Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Clarice Neuenschwander Lins de Morais Fonseca

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • estudo dos mecanismos de imunopatogênese da paraparesia espástica tropical/mielopatia associada ao htlv-1(ham/tsp) em modelo de barreira hematoencefálica
  • A Paraparesia Espástica Tropical/Mielopatia Associada ao HTLV-1 (HAM/TSP) é uma doença crônica causada pelo HTLV-1, que desencadeia uma resposta inflamatória no sistema nervoso central em cerca de 1 a 5% dos indivíduos infectados, fazendo com que apresentem complicações clínicas graves como espasticidade e fraqueza dos membros inferiores. Após dez anos de instalação da HAM/TSP, aproximadamente 30% dos indivíduos encontram-se paraplégicos, confinados ao leito, apresentando muitas vezes quadro de depressão associada. A resposta imunológica do hospedeiro é determinante para a patogênese da HAM/TSP, pois as células do sistema imune ultrapassariam a barreira hematoencefálica e causariam danos ao sistema nervoso central. Entretanto, é importante salientar que ainda não está totalmente elucidado quais são os componentes celulares e moleculares que atuam na imunopatogênese da doença. Considerando-se que entender os mecanismos imunológicos desencadeadores da HAM/TSP é fundamental para o aprimoramento da terapêutica da doença, realizaremos a mimetização in vitro da barreira hematoencefálica. O perfil fenotípico (Th1, Th2, Th17 e Tregs) das células mononucleares de indivíduos com HAM/TSP (n=5) assintomáticos (n=5) e saudáveis (n=5) que migrarem para a câmara inferior do poço da placa de Transwell, após o co-cultivo indireto com linhagem de células nervosas (SH-Sy5y e U-87 MG) e endoteliais dos microvasos do cérebro (hCMEC/D3) será analisado. A carga proviral será quantificada, bem como a dosagem de citocinas, quimiocinas e exossomos contendo a proteína viral Tax serão verificadas. A apoptose/necrose das células nervosas será avaliada pelo kit de detecção de apoptose e modificações ultraestruturais das células nervosas e endoteliais serão estudadas por microscopia eletrônica de transmissão. Dessa forma, este trabalho pretende ampliar a geração de conhecimento de mecanismos envolvidos na patogênese da HAM/TSP.
  • Fundação Oswaldo Cruz - PE - Brasil
  • 15/05/2019-31/05/2022
Foto de perfil

Clarice Rosa Olivo

Ciências da Saúde

Fisioterapia e Terapia Ocupacional
  • avaliação dos efeitos do exercício aeróbio moderado e exercício intervalado de alta intensidade na resposta inflamatória pulmonar em um modelo de infecção pulmonar por streptococcus pneumoniae.
  • Nos últimos anos, o exercício físico tem se tornado objeto de estudo em vários modelos experimentais e clínicos do nosso grupo de pesquisa. Demonstramos nesses estudos que o exercício físico regular tem um efeito protetor em diversos modelos experimentais e em pacientes com diferentes doenças inflamatórias pulmonares. Ao mesmo tempo em que o exercício físico aeróbio de moderada intensidade tem sido apontado como uma intervenção benéfica tais efeitos parecem ser altamente específicos influenciada pelo modo, duração e intensidade do exercício. Nieman et al. (2003) propôs uma teoria que parece ter se tornado um clássico dentre os estudiosos dos efeitos do exercício físico no sistema imune, que sugere que o exercício moderado tem um efeito estimulador do sistema imune ao contrário do exercício intenso que levaria a um efeito depressor temporário. No entanto, mesmo sabendo que o exercício físico pode ser uma intervenção benéfica de baixo custo para prevenir algumas doenças, muitas pessoas ainda relutam em praticá-lo. Nesse sentido, o exercício intervalado de alta intensidade parece ter ganho muitos adeptos como uma alternativa para o treino tradicional de exercício contínuo. Esse tipo de treinamento tem sido empregado como uma modalidade de treinamento para diversos tipos de população além de ter sido considerada uma das mais efetivas modalidades de treinamento para melhora da performance de atletas. Os treinamentos envolvem sessões alternadas de exercício de alta intensidade com períodos de recuperação de baixa intensidade. Weston et al (2014), em uma meta-análise sobre o exercício intervalado sugere que esse tipo de treinamento melhora substancialmente o condicionamento físico de indivíduos sedentários ou não-atletas. Hlergerud et al (2007) demonstraram que o treino intervalado de alta intensidade é mais eficiente que treino contínuo de moderada intensidade. Ainda mais, treino intervalado de alta intensidade tem demonstrado reduzir riscos associados a síndrome metabólica quando comparado ao exercício de moderada intensidade contínuo. No entanto, convém lembrar alguns possíveis contrapontos desse tipo de exercício. O primeiro deles é de que alguns sintomas já foram relatados durante o exercício intervalado de alta intensidade e pode atrapalhar a aderência ao mesmo. Além disso, ainda não se sabe se os benefícios já demonstrados do exercício físico de moderada intensidade nas doenças pulmonares inflamatórias irão se estender para aqueles indivíduos que praticam o exercício físico intervalado de alta intensidade. Com isso, propomos um projeto que comparará os efeitos antiinflamatórios do exercício físico aeróbio contínuo com os do exercício aeróbio intervalado em um modelo de infecção pulmonar por Streptococcus pneumoniae.. Assim, nossa hipótese é de que o exercício físico intervalado apresente benefícios semelhantes ao exercício físico de moderada intensidade no que diz respeito ao processo inflamatório pulmonar nesse modelo experimental. Para tanto, utilizaremos camundongos Balb/c (machos; 20-25g), divididos em 5 grupos: Controle (n=8): animais que permaneceram sedentários e não receberam instilação de bactéria; S. pneumoniae (n=8): animais que permanecerão sedentários e receberão instilação intranasal de S. pneumoniae; Treino (n=8): animais submetidos a um protocolo de treinamento físico contínuo; S. pneumoniae + Exercício Físico Contínuo (n=8): animais submetidos a um protocolo de exercício físico aeróbio continuo de moderada intensidade e receberam instilação de bactéria; S. pneumoniae + Exercício Físico Intervalado (n=8): animais que serão submetidos a um protocolo de exercício físico intervalado aeróbio e receberão instilação intranasal de S. pneumoniae. Os animais dos grupos exercício, serão submetidos a um protocolo de exercício físico durante 4 semanas: (a) treinamento continuo (50% da velocidade máxima) ou (b) intervalado de alta intensidade (sessões de 1 min (75% da veloc. Max.): 30 seg (50% da veloc. Max.). Após esse período, os animais dos grupos infectados com S. pneumoniae serão anestesiados para então serem desafiados com a linhagem M10 (106 CFU/animal) através da inoculação de 50 L de uma suspensão de S. pneumoniae em 0,9% de salina em uma narina do animal. Animais dos grupos controle não receberam qualquer desafio. 12horas após o desafio, os animais serão anestesiados e eutanásiados para avaliação da Mecânica Pulmonar, do Lavado Broncoalveolar (BAL) e da expressão de citocinas no homogenato pulmonar (IL-1ra, IL-1, TNF-, IL-10, IL-6, INF-, KC, MIP-2, IL-17, VEGF, TGF-b). Para análise estatística utilizaremos o software Sigma Stat 11 (Systat Software, Inc., San Jose, CA, USA). A comparação entre os grupos será feita utilizando-se o método de análise de variância para dois fatores através dos testes de múltiplas comparações (método Holm-Sidak). As diferenças serão consideradas como estatisticamente significantes quando p<0,05. Esperamos com este projeto identificar se as possíveis vias de sinalização do exercício físico aeróbio de moderada intensidade se estendem para o modelo de exercício físico intervalado de alta intensidade no modelos experimentais de infecção pulmonar por Streptococcus pneumoniae.
  • Universidade Cidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Clarice Salete Traversini

Ciências Humanas

Educação
  • o que os professores estão fazendo com a base nacional comum curricular (bncc)? efeitos da bncc no currículo em um projeto de adequação idade-ano escolar na rede estadual do município de porto alegre (rs).
  • A pesquisa proposta tem como objetivo analisar os efeitos da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) no currículo praticado pelos professores em um projeto de adequação idade-ano escolar na rede estadual de Porto Alegre (RS). Considerando a recente homologação do documento pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), em dezembro de 2017, e o início dos estudos sobre a BNCC nas escolas estaduais de Porto Alegre (RS) que integram o referido projeto, justifica-se a presente investigação como forma de acompanhar as potencialidades, limites e tensões nos currículos escolares nos próximos três anos, período inicialmente proposto pelo CNE para implementação da BNCC para a Educação Infantil e o Ensino Fundamental. Esta proposta deriva de investigações anteriores que apontaram a escassez de estudos nos Anos Finais do Ensino Fundamental e a necessidade de construir currículos específicos para estudantes de 15 a 17 anos que permanecem nesse nível de ensino, de modo que possam prosseguir no fluxo de escolarização. Diante disso, propõe-se como questão de pesquisa: que efeitos a BNCC está provocando no currículo praticado pelos professores em um projeto de adequação idade-ano escolar na rede estadual de Ensino Fundamental do município de Porto Alegre (RS)? A investigação inscreve-se na perspectiva teórico-metodológica pós-estruturalista e utilizará a governamentalidade como grade de inteligibilidade para analisar os efeitos da política curricular nacional atual no currículo praticado na escola. A noção de problematização, conforme estudada por Michel Foucault, que busca compreender como determinados objetos entram no jogo do verdadeiro (e do falso) em um tempo histórico, será a ferramenta conceitual para análise do material empírico. Este, coletado e produzido sob os cuidados da ética na pesquisa, compõe-se de: documentos escolares, registros em diários de campo, entrevistas e grupos de discussão. Como resultados principais desta investigação, pretende-se: a) qualificar os processos de produção de currículos pelos professores da Educação Básica, contemplando conhecimentos e saberes contextualizados e críticos para a constituição do sujeito-aluno contemporâneo; b) colocar à disposição da Universidade e da Secretaria Estadual de Educação formas de produzir políticas curriculares locais realizadas pelos professores para jovens de 15 a 17 anos que permanecem no Ensino Fundamental, com o intuito de contribuir com políticas educacionais voltadas aos Anos Finais do Ensino Fundamental e com a formação docente nos cursos de Graduação; e c) visibilizar as potencialidades e as fragilidades da atual política curricular nacional normativa, apontando aspectos necessários para garantir o direito de aprendizagem e o desenvolvimento dos estudantes em suas heterogeneidades, sem desvalorizar o trabalho docente.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Clarice Steffens

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • nanobiosensores para detecção de micropoluentes em águas
  • A água é um importante insumo para a grande maioria das atividades econômicas, nomeadamente da agricultura e da indústria, exercendo influência decisiva na qualidade de vida das populações, especialmente ao tanger a área do abastecimento, o qual tem forte impacto sobre a saúde pública. A industrialização e a urbanização, juntamente com a intensificação das atividades agrícolas, têm resultado no aumento da demanda da água, e por consequência aumentam a contribuição de contaminantes nos corpos d’água. As maiores e mais significativas rotas de contaminação são ocasionadas por emissões diretas e indiretas dos esgotos tratados e não-tratados, escoamento e deposição atmosférica e pelo processo de lixiviação do solo. Agrega-se a estes problemas, o fato da grande maioria da população brasileira estar concentrada em cidades, próximos de rios e mananciais, desencadeando um duplo impacto negativo para os recursos hídricos: a intensificação do uso e o aumento da poluição. Assim, um dos campos mais proeminentes da área ambiental é o estudo de micropoluentes presentes em ambientes aquáticos. Sendo os metais pesados um dos contaminantes mais tóxicos e persistentes deste ecossistema. Seu monitoramento ambiental em águas é estritamente regulamentado, uma vez que estes metais têm sido associados a várias patologias, pois seus traços são persistentes, tóxicos e bioacumulativos. Entre os metais pode-se citar o cádmio (Cd) e chumbo (Pb) que são altamente tóxicos e carcinogênicos na exposição de traços, zinco (Zn), níquel (Ni) e cobalto (Co) são tóxicos quando em excesso, e o alumínio (Al) que é aparentemente não essencial para a vida, mas estudos revelaram que podem causar muitas doenças em humanos, animais e plantas devido à sua toxicidade em altas concentrações. Desta forma, sensores baseados em cantilever têm recebido uma maior atenção por apresentarem alta sensibilidade, especificidade, baixo custo, procedimento simples e respostas rápidas. Com alta capacidade de análise e detecção de analitos ultra-sensíveis, o desenvolvimento desta tecnologia vem se mostrando como uma grande promessa para a próxima geração de sensores miniaturizados, altamente sensíveis e com grande limite de detecção. Em vista disso, o desenvolvimento de nanobiossensor de cantilever para detecção de metais pesados em águas pode ser aplicado na detecção precoce e precisa do lançamento de metais pesados nos corpos hídricos, possibilitando o modelamento de emissões, bem como estratégias mais efetivas de controle e monitoramento. O qual se reflete diretamente na saúde dos seres vivos e também do meio ambiente.
  • Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Clarissa de Almeida Olivati

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • fabricação e caracterização elétrica de filmes finos de polímeros low bandgap
  • Esse projeto se insere no propósito mais geral que corresponde ao estudo das potencialidades de materiais orgânicos em forma de filmes finos como camadas ativas em dispositivos orgânicos fotovoltaicos (OPVs, organic photovoltaics). Com intuito de otimizar a conversão de energia solar em elétrica nestes dispositivos, a proposta do projeto é realizar um estudo detalhado de diferentes parâmetros chaves para a fabricação de OPVs, como, por exemplo, tipo de material, morfologia dos filmes, efeitos de interface, diferentes tipos de estruturas de dispositivos, etc. Estes parâmetros desempenham papel crucial para o desenvolvimento de OPVs com maior eficiência. Para uma boa eficiência dos dispositivos fotovoltaicos, a camada ativa deve conter uma boa absorção da luz solar. Em termos de bandgap, isto quer dizer que quanto menor o bandgap maior a faixa de absorção. Uma maneira de realizar isto com os materiais poliméricos é a síntese de um polímero no qual o bandgap óptico tem a capacidade de aumentar a captura da luz solar, os chamados polímeros low-bandgap. Este trabalho tem como objetivo estudar e caracterizar óptica e eletricamente dois polímeros low-bandgap que foram sintetizados na Universidade de Pau na França, bem como utilizar a técnica de Langmuir-Schaefer e spin-coating para construir dispositivos fotovoltaicos destes polímeros, e assim introduzir uma técnica que possa auxiliar no ordenamento e, desta maneira melhorar o funcionamento do dispositivo.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Clarissa Piccinin Frizzo

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • líquidos iônicos dicatiônicos derivados do imidazol: um estratégia para desenvolvimento de materiais biocompatíveis e antimicrobianos
  • Mesmo sendo descrito pela primeira vez há quase um século atrás, os líquidos iônicos (LIs) que são sais fundidos com baixo ponto de fusão, têm recentemente atraído interesse devido a variedade de potencias aplicações em processos químicos, biológicos e nos mais diversos materiais. As propriedades físico-químicas destes compostos podem ser facilmente ajustadas através da escolha adequada do cátion e ânion que os constituem. Assim, a propriedade mais atrativa dos LIs é a flexibilidade ou ajuste do desenvolvimento de propriedades físicas, químicas e biológicas pela mudança da estrutura do cátion e do ânion. Tais possibilidades têm impulsionado o interesse fenomenal na síntese de novos LIs. Assim, neste projeto pretendemos sintetizar e caracterizar líquidos iônicos derivados do imidazol determinar a e força de interação cátion-ânion, e a seguir investigar a funcionalização covalente e adsorção física de NP de TiO2 com LIs sintetizados e determinar as e propriedades biológicas como citotoxicidade e atividade antimicrobiana. Adicionalmente, é objetivo de este projeto explorar como as propriedades mencionadas anteriormente são influenciadas ou moduladas pela a força de interação entre cátion-ânion dos LIs.bPara alcançar este objetivo, utilizaremos a ressonância magnética nuclear, espectrometria de massas com ionização por eletrospray, calorimetria exploratória diferencial, análise termogravimétrica, microscopia eletrônica de transmissão, microscopia eletrônica de varredura, microscopia de força atômica, difração de raios-x, titulação calorimétrica, entre outras que forem necessárias durante a execução do projeto. Considerando os principais objetivos deste trabalho, os resultados esperados são classificados em resultados de produção científica, formação de recursos humanos, atendimento a interesses da sociedade.
  • Universidade Federal de Santa Maria - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Clarisse Pereira Mosmann

Ciências Humanas

Psicologia
  • coparentalidade, conflito familiar e sintomas psicológicos dos filhos: perspectivas de adolescentes
  • A alta prevalência de sintomas psicológicos na adolescência, suas repercussões e etiologia multifatorial, justificam o número cada vez maior de estudos que visam investigar os fatores associados à essa problemática. Evidências internacionais indicam que variáveis familiares como a coparentalidade e o conflito pais-filhos podem ser preditoras de sintomas psicológicos na prole, necessitando ser avaliadas em nível individual, diádico e triádico. Algumas dessas associações vêm sendo investigadas pela proponente nos projetos de pesquisa “Relações conjugais, coparentais e parentais: repercussões e impacto em problemas emocionais e de comportamento dos filhos” e Coparentalidade e sintomas psicológicos dos filhos: percepções de adolescentes de famílias nucleares e separadas (Cnpq: 446328/2014-6) com resultados publicados como capítulos de livros ou artigos científicos (Mosmann, Costa, Silva &, Luz, 2018; Mosmann, Costa, Einsfield, Silva, Koch, 2017, Costa, Machado, Schneider, & Mosmann, 2017; Fidelis, Falcke, & Mosmann, 2017; Mosmann & Falcke, 2017; Goulart, Mosmann, Wagner, Barbosa, 2016; Pasinato, & Mosmann, 2015). O conjunto destes estudos tem corroborado a importância das relações coparentais para a saúde mental da prole, entretanto, muitas lacunas ainda permanecem devido à complexidade dessas relações e da necessidade cada vez maior de utilização de delineamentos metodológicos que abarquem a co-construção dessas interações. É nesse contexto que se insere e justifica-se a presente proposta, visando a continuidade dessa vertente de investigações, mas ampliando-a, uma vez que nossos resultados vêm apontando ser necessário, também, considerar nessas interações o impacto de variáveis pessoais como o gênero do adolescente e as contribuições do pai e da mãe para a coparentalidade. Em termos contextuais, a diversidade familiar atual torna necessária a investigação dessas interações em famílias nucleares e separadas, vertente ainda pouco explorada no contexto nacional, especialmente sob a perspectiva de adolescentes. Assim, este projeto busca investigar as associações entre essas variáveis através de um estudo misto no modelo de duas etapas, definido como explicativo sequencial. Se realizará um acesso multinível, desde a perspectiva do adolescente, sobre variáveis individuais (contribuições da mãe e do pai para a coparentalidade; auto-avaliação de possíveis problemas emocionais e de comportamento) diádicas (conflito mãe-filho; pai-filho) e triádicas (coparentalidade – mãe, pai e filho). A primeira etapa quantitativa caracteriza-se como descritiva e explicativa, por buscar investigar o efeito preditor da coparentalidade (conflito, triangulação e cooperação) e do conflito pais-filhos em problemas emocionais e de comportamento de adolescentes de famílias nucleares e separadas. A segunda etapa será exploratória e qualitativa buscando compreender a relação coparental dos pais, o conflito entre pais-filhos e suas repercussões em problemas emocionais e de comportamento em adolescentes encaminhados para atendimento psicológico. Na etapa I estima-se a participação de, no mínimo, 300 adolescentes com idades entre 11 a 18 anos, de ambos os gêneros, residentes no Vale do Rio dos Sinos. Os adolescentes responderão a um instrumento composto de cinco partes para analisar as variáveis sóciodemográficas, a coparentalidade, o conflito pais-filhos e problemas emocionais e de comportamento dos jovens. Os dados serão analisados por meio de cálculos descritivos e inferenciais. A partir dos modelos de predição testados na etapa I serão identificados os efeitos preditivos das variáveis, o que embasará a elaboração de um roteiro para os grupos focais a serem realizados com adolescentes na etapa II. Serão realizados dois grupos focais, cada um deles constituído por 10 adolescentes encaminhados para atendimento psicológico na clínica-escola da Universidade e que estejam aguardando atendimento. Os adolescentes serão do gênero masculino e feminino, com idades entre 11 e 18 anos de famílias nucleares e separadas. As conversações no grupo focal serão examinadas utilizando-se o método de análise de conteúdo. Os dados de ambas etapas serão integrados e analisados à luz da teoria sistêmica. Os resultados deste estudo constituirão subsídios com forte potencial de inovação já que poderão embasar futuras intervenções com genitores e cuidadores que poderão ser desenvolvidas, testadas, implementadas e disseminadas como programas de prevenção e tratamento de sintomas psicológicos em adolescentes, constituindo-se assim em tecnologias sociais aplicadas à saúde mental. Através da parceria com professores nacionais e internacionais de referência na área da Psicologia Familiar, esse projeto propiciará uma aproximação entre os grupos de pesquisa e instituições repercutindo em produção de conhecimento científico qualificado na área. Em última instância, almeja-se contribuir com o desenvolvimento e qualificação em diferentes instâncias, reverberando na saúde mental familiar, no trabalho de profissionais da saúde mental, em pesquisas e produções científicas qualificadas nacionais e internacionais sobre relações familiares e, na formação de pesquisadores e profissionais.
  • Universidade do Vale do Rio dos Sinos - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Claudia Affonso Silva Araujo

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • como a atitude e o grau de conhecimento dos profissionais de saúde afetam a eficiência do processo de doação-transplante de órgãos no brasil?
  • Os profissionais de saúde exercem um papel crucial no processo de doação-transplante de órgãos, participando de etapas cruciais, como a identificação e manutenção do potencial doador e a entrevista familiar para doação de órgãos. Como resultado do envolvimento direto e indispensável nas diversas atividades que compõem este processo, a atitude e o grau de conhecimento destes profissionais em relação à doação de órgãos afetam a eficiência do processo, assim como a decisão de doação tomada por familiares de doadores falecidos, as taxas de doação e, em última instância, a opinião pública sobre o tema. Neste contexto, tendo em vista a relevância do tema, pretende-se fornecer resposta para os seguintes questionamentos, que se acredita terem significativo impacto no sucesso dos processos de doação-transplante de órgãos no país: (1) Qual a atitude e o grau de conhecimento dos profissionais de saúde no Brasil diante do processo de doação e transplante de órgãos? (2) Quais fatores de cunho social e pessoal podem influenciar, positiva ou negativamente, a atitude destes profissionais sobre o processo de doação-transplante de órgãos? e (3) Qual o impacto da atitude e do grau de conhecimento dos profissionais de saúde diante do processo de doação-transplante de órgãos sobre o desempenho dos programas estaduais de doação-transplante nos quais atuam? Para alcançar estes objetivos, o estudo terá uma abordagem quantitativa, com a aplicação de um questionário junto a médicos e profissionais de enfermagem que atuam em hospitais públicos e/ou privados localizados em dez estados Brasileiros, que são responsáveis por cerca de 90% da atividade de doação-transplante de órgãos em todo o Brasil (ABTO, 2017), quais sejam: São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Ceará, Bahia, Minas Gerais e Goiás. Para cada estado, serão selecionados até dois hospitais com o maior e até dois hospitais com o menor volume de doações e transplantes no ano de 2018. Um questionário já anteriormente validado no Brasil (Araujo e Siqueira, 2016) será utilizado para avaliar a atitude destes profissionais e o grau de conhecimento sobre o tema. Os dados serão analisados no software R, aplicando-se estatísticas descritivas, testes Chi-quadrado e Mann-Whitney e técnicas estatísticas multivariadas, como Análise Fatorial, Regressão Linear Múltipla e Regressão Logística. Este projeto tem o potencial de salvar e melhorar milhares de vidas e já conta com o apoio das Centrais Estaduais de Transplante (CETs) dos dez estados que participarão da pesquisa. Estas CETs firmaram acordo de cooperação em pesquisas com o Centro de Estudos em Gestão de Serviços de Saúde - CESS/COPPEAD e participarão do estudo. Além destas parcerias nacionais, o presente projeto conta com apoio internacional da Donation & Transplantation Institute, da Universidade de Barcelona, Espanha, país considerado benchmarking em gestão do processo de doação-transplante no mundo. O presente projeto busca contribuir para a expansão do conhecimento acadêmico sobre a gestão do processo de doação-transplante de órgãos no país, focando especificamente em profissionais de saúde atuantes em hospitais captadores/transplantadores de órgãos e tecidos.Para tal, prevê-se a publicação de artigos científicos em periódicos nacionais e internacionais de alto fator de impacto, desenvolvimento de trabalho de conclusão de curso, dissertação de mestrado e apresentação dos trabalhos desenvolvidos em congressos nacionais e internacionais. Espera-se também contribuir de forma significativa para o aperfeiçoamento das decisões gerenciais relativas à doação-transplante de órgãos no Brasil, mediante o desenvolvimento de casos de ensino e relatórios para o público gerencial. Finalmente, pretende-se contribuir para a formulação de políticas públicas com ações relativas à doação de órgãos no Brasil, como treinamento e motivação de profissionais da área. Assim, este projeto representa um importante instrumento de gestão para os coordenadores das CETs, para todo o Sistema Nacional de Transplante (SNT) e, em última instância, para o Ministério da Saúde por permitir a alocação eficiente dos recursos públicos, que são escassos, em ações que trarão resultados efetivos para a população brasileira.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Claudia Amoroso Bortolato

Ciências Humanas

Educação
  • o rio, a cidade e a escola - feira científica
  • Esta proposta visa a realização de Feira Científica no segundo semestre de 2019, tendo a EE Carlos Augusto de Camargo como sede, na cidade de Piedade – SP, serão apresentados trabalhos desenvolvidos ao longo de 2019 nas diferentes escolas participantes. A participação será voluntária, a partir de chamada aos coordenadores e professores de Ciências, Química, Física e Biologia, realizada diretamente nas escolas de Educação Básica Municipais, Estaduais e Particulares da cidade de Piedade. Os educadores serão convidados inicialmente para uma reunião de esclarecimento e lançamento da proposta de Feira Científica com a apresentação do cronograma de atividades e de capacitação e acompanhamento dos professores, coordenadores e escolas envolvidas no projeto para a pesquisa junior e a realização de Feira Científica. Os projetos de pesquisa versarão em torno do Rio Pirapora e sua importância local e regional, trabalhados nas áreas de química, física, biologia, geociências, matemática, astronomia e microeletrônica (com desenvolvimento de equipamentos para medidas locais de características da água). Todos os trabalhos serão acompanhados pelos professores das escolas com o apoio em trabalho cooperativo e formador do Laboratório de Tecnologia Educacional, Instituto de Biologia, Universidade Estadual de Campinas, onde a proponente realiza estágio pós-doutoral. A cidade de Piedade tem mais de 30 escolas, entre estaduais, municipais e particulares, com uma população de jovens a se estimular o envolvimento com ciência a partir do Rio Pirapora que corta a cidade. O desenvolvimento das pesquisas para a Feira partirão do rio da cidade para outros rios, mares e oceanos. Uma proposta que visa a pesquisa científica e ao letramento nas áreas de química, física, biologia, geociências e microeletrônica
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 04/12/2018-31/12/2020
Foto de perfil

Claudia Costa Bonecker

Ciências Biológicas

Ecologia
  • a planície de inundação do alto rio paraná
  • Pesquisas ecológicas de longa duração buscam o entendimento da complexidade dos processos ecológicos, e são essenciais para promover a conservação e gestão dos recursos naturais, além de permitirem a análise das tendências, perspectivas e cenários presentes e futuros. Na bacia do rio Paraná, estão localizados os maiores centros urbanos e industriais do Brasil, com severos impactos sobre a quantidade e a qualidade da água. O projeto será desenvolvido em parte desta bacia, na planície de inundação do alto rio Paraná (sítio número 6 (PIAP) do PELD) localizada no último trecho do rio Paraná livre de barramentos. Os estudos sobre esse ecossistema, bem como sobre as populações e comunidades biológicas presentes nos diferentes ambientes, e a socialização do conhecimento, iniciaram em 1986, porém se intensificaram com as amostragens contínuas, a partir de 2000 com o início do PELD brasileiro. As principais hipóteses propostas são: (i) a dinâmica espacial das populações e comunidades biológicas na planície de inundação é determinada pelos pulsos hidrológicos; (ii) a presença das barragens provoca a oligotrofização deste ecossistema; (iii) a elevação da temperatura da água, esperada devido ao aquecimento global, pode mudar a distribuição das espécies e a estrutura trófica dos ambientes da planície; (iv) as unidades de conservação são efetivas para a conservação da diversidade de espécies; e (v) as espécies não nativas reduzem a densidade de algumas espécies nativas, e alteram a estrutura de comunidades aquáticas. Os resultados obtidos (2017-2020) serão agregados à série temporal já existente (2000-2016). Pretende-se implementar abordagens analíticas de população, comunidade e sistemas, e avaliar a série temporal dos dados, contemplando 20 anos de amostragem na área do PIAP. A partir destas abordagens empírica e de modelagem, espera-se apresentar uma visão integrada das informações sobre as populações e as comunidades biológicas, e as condições ambientais que as cercam, incluindo as relações entre esses dois compartimentos ecossistêmicos, ao longo do tempo, a fim de elucidar e predizer processos. Para análise dos dados, serão utilizadas abordagens analíticas simples, univariada e multivariada, dependendo da hipótese a ser testada e das variáveis respostas e explanatórias analisadas. Em todas essas análises, serão controladas as escalas espaciais e temporais para inferência sobre os objetivos propostos. A coleta de dados sobre as práticas pesqueiras, os peixes e o ambiente será realizada por meio de questionários e com perguntas abertas. Todas as atividades do projeto terão a participação de alunos de graduação e pós-graduação da UEM. Mapas temáticos, tabelas e figuras deverão mostrar um cenário mais atual da variação das condições ambientais na planície, bem como da estrutura e dinâmica das populações e comunidades biológicas, ao longo do espaço e do tempo. Modelos conceituais, matemáticos e gráficos também terão mostraram o resultado as relações entre os componentes abióticos e bióticos. Os resultados esperados são: (i) conclusão de 20 monografias de curso de graduação, 35 dissertações e 20 teses de dois Programas de Pós-Graduação (Programas de Pós-Graduação em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais e Biologia Comparada); (ii) publicação de 80 artigos científicos em revistas nacionais e internacionais; (iii) publicação de um livro sobre a cobertura vegetal da planície de inundação, além da criação de um Herbário virtual (on line); (v) ampliação do conhecimento dos técnicos do Nupélia e da UEM em conservação e manejo dos recursos naturais, através de sua capacitação técnica em programas de pós-graduação; e (iv) elaboração de relatórios e documentos a serem encaminhados aos órgãos ligados ao manejo dos recursos naturais (ICM-Bio, SEMA-MS e IAP), quando solicitado. A divulgação científica gerada pelos estudos no PIAP irá subsidiar pesquisas em outras Instituições de Ensino e Pesquisa, e contará com a divulgação em mídia e em mostras cientifica-culturais a serem realizadas na região do sítio PELD. Essas informações também serão transmitidas aos gestores ambientais, visando o manejo racional da bacia hidrográfica do alto rio Paraná. Com esse novo projeto, pretende-se dar continuidade às parcerias estabelecidas desde 2000, e dentre essas parcerias, o projeto conta com pesquisadores nacionais e internacionais de outras Instituições e de outros sítios do programa PELD. Esse intercâmbio resultou na publicação de artigos científicos e a co-orientação de alunos de pós-graduação.
  • Universidade Estadual de Maringá - PR - Brasil
  • 01/01/2017-31/12/2020
Foto de perfil

Claudia Cristina Paro de Paz

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • análise do perfil de expressão de genes associados ao estresse térmico e consumo alimentar residual em bovinos das raças nelore e caracu
  • O objetivo principal desta proposta é avaliar o perfil de expressão de genes relacionados ao estresse térmico e consumo alimentar residual (CAR) entre as raças Nelore (Bos indicus) e Caracu (Bos taurus). Durante os meses de verão, quando as temperaturas atingem o pico (outubro a fevereiro), serão tomadas as mensurações das temperaturas retal e da superfície da pele e frequências cardíacas e respiratórias dos animais das duas raças. As amostras de sangue dos animais serão colhidas antes (pela manhã - 7:30h) e após (a tarde - 15:00h) à exposição ao sol, para dosar o hormônio adrenocorticotrófico e o cortisol. Para o teste de eficiência alimentar, são utilizados piquetes equipados com cochos GrowSafe System®, que permitem a mensuração de cada evento de alimentação individual e do consumo alimentar. Amostras de sangue serão utilizadas para extração de mRNA e estudo dos níveis de transcritos por PCR em tempo real dos genes HSPD1, HSPA1A, HSP90AA1, AHSG, NR3C1, NPY, POMC e SERPINI2. A identificação de diferenças em nível de expressão permitirá detectar biomarcadores que possam ser utilizados na seleção de animais mais eficientes e mais adaptados às condições climáticas.
  • Instituto de Zootecnia do Governo do Estado de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Cláudia Di Lorenzo Oliveira

Ciências da Saúde

Medicina
  • farmacocinética do benznidazol e correlação pk/pd
  • Introdução: A doença de Chagas é uma infecção parasitária causada pelo protozoário Tripanossoma cruzi. A doença possui duas fases: uma fase inicial aguda, geralmente assintomática, e uma crônica. Na última década, o tratamento da fase crônica tem aumentado, devido a recomendações feitas por organizações nacionais e internacionais. Contudo, poucas informações a respeito da farmacocinética do benznidazol estão disponíveis. Objetivo: Desta maneira, o presente estudo pretende avaliar qual a melhor dose de benznidazol, com melhor eficácia e menores efeitos tóxicos na fase crônica através de um modelo de cinética populacional e descrever as principais reações adversas ao medicamento. Metodologia: Serão incluídos pacientes adultos, com diagnóstico de Doença de Chagas, recrutados no Instituto de Infectologia Emílio Ribas (IIER) e que não tenham recebido benznidazol previamente. Serão coletadas amostras para a realização de hemocultura na primeira consulta, “D Zero”, que antecede o início do tratamento e após seis meses de início do mesmo. Aproximadamente duas semanas após o início da terapia medicamentosa (ao atingir o estado de equilíbrio - consulta “D15”), serão coletadas amostras para determinação da concentração plasmática e realização de exames laboratoriais de rotina. Ademais, questionários estruturados e padronizados serão aplicados aos participantes, estando neles presentes: dados antropométricos (peso corporal total, altura, índice de massa corporal), dados clínicos (queixas clínicas, eventos adversos, comorbidades, uso de outros fármacos), sociodemográficos (escolaridade, origem geográfica, renda) e exames laboratoriais (hemograma, transaminases, ureia e creatinina).Resultados esperados: Através deste estudo, espera-se: descrever as reações adversas do benznidazol;verificar a relação entre concentração plasmática e reação adversa; desenvolver um modelo de farmacocinética e farmacodinâmica (PK/PD) de benznidazol; verificar a relação entre concentração plasmática e eficácia; propor uma faixa terapêutica para o benznidazol e produzir uma revisão sistemática sobre o tema.
  • Universidade Federal de São João Del-Rei - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Claudia Diniz Lopes Marques

Ciências da Saúde

Medicina
  • estudo brasileiro de pacientes com doenças inflamatórias crônicas imunomediadas infectados pelo novo corona vírus 2019 (severe acute respiratory syndrome coronavirus 2 - sars-cov-2) – reumacov brasil
  • Os sintomas associados à infecção pelo SARS-CoV-2 são semelhantes aos da gripe comum, mas podem evoluir com maior gravidade, sobretudo pela exacerbação da resposta inflamatória sistêmica, bem como dano pulmonar e risco de morte. À medida que o surto da COVID-19 se tornou uma pandemia, diversos centros questionaram se os pacientes imunossuprimidos estariam com maior risco de desenvolver uma doença grave. Surpreendentemente, ao contrário dos agentes virais comuns (como Adenovírus, Rinovírus, Norovírus, Gripe, vírus sincicial respiratório), o SARS-CoV-2 não demonstrou causar uma doença mais grave nos pacientes imunossuprimidos de acordo com os relatórios de mortalidade e morbidade publicados na China e Itália, incluindo os pacientes com doenças reumáticas imunomediadas (DRIM). Assim, essa observação clínica tem chamado a atenção de reumatologistas sobre um potencial efeito benéfico ou “protetor” das medicações usadas para o controle de atividade da doença sobre os desfechos da infecção pelo SARS-CoV-2. Por outro lado, não existem dados robustos sobre a influência das DRIM na evolução de pacientes com COVID-19. Os medicamentos utilizados para o tratamento das DRIM incluem os glicocorticoides, os medicamentos modificadores do curso da doença sintéticos convencionais (MMCDsc), como metotrexato, leflunomida e azatioprina, MMCD sintéticos alvos específicos (MMCDsae), como inibidores da JAK, e MMCD biológicos (MMCDb), como bloqueadores do TNF, IL6, IL17, moduladores CTLA-4 e depletores de células B, e os imunossupressores, como a ciclofosfamida. Essas medicações podem promover alterações importantes na resposta imunológica e, como consequência, podemos antecipar potencial impacto na resposta imunológica humoral ou celular de proteção contra diversos patógenos. Os principais questionamentos atuais estão relacionados com a possibilidade de como os imunossupressores poderiam influenciar o curso da infecção? A atividade inflamatória da doença seria um fator de pior prognóstico naqueles infectados pelo SARS-CoV-2 ou a identificação de elevados níveis de IL-6 entre os pacientes que tiveram COVID19 mais grave poderia determinar proteção àqueles que são tratados com bloqueadores do receptor da IL-6? Como se comportam os autoanticorpos e as imunoglobulinas séricas nestes pacientes? Neste contexto, este estudo se propõe a avaliar a evolução de pacientes com DRIM, infectados pelo novo coronavírus 2019 (SARS-CoV-2) e descrever o curso da infecção nesses pacientes, bem como o impacto na atividade de doença e a influência de características da DRIM e/ ou de seu tratamento com os MMCD (sintéticos, alvo específicos e biológicos) sobre o curso da infecção. Será realizado estudo multicêntrico, observacional, caso-controle, coorte prospectiva, com grupo de comparação e amostragem de conveniência, para acompanhamento de pacientes adultos com DRIM que apresentarem infecção confirmada pelo SARS-CoV-2 em dois momentos: (1) avaliação transversal com informações sobre os sintomas prévios ou atuais da COVID-19 e situação clínica no momento da inclusão, que poderá ser feita presencialmente ou por contato telefônico; (2) acompanhamento prospectivo da evolução da DRIM por seis meses após a infecção viral. Assim que liberado o distanciamento social, ocorrerá a visita presencial para consulta clínica, exame físico completo e coleta de amostra de sangue e posterior avaliação sorológica confirmatória para infecção pelo vírus SARS-Cov-2. A coleta de dados referentes às características sociodemográficas, detalhes da apresentação das DRIM e seu tratamento, avaliação da atividade da doença utilizando instrumentos validados internacionalmente, bem como quanto à presença de comorbidades e medicações concomitantes. Além disso, serão abordados os aspectos específicos relacionados aos sintomas da COVID19 e seus desfechos de gravidade. Serão incluídos pacientes com COVID19 e pareados com pacientes com DRIM, mas sem sintomas da COVID 19. Os dados serão armazenados em plataforma RedCap, on line. Para analisar as diferenças de desfechos entre os grupos será utilizado um teste não paramétrico para amostras independentes, com significância de 0,05. Todos os desfechos e variáveis preditoras serão demonstrados através de estatística descritiva, utilizando-se a frequência absoluta e relativa das variáveis categóricas e a média (com desvio padrão) ou mediana (com intervalo interquartil) para as variáveis contínuas. As possíveis associações serão testadas por meio do teste Qui-quadrado ou teste de Fisher, quando houver distribuição normal; testes não paramétricos de associação serão utilizados em caso de distribuição não normal; correlações serão verificadas através do teste de Spearman ou Pearson. Também serão calculadas medidas de tamanho de efeito como risco relativo (RR) e redução absoluta do risco (RAR).
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 16/07/2020-15/09/2022
Foto de perfil

Claudia do Ó Pessoa

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • desenvolvimento e caracterização de sistemas de liberação contendo novos protótipos, para a otimização terapêutica de síndrome mielodisplásica e câncer colorretal
  • O câncer é grande problema de saúde pública mundial, e atualmente é responsável por uma em cada seis mortes no mundo. Ao avaliar os principais tipos de canceres os tumores malignos que acometem o cólon e o reto ocupam o terceiro lugar na incidência de câncer e é a quarta principal causa de mortalidade relacionada ao câncer em todo o mundo. Enquanto que a Síndrome Mielodisplásica (SMD) é uma neoplasia que afeta o sistema hematológico que ocorre hegemonicamente pessoas de idade avançada, com uma média de 65-70 anos ao diagnóstico. Neste sentido, para ambas a terapia atual possui eficácia limitada, havendo, portanto, a necessidade de desenvolvimento de novas estratégias de veiculação para moléculas em uso e para novas moléculas. Em trabalho prévio, o grupo de pesquisa demonstrou opotencial das Tambjaminas I e J, que mostraram efeitos citotóxicos frente diversas linhagens tumorais como câncer de colorretal, leucêmicas, próstata entre outras e em estudos por citometria induziram - morte celular por apoptose, com parada do ciclo celular, despolarização mitocondrial, presença de danos de DNA e formação de micronúcleos de maneira concentração e tempo dependente. Enuquanto que a quinoxalina em estudos prévios demonstrou atividade antitumoral in vitro contra linhagens de cânceres humanos, entre elas de câncer colorretal (HCT-116) e linhagens leucêmicas (K562, HL-60, KG-1 e Kasumi-1) e indução de autofagia. Contudo, em função da baixa solubilidade aquosa e farmacocinética desfavorável, os resultados in vivo apresentaram baixa eficácia, havendo necessidade da incorporação da molécula em nanofromulações. Neste sentido, os sistemas de liberação nanoestruturados de drogas, são vantajosos, permitindo o by pass, por melhorar a solubilidade e a farmacocinética, como por aumentar a estabilidade da droga encapsulada, permitindo a liberação lenta e sustentada, reduzindo assim a necessidade de administrações frequentes. Com isso serão produzidos lipossomas contendo tambjaminas e lipossomas contendo quinoxalina, para avaliação in vitro e in vivo em modelo animal de câncer de colorretal e SMD respectivamente. Os lipossomas serão caracterizados por técnicas físico-químicas clássicas, empregando cromatografia líquida de alta eficiência, microscopia eletrônica, termogravimetria, espalhamento dinâmico de luz, etc. Enquanto que a avaliação in vitro envolverá estudos de citotoxicidade em linhagem de tumorais de colorretal e leucêmicas e também contemplará os estudos de captação celular dos nanocarreadores, por microscopia confocal e citometria de fluxo. In vivo, será determinada o efeito antitumoral em modelo xenográfico, com imagem tomatográfica do crescimento tumoral para o câncer de colorretal e modelo genético para o SMD, a ser realizado em cooperação com pesquisador da Austrália National University. As características histológicas e imunohistológicas dos tumores serão avaliadas. Em todo esse processo de desenvolvimento do produto, desde a síntese será considerado o aspecto de proteção intelectual, éticos, biosegurança e BPL.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Claudia do Ó Pessoa

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • desenvolvimento e validação de compostos antimitóticos em lipossomas vetorizados com anticorpos monoclonais anti-egfr para liberação sitio especifica na terapia do câncer de próstata
  • O câncer de próstata afeta milhares de pacientes no Brasil, possuindo elevadas taxas de mortalidade, e por isso representa grave problema de saúde pública. Neste sentido, a terapia atual possui eficácia limitada, havendo, portanto, a necessidade de desenvolvimento de novas estratégias de veiculação para moléculas em uso e para novas moléculas. Em trabalho prévio, o grupo de pesquisa demonstrou a potente atividade da nova molécula antimitótica não tubulinica, o (+)-2,3,9-trimetoxipterocarpano contra o câncer de próstata, com menos efeito neurotóxico. Contudo, em função da baixa solubilidade aquosa e farmacocinética desfavorável, os resultados in vivo apresentaram baixa eficácia, havendo necessidade da incorporação da molécula em formulações mais modernas. Neste sentido, os sistemas de liberação nanoestruturados de drogas, são vantajosos, permitindo o by pass, por melhorar a solubilidade e a farmacocinética, como por aumentar a estabilidade da droga encapsulada, permitindo a liberação lenta e sustentada, reduzindo assim a necessidade de administrações frequentes, além de direcionar a tumores sólidos pelo efeito EPR. Adicionalmente, a funcionalização de nanocarreadores, por exemplo lipossomas, com anticorpos monoclonais, como o anticorpo anti-EGFR, com potencial de reconhecer o receptor EGF superexpresso em alguns tipos de câncer de próstata, permite a liberação direcionada e específica à célula tumoral, com potencial de redução dos efeitos colaterais da droga. Para impulsionar a inovação no tratamento do câncer com o uso de anticorpos monoclonais, desenvolveremos anticorpos anti-EGFR biossimilares, contemplando as etapas de construção genética, expressão, caracterização e produção, seguindo as normas de BPL e biossegurança. Assim, a proposta visa encapsular a molécula pterocarpano e o fármaco modelo, cabazitaxel (antimitótico que agre por estabilização dos microtúbulos), em lipossomas e funcionalizar com anticorpos monoclonais anti-EGFR a serem produzidos pelo grupo, para avaliação in vitro e in vivo no tratamento do câncer de próstata. Os lipossomas e imunolipossomas serão caracterizados por técnicas físico-químicas clássicas, empregando cromatografia líquida de alta eficiência, microscopia eletrônica, espalhamento dinâmico de luz, etc. A avaliação in vitro envolverá estudos de citotoxicidade em linhagem de câncer de próstata com baixa e alta expressão de EGFR, e também contemplará os estudos de captação celular dos nanocarreadores, por microscopia confocal e citometria de fluxo. In vivo, será estudada a toxicidade das formulações envolvidas e análise da farmacocinética, bem como o efeito antitumoral em modelo xenográfico, com imagem tomatográfica do crescimento tumoral para o câncer de próstata, empregando microscopia de fluorescência. As características histológicas e imunohistológicas dos tumores serão avaliadas. Em todo esse processo de desenvolvimento do produto, desde a síntese, desenvolvimento dos anticorpos até a funcionalização dos lipossomas serão considerados os aspectos de proteção intelectual, éticos e BPL. Tem-se o propósito de transferir o conhecimento adquirido e a tecnologia desenvolvida para as unidades de produção da Fiocruz, Bio-Manguinhos RJ e/ou Farmanguinhos, detentora da tecnologia para a produção de biofármacos e fármacos com a missão de atender ao SUS. A proposta portanto está em consonância com a política de inovação em saúde do país. Procuraremos fortalecer o núcleo de excelência na área pesquisa e inovação em fármacos, biofármacos e imunoconjugados para o tratamento do câncer no Brasil, integrando grupos de excelência na Universidade Federal do Ceará, sendo pioneiros na produção de lipossomas funcionalizados com anticorpos monoclonais.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 10/11/2018-30/11/2021
Foto de perfil

Claudia dos Santos Mermelstein

Ciências Biológicas

Morfologia
  • o papel do colesterol e das rafts lipídicas na sinalização por sonic hedgehog durante a miogênese
  • A fibra muscular esquelética é formada a partir da adesão de células precursoras, os mioblastos, que se alongam e se fundem formando células multinucleadas em um processo denominado miogênese. A fusão de mioblastos depende de moléculas presentes na membrana, incluindo proteínas e lipídeos específicos, tais como o colesterol. O modelo de estrutura da membrana plasmática foi revisto com base na descoberta de regiões especializadas de membrana enriquecidas em colesterol, os chamados micro domínios de membrana (ou rafts lipídicas). O objetivo deste projeto é o estudo do papel destes microdomínios na via de sinalização de sonic hedgehog (Shh) durante a diferenciação muscular. Nosso principal modelo de estudo é a cultura primária de células musculares esqueléticas obtida a partir de músculo peitoral de embriões de galinha. Para estudar a membrana, podemos perturbá-la através do uso da substância metil-beta-ciclodextrina (MbCD). MbCD tem alta afinidade por colesterol e quando colocada no meio de cultura de células, se liga ao colesterol e pode assim retirá-lo da membrana plasmática. Resultados de nosso grupo de pesquisa mostram que a retirada de colesterol da membrana de mioblastos provoca um aumento da fusão de mioblastos e a formação de fibras musculares bem maiores do que as encontradas em culturas controle. As culturas tratadas com MbCD mostram também a ativação de via de Wnt/beta-catenina. Nossos resultados mostraram que moléculas de Wnt3a presentes no meio condicionado seriam os responsáveis por estes efeitos. Moléculas de Wnt ficam presas a membrana através de ancoras lipídicas do tipo palmitoil e em regiões ricas em colesterol. Neste projeto vamos analisar se outra via de sinalização importante na miogênese, a via de Sonic hedgehog (Shh), também é regulada por colesterol e pelas rafts lipídicas. Shh também é descrita como tendo ancoras lipídicas do tipo palmitoil e estando presente em regiões ricas em colesterol da membrana plasmática. Vários trabalhos sugerem que Shh tem um papel importante na proliferação de células tronco musculares, as células satélites musculares. Embora já tenha sido estudado o papel de Shh na miogênese, sua relação com os microdomínios ainda não foi estudada. Este estudo é de grande interesse do ponto de vista da busca de estratégias para o desenvolvimento de protocolos experimentais que poderão ser utilizados em terapias voltadas ao tratamento de doenças musculares degenerativas.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Claudia Elizabeth Thompson

Ciências da Saúde

Medicina
  • inovação em diagnóstico molecular de infecções de difícil tratamento do sistema nervoso central
  • As infecções do Sistema Nervoso Central representam um grande desafio clínico, tendo em vista que a identificação do agente etiológico, muitas vezes, é realizada em menos de 50% dos casos. Essas infecções impõem um enorme gasto com recursos na área da saúde em todo o mundo e são consideradas emergências neurológicas com altas taxas de mortalidade e morbidade, em parte devido à evolução dos mecanismos de virulência e aquisição de genes de resistência a antimicrobianos. Assim, torna-se essencial que sejam realizados diagnósticos rápidos e precisos para detecção precoce dos agentes etiológicos, tratamentos eficientes e, consequente, menor oneração do Sistema de Saúde Pública. Em 2016, nos Estados Unidos, foi realizado o primeiro estudo piloto do mundo, com 10 pacientes, com a utilização de sequenciamento metagenômico e análise de dados por bioinformática, método nomeado Metagenomic Next Generation Sequencing (mNGS), permitindo a identificação dos agentes etiológicos responsáveis por graves infecções do Sistema Nervoso Central (SNC). Contudo, os pipelines computacionais disponíveis não são suficientemente rápidos e precisos a fim de identificar o agente etiológico em poucos dias. Dessa forma, sua aplicabilidade à prática clínica fica prejudicada. Além disso, não possuem funcionalidades importantes como a análise de predição gênica, anotação funcional e detecção de genes associados à resistência e virulência, dados que são fundamentais para que se possa identificar micro-organismos mais agressivos e resistentes a medicamentos. Já em 2017, com a experiência acumulada na análise de grande quantidade de dados gerados por projetos genômicos e metagenômicos, nosso grupo de pesquisa iniciou estudos a fim de otimizar os algoritmos e métodos computacionais de análise de dados metagenômicos de neuroinfecções, sendo que no final do mesmo ano tivemos projeto aprovado pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul e financiamento do Banco Mundial, com a parceria de Hospitais da região metropolitana de Porto Alegre a fim de realizar pesquisa com o objetivo de desenvolver um método eficiente de diagnóstico de infecções do SNC. O foco principal do presente projeto é o desenvolvimento de novos métodos computacionais e protocolos diagnósticos para essas infecções, que possam levar a uma menor taxa de mortalidade e morbidade e ao controle e combate à resistência, uma vez que métodos diagnósticos eficientes levam à seleção rápida e correta dos medicamentos e a um tratamento também eficiente. Para atingirmos esse objetivo utilizaremos dados metagenômicos de pacientes com suspeita ou confirmação de neuroinfecções, obtidos por novas tecnologias de sequenciamento, disponíveis em bancos de dados públicos, e aprimoraremos um pipeline computacional em desenvolvimento por nosso grupo de pesquisa para a identificação dos agentes etiológicos, bem como dos genes de resistência e virulência desses micro-organismos patogênicos responsáveis por infecções de difícil manejo do SNC. Trata-se de uma abordagem biotecnológica inovadora no Brasil e no mundo. Os dados metagenômicos serão analisados a partir de uma abordagem gênica, que incluirá a montagem de fragmentos, predição de genes, anotação funcional, alinhamento contra bancos de dados de genes de resistência e virulência, por meio de algoritmos de bioinformática que serão reunidos em uma plataforma integrada. A partir desta plataforma, profissionais da saúde e pesquisadores poderão obter informações relacionadas aos agentes etiológicos das neuroinfecções, bem como dados relacionados à resistência e virulência, permitindo uma melhor compreensão da relação entre o caso clínico, os dados moleculares e o mecanismo de infecção, contribuindo para diminuição do tempo de resposta diagnóstica e para a promoção de um tratamento melhor direcionado ao paciente.
  • Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre - RS - Brasil
  • 31/08/2020-31/08/2022
Foto de perfil

Claudia Esther Alicia Rocio Hassan

Ciências Biológicas

Genética
  • investigando o papel da microbiota intestinal na patogênese e curso clínico da leucemia linfocítica crônica
  • A leucemia linfocítica crônica (LLC) é a neoplasia hematológica mais frequente no mundo ocidental. É caracterizada pelo acúmulo de linfócitos B CD5+ CD23+ de vida longa e resistentes à apoptose, que trafegam entre o sangue periférico, medula óssea e tecidos linfóides secundários. Os pacientes têm um curso clínico muito heterogêneo, variando de doença indolente a progressão rápida e, eventualmente, transformação para linfoma não-Hodgkin. Um fator importante no desenvolvimento e curso clínico da LLC é a estrutura e sinalização dos receptores de células B (BCRs) ou imunoglobulinas (IG) de membrana. Estudos mostraram que: (1) os genes variáveis da cadeia pesada da IG (IGHV) usados para montar os domínios variáveis da IG clonotípica na LLC diferem daqueles usados pelas células B CD5+ normais; (2) esses IGHVs podem, em ~ 1/3 pacientes, associar-se a genes específicos IGHD e IGHJ resultando em uma região de reconhecimento antigênico (CDR3) de estrutura altamente homóloga e notavelmente semelhante (“BCRs estereotipados”); (3) pacientes com LLC podem ser divididos em categorias com base na presença ou ausência de hipermutação somática no IGHV; (4) os pacientes subdivididos desta maneira têm cursos clínicos muito divergentes, aqueles com IGHV mutados (LLC-M) mostram uma doença indolente, muitas vezes sem necessidade de terapia, enquanto que aqueles com IGVH não mutados (LLC-NM) mostram uma doença progressiva em um curto período de tempo; (5) as capacidades de ligação ao antígeno das células B da LLC segregam de acordo com o status de mutação IGHV, com BCRs NM sendo, em geral, altamente auto- / polirreativos, e BCRs M sendo mais restritivos. Outra evidência do papel dos BCR na biologia da doença é o grande sucesso das terapias com inibidores da tirosina quinase de Bruton, que inibem a sinalização do BCR, levando a um atraso significativo na progressão da doença e a uma grande melhora na qualidade de vida. Essas características levaram à hipótese de que o desenvolvimento de CLL é dirigido por interações antígeno-receptor. Entre os fatores extrínsecos, as infecções bacterianas em sinergia com neo-auto-antígeno e células apoptóticas podem levar à evolução da LLC através do estímulo do BCR com características moleculares distintas. Além disso, na LLC, a BCR colabora com receptores de imunidade inata, entre eles, os receptores Toll-like (TLRs), que reconhecem padrões moleculares associados a patógenos (PAMPs) amplamente conservados. Assim, a pergunta sobre o papel do microbioma intestinal na patogênese e comportamento clínico da doença é plausível e ainda não foi respondida. O microbioma humano, o complexo sistema de populações de microrganismos em um nicho corporal, geralmente estabelece relações benéficas com o hospedeiro, mas algumas relações disbióticas podem resultar no desenvolvimento de doenças inflamatórias e cânceres. Estudos metagenômicos mostram que a microbiota pode contribuir para a suscetibilidade e progressão do câncer por diversos mecanismos, como por exemplo através de modular a inflamação e as respostas imunes, induzir dano ao DNA e produzir metabólitos envolvidos na oncogênese ou supressão tumoral. A ligação patogênica mais reconhecível é entre o microbioma intestinal e o câncer via sistema imune, pois a microbiota residente desempenha um papel essencial na ativação, treinamento e modulação da resposta imune do hospedeiro. O microbioma saudável é dinâmico e é modificado durante o processo de envelhecimento, sendo que os idosos apresentam uma microbiota intestinal disbiótica. Assim, o envelhecimento e a inflamação podem estar inter-relacionados com o processo de câncer, resultando em assinaturas específicas de microbioma. A LLC é uma neoplasia tipicamente diagnosticada por volta dos 70 anos. O fato de a LLC ser uma doença do idoso e a importância dos estímulos microambientais para a sobrevida das células leucêmicas fazem da LLC uma interessante candidata para investigar a potencial associação do microbioma na patogênese e resposta terapêutica da doença. Ainda não existe um estudo sobre o papel do microbioma no comportamento clínico e biológico da LLC. Nossa hipótese é a de que existe uma assinatura microbioma associada à LLC e diferente da população saudável da mesma idade, que os grupos imunogenéticos da LLC diferem no perfil metagenômico, e que uma espécie bacteriana ou combinação deles é identificada entre o intestino ou comensais circulantes, afeta a resposta à quimioimunoterapia. Para testar estas hipóteses propomos o seguinte desenho experimental: (1) O estudo inicial de pacientes com LLC (N=150), caracterização imunogenética (estado mutacional e estereótipos do gene IGVH) e da evolução clínica; (2) Recrutamento de pacientes com linfocitose monoclonal B; (3) Formação de biorrepositório de células leucêmicas e plasma; (4) Seleção de grupos de comparação, pareando por idade, sexo e tipo de receptor (IGVH); (5) Recrutamento de grupos imunogenéticos específicos; 8 LMB, 28 LLC), coleta de fezes para estudos de metagenômica; (6) Estudo de um grupo controle (12 doadores saudáveis pareados por idade e sexo); (7) Estudos da microbiota intestinal bacteriana por sequenciamento massivo paralelo (16S NGS) e análise bioinformática; (8) Estudo das subpopulações linfoides T e NK por citometria de fluxo e proteôma em larga escala de pacientes e doadores; (10) Proposta de um modelo. Um grande ganho deste projeto será iniciar o entendimento do papel da interação microbioma-hospedeiro no desenvolvimento e na resposta clínica de pacientes com LLC. Esse entendimento poderá levar a uma melhor caracterização dos riscos no momento do diagnóstico, e abrirá caminhos para o desenvolvimento de novas terapias alvo.
  • Instituto Nacional de Câncer - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Claudia Fortes Ferreira

Ciências Humanas

Educação
  • validação de genes para tolerância ao déficit hídrico e produção de ativos biotecnológicos no desenvolvimento de variedade de bananeira com uso eficiente de água
  • Vide projeto anexo
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - BA - Brasil
  • 29/11/2019-30/11/2022
Foto de perfil

Claudia Ida Brodskyn

Ciências Biológicas

Imunologia
  • avaliação do potencial imunomodulador de nanopartículas carredoras de hsp60 humano no tratamento da leishmaniose cutânea causada por leishmania braziliensis
  • Nos últimos anos, a indução da tolerância oral tem sido utilizada com sucesso em vários modelos experimentais de doenças autoimunes, tais como encefalomielite autoimune experimental (EAE), diabetes e artrite, bem como em outras condições inflamatórias tais como colite e alergias (1). Vários estudos vêm sendo executados com o intuito de avaliar a administração oral de bactérias lácticas, com a finalidade de criar um mecanismo natural de liberação de antígenos diretamente na mucosa intestinal (2). A leishmaniose é uma doença tropical que afeta cerca de 350 milhões de pessoas. Diferentes espécies do parasita estão associadas com diferentes manifestações clínicas da doença, abrangendo desde lesões com acometimento cutâneo até a visceral com alta mortalidade. Tais manifestações também dependem da resposta imune do indivíduo acometido pela doença (3). Embora citocinas inflamatórias sejam fundamentais para a destruição da Leishmania, sua presença, sem um sistema de regulação leva à formação da lesão. É importante o equilíbrio entre a inflamação e a regulação da resposta imune para a destruição do parasita e diminuição do ambiente inflamatório induzido pela infecção. A tolerância oral é definida como um estado de supressão da reatividade imunológica frente a antígenos externos previamente administrados por via oral, levando à supressão da resposta inflamatória, pela indução de células T antígeno-específicas secretoras de diferentes citocinas anti-inflamatórias, como IL-10 e TGF-beta; (4). As proteínas de choque térmico (HSPs), podem servir como candidatas promissoras para a indução de mecanismos reguladores com ativação de células T reguladoras (T regs) (5). A HSP60 humana, por exemplo, pode ser reconhecida por receptores do tipo Toll 2 e por receptores da imunidade adaptativa, afetando a inflamação e reduzindo a entrada de células para o sítio inflamatório (6, 7), além de induzir a diferenciação de células T regulatórias, como Treg Foxp3+ e LAP+ e levar ao aumento na produção de IL-10 pelas células T (8). Lactococcus lactis são bactérias lácticas, Gram-positivas, não patogênicas, amplamente utilizadas na indústria de alimentos e preservação de produtos fermentados (9). Estudos têm demonstrado que Lactococcus lactis recombinantes produtores de HSP65 possuem atividade imunorreguladora capaz de induzir tolerância oral e promover proteção contra aterosclerose, encefalomielite e colite em camundongos (5, 10-12) e artrite adjuvante em ratos (13) por meio da indução de tolerância oral. Nosso grupo demonstrou que o tratamento com Lactococcus lactis recombinante, antes da infecção com L. braziliensis leva a uma redução do processo inflamatório e também no número de parasitas ao longo da infecção, demonstrando que as respostas imunes específicas para o parasita não foram afetadas, mas imunomoduladas, diminuindo assim as consequências imunopatológicas observadas na infecção experimental por L. braziliensis. Uma limitação importante, neste estudo, entretanto, é que a HSP65, proteína de choque térmico responsável pelo efeito tolerogênico, é obtida de Mycobacterium leprae, o que representa um obstáculo para o tratamento clínico em seres humanos. Além disso, a administração oral de L. lactis produtor de HSP65 requer vários dias para alcançar a indução de tolerância oral. Para superar estas limitações, pretendemos otimizar o protocolo de tratamento para pautas de administração mais convenientes e racionais, simplificando o regime para dose única; e favorecer o potencial translacional através da utilização de HSP60 humano, com alta homologia com HSP65 de M. leprae. Para alcançar esses objetivos, pretendemos desenvolver nanoformulações bioadesivas e biodegradáveis para a liberação controlada de HSP60 humano na mucosa intestinal, que serão administradas por via oral. Esta estratégia de indução de tolerância oral representa uma nova alternativa terapêutica a ser testada para diferentes patologias inflamatórias, incluindo a infecção por L. braziliensis. Nanopartículas similares, a que serão utilizadas neste projeto, de polianidrido maleico já foram utilizadas em modelos experimentais de alergia à castanha de caju em nosso laboratório e não apresentaram nenhum tipo de reação adversa, levando à indução de células T regulatórias produtoras de IL-10 (14). Serão desenvolvidas formulações de nanopartículas de polianidrido maléico (PMV/MA NP) contendo HSP60 humano. Estudos do grupo do Dr. Juan Manuel Irache (Universidade de Navarra, Espanha) demonstraram que as formulações de PMV/MA NP aumentam as interações bioadesivas ao longo do trato gastrointestinal, (15, 16). O alto potencial terapêutico das formulações nanoparticuladas de liberação controlada vêm sendo amplamente demonstrado. A incorporação de biomoléculas e antígenos em sistemas de liberação controlada apresenta várias vantagens em comparação com a administração em solução, entre elas: a proteção contra a inativação química, enzimática ou imunológica; o aumento do transporte pelo organismo e da penetração celular; o aumento da biodisponibilidade; e a redução de efeitos adversos e toxicidade (15). Desta forma, as nanopartículas permitem aumentar a potência terapêutica das moléculas encapsuladas e, através da liberação controlada das mesmas a partir da matriz polimérica, minimizar o risco de indução de reações adversas. Assim, estes sistemas nanoestruturados podem ser empregados de forma eficaz para o desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas com alta eficácia e segurança clínica. O desenvolvimento destas nanopartículas será realizada por Dra. Juliana Rebouças (UPE) que apresenta expertise no assunto, tendo sido este o tema de seu Doutorado. Assim, pretendemos investigar se administração por via oral de nanoformulações bioadesivas biodegradáveis para liberação controlada de HSP60 humano em camundongos BALB/c, atua como indutor de tolerância oral, criando um ambiente anti-inflamatório e atenuando os efeitos da infecção por L. braziliensis.
  • Fundação Oswaldo Cruz - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022