Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ana Estela Haddad

Ciências da Saúde

Odontologia
  • abordagens inovadoras na implantação da teletriagem: estudo comparado entre rede de atenção à saúde bucal e serviços isolados de alta vulnerabilidade social.
  • A teletriagem é definida como a avaliação de sintomas realizada virtualmente, capaz de direcionar o paciente à especialidade ou definir o melhor momento para o atendimento presencial. É capaz de diminuir as filas de atendimento e os riscos de contaminação. Em regiões de vazios assistenciais , situações de urgência são críticas. Outra lacuna é a ausência de um protocolo de classificação de risco nas UBS. Diante da pandemia de COVID-19, locais como o Instituto para cegos Benjamin Constant (IBC) tiveram as atividades clínicas paralisadas devido ao risco de contaminação, somado às especificidades da população com deficiência visual. Faltam protocolos e estudos que comprovem a eficácia e os limites da Teleodontologia em diferentes situações clínicas. A hipótese desse estudo é que a teletriagem de urgência possa favorecer o correto manejo do paciente, a orientação e planejamento do atendimento presencial mais resolutivo. Espera-se identificar nós críticos na implementação da Teletriagem em diferentes modelos de serviços de atenção à saúde bucal. Trata-se de um estudo de implementação da teletriagem em três serviços distintos: nas Unidades Básicas de Saúde do município de Carangola/MG, no Barco Hospital Papa Francisco – que atende populações ribeirinhas no estado do Pará, vinculado ao SUS – e no Instituto Benjamin Constant (RJ), sob coordenação do Núcleo de Telessaúde e Teleodontologia FOUSP-SAITE (NuTes FOUSP-SAITE). Serão incluídas crianças entre 03 e 13 anos, todos os participantes serão avaliados por teleconsulta utilizando um questionário validado, classificados e alocados em dois grupos, acompanhados por dois anos: G1: TRATAMENTO DE URGÊNCIA e G2: TRATAMENTO ELETIVO (critérios da ADA e CFO). Serão mensurados dados de qualidade de vida, dor e desconforto e satisfação. Análise de Regressão de Poisson poderá ser utilizada para avaliar a influência de algumas variáveis.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Fabrícia Braga Magalhães

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • modelos de equações estruturais aplicados à avaliação genética de duas linhagens de codornas de corte
  • A codorna é considerada um animal experimental, por ser uma espécie facilmente observada em ambientes de laboratório e de campo, além de ser um animal de porte pequeno, com boas habilidades de postura e facilidade de reprodução. Os programas de melhoramento genético de outras espécies tem buscado a redução do intervalo de geração, enquanto nas codornas podemos encontrar isso naturalmente, uma vez que pode ser obtida cerca de quatro gerações em um ano. No entanto, existem poucos grupos de pesquisas no Brasil que trabalham com o melhoramento de codornas, e esses poucos tem concentrado os estudos apenas em características de crescimento e reprodutivas, tendo em vista que a coleta de dados de qualidade da carne é mais onerosa, por isso o objetivo desse projeto é realizar a coleta de dados de qualidade da carne em codornas e investigar o relacionamento delas com características de crescimento e reprodutivas utilizando modelos de equações estruturais. As codornas que serão utilizadas nesse estudo são provenientes do Setor de Coturnicultura, do Departamento de Zootecnia da UFVJM, localizada em Diamantina-MG (DZO). Atualmente, o Programa de Melhoramento de Aves da UFVJM possui duas linhagens (LF1 e LF2) de codornas de corte, com coleta de dados em todas as gerações de características de crescimento e reprodutivas. Será incluído nesse estudo o peso ao nascer, aos 7, 14, 21, 28, 35 e 42 dias de idade. Enquanto as reprodutivas serão: idade ao primeiro ovo, peso da matriz ao primeiro ovo, mortalidade. Serão abatidos 1.000 animais com 42 dias de idade na sala de abate do DZO e serão analisadas no Setor de Ciências e Tecnologia dos Produtos de Origem Animal, do DZO para: rendimento de carcaça quente e resfriada, peso e rendimento do peito, peso e rendimento das pernas, pH, capacidade de retenção de água, perda de peso por cozimento, coloração e maciez. Será utilizado modelos de equações estruturais investigar o relacionamento entre entre as diversas características coletadas.
  • Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - Campus JK - MG - Brasil
  • 09/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Ana Gisele da Costa Neves Ferreira

Ciências Biológicas

Bioquímica
  • mapeamento estrutural de complexos toxina-antitoxina em busca de novas terapêuticas antiofídicas
  • Em 2017, a Organização Mundial de Saúde classificou o envenenamento por serpentes como doença tropical negligenciada de máxima prioridade. Na América do Sul, o maior desafio no tratamento destes acidentes são os graves danos teciduais, que levam a altas taxas de morbidade. O objetivo deste projeto é gerar conhecimento necessário ao desenvolvimento de inibidores eficazes contra toxinas com ação local [metaloendopeptidases (SVMPs) e fosfolipases A2 (PLA2s)]. Nossa busca por novas alternativas terapêuticas baseia-se em milhares de anos de coevolução entre animais peçonhentos e aqueles resistentes ao envenenamento. O fenômeno de resistência pode ser explicado pela presença de inibidores séricos glicoproteicos capazes de formar complexos inativos com várias toxinas homólogas, impedindo sua ação deletéria. Neste projeto, a estratégia de Biologia Estrutural Integrativa será usada na compreensão estrutural dos complexos não-covalentes de alta afinidade formados entre os inibidores DM43 e DM64 (respectivamente, proteínas anti-hemorrágica e antimiotóxica do soro do gambá Didelphis aurita) e diferentes SVMPs e PLA2s de venenos de serpentes. A espectrometria de massas (MS) de alta resolução combinada com cross-linking químico (XL-MS) será nossa principal ferramenta analítica. As restrições de distância determinadas por MS serão integradas em pipelines de modelagem e docking moleculares. Pretendemos também testar novas estratégias para a geração de dados estruturais complementares, utilizando cristalografia de raios X. As análises estruturais, juntamente com a expressão de domínios heterólogos e a síntese de peptídeos das antitoxinas, deverão permitir o mapeamento dos determinantes estruturais mínimos dos inibidores envolvidos na interação com as suas toxinas-alvo. Os resultados serão fundamentais para o desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas, visando o desenho racional de fármacos peptídicos capazes de mitigar o problema da toxicidade local causada por SVMPs e PLA2s.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Heloisa Maia

Ciências Agrárias

Agronomia
  • núcleo de estudos, pesquisa e extensão em agroecologia (nepea) da unemat nova xavantina: transformando as bases produtivas no vale do araguaia a partir da construção do conhecimento agroecológico
  • Experiências mostram que os sistemas de produção agroecológica têm grande potencial de responder às necessidades de produção, alimentação da família e participação no mercado, sem provocar danos ambientais. Entretanto, ainda são incipientes os incentivos a produção agroecológica na região do Vale do Araguaia, e em muitos casos o agricultor se sente desmotivado em buscar iniciativas voltadas para o desenvolvimento de práticas alternativas nos estabelecimentos, principalmente em função da falta de assistência técnica. Neste aspecto, a criação do Núcleo de Estudos, Pesquisa e Extensão (NEPEA) da UNEMAT Nova Xavantina, torna-se fundamental para promover ações que valorizem a agricultura familiar e os aspectos inerentes ao processo produtivo com vistas a promoção do desenvolvimento rural local/regional. Assim, visa-se contribuir com as trocas de experiências e a promoção do diálogo entre pesquisadores, acadêmicos e agricultores com o intuito de expandir o conhecimento a partir da democratização dos saberes, sob enfoque interdisciplinar e interinstitucional aproximando as discussões da realidade social dos atores envolvidos.
  • Universidade do Estado de Mato Grosso - MT - Brasil
  • 01/08/2017-31/10/2022
Foto de perfil

Ana Karina Bezerra Pinheiro

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • vulnerabilidades ao hiv da população lgbt e mulheres em situação de rua e em privação de liberdade
  • A vulnerabilidade se diferencia do risco, pois, ao passo que, esse demonstra quais as chances de adoecimento de um indivíduo ou população, a vulnerabilidade evidencia possíveis fatores de adoecimento, de não adoecimento e as formas de enfrentá-lo. Na área da saúde, vulnerabilidade tem uma maior relação com algumas populações específicas, tais como pessoas em situação de rua, mulheres, população LGBT, população encarcerada e pessoas com HIV/Aids. Diante do exposto, percebe-se que a compreensão das vulnerabilidades de mulheres e da população LGBT em situação de rua e nos presídios ao HIV, torna-se relevante para o planejamento e desenvolvimento de ações de melhoria contínua da qualidade da assistência, superação das barreiras de acesso às instituições de saúde e ações concretas para o redirecionamento dos serviços de atenção à saúde. Objetiva-se analisar as vulnerabilidades pessoais, sociais e programáticas para o HIV de mulheres e da população LGBT em situação de rua e em privação de liberdade. Trata-se de estudo de multimétodos composto por dois subprojetos de pesquisa: (1) Vulnerabilidades pessoais, sociais e programáticas ao HIV de mulheres e população LGBT em situação de rua; (2) Vulnerabilidades pessoais, sociais e programáticas ao HIV de mulheres e população LGBT em privação de liberdade. O recrutamento da amostra acontecerá nos dois centros de referência para população em situação de rua de Fortaleza e em duas unidades prisionais na zona metropolitana do município. Serão coletados dados quantitativos relativos aos fatores de vulnerabilidade e qualitativos relacionados às percepções de risco e significados atribuídos ao HIV. O programa SPSS será utilizado para construção do banco de dados e tratamento estatístico dos dados quantitativos. A primeira fase da análise estatística consistirá na realização de componentes descritivos, por meio dos cálculos das frequências, de medidas de tendência central e de medidas de dispersão. Para as medidas de tendência central, será realizado o teste de Kolmogorov-Smirnov, a fim de identificar a normalidade de distribuição dos dados. Para as inferências estatísticas serão investigadas associações entre as variáveis dependentes e independentes do estudo. Será realizada análise bivariada usando o teste qui-quadrado de Pearson, com adoção do nível de significância menor que 0,05. A análise comparativa das médias será realizada pelo ANOVA e pelo teste t de Student. Posteriormente, os resultados serão apresentados na forma de tabelas ilustrativas, categorizados segundo as sessões do instrumento. A análise dos dados qualitativos se dará a partir da análise de conteúdo utilizando o Software IRAMUTEQ (Interface de R pour analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionneires). Os resultados serão discutidos conforme a literatura pertinente e o conceito de vulnerabilidade. Este estudo respeitará os princípios éticos e legais no Brasil de acordo com o Conselho Nacional de Saúde (CNS) e será submetido à avaliação do Comitê de Ética e Pesquisa (CEP) com base na Resolução 466/12.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 02/01/2020-31/01/2023
Foto de perfil

Ana Keuly Luz Bezerra

Engenharias

Engenharia Sanitária
  • ecoeficiência energética em centros de tratamentos de resíduos sólidos a partir da utilização de sistemas fotovoltaicos e dos princípios de economia circular.
  • A utilização da energia solar é cada vez mais comum em todo mundo. Desde os parques industriais até as unidades residenciais, a eficiência da energia captada por painéis fotovoltaicos vem sendo comprovada dia após dia. No setor de tratamento de efluentes, a utilização da energia solar não só é possível, como apresenta melhores desempenhos, especialmente no que se refere a resultados, custos e sustentabilidade ambiental. O alto custo envolvido no processo de tratamento de resíduos sólidos exige alternativas que possam trazer uma maior economia nessa área. Nesse sentido, é viável (financeira e ambientalmente) a utilização da energia fotovoltaica nas centrais de tratamento de resíduos sólidos? Desta forma, a hipótese do estudo considera que é possível a utilização da energia solar desde que integrada ao ciclo de tratamento e um possível segundo ciclo de vida para as placas inservíveis dos sistemas fotovoltaicos instalados. Diante deste contexto, o presente projeto visa apresentar um estudo técnico de viabilidade do uso da energia solar no tratamento de resíduos sólidos incorporando os princípios de economia circular aos seus processos produtivos. Hoje a energia elétrica compõe um dos maiores custos para o tratamento dos resíduos sólidos e efluentes, de modo que apresentar uma solução técnica a partir do uso das energias renováveis, torna-se necessário, uma vez que esta fonte de energia além de proporcionar redução nos custos operacionais é melhor para o meio ambiente, tornando-a ecoeficiente. Além da redução dos custos operacionais, outro ponto analisado quando se compara a utilização de energias renováveis no tratamento de resíduos sólidos em relação a outras fontes de energia se refere aos benefícios ambientais e a um possível ciclo de vida das placas dos sistemas fotovoltaicos instalados beneficiando outras atividades econômicas inclusive de cunho social.
  • Instituto Federal do Piauí - PI - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Laura dos Reis Corrêa

Lingüística, Letras e Artes

Letras
  • ensino de literatura: teoria e prática da crítica literária dialética na américa latina.
  • Este projeto de pesquisa tem como objeto o ensino de literatura na Educação Básica nas escolas públicas do Distrito Federal e RIDE (Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno). Em seu desenvolvimento, a pesquisa articula teoria e prática, uma vez que se propõe a investigar teoricamente, com docentes que pesquisam o tema na América Latina – especificamente no Brasil e na Argentina: na Universidade de Brasília (UnB) , no Instituto Federal de Brasília (IFB) e na SEEDF; em duas universidades argentinas: Universidad de Buenos Aires (UBA) e Universidad Nacional Arturo Jauretche – (UNAJ); no Colégio Técnico de Campinas (COTUCA), subordinado à Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e na Universidade Federal de Goiás (UFG) –, as possibilidades de maior conexão entre Universidade e Escola no que diz respeito ao ensino de literatura, com base na crítica literária dialética, na realidade presente. Simultaneamente, visa compartilhar, com professores das escolas públicas de Ensino Médio, por meio de quatro cursos de formação semestrais, tais reflexões acerca de estratégias para o desenvolvimento eficaz da leitura da literatura em sala de aula, com vistas à formação humana, integral e crítica de seus estudantes, considerando-se o momento atual e os enormes desafios a serem superados no campo da educação.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Lia Anbinder

Ciências da Saúde

Odontologia
  • senescência celular, perda óssea alveolar e probióticos: explorando patogênese e prevenção
  • O envelhecimento está associado à perda óssea alveolar (POA) e a aumento de prevalência e severidade de periodontite. Exceto pela higienização oral, não existem estratégias terapêuticas para prevenir a POA associada à idade. Senescência celular é caracterizada pela parada irreversível do ciclo celular com estabelecimento do fenótipo secretor associado à senescência e produção de citocinas que, se não forem eliminadas eficientemente, são fonte de inflamação crônica. Senolíticos induzem células senescentes à apoptose, e seu uso tem sido encorajador em estudos sobre perda óssea sistêmica devido à idade. Um acúmulo de osteócitos senescentes no osso alveolar foi relatado em camundongos idosos, e tais células produziram citocinas inflamatórias in vitro, proporcionando um ambiente pró-osteoclastogênico que poderia contribuir para a POA. No entanto, esses achados são associativos e não se avaliou experimentalmente se (e em que medida) a senescência nos osteócitos alveolares causa a POA. Lactobacillus reuteri tem sido usado como adjuvante para o tratamento de periodontite e existem evidências da eficácia do gênero Lactobacillus em atenuar a inflamação associada à idade, imunosenescência, estresse oxidativo e senescência celular. Nossa hipótese é que a senescência é parte integrante do processo pelo qual o envelhecimento leva à POA, que a remoção de células senescentes pode inibi-la e que os efeitos benéficos dos probióticos na POA são em parte mediados pela sua ação na senescência. Camundongos serão tratados de maneira crônica (10 meses) preventiva com a combinação senolítica Dasatinibe e Quercetina, ou L. reuteri, como forma de induzir a apoptose de osteócitos senescentes e determinar se sua eliminação pode reduzir/retardar a POA relacionada à idade. A senescência osteocítica, a perda óssea alveolar e a inflamação serão quantificadas por múltiplas métricas, utilizando-se microtomografia computadorizada, imunofluorescência, hibridização in situ e biologia molecular.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Ligia Barbour Scott

Ciências Biológicas

Biofísica
  • adjuvant for covid-19: drug repurposing and discovery of plant based novel therapeutics/adjuvants with anti-inflammatory and immunostimulatory properties.
  • Vários tipos de vírus se multiplicam no hospedeiro sem causar danos graves, incluindo aqueles capazes de causar doenças. Mas, em alguns casos, a resposta do hospedeiro pode causar efeitos fisiopatológicos importantes, que podem ser relativamente inespecíficos ou mais direcionados pela resposta imune humoral e/ou celular. É geralmente conhecido que os macrófagos fazem parte de uma população de células do sistema imune inato que responde a agentes microbianos pela produção de moléculas inflamatórias que matam os patógenos e promovem a reparação dos tecidos. No entanto, uma resposta inadequada dessas células pode levar a danos ao próprio indivíduo, como pode ser visto na síndrome de ativação macrofágica induzida por infecções graves, incluindo aquelas relacionadas ao SARS-CoV-2. A ocorrência e evolução do COVID-19 depende da interação entre o vírus e o sistema imunológico de cada indivíduo. Portanto, a identificação de agentes imunomoduladores capazes de manter uma resposta imune controlada e ao mesmo tempo responder adequadamente aos patógenos são de grande interesse neste momento de pandemia. Este projeto de pesquisa propõe unir estudos in silico (docking molecular, triagem virtual, modelagem molecular, simulações de dinâmica molecular, análise de modos normais, etc.) e in vitro (experimentos de interação imunológica e biofísica contra alvos validados e ensaios de inibição viral) para identificar moléculas de origem vegetal, ou compostos sintéticos semelhantes a essas substâncias naturais, com propriedades antiinflamatórias e imunomoduladoras contra COVID-19 ou SARS-CoV-2. Espera-se que o resultado direto deste projeto seja a aquisição de informações que permitirão um melhor entendimento da estrutura / função de proteínas-chave na infecção por SARS-CoV-2 que podem auxiliar na formulação de candidatos a fármacos para auxiliar no tratamento. de COVID-19. A complementaridade e interdisciplinaridade dos grupos pode ser muito produtiva para desenvolver o projeto.
  • Universidade Federal do ABC - SP - Brasil
  • 07/12/2021-30/06/2024
Foto de perfil

Ana Lucia Nogueira de Paiva Britto

Ciências Sociais Aplicadas

Planejamento Urbano e Regional
  • risco e sustentabilidade ambiental nas metrópoles brasileiras
  • Eventos naturais de nossa história recente têm demonstrado que o planeta está passando por transformações climáticas. Os impactos podem ser sentidos através da intensidade de tempestades, secas e ondas de calor que afetam negativamente a disponibilidade de água potável, a distribuição de energia e alimentos para nossa civilização. Evidências científicas apresentadas no quarto Relatório do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas de 2007 não deixam dúvidas que a ação humana é um dos fatores mais relevantes neste processo. Os fenômenos ambientais decorrentes das mudanças climáticas impactam de maneira diversa o território brasileiro, sobretudo considerando sua dimensão continental. Regiões costeiras ou interioranas, com maior ou menor precipitação pluviométrica, banhadas ou não por rios, mais ou menos adensadas, com solos mais ou menos permeáveis, reagirão diferentemente às alterações ambientais. Considerando os efeitos sistêmicos do padrão de produção e consumo em uma sociedade globalizada, o enfrentamento dos problemas oriundos dos eventos naturais deve ser pensado em múltiplas escalas, apesar de grande parte dos reflexos serem sentidos no âmbito local. As áreas urbanas tem sofrido impactos que envolve ameaças materiais e de vidas de uma parcela considerável de seus habitantes. Nas metrópoles se concentram o maior número de vítimas que um evento natural pode alcançar, assim como reflete o potencial dos impactos, positivos ou negativos, em todo o ecossistema caso haja uma permanência ou mudança de postura dos habitantes e governantes relativo à cidade e ao meio ambiente. A complexidade de se tratar o espaço urbano sob aspectos ecológicos também diz respeito à visibilidade que o ser humano tem dos processos sistêmicos de forma a estabelecer uma lógica causal. Com isso, constata-se que a produção de informações espacializadas ajuda na compreensão da realidade concreta e subsidia a elaboração de estratégias e ações para mitigação do risco imposto aos grupos sociais, assim como influencia na construção de mecanismos que possam lidar com o cenário de mudanças climáticas. Ao definirmos o ambiente urbano-metropolitano como setor estratégico de pesquisa em sustentabilidade urbana e regional, o Observatório das Metrópoles busca produzir subsídios para construção das políticas nacionais de desenvolvimento urbano e regional, assim como contribuir na definição de diretrizes à atuação dos entes federativos, em especial dos governos locais, no que diz respeitos a ações que promovam a adaptação das cidades ao impactos dos eventos naturais. A investigação relatada nesta proposta de pesquisa parte de uma perspectiva que considera as metrópoles brasileiras diante das mudanças climáticas em curso, sendo impositiva a reconexão com as forças do ambiente amplificadas no momento pelas mudanças climáticas. Esta reconexão deve considerar os fatores naturais à luz das questões que envolvem a desigualdade social, os mecanismos de adaptação e as potencialidades de uso do solo que minimizem a degradação dos ecossistemas. O uso de indicadores facilita uma visão de todo o processo enquanto a investigação desagregada das várias dimensões que compreendem o debate do ambiente urbano propicia a construção de estratégias em várias escalas. Os indicadores se colocam como instrumento disponível à diversos atores sociais para a avaliação do habitat e para o enfrentamento dos problemas decorrentes da ocupação humana, de forma a produzir um espaço urbano adequado às dinâmicas naturais. Se por um lado as metrópoles apresentam espaços com população sujeita a riscos ambientais que devem ser objeto de políticas sociais, de infraestrutra urbana e de recuperação ambiental, por outro, territórios adequados à ocupação devido a disponibilidade de serviços urbanos têm sido subutilizados, gerando um padrão disperso de ocupação. Para contribuir no avanço das análises dos impactos observados e projetados da mudança do clima no território nacional, o objetivo deste projeto busca apresentar um quadro compreensivo das condições ambientais das metrópoles brasileiras, bem como subsidiar a elaboração de estratégias e ações para a mitigação de riscos ambientais relacionados às mudanças climáticas para setores públicos e privados. Esta meta será alcançada pela coleta, sistematização e processamento de dados relativos às principais dimensões que compõem o debate acerca da sustentabilidade urbana e regional, dentre elas: o risco ambiental considerando os aspectos de suscetibilidade a desastres naturais, a vulnerabilidade social, os arranjos institucionais responsáveis por ações adaptativas, assim como o potencial de desenvolvimento de um ambiente construído mais sustentável. Retomando a perspectiva relativa à visibilidade e cognição das ameaças ambientais comentada anteriormente, o resultado a pesquisa será disponibilizado em um portal de visualização de mapas o qual possibilitará o usuário gerar análises acerca de cada componente e dimensão que compõe os índices gerados ao longo do desenvolvimento do projeto, contribuindo para a identificação de oportunidades e custos para os setores econômicos do país de diferentes trajetórias de desenvolvimento sustentável.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 16/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

Ana Luisa Borba Gediel

Lingüística, Letras e Artes

Lingüística
  • inclusão de surdos na zona da mata mineira, no noroeste fluminense e no recôncavo da bahia: um estudo de multicasos acerca das práticas e abordagens inclusivas em diferentes contextos
  • As formas de comunicação e as estratégias de ensino têm sido identificadas como o maior desafio das escolas públicas brasileiras que trabalham com estudantes surdos e ouvintes na mesma sala de aula. No contexto das escolas públicas brasileiras a presença do bilinguismo (Libras e Língua Portuguesa) e a prática bicultural é escassa (RIBEIRO & SILVA, 2016). A partir dessa realidade, este estudo objetiva documentar e compreender o contexto da inclusão em diferentes localidades da região sudeste e nordeste brasileiro. Especificamente, pretendemos documentar ferramentas, práticas e abordagens utilizadas na inclusão de pessoas surdas no contexto educacional: Educação Básica e Ensino Superior. Para a catalogação e a documentação das práticas inclusivas nas duas realidades investigadas, utilizaremos as ferramentas da etnografia. Por meio da pesquisa qualitativa multicêntrica, realizaremos entrevistas com professores e alunos Surdos, observações em sala de aula e análise dos artefatos pedagógicos como, por exemplo, planos de aula, materiais de apoio e atividades dos alunos. A pesquisa busca oferecer conhecimentos e subsídios acerca da realidade da inclusão dos surdos no contexto educacional. Esperamos que esta pesquisa possa refletir, divulgar e contribuir com a educação de surdos em cidades no interior brasileiro.
  • Universidade Federal de Viçosa - MG - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Luisa Sousa Azevedo

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • desenvolvimento de painéis moleculares para genotipagem de snps em forrageiras tropicais
  • O maior problema enfrentado em programas de melhoramento de gramíneas forrageiras é o longo tempo necessário para o desenvolvimento de novas cultivares, com baixos ganhos genéticos anuais, fenótipos alvo complexos e longos ciclos de seleção. Há ferramentas disponíveis de seleção assistida e de seleção genômica, que ainda não são aplicadas na rotina de desenvolvimento de cultivares forrageiras, e poderiam contribuir na redução de ciclos de seleção e consequente aumento nas taxas de ganho genético. A principal limitação para implementação da seleção genômica é a necessidade de desenvolver painéis moleculares informativos e com alta reprodutibilidade. A presente proposta tem como objetivo principal desenvolver painéis moleculares específicos para espécies forrageiras tropicais. Para esse fim, será realizado o sequenciamento e montagem do genoma de capim-mombaça (Megathyrsus maximus, sin. Panicum maximum) visto que, entre as espécies alvo dessa proposta, ela ainda não possui genoma disponível; conjuntos amplos de variantes SNP serão descobertos a partir de dados disponíveis (genomas sequenciados, transcriptomas e dados não publicados gerados pela equipe do projeto). Serão identificados pelo menos 10.000 SNPs para cada uma das seguintes espécies: capim-braquiária (Urochloa spp.), capim-mombaça (M. maximus), capim-elefante (Cenchrus purpureus) e grama-pensacola (Paspalum notatum). Os SNPs identificados serão validados em acessos dos bancos de germoplasma e/ou populações dos programas de melhoramento de cada espécie e os marcadores mais informativos irão compor um painel de marcadores para utilização futura nos programas de seleção genômica. As informações geradas na presente proposta serão organizadas e disponibilizadas em uma plataforma unificada de acesso a dados genômicos de espécies forrageiras tropicais. A proposta estabelece as bases para a dinamização de programas de melhoramento de espécies forrageiras tropicais.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - DF - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Ana Luiza de Brito Portela Castro

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • avaliação dos efeitos ecotoxicológicos da metformina em espécies de peixes: uma abordagem mutagênica e metagenômica.
  • Diversas classes de fármacos têm sido registradas e quantificadas em águas superficiais e estações de tratamentos de esgotos em muitos países, incluindo o Brasil. A metformina, um antidiabético amplamente difundido no mundo para tratamento da diabetes Mellitus tipo 2 e outras doenças é considerada a mais frequente em ambientes aquáticos de alguns países. Esta droga é eliminada inalterada pelo corpo humano resultando na descarga em águas superficiais por efluentes de estações de tratamento de água. Efeitos adversos da metformina relatados em espécies de peixes incluem formação de gônadas intersexos, afetando a expressão de genes para vitelogenina no fígado dos machos, como documentado em Pimephales promelas, agindo como disruptor endócrino. Outros efeitos foram relatados como redução do crescimento (Oryzia latipes) e alterações comportamentais (Betta splendens), modulando genes cruciais e interferindo na cadeia trófica. Assim, este estudo pretende avaliar os possíveis impactos ecotoxicológicos da metformina utilizando duas especies de peixes como modelo, Astyanax lacustris e Danio rerio (zebrafish). A espécie A. lacustris é muito comum nos rios, riachos e córregos brasileiros e tem se mostrado uma importante referência à contaminação ambiental que será demonstrada por diferentes biomarcadores (genotoxicidade, mutagenicidade, citotoxicidade, imunocitoquímica para pesquisa de vitelogenina no fígado e estudos histopatológicos de gônadas, branquias e fígado, sob hipótese de disruptor endócrino. A espécie D. rerio será submetida as análises reprodutivas e de metagenômica da microbioma intestinal para avaliar possíveis alterações em bactérias simbióticas, importantes para crescimento e nutrição da espécie. Esta abordagem abrangente agrega conhecimento sobre os efeitos tóxicos da metformina em peixes, afetando a biodiversidade e serão relevantes para estabelecimento de níveis aceitáveis deste medicamento nas estações de tratamento de água para consumo humano em nosso país.
  • Universidade Estadual de Maringá - PR - Brasil
  • 14/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Ana Luiza Silva Maia

Ciências da Saúde

Medicina
  • carcinoma medular de tireoide: impacto das variantes genéticas e microambiente tumoral.
  • A compreensão dos mecanismos moleculares que impulsionam os processos oncogênicos é crucial para estratégias diagnósticas e terapêuticas. A Neoplasia Endócrina Múltipla (NEM) 2A é uma síndrome genética caracterizada pela presença do carcinoma medular da tireoide (CMT), feocromocitoma e hiperparatireoidismo. Mutações ativadoras do gene RET (rearranged during transfection) na linhagem germinativa são responsáveis pela NEM 2 enquanto que mutações somáticas ocorrem em ~50% no CMT esporádico. Rearranjos e fusões do RET ativam processos oncogênicos em outras neoplasias humanas. Apesar da correlação genótipo-fenótipo, a heterogeneidade clínica observada em indivíduos com a mesma mutação ainda é pouco compreendida. Os inibidores da tirosina quinase (TKIs) são utilizados no tratamento do CMT com resposta variável e sem impacto na sobrevida. Terapia-alvo RET especifica parece ser mais eficaz, mas muitas questões permanecem sem resposta. De modo mais amplo, as vias de sinalização induzidas pela RET ainda são pouco exploradas. A nossa hipótese é que características clínicas e moleculares não identificadas influenciam na agressividade tumoral e resposta terapêutica. Insights sobre o microambiente tumoral, características epigenéticas e aquisição de novas anormalidades genéticas são cruciais na compreensão do comportamento tumoral. A proposta consiste de 3 subprojetos: 1. Ampliar a investigação de pacientes com CMT, incluindo informações demográficas, bioquímicas, genético-moleculares e fenotípicas, bioinformática e análise de dados de larga escala disponíveis em bancos públicos; 2. Explorar o perfil epigenético e microambiente tumoral na patogênese do CMT. 3. Explorar mecanismos de sinalização do gene RET em outras neoplasias malignas humanas, particularmente no câncer de mama onde dados preliminares mostram aumento da expressão do RET. Os resultados contribuirão no avanço do conhecimento dos mecanismos tumorais associados ao gene RET e desenvolvimento de novas terapêuticas.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 05/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Ana Luiza Spadano Albuquerque

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • projeto aspecto – assimetria na distribuição de energia e massa entre as correntes de contorno oeste do atlântico sul durante os últimos 180ka (mis 6 ao mis1) e o papel do vazamento das agulhas sobre o clima continental
  • O acoplamento oceano-atmosfera é decisivo para a determinação, tanto dos estados médios, quanto da variabilidade do clima terrestre, em função da elevada capacidade térmica dos oceanos e de suas propriedades de distribuição de calor. O entendimento dos modos e padrões de variabilidade dos oceanos em larga escala temporal depende de estudos paleoceanográficos, os quais têm comprovado claramente a direta relação entre a dinâmica oceanográfica e o clima global. O Oceano Atlântico teve (tem) papel central na propagação das mudanças climáticas abruptas, uma vez que elas estiveram (estão) associadas à marcantes alterações na intensidade da Célula de Revolvimento Meridional do Atlântico (do inglês, Atlantic Meridional Overtuning Circulation, AMOC). Apesar disso, o conhecimento a respeito das mudanças na paleocirculação na porção tropical e subtropical do oeste do Atlântico Sul é ainda restrito, esparso e fragmentado, a despeito de seu reconhecido papel na transferência de calor inter-hemisférico e, consequentemente, na modulação do clima global. Neste sentido, o oceano Atlântico Sul contribui com a AMOC transferindo calor para o Atlântico Norte através do Giro Subtropical do Atlântico Sul (GSAS). Na porção norte deste Giro, a Corrente Sul Equatorial (CSE) se bifurca dando origem às correntes de contorno oeste que ocupam a margem brasileira, são elas: a Corrente Norte do Brasil (CNB) e a Corrente do Brasil (CB), nos ramos norte e sul, respectivamente. A variabilidade da temperatura da superfície do mar (TSM) dessas correntes modula o posicionamento e a intensidade dos principais mecanismos atmosféricos que controlam o clima da América do Sul, tais como: a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) e a Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS). Além disso, na porção sudoeste do GSAS, o Oceano Atlântico recebe calor transportado do Índico através do vazamento das Agulhas, o qual contribui para a variabilidade na distribuição de calor e sal entre as correntes de contorno oeste do Atlântico Sul e, consequentemente, modula a intensidade da AMOC. Estudos paleoceanográficos que abordem a variabilidade oceanográfica do setor oeste do Atlântico Sul, especialmente focados na CNB e CB são ainda raros. Apesar desta escassez de registros paleoceanográficos, alguns estudos têm apontado para uma condição antifásica ou assimétrica no transporte de calor e sal entre as correntes de contorno oeste do Atlântico Sul, e o fundamental controle do vazamento das Agulhas sobre esse mecanismo, acomodando as marcantes mudanças no transporte inter-hemisférico deste calor e sal no Atlântico. No entanto, o impacto das mudanças climáticas abruptas sobre a CNB e CB permanece elusivo, principalmente em função da pequena quantidade de registros marinhos com alta resolução temporal. Neste sentido, o Projeto ASpECTO se propõe a estudar a assimetria de transporte de calor e massa entre as CNB e CB ao longo dos últimos 180.000 anos (MIS 6 ao MIS1), buscando também entender o impacto do vazamento das Agulhas sobre o transporte de calor dessas correntes e suas consequências sobre o clima continental. Para tanto, esse projeto se baseia no estudo de três testemunhos marinhos localizados nas Bacias de Santos (GL1090), Pernambuco-Paraíba (GL1180) e Barreirinhas (GL1248), os quais estão sob a influência da Corrente do Brasil, da região da bifurcação da Corrente Sul-Equatorial e da Corrente Norte do Brasil, respectivamente. Além disso, esse projeto também abordará um testemunho coletado pela Expedição IODP-361 (Janeiro-Fevereiro 2016), localizado no Banco das Agulhas ao largo da Cidade do Cabo na África do Sul (U1479), que representa a região reconhecida como “Agulhas ring-corredor”, cujo o estudo será realizado em alta-resolução temporal, visando estabelecer os padrões de exportação de calor e sal entre os oceanos Índico e Atlântico.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2023
Foto de perfil

Ana Manhani Cáceres Assenço

Ciências da Saúde

Fonoaudiologia
  • desenvolvimento de habilidades comunicativas em contexto de distanciamento social: um estudo longitudinal
  • O desenvolvimento da linguagem é fundamental para o pleno desenvolvimento infantil e é apontado como uma medida de bem-estar na infância. Os seis primeiros anos de vida são vitais para tal desenvolvimento, o que exige condições biológicas e um ambiente de interação saudável. A pandemia de covid-19 alterou o padrão usual de interação social ao demandar o uso de máscaras e distanciamento social, o que poderá impactar o desenvolvimento de habilidades comunicativas das crianças. Tal impacto poderá ser refletido na redução da efetividade da triagem auditiva neonatal e dos índices de diagnóstico precoce de perdas auditivas; e no aumento de barreiras para este desenvolvimento devido ao uso de máscaras (redução sutil da intensidade da fala e perda de informações das expressões faciais), menor exposição a interações sociais em um período crítico e ao acesso precoce e excessivo de telas. Entretanto, ainda não há evidências científicas que comprovem que tal impacto trará prejuízos. Afinal, se por um lado temos restrições ambientais, por outro há evidências de que a plasticidade cerebral poderia criar novas conexões em resposta a eventos adversos. Assim, este projeto visa monitorar o desenvolvimento de habilidades comunicativas nos primeiros 36 meses de vida de crianças nascidas em contexto de distanciamento social. Tal objetivo se justifica pela compreensão de que se confirmado tal prejuízo, o aumento do diagnósticos de transtornos da linguagem configura uma questão de saúde pública com potencial para afetar toda uma geração. Assim, o projeto será desenvolvido de forma longitudinal e observacional, de acordo com as normas éticas e sanitárias vigentes. Será realizado cálculo amostral para garantir o poder estatístico dos resultados, bem como serão adotadas medidas de avaliação padronizadas no país (protocolos de relato dos pais, instrumentos de rastreio e de avaliação do desenvolvimento), além de dados demográficos e histórico de saúde.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Ana Maria Baptista Menezes

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • prematuridade e doenças crônicas nao transmissiveis nos adultos jovens (30 anos) da coorte de nascidos vivos de 1993, pelotas, rs
  • Em 1998, Barker propôs que as doenças crônicas não transmissíveis (sigla em inglês: NCD) podem resultar não somente da genética ou estilo de vida não saudável do indivíduo, como também do desenvolvimento intrauterino e do pós-natal imediato. A partir daí, várias pesquisas buscam mostrar a relação entre condições de nascimento desfavoráveis e doenças crônicas tardias. O presente projeto visa avaliar a associação entre prematuridade nos membros da coorte de nascimento de 1993, Pelotas, RS, com desfechos tardios nestes participantes aos 30 anos de idade. A informação sobre idade gestacional foi obtida ao nascimento sendo prematuridade definida como os nascidos de mães com <37 semanas de gestação. Na próxima visita da coorte, aos 30 anos (ano de 2023), serão avaliados desfechos como doenças cardiovasculares, pulmonares, déficit de atenção (TDAH), violência, dentre outras, através de proxys para essas futuras doenças ja que são adultos jovens. Através de alguns exames como função pulmonar, pressão arterial, ultrassom de carótida, IMC, composição corporal por DXA e BOD Pod, assim como a informação por questionários (red cap) sobre dieta, atividade física, saúde mental e violência poderemos detectar, precocemente, alterações para futuras doenças. Há evidência de países de alta renda que prematuros estão em risco de doenças em longo prazo. No nosso meio, sabe-se pelas quatro coortes de nascimento de Pelotas (1982, 1993, 2004 e 2015) que a prevalência de prematuridade aumentou de 5,8% em 1982 para 13,8%, em 2015. Acredita-se que esta epidemia de pré-termos esteja diretamente ligada à epidemia da cesária. Nossa hipótese é de crianças nascidas pré-termo estão em maior risco de desenvolverem doenças na vida adulta comparadas a crianças nascidas a termo. A estratégia metodológica para este projeto é o fato de termos uma coorte de nascimento prospectiva e de base populacional com informações desde o nascimento e seguimento da mesma em várias idades ao longo do ciclo vita
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 14/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Ana Maria Benko Iseppon

Tecnologias

Desenvolvimento Tecnológico e Industrial
  • bioinformática, ômicas e biotecnologia aplicadas ao feijão-caupi visando à resistência contra patógenos e pragas
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 29/11/2019-30/11/2022
Foto de perfil

Ana Maria Caetano de Faria

Ciências Biológicas

Imunologia
  • projeto da sociedade brasileira de imunologia (sbi) para a semana nacional de ciência e tecnologia 2022
  • Durante seus 50 anos de história, a SBI é reconhecida por promover diversas iniciativas em educação e divulgação científica. Entre elas, estão a organização de cursos acessíveis para especialistas, lives para a população em geral, participação em eventos de popularização da ciência, participação da diretoria e membros da Sociedade que colaboram constantemente com a imprensa, produção e difusão de conhecimento científico diário para os pouco mais de 95 mil seguidores que a SBI reúne em suas redes sociais. Para esta edição da SNCT, a SBI planeja: (1) lançamento de e-book sobre o processo de desenvolvimento das vacinas (com linguagem acessível), explicação dos conceitos básicos de imunologia (o que é sistema imune, células de defesa, como o corpo reage durante uma infecção, etc), glossário científico; (2) vídeos informativos sobre o método e consenso científico; (3) cartilhas informativas nas redes sociais sobre a ciência; (4) live nas redes sociais com cientistas que atuam em projetos para meninas e mulheres na ciência; (5) webinar sobre o desenvolvimento e importância das vacinas; (6) mesa-redonda discutindo o futuro da ciência brasileira; (7) série de episódios de podcast abordando os temas selecionados (devido ao tempo de produção/finalização: um episódio será lançado durante a SNCT e o outro posterior a data); (8) publicações de artigos no blog da Sociedade; (9) parceria com divulgadores científicos para conteúdos (vídeos ou posts) criados em colaboração com o objetivo de “viralizarem” e alcançarem um público maior. A programação intensiva da SBI inclui, ainda, ações coordenadas com as regionais e colaboradores dos comitês científicos da Sociedade e, como parte da comemoração dos seus 50 anos, a realização do projeto “História da Imunologia do Brasil” - uma série documental com entrevistas (realizadas presencialmente) com cientistas que ajudaram a escrever a história da ciência em nosso país.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 12/09/2022-31/03/2023
Foto de perfil

Ana Maria Caetano de Faria

Ciências Biológicas

Imunologia
  • impacto da imunossenescência no desfecho da covid-19
  • Uma das questões críticas no controle da pandemia de COVID-19 é o entendimento sobre a patogênese da forma grave da doença e dos grupos de risco. Vários estudos mostram que a doença grave resulta de uma reação de hiperinflamação com lesão de vasos e órgãos. Nossa hipótese de trabalho é que as alterações imunológicas ligadas à senescência (o inflammaging de citocinas, o declínio na função de linfócitos, a redução do repertório de imunoglobulinas e a disbiose) resultam em resposta imune disfuncional na infecção pelo SARS-COv-2. Indivíduos de áreas endêmicas para doenças infecciosas crônicas (Governador Valadares, MG) e ou com comorbidades inflamatórias (obesidade, disbiose, doenças inflamatórias crônicas, coinfecções virais) teriam maior risco para a COVID-19 grave devido à aceleração da imunossenescência. Para testar a hipótese, avaliaremos o perfil de imunossenescência em adultos (20-60 anos) e idosos (>60) positivos para SARS-Cov-2 de Belo Horizonte, Governador Valadares e São Paulo: 1)perfil de citocinas no plasma; 2)fenótipo de senescência em linfócitos T, B e células NK; 3)repertório de imunoglobulinas; 4)composição da microbiota intestinal; 5)idade epigenética pela metilação do DNA genômico; 6)presença de comorbidades inflamatórias. Avaliaremos se o perfil de imunossenescência se correlaciona com a forma grave da COVID-19. Biomarcadores hematológicos e sorológicos de fácil acesso serão correlacionados com esse perfil para viabilizar o seu uso na clínica e pelo SUS. Serão incluídos ainda 3 grupos de indivíduos: vacinados, co-infectados com HIV para testar o efeito da co-infecção viral na imunossenscência e um grupo com amostras de sangue colhidas nos dias 0 e 7 após o diagnóstico de COVID-19 para avaliar se a doença acelera a imunossenescência. Nossos dados serão comparados com dados obtidos em Portugal e Alemanha. Este estudo pode ajudar a identificar biomarcadores de imunossenescência para prever o risco de doenças virais graves e o envelhecimento saudável.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025