Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Vasco Ariston de Carvalho Azevedo

Ciências Biológicas

Genética
  • uma abordagem integrativa para entender a estrutura, função e dinâmica da protease do hiv: aplicações para projetar novos inibidores
  • Os países Índia, África do Sul e Brasil são amplamente afetados pela epidemia de HIV / AIDS. Embora as terapias de tratamento tenham como alvo várias proteínas do HIV, as proteases são os principais alvos dos medicamentos anti-retrovirais (antiretroviral-ARV). Várias análises experimentais e computacionais foram realizadas para entender a estrutura, função, mecanismo de ação do fármaco, resistência a drogas, e a maioria dos estudos está focada no subtipo B. Pawar et al. (2018) mapeou os dados genotípicos com a estrutura da enzima e propôs um método usando aprendizado de máquina para classificar a resistência à protease do HIV. Eles mostraram que os modelos de aprendizado de máquina treinados com um inibidor poderiam classificar a resistência de outros inibidores com base na similaridade de estruturas químicas. Li et al. (2018) desenvolveram um método de previsão de consenso usando diferentes técnicas de aprendizado de máquina, juntamente com fingerprints e características físico-químicas para discriminar os inibidores e decoys de protease do HIV. Koushi et al. (2018) revelaram as ligações químicas de ligantes com dois resíduos de Asp catalíticos de protease de HIV-1 por cristalografia de neutrões. Pintro e de Azevedo (2017) desenvolveram uma função de pontuação para prever a afinidade de ligação de ligantes com a protease do HIV-1 usando métodos de molecular docking. Zhua et al. (2019) usaram a estratégia conhecida como scaffold-hopping para combinar o inibidor de protease do HIV-1 Darunavir (DRV) e os triterpenóides pentacíclicos para projetar novos compostos. Ghosh et al. (2018) projetaram e sintetizaram uma ampla gama de inibidores de protease excepcionalmente potentes e estruturalmente intrigantes e mostraram propriedades semelhantes a drogas favoráveis. Nosso grupo caracterizou diferentes tipos de mutações para distinguir entre a presença ou ausência da doença (Kulandaisamy et al. 2019), bem como inibidores específicos de mutação (Anoosha et al. 2019). Por outro lado, vários bancos de dados como BindingDB, ChEMBL e The Stanford HIV Drug Resistance Database foram desenvolvidos para moléculas do tipo droga, que incluem inibidores e mutações resistentes a drogas do subtipo B de protease do HIV. No entanto, estes estudos baseiam-se principalmente no subtipo B do HIV-1 e sabe-se que os fármacos / inibidores disponíveis são menos eficazes contra algumas variantes do subtipo C. Um dos pesquisadores, o grupo do Professor Yasien Sayed iniciou o trabalho no subtipo C, focando na superexpressão, purificação e caracterização, bem como a susceptibilidade à droga e capacidade de replicação das variantes da região charneira da protease do subtipo C do HIV-1 (Zondagh et al. 2018, 2019). Portanto, é necessário realizar investigações detalhadas sobre a estrutura e função do subtipo C da protease do HIV, desenvolver bancos de dados e inibidores / fármacos projetados especificamente para as proteases do subtipo C do HIV.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 08/08/2019-31/08/2022
Foto de perfil

Vasco Ariston de Carvalho Azevedo

Ciências Biológicas

Genética
  • estudo da interação de corynebacterium pseudotuberculosis com a célula hospedeira: uma abordagem transcriptômica.
  • A pecuária é um dos setores de maior crescimento da economia agrícola, impulsionado por alta rentabilidade e apoiado por mudanças estruturais e tecnológicas. O crescimento do setor oferece oportunidades de desenvolvimento, redução da pobreza e ganho alimentar. Contudo, um dos fatores limitantes desta atividade é o alto índice de doenças infecciosas que acometem os rebanhos. Essas doenças reduzem a produtividade e a viabilidade dos animais, comprometem as exportações, aumentam os custos e diminuem consideravelmente os lucros (FAO, 2009). Neste contexto, as infecções causadas pela bactéria Corynebacterium pseudotuberculosis apresentam grande relevância na medicina veterinária e sua ocorrência está associada a doenças de considerável impacto econômico, como a linfadenite caseosa (LC). As manifestações clínicas, causada pelo biovar ovis, acomete pequenos ruminantes (ovinos e caprinos) e é caracterizada pela formação de nódulos superficiais, com ocasional comprometimento de tecidos internos. A doença apresenta alta prevalência entre os rebanhos e sua ocorrência afeta diretamente a produção de leite, lã, leva a depreciação da pele, da carne, causa retardo no desenvolvimento, condenação do couro devido a presença de cicatrizes, descarte precoce e morte ocasional dos animais. A progressão da infecção, disseminação e eventual formação dos abscessos dependem principalmente da sobrevivência intracelular do microrganismo em fagócitos. No estágio inicial da infecção, neutrófilos e macrófagos são as principais células envolvidas na resposta imune contra C. pseudotuberculosis. Estas células apresentam um papel crítico na formação inicial de resposta efetora, com posterior formação de granulamos, na tentativa de conter a disseminação da bactéria. O processo de infecção induz uma resposta celular que culmina com alterações de padrões de expressão que podem estar associados a modulação da resposta imune, com manutenção da viabilidade do microrganismo. Contudo, apesar de sua importância crítica, pouco se sabe sobre os determinantes moleculares associados a resposta celular dos macrófagos do hospedeiro à infecção por C. pseudotuberculosis. Nesse contexto, o projeto tem como objetivos analisar, in vitro, o perfil de expressão gênica diferencial de macrófagos de Capra hircus (cabra doméstica), infectados com C. pseudotuberculosis. Em adição, analisar a expressão genica bacteriana no processo de infecção dentro dos macrófagos, utilizando a técnica de sequenciamento de RNA em larga escala (RNA-seq). A abordagem por RNA-seq permitirá o monitoramento e determinação temporal em larga escala dos processos envolvidos nas respostas celulares durante o processo interação patógeno-hospedeiro. Assim, a caracterização das vias envolvidas na modulação da resposta hospedeira e a identificação de potenciais biomarcadores viabilizará o desenvolvimento de estratégias eficazes de controle contra esse importante patógeno.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Velci Queiróz de Souza

Ciências da Saúde

Farmácia
  • utilização de compostos bioativos obtidos de plantas do bioma pampa gaúcho em terapias de desordens decorrentes do envelhecimento.
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal do Pampa - RS - Brasil
  • 23/01/2020-22/01/2025
Foto de perfil

Venerando Eustáquio Amaro

Outra

Ciências Ambientais
  • geotecnologias aplicadas à gestão de recursos hídricos do sistema lacustre do bonfim/rn (sigla geotec-bonfim)
  • No Estado do Rio Grande do Norte (RN) o sistema público de abastecimento de água e esgoto é operado em 155 municípios pela Companhia de Água e Esgoto do Rio Grande do Norte (CAERN) e em 12 municípios pelo Sistema Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), com base em mananciais superficiais e subterrâneos, que estão inerentemente interligados nos aspectos de recarga hídrica. No contexto desse abastecimento estratégico do RN destaca-se a relevância do açude Eng. Armando Ribeiro Gonçalves, na bacia do rio Piranhas-Açu, do qual partem quatro grandes sistemas adutores (Médio Oeste, Serra de Santana, Sertão Central Cabugi e Adutora Jerônimo Rosado) e a Lagoa do Bonfim, localizada no Município de Nísia Floresta no litoral oriental do Estado, que é responsável pelo abastecimento de 30 municípios através do Sistema Adutor Monsenhor Expedito da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMARH-RN) e da CAERN. Esta adutora, de importância basilar no atendimento do Agreste Potiguar com cerca de 35% da população do Estado, vale-se da captação direta no espelho de água da Lagoa do Bonfim e por alguns poços tubulares situados a montante desta. Por conseguinte, tornou-se imprescindível uma gestão dos recursos hídricos consistentes e baseada em instrumentação e ferramentas de alta precisão e acurácia, de baixo custo relativo e que permita o monitoramento contínuo, com opções de vários arranjos temporais, de aspectos qualitativos e quantitativos da qualidade de água e da disponibilidade hídrica da Lagoa do Bonfim, diante do funcionamento de toda a adutora, especialmente durante os prolongados períodos de estiagem. A Lagoa do Bonfim compõe o Sistema Lacustre do Bonfim juntamente com as lagoas de Redonda, Urubu, Boa Água, Arituba, Alcaçuz, Ferreira Grande e Carcará, que constitui uma pequena bacia com um único dreno, o Riacho Boa Cica afluente da margem esquerda do Rio Trairi, com área de aproximadamente 60 km2, todas integradas em aquífero livre. Contudo, é notável nesse sistema lacustre a ausência de rede de drenagens proeminentes, além de destacada influência do controle morfotectônico sobre as formas e arranjo das lagoas, sugerindo elevada taxa de infiltração e pouca influência dos fluxos superficiais para as lagoas. Portanto, todo o sistema lacustre do Bonfim está inserido no Aquífero Dunas-Barreiras (ou apenas Aquífero Barreiras, na ausência de Dunas) entre as bacias hidrográficas dos rios Trairi, ao sul, e Pirangi, ao norte, ambas de contribuição superficial reduzida e configura-se como o maior reservatório de água natural da região litorânea oriental do RN (Pereira et al. 1996, Lucena 1999, Pereira 2007). O sistema lacustre do Bonfim apresenta baixa capacidade reguladora, da ordem de 18.000.000 de m3/ano (Pereira et al. 2000). O Aquífero Barreiras é o principal aquífero da região costeira do Norte e Nordeste do Brasil, estendendo-se desde o Amapá ao Rio de Janeiro (Lucena 1999, Batista et al. 2007, Santos 2013, Zoby & Oliveira 2005). Consequentemente é o maior manancial de água subterrânea do litoral oriental do RN e a principal fonte de abastecimento de água das cidades litorâneas, incluindo a capital Natal (SERHID 1998, 2006). Embora represente uma área de apenas 1,5% do RN, o sistema lacustre do Bonfim atende as necessidades hídricas de cerca de 35% de população do RN (Pereira et al. 2003). Porém, ininterruptamente nota-se o rebaixamento no nível de água na Lagoa do Bonfim, quase 50% de Novembro de 1998 a Julho de 1999, devido ao volume captado para a adutora após o início do bombeamento. Portanto a captação é um fator muito impactante no sistema lacustre do Bonfim (Pereira et al. 2002), juntamente com a ampliação do uso e ocupação dos entornos das lagoas por diversas atividades, que também sugerem a tendência de redução do espelho de água e do volume do manancial superficial de água. Nesse cenário se insere o doravante chamado projeto GEOTEC-BONFIM que servirá como modelo de integração de ferramentas de Geotecnologias Aplicadas à formação de recursos humanos, desde o diagnóstico até o monitoramento de sistemas lacustres e seus entornos, propiciando facilidades operacionais às tomadas de decisões, com métodos e instrumentação integrados ao tratamento de geodados multifontes na gestão sustentável de recursos hídricos na região Nordeste e outras similares.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vera Beatriz Siqueira

Lingüística, Letras e Artes

Artes
  • laboratório de história da arte global
  • A História da Arte Global é tema de destaque na área há algumas décadas. Importa-nos especialmente levantar o problema da abrangência efetiva dessa nova tendência historiográfica, debatendo como, apesar de a arte estar difundida pelo globo terrestre, o conteúdo da História da Arte, tal como é gerado por meio de ensino, mostras e publicações, permanece ainda parcial, centrado na Europa e na América do Norte. Importa também pensar em estratégias inclusivas, que não apenas ampliem o panteão da arte ocidental, mas que enfrentem os problemas da heterocronia e da incomensurabilidade das culturas a partir do Brasil, da arte aqui produzida e de seus processos de historicização e institucionalização. Devido à sua formação e qualificação, e aos vínculos estabelecidos com importantes instituições do Brasil e do exterior, os pesquisadores participantes desse projeto pretendem participar de forma qualificada nos debates atuais sobre a disciplina histórico-artística e, mais especificamente, sobre a perspectiva da História da Arte Global, buscando discutir algumas questões fundamentais: 1. O desenvolvimento de uma História da Arte a partir do Brasil, questionando não apenas o centramento na Europa e nos Estados Unidos, mas também os conceitos que fundamentam a História da Arte ocidental; 2. O entendimento da História da Arte como uma linguagem, uma tática de pensamento, um projeto de compreensão, capaz de articular diferentes quadros culturais, a partir das ideias de fluxo, recepção, comparação, interpretação, entre outras; 3. A compreensão da historicidade da arte como algo que não se restringe ao tempo específico de sua produção, e sim como dado que se renova, a partir de cada nova interpretação, uma vez que o objeto artístico é sempre contemporâneo do historiador da arte e o passado se apresenta como necessariamente mutável e instável; 4. A investigação da arte em sua associação entre a materialidade dos objetos e o fenômeno estético e cultural, buscando extrair do fato artístico a sua emergência histórica e o seu sentido cultural; 5. A compreensão de que a busca por uma História da Arte global não pode significar apenas incluir novos objetos no tradicional panteão ocidental, mas sim, ao fazê-lo, lidar com a potência estética destes, de modo a obrigar o historiador a uma redefinição do processo simbólico da cultura e da própria dinâmica da historicidade; Desse modo, a interpretação histórico-artística é tratada não como algo que se apõe aos objetos e sim como aquilo que os configura: os fatos artísticos são, em si, fatos interpretados, em múltiplas temporalidades e diferentes quadros culturais.
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vera Cascon

Outra

Divulgação Científica
  • xiii fecti –décima terceira feira de ciência, tecnologia e inovação do estado do rio de janeiro
  • O objetivo do presente projeto é a realização da XIII FECTI - Décima Terceira Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado do Rio de Janeiro, organizada pela Fundação CECIERJ, fundação pública de direito público estadual. A Fundação CECIERJ tem como origem o como Centro de Ciências do Estado da Guanabara (CECIGUA), que foi criado em 1965 como o objetivo de “promover a educação científica do povo” , atuando na capacitação de professores, produzindo e distribuindo livros-texto e materiais para os laboratórios das escolas, além de ter realizado feiras de ciências estaduais de 1968 a 1974. A Fundação CECIERJ, comprometida com a difusão e popularização da ciência e com a melhoria do ensino de ciências, retoma a iniciativa de feiras de ciências em 2005 com o estabelecimento do programa FECTI – Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado do Rio de Janeiro, que conta com o apoio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento Social do Rio de Janeiro. A FECTI é a maior feira de ciências do Estado do Rio de Janeiro e tem contado com o auxílio da FAPERJ desde sua primeira versão, em 2005, e das chamadas organizadas pelo CNPq para feiras de ciência e mostras científicas, desde 2010. A participação, gratuita, na FECTI ocorre de duas formas: por inscrição avulsa no site, ou por meio de indicação de feiras afiliadas, que sejam realizadas até o final da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Todos os projetos, mesmo os indicados por feiras afiliadas, necessitam se inscrever na FECTI, enviando um trabalho escrito que será avaliado pela comissão científica da FECTI. Os estudantes de 6º ao 9º ano poderão inscrever seus trabalhos nas categorias Ciências no Ensino Fundamental II- 6º e 7º ano e Ciências no Ensino Fundamental II- 8º e 9º ano; e os estudantes do ensino médio e técnico nas categorias: Ciências Biológicas & da Saúde, Ciências Exatas, Interdisciplinar (para projetos de Arte e Ciência, Sociedade, Ciência e Esporte, Educação e Ensino de Ciências, História da Ciência), ou Desenvolvimento de Tecnologia. Os trabalhos inscritos na FECTI são submetidos a uma pré-seleção realizada pela equipe da Divulgação Científica da Fundação CECIERJ. Nessa pré-seleção, são considerados a originalidade, o cumprimento às normas da FECTI e aos princípios éticos que regem a pesquisa com seres vivos. Os projetos considerados aptos a participar da FECTI são avaliados pelo Comitê Científico, composto por cerca de 130 professores e pesquisadores ligados a instituições de ensino e pesquisa e museus de ciência. A seleção para a mostra da XIII FECTI levará em consideração a qualidade e o número máximo de 180 projetos finalistas. Os trabalhos finalistas serão publicados nos Anais da XIII FECTI: os resumos em mídia impressa e as versões completas em mídia digital. A XIII FECTI será realizada nos dias 23 e 24 de novembro de 2019, no CEFET/RJ, Campus Maracanã, cidade do Rio de Janeiro. Durante o evento, das 10h às 17h, com entrada gratuita, os trabalhos serão apresentados pelos estudantes ao público e à comissão de avaliação. Concomitantemente com a feira, irá ocorrer nas dependências do CEFET/RJ o 2º. Encontro de professores FECTI, para troca de experiências entre professores, com a participação de especialistas em ensino de ciências e dos professores orientadores dos projetos expostos na FECTI. Também serão oferecidas oficinas para formação continuada aos professores, ministradas pelos integrantes da Praça da Ciência Itinerante. Para os estudantes, será realizada a visitação aos laboratórios do CEFET/RJ, uma oportunidade de incentivar esses jovens a seguirem seus estudos, especialmente nas carreiras de ciência e tecnologia. Ao final do evento, os expositores, alunos, professores e suas escolas, receberão o certificado de participação e os vencedores em cada categoria serão premiados. A realização anual da FECTI promove o desenvolvimento no ambiente escolar de projetos de pesquisa, nas diversas áreas de ciência e tecnologia, envolvendo estudantes e seus professores na investigação científica, contribuindo para a melhoria do ensino de ciências e matemática e abrindo caminho para a formação de jovens com um pensamento inventivo e crítico. A realização do evento, aberto e gratuito, permite à população do Estado do Rio de Janeiro o desenvolvimento de uma cultura científica. Assim, além de despertar o gosto de jovens pelas carreiras científicas e tecnológicas, espera-se contribuir para a formação de cidadãos mais críticos e participativos.
  • Fundação Centro de Ciências e Educação Superior à Distância do Estado do RJ - RJ - Brasil
  • 04/12/2018-31/12/2020
Foto de perfil

Vera Cascon

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • xiv fecti - décima quarta feira de ciência, tecnologia e inovação do estado do rio de janeiro
  • O objetivo do presente projeto é a realização da XIV FECTI - Décima Quarta Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado do Rio de Janeiro, organizada pela Fundação CECIERJ, fundação pública de direito público estadual. A realização da feira de ciências estadual FECTI integra as ações executadas pela Fundação CECIERJ, que tem como origem o Centro de Ciências do Estado da Guanabara (CECIGUA), que foi criado em 1965 como o objetivo de “promover a educação científica do povo” , atuando na capacitação de professores, produzindo e distribuindo livros-texto e materiais para os laboratórios das escolas, além de ter realizado feiras de ciências estaduais de 1968 a 1974. A Fundação CECIERJ, comprometida com a difusão e popularização da ciência e com a melhoria do ensino de ciências, retoma a iniciativa de feiras de ciências em 2005 com o estabelecimento do programa FECTI – Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado do Rio de Janeiro, que conta com o apoio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação do Rio de Janeiro. A FECTI é a maior feira de ciências do Estado do Rio de Janeiro e tem contado com o auxílio da FAPERJ desde sua primeira versão, em 2005, e das chamadas organizadas pelo CNPq para feiras de ciência e mostras científicas, desde 2010 A participação, gratuita, na FECTI ocorre de duas formas: por inscrição avulsa no site, ou por meio de indicação de feiras afiliadas, que sejam realizadas até o final da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Todos os projetos, mesmo os indicados por feiras afiliadas, necessitam se inscrever na FECTI, enviando um trabalho escrito que será avaliado pela comissão científica da FECTI. Os estudantes de 6º ao 9º ano poderão inscrever seus trabalhos nas categorias Ciências no Ensino Fundamental II- 6º e 7º ano e Ciências no Ensino Fundamental II- 8º e 9º ano; e os estudantes do ensino médio e técnico nas categorias: Ciências Biológicas & da Saúde, Ciências Exatas, Desenvolvimento de Tecnologia, Interdisciplinar (para projetos de Arte e Ciência, Sociedade, Ciência e Esporte, Educação e Ensino de Ciências, História da Ciência), Os trabalhos inscritos na FECTI são submetidos a uma pré-seleção realizada pela equipe da Divulgação Científica da Fundação CECIERJ. Nessa pré-seleção, são considerados a originalidade, o cumprimento às normas da FECTI e aos princípios éticos que regem a pesquisa com seres vivos. Os projetos considerados aptos a participar da FECTI são avaliados pelo Comitê Científico, composto por cerca de 160 professores e pesquisadores ligados a instituições de ensino e pesquisa e museus de ciência. A seleção para a mostra da XIV FECTI levará em consideração a qualidade e o número máximo de 200 projetos finalistas. Os trabalhos finalistas serão publicados nos Anais da XIV FECTI: os resumos em mídia impressa e as versões completas em mídia digital. A XIV FECTI será realizada nos dias 4 e 5 de dezembro de 2020, no CEFET/RJ, Campus Maracanã, cidade do Rio de Janeiro. Durante o evento, das 10h às 17h, com entrada gratuita, os trabalhos serão apresentados pelos estudantes ao público e à comissão de avaliação. Concomitantemente com a feira, irá ocorrer nas dependências do CEFET/RJ o 4º. Encontro de professores FECTI, para troca de experiências entre professores, com a participação de especialistas em ensino de ciências e dos professores orientadores dos projetos expostos na FECTI. Também serão oferecidas oficinas para formação continuada aos professores, ministradas pelos integrantes da Praça da Ciência Itinerante. Para os estudantes, será realizada a visitação aos laboratórios do CEFET/RJ, uma oportunidade de incentivar esses jovens a seguirem seus estudos, especialmente nas carreiras de ciência e tecnologia. Ao final do evento, os expositores, alunos, professores e suas escolas, receberão o certificado de participação e os vencedores em cada categoria serão premiados. A realização anual da FECTI promove o desenvolvimento no ambiente escolar de projetos de pesquisa, nas diversas áreas de ciência e tecnologia, envolvendo estudantes e seus professores na investigação científica, contribuindo para a melhoria do ensino de ciências e matemática e abrindo caminho para a formação de jovens com um pensamento inventivo e crítico. A realização do evento, aberto e gratuito, permite à população do Estado do Rio de Janeiro o desenvolvimento de uma cultura científica. Assim, além de despertar o gosto de jovens pelas carreiras científicas e tecnológicas, espera-se contribuir para a formação de cidadãos mais críticos e participativos.
  • Fundação Centro de Ciências e Educação Superior à Distância do Estado do RJ - RJ - Brasil
  • 07/01/2020-31/01/2021
Foto de perfil

Vera Lúcia Bueno Fartes

Ciências Humanas

Educação
  • "saberes profissionais": gênese e apropriações do conceito. perspectiva crítico-comparada brasil portugal.
  • A pesquisa tem como objeto o estudo do conceito de saberes profissionais, considerando sua gênese e apropriações em perspectiva comparada Brasil-Portugal, tendo como padrão de comparação os trabalhos realizados no Projeto SARTPRO (Saberes, Autonomias e Reflexividade no Trabalho Profissional no Terceiro Sector), desenvolvido no Centro de Investigação e Intervenção Educativas (CIIE), da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto (FPCEUP), por considerarmos que esse projeto, pela amplitude e pioneirismo da investigação, foi, dentre os que conhecemos, o que mais avançou nos estudos sobre os saberes profissionais.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Vera Lúcia da Silva Valente Gaiesky

Ciências Biológicas

Genética
  • biologia evolutiva de espécies de drosophilidae: múltiplas abordagens
  • A formação em paralelo de Zoólogos e Geneticistas aptos para capazes de interagirem na solução de problemas taxonômicos e evolutivos, (principalmente da enorme e ainda desconhecida fauna de Dípteros brasileiros), tem sido uma meta de nosso laboratório já há várias décadas. Ao longo deste percurso, atuando junto aos Programas de Pós Graduação em Biologia Animal e em Genética e Biologia Molecular da UFRGS e anteriormente no PPG Biodiversidade Animal da UFSM, formamos profissionais altamente qualificados nas duas áreas, e muitos dos egressos seguem interagindo em suas diferentes instituições (UFPe, UFPel, UFSC, UNILA, FURG, UNIPAMPA, UFSM, UNISINOS, FEEVALE, URI), inclusive no exterior. As metodologias usadas para os trabalhos de campo foram semelhantes nos estudos feitos nos Biomas Pampa e Mata Atlântica, em ambientes nativos, transicionais e até urbanos, de forma que os resultados puderam gerar um robusto conjunto de dados, comparáveis com os de outros Biomas, como a Caatinga, por exemplo. No período de realização do presente projeto, finalizaremos as análises moleculares e estatísticas para concluirmos as redações de pelo menos mais cinco artigos dos Doutorandos pelos dois Programas de Pós Graduação que continuam atuando nos subprojetos, como voluntários e como Pós Doutorado Junior do CNPq (seis Doutorados defendidos no período, três Mestrados e três Iniciações Científicas). A importância da formação de pesquisadores capazes de trabalharem em equipes multidisciplinares pode ser atestada em nosso CV Lattes, onde constam muitos estudos de taxonomia, genética e evolução e seus resultados foram publicados e reconhecidos por pesquisadores de ambas as áreas do conhecimento (25 entre 2014 e 2018/I e dois Capítulos de livros). Neste contexto, a atual proposta pretende ampliar as abordagens da nossa linha de pesquisa, lançando mão de novas metodologias e formando pesquisadores de áreas afins, unindo as suas respectivas expertises em prol do conhecimento da riquíssima fauna de Drosophilidae e de suas estratégias adaptativas, através de suas bases genéticas.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vera Lúcia de Moraes Huszar

Ciências Biológicas

Ecologia
  • controle de florações de cianobactérias em sistemas aquáticos tropicais : estudos em mesocosmos
  • O controle da eutrofização e mitigação das florações nocivas de cianobactérias são considerados desafios-chave para o gerenciamento da qualidade da água. Nesse contexto, o controle da disponibilidade de fósforo (P) é crucial e deve visar à redução acentuada tanto de aportes externos quanto do estoque interno de P. O estoque interno de P está presente na coluna d’água e no sedimento e pode ser controlado por diversos métodos de remoção de P. Estes métodos incluem a tradicional aplicação de coagulantes a base de alumínio ou de ferro e, mais recentemente, a cobertura do sedimento com adsorventes de P em fase sólida, os quais são principalmente argilas modificadas. “Flock and Lock” é uma técnica recentemente desenvolvida que combina a aplicação de uma baixa dosagem de coagulante com um adsovente de P. Este método não só remove as frações dissolvida (fosfato) e particulada de P (cianobacteria) da coluna d’água, mas também aborda a carga interna, impedindo a liberação de P do sedimento. Esta técnica foi aplicada com êxito em dois lagos holandeses, mas não foi testada em sistemas tropicais. Nosso grupo de pesquisa vem desenvolvendo estudos experimentais em escala de laboratório com o uso combinado de coagulantes e absorventes P. Os resultados demonstraram que esta é uma técnica eficiente para sedimentar cianobactérias e, portanto, promissora na remediação de sistemas brasileiros eutróficos. Este projeto visa testar a eficácia e aplicabilidade da técnica Flock & Lock em uma escala maior (mesocosmos), utilizando combinações de coagulante e absorvente de P em fase sólida para o controle da eutrofização e mitigação de florações de cianobactérias em diferentes tipos de água. Serão estudados dois ambientes: uma lagoa costeira salobra (Lagoa de Jacarepaguá) e um reservatório de água doce (reservatório do Funil), ambos com longo histórico de florações de cianobactérias e que vem sendo estudados pelo nosso grupo de pesquisa há alguns anos. Para contemplar as diferenças sazonais, os experimentos serão realizados nas estações seca e chuvosa. Em cada ambiente serão instalados mesocosmos cilíndricos, conectados com o sedimento, que receberão diferentes tratamentos (combinações de coagulantes e de absorventes de P) e serão monitorados por cerca de três semanas. Esta proposta irá contribuir significativamente para o desenvolvimento do campo de restauração de ecossistemas aquáticos no Brasil. Até o momento a expertise e experiência no controle e mitigação da eutrofização e das florações de cianobactérias em águas superficiais brasileiras é ainda limitada. Nossa proposta está associada ao projeto de cooperação internacional CAPES, Brasil-NUFFIC, Holanda “Cyanobacterial Blooms in a Changing World” (No 004/2012) e ao projeto Pesquisador Visitante Estrangeiro no âmbito do Program Ciência sem Fronteiras (CNPq 400408/2014-7), ambos em andamento. Além disso, ele irá fortalecer a capacidade científica e experiência de cientistas brasileiros que trabalham em cianobactérias, aprofundando assim o intercâmbio acadêmico com pesquisadores da Universidade de Wageningen (Holanda). A inovação deste projeto é que ele entregará para as autoridades responsáveis pelo gerenciamento das águas, um conjunto de medidas de relativamente baixo custo, fácil aplicação e resposta rápida para o controle de florações nocivas de cianobactérias em corpos d’agua rasos ou profundos de águas doces ou salobras. Como não foi possível anexar a produção relacionada de membros não brasileiros da equipe, nós incluimos aqui a produção do Dr. Miquel Lürling.: Waajen, G., F. van Oosterhout, Lürling, M. Geo-engineering experiments in two urban ponds to control eutrophication. Water research v. x, p. 00-00, 2015. Lürling, M., Waajen, G., van Oosterhout, F. 2014. Humic substances interfere with phosphate removal by lanthanum modified clay in controlling eutrophication. Water Research 54: 78-88. Lürling, M., Oosterhout, F.V. 2013. Controlling eutrophication by combined bloom precipitation and sediment phosphorus inactivation. Water Research 47, 6527-6537.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Vera Lúcia Dias Siqueira

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • polimixina b em enterobactérias multirresistentes: avaliação proteômica e molecular da resistência e ação combinada com novas substâncias derivadas do (-)-canfeno.
  • O aumento de infecções causadas por bactéria multirresistentes, especialmente Enterobacteriaceae resistentes aos carbapenêmicos (ERC), associado à lentidão no desenvolvimento de novos antimicrobianos, levou ao aumento do uso das polimixinas em todo o mundo como uma última opção terapêutica. Entretanto, relatos de isolados resistentes às polimixinas estão em ascensão, sobretudo em algumas espécies de ERC, o que dificulta extremamente o tratamento de pacientes com infecções por estes multirresistentes. Os mecanismos de resistência às polimixinas, embora normalmente associados a modificações da estrutura da membrana externa bacteriana, ainda não estão totalmente definidos. Esperando contribuir para o tratamento e controle de infecções por ERCs resistentes à polimixina o presente estudo tem por objetivo caracterizar os mecanismos de resistência à polimixina B em ERC, sob abordagem molecular e proteômica, bem como avaliar a ação inibitória sinérgica entre polimixina B e tiossemicarbazida ou tiossemicarbazonas derivadas do (-)-canfeno sobre isolados de ERC. Este projeto terá a participação de um grupo de pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento da Universidade Estadual de Maringá e Universidade Tecnológica Federal do Paraná, preocupados e envolvidos com estudos relacionados à resistência bacteriana e síntese química de novas substâncias com possível ação antibacteriana, empregando metodologias de alto padrão tecnológico e científico. Esta proposta está embasada em resultados preliminares obtidos por este grupo de pesquisadores, que mostraram importante ação inibitória bacteriana de algumas substâncias obtidas sinteticamente a partir do (-)-canfeno. A realização do presente projeto contribuirá para a consolidação do grupo de pesquisa e os resultados obtidos poderão fornecer inclusive importantes descobertas em relação à prováveis alvos, em ERC, para ação antimicrobiana de novas substâncias químicas.
  • Universidade Estadual de Maringá - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vera Lucia Doyle Louzada de Mattos Dodebei

Ciências Sociais Aplicadas

Ciência da Informação
  • vestígios da informação-memória: sobre o efêmero, resíduos e recicláveis digitais
  • Estuda-se o fenômeno da informação-memória na web, com ênfase nos efeitos ecológicos da circulação de narrativas que são produtos da dinâmica de trocas no meio ambiente. A representação metafórica de ' Ciclo de Vida’ é aplicada aos objetos digitais, considerando textos, imagens, sons, em seus estágios processuais: produção, seleção, organização, assimilação/ dissolução/ possibilidade de (re) uso. Os excessos de memória e seus vestígios também serão estudados em bancos de dados digitais. Arqueologia e Reciclagem como método e ação, respectivamente, na descoberta e transformação dos vestígios memoriais, serão considerados como possibilidades metodológicas. Por fim, a representação gráfica dos conceitos e suas relações que conformam esse novo campo de estudos será construída, o que esperamos possa permitir a visualização de indícios de ‘persistência aurática’ ou de reciclagem para os objetos digitais.
  • Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Vera Lucia Gaspar da Silva

Ciências Humanas

Educação
  • objetos para consumo da escola: o que dizem as exposições universais, os museus pedagógicos e as leis da obrigatoriedade escolar
  • A composição material da escola dedicada à infância têm se afirmado como uma das chaves de leitura para se compreender tanto sua difusão, quanto os diferentes projetos políticos que a envolvem. Já temos acumulado uma significativa produção na área que permite afirmar que, ainda que se tenha difundido uma proposta de escola de caráter comum em itens como organização administrativa, formação de professores e conteúdos curriculares, a operacionalização dos projetos dá-lhes constituição material diferente, particularmente em função do público a que se destina. Neste estudo ajustamos as lentes para focar nos anos finais do século XIX e iniciais do século XX, buscando identificar em acontecimentos deste período, indícios que ajudem a alargar a compreensão sobre a constituição deste nível de escolarização e sua difusão, particularmente no que diz respeito a composição material. Para fazê-lo serão tomadas como balizas: as Exposições Universais deste período nos conteúdos que afetam a escolarização, a organização e composição dos Museus Pedagógicos e as Leis de Obrigatoriedade Escolar. Definidas as balizas que, de certo modo, apoiam uma interpretação sobre a escolarização da infância, optou-se por explorar um conjunto de fontes que, de algum modo a elas se articulam. Serão considerados neste estudo relatórios de educadores brasileiros e estrangeiros que circularam nas Exposições Universais por diferentes vias, Manuais Pedagógicos destinados a preparação e/ou formação de professores para atuarem na escola primária e documentação e estudos que tratem das leis de obrigatoriedade escolar. Com o apoio das fontes e da literatura da área que vem se dedicando ao tema, pretende-se dar certa inteligibilidade aos debates e representações sobre a provisão material da escola. São debates que indiciam não só sobre um modelo de escola mas, também, sobre um ideal de escolarização. A inserção da escola na vida social vem acompanhada de demandas e organiza novos processos. Por um lado a indústria e a urbanização emergentes impõem novos modos de organização social, por outro esta organização reclama certa racionalidade que acaba por também atravessar a constituição da escola. Nesta relação tanto a escola afeta o desenvolvimento tecnológico como é por ele afetada e a presente proposta buscará trabalhar considerando este "duplo movimento".
  • Universidade do Estado de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vera Lúcia Gil da Silva Lopes

Ciências da Saúde

Medicina
  • investigação etiológica em casos selecionados de fendas orais sindrômicas
  • A implantação de Bases de Dados é tendência mundial para reconhecimento epidemiológico e seu impacto – individual e coletivo – na prevenção, diagnóstico e tratamento. A Base Brasileira de Anomalias Craniofaciais (BBAC) coleta informações sociodemográficas, genéticas e realiza o seguimento clínico de anomalias craniofaciais, sendo que as fendas orais têm contribuição principal. Este projeto objetiva investigar etiologia de quadros sindrômicos incomuns que apresentam fendas orais como sinal cardinal por meio de Sequenciamento de Nova Geração (Next Generation Sequencing - NGS). Os casos foram selecionados a partir de um conjunto de 2000 indivíduos registrados na BBAC. Cada caso apresenta fenótipo único e esporádico, com suas histórias naturais detalhadas e exames prévios de análise cromossômica em microarranjos (Chromosomal Microarray Analysis - CMA) sem alterações patogênicas; as respectivas revisões de literatura não apontam para diagnóstico específico, sugerindo tratarem-se de novas condições clínicas. A partir de DNA total, será realizado sequenciamento de exoma do propósito, seguido de algoritmo de análise desenvolvido para anomalias craniofaciais pela Universidade de Nijmegen (Holanda), instituição que atuará em cooperação científica neste estudo. A confirmação laboratorial, assim como a investigação de genitores também está prevista. Como resultados científicos, além da formação de recursos humanos para interpretação de NGS com foco em anomalias craniofaciais, prevê-se caracterização clínica e etiológica de novos quadros sindrômicos com fendas orais e respectivas histórias naturais, facilitando o manejo clínico, e o reconhecimento da participação destas entre os quadros existentes na população brasileira. Estes serão parte de dados divulgados pela BBAC e pela Brazilian Initiative on Precision Medicine (BIPMed). Prevê-se, após a investigação laboratorial, a transmissão dos resultados às famílias.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vera Lúcia Jacob Chaves

Ciências Humanas

Educação
  • financeirização do ensino superior privado no brasil: novas estratégias de inserção do capital estrangeiro
  • Este projeto, com o título “Financeirização do ensino superior privado-mercantil no Brasil: novas estratégias de inserção do capital estrangeiro” dá continuidade a pesquisa que está sendo concluída sobre as implicações para a educação superior brasileira da nova estrutura do setor privado-mercantil no contexto da concentração de capital, de sua oligopolização e de financeirização do setor, com ampliação e aprofundamento dos dados, em função dos resultados alcançados e da identificação de outras formas de inserção do capital estrangeiro na educação superior brasileira. O objetivo central é o de investigar as implicações da inserção de empresas estrangeiras com fundos de capital aberto, como a Laureate Education e a Wyden Educacional (ex-DeVry), na desnacionalização educação superior brasileira. Pretende-se analisar a forma de inserção dessas empresas na educação superior do país, as fontes de financiamento utilizadas, a atuação na oferta de cursos de graduação a distância, o modelo de gestão adotado e as implicações para o trabalho docente. Metodologicamente far-se-á uso de dados quantitativos e qualitativos conforme cada etapa de desenvolvimento da pesquisa.
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vera Lucia Menezes de Oliveira e Paiva

Lingüística, Letras e Artes

Lingüística
  • lalintec: um ecossistema de produção e divulgação de pesquisas em linguagem e tecnologia.
  • Tomando o conceito de ecossistema como metáfora, pretendemos criar um ecossistema de Informações sobre Linguagem e Tecnologia, promovendo interação entre pesquisadores, realizando pesquisa em conjunto com colegas de outras Instituições e divulgando os resultados de pesquisa por meio de textos e vídeos. O ponto central de um sistema ecológico é a interconexão, o fato de estarmos constantemente engajados em interações com outros elementos em nosso ecossistema, formando um todo dinâmico e complexo. Assim, pretendemos equipar o espaço físico do laboratório Lalintec de forma a ter uma presença virtual que propicie uma interação estreita e recíproca com a comunidade de pesquisa em linguagem e tecnologia. Orientamos-nos pela perspectiva da complexidade, entendida “como princípio articulador do pensamento, como um pensamento integrador que une diferentes modos de pensar, que permite a tessitura comum entre sujeito e objeto, ordem e desordem, estabilidade, movimento, professor e aluno e todos os tecidos que regem os acontecimentos, as ações e interações que tecem a realidade da vida" (MORAES, 2008, p. 21). O que nos une neste projeto, além da noção de ecossistema, são conceitos como os de inovação, criação de redes, compartilhamento, ampliação de espaços de aprendizagem e autonomia na aprendizagem. Inovação, segundo Justesen (2004) não se refere apenas a novas ideias, mas também à exploração e à difusão dessas novas ideias. Para ajudar na difusão de inovação em linguagem e tecnologia, precisamos ter em mente os cinco fatores que definem a velocidade dessa difusão, propostos por Rogers (2003). São eles: 1. Vantagem relativa: o valor que a inovação traz em comparação ao que já existia. 2. Compatibilidade: o esforço necessário para a transição para o novo. 3. Complexidade: o esforço de aprendizagem para aplicar a inovação. 4. Testagem: a facilidade para se testar a inovação. 5. Observabilidade: a visibilidade dos resultados da inovação. Outro conceito importante para este projeto é o conceito de redes. As redes são essenciais para que existam compartilhamento de conhecimentos, ampliação de espaços de aprendizagem e fomento à autonomia de aprendizagem. Ao criar um ecossistema, colocando em rede pesquisadores e alunos difundindo resultados de pesquisa sobre linguagem e tecnologia e estudos sobre ferramentas e aplicativos para ensino de línguas, estaremos não apenas divulgando novos conhecimentos, mas, também, gerando oportunidades de novas combinações de conhecimentos já existentes. Criaremos um ecossistema que gere e divulgue pesquisas, que fomente a adoção de inovações em atividades de ensino e extensão que, por sua vez, alimentarão com dados novas pesquisas em um fluxo contínuo que manterá o sistema vivo, sempre em evolução. Para coletar as informações catalogadas sobre pesquisa em linguagem e tecnologia, utilizaremos o portal de periódicos da CAPES e as bibliotecas de tese. Essas informações serão organizadas por temas e ficarão disponíveis no site do Laboratório Lalintec. Para identificar quais são as ferramentas mais utilizadas no Brasil e no exterior, serão criados dois surveys: o primeiro, em português, será aplicado a alunos do projeto Ingrede e a professores associados à ALAB (Associação de Linguística Aplicada do Brasil) e à ABRAPUI (Associação Brasileira de Professores Universitários do Brasil) e geradas estatísticas. O survey será também divulgado no Twitter e no Facebook. O segundo, em inglês, será enviado para colegas no exterior, solicitando sua colaboração no intuito de divulgar o survey para outros colegas. Será enviado também para a associação CALICO e EuroCALL, com as quais mantemos parceria. Os resultados dos surveys serão comparados e divulgados no site do projeto e nas redes sociais. Será feito também um vídeo para divulgar os resultados no canal no Youtube. As ferramentas mais citadas serão avaliadas usando como critérios os fatores de difusão de inovação. As avaliações serão publicadas no site e serão, também, criados tutoriais em vídeo e em e-books. Os vídeos serão divulgados no canal a ser criado no Youtube e os e-books no site do projeto. Novas práticas pedagógicas serão pilotadas em cursos e seus dados gerarão artigos que serão submetidos a periódicos abertos. Toda a produção da equipe será publicada na página com links para os locais de publicação. As entrevistas com pesquisadores em linguagem e tecnologia serão feitas de duas formas. Sempre que houver oportunidade, vamos entrevistá-los e gravar os vídeos no laboratório Lalintec. Enviaremos também perguntas por email e solicitaremos a gravação de vídeos que, posteriormente, serão publicados no Youtube. Como alternativa aos vídeos, usaremos também a gravação de podcasts.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Vera Lúcia Nogueira

Ciências Humanas

Educação
  • o império das minas gerais: relações entre política, poder, educação e cultura na administração dos negócios da província (1834-1889)
  • Este Projeto tem como tema as políticas para a educação e instrução públicas na Província de Minas Gerais compreendidas a partir da relação estabelecida com a política do Governo imperial. O objetivo geral é analisar as relações que se estabeleceram entre a província de Minas Gerais e o Governo Central de modo a compreender os possíveis impactos da composição e da atuação do segundo escalão da burocracia imperial – a presidência – na administração dos negócios da Província, em especial, no âmbito das ações voltadas para a educação no período de 1834 a 1889. O estudo da província fundamenta-se nos estudos historiográficos que elegeram “o regional” como importante eixo teórico-metodológico na produção da pesquisa e no ensino de história da educação. O Projeto busca contribuir para o preenchimento das lacunas relativas às estratégias governamentais voltadas para a promoção da instrução pública primária na província de Minas Gerais, compreendida como parte integrante do processo de organização do próprio Estado Nacional, na qual repercutiam as consequências das vicissitudes dos interesses políticos e sociais das elites que estavam à frente da condução desse processo. Entende-se que a realização de pesquisas com distintos objetos e pesquisadores com diferentes formações organizados em torno de um interesse comum, poderá ampliar o conhecimento histórico sobre os processos educativos desenvolvidos em Minas Gerais no século XIX. As fontes principais são os ordenamentos jurídico normativos do Executivo e Legislativo, disponibilizados na Coleção Leis e Decretos Mineiros; os Anais da Assembleia Legislativa e do Senado Imperial e os principais jornais que circularam no país, no período. A partir dos referenciais teóricos da História Cultural e da História Política serão adotados a prosopografia e a análise do discurso político na interpretação e análise dos dados. Espera-se contribuir com a produção de conhecimento histórico educacional sobre o processo de escolarização no Império e sobre os desafios enfrentados pelo Governo na organização da escola pública brasileira. E também sistematizar e interrogar conceitos, argumentos e intencionalidades presentes em discursos e ações relativos à formulação e à condução das políticas que atribuíram à educação o lugar de instância mediadora dos processos de construção da sociedade imperial, na perspectiva da racionalização de manifestações culturais diversificadas, da instrução, civilização e da educação dos corpos.
  • Universidade do Estado de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Vera Lúcia Pasini

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • residências multiprofissionais em saúde: onde estão os profissionais egressos e que dispositivos de cuidado em saúde mental estão produzindo?
  • No Brasil, as formações multiprofissionais em serviço (no formato de Residências em Saúde) já se constituem como uma possibilidade para diferentes profissões, além da Medicina, desde o final dos anos 70, especialmente no Rio Grande do Sul. Entretanto, somente após a constituição da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES), a implantação de Programas de Residência Multiprofissional em Saúde (RMS) é estimulada em âmbito nacional, como parte da Política de Educação Permanente em Saúde/EPS, visando à ampliação da formação para todas as profissões da saúde. Os Programas de RMS propõem-se a formação de trabalhadores da saúde preparados para o compartilhamento de saberes e fazeres em diferentes espaços de cuidado em saúde, através do desenvolvimento de ações integradas com outros profissionais e capazes de articular atenção em saúde e gestão do cuidado e de serviços de saúde. Além disso, espera-se dos egressos, que estejam atentos ao cotidiano dos territórios nos quais estejam inseridos, podendo problematizá-lo e produzir conhecimentos e ações de promoção que modifiquem as condições de vida e de saúde em um determinado contexto, conforme preconizam os princípios que regem o atual sistema de saúde brasileiro. Passados cerca de 12 anos desde o início do processo de maior fomento a criação de novos Programas de Residência Multiprofissional por parte dos Ministérios da Saúde e Educação brasileiros, e tendo em vista o incremento financeiro previsto para os próximos anos, entendemos ser de fundamental relevância buscar conhecer se e como estes profissionais estão se inserindo no mundo do trabalho em saúde. Analisar os efeitos produzidos pelo processo de formação nas RMS para a qualificação dos trabalhadores do SUS (Sistema Único de Saúde), é fundamental para o avanço nos esforços promovidos pelos Ministérios da Saúde e da Educação, bem como das instituições formadoras, para a consolidação de Políticas de fomento às propostas de formação que fundamentem-se na educação em serviço. Orientadas pelo trabalho em equipe na perspectiva interprofissional, é de especial interesse desse projeto: conhecer onde estão se inserindo os profissionais egressos de programas que tem como cenários de formação a Atenção Básica e a Saúde Mental e a produção de dispositivos de cuidados em saúde mental que possam estar sendo agenciados por eles. Esta análise pode fornecer elementos para a gestão, formulação e implementação dos programas, permitindo a compreensão de como estão se constituindo as relações de/com o trabalho (com as equipes, usuários e gestores) a partir das relações e ações que os egressos estabelecem após concluírem um Programa de RMS. Assim, o problema de pesquisa deste projeto remete as seguintes questões: que possíveis efeitos, nos modos como os profissionais se inserem nos equipamentos de saúde, tem se produzido após uma formação em RMS? Tem se produzido mudanças no sentido de seu olhar e na abordagem dos processos de adoecimento, da implicação com o projeto da atenção integral dos indivíduos e coletivos, do exercício do trabalho em equipe, da articulação entre atenção, gestão, educação e controle social, como preconiza a atual Política Nacional de Formação em Saúde? Em suma: quais os efeitos sobre as ações de cuidado em saúde mental podem ser visibilizados a partir da inserção de egressos de RMS em estabelecimentos de saúde? Este projeto pretende discutir a questão da formação de trabalhadores de saúde na perspectiva da saúde coletiva, mais especialmente daqueles egressos de Programas de Residência Multiprofissional e em Área Profissional da saúde, buscando integrar as dimensões da pesquisa, do ensino e da extensão. Para tanto, a metodologia inclui as ações da pesquisa propriamente dita, com a produção teórica baseada no estudo empírico a ser realizado junto aos egressos dos Programas de Residência e gestores locais de serviços de saúde; ações de ensino, na medida em que se pretende articular a temática da pesquisa ao processo de formação dos acadêmicos do Curso de Psicologia, na disciplina Psicologia e Saúde Coletiva; ações de extensão, na proposição de que os alunos acompanhem os processos de gestão dos programas de Residência estudados (preferencialmente aqueles desenvolvidos em Porto Alegre e região Metropolitana). Esta é uma pesquisa exploratório/descritiva, na qual será utilizada metodologia mista, com levantamento e análise de elementos quantitativos e elementos qualitativos e será desenvolvida através de quatro procedimentos metodológicos. São eles: formulário com questões relacionadas aos objetivos da pesquisa, a ser respondido via e-mail ou carta pelos residentes egressos de programas de RMS que concluíram seus processos de formação no período compreendido entre 2005 e 2014; entrevista com gestores de serviços de saúde nos quais os residentes egressos estão inseridos; observação participante da rotina de trabalho de egressos das RMS, acompanhando um turno de seu trabalho, se possível acompanhando todas as atividades realizadas naquele período (atendimento individual de usuários, atendimento no leito, realização de exames ou procedimentos terapêuticos ou diagnósticos, realização de atividades de promoção de saúde, Visitas Domiciliares, Reuniões entre os componentes da equipe, reunião com gestores, entre outras); grupos de discussão com os profissionais egressos de programas de Residência Multiprofissional. A análise dos elementos emergentes contará com uma análise descritiva dos elementos quantitativos contidos no primeiro instrumento e análise de núcleos argumentais dos discursos emergentes das entrevistas e grupos de discussão realizados com residentes e gestores.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Vera Lucia Silveira Botta Ferrante

Ciências Humanas

Sociologia
  • construindo elos entre agroecologia e comunidades rurais: desafios da relação entre ensino, pesquisa e extensão
  • A presente solicitação visa dar continuidade às ações do NUPEDOR voltadas à problemática da agricultura familiar e de assentamentos rurais, e às diferenciadas e integradas pesquisas realizadas na região central do Estado de São Paulo. A proposta é integrar ações entre ensino, pesquisa e extensão, levando-se em conta a trajetória acadêmica sobre assentamentos rurais. A metodologia toma como parâmetros princípios da pesquisa-ação com a realização de diagnósticos participativos, dias de campo, capacitações, desenvolvimento tecnológico e experimentações em áreas demonstrativas, a reforçar a continuidade proposta de diálogo e interação com as comunidades investigadas. Os principais resultados esperados são a manutenção e o fortalecimento de grupos produtivos comprometidos com os princípios da produção e da comercialização de base ecológica. Preconiza-se também formar uma rede de consumidores interessados nesses produtos, como a formalização de Comunidade que Sustenta a Agricultura (CSA), bem como avançar na sistematização e efetivação de cadeias alternativas de comercialização voltadas à segurança alimentar e nutricional. Como potencial de impacto dos resultados no âmbito técnico-científico, ambiental, socioeconômico, da inovação e difusão, tem-se: manutenção de áreas experimentais, validação de práticas produtivas, consolidação de parcerias com outros cursos da Universidade, aprofundamento de estudos das diferentes frentes de trabalho, articulação com projetos de outras instituições; resultados positivos no campo das políticas públicas existentes (de produção, comercialização e distribuição de alimentos; de inspeção municipal e educação do campo); intercâmbio de práticas produtivas; orientação alimentar e melhorias das condições de saúde no meio rural; fortalecimento e estímulo ao desenvolvimento associativo e cooperativo; e promover a implantação de práticas produtivas de caráter conservacionista dos solos e melhoria da qualidade da água.
  • Universidade de Araraquara - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vera Maria dos Santos

Ciências Humanas

Educação
  • a ordem civilizatória portuguesa: capitania de sergipe del rey – xviii ao xix
  • Sob a atmosfera da circulação do saber e da civilização, esse projeto se propõe é compreender os modelos de instrução elementar que vigoraram na Capitania de Sergipe Del Rey, do século XVIII ao XIX, A hipótese que norteia essa pesquisa é a de que essa Capitania não teve um número tão reduzido de pessoas que tiveram acesso ao saber ou à instrução ou às primeiras aprendizagens, como afirma a historiografia sergipana. O saber circulou na Capitania de Sergipe Del Rey, através dos projetos de colonização/instrução impostos pelo reino português. Para desenvolver esse objetivo inicialmente é preciso buscar as fontes que são as bibliográficas, ou seja, a própria historiografia sergipana e os diversos documentos como inventários, testamentos, livros de testamentos, livros de notas, entre outros que estão no Arquivo Público Estadual e Arquivo Judiciário de Sergipe, Arquivo Público do Estado da Bahia, Arquivo Nacional, Arquivo Ultramarino em Portugal. Depois de feito esse levantamento, se faz necessário catalogar as fontes existentes sobre o período, que evidenciem a colonização/instrução elementar dos habitantes da Capitania de Sergipe Del Rey. É preciso também, fazer a transcrição e análise dos documentos. Para recompor essa história utiliza-se o método indiciário de Carlo Ginzburg (1989a), que examinou um conjunto, denominado por ele de modelo conjuntural para a construção do conhecimento. Esse autor sustenta a ideia de utilização de pistas obscuras de um modo especulativo para construir um modelo epistemológico calcado em nossa herança cultural. O debate teórico desenvolve-se a partir do diálogo com os autores: Brugger (2007), Faria (2008), Silva (1998), Fonseca (2009), Andrade (1982), Moreira (2008), Oliveira (2007), Silva (2012). Dois conceitos embasam essa discussão: instrução elementar (Santos, 2011) e o de civilização de Norbert Elias (1990) e de Starobinski (2001). Sob o aporte teórico da Nova História Cultural esta pesquisa vai desembaraçando o emaranhado de fios que formam a malha textual dos diálogos de uma época dentro dos quais o vivido se articula, deixando desse modo, aflorar o palpitar das relações humanas.
  • Universidade Tiradentes - SE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022