Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Suzana Mary de Andrade Nunes

Ciências Humanas

Educação
  • projeto brilho nos olhos: sensibilizar a criança para o conhecimento do mundo e para a vida democrática
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal de Sergipe - SE - Brasil
  • 12/08/2019-30/11/2021
Foto de perfil

Suzana Meira Ribeiro

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • reposiocionamento de fármacos como abordagem para combater biofilmes bacterianos formados por isolados clínicos multiresistentes á antibióticos
  • O tratatamento de infecções bacterianas têm se tornado um desafio mundial devido ao surgimento de multiresistentcia à antibióticos e a formação de biofilmes, bactérias vivendo em comunidades e protegidas por uma matriz extracelular. Biofilmes são responsáveis por mais da metade de todas as infecções descritas. Essa forma de vida bacteriana é associada à infecções crônicas. As infecções ocasionadas por biofilmes têm sido consideradas recorrentes e, despertam apreensão em profissionais da saúde em todo o mundo, visto que, os antimicrobianos disponíveis para tratamento clínico atuam primariamente contra bactérias no estado planctônico (células bacterianas independentes). A maioria desses antibióticos têm se mostrado ineficiente em combater biofilmes. Usualmente, altas doses de antibióticos (até 1000 vezes ou mais) são necessários para combater biofilmes quando comparado com as doses utlizadas para combater bactérias no estado planctônico. O combate a biofilme pode se tornar ainda mais difícil se bacterias que os formam, carregam genes de resistência a antibióticos (exemplo: genes de resistência a colistina, a carbapenem, a meticilina). Um outro agravante acerca dos biofilmes, é que esses estilo de vida bacteriano pode ser formado por múltiplas bactérias, podendo tornar ainda mais difícil a eliminação dos mesmos. Infelizmente a maioria dos antibióticos é infeficente em combater biofilmes. Portanto, é urgente a necessidade de novas alternativas para combater biofilmes bacterianos, principalmente aqueles formados por bactérias multiresistentes à antibióticos. Uma alternativa contra biofilmes, poderia ser reposionamento de fármacos. A vantagem dessa abordagem, reside no fato que os mesmos já foram aprovados por agências reguladoras — já foram testados quanto a sua segurança, farmacocinética e efeitos colaterais em humanos. Diante disso, o objetivo desse projeto é triar propriedades antibiofilmes entre classes terapêuticas de fámacos não antibióticos, aprovados pela ANVISA,. O projeto propõe usar os fámacos independentes ou combinados com antibióticos contra biofilmes (monomicrobianos ou polimicrobianos) de bactérias pertencentes ao grupo ESKAPE (Enterococcus faecium, Staphylococcus aureus, Klebsiella pneumoniae, Acinetobacter baumanni, Pseudomonas aeruginosa e Enterobacter spp.). Esses patógenos são associados às altas taxas de infecções e resistência a terapias antimicrobianas no mundo todo. A identificação de propriedades antibiofilmes entre fármacos já disponíveis no mercado, poderia também reduzir os custos e o tempo associados a investigação de um novo medicamento, além de indicar caminhos para aumentar a qualidade de vida de pacientes que sofrem com infecções bacterianas crônicas.
  • Universidade Federal da Grande Dourados - MS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022