Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Therezinha de Jesus Pinto Fraxe

Ciências Agrárias

Agronomia
  • rede de negócios sustentáveis do urupadí (renesu): consórcio de produção, comercialização e consumo das comunidades tradicionais por meio dos princípios da sustentabilidade e co-gestão
  • A extensa dimensão territorial da Amazônia faz com que a comercialização de produtos seja um entrave entre agricultores, pescadores e ribeirinhos em geral. Esse entrave por sua conseqüência tende a levar alguns ribeirinhos a pagarem um alto custo na compra, venda e troca de produtos que precisam para sobreviver. Decorrente disso, a dificuldade em comercializar, estimular a pratica de atividades nocivas ao meio ambiente como comercialização de madeiras de lei, caça e pesca predatória. Diante disso, o arranjo institucional em torno da produção e comercialização do ribeirinho, proporciona uma rede de cooperação autogestionária, justa, solidária e benéfica aos indivíduos e ao meio ambiente, uma vez que garante incremento na renda, fornece segurança alimentar e aumenta a qualidade de vida dos ribeirinhos.
  • Universidade Federal do Amazonas - AM - Brasil
  • 01/12/2018-30/11/2021
Foto de perfil

Therezinha de Jesus Pinto Fraxe

Ciências Agrárias

Agronomia
  • cooperativismo como estratégia de inclusão socioeconômica e melhoria da qualidade de vida de comunidades rurais do amazonas.
  • O cooperativismo no Estado do Amazonas necessita de fomento e pesquisas que subsidiem as formas de criação e implementação de cooperativas. Nas áreas rurais, a criação de cooperativas pode ser um importante instrumento de fortalecimento da agricultura familiar no Estado, visto que os agricultores enfrentam grandes dificuldades para o escoamento da produção, devido às grandes distâncias das áreas de produção aos centros de comercialização, a falta de recurso para o transporte e as péssimas condições das vicinais e estradas. Desta forma, esse projeto contribuirá com a apresentação de informações sobre os gargalos e potencialidades de cooperativas instaladas na região metropolitana de Manaus, possibilitando a observância de seus impactos na socioeconomia local e regional e elucidando estratégias de gestão adaptadas às realidades vivenciadas pelas cooperativas e agricultores da região norte, pois apresentam peculiaridades e dificuldades diferentes das demais regiões do país. Os resultados permitirão às cooperativas melhorar seus processos de gestão, observando-se as possibilidades de inovações e aos agricultores, apresentarão caminhos para aumento da renda e melhoria da qualidade de vida aos cooperados e suas famílias.
  • Universidade Federal do Amazonas - AM - Brasil
  • 08/09/2018-30/09/2021
Foto de perfil

Thiago Alexandre Santana Gilio

Ciências Agrárias

Agronomia
  • mapeamento associativo e genético da resistência fisiológica do feijão comum ao patógeno causador do mofo branco
  • O feijão comum (Phaseolus vulgaris L.) está entre as leguminosas mais cultivadas e produzidas no mundo (FAO 2017), tendo a posição de destaque como a terceira espécie mais importante, depois da soja (Glycine max L.) e do amendoim (Arachis hypogea L.) (Gepts et al., 2005). Além disso, o feijão comum é considerado um importante alimento básico para mais da metade da população mundial, pois seus grãos e vagens são ricas em proteína, fibra, ferro, carboidratos complexos, minerais e vitaminas. Além da sua relevância na dieta do brasileiro, o feijão é um dos produtos agrícolas de maior importância socioeconômica, podendo ser cultivado por grandes produtores, altamente tecnificados e, por pequenos produtores, que empregam basicamente a mão-de-obra familiar. Porém, um dos principais desafios para o cultivo sustentável do feijão é a ocorrência de doenças sendo o mofo-branco, causado pelo fungo Sclerotinia sclerotiorum (Sib.) de Bary, uma das doença mais prejudiciais ao feijoeiro, principalmente na safra de outono-inverno, época que o feijão comum é mais cultivado no estado de Mato Grosso. O mofo branco é de difícil controle e na atualidade a medida mais utilizada para controlá-lo é a aplicação de fungicidas, geralmente pouco eficazes. A maior dificuldade enfrentada nos programas de melhoramento visando resistência é o tempo necessário para o desenvolvimento de uma cultivar que pode levar de seis anos a dez anos. De forma a agilizar o processo de transferência de novos genes de resistência às doenças, recentemente, os programas de melhoramento genético passaram a utilizar os marcadores moleculares. Dentre estes, destacam-se os microssatélites - SSR (Simple Sequence Repeat) e os SNP’s (Single Nucleotide Polymorphisms). Nos últimos anos tem havido um rápido desenvolvimento tecnológico que proporciona a avaliação de elevado número de SNP’s e amostras de DNA. Novas tecnologias têm sido desenvolvidas, em que o custo por SNP loci (marcador genômico SNP) caiu de preços exorbitantes para centavos. Dentre as ferramentas mais utilizadas na genotipagem estão o SNP Bead Chip HD infinium (Illumina), Sequenomarray, Genotyping by sequencing (genotipagem por sequenciamento), DARtseq, KASP e outros tantos. Essas novas tecnologias permitem rapidez no desenvolvimento de marcadores moleculares e ao melhoristas a melhor predição em seus programas de melhoramento. Sendo assim a presente proposta tem como objetivos: I - identificar fontes de resistência genética do feijão comum ao fitopatógeno causador do mofo branco Sclerotinia sclerotiorum; II - identificação de regiões genômicas provedoras da resistência do feijão comum ao patógeno causador do mofo branco; III - desenvolvimento de marcadores moleculares ligados e associados a genes de resistência ao mofo branco; IV- Identificação e validação de regiões genômicas provedoras da resistência do feijão comum ao patógeno causador do mofo branco. Para atingir tais objeticos utilizaremos um painel de cultivares tradicionais Andinas e Mesoamericanas com 227 acessos. Esses 227 acesso já foram genotipados com milhares de marcadores SNPs em que 110 acessos foram genotipados com 5398 SNPs com o Illumina BeadChip BARCBean6K_3 e os outros 117 acessos foram genotipados por sequenciamento. A proposta foi dividida em três subprojetos que serão executados na Universidade do Estado de Mato Grosso, campus de Cáceres-MT conforme descrito a seguir:- Subprojeto I: Identifcação de fontes de resistência ao patógeno causador do mofo branco: Os 227 acessos de feijão comum serão inoculados pelo método do corte do caule “stem cut” com três isolados diferentes de S. Sclerotium e notas de 1 a 9 serão atribuídas aos diferentes niveis da doenças. Os acessos de feijão comum com as menores notas estatisticamente serão considerados como fontes de resistência ao patógeno causador do mofo branco. Subprojeto II: Identificações de regiões genômicas responsáveis pela resistência ao fitopatógeno causador do mofo branco: Nesta etapa do projeto será relizada a associação genômica ampla dos marcadores SNP com reações fisiológicas do feijão comum ao fungo S. Sclerotium, características estas avaliadas no subprojeto I. As análises serão realizadas separadamente para cada um dos tipos de genotipagem. A estrutura de população dos acessos será determinada usando a análise de componentes principais (PCA). A matriz de parentesco será construída com o método de descendência idêntica implementada (KinShip) no TASSEL 5.2., para determinar as associações dos SNPs com as características de resistência ao patógeno causador do mofo branco. Para a análise de associação será utilizada preferencialmente a equação MLM (Modelos Lineares Mistos). Subprojeto III: Validação da região ou regiões genômicas identificadas por meio de marcadores microssatélites ou InDels em população segregante: Nesta etapa populações segregantes serão desenvolvidas. Marcadores moleculares microssatélites (SSR) e InDels serão validados para o uso na seleção assistida por meio de marcadores moleculares (SAM). Sendo assim com esta proposta espera-se fortalecer os programas de melhoramento visando resistência do feijão ao mofo branco, desenvolvendo ferramentas moleculares e identificado fontes de resistência, o que é uma grande lacuna ainda. Além disso espera-se compreender um pouco mais da genética da interação entre o feijão comum (Phaseolus vulgaris) e o patógeno Sclerotinia sclerotium, elucidando melhor a resistência genética para este patossistema. A proposta ainda visa aumentar a sustentabilidade da cultura, contribuir para a segurança alimentar, diminuir custos de produção e aumento da competitividade da cultura no mercado nacional e internacional., refletindo assim no desenvolvimento social e econômico do Brasil.
  • Universidade do Estado de Mato Grosso - MT - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Thiago Aparecido Catalan

Ciências Exatas e da Terra

Matemática
  • propriedades topológicas e ergódicas de uma dinâmica além da hiperbolicidade
  • Este projeto visa obter dicotomias (na linha da conjectura de Palis) no mundo dos difeomorfismos em cenários restritos como no mundo simplético ou conservativo. Pretendemos também usufruir destas dicotomias (mesmo as já existentes) para tentar obter resultados como estimativa de entropia, entendimento da complexidade da dinâmica via existência ou não de extensões simbólicas para difeomorfismos $C^1-$genéricos, implicações ergódicas e/ou topológicas na dinâmica do sistema.
  • Universidade Federal de Uberlândia - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Thiago Aparecido da Silva

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • imunoterapia contra a criptococose experimental: uma estratégia de vacinação com agonistas de tlr2 como adjuvante
  • Os principais gêneros ou espécies de fungos com importância na saúde pública global referente às últimas décadas, são: Aspergillus, Candida, Cryptococcus, Pneumocystis jirovecii, e Histoplasma capsulatum. No caso do Cryptococcus gattii, apresenta importante relevância por acometer indivíduos imunocomprometidos e indivíduos saudáveis. Com isso, C. gattii possui processos adicionais para subverter a atuação de células da imunidade inata e adaptativa do hospedeiro como, por exemplo, ao bloquearem as respostas de perfil Th1 e Th17. A diversidade de PAMPs existentes na superfície de C. gattii é um importante componente que favorece a subversão da resposta imunitária do hospedeiro. Para contornar essa situação, há importantes estudos que demonstraram a eficácia da estratégia de vacinação contra a criptococose, no entanto são necessários protocolos de imunização mais eficazes na eliminação de C. gattii. Assim, a proposta atual visa avaliar o efeito de agonistas de TLR2 como adjuvante em uma estratégia vacinal contra a infecção por C. gattii. A ativação celular via TLR2 contribui no desenvolvimento de uma resposta imune específica frente a patógenos intracelulares, e os agonistas de TLR2 tem sido utilizado como adjuvantes em protocolo vacinal contra bactérias e vírus. Sabendo que os agonistas de TLR2 não tem sido avaliados como adjuvantes frente a infecções fúngicas invasivas, propusemos associar os agonistas (Pam3CSk4 ou Pam2CSK4) de TLR2 com a forma leveduriforme inativada de C. gattii possuindo uma delgada cápsula polissacarídica. Esse composto vacinal será administrado em camundongos C57BL/6 via intranasal em três períodos distintos com intervalo de uma semana. Após 10, 20 e 30 dias da última vacinação, o sangue, pulmão e baço serão coletados para análise do perfil de resposta imunitária do hospedeiro gerado pelo composto vacinal. Em seguida, essa estratégia imunoterapêutica será aplicada e os animais serão desafiados com C. gattii, após 30 dias de infecção a carga fúngica e o perfil de diferenciação das células da imunidade serão avaliados, além de outros fatores. Os dados gerados abrem perspectivas de gerar a expressão de antígeno de C. gattii conjugado ao agonista de TLR2 como um aperfeiçoamento do protocolo de imunização contra C. gattii.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Thiago Araujo Simões

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • produção de revestimentos metálicos a base de ligas de nb para indústria de óleo e gás com alto desempenho contra desgaste
  • Um dos grandes desafios para as empresas de petróleo e gás é melhorar a eficiência e a relação de custo/ benefício da extração de petróleo bruto. Existem algumas barreiras relacionadas à viabilidade para extração comercial, como a água / óleo que contém alta salinidade e areia particulada. Perdas nas tubulações e equipamentos podem ocorrer por processos químicos, mecânicos e/ou eletroquímicos que conduzem à degradação dos materiais. Além disso, fraturas relacionadas às "trincas induzidas pelo meio", podem ser iniciadas por problemas relacionados à corrosão sob tensão (SCC) ou mecanismos de fragilização por hidrogênio. Logo, uma melhoria contínua nos aços API 5L se faz necessária a fim de evitar falhas e quebras de equipamento. Atualmente, os principais métodos utilizados para evitar a corrosão na escala interna são inibidores devido ao fato de que promovem a adsorção de filmes na superfície e, como resultado, aumentam a resistência à corrosão ao formar uma camada protetora. No entanto, algumas condições podem afetar a eficiência desses inibidores, como fluido, partículas sólidas e características do aço. Além disso, inibidores não conferem melhorias significantes nas propriedades mecânicas aos aços. A aplicação de filmes e revestimentos tem se mostrado uma boa alternativa para a proteção do aço carbono usado em equipamentos críticos de transporte de óleo e gás que precisam preservar sua integridade estrutural. Os revestimentos podem melhorar o transporte de óleo, reduzindo atrito, desgaste e corrosão dentro das tubulações, de válvulas de controle de segurança submarinas (SSCV), pistões e bombas. Este projeto visa uma melhora em perdas por desgaste tribológico e corrosivo em tubulações e equipamentos de prospecção de petróleo através do uso de revestimento metálicos. Para tal, utilizaremos ligas a base de Nb como revestimento nos aços API 5L X52, empregados em dutos e equipamentos para condução de óleo e gás. As ligas serão produzidas por moagem e depositadas utilizando diversas técnicas como Flame Spray, Sputtering e HVOF nos substratos dos aços API 5L. Todo o material produzido terá avaliação microestrutural, determinação de propriedades mecânicas e testes de desgastes por corrosão, tribocorrosão e permeação por hidrogênio.
  • Universidade Federal da Paraíba - PB - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Thiago Augusto da Cunha

Ciências Agrárias

Recursos Florestais e Engenharia Florestal
  • resiliência de áreas de manejo florestal comunitário no acre: dinâmica da sucessão e potencial de uso
  • A bacia amazônica abriga a maior floresta tropical do mundo (LAURANCE et al., 2001), detendo cerca de 11% da biodiversidade mundial de árvores (CARDOSO et al., 2017), desempenhando um papel fundamental na sustentação de comunidades tradicionais que fornecem serviços ambientais baseados na biodiversidade pela coleta de alimentos, caça e cultivo itinerante (ARROYO-KALIN, 2012). Também conhecida como agricultura familiar, essa prática é a base da subsistência de agroextrativistas que utilizam pequenas áreas florestais (corte e queima) para a plantação de culturas de curta duração (AWETO, 2013). A intensificação do uso da terra sem o uso de insumos pode causar a perda da fertilidade do solo. Após a colheita e perda da fertilidade das áreas de roçado, as mesmas são abandonadas pelas comunidades tradicionais (D'OLIVEIRA et al., 2011), e regeneram naturalmente, formando as florestas secundárias (CHAZDON, 2014). O cultivo itinerante ainda é o principal sistema agrícola que sustenta a subsistência das pessoas na Amazônia (VILLA et al., 2017), produzindo rendimentos não apenas para demandas domésticas, mas também para mercados locais ou nacionais (JAKOVAC et al., 2016). A dinâmica do cultivo itinerante é caracterizada por perturbações iniciais geradas pelo corte e queima das florestas (AWETO, 2013). A intensidade e duração dos sistemas agrícolas e a recuperação da floresta por regeneração natural, considerada como o tempo de pousio até que um novo ciclo ocorra, dependem do manejo da cultura e da terra disponível (DELANG; LI, 2013). O tempo do ciclo é variável; ciclos curtos compreendem de 1 a 3 anos de agricultura seguidos de períodos de pousio de 2 a 7 anos, enquanto ciclos longos compreendem períodos de pousio de mais de 15 anos. No entanto, estas dinâmicas temporais mudaram consideravelmente durante a última década devido ao aumento da demanda por culturas. Em alguns casos a intensificação dessa prática tem sido reconhecida como um importante fator para a perda da biodiversidade na Amazônia (VAN VLIET et al., 2013), mas há outros entendimentos em que o crescimento da floresta secundária após o abandono do cultivo itinerante podo constituir importantes reservatórios de biodiversidade abrigando espécies raras e ameaçadas, aumentando ainda mais a conectividade entre as florestas naturais (CHAZDON, 2014). O potencial da floresta secundária como reservatórios de biodiversidade e de resiliência em florestas tropicais depende de sua frequência na paisagem e da importância relativa ao histórico de uso da terra (HOLL; AIDE, 2011), intensidade e duração do uso da terra (AWETO, 2013, DELANG; LI, 2013), bem como o tempo desde o abandono determinando trajetórias sucessionais (MWAMPAMBA; SCHWARTZ, 2011). Outra prática importante de uso da floresta é o Manjo Florestal Comunitário que também altera as características da vegetação local com a exploração de recursos madeireiros e não-madeireiros, tornando-se uma promissora alternativa de renda para as populações locais. Mesmo com um nível baixo de intervenção na floresta, as atividades de exploração madeireira feita de forma comunitária provocam aberturas no dossel que favorecem o aparecimento da regeneração natural bem como promovem a liberação de árvores remanescentes potenciais para o próximo ciclo de corte (CUNHA et. al. 2016). Estudos demonstram que as alterações causadas pelo manejo comunitário podem favorecer a regeneração de espécies de interesse comercial, como foi o caso de Dipteryx odorata e Cedrela odorata no estudo de Soriano et al. (2012). Assim, o entendimento do crescimento, do desempenho da regeneração natural e da capacidade produtiva da floresta intervinda pela exploração madeireira é imprescindível para avaliar a capacidade da floresta em produzir madeira novamente e, consequentemente, avaliar a sustentabilidade econômica-ecológica do manejo florestal madeireiro. Entender como a intensificação desse sistema afeta as trajetórias de sucessão das florestas, ou seja, a resiliência das florestas amazônicas, é essencial para estabelecer critérios de manejo e conservação da biodiversidade nessas paisagens (WANDELLI; FEARNSIDE, 2015). Portanto, o conhecimento sobre o padrão de recuperação e os processos subjacentes de diversidade de espécies, composição de espécies e atributos estruturais da vegetação durante a sucessão em florestas secundárias (capoeiras) de paisagens modificadas por atividades antrópicas é um desafio importante para melhorar a conservação, recomposição e uso desse potencial por meio do manejo florestal (VILLA et al., 2017).
  • Universidade Federal do Acre - AC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Thiago Barcellos da Silva

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • síntese, diversidade estrutural e atividade antitumoral de derivados uracil-cumarinas
  • O desenvolvimento de novas drogas é fundamental para combater a resistência adquirida aos fármacos já existentes, para diminuir efeitos colaterais adversos, e para o tratamento de doenças recentemente identificadas. Porém, o desenvolvimento de um medicamento novo requer aproximadamente 15 anos e envolve investimentos bilionários. Visando uma redução de custos e tempo, a estratégia mais sensata e econômica para se obter novos fármacos consiste em modificar quimicamente moléculas de fármacos conhecidos e testá-las nos mesmos moldes da molécula de partida. Nesse contexto, temos a uracila, um composto de origem natural, a qual é um derivado da pirimidina, e é uma das quatro nucleobases do ácido nucleico do RNA. Uracilas são estruturas privilegiadas na descoberta de medicamentos, devido a acessibilidade e capacidade sintética para conferir a droga propriedades a partir de modificações estruturais nas posições N-1, N-3, C-5 e C-6. Seus análogos apresentam atividades antiviral e antitumoral, amplamente relatadas, tendo como exemplo a 5 fluorouracila (5-FU) o qual é comercialmente disponível para o tratamente de diferentes tipos de cancêr. Cumarinas também são substâncias de origem natural, que estão presentes em diversas partes de plantas de algumas famílias de Angiospermas. Os cumarinas apresentam diversas propriedades biológicas, tais como, anticoagulante, antiviral, anti-inflamatória, antibacteriana e anticancerígena, mostrando ser um núcleo interessante na obteção de compostos bioativos. Outros farmacóforos de interesse são os núcleos triazólicos e tetrazólicos. Esses compostos apresentam uma extensa gama de propriedades biológicas, tais como, anticâncer, antibacterianos, antifúngicos, antituberculose e antiviral, além de serem relatados como bioisósteros de ligações amídicas (triazóis) e carbocílicas (tetrazóis). Assim, buscamos desenvolvimento e a diversificação estrutural de moléculas com potencial atividade anticancerígena. Os compostos propostos são baseados no núcleo dos compostos uracila e cumarina cujas estruturas químicas encontram-se em diversos compostos naturais, incluindo compostos com grande atividade biológica. Adicionalmente, a diversidade estrutural contará com os núcleos heterocíclicos triazóis e tetrazóis. Além disso, como complemento à síntese, os compostos sintetizados serão avaliados pela atividade antiproliferativa e antitumoral utilizando cultivos de células tumorais e não tumorais visando ampliar os conhecimentos da ação biológica desses compostos.
  • Universidade de Caxias do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Thiago Barcelos Soliva

Ciências Humanas

Sociologia
  • diversidade sexual e de gênero na atenção básica: um estudo nos contextos do recôncavo e do extremo oeste baianos
  • Este projeto de pesquisa constitui uma contribuição a interlocução entre o campo da saúde e os estudos sobre diversidade sexual e expressões de gênero no Brasil contemporâneo. O objetivo central deste projeto de pesquisa é analisar a construção de sentidos sobre o cuidado relacionado à diversidade sexual e de gênero no contexto da Atenção Básica em municípios do Recôncavo e do Extremo Oeste baianos. O projeto se estrutura a partir de três objetivos específicos: 1) analisar a percepção dos/das Agentes Comunitários de Saúde do Recôncavo e do Extremo Oeste da Bahia acerca das questões relacionadas à diversidade sexual e de gênero; 2) realizar um estudo exploratório da forma como estes atores manejam noções como cuidado, diferença e integralidade nos seus contextos de trabalho; e 3) mapear outras demandas por atenção à saúde que estejam relacionadas à diversidade sexual e de gênero, sobretudo aquelas referidas à saúde mental de indivíduos marcados por experiências de violência associadas a suas sexualidades ou expressões de gênero. A construção da diversidade sexual e de gênero como foco de atenção diferenciada pelo Ministério da Saúde constitui um processo em curso, oferecendo oportunidades de analisar como os princípios da integralidade, universalidade e equidade – que orientam o SUS – interagem com o complexo campo das diferenças na formulação e implementação de políticas públicas. Ao mesmo tempo, a construção de políticas voltadas ao atendimento específico das demandas dessa população evidencia a importância do diálogo necessário entre agentes estatais, entidades internacionais e os movimentos sociais, principalmente o “Movimento LGBT”, responsáveis pela incorporação dessa pauta à agenda governamental. Esta pesquisa se baseará em diferentes fontes, tais como documentais, bibliográficas e orais. Os documentos produzidos pelo Ministério da Saúde e pela Secretária Estadual de Saúde da Bahia (SESAB), além de entrevistas com Agentes Comunitários de Saúde constituem material rico em informação sobre os problemas levantados nesta pesquisa.
  • Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Thiago Barth

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • emprego de técnicas cromatográficas analíticas (hplc e gc) e preparativas (hsccc) quirais na biotransformação e biocatálise estereosseletiva de substratos com interesse industrial e farmacêutico
  • Os processos biotecnológicos, biotransformação e biocatálise, apresentam importância em diversos ramos industriais, como o farmacêutico e cosmético. No ramo cosmético, estes processos vêm sendo usados na obtenção de aromas, a partir de monoterpenos. Os monoterpenos frequentemente apresentam centro quiral e convém destacar, que cada enantiômero pode apresentar diferente aroma. Para o ramo farmacêutico merece destaque o emprego de processos biotecnológicos em reações de resolução quiral de aminas quirais. Os enantiômeros formados após a resolução das aminas quirais são empregados como blocos de construção quiral e sua importância reside no fato de aproximadamente 80% das moléculas de fármacos apresentarem nitrogênio em sua estrutura e destas 40% ser aminas quirais. A presente proposta busca avaliar o potencial biocatalítico dos fungos Cunninghamella echinulata var. elegans ATCC 8688A, Cunninghamella elegans ATCC 10028B e Stemphylium licopersici, endofítico de Humiria balsamifera na conversão estereosseletiva de terpenos e aminas racêmicas. As reações biocatalíticas dos terpenos serão conduzidas empregando lipases, e das aminas racêmicas as transaminases, oriundas dos fungos acima listados. Para monitorar as transformações serão desenvolvidos métodos por cromatografia líquida de alta eficiência quiral para determinação dos enatiômeros das aminas quirais, do ácido betulínico e dos produtos de biotransformação formados. Por sua vez, as amostras oriundas das transformações dos monoterpenos, substâncias voláteis, serão analisadas por cromatografia gasosa. Uma vez verificada a viabilidade do rendimento e excesso enantiomérico da reação, as amostras serão submetidas a purificação por cromatografia em contracorrente quiral, a fim de isolar os enantiômeros dos produtos biotransformados. Após isolamento, os enantiômeros dos produtos de biotransformação, se formados, serão submetidos a ensaios de citotoxidez. Nesta proposta estão congregados 5 jovens pesquisadores do curso de farmácia da UFRJ-campus Macaé atuantes nas áreas de: Farmacognosia, biotecnologia aplicada e técnicas de separação. Os pesquisadores trabalham em equipe e compõem o Laboratório de Produtos Bioativos (LPBio). Além dos 5 pesquisadores a equipe é composta por 1 pós-doutor, 3 alunos de pós-graduação e 4 alunos de iniciação científica do Campus UFRJ-Macaé. A experiência da equipe abrange as áreas propostas no projeto, onde nenhum objetivo proposto é desconhecido para a equipe. Vale ressaltar que os pesquisadores reunidos nesta equipe vêm unindo esforços para estruturar e interiorizar a área de biotecnologia e separações enantiosseletivas no estado do Rio de Janeiro, especialmente no Campus UFRJ-Macaé.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022