Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Alex Giuliano Vailati

Ciências Humanas

Antropologia
  • decolonisando infraestruturas. uma etnografia imagética do porto de suape.
  • O uso contemporâneo da categoria de infraestrutura é geralmente embasado numa literatura tópica e dominada por análises instrumentais da engenharia, administração e políticas públicas, enfocando processos de “input-output” a níveis microeconômico, regional e nacional. Todavia a literatura antropológica, nos últimos anos mostrou lentes epistemológicas diferentes. A infraestrutura é neste campo considerada como um artefato, que molda a imaginação, plasmando temporalidade e oferecendo promessas sobre um hipotético futuro. Uma das infraestruturas mais impactantes da história do Brasil é o Complexo Portuário de Suape, que a partir da década de setenta foi responsável por uma rápida transformação do litoral ao sul de Recife, capital do estado de Pernambuco. As comunidades que foram deslocadas e que vivem hoje em dia ao redor do porto foram objeto de uma extensa exploração imagética, e muitas imagens e gravações audiovisuais foram realizadas em coincidências de laudos ou outros acontecimentos, como o recém caso do vazamento de óleo. Na maioria dos casos, estas imagens não foram restituídas e se encontram em acervos de difícil acesso. Este projeto visa propor uma análise das transformações infraestruturais, a partir dos inúmeros artefatos, imagéticos, sonoros que foram produzidas ao longo dos últimos cinquenta anos para e em consequência da construção do Porto, explorando em paralelo como a infraestrutura portuária transformou o imaginário das comunidades envolvidas, suas percepções do futuro e suas temporalidades. A metodologia utilizada será embasada na etnografia voltada a produção destas imagens e uma sua restituição às comunidades, seja através de estratégias presenciais como virtuais. Os resultados do projeto serão de natureza académica, como artigos ou filmes documentários, mas também aplicados, visando criar iterações entre as comunidades envolvidas e os acervos.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alex Sandro Coitinho Sant'Ana

Ciências Humanas

Educação
  • exposição de educação não formal: tecnologias sociais educativas por uma (trans) formação (pós) humana e (pós) crítica
  • A educação não formal ou não escolar, também conhecida ainda como educação social, tendo a pedagogia social como uma possibilidade de especificidade na busca de sua compreensão, é tema abordado em componentes curriculares de cursos superiores de graduação em licenciatura, mas que ainda demanda divulgação das ações desenvolvidas pelas mais variadas organizações, de diferentes naturezas jurídicas, inclusive de não-instituições, com a devida fundamentação teórica que cada espaço educacional não escolar desvela. O evento objetiva oferecer espaços sociais e/ou ciberespaciais de uma universidade pública para divulgação das mais variadas experiências educativas e formativas não escolares teoricamente fundamentadas, no intuito de que o intercâmbio das interações em ambiente acadêmica permita a cada organização refletir e aperfeiçoar o seu fazer educativo e formativo, além de ecoar suas vozes visando sua afirmação social como mais uma possibilidade de atuação para egressos das licenciaturas e outros profissionais e protagonistas sociais que atuam ou desejam atuar como educadores sociais, beneficiando brasileiros especialmente em situação de vulnerabilidade social.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 12/09/2022-31/03/2023
Foto de perfil

Alex Sandro Gomes

Ciências Humanas

Educação
  • análise e visualização de dados para regulação da aprendizagem no ensino médio
  • O projeto aborda a regulação da aprendizagem de estudantes do Ensino Médio, que estabelece a capacidade metacognitiva de definir objetivos de aprendizagem, realizar ações e monitorar o atingimento de metas. O tema é objeto de pesquisa contemporâneo das áreas de Educação, Psicologia Cognitiva e Computação na subárea Computer Supported Collaborative Learning (CSCL). O fenômeno é estudado em modalidades de ensino presencial e em modalidades híbridas e remotas, nas quais as colaborações são mediadas por ambientes virtuais de aprendizagem (AVA). São estudadas versões individuais (autorregulação) e colaborativas (corregulação) da regulação da aprendizagem. O desenvolvimento dessa competência é infrequente nas práticas de ensino centradas na apropriação do conteúdo. Sua relevância social está no ganho da autonomia dos estudantes a aprenderem ao longo da vida e aperfeiçoarem suas aptidões para a prática efetiva da Educação a Distância. Fazemos a hipótese de que o monitoramento e apresentação de dados educacionais relativos ao comportamentos dos estudantes em (AVA) pode contribuir para o desenvolvimento de suas competências metacognitivas e regular processos de aprendizagem. A literatura internacional analisa diferentes alternativas computacionais para mediar o desenvolvimento da competência de regulação da aprendizagem. Enquanto isso, a literatura brasileira denuncia o tratamento omisso ao tema junto aos estudantes na Educação Básica. O projeto objetiva desenvolver módulo de regulação da aprendizagem para o AVA Redu.Digital, alinhado às Competências Gerais e Específicas e Habilidades da Base Nacional Comum Curricular - BNCC do Ensino Médio em parceria com a empresa Viitra.com. Adotaremos práticas de Design Etnográfico e Técnicas de Mineração de Dados Educacionais para conceber painel de visualização de dados da regulação da aprendizagem a servir de base a processo de mediação do desenvolvimento dessa competência no Ensino Médio.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alex Sandro Gomes Pessoa

Ciências Humanas

Psicologia
  • impactos da pandemia covid-19 no cotidiano de adolescentes brasileiros em situação de vulnerabilidade social
  • A pandemia do COVID-19 tem acentuado a preocupação sobre as condições de adolescentes em situação de vulnerabilidade social no Brasil e no mundo. No caso da população infanto-juvenil em situação de vulnerabilidade social, os cuidados deveriam ser redobrados, pois entende-se que a pandemia da COVID-19 acentuou as desigualdades já existentes. Sabe-se que a proteção de crianças e adolescentes durante surtos de doenças anteriores já deixaram indicativos da ocorrência de aumento significativo dos riscos já existentes para essa população. A pandemia do COVID-19 e suas consequências para a população juvenil devem ser analisadas de modo multifatorial, considerando as vulnerabilidades sociais já existentes e as suas acentuações no últimos anos. Assim, considera-se imprescindível avaliar de que forma a pandemia afetou a vida de adolescentes brasileiros que já vivenciavam situações de vulnerabilidades e expostos a fatores de risco. Dessa forma, o objetivo do estudo é compreender os impactos das experiências da pandemia para o desenvolvimento de adolescentes brasileiros que se encontram em situação de vulnerabilidade social. Sendo assim, a presente pesquisa se configura como um estudo misto simultâneo, exploratório-descritivo, com delineamento transversal e desenvolvido a partir de um estudo de casos múltiplos. Os participantes serão, aproximadamente, 125 adolescentes das cinco regiões brasileiras (Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul), com idade entre 12 e 18 anos, de ambos os sexos e em situação de vulnerabilidade social (em cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto e fechado, que vivem em instituições de acolhimento, em situação de rua e estudantes de escolas públicas localizadas em territórios com altos índices de exclusão social). Os dados serão coletados por meio de questionários e entrevistas, bem como serão analisados com softwares específicos para dados qualitativos e quantitativo.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 07/04/2022-30/04/2025
Foto de perfil

Alex Verdério

Ciências Humanas

Educação
  • sustentabilidade, educação do campo e agroecologia: organização sócio-produtiva e processos formativos em assentamentos rurais na bahia, no paraná e em santa catarina.
  • A proposta, com caráter interinstitucional e interdisciplinar, mantém fortes vínculos com a Educação Básica e articula pesquisadores da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, da Universidade Federal de Santa Catarina e pós-graduandos de mais três instituições com vínculos nas escolas envolvidas. Tem por objetivo impulsionar a investigação, produção e divulgação científica, por meio da pesquisa básica na área de Tecnologias para o Desenvolvimento Sustentável, aprofundando a compreensão sobre a relação Educação do Campo e Agroecologia para o delineamento de estratégias na promoção da sustentabilidade em assentamentos rurais. O lócus da pesquisa abarca as práticas inovadoras sustentáveis nos agroecossistemas da Escola Técnica de Agroecologia Luana Carvalho na Bahia, do Colégio Estadual do Campo Iraci Salete Strozak no Paraná e da Escola Vinte e Cinco de Maio em Santa Catarina. A questão central volta-se para o levantamento e análise de práticas inovadoras vivenciadas a partir das conexões entre organização sócio-produtiva e processos formativos na relação Educação do Campo e Agroecologia e que podem fomentar a formulação de estratégias de promoção do desenvolvimento sustentável nos agroecossistemas. É crível o potencial de conceber o desenvolvimento sustentável a partir das realidades e contextos. Nesse exercício investigativo, a prática social como ponto de partida traz a tona conhecimentos construídos no trabalho e nas relações, isso passa por compreender os saberes, os valores e a interação social como elementos basilares na organização sócio-produtiva e nas práticas formativas. A inferência sobre as conexões entre essas dimensões têm na escola um espaço fecundo e pertinente no inventário de práticas inovadoras que promovam o desenvolvimento sustentável. Isso impulsiona a viabilidade investigativa e metodológica da pesquisa com participação efetiva dos atores na popularização do conhecimento produzido.
  • Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - BA - Brasil
  • 28/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alexander Christian Vibrans

Ciências Agrárias

Recursos Florestais e Engenharia Florestal
  • iffsc - estratégias csr e dinâmica da diversidade taxonômica, estrutural e funcional da floresta atlântica subtropical
  • Florestas constituem o maior sumidouro terrestre de carbono atmosférico, o que confere a elas um importante papel na mitigação das mudanças climáticas. Nesse contexto, as florestas secundárias têm participação crescente, especialmente nas regiões (sub)tropicais. No Brasil, a maior parte da Mata Atlântica é atualmente composta por florestas secundárias. Conhecer a dinâmica dessas florestas é fundamental para protegê-las, restaurá-las e manejá-las. Do ponto de vista logístico e financeiro, é um desafio obter estimativas populacionais robustas de mudanças taxonômicas, estruturais e funcionais, visto que para isso é necessária a coleta de dados em parcelas permanentes distribuídas de forma probabilística em toda a população, e não em áreas escolhidas arbitrariamente ou por conveniência. Ainda é incompleto o entendimento das interações ecológicas entre as espécies que moldam o processo sucessional, a acumulação de biomassa e o sequestro de carbono. Desta forma, precisa ser esclarecido quais espécies, atributos e estratégias funcionais estão direcionando o desenvolvimento da Floresta Atlântica subtropical, inclusive frente às mudanças climáticas. Pretendemos investigar, como itens-chave, as taxas de ingressos de indivíduos e espécies, de incremento dos sobreviventes e de mortalidade por espécie, bem como mudanças na diversidade taxonômica, estrutural e funcional das florestas catarinenses. Esta proposta acrescenta a investigação da influência de atributos funcionais das espécies arbóreas no desenvolvimento das florestas. Em especial, hipotetizamos que as análises das estratégias CSR permitirão quantificar o papel de espécies competidoras, tolerantes ao estresse e ruderais na variação da composição de espécies e no processo de acumulação de biomassa nas florestas. O Inventário Florístico Florestal de SC (IFFSC), com 499 parcelas, construiu uma base de dados pública para a execução desta proposta, que consiste na terceira remedição de 36 parcelas instaladas em 2008.
  • Fundação Universidade Regional de Blumenau - SC - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Alexander Henning Ulrich

Outra

Biomedicina
  • a sinalização purinérgica, cininérgica e a estimulação cerebral profunda como intervenções terapêuticas na doença de alzheimer
  • A Doença de Alzheimer (AD) é a forma mais prevalente de demência, e apresenta no início de seu desenvolvimento um extenso processo neuroinflamatório, que resulta em danos aos neurônios e comprometimento da transmissão e plasticidade sináptica. Um desses danos é a deficiência na neurogênese adulta, que é alterada durante processos de neuroinflamação devido à presença de diversos componentes, como citocinas e quimiocinas liberadas pela microglia e astrócitos, além da invasão de células imunes periféricas. Assim, o estudo de mecanismos que possam prevenir o aumento do processo neuroinflamatório da AD são de extrema importância. Como atualmente não existe cura ou tratamentos eficazes para a AD, o objetivo deste projeto é avaliar se intervenções farmacológicas ou de estimulação cerebral (deep brain stimulation, DBS) podem prevenir/atenuar os danos causados pela AD no sistema nervoso central. As intervenções farmacológicas serão realizadas com agonistas/antagonistas de receptores purinérgicos e cininérgicos (P2Y2, P2Y14 e B2) envolvidos na migração, proliferação e desenvolvimento de neurônios, e quimiotaxia de células imunes periféricas. A DBS já mostrou melhorar processos cognitivos como a memória de curto prazo, e a modulação de circuitos específicos via DBS resultam no aumento da neurogênese, plasticidade sináptica e sobrevivência celular. Além disso, a DBS modula os níveis extracelulares de adenosina, que agem por receptores purinérgicos do tipo A1. O projeto avaliará o efeito da modulação do sistema purinérgico e cininérgico na neuroinflamação e neurogênese, utilizando a transfecção com retrovírus CAG/eGFP+, em modelos de AD: in vivo, com camundongos transgênicos APP/PS1 ou APP/PS1/B2R-/-, e in vitro com o modelo de neuroesferas isoladas destes animais. Visando a aplicação clínica, avaliaremos os efeitos da DBS no fórnix nos processos neuroinflamatórios e de neurogênese de animais APP/PS1 e seu papel na modulação dos níveis de adenosina e atividade do receptor A1.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Alexander Welker Biondo

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • saúde única e vulnerabilidade: zoonoses e sars-cov-2 em populações indígenas, seus animais e meio ambiente
  • As populações indígenas brasileiras têm historicamente enfrentado exclusão e confinamento em regiões isoladas. Desigualdades socioeconômicas, baixo nível educacionais, condições de vida complexas, entre outros determinantes sociais e de saúde, podem agravar a situação e aumentar a vulnerabilidade aos impactos das zoonoses. Nesse cenário, comunidades indígenas do Paraná e São Paulo apresentam vulnerabilidade social, crescimento da população de animais de companhia, a aglomeração de animais no peridomicílio e outras alterações ambientais antrópicas que podem favorecer a circulação de Leishmania spp., Leptospira spp., Toxoplasma gondii, Toxocara spp. e SARS-CoV-2, ainda não pesquisada sob abordagem da Saúde Única. Deste modo, o objetivo do presente projeto é avaliar a exposição de populações indígenas, seus animais de companhia e profissionais de saúde do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Litoral Sul a ocorrência de Leishmania spp., Leptospira spp., Toxocara spp., Toxoplasma gondii, Rickettsia spp. e ao SARS-CoV-2, bem como identificar e caracterizar molecularmente sua presença nas pessoas, animais e no meio ambiente, e os fatores associados à possível infecção. Um total de 500 amostras representativas de sangue serão coletadas de populações indígenas de diferentes aldeias, 150 de seus animais de companhia e 80 de profissionais de saúde da DSEI Sul, em aldeias indígenas situadas nos Estados do Paraná e São Paulo. O estudo envolverá ainda a coleta de solo para a pesquisa de Toxocara spp. e Toxoplasma gondii, e coleta de fezes e pelos de cães para a pesquisa de Toxocara spp., a coleta e identificação de flebotomínios e ectoparasitas, seguida de análise molecular para Leishmania spp. e Rickettsia spp., acompanhados de preenchimento de questionários epidemiológicos. Os resultados serão analisados estatisticamente, com abordagem preventiva educacional e de intervenção serão adotadas, se necessárias, com base nos resultados e fatores associados de risco.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Alexander Wilhelm Armin Kellner

Ciências Biológicas

Zoologia
  • paleoantar - paleobiologia e paleogeografia do gondwana sul: inter-relações entre antártica e américa do sul
  • O registro fóssil da Antártica tem se mostrado de grande relevância para o conhecimento da paleobiota Austral, suas estratégias adaptativas e relações filogenéticas, desde o Cretáceo até o Paleógeno. Os organismos e suas relações filogenéticas são essenciais para se entender a respeito de padrões de distribuição biogeográficas. Com isso, constituem um registro fundamental para as reconstituições paleogeográficas e ambientais dos continentes gondwânicos, principalmente pela sua localização e identificação de barreiras geográficas. Somado a este está o registro geológico que abarca importantes informações acerca dos paleoambientes pretéritos da região antártica, sua paleoclimatologia e paleobatimetria oceânica, principalmente quando integrado ao estudo dos microfósseis e dados geoquímicos. Desta forma, a presente proposta visa realizar atividades de prospecção, coleta e análises laboratoriais de macrofósseis, microfósseis e rochas coletadas em perfis geológicos detalhados, com a finalidade de compreender a diversificação da biota e dos ecossistemas durante a evolução do Gondwana Sul, apontando para o entendimento das inter-relações entre Antártica e América do Sul, incluindo questões paleogeográficas. Para tal contará com equipe interinstitucional nacional e internacional coordenada pelo proponente, realizada em colaboração com pesquisadores do Sul, Sudeste e Nordeste do Brasil, da China, Canadá, Chile e Inglaterra. A metodologia a ser utilizada é atual e específica para os tipos de análises a serem realizadas (detalhadas no projeto), contando com adaptações à natureza do trabalho na Antártica, baseado em experiências anteriores, havendo, ainda, a ampliação de novas técnicas que não haviam sido empregadas em versões anteriores do projeto (p.ex., geoquímica). O desenvolvimento dos trabalhos será um grande incentivo e oportunidade para a restauração do Museu Nacional/UFRJ, instituição que teve parte do seu acervo destruído por uma tragédia recentemente.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 25/12/2018-31/12/2022
Foto de perfil

Alexander Wilhelm Armin Kellner

Ciências Biológicas

Zoologia
  • contribuição para estudos evolutivos e paleobiológicos de vertebrados mesozoicos através de análises paleohistológicoas e tomografia computadorizada
  • Estudos envolvendo aspectos relacionados à paleobiologia de vertebrados fósseis vem ganhando cada vez mais espaço a nível internacionais, principalmente devido ao desenvolvimento de dois campos de investigação, a paleohistologia e o uso de tomografias computadorizadas, que permitem acessar informações não disponíveis por meio de estudos descritivos clássicos. Através de secções delgadas de ossos, dentes e tecidos moles preservados, observações de padrões microestruturais teciduais têm permitido analisar diferentes aspectos paleobiológicos dos vertebrados, como taxas e modos de crescimento, ontogenia, maturidade somática e sexual, histovariabilidade individual, termorregulação e até determinação de sexo. O uso de tomografias permite, de modo não destrutivo, a investigação de estruturas internas, especialmente as cavidades endocranianas, com destaque para a paleoneurologia, cavidades nasais, estruturas da orelha média e padrões de substituição dentária. Apesar de serem áreas já consolidadas no cenário internacional da paleozoologia, a paleohistologia e o uso de tomografias ainda são subexplorados no Brasil, apesar do rico patrimônio fossilífero com potencial para estudos dessa natureza. O objetivo deste projeto é, desenvolver análises histológicas e reconstituição de endocavidades em vertebrados fósseis, tanto a partir de espécimes previamente coletados, quanto de novos achados. Para tal, serão confeccionadas lâminas histológicas e serão obtidas tomografias de crânio e pós-crânio (e dentes) de fósseis. Estes estudos serão integrados em com descrições anatômicas e estudos filogenéticos dos espécimes selecionados no projeto. Para tal, além da pesquisa em coleções paleontológicas de distintas instituições, estão previstas atividades de campo concentradas em unidades mesozoicas brasileiras (grupos Santana e Bauru) para coleta de novos exemplares. Os fósseis coletados serão depositados no Museu Nacional, instituição que teve seu acervo devastado após o incêndio de 2018.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025