Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Silvia Eloiza Priore

Ciências da Saúde

Nutrição
  • fatores associados à deficiência de iodo na população rural
  • O iodo é um micronutriente essencial para o organismo humano, e é utilizado para a síntese de hormônios tireoidianos. Estes hormônios desempenham papéis importantes, pois atuam no crescimento físico e neurológico e na manutenção do fluxo normal de energia. Populações que vivem em áreas deficientes em iodo apresentam maior risco de desenvolver distúrbios causados pela deficiência desse mineral, e cujo impacto sobre os níveis de desenvolvimento humano, social e econômico são muito graves. A Pesquisa Nacional para Avaliação do Impacto da Iodação do Sal (PNAISAL) realizada com escolares com idade entre seis e 14 anos, detectou maior prevalência de deficiência de iodo em escolares do meio rural, cerca de 14,1% contra 8,1% de escolares da área urbana. Ademais, poucos estudos abordam a prevalência de deficiência de iodo na população acima dos 20 anos de idade. Neste sentido, este estudo tem o objetivo de analisar os fatores associados à deficiência de iodo na população adulta e idosa do meio rural. Trata-se de um estudo transversal a ser desenvolvido no meio rural da Zona da Mata Mineira, tem como público envolvido adultos e idosos. Será realizada uma descrição deste público com base nas características sociodemográficas, antropométricas, bioquímicas, de disponibilidade e consumo alimentar. As informações socioeconômicas e demográficas serão obtidas a partir da aplicação de questionário semiestruturado. A avaliação antropométrica constará da aferição das medidas de peso, altura e perímetro da cintura. O estado nutricional de adultos e idosos será avaliado por meio do índice de massa corporal, segundo World Health Organization (1998) e Lipschitz (1994), respectivamente. Será calculada a relação cintura estatura (RCE), com a finalidade de verificar presença de risco cardiometabólico, e valores de RCE ≥0,50 serão considerados como presença de risco cardiometabólico, independentemente de sexo e idade. Para avaliar a composição corporal será utilizada a densitometria óssea de dupla energia (Dual-Energy X-Ray Absortiometry, DEXA) para quantificar a massa gorda, óssea, muscular, corporal total e livre de gordura, percentual de gordura e tecido adiposo visceral. Será avaliada a quantidade calórica disponível no domicílio referente aos últimos trinta dias e para o cálculo dessa disponibilidade domiciliar será utilizada uma lista de alimentos comuns ao consumo alimentar da população analisada. Investigar-se-á o consumo alimentar deste público a partir da aplicação do recordatório de ingestão habitual com a finalidade de se determinar o hábito alimentar e verificar o consumo de alimentos processados e ultraprocessados. A partir dos dados de ingestão será calculado o teor de energia, carboidratos, proteínas, lipídios totais, ácidos graxos saturados, fibras, cálcio, ferro, zinco e iodo dos alimentos informados. A adequação dos nutrientes será avaliada segundo Dietary Reference Intakes (DRI), sendo sódio e fibra avaliados por Adequate Intake (AI), demais micronutrientes por Estimated Average Requiments (EAR) e proteína em grama/kg de peso. A distribuição de carboidratos e lipídios será avaliada pela Acceptable Macronutrients Distribuition Range (AMDR). A prevalência de deficiência de iodo será determinada a partir da excreção urinária do mineral que reflete a ingestão do iodo, e serão adotados os pontos de corte dos valores medianos de concentração urinária de iodo estabelecidos pela World Health Organization (2007). Também será analisado o teor de iodo no sal de consumo alimentar e em temperos industrializados e caseiros a partir da técnica recomendada pelo Ministério da Saúde, e as amostras que apresentarem níveis de iodo entre 15 e 45 mg/kg serão consideradas adequadas, de acordo com a recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. A análise do conteúdo de iodo nos alimentos mais consumidos pela população será realizada por espectrofotometria utilizando-se o método proposto por Sveikina e modificado por Moxon e Dixon (1980). Nesta população do meio rural também será realizada uma caracterização referente à exposição ocupacional e uma avaliação bioquímica da exposição aos agrotóxicos. Sendo realizados exames bioquímicos para avaliação de alterações no plasma, na atividade de enzimas hepáticas e em marcadores inflamatórios para avaliação de possível contaminação por agrotóxicos sendo elas colinesterases totais (ChEs) e acetilcolinesterase (AChE), enzimas que encontram-se diminuídas quando expostas a agrotóxicos organofosforados; aspartato aminotransferase (AST), alanina aminotransferase (ALT), fosfatase alcalina (ALP) e gamaglutamiltranspeptidase (GGT); enzimas marcadoras de lesão hepática; creatinina e uréia para avaliar a função renal; albumina, como marcador inflamatório; proteína total, como marcador de lesão hepática e renal e hemograma completo, para identificação de anemia e infecções. O estudo será submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da Universidade Federal de Viçosa e a participação dos voluntários na pesquisa somente ocorrerá após a leitura e assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Os dados serão digitados em duplicata no Microsoft Excel®, e validados pelo programa Excel para conferência dos dados. A análise dos dados será realizada no programa estatístico Statistical Program for Social Science (SPSS) versão 20.0 e no STATA. Para verificar a normalidade dos dados será utilizado o teste de Kolmogorov-Smirnov. Será realizada análise descritiva dos dados, testes de associações e construídos modelos de regressão para verificar os fatores associados à deficiência de iodo. Será adotado nível de significância menor que 0,05.
  • Universidade Federal de Viçosa - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Sílvia Ferreira de Sousa

Ciências da Saúde

Odontologia
  • avaliação do perfil mutacional do tumor odontogênico adenomatóide esporádico e sindrômico por sequenciamento de nova geração
  • O tumor odontogênico adenomatóide (TOA) é um tumor odontogênico epitelial não agressivo, de crescimento lento, porém progressivo,usualmente diagnosticado na porção anterior da maxila, especialmente em crianças e adolescentes. Possivelmente devido à sua raridade, escassos estudos investigaram a patogênese molecular desse tumor, sendo o perfil molecular do TOA pouco conhecido. Formas sindrômicas de doenças neoplásicas representam uma oportunidade de compreender alterações moleculares associadas à forma esporádica. Algumas raras descrições existem de pacientes com TOA múltiplo ou do Tumor como um componente da síndrome de Schimmelpenning. Essa Síndrome é causada por mutações pós-zigóticas nos genes HRAS e KRAS. O gene RAS é um regulador da via MAPK (Mitogen-Activated Protein Kinase), uma via que coordena um largo espectro de processos celulares, tais como o crescimento, proliferação e diferenciação celular. Mutações ativadoras no RAS e em outros genes da via MAPK foram descritas em ameloblastoma, um tumor odontogênico que também tem origem nos tecidos epiteliais do germe dentário. Como TOA pode ser encontrado na síndrome de Schimmelpenning e essa Síndrome é causada por mutações no genes RAS, levantamos a hipótese de que esses mesmos genes ou outros genes relacionados à via MAPK estejam envolvidos na patogênese do TOA. Compreender se há uma árvore genética comum de alterações moleculares na gênese do TOA com outro tumor odontogênico epitelial como o ameloblastoma, irá auxiliar na compreensão da etiologia genética desses tumores e permitir assim, a ampliação de estudos com terapias moleculares alvo. Pretendemos portanto, avaliar o perfil mutacional do tumor odontogênico adenomatóide esporádico e sindrômico por meio de um painel de mutações somáticas “hot spot” em oncogenes e genes supressores de tumor, incluindo os principais envolvidos na via MAPK, por meio do sequenciamento de nova geração.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Silvia Ferrite Guimarães

Ciências da Saúde

Fonoaudiologia
  • saúde auditiva: coorte retrospectiva de trabalhadores da indústria na bahia, 2000–2015
  • Trata-se de estudo epidemiológico longitudinal para investigar a perda auditiva em uma coorte retrospectiva de trabalhadores, na Bahia (2000¬–2015). Serão fontes de dados os exames de saúde admissionais, periódicos e demissionais disponíveis no sistema de informação de gerenciamento de riscos e condição de saúde do SESI-BA, referentes às empresas que contrataram seus serviços no período de 2000 a 2015. São quatro os estudos que integram esta proposta. No Estudo 1, pretende-se estimar a prevalência da perda auditiva entre trabalhadores expostos ao ruído, por setor da indústria, e sua tendência temporal no período de 2000 a 2015. No Estudo 2, será investigada a incidência da perda auditiva e os fatores associados em uma coorte de trabalhadores expostos ao ruído na indústria (2000–2015). No Estudo 3, será testada a hipótese de que o surgimento da perda auditiva ocorre com menor tempo de latência em indivíduos expostos a ruído e solventes em comparação com aqueles expostos a apenas um desses fatores. E no Estudo 4, será avaliado o impacto do Programa de Conservação Auditiva na preservação da audição de trabalhadores industriais, comparando-se empresas com e sem o programa (2000–2015).
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Silvia Galvão de Souza Cervantes

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • techninas - ciências e tecnologia para meninas
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Estadual de Londrina - PR - Brasil
  • 12/08/2019-31/01/2022
Foto de perfil

Silvia Gonzalez Monteiro

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • nanovacina nasal contra trypanosoma evansi
  • Este projeto objetiva testar uma nanovacina nasal em Rattus norvegicus infectados com Trypanosoma evansi. As nanopartículas além de serem utilizadas em técnicas para o diagnóstico e tratamento de doenças, podem ser usadas como vacinas para a entrega de antígenos às células do sistema imunológico, aumentando assim a resposta imune aos patógenos, pois devido ao seu reduzido tamanho, aumentam a interação do antígeno com as células e os fluidos biológicos do hospedeiro e incrementam o período de entrega e liberação desses antígenos. Essas nanopartículas podem ser aplicadas por diferentes vias como a subcutânea e a intramuscular, porém, a forma nasal, além de ser de fácil manuseio, é interessante pois mimetiza a infecção já que a maioria dos patógenos que invadem o organismo de pessoas e animais utiliza a via mucosa e o Trypanosoma pode infectar os hospedeiros dessa maneira. Serão desenvolvidas nanopartículas de PGLA (Ácido lático-co-ácido glicólico) que é um polímero biocompatível e biodegradável carregadas com antígenos do T. evansi obtidos da forma tripomastigota. Um segundo componente, um adjuvante imunodulador chamado de CpG ODN considerado um potente estimulador de TH1 mediador da resposta imune das células T CD8+, será adicionado a vacina para a produção de uma resposta imune protetiva. Após a administração intranasal, acompanharemos por esfregaço sanguíneo diário a parasitemia e no final do experimento os animais serão eutanasiados para coleta de material a fim de verificar se a administração desses antígenos nas vias aéreas foi capaz de induzir resposta humoral com e sem o uso de adjuvantes imunomoduladores. Dessa forma iremos verificar se o uso da vacina nasal com antígeno de T. evansi protege o animal da infecção, se estimula a imunidade dos animais e se há a necessidade do adjuvante para a melhora da resposta imune. Além disso, serão realizados o acompanhamento da parasitemia diária, do período pré-patente, dos parâmetros bioquímicos e hematológicos, da resposta humoral e será realizado o PCR para verificar se houve ou não a eliminação do parasito nos roedores. Este projeto será importante para a continuidade de nossas pesquisas que vem sendo desenvolvidas desde 2005 com esse parasito.
  • Universidade Federal de Santa Maria - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Silvia Helena Paixao Alencar

Ciências Exatas e da Terra

Astronomia
  • formação de estrelas e planetas
  • Neste projeto serão estudados sistemas de estrela e disco jovens, com o intuito de descrever a formação estelar e planetária, assim como a dinâmica da interação disco-estrela, mediada pelo campo magnético estelar. Este projeto de pesquisa é composto de dois sub-projetos: o estudo de campos magnéticos e a análise de aglomerados jovens. No primeiro sub-projeto, utilizaremos os espectro-polarímetros ESPaDOnS e SPIRou para investigar a topologia do campo magnético em larga escala de um conjunto de 120 estrelas jovens em diversos estágios evolutivos, desde protoestrelas embebidas atá as fases finais de sua formação. Aproveitaremos os dados espectro-polarimétricos para buscar planetas gigantes próximos a suas estrelas, os chamados de Júpiteres quentes, com o intuito de entender os processos de formação e migração planetária. Tentaremos também medir o campo magnético de discos de acreção, que exercem papel fundamental na perda de momento angular do sistema e na evolução planetária. O segundo sub-projeto concentra-se na análise de aglomerados jovens, utilizando dados fotométricos de grande precisão e contínuos por meses, obtidos com os satélites Kepler-K2 e TESS. Esses conjuntos de dados são complementados com observações espectroscópicas e permitem estudar os vários fenômenos físicos que atuam em sistemas de estrela e disco em formação. A variabilidade fotométrica e espectroscópica destes sistemas está relacionada com manchas quentes e frias na superfície da estrela, acreção variável, a distribuição de material circunstelar, a dinâmica da interação disco-estrela e a presença de planetas em órbita. Iremos caracterizar estrelas jovens de massas baixa e intermediária e de várias idades, o que permitirá estudar a dependência dos diversos fenômenos físicos em função da massa da estrela, assim como a variação dos processos de acreção e perda de massa à medida que a estrela evolui.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Silvia Inês Dallavalle de Pádua

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • promoção do gerenciamento de processos de negócio (bpm) em organizações de saúde: uma proposta de modelo considerando capacidade dinâmica
  • A Visão Baseada em Recursos - VBR aborda as capacidades dinâmicas, que são capacidades pertencentes à organização que lhe possibilitam ajustar suas competências para lidar com as demandas ambientais. O sucesso das iniciativas de promoção de gerenciamento de processos de negócio ou Business Process Management - BPM é dependente das Capacidades Dinâmicas, fato ainda pouco abordado em estudos acadêmicos. As organizações ligadas a saúde, como as unidades de Pesquisa Clínica, tem buscado soluções de maneira individual uma vez que ambiente é muito dinâmico e complexo e requer uma equipe multidisciplinar: médico investigador, coordenadores do estudo clinico, participantes da pesquisa (pacientes), enfermeiras e farmacêuticos. As barreiras para conduzir protocolos de pesquisa clínica são universais: complexidade do protocolo, aumento da carga de recursos para coletar e gerenciar esses dados entre outras. O objetivo deste estudo é construir um modelo para a promoção do Gerenciamento de Processos de Negócio em Unidade de Pesquisa Clínica com foco na facilidade de adaptação dinâmica aos desafios operacionais e demandas erráticas. A pesquisa é teórico-empírica e qualitativa com a estratégia de pesquisa-ação. A pesquisa será realizada em quatro fases: (1) Fundamentação teórica; (2) Estrutura analítica do projeto (3) Pesquisa-ação; (4) Proposição do modelo. Com a conclusão da pesquisa, há a pretensão de propor um modelo para a promoção de BPM que contemple a capacidade de adaptação, os papéis e responsabilidades, a integração da gestão dos processos com a gestão de projetos, técnicas e fases de acordo com os principais pressupostos teóricos postulados pela literatura especializada. Espera-se como benefícios contribuir com a fronteira do conhecimento sobre a promoção de BPM em Pesquisa Clínica e Visão Baseada em Recursos RVB e Capacidades Dinâmicas.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Silvia Kimo Costa

Ciências Sociais Aplicadas

Arquitetura e Urbanismo
  • habitações de interesse social e sustentabilidade: estudos em tipologia arquitetônica, eficiência energética e avaliação do ciclo de vida dos materiais
  • O presente Projeto de Pesquisa Científica objetiva estudar tipologias habitacionais (arquitetura, aspectos construtivos e materiais – life cycle assessment) voltadas para população de baixa renda que se adequem às características “biogeoclimáticas” do Estado da Bahia e considerem eficiência energética e as peculiaridades da Arquitetura Vernacular baiana. A Pesquisa será desenvolvida em duas linhas simultaneamente: a 1ª linha refere-se ao estudo de tipologias arquitetônicas sustentáveis para Habitações de Interesse Social (HIS) visando atender o perfil de moradores que se enquadram no Décifit Habitacional Quantitativo na faixa de 0 a 3 salários mínimos. A 2ª linha tratará da avaliação do ciclo de vida dos materiais que são utilizados em construções Vernaculares no Estado da Bahia. Espera-se com a Pesquisa: o aprofundamento no estudo de tipologias arquitetônicas sustentáveis existentes para HIS; o mapeamento das edificações que se caracterizam por uma arquitetura Vernacular construídas pela população de baixa renda no Estado da Bahia assim como a avaliação do ciclo de vida dos materiais empregados em tais construções; a elaboração de estudos preliminares de HIS considerando bioclimatologia e a arquitetura Vernacular típica do referido Estado; e contribuir para aprimorar as estratégias que possibilitam eficiência enérgica com baixo custo construtivo, já existentes para HIS, com base nas soluções criadas pelos construtores vernaculares.
  • Universidade Federal do Sul da Bahia - BA - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Silvia Luzia Frateschi Trivelato

Ciências Humanas

Educação
  • elementos da cultura científica nas práticas escolares
  • Nos propormos a investigar e descrever elementos próprios da cultura científica presentes em práticas e atividades escolares. Inserimos nosso projeto na perspectiva da Alfabetização Científica, reconhecendo os três eixos estruturantes estabelecidos por Sasseron e Carvalho (2008), e damos destaque àquele que se relaciona à compreensão da natureza da ciência, focalizando atividades que ofereçam oportunidade aos alunos de compreenderem como a ciência se desenvolve e de se apropriarem da cultura científica. As propostas de ensino por investigação estão alinhadas com a Alfabetização Científica, na medida em que valorizam a natureza investigativa dos processos de produção de conhecimento científico, promovendo a discussão de ideias, a consideração de evidências e a elaboração de argumentos. Um aspecto bastante destacado no processo é o continuum evidência-explicação, que se baseia no desenvolvimento de critérios epistêmicos que determinam o que é válido na investigação. Neste projeto vamos acompanhar situações escolares em que se desenvolvem sequências de ensino por investigação, em salas de aula de escolas públicas e particulares. Nosso objetivo é descrever e analisar como os estudantes se apropriam de elementos da cultura científica, ou seja, como compartilham construtos conceituais, práticas epistêmicas e ferramentas culturais próprias da ciência em situações de interação, ao longo de sequências de ensino por investigação. Vamos acompanhar o desenvolvimento de sequências de ensino em sua íntegra, e tomar registros das situações de interação professor - alunos, alunos – alunos, das ações e anotações do professor, das produções dos aluno, etc. Os dados recolhidos serão sistematizados e organizados para constituir um acervo que servirá não apenas para esta pesquisa, mas também a outras que tenham interesse em estudar situações de sala de aula. No âmbito do presente projeto, um dos objetivos específicos é descrever as interações que ocorrem entre professor e alunos, buscando compreender o papel do professor na construção de significados e no engajamento dos estudantes em processos investigativos. Especialmente voltados para esse objetivo, utilizaremos o sistema analítico construído por Mortimer e Scott (2002 e 2003) e enfoques que a ele se somaram nas metodologia empregada por Ricci (2014) e Rezende (2015). Nos valemos também dos tipos de perguntas propostos por Machado e Sasseron (2012), e nos servimos dessas categorias como potencial indicador das intenções do professor nas etapas investigativas, permitindo relacionar com o engajamento dos estudantes. O segundo objetivo específico do projeto está relacionado à identificação de ferramentas culturais (textos, gestos, inscrições literárias) empregadas no desenvolvimento de conceitos e temas. Nos baseamos em Prain e Tytler (2013) que valorizam a construção de inscrições literárias pelos estudantes, por entender que essa é uma prática que utiliza ferramentas simbólicas e materiais na construção de significados, e por entender que tal prática promove uma aprendizagem epistêmica num determinado campo de conhecimento. Para a análise das diferentes linguagens e ferramentas culturais, teremos como recurso a estratégia metodológica desenvolvida por Rezende (2015), que adotou uma notação própria para viabilizar o registro simultâneo das intervenções orais, dos gestos e das representações visuais que compunham a construção de inscrição literária ao longo de uma aula de biologia. Em mais um objetivo específico, focalizamos a produção de argumentos, tanto do ponto de vista de descrever e analisar as situações e as condições em que tal produção ocorre ou é demandada, assim como nos interessa analisar o próprio argumento produzido. Para isso nos valemos do TAP (Padrão de Argumento de Toulmin) e desdobramentos de análise que esse padrão enseja. Nos interessa também analisar os argumentos como produto de articulações entre evidências e explicações. O último objetivo específico do projeto se refere a um mapeamento das ações da dimensão epistêmica. Para além de um quadro descritivo das situações que serão analisadas, nos interessa avaliar as articulações entre as práticas escolares e as práticas científicas nessa dimensão epistêmica, explorando ainda as particularidade do campo de conhecimento. O trabalho de Kelly (2008) nos dá a base para caracterizar as práticas epistêmicas; já o trabalho de Kelly e Licona (2018) fornece o apoio necessário para que dessas práticas se derivem descritores próprios para cada situação, ou ainda, campo disciplinar e, principalmente, destaca a mudança do sujeito epistêmico (de indivíduo para grupo social relevante). Temos usado esses e outros trabalhos para a constituição de categorias de análise em pesquisas já desenvolvidas, que servem de ponto de partida (SILVA ET AL, 2018, no prelo). O projeto produzirá quatro sínteses analíticas, submetidas na forma de artigos e divulgadas também em congressos da área.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Silvia Márcia Ferreira Meletti

Ciências Humanas

Educação
  • escolarização do aluno com deficiência: uma análise dos indicadores educacionais brasileiros.
  • A pesquisa tem por objetivo analisar o modo como o atendimento educacional para o aluno com deficiência está organizado na educação básica das diferentes regiões geográficas brasileiras em termos de acesso, permanência e da natureza dos serviços educacionais organizados e destinados a esta população. Especificamente busca: identificar e analisar as condições de acesso das pessoas com deficiência à educação cotejando os dados oficiais do poder público sobre incidência demográfica e matrículas na educação básica brasileira; caracterizar e analisar os eventos educacionais sobre as condições de permanência na educação básica das pessoas com deficiência; caracterizar e analisar as condições de acesso e permanência de pessoas com deficiência na educação básica brasileira segundo regiões demográficas e unidades federadas do país. Para tanto, tomamos como unidade de análise a incidência demográfica e os eventos educacionais sobre o acesso e as condições de permanência na educação básica dessa população, tendo como fonte as estatísticas públicas do Censo da Educação Básica de 2007 a 2019, coletadas e divulgadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP).
  • Universidade Estadual de Londrina - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Silvia Margonei Mesquita Tamborim

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • desenvolvimento de novos materiais aerogéis e xerogéis à base de sílica para fins de conforto térmico em revestimentos cerâmicos e para fins anticorrosivos como revestimentos híbridos
  • O presente projeto possui duas grandes motivações a primeira motivação consiste no fato de agregar valor aos subprodutos de um processo agroindustrial o que configura um diferencial perante o mundo globalizado. Desta forma propõem-se aqui a realização da extração da sílica da casca de arroz e posterior funcionalização deste material a fim de originar novos materiais aerogeis e xerogéis à base de sílica. A segunda motivação consiste em aperfeiçoar as propriedades do material aerogel a fim de que proporcione conforto térmico quando inserido em protótipos de placas cerâmicas e também aperfeiçoar as propriedades do material xerogel frente à sua eficiência anticorrosiva quando aplicado na forma de revestimentos híbridos sobre a superfície de chapas de aço 1020 e vergalhões de aço estrutural CA-50. Diante desse contexto, surgem novas tecnologias, novos materiais e novas aplicações, baseados no fato do resíduo de uma atividade econômica constituir-se no insumo para outra. Seguindo esse raciocínio, busca-se o desenvolvimento e a aplicação de tecnologias que permitam a extração da sílica da casca de arroz para o desenvolvimento de novos materiais pelo método sol-gel de síntese.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Silvia Maria Franciscato Cozzolino

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • efeitos da castanha-do-brasil (bertholletia excelsa h.b.k.) sobre a composição da microbiota e marcadores do status de selênio, inflamação e estresse oxidativo em pacientes com diabetes tipo 2
  • O diabetes mellitus tipo 2 (DM2) é uma doença metabólica caracterizada por hiperglicemia e estado inflamatório crônico. A microbiota intestinal têm sido recentemente associada à fisiopatologia do diabetes, uma vez que alterações em sua composição podem promover inflamação sistêmica e mudanças no status nutricional do indivíduo. O selênio possui propriedades antioxidantes, por participar do sítio ativo de selenoproteínas, e anti-inflamatórias, por meio da inibição do NF-kB, reduzindo a expressão de genes que codificam proteínas envolvidas na cascata inflamatória. Pelo fato da castanha-do-brasil ser o alimento com maior teor de selênio, tem sido utilizada como uma boa alternativa para a suplementação alimentar desse elemento, considerando também a disponibilidade dos demais nutrientes nela presentes, como fibras, ácidos graxos mono e poliinsaturados, compostos fenólicos e outros minerais, os quais também são capazes de modular a microbiota intestinal. Em vista disso, enfatiza-se a importância do desenvolvimento de estudos com a suplementação de castanha-do-brasil para fornecer mais informações acerca da sua ação na composição da microbiota e no metabolismo do hospedeiro. Assim, o objetivo deste trabalho será avaliar a influência da ingestão de castanha-do-brasil (Bertholletia excelsa H.B.K.) sobre a composição da microbiota fecal e marcadores do status de selênio, inflamação e estresse oxidativo em pacientes com diabetes tipo 2 e adultos sem doenças crônicas. Este estudo será de natureza longitudinal. Serão selecionados 100 pacientes com diabetes mellitus tipo 2, e 100 adultos sem doenças crônicas para compor o grupo controle, de ambos os gêneros, com idade entre 18 e 60 anos, que receberão a suplementação com cerca de 200 µg de selênio, por meio da ingestão de castanha-do-brasil (1 noz/dia), durante 60 dias. Antes e após a intervenção, serão avaliados os parâmetros bioquímicos relativos ao status de selênio, perfil lipídico, glicemia, marcadores inflamatórios e de estresse oxidativo, assim como expressão gênica e proteica da GPx1. A avaliação da composição corporal será realizada por meio de bioimpedância elétrica e de medidas de peso, estatura e circunferência da cintura. Será avaliada a ingestão alimentar por meio de recordatório alimentar de três dias e a análise desses dados será feita por meio do software NUTRIQUANTI®. A identificação da comunidade bacteriana fecal será feita através do sequenciamento em larga escala de um fragmento do gene do rRNA ribossomal 16S (rDNA 16S), utilizando a plataforma Illumina MiSeq®. Os dados de sequenciamento serão processados e analisados utilizando o software QIIME. A análise de efeitos globais no microbioma será realizada utilizando distâncias UNIFRAC e testes não paramétricos, como a Permanova. A análise dos dados será realizada com auxilio do Centro de Estatística Aplicada – CEA, do Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Silvia Maria Meira Magalhães

Ciências da Saúde

Medicina
  • células supressoras derivadas da linhagem mielóide (mdsc’s) como reguladoras do processo inflamatório nos pacientes portadores de síndromes mielodisplásicas
  • As síndromes mielodisplásicas (SMDs) representam um grupo heterogêneo de doenças hematopoéticas que acometem indivíduos com idade superior a 60 anos, têm patogênese complexa que inclui desordem nas vias de sinalização, morte precoce das células progenitoras hematopoéticas (CPH) por apoptose (hematopoese ineficaz) e insuficiência medular. O diagnóstico é baseado nos achados de citopenias isoladas ou combinadas no sangue periférico, na identificação de alterações morfológicas em células hematopoéticas (displasias) e na presença de alterações citogenéticas. Muitos distúrbios envolvendo o sistema imunológico têm sido descritos na SMD por promover o desenvolvimento de inflamação e doença autoimune. Atualmente, uma população de células imunossupressoras de origem mielóide têm sido alvo de estudos em pacientes com câncer. As chamadas MDSC’s (células supressoras derivadas da linhagem mielóide) constituem um grupo de células mielóides progenitoras imaturas (iMC’s) com características heterogêneas na morfologia, em marcadores fenotípicos e na função celular, diferenciando-se em células mononucleares imaturas como as M-MDSC’s e a polimorfonucleares imaturas como PMN-MDSC’s. O papel das MDSC’s na proliferação do tumor, através da promoção da neovascularização e a invasão dessas células tumorais levando à metástase ainda não está totalmente descrito na literatura. A utilização da imunofenotipagem por citometria de fluxo permite a análise da expressão desses antígenos celulares, identificando quantitativa e qualitativamente expressões anormais relacionadas à linhagem e à maturação celular, evidenciando o aumento de células imaturas com imunofenótipos aberrantes. Diante do exposto, os objetivos desse estudo são avaliar a presença dessas células em pacientes portadores de SMD; comparar os resultados com um grupo de idosos sadios e diferenciar os subtipos de células MDSC’s de acordo com a classificação da SMD; avaliar os níveis séricos de interleucinas IL-1, IL-6, IL-10, IL-13; e mensurar o nível de fator de crescimento VEGF nesses pacientes.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Silvia Maria Suter Correia Cadena

Ciências Biológicas

Bioquímica
  • metabolismo e toxicidade de derivados mesoiônicos em células tumorais.
  • É constante a busca de novos medicamentos que venham a curar ou, ao menos, melhorar a qualidade de vida dos pacientes com câncer, uma doença cujos índices de incidência e mortalidade são alarmantes no Brasil e no mundo. Neste contexto, muitos pesquisadores trabalham com afinco na busca de novos medicamentos eficazes e que apresentem o mínimo de efeitos colaterais, muitas vezes responsáveis pela interrupção do tratamento. Sabe-se que nas células tumorais a expressão das enzimas antioxidantes está exacerbada devido a um aumento da geração de espécies reativas de oxigênio (ROS). Desta forma, estas células tem um menor potencial antioxidante frente a elevações adicionais dos níveis de ROS, em comparação com as células não tumorais. Este fato pode ser utilizado como estratégia em novos tratamentos. Neste sentido, compostos com atividade antitumoral, capazes de alterar a bioenergética mitocondrial, podem promover o aumento nos níveis de ROS e, assim, podem ser utilizados com menores efeitos citotóxicos sobre as células não tumorais. Os derivados mesoiônicos da classe 1,3,4-tiadiazóis e sidnonas apresentam importantes atividades antitumorais e citotóxicas, possivelmente associadas aos seus efeitos sobre a bioenergética mitocondrial. Assim, o potencial uso destes compostos na terapia de alguns tipos de câncer motiva a realização de novos estudos sobre seu metabolismo e mecanismo de ação. Neste projeto será avaliado o metabolismo destes compostos em células HepaRG, que expressam as principais enzimas de fase I e II do metabolismo de xenobiótios, bem como transportadores nucleares e de membrana encontrados comumente em hepatócitos. Os metabólitos serão identificados, sintetizados e seus efeitos avaliados comparativamente aos dos compostos mesoiônicos em células HepG2. Também em células HepG2 cultivadas na presença glucose (HepG2-HG) ou galactose/glutamina (HepG2-GAL serão avaliados os efeitos dos mesoiônicos, com o objetivo de determinar qual o envolvimento das mitocôndrias em sua ação citotóxica. Também serão avaliadas as atividades das enzimas antioxidantes catalase, superóxido dismutase, glutationa peroxidase e redutase, a concentração de ATP, a viabilidade e a produção de ROS. Vias de sinalização de morte relacionadas com AMKP, p38MAPK, p53, p21 e COX-2 serão avaliadas para os derivados 1,3,4-tiadiazóis. Os resultados deste projeto irão contribuir para o esclarecimento dos mecanismos moleculares envolvidos na ação citotóxica e antitumoral destes compostos e abrirão novas perspectivas para seu potencial uso clínico na quimioterapia do hepatocarcinoma.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Silvia Marinho Martins Alves

Ciências da Saúde

Medicina
  • estudo de fase 3, randomizado, internacional, multicêntrico, duplo-cego de segurança e eficácia para avaliação do uso de fexinidazol para o tratamento de indivíduos adultos com doença de chagas crônica indeterminada – fexi chagas
  • A doença de Chagas é uma doença parasitária, sistêmica e crônica causada por Trypanosoma cruzi (T. cruzi), endêmica em 21 países das Américas, embora a migração de pessoas infectadas possa transportar a doença para países não endêmicos da América e do mundo. A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) estima que a doença afete aproximadamente 6 milhões de pessoas, com 30 mil novos casos e 14 mil mortes por ano, o que significa que existem 70 milhões de pessoas em risco de contrair a doença, além de ser a principal causa de cardiomiopatia infecciosa no hemisfério Ocidental1,2. Descoberta há mais de cem anos no Brasil, ela afeta principalmente a pessoas que vivem em situação precária social e economicamente, sendo muitas vezes associada a pobreza. A doença de Chagas tradicionalmente representa um problema de saúde pública no Brasil, apesar do avanço significativo no controle da infecção vetorial e através de transfusão sanguínea, é o segundo país com o maior número de casos, estimados oficialmente em 1,157 milhão de pessoas. Cerca de 25 pessoas morrem todos os dias no país devido à doença1. Estudos recentes baseados em publicações feitas no Brasil estimam que, 4.6 milhões de pessoas estariam afetadas pela doença3. Atualmente, menos de 1% das pessoas infectadas tem acesso a diagnóstico e tratamento, apesar de dois tratamentos disponíveis, benznidazol (BNZ) e nifurtimox (NFX), dois nitro-heterocíclicos, única classe de compostos validada para o tratamento da DC, ambos desenvolvidos há mais de 40 anos. Na fase aguda, curas entre 65-80% foram documentadas, chegando a quase 100% nos casos de transmissão congênita. Nos casos de infecção crônica, o grau de evidência é bastante reduzido, atingindo taxas de cura entre 15 e 40%4. Apesar das discretas taxas de cura em fase crônica, as recomendações atuais defendem o tratamento dos pacientes em fase crônica desde que não apresentem cardiopatia grave4. Este consenso é baseado principalmente na progressão clínica inferior a longo prazo, na prevenção da cardiomiopatia chagásica, bem como na prevenção da transmissão congênita de crianças nascidas de mulheres infectadas e tratadas antes da gravidez 4,5. Neste contexto, a DNDi tem desempenhado um papel de liderança no desenvolvimento de tratamentos mais seguros e eficazes para as pessoas afetadas pela doença de Chagas. Justificativa do ensaio clínico Os tratamentos atuais para a doença têm limitações significativas, incluindo longas durações, preocupações de segurança e tolerabilidade e, cerca de 20% dos pacientes abandonam o tratamento devido às dificuldades de tolerabilidade e a eventos adversos, reforçando a necessidade de desenvolver novas abordagens terapêuticas para Chagas6,7. Fexinidazol (FEXI) é uma droga antiprotozoária de amplo espectro que mostrou resultados promissores para a doença de Chagas8. FEXI é um novo medicamento desenvolvido pela DNDI, inicialmente para a tripanossomíase humana africana (HAT), obtendo registro em 2018 na Agência Europeia de Medicamentos. A presente proposta visa ao desenvolvimento de novo tratamento com FEXI, mais seguro, eficaz e acessível para pacientes adultos com doença de Chagas na sua forma crônica indeterminada. Importância da Proposta para o SUS A doença de Chagas apresenta elevada prevalência no Brasil, acometendo populações de extrema vulnerabilidade, sendo um desafio para o sistema de saúde. Diante deste cenário, há uma necessidade urgente de reverter este quadro, através da promoção o desenvolvimento de alternativas eficazes, seguras, accessíveis e de uso mais fácil tanto para os pacientes quanto para os professionais de saúde, assim como acesso ao diagnóstico e tratamento da doença, ao mesmo tempo em que se desenvolvem as capacidades nacionais de produção de novas ferramentas de saúde. As vantagens deste novo tratamento para pacientes em fase crônica indeterminada da doença incluem: 1) alto perfil de segurança, 2) redução da duração de tratamento; 3) aumento da sua adesão, melhorando o perfil general e risco do tratamento da doença; 4) O fortalecimento das capacidades nacionais de P&D para a doença de Chagas; 6) O estimulo a nível nacional à inovação em P&D de novas ferramentas terapêuticas e de diagnóstico focadas na doença de Chagas; 7) A promoção de um modelo alternativo e focado de gestão de P&D, inovador no Brasil; 8) maximização de usos dos recursos e fortalecimento das competências existentes. Ao se confirmar a eficácia e segurança do esquema de tratamento com FEXI através desse ensaio clínico resultará em uma maior aderência aos tratamentos considerando que será um esquema de no máximo 10 dias de administração. Um esquema como o proposto permitiria organizar campanhas ativas de diagnóstico e tratamento com um claro impacto em saúde pública, entre eles impactar a interrupção da transmissão congênita, hoje considerada a via de transmissão que gera o maior número de casos novos de Chagas em todo o mundo. Procape em conjunto com a DNDi e outras instituições parceiras planejam desenvolver um estudo de Fase lll para determinar a eficácia e segurança de Fexinidazol em comparação com o Benznidazol, através da redução e eliminação da carga parasitária de T. cruzi em sujeitos com diagnóstico de Chagas crônico indeterminado. A carga parasitária será analisada pelo teste de reação de cadeia de polimerase (PCR) para determinar a proporção de sujeitos que convertem de PCR positivo para negativo, de forma seriada, com PCR qualitativo ao fim de tratamento e eliminação sustentada da parasitemia aos 12 meses, em comparação com o Benznidazol.
  • Universidade de Pernambuco - PE - Brasil
  • 07/01/2020-31/01/2023
Foto de perfil

Silvia Maués Santos Rodrigues

Ciências da Saúde

Medicina
  • mulheres encarceradas envolvidas no tráfico de drogas: maternidade, dependência química e qualidade de vida relacionada à saúde
  • O presente estudo pretende investigar o perfil das mulheres aprisionadas na Região Metropolitana de Belém, com o enfoque da atenção à saúde mental. Também busca avaliar as interações entre os transtornos decorrentes do uso/abuso de substâncias psicoativas, os indicadores de qualidade de vida e a maternidade, inclusive durante o estado gestacional e puerperal com a compreensão de que transtornos desta natureza podem comprometer a saúde mental e a qualidade de vida das gestantes aprisionadas com possíveis repercussões para a saúde dos bebes em gestação, assim como, para a de seus demais filhos. A pesquisa será realizada no Centro de Reeducação Feminino (CRF), unidade do Sistema Penitenciário do Estado do Pará, especializado na custódia de 480 mulheres, inclusive em sua Unidade Materno-Infantil, destinada a atenção à saúde de grávidas, parturientes e puérperas aprisionadas. A população de referência do estudo será constituída por todas mulheres aprisionadas no Centro de Reeducação Feminino (CRF) no ano de 2017 com a tipificação do crime de tráfico de drogas (Lei nº 11.343). A partir da população de referência serão caracterizadas dois grupos ou estratos: um formado por mulheres com a experiência passada ou atual de estado gestacional, denominado Grupo com experiência (GCE) e outro sem a experiência de estado gestacional, denominado de Grupo sem experiência (GSE). Após a determinação dos dois estratos, será realizado o cálculo do tamanho mínimo da amostra, para um erro tolerável de 5%, e em sequencia, será selecionada uma amostra aleatória simples de cada subpopulação (estrato). A coleta de dados será realizada nos meses de janeiro a dezembro de 2017 e se dará por meio da aplicação de questionários obedecendo as seguintes etapas: a) 1ª etapa: aplicação de Questionário Sociodemográfico e Obstétrico (QSO) para caracterização da população das mulheres aprisionadas pelo crime de tráfico de drogas e qualificação das mulheres com e sem experiência de estado gestacional (GCE e GSE); b) 2ª etapa: após o cálculo do tamanho mínimo dos estratos (GCE e GSE) será realizada a aplicação do instrumento ASSIST para rastreamento do envolvimento quanto as uso de substâncias psicoativas em ambos os grupos amostrados para detecção de casos positivos de dependência e abuso; c) 3ª etapa: será aplicado o questionário WHOQOL-bref para avaliação da qualidade de vida relacionada à saúde nos estratos GCE e GSE amostrados e d) 4ª etapa: será aplicada a Entrevista Clínica Estruturada para o DSM-IV, Transtornos do Eixo I – Versão Clínica voltada para confirmação do diagnóstico de "Transtornos por uso de Substâncias" nos casos positivos rastreados na segunda etapa. A análise estatística do Questionário Sociodemográfico e Obstétrico (QSO), do Questionário de rastreamento de transtornos por uso de substâncias (ASSIST), do questionário de qualidade de vida (WHOQOL-bref) será realizada por meio estatísticas descritivas, com cálculo de frequências e porcentagens. Para uma análise mais aprofundada dos dados, pretende-se trabalhar com as técnicas de Análise da Correlação e da Regressão (ANOVA, MANOVA), tomando os escores obtidos nas diferentes dimensões do ASSIST e do WHOQOL-bref, na amostra total e por estratos (GCE e GSE). Nossos resultados poderão fornecer subsídios para estudos em saúde mental, psiquiatria, psicologia, bioestatística, e direitos humanos.
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Silvia Midori Saito

Ciências Sociais Aplicadas

Planejamento Urbano e Regional
  • capital social para desenvolvimento de sociedades resilientes a desastres naturais
  • Ao longo da última década, as discussões acadêmicas e governamentais destacam a necessidade de comunidades mais resilientes a eventos adversos. Todavia, a compreensão sobre como alcançar sociedades mais preparadas para enfrentar e conviver com os desastres, ainda é um tema ainda pouco debatido na literatura. Nesse sentido, esta pesquisa se propõe a investigar o capital social dos moradores de áreas de risco de desastres e dos agentes de defesa civil desenvolvido através do monitoramento participativo das precipitações. Parte-se do princípio que o capital social constitui-se como um recurso não depreciável, capaz de tornar as comunidades mais resilientes para o enfrentamento de eventos adversos. A análise será conduzida em comunidades do Grande ABC de São Paulo, onde pluviômetros foram instalados em escolas, residências de líderes comunitários e sede de defesa civil, dentre outros locais próximos de áreas de riscos de deslizamentos e inundações. O estudo buscará principalmente o entendimento de dois tipos de capital social: entre os próprios moradores, familiares e amigos (bonding), e entre moradores e técnicos de defesa civil (bridging), através de abordagens quantitativas e qualitativas de análise. Dentre os resultados, espera-se contribuir para a consolidação do arcabouço teórico-metodológico sobre resiliência a desastres naturais.
  • Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais - SP - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Silvia Midori Saito

Ciências Sociais Aplicadas

Planejamento Urbano e Regional
  • tecnologias educacionais inovadoras para abordagem interdisciplinar na redução de risco de desastres socioambientais
  • Vide projeto anexo
  • Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais - SP - Brasil
  • 12/08/2019-30/11/2021
Foto de perfil

Silvia Morales de Queiroz Caleman

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • resiliência e sustentabilidade do modelo cooperativo: uma análise da emergência e ciclo de vida de cooperativas agropecuárias do estado de mato grosso do sul
  • Cooperativas são formas de ação coletiva em que as pessoas, de forma conjunta, buscam executar ações que seriam custosas ou inconcebíveis de se executar individualmente (STAATZ, 1984). De acordo com a OCB (2017), a cooperativa é uma organização mútua, gerida de forma democrática e participativa, com objetivos econômicos e sociais comuns cujos aspectos legais e doutrinários são distintos de outras sociedades. As cooperativas têm sua essência pautada nos princípios historicamente constituídos de Rochdale. Porém, ao longo dos anos, foi necessária adaptação por parte dessas organizações a fim de sobreviverem ao mercado cada vez mais competitivo. Essa adaptação fez com que muitas cooperativas buscassem um modelo alternativo, sem perder sua base tradicional, mas que pudesse torná-las mais competitivas. Esses novos modelos de cooperação são observados no Centro-Oeste do Brasil, especialmente no Mato Grosso, como atestado por Chaddad (2017), sendo denominadas de “cooperativas de nova geração”. A emergência de novos modelos de cooperativas em áreas de fronteira do agronegócio apresenta algumas particularidades. Ao contrário do sul do Brasil, região onde as cooperativas são de grande porte e formadas por pequenos produtores, no Centro-Oeste observa-se a criação de cooperativas de menor porte que são constituídas por grandes produtores. Essa dinâmica é também observada em Mato Grosso do Sul, cujo cenário de cooperativas agropecuárias apresentou mudanças nos últimos anos. Constata-se a entrada no Estado de cooperativas tradicionais da região Sul-Sudeste do país e a emergência de novos modelos de cooperativas nos moldes do que se observa no Mato Grosso. Como resultado, é natural esperar que cooperativas locais estejam sendo forçadas a rever suas estratégias, de modo a garantir sua participação no mercado. No entanto, algumas cooperativas não são bem-sucedidas e acabam por finalizar suas atividades, enfrentando a dissolução e liquidação da sociedade. Esses fenômenos fazem parte do ciclo de vida das cooperativas, o qual apresenta particularidades em comparação com o ciclo de vida das empresas mercantis, merecendo um olhar atento da academia (COOK, 1995; COOK; BURRESS, 2009). Frente a esta realidade, o tema “resiliência e sustentabilidade do modelo cooperativo” faz-se pertinente (ROELANTS et al., 2012; BIRCHALL; KETILSON, 2009). A capacidade de resiliência envolve questões relacionadas à inovação, porém quando se fala em inovação, a perspectiva de análise é comumente centrada nos aspectos tecnológicos. Esta pesquisa, por sua vez, investiga as inovações de ordem organizacional que as cooperativas empreendem em prol de sua resiliência e sustentabilidade. Em síntese, busca-se responder à questão sobre como a inovação organizacional contribui para a resiliência e sustentabilidade do modelo cooperativo. Para isso, objetiva-se identificar o papel da inovação organizacional para a resiliência e sustentabilidade do modelo cooperativo agropecuário. Especificamente, busca-se: i) identificar e caracterizar o ciclo de vida de cooperativas agropecuárias; ii) caracterizar os novos modelos de cooperativas agropecuárias no Estado de Mato Grosso do Sul sob a ótica da separação do direito de propriedade, de decisão e de controle e iii) realizar análise comparativa entre os novos modelos emergentes de cooperativas com cooperativas tradicionais. O ciclo de vida das cooperativas, a emergência de novos modelos cooperativos e as estruturas de governança adotadas (relacionadas à alocação dos direitos de propriedade, de decisão e de controle) são as principais dimensões teóricas e analíticas que norteiam este trabalho. Nesse contexto, a pesquisa inova ao fomentar o estudo das inovações organizacionais em sociedades cooperativas. Para tal, esta pesquisa enquadra-se como exploratória, sob uma abordagem qualitativa, desenvolvendo uma análise institucional comparativa. Quanto ao método de procedimento, a pesquisa será operacionalizada sob a forma de estudo multicaso, com foco na governança de seis cooperativas em Mato Grosso do Sul. Este projeto contará com a participação de docentes de instituições parceiras como FEARP (Observatório do Cooperativismo) e RSM/Erasmus University (Roterdã). Com isso, objetiva-se fortalecer parcerias interinstitucionais e internacionais, fomentando novos projetos de pesquisa científica, a formação de mestres e doutores e ampliar a participação do Estado na Rede Brasileira de Pesquisadores do Cooperativismo.
  • Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - MS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Silvia Moreira Ayub Ferreira

Ciências da Saúde

Medicina
  • estudo duplo-cego randomizado comparativo do sildenafil no remodelamento reverso do ventrículo direito na insuficiência cardíaca crônica
  • A insuficiência cardíaca (IC) crônica por disfunção sistólica do ventrículo esquerdo (VE) moderada a avançada associa-se à hipertensão pulmonar (HP) secundária em até 70% dos pacientes. Este aumento crônico da resistência vascular pulmonar pode levar a progressiva disfunção do ventrículo direito (VD). A HP correlaciona-se com pior prognóstico da IC, piores desfechos após implante de dispositivos de assistência ventricular esquerda (DAVE) e o transplante cardíaco (TX). Adicionalmente, a disfunção do VD se correlaciona com pior capacidade funcional, sendo um preditor prognóstico independente melhor que o VO2 de pico. O Sildenafil é um inibidor específico da fosfodiesterase-5, que tem alta especificidade de vasodilatação das arteríolas pulmonares, não reduzindo significativamente a resistência vascular sistêmica. Do ponto de vista clínico-terapêutico, melhora a capacidade funcional e, consequentemente, a qualidade de vida dos pacientes com insuficiência cardíaca. Ainda, seu uso no pós-operatório imediato de pacientes com HP submetidos a implante de DAVE parece reduzir a ocorrência de disfunção de VD precoce. Em nosso estudo serão incluídos pacientes com IC crônica e HP com disfunção biventricular não-isquêmica/não-chagásica e tratamento farmacológico otimizado e estável por 01 mês prévio à inclusão. Pacientes elegíveis serão submetidos a ecocardiograma bidimensional com Doppler colorido transtorácico (ECO) e avaliação hemodinâmica por cateter de Swan-Ganz com prova de vasorreatividade pulmonar. Caso verificada presença de hipertensão pulmonar com gradiente diastólico pulmonar >7 e responsividade vascular pulmonar, serão submetidos a ressonância nuclear magnética (RNM) cardíaca para avaliação de função e massa do ventrículo direito e randomizados para o uso de Sildenafil ou placebo na titulado até uma dose máxima de 150mg ao dia e terão seguimento por 06 meses após o que serão repetidos as medidas hemodinâmicas com Swan-Ganz e a RNM cardíaca. O objetivo primário deste estudo é estudar o efeito do Sildenafil no aumento do VO2 de pico e no remodelamento reverso do VD à partir da redução do índice de massa ventricular direita (IMVD) calculada pela RNM cardíaca em pacientes com disfunção biventricular com HP secundária. Os objetivos secundários são estudar o efeito da estratégia terapêutica empregada em relação à função ventricular direita pelo ECO, medidas hemodinâmicas e os níveis de biomarcadores (BNP, troponina e acetona exalada e micro RNAs) após 06 meses do uso do fármaco. Um tratamento farmacológico que possa reverter total ou parcialmente a disfunção do VD tem potencial de aumento de sobrevida, melhora dos desfechos de TX e de implante de DAVE de longa permanência. Até o presente momento, não temos conhecimento de estudos que tenham avaliado a melhora da função do VD após intervenção com Sildenafil no cenário da IC.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022