientar que, seguindo a filosofia de trabalho em rede, a natureza interdisciplinar e translacional do INCT-NIM naturalmente conduzirá ao estabelecimento de novas interações com os INCT, por exemplo nas áreas de neurociência, imunologia, endocrinologia, doenças infecciosas, e bioinformática, entre outras.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 23/11/2016-30/11/2022
Foto de perfil

Wilson Thadeu Valle Machado

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • efeito da eutrofização sobre a relação mercúrio-matéria orgânica em manguezais: avaliação da hipótese da biodiluição
  • A fertilização antrópica da zona costeira é uma preocupação de escala global, que pode acentuar as taxas de acumulação de metais tóxicos com afinidade pela matéria orgânica acumulada nos sedimentos, como o Hg. Entretanto, predições sobre as consequências desta fertilização sobre o comportamento do Hg em sistemas altamente produtivos, como os manguezais, podem desviar do corrente paradigma quanto a efeitos positivos da matéria orgânica sobre a acumulação deste metal. A elevação da produtividade primária em função da eutrofização tem sido reconhecida como um fator que pode causar biodiluição dos níveis de Hg e metil-Hg na biomassa fitoplanctônica lacustre. Uma correlação negativa entre Hg e matéria orgânica derivada da vegetação de manguezal (conforme evidenciado pela assinatura isotópica do carbono), observada em um estudo inicial realizado no Brasil, indicou que esta biodiluição pode ocorrer em relação à biomassa de outros produtores primários, como a vegetação de manguezal. O presente projeto visa avaliar as possíveis relações do Hg e do metil-Hg com a matéria orgânica e suas implicações para as taxas de acumulação de Hg em sedimentos de manguezais localizados ao longo de um gradiente de contaminação na Baía de Guanabara, RJ. Serão testadas as hipóteses de que as relações Hg-matéria orgânica em sedimentos irão depender da variabilidade das: (1) proporções nos fluxos sedimentares de Hg e de matéria orgânica; (2) concentrações de Hg nos materiais que constituem fontes subterrâneas (raízes) e superficiais (folhas) de matéria orgânica de manguezal; (3) contribuições de diferentes fontes autóctones e alóctones de matéria orgânica; (4) condições sedimentares que afetam a preservação da matéria orgânica (como condições redox, ocorrência de distúrbios físicos e bioturbação); e (5) influências de outras características sedimentares (como granulometria e mineralogia) que podem afetar a acumulação de Hg, em particular a ocorrência de pirita (FeS2). Desta forma, será possibilitada uma avaliação mais compreensiva dos mecanismos envolvidos na acumulação de Hg sob vários níveis de fertilização de áreas de manguezal, em subsídio a uma melhor capacidade de predição sobre os efeitos da eutrofização.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Wilton Bernardino da Silva

Ciências Sociais Aplicadas

Economia
  • medidas de risco e o apoio ao gerenciamento dos limites de perda: uma metodologia de definição de stop-loss baseada nas medidas de valor em risco e valor em risco condicional
  • O presente projeto de pesquisa propõe a utilização das medidas de Valor em Risco (VaR) e Valor em Risco Condicional (CVaR) no auxílio do gerenciamento de perdas financeiras em operações envolvendo compra e venda de ativos negociados na Bolsa de Mercadorias e Futuros BVM&F Bovespa. Com esse propósito, será avaliada a viabilidade de investimentos em diversas ações de diversos setores da economia brasileira utilizando as medidas VaR e CVaR como base para o gerenciamento de perdas. A metodologia será baseada na estimação do VaR e CVaR através da utilização da Expansão de Cornish-Fisher, pelos métodos Garch, Gaussiano, dentre outros métodos que podem vir a ser utilizados de acordo com o avanço da pesquisa. Como resultados, espera-se evidenciar que a utilização das medidas VaR e CVaR no gerenciamento de limites de perda seja capaz prover operações com lucros mais consistentes em sistemas automatizados de negociação de ações.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2021
Foto de perfil

Wim Maurits Sylvain Degrave

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • um novo continente para estudos em saúde (- fioantar): microbiota e virus antárticos, seu potencial patogênico e biotecnológico, e sistemas de detecção de possíveis impactos no futuro para a saúde humana e animal.
  • O continente antártico é uma das regiões mais sensíveis às variações climáticas globais e possui interações extensas e complexas com o planeta. A realização de pesquisas científicas na Antártica é de suma importância para o entendimento dessas complexas interações entre os processos naturais antárticos e globais que afetam a vida na Terra. As pesquisas realizadas no âmbito do PROANTAR são de enorme relevância para a compreensão das influências dos fenômenos naturais que afetam o Brasil. Os estudos indicam a biosfera rica e variada, tanto em termos de organismos aquáticos e variedades de aves migratórias, como em microrganismos com características especiais. A elevação da temperatura no continente e a exposição de camadas inferiores de gelo e solo afetam a dinâmica da circulação e dispersão de espécies desconhecidas ou reemergentes de potencial patogênico, para além do oceano antártico e que podem afetar diretamente o Brasil, influenciando no surgimento e circulação de novos agentes infecciosos. Os potenciais impactos destes ecossistemas sobre a saúde dos animais, dos visitantes, sobre o continente ou América do Sul foram pouco estudados. Na última década, a imensa riqueza da biodiversidade antártica tem despertado novo foco de interesse para os pesquisadores que, além de estudarem as adaptações dos organismos às condições extremas do continente e às dinâmicas ecossistêmicas, buscam identificar possíveis aplicações, o desenvolvimento de novas enzimas, (bio)fármacos e biotecnologias. O interesse científico da Fiocruz que motiva sua primeira participação em pesquisas no continente antártico está em consonância com os conceitos que pautam sua atuação, desde sua criação: gerar e difundir conhecimento científico e tecnológico. A Fiocruz traz em sua origem o fato de ter sido criada para combater as severas epidemias que assolavam o Brasil no início do Século XX. E ao longo dos anos, consolidou em seu escopo os principais pilares para produção da ciência e tecnologia: pesquisa básica e aplicada, desenvolvimento de produtos, formação de pesquisadores e gestores; produção de conhecimento; informação e divulgação científica; vigilância e capacidade de resposta; capacidade de cooperação técnica e de ajuda humanitária. Para a Fiocruz, a Antártica representa um novo horizonte, com possibilidades de gerar novos conhecimentos, ampliando a expertise institucional. O presente projeto – FioAntar- tem como proposta a integração de grupos de pesquisa formados por especialistas nas áreas de bacteriologia (Bacillus anthracis, B. cereuse micobactérias), virologia (vírus Influenza A e Norovírus), micologia (Histoplasma spp., Coccidioides spp., Cryptococcusneoformans, C. gattii, Paracoccidioides brasiliensis e outros agentes de micoses invasivas), helmintologia (Digeneas, Cestodas, Nematoda, Acanthocephala), líquens (como marcadores de variações climáticas e fontes de metabólitos secundários de interesse para saúde), genômica, para que se possa avaliar os diversos grupos de patógenos ou novos patógenos, que possam ser encontrados no continente, tanto na camada ativa do solo, permafrost, águas marinha e lacustre, e os que parasitam espécies de animais que lá vivem ou circulam. O projeto FioAntar também propõe avaliar diversidade genética, virulência, patogenicidade e capacidade metabólica e genômica dos microrganismos e vírus isolados. E ainda, a criação de disciplina "Estudos de biodiversidade e agentes infecciosos Antárticos" para formação de pesquisadores para estudos antárticos. Os futuros resultados ajudarão na consolidação da prospecção biotecnológica e na estruturação de caminhos futuros para pesquisa em saúde na Antártica e contribuirão para o Brasil se preparar para a emergência de possíveis novas doenças que advirão com o degelo da calota polar, com a migração de espécies, com a circulação de substâncias tóxicas, entre muitas possibilidades de mudanças. Como se pode observar, o caráter multidisciplinar da equipe reflete-se na abrangência da proposta do estudo e proporciona a troca de conhecimentos e colaboração, entre os diversos grupos e especialistas, podendo envolver outros grupos, como modelagem computacional, além de colaboradores nacionais e internacionais. A multidisciplinaridade institucional se amplia ao somar-se à equipe de pesquisadores, profissionais da área de comunicação e relações internacionais (RI). Os primeiros possuem expertise para realizar a divulgação da pesquisa e dos resultados gerados, podendo gerar produtos a partir dos registros audiovisuais. Os profissionais de RI atuarão nas articulações para cooperação com instituições e redes internacionais de pesquisa, vigilância, coleções biológicas e fóruns de discussão, buscando ampliar as redes colaborativas, como recomenda o Sistema do Tratado Antártico, o Plano de Ação 2013-2022 brasileiro e os novos programas científicos de Ciências da Vida do SCAR. Consta também da proposta, um plano completo de mídia elaborado pela equipe de Comunicação e de TV da Fiocruz para dar visibilidade à expedição e às pesquisas realizadas para comunidade científica e sociedade. Para essa experiência, o projeto FioAntar já conta com as colaborações do: Centro Colaborador da OMS para influenza; Wieland Meyer, Universidade de Sydney, Austrália; Universidade da República do Uruguai, Luiz Henrique Rosa, Dep. de Microbiologia, Instituto de Ciências Biológicas, UFMG. E uma vez que a Fiocruz já participa de várias redes internacionais para pesquisa, vigilância e desenvolvimento, acreditamos que a oportunidade de atuar no continente antártico contribua para ampliar a rede de colaborações nacionais e internacionais. Por fim, acreditamos que a participação da Fiocruz no Programa Brasileiro ProAntar irá contribuir para fortalecer e consolidar a qualidade da pesquisa científica brasileira na Antártica, em conformidade com o Artigo IX do Tratado Antártica e para aumentar o protagonismo brasileiro, em particular no “Scientific Committee on Antartic Research (SCAR
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 25/12/2018-31/12/2022
Foto de perfil

Winder Alexander de Moura Melo

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • monopolos magnéticos, skyrmions e vórtices em sistemas nanomagnéticos
  • Pretendemos dar prosseguimento a nossas atividades de pesquisa sobre novos materiais, em especial, sistemas magnéticos nanoestruturados, magnetos quirais, grafeno e isolantes topológicos. Especial atenção será dedicada a excitações coletivas topologicamente estáveis que emergem em tais sistemas. Exemplos de tais pseudo-partículas compreendem os sólitons (dentre outros, os skyrmions) e vórtices comumente observados em magnetos quirais e em nanodiscos magnéticos isotrópicos; modos-zero de energia que emergem em isolantes topológicos, como os induzidos por vórtices magnéticos. Além do mais, nossa intenção será, sempre que possível, colaborar efetivamente com grupos teóricos e experimentais, do Brasil e do exterior, de modo que possamos combinar resultados experimentais e teóricos em nossos artigos. De fato, tal associação tem sido conseguida em boa parte de nossas últimas publicações (mais detalhes no CV-Lattes). Nossa intenção é poder fortalecer ainda mais essa combinação, bem como, inserir estudantes de Graduação e Pós-Graduação em tal ambiente de trabalho, inclusive para que possam ter uma formação teórico-experimental.
  • Universidade Federal de Viçosa - MG - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020